sexta-feira, 29 de maio de 2009 | By: Maria Manuel Magalhaes

Robin Cook vai estar em Portugal no dia 8 de Junho

O conceituado escritor Robin Cook estará em Portugal, no próximo dia 8 de Junho, às 18h30, no El Corte Inglês para uma conferência de imprensa, precedida de sessão de autógrafos.
Nascido na década de 40, em Nova Iorque, Robin Cook formou-se em Medicina
(especializado em Oftalmologia) pela Universidade da Columbia e fez a pós-graduação em Harvard. Conhecido como o criador do «thriller médico», as suas histórias têm como pano de fundo os hospitais e os seus protagonistas. Autor de diversos best-sellers, entre eles, Estado Crítico, Marcador, ou, mais recentemente, O Corpo Estranho.
Alguns dos seus livros foram adaptados
para séries ou telefilmes: Coma (1978), Intenção Criminosa (1993), Medo Mortal (1994), Vírus (1995), Terminal (1996), e Invasão (1997). Há trinta anos que se mantém como o autor de maior sucesso deste género a nível mundial.

A Virgem, de Luís Miguel Rocha apresentado hoje no Arrábida

O novo livro de Luís Miguel Rocha, A Virgem, já está nas bancas e vai ser apresentado na livraria Almedina, no Centro Comercial Arrábida, hpje, pelas 21h30. O autor estará presente para falar com os leitores e autografar os livros.
A Virgem dá-nos conta do Portugal moribundo no tempo do Estado Novo, mais precisamente na década de trinta. Um país suspenso no tempo, deslumbrado com o estrangeiro, pobre em recursos e ideias. Centrado numa família privilegiada, outras famílias se lhe juntam. Assistimos aos seus ódios, amores, perdas e cumplicidades num enredo em que o trágico e o absurdo se cruzam. Numa intriga cheia de humor, através do olhar lúcido do narrador, são desmascaradas situações gritantes de injustiça e de exploração em que o abuso de poder de alguns grupos privilegiados se passeia livremente por um país sonâmbulo e decadente com a cumplicidade silenciosa da Igreja.

Albatroz lança Filho da Guerra a história verídica de Emmanuel Jal

Título: Filho da Guerra
Autores: Emmanuel Jal
Tradução: Cláudia Ramos e Helena Ramos
N.º de Págs.: 304
PVP: 13,90 €


Filho da Guerra é uma história verídica de um jovem músico que foi soldado em criança.

No dia 12 de Junho é publicado, pela Albatroz, o livro Filho da Guerra, a
história verídica de Emmanuel Jal, um músico que, em criança, participou na Guerra do Sudão. Mal podendo com o peso de uma arma, Jal, um dos
Meninos Perdidos do Sudão, testemunhou e praticou actos de extrema brutalidade, no contexto da guerra civil que se desenvolvia no país.
As memórias de terror desenham-se vividamente nesta poderosa autobiografia, que revela
dolorosamente a fúria que a guerra lhe ensinou, mas também a forma impressionante como
conseguiu superá-la.
Inspirado por Mahatma Ghandi, Martin Luther King e Nelson Mandela, socorreu-se da música como instrumento para o seu próprio processo de cura e incentivo à paz no seu país, tornando-se um dos mais promissores cantores rap africanos, reconhecido internacionalmente.
Chocante, inspirador e carregado de esperança, Filho da Guerra é a autobiografia de um jovem
singular, determinado a contar a sua própria história e a revelar ao mundo a tragédia do seu país.

Pode ver as primeiras páginas do livro aqui:
http://recursos.portoeditora.pt/recurso?&id=1118996

Sobre o autor
Emmanuel Jal é um artista rap que conquistou notoriedade mundial pelas suas músicas de hip-hop com mensagens de paz e reconciliação, inspiradas nas suas experiências enquanto
criança-soldado do Sudão. Em 2005, editou o seu primeiro álbum musical, Gua («Paz» na
sua língua nativa – o nuer), e, em 2008, lançou um novo álbum, War Child, que é também o nome de um documentário sobre a sua vida, vencedor do Tribeca Film Festival Cadillac Audience
Award em 2008. A sua música integrou a banda sonora do filme Blood Diamond
(«Diamante de Sangue»), o documentário God Grew Tired of Us e três episódios da série ER
(«Serviço de Urgência»).
Além da sua actividade no campo da música, Jal tem-se dedicado à ajuda humanitária a África.
Criou um fundo, o GUA Africa, para construir um centro de reabilitação para crianças-soldados no Sudão. É embaixador da Oxfam e colabora com a Amnistia Internacional, a Save the Children, a Coalition to Stop the Use of Child Soldiers, a UNICEF, a World Food Programme e a Christian
Aid.


Avassalador… Puro… Provocante.

The New York Times

Franco, implacável... O retrato de um jovem marcado pela guerra que é hoje um exemplo e um

defensor da sua comunidade.
Kirkus Reviews

Um menino diferente de Maria João Lopo de Carvalho lançado pela Porto Editora

Título: Um Menino Diferente
Autor: Maria João Lopo de Carvalho
Nº Págs.: 48
PVP: 10,50€

Diferente, igual a tantos
outros
Os direitos de autor do livro de Maria João Lopo de Carvalho revertem para a associação de solidariedade social Ajuda
de Berço.

A Porto Editora apresenta, no próximo dia 2 de Junho, terça-feira, o livro Um
Menino Diferente, de Maria João Lopo de Carvalho. A sessão de lançamento terá lugar na FNAC do Centro Comercial Colombo, a partir das 19h00, e contará com a presença da autora e da directora da Ajuda de Berço, Sandra Anastácio, associação para a qual os direitos da escritora reverterão automaticamente.
Ilustrado por J.C. Cintra Costa, Um Menino Diferente conta a história de Afonso, uma criança especial que, apesar de aprender a ler com facilidade e encontrar coisas, aparentemente, impossíveis de descobrir, se depara com sérias dificuldades na prática das mais simples acções como lavar a cabeça, utilizar o computador ou, lamentavelmente, mimar o seu cão.

Sobre a Ajuda de Berço
A Ajuda de Berço, fundada em 1998, acolhe crianças até aos 3 anos de idade necessitadas de

protecção premente face a situações que as coloquem em risco. A associação nasceu na sequência
das urgências sentidas por um grupo de profissionais - médicos pediatras, sociólogos, enfermeiros, psicólogos, técnicos de serviço social e juristas - na resposta aos problemas das crianças em risco, em situação de abandono ou vítimas de exclusão social.

A Autora

Maria João Lopo de Carvalho nasceu em 1962 e licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas pela Universidade Nova de Lisboa. Professora de Português e de Inglês no ensino público e privado, representante em Portugal dos colégios ingleses Pilgrims, fundou e dirigiu a Know How, Sociedade de Ensino de Línguas e a Know How – Edições Produções e Publicidade destinada à tradução e à criação de livros personalizados para crianças. É cronista da Olá Semanário e da GQ, pertencendo também ao Conselho Editorial desta última. Colabora em várias revistas e publicações e, actualmente, está ao serviço da Câmara Municipal de Lisboa.
quinta-feira, 28 de maio de 2009 | By: Maria Manuel Magalhaes

Hoje, na Feira do Livro do Porto

Para o dia de hoje, 28 de Maio, o programa da Feira do Livro é:

- 17h - Lançamento do livro " Histórias dos Presidentes da Câmara desde 1820”.
Apresentação: Prof. Fernando Sousa
Auditório - Lançamentos

Livros do dia em destaque:
- As palavras das cantigas, José Carlos Ary dos Santos - Calendário de Letas - 6.90€
- Livro das Pequenas bailarinas - Porto Editora - 7.70€
- Eu servi o rei de Inglaterra, Bohumil Hrabal - Edições Afrontamento - 8.40€
- O remorso de Baltazar serapião, valter hugo mãe - Quidnovi - 8.82€
- Álvaro Cunhal, Maria Valentina Paiva - Calendário de Letras - 9€
- E os espelhos de Clio, Sara Marques Pereira - Livros Horizonte - 11€
- As esquinas do tempo, Rosa Lobato de Faria - Porto Editora - 12€
- A doçura da chuva, Deborah Smith - Porto Editora - 13.20€
quarta-feira, 27 de maio de 2009 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento Asa para Junho - Casas Contadas de Leonor Xavier

O dia 4 de Junho vai servir de pretexto para o lançamento de Casas Contadas de Leonor Xavier. O local escolhido é o Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal, pelas 19 horas. A apresentação estará a cargo de Helena Matos.


Uma vida contada através das treze casas a que Leonor Xavier chamou suas. O tema é tanto mais interessante quanto a autora viveu nessas casas experiências marcantes, não só para ela, mas para toda uma geração. Oriunda de uma família da média-alta burguesia, casada cedo com um jurista brilhante, com três filhos pequenos, passa do ambiente protegido de uma família tradicional numa casa da Lapa, para São Paulo, no Brasil, quando, em 1975, ela e o marido decidem começar uma nova vida fora de Portugal. A experiência – que foi certamente vivida por muitos portugueses que abandonaram Portugal nos anos 70 – é muito bem narrada no livro. Tudo é novo: a situação precária em que chegam, os trabalhos ocasionais, a nova escola dos filhos, a empregada brasileira, a solidariedade dos amigos que conhecem no Brasil, a língua diferente, os costumes muito mais livres. Mais tarde, o regresso a Portugal, a adaptação ao país diferente que vem encontrar, o recomeçar de novo,integrando na sua nova vida o espírito optimista, sem preconceitos e convivial que foi talvez, para além dos muitos amigos, o que de melhor lhe ficou da experiência brasileira. Numa escrita colorida e muito pessoal, Leonor Xavier dá-nos o retrato de dois mundos muito diversos que ela conseguiu conciliar como ninguém.

Feira do Livro do Porto - livros do dia

Com abertura marcada para as 17 horas de hoje, a Feira do Livro do Porto destaca como livros do dia:


Várias Editoras para o dia 27
- As Viagens de Gulliver, Jonathan Swift - Porto Editora - 3.50€
- Guia de conversação de Inglês - Porto Editora - 4.70€
- Falar Verdade a mentir, Almeida Garrett - Areal Editores - 4.70€
- Deus no coração da vida - A vida no coração de Deus - Paulinas Editora - 5.10€
- Agora... novos desafios - Matemática 5.º ano - vários autores - Areal Editores - 5.99€
- Cadernos de revisão - 1.º volume - 9.º ano - vários autores - Porto Editora - 6.50€
- Dez dias que abalaram o mundo, John Reed - Calendário de Letras - 8.20€
- Lá longe onde o sol castiga mais, Jorge Ribeiro - Calendário de Letras - 9.45€
- A voz da terra, Miguel Real - Quidnovi - 9.99€
- O priorado de cifrão, João Aguiar - Porto Editora - 13.20€
- Um amor inesperado - Susan Lewis - Porto Editora - 13.20€
- Globalização - Edições Afrontamento - 13.20€
- Genial - O Grande Jogo da Sabedoria - Porto Editora - 15€

Editorial Presença - do dia 27 até 31 de Maio
Dia 27 - quarta-feira
- O fabuloso teatro do gigante - 8€
- Peter Pan e o feitiço vermelho - 5.50€
- Crónicas de Allarya I - A manopla de karasthan - 9€
- Dicionário breve de termos literários - 7€
Dia 28 - quinta-feira
- A Chave Mestra - 13€
- As aventuras do pinóquio - 5.50€
- A Dália Negra - 10.50€
- A arte do Bonsai - 7€
Dia 29 - sexta-feira
- As ruínas - 10.50€
- Harry Potter e o Príncipe misterioso - 11€
- Beowulf - 10.50€
- Fundamentos de gestão - 10.50€
Dia 30 - sábado
- Os pioneiros - 8€
- As crónicas de Spiderwick I - O livro do fantástico - 4€
- Os reinos do norte - 10.50€
- Entre pratos - 13€
Dia 31, domingo
- Bocage - A vida apaixonada de um genial libertino - 9€
- O sobrinho mágico - As crónicas de Nárnia - 4.50€
- O jogador - 5.50€
- Não sou o único - A biografia de Zé Pedro - 9€

Sessões de autógrafos - Luís Rosa

Pode ainda acompanhar mais novidades no blogue do certame http://www.feiradolivrodoporto.pt/

Feira do Livro do Porto inaugurada hoje

A Feira do Livro do Porto é hoje inaugurada, às 17h00. Este ano a Feira regressa ao coração da cidade invicta: Avenida dos Aliados. A feira vai prolongar-se até 14 de Junho e estará aberta entre as 12h30 e as 20h30 aos dias de semana e entre as 11h00 e as 23h00 aos fins-de-semana.
terça-feira, 26 de maio de 2009 | By: Maria Manuel Magalhaes

As vinhas da ilusão - Benedetta Cibrario [Opinião]

-->
Título: As Vinhas da Ilusão
Autor: Benedetta Cibrario
N.º Págs.: 240
PVP: 16,50 €
Sinopse
Um século de História. Um casamento fracassado. Uma paixão no coração da Europa. As Vinhas da Iusão é um romance que obteve, em 2008, um dos mais importantes prémios literários de Itália: o Campiello.
Turim, 1928. Uma mulher rebelde, que nunca nos revelará o seu nome, é criada num lar onde a elegância e o rigor da aristocracia piemontesa a constringem à infelicidade de um casamento combinado. Aos vinte anos é forçada a casar com o homem que lhe estava prometido, mas o destino insiste em colocar-lhe no caminho, em três inesperadas ocasiões, o fascinante e enigmático Trott e ela como que despertará de um encantamento. Demasiado moderna para se adaptar docilmente às convenções sociais, ela é, no entanto, muito frágil e pouco acostumada a dar voz aos seus sentimentos. Vivem-se tempos de mudança: na sociedade italiana e também dentro dela. Face às constantes traições desavergonhadas do marido, decide abandoná-lo e refugia-se sozinha em San Biagio, numa quinta nos arredores de Siena. Entretanto eclode a Segunda Guerra Mundial e dá-se a queda do Fascismo. O desejo de renascimento que acaba por invadir um país inteiro acaba por coincidir com o reaparecimento de Trotts.
A minha opinião
A autora do texto nasce no início do século passado. Filha de uma família aristocrata, os pais desejam fazer-lhe um “bom” casamento, como ditam os costumes da época, sobretudo naquele extracto social. Assim, aos 19 anos, o pai apresenta-lhe uma lista com cinco nomes, para que ela escolha o seu futuro marido. Giuseppe Braquemond ficou logo excluído por ser seu primo; Giovanni Bricherasio era demasiado velho; Enrico Bellardi é banqueiro, demasiado rico e não queria que julgassem que casava por interesse; della Torre era considerado o homem mais imbecil da cidade. Restava-lhe Villaforesta, um homem elegante, pouco dado à mundanidade. Optou pelo último, mas esta revelou-se uma má opção. Cedo Villaforesta deixou de ligar à sua esposa, e mantinha um caso com uma mulher de má reputação. Farta da vida que levava, e aposta Villaforesta lhe ter privado da coisa que mais gostava de fazer (montar a cavalo) a protagonista (que nunca saberemos o nome), parte para a Coutada, local deixado em testamento pelo seu irmão Enrico.
Até que em Turim, num jantar com os amigos, reencontra o amor da sua vida, Trott, um rapaz que a chamou a atenção durante um jantar a que tinha ido com o seu marido. Encontra-se com ele num hotel barato e vive uma tórrida noite de paixão. Quando se despede, deixando-a à porta de sua casa, Trott promete manter-se em contacto com ela, mas nem cartas nem telefonemas recebe dele.
Nessa altura começa a Segunda Guerra Mundial colocando o país em miséria total. Todos viviam sob o terror de verem ser mortos os seus entes queridos.
Seis anos mais tarde, e com o fim da Guerra, Trott reaparece na vida da protagonista, que nem o reconhece. Todos ficam diferentes com a guerra.
É Trott quem a vai ajudar a colocar a sua Coutada produtiva, incidindo na vinha, que tem como benefício a localização da sua quinta, um local privilegiado para o cultivo da vinha.
No entanto, e antes que lhe confesse um segredo que guarda há algum tempo, Trott desaparece de repente e nunca mais tem notícias dele. Só quando, mais velha, decide organizar uma festa com os seus antigos amigos, e convidando o seu marido já moribundo, descobre uma verdade avassaladora.
Um romance que me prendeu bastante, sobretudo pela vida da protagonista, que sempre se mostrou forte nas suas convicções, deixando para trás os mexericos do povo e das conveniências.

Excertos
“Recusava-me a dar explicações, de nada serviriam: será que o meu marido ainda não se apercebera de quanto me afeiçoara a Peak? Ou isso não lhe interessava nada? Consegui, inclusivamente, sorrir; mas dentro de mim nascia uma raiva cega, absoluta; irrefutável”.
“… sabia que havia um lugar meu. Sabia que, de todas as vezes que o desejasse, ou quando a vida conjugal e as suas consequências sociais se tornassem insuportáveis para mim, teria um lugar para onde ir”.
“Despimo-nos de tudo durante a Guerra, até da timidez, do pudor e dos velhos hábitos”.
“Nestes anos tudo mudou, a Guerra devastou todas as coisas, não se limitou a devastar as cidades, a espalhar bombas pelos campos […] esta guerra foi um veneno que se infiltrou nos pulmões”.

Apresentação de Elegia para um Americano

A Fnac Chiado será palco da apresentação do livro Elegia para um Americano, da escritora Siri Hustvedt. O lançamento terá lugar no dia 2 de Junho, às 18h30. Relativamente à apresentação, esta estará a cargo de Pedro Mexia.

Infelizmente para os fãs, a autora, Siri Hustvedt, vai estar em Lisboa apenas para contactos com a imprensa de 31 de Maio a 2 de Junho.




Sobre o livro:Um romance sobre pais e filhos, sobre a capacidade de ouvir e a opção de ignorar; a dor inerente ao acto de falar mas também ao silêncio; as ambiguidades da memória, a solidão, a doença e a redescoberta. No seu estilo delicado e comovente, Siri Hustvedt revela as mágoas secretas de uma família através de um extraordinário mosaico de segredos e histórias que reflectem a fragmentada natureza da identidade.