quarta-feira, 10 de setembro de 2008 | By: Maria Manuel Magalhaes

Editoras apostam nos Nobel



Até ao fim deste ano, as diversas editoras vão lançar 16 livros dos diversos nobeis como José Saramago, J. M. Coetzee, Doris Lessing, V. S. Naipaul e Samuel Beckett.

A Dom Quixote, por exemplo, vai publicar, livros de Thomas Mann, García Márquez, Günter Grass, Naipaul e Coetzee, livros de escritores laureados. A Cavalo de Ferro vai publicar livros de Ivo Andric ("Crónica e Travnik"), Halldór Laxness ("Os peixes podem cantar"), Luigi Pirandello ("A excluída") e Knut Hamsun ("Fome").
terça-feira, 9 de setembro de 2008 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lobo Antunes ganha prémio




Segundo o jornal "Correio da Manhã" o escritor português António Lobo Antunes foi distinguido com o Prémio Literário latino-americano Juan Rulfo, um dos prémio mais importantes daquela categoria. De acordo com a editora do escritor, Publicações D. Quixote, o prémio que Lobo Antunes recebeu e que nunca havia sido atribuído a um escritor português, no valor de 150 mil dólares (cerca de 105 mil euros), será entregue em Novembro durante a Feira do Livro de Guadalajara, no México.




Depois de já ter ganho o Prémio Camões, em 2007, e o Prémio Terence Moix, que foi entregue este ano, o escritor soma agora mais uma distinção pela sua já longa carreira literária da qual consta quase três dezenas de obras como é o caso de "Memória de Elefante", "Os cus de Judas", entre outras.

No próximo mês de Outubro vai sair uma novo livro "O Arquipélago da Insónia”.

Prémios literários
Prémio Franco-Português, 1987 ("Cus de Judas")

Prémio instituído pela embaixada de França em Lisboa, no valor de duzentos mil escudos e atribuído a obras traduzidas para a língua francesa nos últimos cinco anos.

Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, 1985 ("Auto dos Danados")

Prémio Melhor Livro Estrangeiro publicado em França, 1997 ("Manual dos Inquisidores ")

Prémio Tradução Portugal/Frankfurt, 1997 ("Manual dos Inquisidores")

France-Culture ("A Morte de Carlos Gardel")

Prémio de Literatura Europeia do Estado Austríaco, 2000

Prémio União Latina , 2003

Prémio Ovídio da União dos Escritores Romenos, 2003

Prémio Fernando Namora, 2004

Prémio Jerusalém, 2005

Prémio Camões, 2007

Prémio José Donoso, 2008, atribuído pela Universidade de Talca, Chile

Novidades de Setembro







"As Esquinas do Tempo" de Rosa Lobato de Faria; "Feminino Singular" de Sveva Casati Modignani, "O Criado Secreto" de Daniel Silva e "O Vencedor está só" de Paulo Coelho são algumas das novidades das editoras para este mês de Setembro.

No caso do livro de Paulo Coelho "O Vencedor Está Só" é, segundo o autor, uma fotografia do mundo em que vivemos. A acção, em ritmo acelerado, passa-se em 24 horas, durante o Festival de Cinema de Cannes. Mas não é a indústria cinematográfica que está em jogo para Igor Dalev, o empresário russo que chega à cidade francesa com a obsessão de recuperar Ewa, o grande amor da sua vida. Para chamar a atenção da ex-mulher, Igor transforma-se num assassino em série.

No que toca ao mais recente livro de Daniel Silva (autor que aprecio), o já conhecido personagem Gabriel Allon é chamado para mais uma missão: ir a Amesterdão estudar os arquivos de um analista de terrorismo que acabou de ser assassinado.

Sveva Casati Modignani traz-nos "Feminino Singular" que estás nas bancas a 16 deste mês, retrata a figura de Martina, uma figura de mulher «singular». Amada por uns e criticada por outros, toda a sua vida esteve sob o olhar inquisidor das gentes de Vertova, incluindo o das próprias filhas...

Por último, está "As Esquinas do Tempo" de uma das minhas autoras preferidas Rosa Lobato de Faria. Claro estás que já adquiri o livro, estando na minha estante à espera de ser devorado por mim. Por agora está apenas a ser apreciado, como gosto tantas vezes de fazer, apenas para ter o prazer de pensar que, daqui a uns tempos, vou poder deleitar-me com a leitura de mais um romance, que tenho a certeza, vai ser belíssimo.

Livros de Bolso da Bertrand

A Bertrand Editora lançou, recentemente, a colecção de livros de bolso 11/17 com o lema «Livros pequenos, grandes histórias», disponibilizando obras a um preço mais baixo e com maior facilidade de manuseamento (o que para as senhoras se torna mais fácil de transportá-los para todo o lado, como é o meu caso.)

A nova colecção, segundo a editora, vai apostar em conteúdos abrangentes e dos mais diversificados temas, a par de traduções cuidadas. Neste momento são sete as obras que estão já a ser comercializadas em todas as livrarias Bertrand a cerca de 50% do preço das originais, com pequenas dimensões (11x17): «O confessor» (9€), de Daniel Silva; «E depois…» (8€), de Guillaume Musso; «E se fosse verdade» (7€), de Marc Levy; «A segunda vez», (7€), de Mary Higgins Clark; «Uma Paixão» (8€), de Danielle Steel; «A saga de um pensador» (9€), de Augusto Cury; e «Contos» (7€), de Eça de Queiroz. Embora já tenha alguns destes livros, aproveitei para comprar outros que me interessavam. Li recentemente "A Segunda Vez" e devo dizer que fiquei bastante agradada com a edição. Gostaria é que saíssem com cada vez mais frequência e, de preferência, livros recentes. É que, até para uma leitora assídua como eu, é cada vez mais complicado comprar livros ao preço que eles estão. Quem lê como eu sabe do que estou a falar. Os preços praticados são bastante elevados.
segunda-feira, 8 de setembro de 2008 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Segunda Vez - Mary Higgins Clark [Opinião]

Nicholas Spencer, carismático director de uma empresa (Gen-stone) que está a desenvolver uma vacina contra o cancro, desaparece subitamente quando o seu avião particular se despenha. Os resultados iniciais das experiências com a vacina revelam-se bastante encorajadores, mas surgem entretanto informações de que a FDA recusará aprová-la, facto a que logo se seguirá a chocante revelação de que Spencer teria desviado uma considerável soma, incluindo as poupanças de pessoas comuns que tudo tinham arriscado no potencial êxito da Gen-stone. É com base nestas situações que Mary Higgins Clark, conhecida como a «Rainha Americana do Suspense», vai construir uma notável história de intrigas e equívocos que captará a atenção do leitor da primeira à última página.

A minha opinião

Sou uma amante de policiais, sendo fã incondicional de Agatha Christie, para mim a rainha deste género literário. No entanto, Mary Higgins Clark surpreende-me cada vez mais. Cada livro que leio da autora faz com que não pense em mais nada a não ser chegar ao fim para descobrir quem é o assassino. Fantástico este livro que fala de uma vacina para uma possível cura para o cancro. A não perder.