segunda-feira, 21 de maio de 2018

A Guerra e Paz na Feira do Livro de Lisboa



Miguel Sousa Tavares em sessão de autógrafos no primeiro dia da Feira do Livro de Lisboa

Cebola Crua com Sal e Broa, novo livro de Miguel Sousa Tavares é um testemunho vivo da nossa História recente

Eterno contador de histórias, Miguel Sousa Tavares abandonou a advocacia para se dedicar ao jornalismo, primeiro, e à escrita literária, depois. Fruto de uma carreira rica de experiências e cheia de convicções fortes e consistentes, tornou-se numa das grandes personalidades portuguesas das últimas décadas. Neste seu novo livro, o autor transforma as suas vivências em histórias imperdíveis sobre o nosso passado comum e a construção de um homem.

É o testemunho de uma vida única com a História contemporânea de Portugal como fundo. Dos primeiros anos, passados numa quinta no Marão, à juventude numa Lisboa cinzenta interrompida por uma revolução muito familiar; da descoberta do mundo através dos livros, dos jornais e da televisão às incursões na política numa democracia cheia de encantos e contradições.

“Cebola Crua com Sal e Broa” tem cerca de 400 páginas, divididas por 16 capítulos, onde podemos encontrar uma escola no Marão e os verões nas praias da Granja e de Lagos, com um “Melville” e a sua pesca «ao candeio»; uma educação numa casa diferente e alternativa e uma faculdade marcada por Marcelo e pelas lutas estudantis; o 25 de abril em direto e com a participação do pai, a extinção da PIDE e as loucuras do PREC; a liberdade recente nos jornais e no fascinante mundo da televisão ou os episódios com Soares, Guterres e Sócrates; as paixões pelo jornalismo e pela literatura; as promessas de vida cumpridas e as juras por cumprir…

No próximo 25 de maio, dia de abertura da Feira do Livro de Lisboa, Miguel Sousa Tavares tem encontro marcado com os seus leitores no espaço da editora Clube do Autor (pavilhões A49 a A57) às 19 horas.



Porto Editora: Maria Dueñas regressa com "As vinhas de La Templanza"

Título: As vinhas de La Templanza
Autor: Maria Dueñas
Tradução: Carlos Romão
Págs.: 536
Capa: mole com badanas
PVP: 18,80 €

É um regresso há muito esperado. De Maria Dueñas, a autora espanhola mais lida em todo o mundo, a Porto Editora faz chegar às livrarias de todo o país As vinhas de La Templanza, no próximo dia 24 de maio.
Neste livro, a autora dá a conhecer Mauro Larrea, um empresário que, num revés do destino, perde toda a fortuna conquistada nas duras minas do México. Sem nada, ruma a Havana, na tentativa de se reerguer. Aí, começa um turbilhão de acontecimentos e emoções na sua vida. Parte para Espanha, troca o negócio do minério pelo da vinha e deixa-se encantar por Soledad Montalvo, uma mulher lutadora e antiga proprietária de La Templanza.
Maria Dueñas regressa ao género que a celebrizou com o seu romance de estreia, O tempo entre costuras, e apresenta um relato histórico e de costumes, pleno de cenários exóticos e sedutores que conduzem o leitor ao longo da segunda metade do século XIX, numa viagem entre a jovem república mexicana e a cosmopolita Jerez de La Frontera.
À semelhança do que aconteceu com o sua primeira obra (O tempo entre costuras foi uma das séries mais vistas na Antena 3), também As vinhas de la Templanza terá uma adaptação ao pequeno ecrã, que já está a ser produzida por esta mesma estação televisiva, responsável, por exemplo, por êxitos mundiais como A Casa de Papel.

Sinopse:
Uma história de coragem perante as adversidades e de um destino marcado pela força de uma paixão.
Nada fazia supor a Mauro Larrea que a fortuna que tinha conquistado fruto de anos de luta e perseverança se desmoronaria de um dia para o outro, graças a um inesperado revés.
Asfixiado com dívidas e afogado em incertezas, aposta os últimos recursos numa jogada temerária na esperança de se reerguer. Até que a perturbadora Soledad Montalvo, mulher dum negociante de vinhos inglês, entra na sua vida para o arrastar rumo a um futuro inesperado. Da jovem república mexicana à radiante Havana colonial, das Antilhas à Jerez da segunda metade do século XIX quando o comércio de vinhos com Inglaterra converteu a cidade andaluza num enclave cosmopolita e lendário, por todos estes cenários se desenrola As vinhas de La Templanza, um romance que fala de glórias e derrotas, de minas de prata, intrigas de família, vinhas e cidades fascinantes cujo esplendor se desvaneceu com o tempo.

Sobre a autora:
Doutorada em Filologia Inglesa, Maria Dueñas é professora titular da Universidade de Murcia depois de ter já passado pela docência em várias universidades norte-americanas. É autora de trabalhos académicos e de muitos projetos educativos, culturais e editoriais.
Maria Dueñas nasceu em Puertollano (Ciudad Real) em 1964, é casada, tem dois filhos e reside em Cartagena.
O Tempo entre Costuras foi o seu primeiro romance, publicado pela Porto Editora, tendo sido adaptado à televisão e exibido em Portugal pela TVI.



A casa dos seus sonhos pode ser o seu pior pesadelo


Uma história intensa, atmosférica e original, fugindo do ambiente urbano e familiar típico da maioria dos thrillers, neste que é o primeiro livro da escritora publicado em Portugal.

«Um thriller envolvente, que se lê de um só fôlego, com um final inesperado. Maravilhoso!» − Psychologies

«Um thriller cativante, muito bem escrito e inundado de um sentimento delicado e crescente de ameaça que desemboca num clímax de arrasar os nervos.» —Eva Dolan

Sobre A Casa na Floresta:
Um estranho encontro,
Um presente inesperado,
Um segredo perverso…

Numa noite gelada, ao regressar a casa, Neve Carey é abordada por uma mulher estranha e perturbada, na ponte sobre o rio Tamisa, que lhe entrega um envelope, lançando-se de seguida para as águas do rio.

Duas semanas mais tarde, numa altura em que a sua vida está cada vez mais caótica, Neve descobre que a mulher que se suicidou à sua frente lhe deixou de herança uma casa na Cornualha, o que parece ser a solução perfeita para os seus problemas.

Neve decide então mudar-se sozinha para a casa, mas, assim que lá chega, arrepende-se. Fica no meio de uma floresta sombria, tem um aspeto sinistro, com grades nas janelas, e coisas bizarras começam a acontecer. Em pouco tempo, a casa dos seus sonhos transforma-se no seu pior pesadelo. E a verdade é que esta esconde um segredo perverso… que mudará para sempre a vida de Neve.

A Casa na Floresta é uma edição Topseller (17,69€ | 304 pp.) e as primeiras páginas podem ser lidas aqui.




Cass Green foto.png


Sobre a autora:
Cass Green é uma autora bestseller internacional de thrillers psicológicos. Recebeu vários prémios literários como escritora de ficção para jovens adultos, assinando com o nome Caroline Green.

O seu primeiro thriller, The Woman Next Door, foi n.º 1 de vendas em e-book, e o segundo, A Casa na Floresta, foi bestseller do USA Today e do Sunday Times.

Cass Green é jornalista há mais de 20 anos, tendo colaborado com vários jornais e revistas. Vive atualmente em Londres com a família.

Saiba mais sobre a autora em: www.cassgreen.co.uk



Saída de Emergência na Feira do Livro de Lisboa



Jacinto Lucas Pires estreia-se na Porto Editora com novo romance

Título: A Gargalhada de Augusto Reis
Autor: Jacinto Lucas Piras
Págs.: 264
PVP: 16,60 €

Escritor, encenador, cronista, Jacinto Lucas Pires regressa ao romance com A Gargalhada de Augusto Reis, que marca a sua estreia no catálogo da Porto Editora. Nas livrarias a partir de 24 de maio, este é, em última instância, um livro sobre as várias formas de liberdade. Alternando passado e presente – os tempos do Estado Novo, o pós-25 de Abril e a atualidade –, Jacinto Lucas Pires guia o leitor, não sem um olhar crítico, através das várias liberdades de um povo. A acompanhar-nos nesta história, três personagens que a poesia vai unir: o diretor de um banco no Estado Novo, poeta de renome, um jovem de um bairro pobre da periferia lisboeta com pretensões literárias e uma cineasta à procura de um novo rumo.

A 7 de junho, pelas 18:30, Rui Tavares e Tiago Cavaco juntam- -se ao autor para apresentar este romance na FNAC Chiado, em Lisboa. O autor rumará depois ao Porto, onde será protagonista do Porto de Encontro que se realiza a 30 de junho, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, pelas 17:00.

Sinopse: 
Dois tempos. Duas realidades. Duas vidas distintas. De um lado, o poeta Augusto Reis, administrador de um banco e reputado académico com ligações indistintas ao regime de Salazar, que vê a sua vida ruir com o 25 de Abril. Do outro, Djalma dos Santos, um jovem de um bairro da Amadora, que em pequeno encontrou um poema de Augusto Reis e o guardou como tesouro, como mantra. A unir os dois tempos, Sofia Bessa, realizadora cujo último filme foi arrasado pela crítica e que, a medo, aceita o desafio para um novo documentário. A unir os dois homens, a poesia.
Alternando passado e presente, A Gargalhada de Augusto Reis é, em última instância, um romance sobre o mistério mais simples e o mais fugaz: a alegria.

Sobre o autor: 
Jacinto Lucas Pires nasceu no Porto, em 1974, e vive em Lisboa. Publicou vários romances (Do sol, Perfeitos milagres, O verdadeiro ator – galardoado com o Grande Prémio de Literatura DST 2013), livros de contos (Assobiar em público, Grosso modo), de não ficção, entre os quais Livro usado, e uma coleção infantil, em coautoria com a ilustradora Sara Amado. Em 2008, foi-lhe atribuído, pela Universidade de Bari/ IC, o Prémio Europa – David Mourão-Ferreira. Escreve peças de teatro para diferentes grupos e encenadores e realizou três curtas e uma longa-metragem, Triplo A (2017). Colabora como comentador na Rádio Renascença e escreve uma crónica benfiquista no jornal O Jogo. Faz parte, com Tomás Cunha Ferreira, da banda Os Quais.

EXCERTO DO LIVRO
«Uma multidão de miúdos num lugar longe dali. Numa terrinha de província, Boiços, no norte interior da sua memória. Miúdos magros, vestidos de cores escuras ou sujas; miúdos sépia dos velhos dias do Estado Novo; miúdos com os gestos pesados de quem carrega, desde nascença, um «destino traçado», o de serem iguais aos pais, pessoas repetidas e caladas que criem filhos repetidos e calados, e assim para sempre. Miúdos de cabelos negros e olhos claros emagrecendo pela cidade, rezando palavrões com vozes quebradas. Sim, claro, a universalidade da escola democrática alterou isto, sem dúvida. Hoje, mesmo nos “meios mais desfavorecidos” (guarde-nos Deus Nosso Senhor de todos os eufemismos e meias-palavras), uma criança pode sonhar mais, pode imaginar-se diferente. Sem dúvida. Mas ainda é tão gritante a desigualdade, tão obscena a injustiça. Como é que se consegue ser livre assim?»


Como Cuidar de um Professor - o presente ideal para os professores!

Muitos alunos gostam de oferecer um miminho aos professores no final do ano letivo. A Booksmile tem a sugestão perfeita!!! ​

Tomar Conta de um Professor, de Jean Reagan, a mesma autora de Como Cuidar de uma Mãe, Como Surpreender um Pai, Vamos Apanhar o Pai Natal, Como Tomar Conta de um Avô e Como Tomar Conta de uma Avó, este último finalista do Children Choise Book Award, e todos bestsellers do New York Times, traz-nos mais uma história divertida, com muitas dicas para os mais pequenos cuidarem do professor e ajudá-lo a adaptar-se à escola e a lidar com os desafios de todos os dias.

Como Tomar Conta de um Professor é a prenda ideal para os alunos oferecerem aos professores no final do ano letivo. E depois, de livro na mão, fortalecerem laços e partilharem momentos de boa disposição.


É tão bom poder aprender coisas novas, brincar sem parar, fazer amigos e descobertas incríveis. E onde podes encontrar tudo isto? Na escola, pois claro! Mas será que o teu professor está preparado para tantos momentos especiais?

Aqui ficam algumas dicas para tomares conta do teu professor:

* Leva-o até à biblioteca e mostra-lhe onde encontrar os melhores livros;

* Ensina-o a assobiar as melodias que só tu conheces;

* Fala-lhe sobre aquelas enormes flores malcheirosas que só existem na selva;

* Ajuda-o a equipar-se antes de um jogo no recreio (não te esqueças de lhe apertar os ténis!).


Deste mundo e do outro, que a Porto Editora publicou a 17 de maio, reúne crónicas que José Saramago

Título: Deste mundo e do outro
Autor: José Saramago
Págs.: 224
PVP: 16,60 €
Caligrafia da capa: Maria de Medeiros

Deste mundo e do outro, que a Porto Editora publicada a 17 de maio, reúne crónicas que José Saramago escreveu para o jornal A Capital entre 1968 e 1969. Aqui encontramos textos como “Carta para Josefa, minha avó”, “Três horas da madrugada”, sobre Lisboa, “O sapateiro prodigioso” e outras histórias «das pessoas feitas de lágrimas, alguns risos, umas tantas pequenas alegrias e uma grande dor final», havendo ainda uma crónica sobre o livro que Saramago levaria para uma ilha deserta: Dom Quixote.
Fundamentais para a obra de Saramago, o autor defendia que os seus livros não poderiam ser realmente entendidos sem as suas crónicas: «De todo o modo, os factos estão à vista: entre a primeira linha da primeira crónica e a última linha do último romance, parece ser discernível um fio contínuo ligando tudo, ao mesmo tempo que se identifica uma lógica condutora que em tudo reconhece um sentido.»

Sobre o autor: 
Autor de mais de 40 títulos, José Saramago nasceu em 1922, na aldeia de Azinhaga. Em 1947 publicou o seu primeiro livro que intitulou A Viúva, mas que, por razões editoriais, viria a sair com o título de Terra do Pecado.
Até 2010, ano da sua morte, a 18 de junho, em Lanzarote, José Saramago construiu uma obra incontornável na literatura portuguesa e universal, com títulos que vão de Memorial do Convento a Caim, passando por O Ano da Morte de Ricardo Reis, O Evangelho segundo Jesus Cristo, Ensaio sobre a Cegueira, Todos os Nomes ou A Viagem do Elefante, obras traduzidas em todo o mundo.
José Saramago recebeu o Prémio Camões em 1995 e o Prémio Nobel de Literatura em 1998. No ano de 2007 foi criada em Lisboa uma Fundação com o seu nome, que trabalha pela difusão da literatura, pela defesa dos direitos humanos e do meio ambiente, tomando como documento orientador a Declaração Universal dos Direitos Humanos.


A agenda completa para Feira do Livro de Lisboa

Com cerca de 80 escritores, sessões de lançamento e autógrafos, tertúlias e workshops, a programação do Grupo Porto Editora promete uma feira para todos os leitores.

A pouco mais de uma semana do arranque da 88.ª Feira do Livro de Lisboa , o Grupo Porto Editora (GPE) dá a conhecer a sua agenda completa , repleta de momentos que permitirão o encontro entre leitores e autores.

A celebração dos 20 anos da atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago é um destaque obrigatório no espaço Autores Que Nos Unem , do GPE, na Feira do Livro de Lisboa, devidamente assinalado com a existência de um pavilhão inteiramente dedicado ao escritor.

Mas há mais momentos a merecerem atenção – por exemplo, logo no dia de abertura da Feira do Livro, o tributo a um dos escritores mais populares dos últimos anos, Luís Miguel Rocha, prematuramente desaparecido em 2015, momento que será aproveitado para apresentar o último romance do autor, A Resignação , e também o Prémio Literário Luís Miguel Rocha, instituído recentemente pela Câmara Municipal de Viana do Castelo.

Será nos fins de semana e nos feriados que se concentrará a atenção dos leitores e com razão: escritores como Álvaro Magalhães, Bruno Vieira Amaral, Carlos Vale Ferraz, Filipa Martins, Jacinto Lucas Pires, José Eduardo Agualusa, José Tolentino Mendonça, Julieta Monginho, Luís Filipe Castro Mendes, Luis Sepúlveda, Luísa Ducla Soares, Manuela Gonzaga, Mário de Carvalho, Richard Zimler e Teolinda Gersão são alguns dos muitos que vão passar pelo espaço Autores que nos Unem.

Especial referência para a presença do conhecido cantor português, Tony Carreira , que estará na Feira do Livro na tarde de 13 de junho para uma sessão dedicada ao seu livro O Homem Que Sou , que já chegou às livrarias.

A par das sessões de autógrafos, merecem destaque os diferentes eventos programados, como, por exemplo, as tertúlias Mergulhar na Literatura - Como Escrever um Romance Histórico , com Isabel Valadão, João Paulo Oliveira e Costa e Manuela Gonzaga, e Quando as artes se tocam , com Patrícia Müller e Mário Augusto ; os workshops O Poder dos Seus Gestos , com Irina Golovanova , e DesCãoplicar , com Pedro Emanuel Paiva (ação Pet Friendly); os showcookings Receitas com Paixão , com Márcia Soares Gonçalves , e Uma Pastelaria em Casa, com Rita Nascimento ; e as sessões de contos infantis com a participação de Rui Ramos.

Tudo isto, e muito, muito mais, de 25 de maio a 13 de junho , no espaço Autores que nos Unem, do Grupo Porto Editora, conforme é possível verificar na agenda completa .

De referir que, como nos anos anteriores, o espaço Autores que nos Unem participa na iniciativa Hora H , de 2.ª a 5.ª feira (exceto feriados), das 21:00 às 22:00.



«Três Filhas de Eva», de Elif Shafak. Já nas livrarias

Título: Três Filhas de Eva
Autor: Elif Shafak
Género: Literatura
N.º de páginas: 424
PVP: € 18,80

«Três Filhas de Eva», de Elif Shafak. Entre sombras e convulsões, um romance tenso sobre a sociedade turca.

Três Filhas de Eva, romance ambientado em Istambul e em Oxford, conta a história de Petri, uma mulher da classe alta turca que já ultrapassou a casa dos 40. O epicentro de todos os acontecimentos é um certo jantar que reúne gente poderosa e rica, numa noite em que vários atentados terroristas abalam a capital turca.
Entre o normal decurso do jantar e o seu súbito desfecho, Petri precisa de contactar com alguém que conhecera e deixara para trás. O tempo avança e recua entre os anos 80 e os da primeira década do novo milénio. É neste ambiente de tensão que um certo segredo ameaça ser revelado.
Em Três Filhas de Eva, Elif Shakaf explora os abalos que moldam uma sociedade que, entre sombras e convulsões, luta para encontrar o seu caminho para a modernidade.

Sobre a autora:
Elif Shafak nasceu em França, em 1971. É uma ficcionista largamente premiada e uma das autoras mais lidas na Turquia. Os críticos referem-na como uma das vozes que mais se destacam na literatura turca e na literatura mundial da contemporaneidade. Os seus livros estão traduzidos em mais de 40 línguas. Shafak escreve ficção em inglês e turco, e o seu trabalho literário resulta de diversas tradições literárias e de um profundo interesse em história, filosofia, misticismo, política e direitos das mulheres. A sua escrita derruba categorias, clichés e guetos culturais. Elif Shafak colabora com importantes jornais — Financial Times, The Guardian, The New York Times, Die Zeit, La Repubblica, The Independent — e revistas, como a Newsweek e a Time.



terça-feira, 15 de maio de 2018

Clube do Autor como site renovado e com loja online

O site do Clube do Autor está finalmente online, após várias semanas de muito trabalho, dedicação, erros e correções.

Descontos imediatos em centenas de livros, pagamento seguro e entregas em poucos dias, é isto que os leitores podem encontrar no site a partir de hoje.

Além disso, todo o catálogo da editora Clube do Autor passa a estar disponível no sítio da editora na internet em www.clubedoautor.pt. Mais, o site disponibiliza também descontos exclusivos numa vasta seleção de livros em campanhas e grandes oportunidades de compra de livros com promoções até 50%.

O grande destaque do site vai para alguns dos títulos mais recentes, com os livros Uma Certa Forma de Vida, de Helena Sacadura Cabral, Perigo!Duas Caras, de Margarida Vieitez, Elmet – Vidas Desencantadas, finalista do Man Booker Prize, ou Inimigos de Salazar, de Irene Flunser Pimentel, entre outros, que esta quinzena têm mais relevo.

As campanhas reúnem títulos sob determinada temática e têm descontos consideráveis em todos os títulos apresentados. O arranque acontece com O Melhor da História, com mais de trinta livros dedicados à História Universal.

Concebida para proporcionar aos clientes o acesso a um vasto número de títulos que já não encontra nas livrarias físicas, a loja online da editora está organizada por categorias e por autores. Canal de História, Coleção Os Livros da Minha Vida, Infanto-Juvenil, nas categorias, ou Miguel Sousa Tavares, Clara Ferreira Alves, Gonçalo Cadilhe, Margarida Rebelo Pinto, Mário Zambujal, Helena Sacadura Cabral, são algumas das formas de pesquisar – e encontrar – os títulos disponíveis.



Morreu Tom Wolfe

@vanityfair
O autor de "A Fogueira das Vaidades" morreu na segunda-feira, aos 87 anos.
Segundo a sua agente, o escritor e jornalista encontrava-se internado, num hospital de Manhattan, com uma infeção.
Tom Wolfe é considerado um dos fundadores do movimento jornalístico entre os anos 60,70, denominado  New Journalism (ou jornalismo literário), a par de Truman Capote, Joan Didion e Hunter S. Thompson.
Este movimento caracteriza-se com o facto de o repórter tomar protagonismo no relato, colocando-se, ele próprio na cena, retratando-a do ponto de vista pessoal. 

Novidade Saída de Emergência: "O Pequeno Livro das Grandes Fobias" de Joana Marques Alves

Sabe o que é…

Ablutofobia? Medo de tomar banho
Acrofobia? Medo das alturas
Afefobia? Medo de contacto físico com outros seres humanos
Amicofobia? Medo de se coçar
Apifobia? Medo de abelhas
Cinofobia? Medo de cães

Existem fobias de todos os “tipos e feitios” e cada uma tem a sua história por trás. Com base em consultas a especialistas na área, que explicam o porquê destas fobias e como lidar com elas, Joana Marques Alves relata em O Pequeno Livro das Grandes Fobias casos de pessoas que vivem com este problema e tentam – à sua maneira – ter um dia a dia como todas as outras.

Sobre a autora: 
Joana Marques Alves nasceu a 11 de setembro de 1990, em Lisboa. Passou a sua infância em Cascais, onde vivia rodeada de discos e livros. O gosto pela leitura e pela escrita

levou-a a candidatar-se ao curso de Ciências da Cultura, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. No final da licenciatura, em 2010, começou a estagiar no Correio da Manhã, onde acabou por trabalhar como jornalista das secções Cultura e Online até 2013. No ano seguinte, começou a trabalhar na secção Online do jornal SOL. É hoje jornalista da secção Sociedade deste semanário e do jornal i.


"Um de Nós Mente": thriller-sensação nos EUA chega hoje aos leitores portugueses

Título: Um de Nós Mente
Autor: Karen M. McManus
N.º de Páginas: 336 
PVP 18,90€
Tem como título original One of Us is Lying, é o romance de estreia da norte americana Karen McManus e está a ser um dos grandes sucessos editoriais nos Estados Unidos, em parte porque agradou, e muito, aos jovens (e não tão jovens) fãs de fenómenos como o filme dos anos 80 The Breakfast Club (por cá conhecido como “O Clube”) e a série de TV “Pequenas Mentirosas”, inspirações que a autora não nega.

Além disto, desde que foi lançado, em meados do ano passado, está a fazer furor nas redes sociais e na blogosfera afetas a este tipo de literatura. Em Portugal o livro chega hoje, 15 de maio, às livrarias, pela mão da Gailivro, chancela da LeYa, e chama-se Um de Nós Mente. Engane-se quem achar que a classificação de YA (Young Adult ou Jovem Adulto) o fará ser lido apenas por adolescentes. Os centos de milhares de leitores que já o leram descobriram um thriller irresistível para diversos tipos de leitores.

Até hoje o livro já vendeu mais de 120 mil exemplares nos EUA, estando os direitos de publicação vendidos para mais de 35 países. Desde que saiu, One of Us is Lying está nos principais tops internacionais, a par de autores como John Green, e ainda agora, quase um ano após a sua saída, se mantém no 5º lugar da lista do New York Times dos mais vendidos na categoria YA.

Sobre o livro
Mas afinal o que tem este livro de tão especial? A história é simples: Simon Kelleher é o criador do Má-Língua, uma nova aplicação que está a encurralar a elite de Bayview High, revelando pormenores da vida privada dos alunos da escola. Mas o caso torna-se mais grave quando Simon e quatro colegas ficam fechados de castigo numa sala, e ele morre diante das suas vítimas. Os quatro que se tornam suspeitos imediatos do homicídio são: A melhor aluna da escola, BRONWYN, que nunca viola uma regra e quer entrar em Yale. A estrela da equipa de basebol de Bayview, COOPER. NATE, o criminoso, que está em liberdade condicional por vender droga. A menina bonita, ADDY, que parece ter a vida perfeita ao lado do namorado perfeito. Que segredos queriam esconder para eliminar Simon?

Quem será o culpado?

Sobre a autora
Karen M. McManus estreou-se na escrita com Um de Nós Mente, um romance que é bestseller do New York Times desde a data da sua publicação. McManus licenciou-se em Inglês, pelo College of the Holy Cross, e fez o mestrado em Jornalismo, na Northeastern University. Vive em Cambridge, Massachusetts, e quando não está a trabalhar ou a escrever, gosta de viajar com o seu filho.

Para saber mais sobre a autora, visite o site karenmcmanus.com, ou siga-a no Twitter em @writerkmc. 





segunda-feira, 14 de maio de 2018

ATENÇÃO, FÃS DE THRILLERS: Sara Blaedel vai estar na Feira do Livro de Lisboa


A Rainha Dinamarquesa do Thriller vai estar pela primeira vez ​na Feira do Livro de Lisboa, nos dias​ 26  ​(15h-18h) ​e 27 de maio (15h-17h).​
T​odos os anos na Feira do Livro de Lisboa, a Topseller presenteia os seus leitores com grandes nomes da literatura internacional. Depois de M. J. Arlidge e Paula Hawkins, este ano os leitores portugueses vão ter a oportunidade conhecer e conversar com a Rainha Dinamarquesa do Thriller — Sara Blaedel.

O dia 26 de maio começa com uma conversa aberta entre a escritora e os leitores sobre como escrever um thriller. ​

​Sara Blaedel, que já vendeu 1,8 milhões de livros só na Dinamarca, num universo de 5,6 milhões de habitantes, foi distinguida por quatro vezes como a mais popular escritora dinamarquesa e, em 2015, ganhou o mais prestigiante e importante prémio literário atribuído a autores dinamarqueses: o De Gyldne Laurbaer. Os seus livros são bestsellers internacionais e já foram publicados em 37 países.

Agora, vai estar pela primeira vez em Lisboa para dar entrevistas, falar com os leitores e autografar livros naquele que é o maior certame literário do país: a Feira do Livro de Lisboa.

Elogios:
«Sara Blædel é incrivelmente talentosa em manter o leitor preso ao livro mesmo quando este preferiria desviar o olhar nas cenas mais gráficas. Recomendado para fãs de Camilla Läckberg.» — Library Journal

«Uma protagonista inteligente que luta contra os seus próprios medos e defeitos, numa história contada de forma muito hábil, ao estilo negro do thriller nórdico.» — Booklist

«Consegue descrever crimes terríveis de modo absolutamente genial e envolvente. Um realismo intransigente que revela o thriller no seu melhor.» — The Washington Post

Sobre Sara Blaedel:
Sara Blædel iniciou a sua carreira literária como fundadora de uma editora especializada em policiais e thrillers. Este trabalho aproximou-a do jornalismo, onde acabou por cobrir uma vasta gama de histórias policiais e julgamentos. Foi nessa altura – e enquanto esquiava na Noruega – que começou a imaginar a trama do seu primeiro romance, Green Dust, com o qual venceu o primeiro de inúmeros prémios, The Danish Crime Academy’s Debutant Award.

As Raparigas Esquecidas (Ed. Topseller, 2016) é o seu livro mais aclamado, o qual foi contemplado em 2015 com o Gyldne Laurbaer, o mais importante prémio literário da Dinamarca. Os seus livros são bestsellers internacionais e já foram publicados em 37 países.

Saiba mais sobre a autora em sarablaedel.com.