terça-feira, 17 de outubro de 2017

Dolores Redondo em Lisboa

Dolores Redondo vai estar amanhã, pelas 18h30 o Instituto Cervantes de Lisboa para promover  e apresentar o seu novo livro «Tudo Isto te Darei». 
Esta é uma oportunidade para os leitores, amantes da sua escrita, puderem estar com a escritora. 


Antigo Museu dos Coches - Conversa com Nicholas Sparks, conduzida por Fátima Lopes. O evento inclui sessão de autógrafos com o escritor



Nicholas Sparks, o escritor estrangeiro que mais vende em Portugal e que reúne milhões de fãs em todo o mundo, vem a Lisboa para um encontro com os seus leitores no âmbito da tour europeia de apresentação do seu 20.º romance, Só Nós Dois.

O reencontro do escritor bestseller norte-americano com o público português terá lugar este sábado, dia 21 de outubro, às 17 horas, no Picadeiro Real (antigo Museu dos Coches), em Lisboa. Este acontecimento será marcado por uma conversa entre Nicholas Sparks e Fátima Lopes, seguida de uma sessão de autógrafos com o escritor. A apresentadora Fátima Lopes será a anfitriã do encontro que reunirá o autor com os seus leitores que há tanto tempo ansiavam pelo regresso de Nicholas Sparks a Portugal.

Com 21 livros publicados nos últimos 21 anos, Nicholas Sparks já vendeu mais de 108 milhões de exemplares em todo o mundo e as suas histórias consolidaram-no como um dos mais aclamados escritores da atualidade. Todos os seus livros são bestsellers do New York Times e estão traduzidos para mais de 50 línguas. Onze dos romances de Nicholas Sparks já foram adaptados para cinema, sendo Uma Escolha Por Amor (2016) o filme mais recente.

Nicholas Sparks escreveu o livro que deu início à sua carreira meteórica e um dos seus títulos mais famosos, O Diário da Nossa Paixão, com apenas 28 anos. A ASA publica agora esta história de amor que comoveu milhões de leitores e levou o mundo a render-se à escrita de Nicholas Sparks. O Diário da Nossa Paixão chega hoje às livrarias.



Porto Editora - Uma nova voz da jovem literatura portuguesa: Carla Pais

Título: Mea Culpa
Autor: Carla Pais
Págs.: 208
PVP: 16,60 €

Autora estreia-se com Mea Culpa, que esteve indigitado para vencer o Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís

Mea Culpa é o primeiro romance de Carla Pais, uma obra reveladora de grande talento literário que anuncia uma nova voz na literatura portuguesa e que é publicada pela Porto Editora a 23 de outubro.
Na escrita segura, dura e poética de Carla Pais, Mea Culpa fala sobre os marginalizados de uma aldeia remota portuguesa, vítimas de uma sociedade condenatória e decadente, onde ninguém é quem parece ser. O livro esteve indigitado para o Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, que acabou por não lhe ser entregue pelo facto de a autora ter já publicado uma pequena obra de caráter ficcional, o que ia contra o regulamento.
Carla Pais, emigrante há cinco anos em Paris, vai regressar a Portugal para lançar esta novidade a 2 de novembro, às 18:30, no Le Consulat (Praça Luís de Camões, Lisboa). A apresentação estará a cargo de Ana Margarida de Carvalho.

Sinopse:
Amadeu Jesus é um homem a quem Deus roubou a fé, um corvo definhado que perdeu o norte do ninho. Briosa tem olhos grandes de silêncio e fome de mundo, e um irmão-menino que não sabe falar.
Cândida Jesus pariu um assassino e por isso se fez puta.
Em dia de Nossa Senhora de Fátima, um inocente sai do inferno onde passou dez anos e uma menina de corpo feito pestaneja mais do que os olhos ao desejo.
Do lado errado da aldeia dividida a meio pelo fio de água da nascente, um novo amor nasce como as papoilas do cemitério. E os dois, sem mais mundo, planeiam atravessar os vales e as montanhas com os pássaros, para saber como é a liberdade por lá. Ao seu lado vai o cão.

Sobre a autora: 
Carla Pais nasceu em Leiria, em 1979. Abandonou a escola aos dezassete anos para ser mãe, terminando mais tarde o 12.º ano à noite. Em 2012 decidiu instalar-se de armas e bagagens em França, onde fez limpezas, embalou salmão e tomou conta de crianças. Hoje é empregada de escritório num Centro de Formação à Distância.
Em 2015 venceu o Prémio Literário Horácio Bento Gouveia com o conto «A Alma do Diabo». No mesmo ano obteve também o terceiro lugar no concurso de poesia Agostinho Gomes com o poema «Assimetria dos Lábios». Em 2016 o seu conto «O búzio do meu pai» foi selecionado para integrar a antologia de contos A Infância, promovida pelo Centro de Estudos Mário Cláudio.
Em 2017 a sua obra A Instrumentação do Fogo arrecadou o Prémio de Poesia Francisco Rodrigues Lobo. Indigitado para o Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís de 2016, o presente romance, Mea Culpa, acabou por não o obter, dado que a autora tinha publicado anteriormente uma outra obra de carácter ficcional, o que o regulamento não permitia.

Imprensa: 
Com a rentrée chega uma voz nova à literatura portuguesa: Carla Pais. José Riço Direitinho, Público
Um romance que transporta o leitor para um duro patamar de existência humana e social. Miséria e decadência sob formas violentas, que vão do incesto a diversos modos de servidão, [que] circunscrevem relações humanas envenenadas por injustiças e desesperos. Júri do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís

Excerto de Mea Culpa
O dia de Nossa Senhora de Fátima está quase a morrer. Falta um minuto. São vinte e três horas e cinquenta e nove minutos no relógio da torre. Àquela hora, os candeeiros parem uma luz morna que se esfrega com preguiça nas sombras da praça, alumiam os pés em contraluz e deixam os olhos enterrados no silêncio das almas perdidas.
Não há ninguém por ali. As portas da igreja estão fechadas. Os santos adormecidos sob o volume das esmolas ficam presos naqueles altares de madeira restaurada, de mãos postas a Deus, enquanto o dia não clareia e se voltam a soprar uns credos, uns perdões de mão ao peito.



O Terrível - A Grande Biografia de Afonso de Albuquerque

Afonso de Albuquerque, também conhecido por O Terrível, ficou célebre pela sua tenacidade e audácia e é uma das figuras cimeiras dos Descobrimentos portugueses. Conquistou e dominou pontos-chave no oceano Índico com uma estratégia ambiciosa e um arrojado conjunto de ações que ampliaram o quadro em que os portugueses se movimentaram no Oriente durante os séculos XVI e XVII, assegurando assim um vasto controlo do comércio de produtos asiáticos, desde o Golfo Pérsico à China.

Nesta biografia inovadora e amplamente documentada e ilustrada, o historiador José Manuel Garcia ajuda-nos a conhecer a fundo o percurso de vida e a personalidade de Afonso de Albuquerque, dando voz ao próprio e aos cronistas do seu tempo para que possamos ouvir o governador do Estado da Índia passados mais de quinhentos anos após a sua morte.

Escrita na primeira pessoa, numa ortografia atualizada, com recurso a citações das cartas de Afonso de Albuquerque, O Terrível - A Grande Biografia de Afonso de Albuquerque dá novas perspetivas sobre o grande homem do Império Português na Índia: a data de nascimento; as datas das conquistas; a relação com a escrava Ximena; a filha; a fama de mulherengo e de defensor da prostituição. José Manuel Garcia revela aqui novos aspetos que dão realismo à história de Afonso de Albuquerque. De leitura obrigatória para todos os interessados na história dos Descobrimentos Portugueses.

Sobre o autor:
José Manuel Garcia nasceu em Santarém em 1956 e doutorou-se em História pela Universidade do Porto com uma tese sobre a Historiografia Portuguesa dos Descobrimentos e da Expansão nos séculos XV a XVII. Desenvolveu atividades na Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, na Fundação Calouste Gulbenkian, e está ligado a várias instituições como a Academia Portuguesa da História, a Academia de Marinha e o Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa. É atualmente investigador no Gabinete de Estudos Olisiponenses.

Participou na organização de numerosos catálogos e exposições, editou obras de Fernão Mendes Pinto, Luís Fróis, Alexandre Herculano, Sousa Viterbo, Virgínia Rau, Jaime Cortesão e José Leite de Vasconcelos, além de ter publicado abundante bibliografia sobre História de Portugal e dos Descobrimentos. Mais informação disponível em http://esferadoslivros.pt/book-author/jose-manuel-garcia/





segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Um irresponsável conto de fadas erótico para adulto

Título: Memórias de uma Cortesã
Autor:
Wray Delaney
PVP 16,90€
Ebook 11,99€ 
N.º de Páginas: 376

Wray Delaney, acredita que existe um forte vínculo entre o mundo da imaginação da infância e o amor erótico adulto. Assim, ao misturar vários géneros – erotismo, ficção histórica, realismo mágico – a autora cria algo muito original. Um romance erótico, imoral e divertido, passado na cidade de Londres do século XVIII

Uma história forte é apresentada ao leitor, ao longo do livro, dando a conhecer a jovem Tully que chegou a ser a mulher mais desejada de Londres. Agora, todos disputam os melhores lugares para assistir à sua execução. Ela sabe que tem apenas uma hipótese de escapar à forca. Para tal, tem de conseguir contar a história da sua vida à única pessoa capaz de a salvar.

Nas catacumbas da prisão de Newgate, Tully aguarda... E escreve com a emoção de quem luta pela vida. Casada à força aos doze anos para saldar as dívidas de um pai alcoólico, consegue escapar apenas para ser despachada para o bordel mais sumptuoso da cidade, onde descobre a sua vocação como cortesã. Tully Truegood é órfã, cortesã e aprendiza de um feiticeiro. Será também assassina?

Pleno de erotismo e realismo mágico, Memórias de uma Cortesã é uma magnífica viagem ao submundo londrino do século XVIII.

Sobre o autor: 
Wray Delaney é o alter ego de Sally Gardner, autora premiada de contos para crianças, oriunda de Birmingham. Estudou Arte na St. Martin’s Art School e trabalhou em teatro.

E, apesar de sofrer de dislexia, resolveu enveredar pela escrita, tendo sido tremendamente bem-sucedida na área da literatura infantil (vendeu já mais de 2 milhões de exemplares e as suas obras estão traduzidas para 22 línguas). Memórias de uma Cortesã é a sua primeira incursão na ficção para adultos.


Novidade Cultura Editora: Elza, minha luz

Título: Elza, minha luz
N.º de Páginas: 176
PVP: 15,50€

A HISTÓRIA INSPIRADORA E EMOCIONANTE DA FORÇA DE VIVER UMA MULHER

Elza, Minha Luz é o relato de uma história verídica, passada no Sul de Portugal, e escrita a quatro mãos por duas jornalistas algarvias.

Cumpre-se, desta forma, um pedido feito por Elza, a figura central deste livro: alertar o mundo para todos os pequenos e grandes sinais do corpo quando se trata de cancro. Mas Elza, no seu diário, deixou ainda notas sobre a forma como lidar com a doença em família, o que fazer, como falar com os filhos.

Esse diário inspirador e comovente de uma jovem mãe alegre e cheia de luz, que morreu aos 39 anos vítima de um cancro fulminante, é a principal fonte deste tributo, que conta ainda com testemunhos da família, amigos e especialistas da doença. Um livro tão pessoal como informativo, tão emocional como esclarecedor, que nos alerta, nos conforta e nos faz celebrar a vida.

Sobre as autoras:
Almerinda Romeira. Nasceu em São Bartolomeu do Sul, concelho de Castro Marim, em 1959 e formou-se em Comunicação Social no ISCSP. Jornalista desde 1988, atualmente no Jornal Económico, com presença regular no Jornal do Algarve, pertenceu aos quadros de A Capital, O Independente, Fortunas & Negócios e OJE, tendo editado ainda o 1º. Emprego, do Correio da Manhã. Prémio Inatel de Jornalismo em 1999, é autora de Portugal Entre Gerações e integra a colectânea 50 Histórias de Quem Foi Criança, com o conto A Estrela do Avô.

Edite Esteves. Jornalista e escritora nasceu em Faro, há 72 anos. Com formação em Filologia Germânica na Faculdade de Letras de Lisboa, exerceu jornalismo durante 33 anos no jornal A Capital, onde foi chefe de redacção-adjunta, redactora-principal, grande repórter, editora, colunista e cronista. Foi formadora no Cenjor – Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas. Autora do livro Irene – É Possível Renascer, colaborou na antologia de poesia e prosa Nas Margens da Solidão, em prol da SOS Voz Amiga. É editora e jornalista da revista Autores, da Sociedade Portuguesa de Autores.






Conheça a vida de Aristides de Sousa Mendes contada pelo neto António Moncada S. Mendes

No dia que se assinalam os 100 anos das aparições de Fátima aos 3 pastorinhos, a Desassossego publica a história desconhecida de Aristides Sousa Mendes escrita pelo seu neto, António Moncada de S. Mendes, onde é descrita, entre outras, a história de como a “intervenção” da irmã Lúcia salvou a vida de uma filha de Aristides Sousa Mendes.

Aristides de Sousa Mendes. Memórias de um Neto, é uma obra única que retrata o lado mais pessoal do corajoso cônsul que salvou dezenas de milhares de vidas do Holocausto na II Guerra Mundial. Um livro repleto de histórias desconhecidas contadas pela mão de um neto.

Sinopse:
O percurso corajoso e inspirador de um homem que salvoua vida de milhares de inocentes A história do cônsul Aristides de Sousa Mendes, e de como desafiou as ordens de Salazar para salvar as vidas de 30.000 refugiados durante a II Guerra Mundial, é hoje um legado de coragem e nobreza que constitui um orgulho para todos os portugueses. Mas quem era Aristides de Sousa Mendes? Por trás da figura heroica esconde-se um homem complexo, profundamente íntegro e religioso, devoto à família e ao país, e que foi forçado a fazer uma escolha terrível entre a sua consciência e o dever profissional, sabendo que as consequências para si seriam implacáveis.Com recurso a um extenso arquivo fotográfico e documental, em grande parte inédito, o seu neto, António Moncada S. Mendes, desvenda o lado pessoal do cônsul e da sua família, lançando assim uma nova luz sobre a figura de um diplomata que se sacrificou para salvar a vida de muitos inocentes.

Sobre o autor: 
António Moncada S. Mendes é licenciado em Ciências Políticas e possui um mestrado em Estudos Russos (Teatro) obtido na Universidade de Montreal, Canadá. Com o seu primo Álvaro Alpoim de Sousa Mendes, dedicou-se à difusão da memória do seu avô no início dos anos 90 e em 2000 aceitou 
o convite deste primo para criarem a Fundação Aristides de Sousa Mendes.



Os três mosqueteiros - o novo livro da Guerra e Paz

Título: OS TRÊS MOSQUETEIROS
Autor: Alexandre Dumas
Adaptação de Elizabete Agostinho
N.º de Páginas: 144
PVP: 13,90 €
Nas livrarias a 18 de Outubro

Sinopse:
Athos, Porthos e Aramis são os três valentes mosqueteiros ao serviço do rei francês Luís XIII, heróis deste fantástico livro, recheado de aventuras, espadas e intrigas. Mas a personagem
principal é D’Artagnan, um jovem com muitos sonhos – tal como tu – que partiu para Paris porque queria ser… mosqueteiro, claro! No século XVII, pertencer à companhia do senhor de Tréville, capitão dos mosqueteiros d’el-rei, era uma honra, só ao alcance dos mais bravos e corajosos.
E quem não quer defender também a rainha, Ana de Áustria, infanta de Espanha e Portugal?
Dizem que ela se apaixonou pelo duque de Buckingham. Se o rei descobre, haverá guerra pela certa! Há também um enigmático homem com uma cicatriz na testa. Estará ao serviço de quem?
E parece que o cardeal de Richelieu anda a tramar alguma…
Prepara a tua espada e junta-te a estes destemidos amigos na luta pelo bem, escapa aos inimigos e defende as donzelas em apuros. TODOS POR UM E UM POR TODOS!

SOBRE A COLECÇÃO
Os Livros Estão Loucos são clássicos escritos para ti. As histórias que os grandes escritores contaram estão aqui, mas com as palavras de hoje. Para leres numa hora o que antes se lia num dia. São livros com páginas loucas, letras que crescem e encolhem, frases que saem das páginas.
Os Livros Estão Loucos e tu também.


Sessão de Lançamento: José Rodrigues dos Santos - Sinal de Vida



Passatempo Filosofar e Meditar com Crianças e O Melhor Medicamento é Você

O Marcador de Livros, juntamente com a editora Objectiva, vai oferecer um pack com dois livros 

Para tal, o participante terá de 
- Taggar a página da Objectiva https://www.facebook.com/editoraobjectiva/
- Taggar 2 amigos nos comentários e fazer like na página do Marcador de Livros e na página da Objectiva
- Participação até dia 31 de outubro.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Livros do Brasil - Kenzaburō Ōe estreia-se na Livros do Brasil com "Morte pela Água"

Título: Morte pela Água
Autor: Kenzaburō Ōe
Tradução: Helder Moura Pereira
N.º de Páginas: 448
PVP: 19,90 €
Coleção: Dois Mundos

A 19 de outubro, Kenzaburō Ōe estreia-se na Livros do Brasil com Morte pela Água, o seu mais recente romance. Entrelaçando mito, história e autobiografia, Morte pela Água é um livro sobre memória, família, trauma pessoal, mas também sobre o trauma de um país a braços com uma herança de derrota. Um dos mais influentes autores japoneses vivos, distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1994, Kenzaburō Ōe volta ao encontro do seu alter ego literário, Kogito Choko, num percurso cada vez mais próximo do fim.
Em Morte pela Água, Kogito Choko, dono de uma longa e aclamada carreira de escritor, vê-se confrontado com uma história que parece ser incapaz de escrever. O livro que tanto se esforça por fazer avançar pretende explorar a relação turbulenta que teve com o pai e a culpa que continua a sentir por não ter estado presente na noite em que, em dias de Segunda Guerra Mundial, o rio da aldeia extravasou das margens e o pai se afogou. Como escrever sobre um homem que na verdade nunca conheceu? Quando a irmã que não vê há anos inesperadamente o contacta, a solução parece surgir: ela tem na sua posse um misterioso baú de couro vermelho que poderá esconder os segredos do homem que desaparecera das suas vidas.

Sobre o autor: 
Kenzaburō Ōe nasceu em Ose, no Japão, a 31 de janeiro de 1935. Em
1954 licenciou-se em Literatura Francesa pela Universidade de Tóquio e, em 1957, começou a publicar os seus primeiros textos, em revistas literárias, sendo no ano seguinte
distinguido com o Prémio Akutagawa para melhor conto. Nesse mesmo ano iniciou-se como romancista. Em 1964 publicou aquela que é considerada a sua obra mais importante, Não Matem
o Bebé. Temáticas como o não conformismo, o choque cultural e o isolamento individual e social no Japão moderno são frequentes nos seus romances, ensaios e contos. Ōe é igualmente um forte opositor à energia nuclear. Em 1994, recebeu o Prémio Nobel da Literatura e é considerado a mais importante voz da literatura japonesa contemporânea.


Uma das minhas preferidas

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Porto Editora - O mais importante caso de espionagem do século XX

Título: Três Minutos para o Juízo Final
Autor:
Joe Navarro
Tradução: Dinis Pires
Págs.: 320
PVP: 17,70 €

O escritor Joe Navarro é ex-agente do FBI e grande perito em linguagem corporal, tendo aplicado, ao longo de 25 anos, os seus conhecimentos na análise do comportamento de terroristas, espiões e criminosos. Em Três Minutos para o Juízo Final, o seu novo livro que a Porto Editora publica a 12 de outubro, é descrito, em forma de thriller e na primeira pessoa, um acontecimento real na vida profissional de Navarro: o desmascaramento de um espião de mente brilhante mas malévola, militar destacado na Alemanha Ocidental durante os anos 80 e integrado, nessa altura, num círculo de espiões que vendia informação ao bloco soviético. As informações fornecidas incluíam estratégias de ação militar dos EUA, o que faz deste livro um elemento revelador de uma história de traição política que poucos conheciam.

Sinopse:
Florida, 1988. Joe Navarro, um dos mais jovens agentes alguma vez recrutados pelo FBI, é um eminente perito na «leitura» da linguagem corporal - possui uma capacidade desconcertante para inferir os pensamentos e intenções daqueles que interroga -, conhecido por ter uma ética de trabalho a que poucos companheiros conseguem sobreviver. Numa missão de rotina como tantas outras, tem pela frente Rodney Ramsay, um antigo soldado norte-americano destacado na Alemanha Ocidental entre 1983 e 1985. Contudo, no decorrer da conversa, Navarro suspeita de algo que escapara a todos os outros agentes…
Aquilo que se seguiu é único na história da contraespionagem: interrogatórios após interrogatórios, planeados como um xadrez impenetrável, põem a descoberto um traidor à pátria, detentor de uma memória fotográfica perfeita e de um QI que o eleva ao nível de um génio - o seu único ponto fraco é o prazer que retira do desafio de enfrentar o seu inquiridor.

Tendo como cenário os últimos dias da Guerra Fria, Joe Navarro conta-nos o episódio, real, da maior falha de segurança na história dos Estados Unidos da América: Ramsay acabaria por revelar ter feito parte de um círculo de espiões que vendeu ao Bloco Soviético a informação que lhe permitiria, no momento final do Comunismo, aniquilar por completo o seu rival e os aliados ocidentais.

Sobre o autor:
Nascido em Cuba, em 1953, Joe Navarro foi, durante 25 anos, agente do FBI, no departamento de contraespionagem, e um dos membros-fundadores do Programa de Análise Comportamental da Divisão de Segurança Nacional, que se focava no comportamento de espiões, terroristas e outros criminosos. Desde que se retirou, Navarro escreve – para o The Washington Post, The Huffington Post e Psychology Today, entre outras publicações – e tem dado ainda várias palestras acerca de comunicação não-verbal, tendo o seu trabalho provas dadas junto das maiores produções de media um pouco por todo o mundo.

Para saber mais, visite o site do autor: www.jnforensics.com

IMPRENSA
«Fascinante. […] Uma narrativa muito interessante acerca da contraespionagem na era pré-cibernética e um lembrete de como um agente astuto pode ser um trunfo de valor incalculável para as forças de segurança.» Kirkus Reviews

«Manipulação psicológica, pesquisa meticulosa e sacrifício pessoal admirável. Navarro fez frente ao traidor Rod Ramsay, ganhou a sua confiança e explorou o seu ego arrebatador até conseguir extrair uma confissão que viria a lançar o pânico no seio do FBI, da NSA e do Departamento de Justiça norte-americano. Um livro excecional e eletrizante.» Jason Matthews, antigo agente secreto da CIA e autor best-seller do The New York Times

«Um relato apaixonante acerca de profissionais de contraespionagem persistentes, em liga contra um pérfido mas genial conluio de soldados norte-americanos que, se nunca expostos, teriam alterado para sempre o rumo da Guerra Fria.» Harry E. Soyster, antigo tenente-general dos Serviços de Informação e Segurança do Exército dos EUA


Novidades Topseller: A Única Filha de Anna Snoeskstra e A Próxima Vítima de Håkan Nesser

Um thriller intenso e misterioso sobre os piores segredos que procuramos esconder dos outros… e até de nós próprios.

Os direitos do filme foram já comprados pela Universal.

Sinopse:
2003. Uma adolescente desaparece.

Rebecca Winter é uma rapariga de 16 anos que desfruta tranquilamente as suas férias de verão quando coisas estranhas começam a acontecer ao seu redor: encontra sangue na cama, apercebe-se de um vulto no quarto e sente-se constantemente observada.

Um dia, Rebecca desaparece sem deixar rasto.

Onze anos depois, alguém assume a sua vida.

Em 2014, para evitar ser presa, uma mulher muito parecida com Rebecca faz-se passar por ela, conseguindo convencer toda a gente.

Retoma, assim, a vida de Rebecca, mas rapidamente se apercebe de que a família e os amigos da rapariga desaparecida não são quem parecem ser. E torna-se óbvio para ela que a pessoa responsável pelo desaparecimento de Rebecca ainda está à solta e que a sua vida corre perigo.

Conseguirá a impostora descobrir a verdade por detrás do passado de Rebecca e fugir ao mesmo trágico destino?

Sobre a autora:
Anna Snoekstra nasceu em Camberra, na Austrália, em 1988. Estudou Escrita Criativa e Cinema na Universidade de Melbourne, frequentando posteriormente o curso de Guionismo no Instituto Real de Tecnologia de Melbourne.
Após concluir o ensino superior, Anna Snoekstra começou a escrever guiões para filmes independentes e para peças de teatro, tendo escrito também uma série de contos que foram publicados e premiados.
A Única Filha é o seu primeiro romance, que já foi publicado em mais de dez países. Os primeiros capítulos encontram-se disponíveis para leitura imediata aqui.




Escritor e professor sueco, Håkan Nesser tem visto a sua obra regularmente premiada, destacando-se o Prémio para Novos Autores da Academia Sueca de Escritores de Policiais.

Recebeu também por três vezes o Prémio de Melhor Romance Policial Sueco, e ainda o Scandinavia’s Glass Key Award, que premeia o melhor romance policial da Escandinávia.

Depois de O Olhar da Mente, a Topseller dá continuidade às aventuras do inspetor Van Veeteren.

Sinopse:
Kaalbringen. Uma pequena cidade costeira na Suécia. Toda a gente se conhece. Toda a gente confia no seu vizinho. À noite, ninguém fecha a porta de casa. Até que surgem, em rápida sucessão, dois cadáveres. Ambos os homens foram assassinados.

Ambos foram, ao que parece, atacados com a mesma arma: um machado. A polícia local está desesperada.

O inspetor Van Veeteren é chamado ao local, mas nem ele consegue uma solução imediata para o problema. O assassino, aparentemente, não cometeu erros. Quando um terceiro cadáver surge, todos redobram esforços, mas a informação disponível é praticamente nula. Van Veeteren e a polícia não sabem o que fazer. Já seguiram todas as ideias e investigaram todas as pistas, mesmo as mais vagas.

Apenas quando uma das agentes da polícia local desaparece, sem deixar rasto, é que Van Veeteren percebe que o assassino está a jogar um jogo. E que ele é o seu adversário.

Sem pistas, sem suspeitos, sem solução à vista. Quem será a próxima vítima?

Sobre o autor:
Håkan Nesser é autor de mais de 20 livros, sobretudo policiais, traduzidos para 20 línguas. A sua obra tem sido galardoada com vários prémios, entre os quais o Ripper (Melhor Ficção Policial Europeia), o Prémio da Academia Sueca de Literatura Policial, e ainda o Prémio Glass Key (Melhor Romance Policial da Escandinávia).

Leia já os primeiros capítulos aqui.




Novidade Elsinore | «Um dos Nossos», de Daniel Magariel | Já nas livrarias


Entre um pai e os dois filhos, uma história de violência. Assim é Um dos Nossos, a muito aguardada estreia de Daniel Magariel, já celebrado como uma das mais singulares vozes da novíssima literatura americana

Sobre o livro
Depois de um divórcio difícil e amargo, a guerra foi, finalmente, ganha e os filhos entregues à guarda do pai. Assim, o pai e os dois rapazes, um com doze anos, o outro um pouco mais velho, partem do Kansas em direção ao Novo México, com a esperança de recomeçar uma nova vida em conjunto: só os três, unidos por uma profunda lealdade.
Entretanto, os rapazes vão para a escola, jogam basquetebol, fazem amigos. O pai, por seu turno, fica em casa a fumar charutos baratos. Com o passar do tempo, aquilo que era apenas um comportamento excêntrico — o olhar fixo e vazio, os barulhos noturnos, a visita de figuras de natureza duvidosa — torna-se uma espiral violenta e errática que arrasta os dois rapazes para uma realidade feita de drogas, medo e solidão.
Oscilando entre a claustrofobia de uma família em ruínas e as falsas promessas de uma vida normal, Um dos Nossos é uma estreia literária brilhante e aclamada, «um retrato pungente e trágico tanto das alegrias como das limitações do amor», um livro que revela a face brutal do crescimento e da perda da inocência.

«"Parece que era a tempestade que nos estava a caçar." E depois de nos mudarmos para o Novo México, ele falava disto sempre que alguma coisa resultava e, também, quando não resultava.»

Elogios
«Um dos retratos mais tocantes dos laços que nos ligam à família e de como esses laços podem tornar-se tóxicos sem que os consigamos cortar. Um livro deslumbrante.» Rolling Stone
«Uma nova e entusiasmante presença na literatura americana.» George Saunders

Sobre o autor
Daniel Magariel nasceu em Kansas City. Licenciado em Ciências Humanas na Universidade de Columbia, foi bolseiro Cornelia Carhart na Universidade de Syracuse, onde fez um mestrado em Belas Artes. Vive em Nova Iorque. Um dos Nossos é o seu primeiro romance.