quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Porto Editora: Novidades Editoriais para os primeiros meses do ano

A Porto Editora apresentou, hoje, as novidades literárias para os primeiros meses do ano.
A sessão contou ainda com a apresentação da nova editora que passa a integrar o Grupo Porto Editora: a Sextante.
Na categoria de Ficção Nacional destaque para os livros de Tânia Ganho, A Lucidez do Amor (nas livrarias amanhã), um romance que tem como pano de fundo a guerra do
Afeganistão e de Inês Botelho, O Passado que Seremos (nas livrarias a 28 de Janeiro).
Em Março, chegará às livrarias o novo livro de
João Pedro Marques, Os Dias da Febre, romance histórico com passagem pelas ex-colónias portuguesas.
Em Abril será a vez de Jaguar, de JPedro Baltazar, que a editora apelida de
uma estreia literária surpreendente.
Em Ficção Estrangeira, a 28 de Janeiro chega às livrarias o novo livro de Ricardo Menéndez Salmón, segundo livro da trilogia que o autor espanhol dedica ao Mal, uma terrível ameaça recai sobre Promenadia, uma pacata cidade costeira, Derrocada.
Também nesse dia sairá Os Jardins dos Segredos, o segundo romance de Kate Morton. Bestseller do NYTimes, mais de 1 milhão de livros vendidos.
Fevereiro será o mês da reedição a cores do livro A História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar, de Luis Sepúlveda, disponível no início do mês.
Também em Fevereiro, mais propriamente no dia 4, estará nas livrarias o romance de estreia da bestseller Dorothy Koomson, O Amor Está no Ar. E a 18 do mesmo mês será a vez de O Braço Esquerdo de Deus, de Paul Hoffman. O Quarto Arcano - O Porto da Tormentas, será editado a 25 de Fevereiro. A saga promete a continuação da história de Blackraven e Melody.
Uma excelente novidade é a entrada da autora Anita Shreve no catálogo da Porto Editora. Testemunho estará nas livrarias em Março. Dia 18 do mesmo mês, está agendada a saída do livro O Labirinto de Água, de Eric Frattini, livro de um jornalista polémico sobre a Igreja Católica.
Ainda em Março destaque para A Filha do Regedor, do italiano Andrea Vitali, crónica do quotidiano, entre o cómico e o grotesco e A Virgem das Amêndoas, da britânica Marina Fiorato, é "uma fascinante história de amor e traição".
Em Abril chegam C.J. Sansom, com a Revelação, "Say You're One Of Them", de Uwem Akpan, que reúne cinco contos sobre a África das guerras, e O Oito, de Katherine Neville, considerado pelo El País um dos melhores livros de sempre.
Na ficção juvenil, HorrorLand, de R. L. Stine, estará à venda em Abril. Um série de culto com 300 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo.
Na não-ficção, As Regras Essenciais para Viver Sem Medo, de Guy Finley e O Elemento, de Ken Robinson, prometem leituras pedagógicas.
Tartan - As Velas da Liberdade, de Nuno e Pedro Silveira Ramos, fecha o catálogo da Porto Editora.

Nas novidades da Sextante estão Cinco de Outubro, de Lourenço Pereira Coutinho, é um romance histórico sobre a Revolução Republicana e chega em Fevereiro.
Acerca de Roderer, de Guillermo Martínez, é o primeiro romance de uma das revelações argentinas. Bute Daí, Zé, de Filomena Marona Beja, nas livrarias em Março. O novo romance da vencedora do Prémio APE 2007.
O 2º volume dos Contos Completos de John Cheever, em Abril, é, segundo a Time, "uma das mais importantes obras da literatura contemporânea."
O grande romance de Don DeLillo é a maior aposta da Sextante. Submundo é um livro mítico da literatura do nosso tempo.

Sinopses:

A Lucidez do Amor, de Tânia Ganho
Esta é a história de Michael e Paula, cujas vidas se vão desenrolando em paralelo, numa pequena aldeia de França e numa base internacional no meio do deserto tajique, separados por quatro meridianos e cinco mil quilómetros de distância. Baseado em quatro personagens profundamente humanas e complexas – o piloto Michael estranhamente supersticioso com licença para matar, a sua mulher, Paula, artista e impressionável, a sogra africana, sábia e marcada para toda a vida, e o sogro amargo que carrega um pesado segredo dos seus tempos na Guiné-Bissau -, A Lucidez do Amor é um romance inquietante e cheio de suspense, que questiona o significado do amor, explorando as diferenças que nos separam uns dos outros, mas que também podem unir-nos irrevogavelmente.
O Passado que Seremos, de Inês Botelho
Elisa e Alexandre conhecem-se num fim-de-semana no Caramulo. São ambos jovens, pertencem a círculos diferentes, vêem o mundo de perspectivas quase sempre opostas – e, no entanto, parecem incapazes de escapar à atracção que lentamente os envolve. Com avanços e recuos, iniciam então uma relação que não entendem e que questionam. Mas que os marcará para sempre. Romance de iniciação à idade adulta, O Passado Que Seremos dá-nos o(s) retrato(s) de uma geração e dos caminhos onde procura encontrar a ―sua‖ verdade.
Jaguar, de J. Pedro Baltazar
Uma vertiginosa estreia literária que nos leva a acompanhar a investigação de James Cadwell e do seu grupo de amigos na busca da verdade sobre a mítica cidade do Eldorado. Pelo caminho, descobriremos também uma sociedade secreta, cujos membros são dotados de poderes físicos extremamente desenvolvidos, para humanos.
Derrocada, de Ricardo Menéndez Salmón
Uma terrível ameaça recai sobre Promenadia, uma pacata cidade costeira. O Mal irrompe sob a forma de um assassino em série, que seduz vítimas e verdugos, actores e espectadores, transformando-se na sombra da comunidade. Os pilares de uma sociedade de escassos valores são infectados pela chaga do Terror − um prenúncio da derrocada − a que ninguém, nem mesmo Manila, o cismático polícia encarregado da investigação dos vários crimes, fica imune.
Quem é vítima e quem é carrasco? Um homem perverso que não tem nada a perder; duas famílias que crêem ter perdido tudo; três jovens que encontram na violência uma forma de expulsar o tédio. Em Derrocada, a única justiça é o horror, a única vocação é a atracção pelo Mal.
O Jardim dos Segredos, de Kate Morton
O novo livro da internacionalmente aclamada autora de O Segredo da Casa de Riverton.
Uma história inesquecível que nos transporta dos tempos de pobreza pré – I Guerra Mundial até à costa australiana, onde tantos rumaram em busca de um novo começo. Um livro sobre uma mulher e a sua demanda em busca da verdade sobre as origens da sua família.
Uma narrativa belíssima, que nos conduz docemente para uma terra distante…
História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar, de Luis Sepúlveda
Esta é a história de Zorbas, um gato grande, preto e gordo. Um dia, uma formosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr. Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar. Com a graça de uma fábula e a força de uma parábola, Luis Sepúlveda oferece-nos neste seu livro já clássico uma mensagem de esperança de altíssimo valor literário e poético.
O Amor Está no Ar, Dorothy Koomson
Atreve-se a seguir o seu coração? Ceri D’Altroy é uma jovem londrina excessivamente empática e desesperadamente romântica que não consegue deixar de interferir na vida dos outros, ainda que com a melhor das intenções. Será ela o Cupido dos tempos modernos? A estreia da autora do best-seller A filha da minha melhor amiga.
O Braço Esquerdo de Deus, de Paul Hoffman
A sua chegada foi profetizada. Dizem que ele destruirá o mundo. Talvez o faça…
O santuário dos Redentores é um lugar vasto e isolado – um lugar sem alegria e esperança. A maior parte dos seus ocupantes foi levada para lá ainda em criança e submetida durante anos ao brutal regime dos Redentores, cuja crueldade e violência têm apenas um objectivo – servir a Única e Verdadeira Fé. Num dos lúgubres e labirínticos corredores do Santuário, um jovem acólito ousa violar as regras e espreitar por uma janela. Terá talvez uns catorze ou quinze anos, não sabe ao certo, ninguém sabe, e há muito que esqueceu o seu nome verdadeiro – agora chamam-lhe Cale. É um rapaz estranho e reservado, engenhoso e fascinante. Está tão habituado à crueldade que parece imune a ela, até ao dia em que abre a porta errada na altura errada e testemunha um acto tão terrível que a única solução possível é a fuga. Mas os Redentores querem Cale a qualquer preço… não por causa do segredo que ele sabe mas por outro de que ele nem sequer desconfia.
Cinco de Outubro, de Lourenço Pereira Coutinho
Junho de 1910: D. Manuel II enfrentava nova crise governamental, após a queda do ministério Veiga Beirão. Entretanto, revolucionários e carbonários organizavam reuniões desencontradas, para o derrube da monarquia. Cinco de Outubro acompanha os percursos dos principais protagonistas da época – D. Manuel II, Teixeira de Sousa, Paiva Couceiro, Afonso Costa, Machado Santos –, que se cruzam com personagens ficcionados, numa narrativa de intensidade crescente que culmina nos dias da revolução republicana: 3, 4 e 5 de Outubro.
Representação Política em Portugal - O Caso Português em Perspectiva Comparada, de André Freire e José Manuel Leite Viegas (coord.)
O livro estuda, de uma forma pioneira em Portugal, a representação política entendida como a congruência entre as preferências políticas (sobre políticas públicas, ideologia, reforma institucional, integração europeia, deliberação democrática, etc.) dos eleitores e dos deputados. Para tanto, recorre-se sobretudo a dois inquéritos realizados em 2008: um aos deputados, outro aos cidadãos.
Representação Política em Portugal – Inquéritos e Bases de Dados de André Freire, José Manuel Leite Viegas e Filipa Seiceira (coord.)
Este livro torna acessível à sociedade portuguesa a matéria-prima (inquéritos e bases de dados) de um significativo manancial de estudos sobre a representação política em Portugal, que assim fica disponível para quem quiser desenvolver pesquisas ulteriores sobre este tema.
O Quarto Arcano – O Porto das Tormentas, de Florencia Bonelli
Em O Porto das Tormentas, segundo e último volume de O Quarto Arcano, Florencia Bonelli dá continuidade à história de Roger Blackraven e Melody Maguire, com que os leitores se familiarizaram em O Anjo Negro. Depois de abandonar Buenos Aires, Blackraven chegas às costas brasileiras com os seus primos Marie e Luís Carlos, filhos de Luís XVI e Maria Antonieta, cujas vidas estão em perigo. Aí irá encontrar velhos companheiros de aventuras: o padre jesuíta Malagrida e Adriano Távora, sempre disponíveis para o ajudar nas situações mais difíceis. O domínio de Napoleão sobre a Europa é cada vez mais apertado e obriga os ingleses a procurar na América do Sul novos mercados – comandada pelo almirante Beresford, a invasão inglesa está iminente… Novos personagens e novos cenários acompanham as aventuras do Escorpião Negro desde a costa americana até à velha Europa. O Porto das Tormentas é um romance repleto de acção: conspirações, assassinatos e abordagens em alto mar fazem desta leitura uma experiência quase cinematográfica.
As Regras Essenciais para Viver Sem Medo, de Guy Finley
Quantas vezes se sentiu paralisado pela ameaça do fracasso?
Quantas vezes foi dominado pelo medo, incapaz de abraçar uma relação, de exprimir os seus sentimentos e opiniões, de mudar de vida?
É hora de dizer basta e de tomar as rédeas da sua vida de uma vez por todas.
As Regras Essenciais para Viver sem Medo oferece-lhe soluções reais para problemas reais. Relacionamentos, sucesso, vícios, stress, paz, felicidade, liberdade – ao longo de sete capítulos, Guy Finley dá-lhe as ferramentas necessárias para se libertar do fantasma do medo e ser bem-sucedido em tudo o que se proponha. Através de modernas parábolas, representações contemporâneas de verdades universais e antigas, e uma série de princípios para pôr em prática no seu dia-a-dia, o autor revela-lhe os segredos do universo, guia-o numa viagem de auto-reflexão e ajuda-o a descobrir todo o seu potencial.
Testemunho, de Anita Shreve
Uma pequena cassete de vídeo chega às mãos do director da conceituada Academia de Avery – uma catástrofe de proporções que ninguém será capaz de prever. Mais chocante do que os actos sexuais nela gravados é o facto de terem sido protagonizados por três rapazes com idades compreendidas entre os dezoito e os dezanove anos e uma rapariga de apenas catorze.
Qual caixa de Pandora, a gravação desencadeia uma tempestade de vergonha e recriminação que se abate sobre a pequena comunidade, revelando uma intrincada teia de segredos e mentiras.
As imagens reveladas suscitam mais perguntas do que respostas. Como foi possível tal comportamento no seio de um ambiente tão selecto? Quem é culpado e quem é inocente? Podem as consequências de um acto imprudente ser travadas ou o futuro de todos os envolvidos será irremediavelmente destruído? À medida que o coro de vozes se levanta, revela-se a surpreendente verdade sobre os acontecimentos daquela noite, e as vidas de todos os envolvidos serão transformadas para sempre.
Os Dias da Febre, de João Pedro Marques
Descendo a Calçada de Santana e espreitando por entre as cortinas da sua carruagem, Elvira Sabrosa vislumbra Robert Huntley, um inglês que não via desde os tempos da infância, há mais de 20 anos. Os Dias da Febre narra as circunstâncias que conduziram ao reencontro de Robert e Elvira, e o que dele decorreu. O cerne da acção situa-se em 1857, quando Lisboa estava a ser atingida por uma epidemia de febre-amarela que mataria quase 5 mil pessoas. É nesse contexto alarmante e febril que a intriga se desenvolve e que o leitor é convidado, não só a conviver com as figuras da época, mas também a percorrer a cidade em toda a sua diversidade, dos camarotes do S. Carlos às ruas apertadas de Alfama, das enfermarias do Hospital de S. José às bancadas das Cortes, dos salões das senhoras das classes altas ao bulício do café Nicola.
Romance histórico escrito por um historiador e extensamente apoiado na documentação existente, Os Dias da Febre têm a História sempre presente sem, todavia, se dar muito por ela, já que se trata de uma história da vida quotidiana, embebida na própria narrativa. Isto significa que não estamos apenas perante um romance sobre uma epidemia, a morte e o amor: Os Dias da Febre é também uma viagem pelos sons, os cheiros, as gentes, as casas, os costumes, as cores — numa palavra, pela vida — da Lisboa de meados do século XIX.
O Labirinto de Água, de Eric Frattini
E se a Igreja que Jesus Cristo queria criar não tivesse um papa? A jovem arqueóloga Afdera Brooks recebe da sua falecida avó um antiquíssimo manuscrito que esconde revelações chocantes sobre a génese da Igreja Católica e que o Vaticano fará tudo para que não seja revelado.
Acerca de Roderer, de Guillermo Martínez
Acerca de Roderer narra o confronto vital e intelectual entre dois jovens de inteligência privilegiada. O primeiro usa esta inteligência de forma prática para se adaptar ao mundo, o segundo na busca de um conhecimento absoluto que lhe permita compreender o mundo, deslizando perigosamente até aos limites da loucura e do suicídio.
Esta incursão narrativa brilhante nos meandros da rivalidade e da inteligência oferece-nos um romance inquietante, de suspense e ambiguidade.
A estas virtudes pouco comuns, Martínez acrescenta um talento narrativo especial, tanto no emprego da língua (sempre sóbrio e bem trabalhado), como no uso dos silêncios e detalhes descritivos. Acerca de Roderer é um romance excelente em que Martínez soube conjugar com brilho os seus vários interesses intelectuais, artísticos e literários.
João na terra do jaze, de José Duarte
Segundo volume da colecção José Duarte: uma colectânea de textos e artigos do autor, publicados em várias revistas e jornais ou proferidos na rádio, entre 1958 e 1979. Prefácio de José Mário Branco. A Sextante Editora publicou em Junho de 2009 o primeiro volume da colecção, História do Jazz, livro a cores, profusamente ilustrado.
A Filha do Regedor, de Andrea Vitali
1931. Enquanto a Itália dá os primeiros passos no fascismo, uma pequena cidade situada nas margens do lago de Como está em polvorosa. Agostino Meccia, o regedor de Bellano, está determinado a implementar na localidade um projecto ambicioso: uma linha de hidroaviões que ligará Como, Lugano e Bellano. O empreendimento dará prestígio à sua administração, atrairá uma multidão de turistas e fará a inveja dos municípios vizinhos. Uma ideia brilhante… não fosse um problema de tesouraria. Porém, contra todas as contestações, Agostino Meccia não se coíbe de exercer o seu poder totalitário, recorrendo aos fundos reservados do município para levar os seus planos avante. Tudo parece estar a correr-lhe de feição, até que as complicações começam a surgir… Por outro lado, a súbita paixão entre a sua filha, a jovem Renata, e Vittorio, o filho do padeiro Barbieri, ameaça trazer a lume um segredo que porá em causa a honra de ambas as famílias.
Entre escândalos e intrigas, paixões e fraquezas, Andrea Vitali faz desfilar diante do leitor uma miríade de personagens de opereta que compõem este retrato picaresco e absorvente da Itália dos anos 30.
A Virgem das Amêndoas, de Florencia Bonelli
Na Itália do século XVI, o jovem pintor Bernardino Luini, discípulo favorito do mestre Leonardo da Vinci, é encarregado de pintar um fresco religioso na igreja de Saronno, uma pequena localidade nas colinas da Lombardia. Ao entrar na igreja, a sua atenção é captada pela beleza e pela melancolia da jovem Simonetta, viúva de um poderoso senhor feudal morto em combate.
Sozinha e a ver a sua fortuna desaparecer até não restar nada mais a não ser as amendoeiras da sua villa, Simonetta acede a posar como modelo para Luini, que a imortalizará como a Virgem di Saronno. À medida que o trabalho progride, artista e modelo apaixonam-se, selando o sentimento com um beijo que escandalizará a Igreja.
À genialidade com que Bernardino imortalizará a sua musa, Simonetta retribui com a criação da sua própria obra de arte: um licor especial fabricado com o fruto das suas amendoeiras. O licor ficará conhecido, até aos dias de hoje, como o famoso Amaretto di Saronno.
Contudo, antes de ambos completarem as suas obras, a relação é fortemente abalada por um acontecimento que porá em perigo aquele amor. E as suas vidas.
Revelação, de C. J. Sansom
Primavera de 1543. Enquanto em Inglaterra se vivem momentos de grande tensão religiosa e convulsão social, Henrique VIII planeia um sexto casamento, sob o olhar atento do vigário-geral, Cromwell. Desta vez, o seu alvo é Lady Catherine Parr, conhecida na corte pelas suas simpatias reformistas. Entretanto, Matthew Shardlake, afastado dos assuntos da Corte por vontade própria, trabalha no caso de um adolescente maníaco-religioso encerrado no hospital psiquiátrico de Bedlam. Porém, a sua tranquilidade é subitamente interrompida quando um velho amigo e colega advogado, Roger Elliard, é brutalmente assassinado. Shardlake promete à viúva levar o culpado à justiça, mas o que pensava ser um caso de homicídio isolado, é, na verdade, parte integrante de uma melodia diabólica que se propaga a uma velocidade louca pela cidade de Londres. À medida que novas mortes, fruto de um ritual macabro, se vão sucedendo, as investigações de Shardlake conduzi-lo-ão ao jovem de Bedlam, a Catherine Parr – e às profecias do obscuro Livro da Revelação. Como se não bastasse, o Bispo Bonner prepara uma nova campanha contra o Protestantismo e, à medida que rumores de possessão demoníaca ecoam pela Londres dos Tudor, antigas superstições ganham vida. É numa atmosfera carregada de tensão, com uma onda de fundamentalismo religioso a emergir rapidamente, que Shardlake segue o rasto de um assassino em série que parece divertir-se a desafiar os seus perseguidores…
O Oito, de Katherine Neville
Catherine Vellis, uma perita informática, vê-se subitamente envolvida numa perigosa busca de um lendário tabuleiro de xadrez que pertenceu a Carlos Magno. Confiado à guarda das freiras da Abadia de Montglane, foi disperso por altura da Revolução Francesa. As suas peças escondem um poderoso segredo cuidadosamente protegido durante séculos. Quem as reunir gozará de poderes ilimitados…
Um Violino na Noite, de Jojo Moyes
A Casa Espanhola é uma extravagância arquitectónica agora praticamente decrépita.
Quando o seu proprietário, o velho Pottisworth, morre sem deixar testamento, Isabel Delancey descobre ser a sua única herdeira. Viúva recente, forçada a sair de Londres, vê na casa uma potencial tábua de salvação: a sua única esperança de sustentar os dois filhos sem precisar de vender o seu bem mais valioso – um violino Guarneri.
Mas os Delancey estão longe de imaginar o que os espera na pacata aldeia de Little Barton…
Matt e Laura McCarthy, seus vizinhos, há muito que escondem a sua obsessão pela propriedade e quando Matt, na qualidade de empreiteiro, se encarrega das reparações no casarão, Isabel não vê o fim das obras que ameaçam consumir as suas parcas economias. Por seu lado, Nicholas Trent, um promotor imobiliário numa situação financeira precária, deposita na Casa Espanhola as esperanças de um novo futuro. E Byron Firth, um homem enigmático que carrega um passado terrível, deseja simplesmente um tecto.
Enquanto soam os acordes de um violino na noite, a vida em Little Barton explode num turbilhão de dramas, intrigas e amores impetuosos.
Tartan – As Velas da Liberdade, de Nuno Silveira Ramos e Pedro Silveira Ramos
Angola, 1978. Em plena guerra civil e no dia das comemorações do terceiro aniversário da independência, seis rapazes fogem de Luanda num veleiro de apenas 13 metros. Orientados por uma bússola, um mapa rudimentar e um rádio a pilhas, cruzam um oceano de dúvidas, medos e anseios, em busca da liberdade e da vida. O seu destino é Portugal, onde acabam por chegar depois de mil e uma vicissitudes. Mais de 30 anos depois, a publicação desta história ajuda-nos a compreender um período pouco explorado da nossa História e da nossa memória colectiva.
Bute daí, Zé, de Filomena Marona Beja
Lisboa, nas últimas décadas do século. Clama-se pelo direito à opinião. À Liberdade. 25 de Abril: solta-se a Utopia. Todos na rua, a cantar. Fim de Festa. Sobe a violência social. Cruza-se com racismo. Com agressão política. «Vais ficar assim, caído ao fundo de um beco?» «Bute daí, Zé!»
Contos completos II, de John Cheever
«Estes contos parecem por vezes a história de um mundo há muito desaparecido, quando a cidade de Nova Iorque era ainda inundada pela luz do rio, quando se ouvia Benny Goodman no rádio da papelaria da esquina e quando quase toda a gente usava chapéu.» John Cheever, no prefácio.
«Narrativas fascinantes de ler, sobre uma determinada espécie de pessoas num determinado espaço e tempo – no nosso espaço e tempo – as histórias de John Cheever são, simplesmente, as melhores de todas.» The Washington Post

Submundo, de Don DeLillo
Crónica de vidas ordinárias inseridas na grande História, Submundo cobre o último meio século da história americana. No imenso palco do romance, cruzam-se figuras que marcaram a época – J. Edgar Hoover, Frank Sinatra, entre outras. De Lillo faz surgir uma obra de arte deslumbrante do outro lado, obscuro e escondido, da humanidade contemporânea.
«Submundo é um livro magnífico de um mestre americano.» Salman Rushdie
«Este livro é uma ária e um uivo de lobo do nosso meio século. Contém multidões.» Michael Ondaatje
«Submundo aparece como uma espécie de monumento implacável do fim do século..» Daily Telegraph
Arrepios, de R. L. Stine
Depois do sucesso de ―Arrepios‖, chega-nos uma nova colecção cujas aventuras se passam em Horrorland, um enorme parque temático que o autor descreve como o local mais assustador do mundo. Uma série de culto para os mais ousados.
Detective Esqueleto – Os Sem Rosto, de Derek Landy
Os Sem Rosto estão de volta para tentarem, uma vez mais, acabar com o mundo, mas a destemida dupla de detectives Skul e Valkyrie vai lutar com todas as forças para o impedir.
Skul e Valkyrie conseguirão novamente salvar o mundo?
O Elemento, de Ken Robinson
Com a ajuda deste livro, invista na descoberta do seu Elemento. E perceba como descobrir aquilo que realmente o apaixona pode mudar a sua vida. Ken Robinson apresenta casos reais de pessoas célebres que mudaram o rumo da sua vida ao encontrarem o seu Elemento (Paul McCartney, Meg Ryan, Ridley Scott, o criador dos Simpsons, Mick Fleetwood, Aaron Sorkin…).

Novidades da Editorial Presença para a 2ª quinzena de Janeiro

Título: Um Piano em Sesimbra
Autor: Henrik Nisson
Colecção: Grandes Narrativas
PVP: 11,90€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 128

Sinopse:
Esta obra reúne uma série de contos da autoria de um jovem escritor sueco que têm como cenário privilegiado a cidade de Lisboa. São histórias profundamente enraizadas no quotidiano português e lisboeta, que extravasam, no entanto, estas fronteiras, pela universalidade e dimensão humana dos seus temas, habilmente entretecidos com situações do dia-a-dia. Um traço comum aproxima as várias personagens, um certo sentimento melancólico de perda que leva à busca constante de um sentido, de um significado, do que está oculto em cada uma destas vidas. O estilo é livre e elegante, o olhar, atento, a prosa, rítmica, cristalina, capaz de extrair da banalidade dos dias momentos grandiosos, belos, misteriosos.

Título: Sexo Romântico
Autor: Carolina Cutolo
Colecção: A Árvore da Serpente
PVP: 13,50€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 168

Sinopse:
Um curso por correspondência cujo tema é Sexo sem Medo, leccionado por uma jovem romana com o objectivo de libertar os seus alunos dos tabus que os inibem de viver as suas experiências eróticas e românticas sem medo. São dez lições dedicadas a tópicos escaldantes, tratados com uma adorável candura e um humor contagiante.

Título: O Homem que Trocou a Casa por uma Tilipa
Autor: Fernando Trías de Bes
Colecção: Sociedade Global
PVP: 13,90€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 216

Sinopse:
Na primeira parte desta obra clara e rigorosa, Fernando Trías de Bes analisa algumas das bolhas especulativas mais irracionais da história da economia e expõe os dados comuns a todas procurando definir os sintomas que prenunciam os momentos de crise. Na segunda parte o autor centra-se naquilo que origina as bolhas - os indivíduos -, explicando as razões por que até a pessoa mais prudente se pode transformar num néscio que confunde valor e preço e se deixa assim cair na rede especulativa. Vencedor do mais importante prémio em língua espanhola para não ficção, este é um livro bem fundamentado e essencial para compreender os mecanismos através dos quais a irracionalidade financeira contagia a economia real.


Título: Obras de Bernardim Ribeiro
Autor: Maurício Matos e Helder Macedo
Colecção: Diversos
PVP: 16,95€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 384

Sinopse:
Bernardim Ribeiro, mestre tutelar do bucolismo português, é lembrado sobretudo pela novela Menina e Moça ou Saudades, escrita em voz feminina, “uma das obras mais enigmáticas de toda a literatura”. Mas é também, de par com Sá de Miranda e Camões, um dos nossos maiores poetas quinhentistas. Todas as obras seguramente suas (complementadas por outras afins, mas de autoria duvidosa, algumas das quais podem ser suas) encontram-se agora reunidas neste livro, em versões simultaneamente rigorosas e acessíveis ao grande público.

Título: Dez Lições sobre o Budismo
Autor: Giangiogio Pasqualotto
Colecção: Orientações
PVP: 13,20€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 176

Sinopse:
Este livro vai beber às fontes do budismo para divulgar, perante um público não especializado, o alcance e a profundidade da sua filosofia. Baseado em dez conferências proferidas pelo autor ao longo dos últimos vinte anos, alia à riqueza de conteúdos uma fundamental clareza de linguagem, através dos quais nos aproximamos da mundividência oriental. Entre estas dez reflexões, podemos encontrar temas como as origens do budismo, a função da mente no budismo antigo e o budismo zen.


Título: Acerto de Contas
Autor: George Pelecanos
Colecção: Minutos Contados
PVP: 14,90€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 236

Sinopse:
Numa tarde quente do Verão de 1972, em Washington, três adolescentes de raça branca, aborrecidos e bastante bêbedos, metem-se num carro roubado e vão à procura de sarilhos num bairro de negros que conhecem mal. Nesse bairro cruzam-se com três outros adolescentes, igualmente aborrecidos. Gritam insultos racistas, confiantes na protecção que lhes confere o carro. Infelizmente para todos, aquela rua não tem saída e o violento confronto é inevitável.

Título: O Código do dragão 1.ª parte
Autor: Tea Stilton
Colecção: As Aventuras das Tea Sisters
PVP: 8,00€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 128

Sinopse:
Desportiva, atrevida e fascinante, Tea Stilton é a enviada especial do Diário dos Roedores, o famoso jornal dirigido pelo seu irmão, Geronimo Stilton. Os livros da Tea falam da amizade e das aventuras de um grupo de cinco novíssimas investigadoras, as Tea Sisters. Nesta primeira aventura, elas terão de resolver um mistério no antigo College de Topford. O que escondem os subterrâneos desta prestigiadíssima instituição? E quem terá raptado Hans Ratelo? Segue as pistas e diverte-te com elas!


Título: No reino do sonho
Autor: Natália Bebiano
Colecção: Estrela do Mar
Relançamento
PVP: 6,24€
N.º de Edição: 2.ª
Data 1.ª Edição: 20/06/2000
N.º de Páginas: 88

Sinopse:
Arabela, contempla o ciberlivro que a mãe lhe ofereceu, com os olhos cheios de fascínio e encanto.
«Um livro interactivo!», pensa Arabela.
À medida que vai lendo aquelas linhas, ela eleva-se num voo silencioso, numa viagem para além da Terra e do Arco-Íris, aos subterrâneos de uma história onde acaba por ajudar a traçar o próprio enredo. Maravilhada com a rara beleza que a rodeia, com a imensidão dos céus azuis, dos mares sem fim, das estrelas cintilantes, da música do cosmos, Arabela esquece-se de si, e aproxima-se, assim, do Reino do Sonho, da grande aventura que a fará percorrer as paragens mais belas, estranhas e misteriosas que imaginar se pode. Muitas são as criaturas extraordinárias que irá encontrar - bruxas aterradoras, gigantes de três metros, dinossauros, alquimistas, seres virtuais e todas as figuras das histórias e fábulas que já leu - Alice, o Gato das Botas, a Galinha dos Ovos de Ouro… E muitas são, também, as coisas sábias que irá aprender ao longo desta odisseia, que a alerta para a importância do sonho e da fantasia na nossa vida.

Título: Gosto de ti
Autor: Elen Lescoat e Bénédicte Carboreill
Colecção: Diversos
PVP: 8,00€
N.º de Edição: 1.ª
Data 1.ª Edição: 19/01/2010
N.º de Páginas: 32

Sinopse:
No dia em que o Hugo lhe disse que gostava mais dela que de qualquer outra pessoa no mundo, a Rosa ficou muito confusa. Como podia ele saber? Seria possível medir o Amor? Então isso queria dizer que o pai, a mãe e a avó não gostavam tanto dela como o Hugo? Depois de conversar com todos eles, a Rosa compreende por fim que o amor está no coração de todos aqueles que gostam de nós e que é impossível medi-lo. Um livro enternecedor e magnificamente ilustrado.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Porto Editora apresenta, amanhã, novidades literarias para os primeiros meses de 2010

A Porto Editora apresenta, amanhã, quarta-feira, as novidades literárias para os primeiros meses de 2010. A sessão, agendada para a sala Medina do Hotel Dom Pedro Palace, em Lisboa, a partir das 16 horas, contará com a presença dos directores editoriais Cláudia Gomes e Manuel Alberto Valente e servirá para apresentar uma nova editora que integrará, já a partir do corrente mês, o Grupo Porto Editora.

O evento será acompanhado, em directo, no Facebook (www.facebook.com/portoeditora) e no Twitter (www.twitter.com/portoeditora) da Porto Editora.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Porto Editora edita novo romance de Kate Morton

Título: O Jardim dos Segredos
Autora: Kate Morton
N.º de Págs.: 552
Capa: mole
PVP: 18,80 €

Novo romance da promissora escritora australiana Kate Morton

Cerca de um ano depois da publicação de O Segredo da Casa de Riverton, livro que deu a conhecer a todo o mundo a promissora escritora Kate Morton, a Porto Editora aposta em O Jardim dos Segredos, segundo romance da australiana.
A obra de estreia de Kate Morton vendeu mais de 600 mil exemplares, foi n.º 1 do Sunday Times e do New York Times em 2007 e o livro que mais vendeu em Inglaterra na semana de estreia desde o fenómeno O Código da Vinci – mais de 60 mil exemplares em poucos dias. Por tudo isso, a expectativa relativamente a este novo título, à venda em Portugal a 28 de Janeiro, foi sempre muito grande. E a autora não desiludiu. As vendas reflectiram-no – aproximam-se do meio milhão de livros vendidos – e a crítica voltou a render-se. Jornais como o Daily Express ou o The Sunday Mail destacam a qualidade da escrita e o prazer que esta confere à leitura. Foi, ainda, “livro do ano” (e o mais vendido) na Austrália, bestseller do The New York Times e “livro do mês” na Amazon.

O enredo
Em 1913 uma criança é encontrada só, num barco que se dirigia á Austrália, com apenas uma malinha branca contendo um livro de obscuros contos infantis. Uma mulher misteriosa prometera tomar conta dela, mas desapareceu sem deixar rasto.
Um século depois, acompanhamos Cassandra na sua tentativa de resolver o mistério de uma pequena criança perdida. Um dos instrumentos que favorecem essa procura é um livro de obscuros contos infantis do início do séc. XX, três dos quais, de uma prosa belíssima, aparecem ao longo do próprio texto. Aparentemente, a autora destas histórias, Eliza Makepeace, será a chave para Cassandra finalmente recuperar a verdade sobre a origem da sua família.

Primeiras páginas aqui

Sobre a autora:
Kate Morton cresceu nas montanhas do sudeste de Queensland, na Austrália. Tem formação superior em Teatro e Literatura Inglesa. Os seus livros estão publicados em 36 países.
O Jardim dos Segredos é o segundo romance da autora, depois de O Segredo da Casa de Riverton. Ambos foram alvo de várias distinções: O Segredo da Casa de Riverton venceu o Australian Book Industry Award of General Fiction, foi finalista
do Galaxy British Book Awards, foi também recomendado pelo Richard & Judy Summer Reads Book Club 2008 e eleito “livro do mês” pela Amazon; O Jardim dos Segredos ganhou o Australian Book Industry Award of General Fiction, foi também o mais vendido do ano na Austrália, bestseller do The New York Times e “livro do mês” na Amazon.
Mais informações em www.katemorton.com.

Planeta edita Isaac Rosa e Zuenir Ventura, autores convidados do Correntes d'Escritas 2010

Título: O País do Medo
Autor: Isaac Rosa

"O medo é uma ideologia dominante deste tempo que evita perguntas".

O país do medo é um lugar imaginário onde se tornaria realidade tudo o que tememos. Carlos sabe bem como seria o seu; vive assustado. Os seus temores são muito comuns: ser espancado, ser assaltado, que entrem em sua casa enquanto dorme, que raptem o filho; mas também teme a agressividade dos vizinhos, os adolescentes violentos, os pobres, os estranhos.
O seu medo, até então secundário, ocupará um lugar central quando se vir envolvido numa situação de conflito: um pequeno incidente na escola do filho, que poderia ser solucionado de maneira simples, complica-se devido à sua incapacidade para tomar decisões. Carlos dará, então, início a uma fuga daí para a frente, onde cada mentira, cada passo em falso fará com que se sinta cada vez mais ameaçado.
Uma reflexão inteligente, marcada pela era pós-11 de Setembro, sobre as sociedades ocidentais contemporâneas, em que os dispositivos de segurança se sofisticam mas, paradoxalmente, os receios se descontrolam.

Sobre o autor:
Isaac Rosa, nasceu em Sevilha em 1974. Publicou os romances La malamemoria (1999), posteriormente reelaborado em Outra maldita novela sobre la guerra civil! (Seix Barral, 2007), e El vano ayer (Seix Barral, 2004), que foi galardoado em 2005 com o Prémio Rómulo Gallegos, o Prémio Ojo Crítico e o Prémio Andalucia de la Crítica, assim como a obra de teatro Adiós muchachos (1998), a narração El ruido del mundo (1998) e vários relatos que apareceram em livros colectivos. É, além disso, co-autor do ensaio Kosovo. La coartada humanitaria (2001). Traduzido em várias línguas, o seu romance El vano ayer será em breve adaptado ao cinema por Andrés Linares sob o título La vida en rojo.

Título: Inveja - Mal Secreto
Autor: Zuenir Ventura

"Li a sua Inveja, Zuenir, nla reconhecendo a carta de um amigo."- Miguel Sousa Tavares in Prefácio

Inveja - Mal Secreto foi a obra pioneira d euma colecção tentadora, publicada no Brasil, dedicada aos sete pecados capitais. Zuenir Ventura alicia o leitor a entrar no mundo da inveja. Que vício, afinal, sera esse - que ninguém admite ter, mas todos juram conhecer? Dissimulada, subreptícia, insaciável, incontrolável, duradoura, caprichosa, sorrateira, calculista, cumulativa. Estes são alguns dos adjectivos encontrados pelo autor para classificar o mais antigo e actual pecado.
Realidade? Ficção? Ao investigar este tema tão complexo, o autor esbarrou em histórias fascinantes de amor, medo e morte. Uma narrativa que mistura aventura e revelações, como num jogo tecido pela própria inveja onde o mais importante não é o que ganha mas o que o outro perde. Uma obra ímpar que a Planeta se orgulha de reeditar em Portugal.

Sobre o autor:
Zuenir Ventura nasceu no dia 1 de Junho de 1931 em Além Paraíba, Minas Gerais. Jornalista e escritor de reconhecido prestígio, trabalha há quase 40 anos como repórter, redactor e editor em vários jornais e revistas. Recebeu o Prémio Esso de Reportagem e o Prémio Wladimir Herzog de jornalismo em 1989. É autor dos best-sellers 1968, O Ano que Não Terminou, Cidade Perdida, Inveja - Mal Secreto, Chico Mendes - Crime e Castigo e Minhas Histórias dos Outros. Assina um coluna semanal n' O Globo.

Será Que os Gatos Têm Umbigos? - Paul Heiney [Opinião]

-->
Título: Será Que os Gatos Têm Umbigos?
Subtítulo: 244 Perguntas-Respostas sobre o Mundo da Ciência
Coord.: Paul Heiney
Colecção: Fórum da Ciência
Preço: 19.90€
Pp.: 196

Sinopse:

Por que razão o ranho é verde? Há algo de bom nas baratas? Por que razão não se partem os ovos quando as galinhas os põem? Qual é a altura da atmosfera? Um raio consegue tostar quantas fatias de pão? As árvores têm cancro? Será que as jantes dos carros fazem com que eles andem mais depressa?
Paul Heiney deslinda os fenómenos da Ciência que estão por detrás daquelas certezas absolutas e inquestionáveis e explica por que razão o mundo e tudo o resto que o compõe são como são. Desde esquimós cabeludos a gaivotas que explodem, desde o osso da alegria à labiríntica roupa de cama, este é um livro esclarecedor, divertido e bem-humorado.

A minha opinião
Livro bastante curioso que nos responde a temas do dia-a-dia que nem nos passariam pela cabeça perguntar o porquê deles. Dividido por vários temas como corpo humano; vida na selva; a ciência à nossa volta; este estranho planeta; nas alturas e mais além; importa-se de explicar; o que mais me atraiu foi a parte dos animais. Fiquei a saber que os gatos, assim como os seres humanos, têm umbigo, que os esquilos têm as caudas farfalhudas para se equilibrarem melhor, que as baratas são as criaturas mais antigas que vivem na Terra, que sangram sangue branco e o seu esqueleto está do lado de fora do corpo.

domingo, 17 de janeiro de 2010

O Monte dos Vendavais - Emily Brontë [Opinião]

-->
Título: O Monte dos Vendavais
Autor: Emily Brontë
P.V.P.: 16 €
Data 1ª Edição: 20/10/2009
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 320
Colecção: Obras Literárias Escolhidas
Nº na Colecção: 9

Sinopse:
O Monte dos Vendavais é uma das grandes obras-primas da literatura inglesa. Único romance escrito por Emily Brontë, é a narrativa poderosa e tragicamente bela da paixão de Heathcliff e Catherine Earnshaw, de um amor tempestuoso e quase demoníaco que acabará por afectar as vidas de todos aqueles que os rodeiam como uma maldição. Adoptado em criança pelo patriarca da família Earnshaw, o senhor do Monte dos Vendavais, Heathcliff é ostracizado por Hindley, o filho legítimo, e levado a acreditar que Catherine, a irmã dele, não corresponde à intensidade dos seus sentimentos. Abandona assim o Monte dos Vendavais para regressar anos mais tarde disposto a levar a cabo a mais tenebrosa vingança. Magistral na construção da trama narrativa, na singularidade e força das personagens, na grandeza poética da sua visão, nodoso e agreste como a raiz da urze que cobre as charnecas de Yorkshire, O Monte dos Vendavais reveste-se da intemporalidade inerente à grande literatura.

A minha opinião: Um livro magistral que me apaixonou desde a primeira página. Emily Brontë soube criar, como nenhuma outra, personagens fortes, carismáticas, que ultrapassam o tempo, tornando-se bastante actualizadas nos dias que correm. A vingança impera no Monte dos Vendavais. Quando Heathcliff é adoptado pela família Earnshaw tudo no Monte dos Vendavais muda. Desprezado por Hindley e amado por Catherine (sem saber), Heathcliff torna-se numa criança e jovem adolescente desprezado e colocado de parte pela família, sobretudo quando o patriarca morre. Assim que Catherine casa com o seu vizinho Edgar Linton, Heathcliff desaparece voltando anos mais tarde riquíssimo. O seu desejo de vingança é cada vez mais acentuado, começando por arruinar aquele que lhe quis tanto mal na infância: Hindley. Depois disso, e apesar de continuar a amar Catherine, o ódio pelo seu marido e casamento é de tal forma grande, que acabará por matá-la. Será que os fins justificam os meios? Será que toda a vingança que Heathcliff orquestrou o fez um homem mais feliz? Apesar de Heathcliff ser uma personagem bastante forte, rodando a história do livro à sua volta, Emily Brontë soube tirar partido da personalidade das duas Catherine, mãe e filha, mulheres muito obstinadas para aquele tempo, e de Ellen Dean, a governanta, narradora de toda a história do Monte dos Vendavais.