quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

O mistério dos fósforos queimados - Ellery Queen [Opinião]

Título: O mistério dos fósforos queimados
Autor: Ellery Queen
Editor: Livros do Brasil
N.º de Páginas: 304
Coleção: Vampiro

Sinopse: 
O homem conhecido como Joseph Kent Gimball era uma figura de proa da fulgurante alta-roda nova-iorquina que se passeava pelas ruas de Manhattan na companhia da sua elegante mulher. O homem conhecido como Joe Wilson poderia muito bem ser apresentado como o epítome da classe média americana, com a sua casa, esposa, cão e relvado para cortar ao fim de semana num modesto subúrbio de Filadélfia. Tudo indicaria que Gimball e Wilson nunca se viriam a cruzar - não fora o caso de os dois habitarem o mesmo corpo. E um corpo que acabaria por ser encontrado cadáver numa Casa de Recuperação a meio caminho entre as suas duas vidas. Escrito em 1936, O Mistério dos Fósforos Queimados é uma das mais fascinantes obras de Ellery Queen, assente numa lógica dedutiva espantosamente conduzida, uma história de investigação em que para descobrir o assassino a primeira questão que o escritor-detetive terá de solucionar é quem foi o assassinado.

A minha opinião: 
A sinopse é bastante explicativa (até demais) do que se vai passar em O Mistérios dos Fósforos Queimados. Mas o facto de a vítima ter uma vida dupla, completamente diferente, fez com que aguçasse a curiosidade na leitura deste livro. 

Estes livros da nova coleção Vampiro fazem-me lembrar a juventude. Li tantos, que lhes perdi a conta. Hoje em dia poderia ter uma coleção bastante significativa, caso a minha mãe não os tivesse deitado fora. Sim, a minha mãe, devoradora de livros também, achava que estava coleção devia ser lida e depois "desprezada" pelo que não sobrou quase nada destes livros que povoaram a minha juventude. 

A vida dupla de Gimball vai ser o tema central da história, visto que nem uma nem a outra mulher sabiam da sua existência. Gimball socorre-se do trabalho para dar desculpas da sua ausência. Assim, acaba por estar presente nos momentos mais importantes das famílias. Rico enquanto Gimball, sendo uma figura conhecida na alta roda de Nova-Iorque, ao vestir a pele de Joe Wilson, a vítima leva uma vida bastante mediana num subúrbio de Filadélfia. 

No entanto, tudo acaba por ser descoberto quando Gimball aparece morto numa cabana onde ninguém parece conhecer, deixando um seguro de um milhão de dólares cujo nome de beneficiário foi mudado muito recentemente.
 
Ellery Queen engendra uma história bastante interessante e ritmada, com personagens misteriosas, levando o leitor a desconfiar de cada uma delas, não conseguindo descortinar o assassino logo à primeira vista. 

Completamente diferente dos livros policiais atuais, O Mistério dos Fósforos Queimados foi escrito em 1930, é um bom clássico que se lê num ápice. 



quarta-feira, 30 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Saída de Emergência presente na Comic Con


Eduardo Mendoza é o vencedor do Prémio Cervantes

A Sextante Editora tem o prazer de informar que Eduardo Mendoza é o vencedor do Prémio Cervantes, o mais importante galardão de literatura de língua castelhana, com um valor pecuniário de 125.000 €. Responsável desde 2010 pela publicação da sua obra, a Sextante Editora acrescenta que o mais recente livro de Eduardo Mendoza, O caso da modelo perdida, será publicado em Portugal em fevereiro de 2017.
Eduardo Mendoza nasceu em Barcelona em 1943. Escreveu entre outros romances A verdade sobre o caso Savolta (Prémio da Crítica em Espanha), O mistério da cripta assombrada, O labirinto das azeitonas, A cidade dos prodígios (Prémio Cidade de Barcelona), Uma comédia ligeira (Prémio de Melhor Livro Estrangeiro em França), A aventura do cabeleireiro de senhoras (Prémio para o «Livro do Ano» do Grémio dos Livreiros de Madrid), Maurício ou as eleições sentimentais (Prémio de Romance da Fundação José Manuel Lara), A assombrosa viagem de Pompónio Flato (Prémio Pena de Prata da Feira do Livro de Bilbau) e Três vidas de santos. Com Rixa de gatos venceu o Prémio Planeta 2010.


Vida e obra de Sophia celebradas a 6 de dezembro no CCB

No dia 6 de dezembro, terça-feira, às 18:30, realiza-se no Centro Cultural de Belém uma cerimónia de homenagem à vida e obra de Sophia de Mello Breyner Andresen. Participam nesta sessão Carlos Mendes de Sousa, João Almeida Flor, Luis Miguel Cintra, Margarida Gil e Richard Zenith, havendo ainda uma atuação de Katia Guerreiro e leituras por Pedro Lamares.
A sessão terá lugar na renomeada Sala Sophia de Mello Breyner Andresen (antes apenas Sophia de Mello Breyner) e surge numa altura em que a Assírio & Alvim conclui a republicação de toda a obra poética da escritora e lança a sua tradução do livro Tanto Barulho por Nada, de William Shakespeare, até agora inédita em livro.

Sobre a autora:
Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu a 6 de novembro de 1919 no Porto, onde passou a infância. Em 1939-1940 estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publicou os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia.
A sua obra está traduzida em várias línguas e foi várias vezes premiada, tendo recebido, entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana – a primeira vez que um português venceu este prestigiado galardão. Com uma linguagem poética quase transparente e íntima, ao mesmo tempo ancorada nos antigos mitos clássicos, Sophia evoca nos seus versos os objetos, as coisas, os seres, os tempos, os mares, os dias.
Faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa. Dez anos depois, em 2014, foram-lhe concedidas honras de Estado e os seus restos mortais foram trasladados para o Panteão Nacional.


Germano Silva no Porto de Encontro

Biblioteca Almeida Garrett recebe a apresentação do novo livro do autor, Porto Revisitado
Este sábado, dia 3 de dezembro, às 17:30, o auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett recebe o jornalista e historiador Germano Silva para a 51.ª sessão do Porto de Encontro.
Um mês após ter recebido o título de Doutor Honoris Causa, por parte da Universidade do Porto (UP), Germano Silva irá estar à conversa com o jornalista Sérgio Almeida, numa sessão que conta com a presença de Pedro Olavo Simões, que apresenta o livro Porto Revisitado, e com a atuação do Rancho Folclórico do Porto.
Porto Revisitado, o mais recente livro do autor, é uma obra especial que constitui uma homenagem da cidade e das suas gentes. Este livro reúne as melhores crónicas do autor escolhidas por seis figuras da cidade: Jorge Gabriel, Jorge Nuno Pinto da Costa, Judite de Sousa, Pedro Abrunhosa, Manuel Sobrinho Simões e Sónia Araújo. A essa seleção juntam-se três textos inéditos e uma biografia de Germano Silva, da autoria do jornalista Pedro Olavo Simões.
Promovido pela Porto Editora desde 2011, este ciclo de conversas reuniu mais de 15.000 espectadores em 50 edições realizadas em diversos espaços da cidade, como a Casa da Música, o Teatro Rivoli, a Casa das Artes ou o Teatro Nacional São João.
Esta 51.ª edição do Porto de Encontro conta com a colaboração da Câmara Municipal do Porto e o apoio do Jornal de Notícias, da Antena 1, das Livrarias Bertrand, da Arcádia e do Rancho Folclórico do Porto.
Esta iniciativa está a ser divulgada no sítio do Porto de Encontro em www.portoeditora.pt/portodeencontro e também em www.facebook.com/portodeencontro.

Carlos Ruiz Zafón em Lisboa para apresentar o novo livro da saga A Sombra do Vento - e eu não vou lá estar

Carlos Ruiz Záfon vem a Lisboa para apresentar o seu novo livro, da saga A Sombra do Vento, O Labirinto dos Espíritos. Infelizmente não posso estar presente... Lisboa ainda é um pouco longe para quem é do norte.
Para quem está em Lisboa nesse dia não deixe de ir. Ponham-me cheia de inveja ;)
segunda-feira, 28 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Coolbooks: Um thriller tão obscuro quanto inesperadamente romântico

Título: O Escultor
Autor: Carina Rosa
Formato: e-wook / capa mole
N.º páginas: 460
PVP: 6,99 € / 16,60 €

O Escultor, de Carina Rosa, é a segunda obra da autora a ser publicada pela Coolbooks
O Escultor, de Carina Rosa, é a mais recente novidade da Coolbooks e está disponível, a partir de hoje (em formato físico e digital), na livraria virtual Wook. Depois de ter publicado A sombra de um passado, em 2014, a chancela da Porto Editora dá agora a conhecer a incursão desta jovem autora pelo thriller.
A vida de Mariana, uma galerista de sucesso, é radicalmente alterada após receber vários bilhetes ameaçadores que culminam com o desaparecimento da sua companheira de casa às mãos de O Escultor, um assassino em série. Tudo indica, porém, que este é apenas primeiro e macabro incidente de uma perseguição incessante.
Neste thriller, tão obscuro quanto romântico, desenha-se a história dos delírios de um fanático e de uma mulher e de um homem que, unidos pelas circunstâncias, terão de o travar.

Sobre a autora:
Carina Rosa nasceu em Lisboa em 1986 e vive no Algarve. Licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade do Algarve e trabalhou em jornalismo de imprensa, na rádio e televisão online. No entanto, a ginástica foi sempre a sua casa e é trabalhando com classes de formação gímnica que passa os seus dias, como técnica de Ginástica Acrobática. Considera-se uma apaixonada pelas artes e pela cultura, no geral, estabelecendo uma relação muito próxima entre a música, a dança e as letras. A escrita é uma paixão que tomou forma em 2012, ao publicar o seu primeiro romance O Intruso. Desde então tem-se dedicado a escrever romances, uns mais leves, outros com um carácter mais denso, entre histórias contemporâneas e policiais, os seus géneros favoritos.



Novidades Marcador

Título: A mulher é uma ilha
Autor: Audur Ava Ólafdóttir
N.º de Páginas: 392
PVP: 19,50€

Sinopse:
No final de um dia em que foi deixada - duas vezes - e em que matou acidentalmente um ganso, uma jovem mulher anseia por umas férias tropicais, longe do caos da sua vida. Porém, os seus planos são arruinados pelo filho surdo-mudo da sua melhor amiga, deixado ao seu relutante cuidado. Mas quando o rapaz escolhe os números sorteados num bilhete de lotaria, partem os dois numa viagem de carro pela Islândia, com o porta-luvas atulhado com parte do produto do seu jackpot. O que começa como uma aventura espontânea vai alterar, de modo inesperado e profundo, a forma como vê o passado e como planeia o futuro.

"Neste livro, o leitor sente o calor do sol num país nórdico onde o sentimento é um sorriso palpitante, com dois corações. Um agudo e outro grave, esses corações escrevem a partitura de um livro táctil, arrebatador e chocante." Paris Match

Sobre a autora:
Audur Ava Ólafsdóttir nasceu em Reiquiavique, Islândia, em 1958. Estudou história da arte e teoria da arte e é atualmente professora de história da arte na Universidade da Islândia e diretora da coleção de arte dessa instituição. Auður Ava é autora de vários romances. 

Título: Doutor G
Autor: Guilherme Duarte 
Nº de Páginas: 216
PVP: 15€
- Tem o blog de humor mais lido em Portugal; e premiado
- Mais de 125 mil fãs no Facebook;
- Presença em programas de TV e rádio (5 Para a Meia Noite, Prova Oral etc).
Sobre o livro:
Do autor do blogue do ano Como Falar Noutra coisa 
Um Manual para fazer amor à bruta e diminuir as guerras no mundo.
Além da compilação das melhores consultas online dadas pelo Doutor G, este livro conta ainda com conteúdo inédito e original, e que só poderão ler aqui ou num PDF pirateado a circular pela internet. Com novas dúvidas e respostas nunca antes publicadas, esta enciclopédia sexual contém dicas de sedução, seja online, seja no mundo real, e um glossário que aumentará o vocabulário eloquento javardo da população portuguesa e daquelas duas ou três pessoas do Brasil e Angola que vão comprar o livro porque têm um amigo português que lhes disse que era giro.
O autor:
DOUTOR G, é o alter ego de GUILHERME DUARTE que é um sujeito com mais de trinta primaveras nos ombros.
Nascido, criado e (ainda) residente na bela e pitoresca localidade da Buraca, cedo aprendeu que fazer rir era bom, sobretudo para desarmar gandins. É o autor do blogue Por Falar Noutra Coisa, que, em menos de dois anos, se tornou um dos mais lidos de Portugal. Concilia o trabalho a tempo inteiro com a sua faceta de blogger e comentador da atualidade. Não se assume como humorista, porque isso era o mesmo que dizer que é futebolista por jogar, de vez em quando, com os amigos. Embora nunca tenha sido hisper, já tinha barba antes de virar moda.





Guerra e Paz publica edição especial de Memorial do Convento de José Saramago

Numa edição especial e limitadíssima, a Guerra e Paz vai publicar o Memorial do Convento, de José Saramago, com ilustrações de João Abel Manta. O nascimento deste livro dava um pequeno romance. O editor José da Cruz Santos sonhou esta edição com José Saramago: «Ter o João Abel Manta e o Carlos Reis connosco é um presente do céu quando o havia. Só de pensar que vou ter um livro meu ilustrado pelo João Abel faz com que o pulso se me acelere», disse-lhe, numa carta, o autor do Memorial do Convento. Agora, a Guerra e Paz editores concretiza esse sonho. Num livro de capa dura, com um formato de 16,5 cm de largura, por 24 cm de altura, com um reforço de lombada em tecido vermelho, incluindo 20 ilustrações inéditas de João Abel Manta a 4 cores, sendo duas das ilustrações reproduzidas em dípticos com 33 cm de largura. Com guardas vermelhas e um fitilho esta é uma edição raríssima, de apenas 500 exemplares, que não voltará a ser reimpressa. Para guardar, religiosamente, se assim se pode dizer. O livro vai chegar às livrarias no dia 7 de Dezembro.

Esta edição só foi possível pela imensa gentileza de José da Cruz Santos e da Modo de Ler, que a cederam à Guerra e Paz, e por especial deferência da Porto Editora, da Fundação Saramago e dos herdeiros de José Saramago, que a autorizaram. A Guerra e Paz agradece ainda a João Abel Manta e à sua filha, bem como ao Professor Carlos Reis as autorizações concedidas.


Novidade Planeta: O Governo Bilderberg de Francisco Duarte Carvalho

Título: O Governo Bilderberg
Autor: Francisco Duarte Carvalho
N.º de Páginas: 448
PVP: 20,95 €
Nas livrarias a partir de 30 Novembro

A investigação mais completa e exaustiva alguma vez publicada sobre a presença e participação de Portugal e de portugueses no clube dos «Senhores do Mundo».

Resultado de uma investigação de duas décadas do autor, este é um dos mais completos trabalhos alguma vez publicados sobre o Grupo Bilderberg, quer em Portugal quer internacionalmente.
Este livro traça a história – apoiada em documentação oficial, muita da qual inédita – do surgimento do Grupo Bilderberg, em 1954; da sua evolução, da participação de Portugal, ao nível estatal, desde 1956, e da passagem da participação neste clube da esfera dos interesses de Estado para a dos grupos de interesses privados, ocorrida a partir da última década do século XX, até à actualidade.
«Não há, no mercado livreiro nacional e internacional, uma história isenta sobre o que é esta organização que, desde os anos 80, conta com dois exprimeiros-ministros portugueses na lista dos membros permanentes.» in Introdução

Frederico Duarte Carvalho sustenta toda a sua investigação com provas documentais, comprovada por documentos oficiais reproduzidos em larga medida no próprio livro, e originários de «fontes de indiscutível credibilidade, de que são exemplo o Arquivo Salazar, na Torre do Tombo, e o Arquivo Histórico-Diplomático» do Ministério dos Negócios Estrangeiros, entre outros.
Inclui em anexo datas e locais de todos os encontros Bilderberg, desde 1954 até à actualidade e um elenco de todos os participantes portugueses, com pequenas biografias, desde 1956, com Rui Ennes Ulrich, até 2016, com Maria Luís Albuquerque e Carlos Gomes da Silva.
Um livro que será fundamental e incontornável para quem quiser saber mais, ou aprofundar, a história, a influência e a responsabilidade do Clube Bilderberg no rumo que o mundo tem levado, e leva.

«Se o Grupo Bilderberg está mesmo preocupado com o rumo do mundo, então anda a falhar. Os seus membros são uns incapazes. Ao contrário das teorias da conspiração, não há um plano concertado pelo domínio do mundo. O que vemos hoje é resultado de erros sobre erros de pessoas às quais, como avisou Marshall McLuhan, falta a visão artística e poética do mundo.» in Conclusão

Sobre o autor
Frederico Duarte Carvalho nasceu no Porto em 1972.
Trabalhou como jornalista no diário O Primeiro de Janeiro e no semanário Tal&Qual e foi editor de política na revista Focus.
É autor dos livros Vítor Batista - O Maior, Capitão Roby, Eu Sei Que Você Sabe, Abril Sangrento, Poeta & Espião, A Mensagem Brown, O Enigma da Praia da Luz, Estado de Segredos, Cavaco Versus Cavaco, e, na Planeta, do livro de investigação Camarate - Sá Carneiro e as Armas para o Irão e das ficções O Homem Que Era Salazar, O Terceiro Bispo e O Segredo de João das Regras.



quarta-feira, 23 de novembro de 2016 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação do livro de Nuno Nepomuceno: A Célula Adormecida


Novidade Casa das Letras: Dois Mil Anos de Papas, de Roberto Monge

Título: 2000 Anos de Papas
Autor: Roberto Monge
PVP: 23,90€ 
N.º de Páginas: 584 

Dois Mil Anos de Papas reúne e contextualiza, por ordem cronológica e de forma breve, os perfis biográficos de todos eles, ilustrados por gravuras retiradas da emblemática obra Album dei Papi, datada de 1885, da autoria do primeiro director dos Arquivos do Vaticano, Joseph Hergenröther. Apenas os três últimos papas foram retratados pelo lápis de Davide Le Grazzie.

De São Pedro a Francisco, todos os papas que lideraram a Igreja Católica nos últimos dois mil anos têm uma história, um percurso e um papel na História. Os pontífices são homens reais que, apesar de muitas quedas, tendem à sublimação: na sua história alternam fraquezas e virtudes, traições e arrependimentos, limitações e santidade, sempre imersos no fluxo da história. Aos seus retratos soma-se ainda um perfil sucinto dos incontornáveis antipapas e um breve glossário sobre as principais heresias e o índice cronológico dos pontífices.


Porto de Encontro homenageia Ruy Belo

No próximo domingo, dia 27 de novembro, às 17:00, o auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett recebe a 50.ª sessão do Porto de Encontro, marcada pela homenagem ao poeta Ruy Belo.
Esta sessão – que será também palco da apresentação da nova edição de Boca Bilíngue, publicada pela Assírio e Alvim – irá contar com a presença de Teresa Belo, do poeta Fernando Pinto do Amaral e de Fernando Centeio, coautor de Era uma vez, o documentário sobre o universo poético de Ruy Belo. As habituais leituras vão ser asseguradas pelo ator e encenador Luis Miguel Cintra.
Promovido pela Porto Editora desde 2011, este ciclo de conversas reuniu quase 15.000 espectadores em 49 edições realizadas em diversos espaços da cidade, como a Casa da Música, o Teatro Rivoli, a Casa das Artes ou o Teatro Nacional São João.
A 50.ª edição do “Porto de Encontro” conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, do Jornal de Notícias, da Antena 1, das Livrarias Bertrand e da Arcádia.
Esta iniciativa está a ser divulgada no sítio do Porto de Encontro em www.portoeditora.pt/portodeencontro e também em www.facebook.com/portodeencontro



Novidades para o Natal da Nuvem de Letras

Título: NATALOSSAURO – O dinossauro que salvou
o Natal

Autor: Tom Fletcher
Editora: Nuvem de Letras
N.º de Páginas: 376
PVP 15,50€

UMA HISTÓRIA MÁGICA SOBRE O NATAL

Natalossauro – O Dinossauro que Salvou o Natal é a história de um menino, William Trundle, e de um dinossauro. Os dois conhecem-se na véspera de Natal e, nessa noite, vão viver uma aventura extraordinária. O Natalossauro é um livro sobre amizade, família, sinos, o Pai Natal, duendes cantores, renas voadoras, música e magia. É sobre a descoberta dos desejos mais secretos e aprender que o impossível pode tornar-se possível….

Título: No Reino de Gorjuss 
Editora: Nuvem de Letras
N.º de Páginas: 110
PVP 17,90€

TAL COMO O AMOR, UMA BOA HISTÓRIA
PODE MUDAR TUDO

No Reino de Gorjuss recontam-se seis das histórias de encantar clássicas mais conhecidas do público: Capuchinho Vermelho, Pequena Sereia, Polegarzinha, Branca de Neve, Rapunzel e Alice.



O livro amarelo que se pintou de vermelho para o Natal. Com Jorge de Sena, Mark Twain e James Joyce

Título: A Noite que Fora de Natal / Carta ao Pai Natal / Os Mortos
Autores: Jorge de Sena / Mark Twain / James Joyce
N.º de Páginas: 148
PVP: 15,00 €
Ficção
Nas livrarias a 23 de Novembro


Este é um Livro Amarelo. Mas este não é um Livro Amarelo. Pelo menos não é só um Livro Amarelo. Amarelo, mas pintado de Vermelho, este é um livro inclassificável. Junta três textos como quem junta três Reis Magos: um conto de Jorge de Sena, uma carta de Mark Twain e outro conto de James Joyce.

Na colecção Livros Amarelos em cada livro há dois textos que se opõem. Neste livro não há oposição nenhuma: três textos caminham lado a lado e o prazer de os ler contagia o leitor e contagia as três faces do miolo que foram pintadas à mão. Tudo começa com a morte do Deus Pã, no conto A Noite que Fora de Natal, de Jorge Sena, nessa mesma noite em que nasce um outro Deus, misterioso. Chega depois a inesperada e esquecida alegria que é chegar a Carta do Pai Natal. Escreveu-a o Pai Natal à filha de Mark Twain e não é despiciendo pensar na probabilidade de ter havido aqui um caso de usurpação de identidade. E chegamos ao terceiro conto: o Natal já passou, correm os festejos de Epifania, Dia de Reis dizemos nós, e come-se, bebe-se e dança-se na casa de Kate e Julia Morkan. É esse o cenário da mais amável e intensa nostalgia que já se derramou sobre um conto que é de Natal sem precisar de ser de Natal. Chama-se Os Mortos e escreveu-o James Joyce. Três textos a rasgar a noite escura, cercados pelo silêncio e pela profunda satisfação que vem da leitura. Se tivermos tudo isto em papel e pintados a vermelho, então este é um livro de Natal, o mais belo livro amarelo de Natal.