sexta-feira, 9 de abril de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora: Revelação nas livrarias a 16 de Abril

Título: Revelação
Autor: C. J. Sansom
N.º Págs.: 608
P.V.P.: 18,80€

Revelação coloca um dos “25 autores do futuro” (Waterstone’s) no catálogo da Porto Editora.

Shardlake, o corcunda mais perspicaz dos tribunais de Inglaterra, está de volta para uma nova missão. A 16 de Abril, chega às livrarias portuguesas o quarto romance de C. J. Sansom, Revelação. Em 2008, o autor britânico cujos livros estão publicados em 24 países viu, mais uma vez, a sua obra integrar a shortlist do Ellis Peters Historiacal Dagger Award.
Revelação tem como cenário a Primavera de 1543. Enquanto em Inglaterra se vivem momentos de grande tensão religiosa e convulsão social, Henrique VIII planeia um sexto casamento, sob o olhar atento do vigário-geral, Cranmer. Desta vez, o seu alvo é Lady Catherine Parr, conhecida na Corte pelas suas simpatias reformistas.
Entretanto, Matthew Shardlake, afasta-se dos assuntos da Corte e trabalha no caso de um adolescente maníaco-religioso encerrado no hospital psiquiátrico de Bedlam. Porém, a sua tranquilidade é subitamente interrompida quando um velho amigo e colega advogado, Roger Elliard, é brutalmente assassinado. Shardlake promete à viúva levar o culpado à Justiça, mas o que pensava ser um caso de homicídio isolado, é, na verdade, parte integrante de uma melodia diabólica que se propaga a uma velocidade louca pela cidade de Londres.
À medida que novas mortes, fruto de um ritual macabro, se vão sucedendo, as investigações de Shardlake conduzi-lo-ão ao jovem de Bedlam, a Catherine Parr – e às profecias do obscuro Livro da Revelação.

Sobre o autor
C. J Sansom nasceu em 1952 e licenciou-se na Universidade de Birmingham, onde fez também um doutoramento em História. Exerceu advocacia durante algum tempo até que decidiu dedicar-se à escrita a tempo inteiro.
Com a série Shardlake, que está a ser adaptada para a televisão pela BBC, conheceu um retumbante sucesso internacional. Em Portugal, estão já publicados os volumes Dissolução (2005), Fogo Negro (2006) - vencedor do prémio “CWA Ellis Peters Historical Dagger 2005” - e Soberano (2008).
Fora da série, escreveu Winter in Madrid, um thriller de espionagem passado no período posterior à Guerra Civil espanhola, que a Porto Editora publicará oportunamente.

O que dizem:
«Notável… As impressões visuais, as vozes, o próprio cheiro desta época turbulenta parecem emergir a cada página.»
P. D. James
«Revelação não é apenas o título deste romance, nem uma alusão ao que Shardlake alcança na sua empreitada para desmascarar um assassino em série; é o pesadelo apocalíptico dos Quatro Novíssimos: O Inferno na Terra – uma pintura magistral.»
The Independent
«Mesmo depois de lhe terem sido reveladas as verdadeiras intenções do assassino, não conseguirá pôr o livro de lado até conhecer o apocalíptico final.»
The Observer
«A sua perícia reside não só na construção da trama e de personagens bem desenhadas e credíveis, como também na descrição rica e exímia do ambiente que as circunda. […]
O melhor da série Shardlake até agora.»
The Times
«Incrivelmente empolgante. Uma evocação magistral das impressões e inquietudes do período Tudor.»
Sunday Times

Autores Porto Editora seguem viagem

Tem lugar em Matosinhos, de 17 a 20 de Abril, o festival literário LEV – Literatura em Viagem e sete autores da Porto Editora, Sextante Editora e Albatroz vão marcar presença.
O livro Tartan – As Velas da Liberdade
, dos irmãos Nuno e Pedro Silveira Ramos, nas
livrarias a 15 de Abril, perpetua a aventura de seis jovens que escaparam, num veleiro, de uma Angola em guerra rumo a Portugal desconhecido e justifica a presença dos autores no evento.
Maria Isabel Barreno estará em Matosinhos para antecipar o lançamento do seu
mais recente romance, Corredores Secretos (disponível a partir do próximo dia 30 de Abril) e o argentino Guillermo Martínez, depois do reconhecimento que Acerca de Roderer conseguiu junto da crítica, vem pela primeira vez a Portugal para falar sobre um dos seus mais aclamados livros. João Pedro Marques, Filomena Marona Beja, Cristina Carvalho e Francisco José Viegas completam o rol de autores do Grupo Porto Editora que participam no festival organizado pela Câmara Municipal de Matosinhos.
No primeiro dia do evento, pelas 18h30, na Galeria Municipal, Nuno Silveira Ramos e João Pedro Marques participam na mesa “As Viagens são os Viajantes”. O argentino Guillermo Martínez vem pela primeira vez a Portugal para, no domingo, ser um dos autores presentes na mesa “Percebo-me Viajando”, a partir das 15h. Na segunda-feira, 19 de Abril, pelas 17h30, Filomena Marona Beja é uma das convidadas ao tema “Palavra a Palavra Viajamos” e no último dia, terça-feira, Cristina Carvalho e Maria Isabel Barreno debatem “A Alegria do Homem está em Viajar” pelas 15h00. Francisco José Viegas modera, a partir das 17h30, a última mesa do LEV – Literatura em Viagem, “Toda a Realidade é um Desejo de Viagem”.
Nuno Silveira Ramos – Tartan – As Velas da Liberdade (Albatroz)
João Pedro Marques – Os Dias da Febre (Porto Editora)
Guillermo Martínez – Acerca de Roderer (Sextante Editora)
Filomena Marona Beja – Bute Daí, Zé! (Sextante Editora)
Cristina Carvalho – O Romance de Chopin (Sextante Editora)
Maria Isabel Barreno – Corredores Secretos (Sextante Editora)
Francisco José Viegas – O Mar em Casablanca (Porto Editora)

Tertúlia "Luísa Ducla Soares: 100 Livros + 1" - Museu da Electricidade, Lisboa

Amanhã, 10 de Abril, terá lugar no Museu da Electricidade em Lisboa, às 16h30, a tertúlia intitulada "Luísa Ducla Soares: 100 Livros + 1” com a presença da autora e participação de Teresa Lima (ilustradora), Daniel Completo (músico) e Joana Ferreira da Silva (coordenadora editorial da Civilização Editora). O evento será coordenado por Rita Pimenta (jornalista do Público) e contará ainda com a participação especial de Cristina Paiva, da Andante.

quinta-feira, 8 de abril de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Oito de Katherine Neville a partir de hoje nas livrarias

Mais de um milhão de exemplares vendidos aquando da sua primeira edição, traduzido em 30 línguas e considerado o precursor dos romances de Dan Brown, está finalmente disponível a partir de hoje aquele que o El País catalogou como “um dos melhores livros de todos os tempos”. O Oito, de Katherine Neville, parte de uma lendária oferta que os Mouros teriam feito a Carlos Magno: um tabuleiro de xadrez que continha a chave para dominar o mundo.

Por ocasião deste lançamento, a Porto Editora produziu um booktrailer que aponta 8 razões para ler O Oito e promoveu na sua página e no seu perfil no Facebook um passatempo que oferece um exemplar do livro a quem comprovar nascimento a 8 de Abril. A reedição de O Oito antecede a chegada da aguardada sequela, O Fogo, que a Porto Editora publica no próximo mês de Setembro.

Uma oferta irrecusável - Jill Mansell [Opinião]

-->
Título: Uma oferta irrecusável
Autor: Jill Mansell
Género: Lit. Romântica
Palavras-chave: Amor, Paixão, Suborno, Comédia de equívocos
Tradutor: Susana Valdez
Páginas: 320
Tiragem: 3000
PVP: 18,85 €

Sinopse:
NADA CONSEGUIA SEPARAR LOLA E DOUGIE. EXCEPTO A MÃE DELE…
Lola não pretendia aceitar o suborno da mãe do seu namorado para pôr um fim à relação com ele. Ainda por cima porque a mãe de Dougie é arrogante e insuportável. Mas depois Lola descobre que uma das pessoas que mais ama está desesperada e a única maneira de a ajudar é ficar com o suborno e partir o coração de Dougie. Dez anos depois, Lola reencontra-se com Dougie e descobre que os seus sentimentos por ele estão mais fortes do que nunca. Ela faria tudo para o ter de volta, mas nunca lhe poderá contar a verdade. Mesmo sendo bonita, persuasiva e infinitamente optimista, será que vai conseguir ultrapassar a frieza dele e reconquistar-lhe o coração?

A minha opinião:
Quem pensa que Uma Oferta Irrecusável é apenas a estória entre Lola e Dougie está completamente enganado. Este novo livro de Jill Mansell contém outras estórias dentro a estória que se pensa a principal. De facto, a génese deste livro leve, mas divertido, é a estória de amor e desamor entre Lola, uma jovem rapariga de 17 anos, e Doug também de 17 anos que decide ir estudar para fora da localidade onde vive. Os dois estão muito apaixonados até ao dia em que a mãe de Doug decide falar com Lola e fazer-lhe uma proposta: pagar-lhe 11 mil euros para que ela deixe o seu filho de uma vez. De facto Adele, mãe de Doug, deseja uma namorada “melhor” para o seu filho, achando que Lola não está à altura da família. Inicialmente a rapariga fica ofendida com a proposta, mas quando descobre a dificuldade pela qual um elemento da sua família está a passar, decide fugir à palavra dada e aceita a quantia, que passa a 14 mil e quinhentos euros. O problema familiar fica resolvido, mas o amoroso termina logo ali. Triste com o fim da relação Lola parte para Maiorca, deixando um Doug destroçado e com muita raiva. Dez anos depois, por acaso de destino, encontram-se numa festa, mas a recepção de Doug a Lola não é a melhor, sobretudo quando descobre o que realmente se passou. Doug pensavaque Lola tinha deixado de gostar dele, mas ao descobrir que o fim da relação teve a ver com dinheiro deixa-o ainda com mais raiva. Nessa mesma festa Lola descobre que ainda ama o seu antigo amor. Mas é também nessa festa que se começa a desenrolar aquela que vai ser a segunda estória do livro e que, no fundo, se destaca também. Sally, irmã de Doug, torna-se amiga de Lola e vai tornar-se sua vizinha. As aventuras das duas em relação ao amor são, no fundo, o principal deste livro, que é bastante divertido e vai, com toda a certeza, agradar aos amantes do género.


Civilização lança Rotas por Descobrir

A Civilização lança este mês os três primeiros títulos de uma nova colecção de Guias American Express, intitulada Rotas por Descobrir. Esta nova colecção foi criada especialmente a pensar em passeios de carro com duração até uma semana.
Os três primeiros títulos desta colecção – Rotas por Descobrir Espanha, Rotas por Descobrir França e Rotas por Descobrir Itália - incluem mais de duas dezenas de propostas de passeios de carro, dão a conhecer a região campestre destes países, com sugestões de locais para dormir e comer ao longo do caminho.
Em cada título, são listados os códigos postais para servirem de referência à navegação por satélite (GPS). O código da estrada, mapas detalhados e instruções de condução claras fornecem todas as informações necessárias para umas férias de carro perfeitas. Cada livro inclui ainda um mapa destacável.

Quidnovi: Alon Hilu em Portugal

Alon Hilu (n. 1972, Jafa), autor de A Casa Dajani e um dos mais interessantes escritores israelitas da actualidade, estará em Portugal para participar no LeV – Literatura em Viagem 2010, que decorrerá entre 17 e 20 de Abril em Matosinhos.

Hilu vai participar na mesa “Viajar prolonga a vida”, no dia 19, com José Rentes de Carvalho, Alexandra Lucas Coelho e Mónica Marques; a moderação ficará a cargo de Rosa Alice Branco.
O autor estará em Portugal entre os dias 17 e 20 de Abril e está disponível para entrevistas. Arredores de Jafa, 1895.

No final de 2009, a QuidNovi publicou, de Alon Hilu, o romance A Casa Dajani, vencedor do mais importante prémio literário israelita, o Prémio Sapir, que lhe viria a ser retirado pouco tempo depois, por alegado conflito interesses na constituição do júri. A polémica rebentou, levantando a suspeita de que havia motivos políticos por detrás dos motivos publicamente anunciados aquando da decisão.

Sobre o livro:
Salah Dajani, um rapazinho
muçulmano perturbado que vive num casarão em ruínas rodeado de pomares ao abandono,
é consumido por estranhas visões de um desastre que se abaterá sobre o seu povo. A sua vida é, porém, virada do avesso com a chegada à cidade de um homem loiro e bonito, um colono judeu extremamente dinâmico, por quem se sente atraído e que vê como uma espécie de anjo salvador.
Trata-se do agrónomo Haim Margaliot Kalvarisky, que rumou à terra dos antepassados na esperança de salvar o seu casamento com Ester – bela, mas frígida – e que anda desesperadamente à procura de terra fértil.
Desde a sua primeira visita à Casa Dajani – para a qual é convidado pela mãe de Salah, que vê
nele a última esperança de cura para a agonia do filho –, a amizade entre Kalvarisky e o rapaz está, contudo, destinada à violência e à tragédia. Porque o colono não só cobiça a propriedade que o deslumbra, mas também a bela mulher árabe de olhos verdes, cujo marido se encontra quase
sempre fora e acabará por morrer em circunstâncias misteriosas.
Este romance rico e colorido, construído a partir dos diários antagónicos dos dois protagonistas
à medida que negoceiam o amor, a honra e a traição numa Palestina em mudança, é uma recriação ficcional da história dos primeiros sionistas e uma apresentação magistral do confronto entre duas culturas através dos sentimentos individuais de duas personagens notáveis.

Sobre o autor:
Alon Hilu nasceu em Jafa, em 1972, filho de pais naturais de Damasco, e vive actualmente em Telavive com a sua família. É bacharel em Direito pela Universidade de Telavive, onde acabou por licenciar-se em Arte do Teatro com uma especialização em Escrita Dramática. Depois de várias obras para teatro, estreou-se na ficção com um romance histórico intitulado Death of a Monk, vencedor do Prémio Presidencial Israelita para um romance de estreia em 2006 e do Prémio da Presidência do Estado de Israel em 2008. Foi finalista do prestigiado prémio Sapir em 2005, que viria a vencer em 2009 com o segundo romance, A Casa Dajani. Ambas as obras estão traduzidas em diversas línguas.

Novidades Quetzal para Abril

Título: A Víúva Grávida
Autor: Martin Amis
Série: serpente emplumada | Martin Amis
Tradução: Jorge Pereirinha Pires
Páginas:536
PVP: 22,95€

Sinopse:
Estamos no Verão de 1970 — um Verão longo e quente.
Num castelo em Itália, meia dúzia de jovens flutuam sobre um mar de mudança, apanhados na corrente da história da revolução sexual. As raparigas comportam-se como rapazes e os rapazes continuam a comportar-se como rapazes. E Keith Nearing — um estudante de literatura com vinte anos, às voltas com o romance inglês — luta para que o feminismo e o novo poder das mulheres reverta a seu favor.
A revolução sexual pode ter sido uma revolução de veludo, mas não aconteceu sem derramamento de sangue...
A Viúva Grávida é uma comédia de costumes, um pesadelo.
Um livro brilhante, assombroso e gloriosamente arriscado. É Martin Amis no melhor da sua audácia.

Sobre o autor:
Martin Amis é um dos autores britânicos mais importantes da actualidade. Nasceu no sul do País de Gales em 1949, filho de Kingsley Amis.
A matéria-prima dos seus romances radica no absurdo da condição pós-moderna e nos excessos do capitalismo tardio das sociedades ocidentais; e o seu inconfundível estilo (identificável mesmo antes de chegar ao primeiro ponto final) é compulsivo e terrivelmente vívido.
Saul Bellow, Vladimir Nabokov e James Joyce são as suas grandes referências literárias. Por outro lado, influenciou uma nova geração de romancistas, como Will Self ou Zadie Smith. A Quetzal inicia a publicação da obra de Martin Amis com o seu mais recente e aguardado romance.


Título: Black Music
Autor: Arthur Dapieve
Série: língua comum
Páginas: 120 páginas
PVP: 12,95€
Arthur Dapieve estará em Portugal, em Matosinhos durante o Encontro Literatura em Viagem, de 17 a 20 de Abril.

Sinopse:
Quando, naquele dia, voltava do liceu para casa, o autocarro em que seguia foi interceptado por três homens de UZIs e máscaras de Bin Laden, e Michael Philips — um adolescente norte-americano a viver no Rio de Janeiro — foi raptado e levado para um morro. Aí ficará em cativeiro, à espera que os seus sequestradores recebam o resgate. Este miúdo é negro e adora basquete e jazz. He-man, chefe do morro e da «célula terrorista» que praticou o rapto, é um miúdo branco, franzino e pouco mais velho do que o rapaz sequestrado e tem ambições musicais: He-man quer ser rapper.
Para cuidar de «Maicon Filipe», He-man destaca uma das suas namoradas, a boazona Jô. Está assim constituído o triângulo afectivo-musical, e o trio de narradores de Black Music. Fugindo a registos realistas e hiperrealistas com que a literatura habitualmente trata o problema social das favelas e da criminalidade, Arthur Dapiève compõe esta história (e a de cada um dos seus personagens) como um diálogo em que mundos e referências musicais se cruzam, bem como sonhos e paixões. Black Music é uma nova forma de contar a violência.

Sobre o autor:
Arthur Dapieve nasceu no Rio de Janeiro em 1963. Formou-se em Jornalismo na PUC-Rio, onde hoje em dia é docente.
Foi crítico musical, repórter e editor de cultura no Jornal do Brasil e no Globo, onde desde 1993 assina uma coluna. Apresenta o programa Sem Controle
no canal televisivo GNT. Autor de vários livros, como Brock. O Rock Brasileiro dos Anos 80, Miúdos Metafísicos ou Guia de Rock em CD, Dapieve estreou-se como romancista com De Cada Amor Tu Herdarás Só o Cinismo, publicado em 2009 pela Quetzal. Black Music é o seu segundo romance.


Título: Como Um Verão Que Não Voltará
Autor: Mohamed Berrada

Série: mediterrâneo
Tradução: Ana Cristina Leonardo
Páginas: 180
PVP: 14,95€
Mohamed Berrada estará em Portugal, em Matosinhos durante o Encontro Literatura em Viagem, de 17 a 20 de Abril.

Sinopse:
Relato de viagem, registo de aprendizagem, meditação sobre os sortilégios da memória e da escrita: nesta obra, o autor de O Jogo do Esquecimento, um dos textos essenciais da literatura marroquina moderna, entrega-se inteiramente à sua paixão pela «mãe do mundo», o Cairo — a segunda pátria descoberta nos anos cinquenta pelo jovem marroquino, que aí se instalou para dar continuidade aos seus estudos universitários.
Os ecos desse tempo ressoam ainda na memória: a voz de Nasser anunciando a nacionalização do Canal do Suez, a de Oum Kalsoum que acompanhou os primeiros sobressaltos do coração; as das vedetas de cinema e as dos escritores, como Naguib Mahfouz. E o rumor incessante da cidade infinita, cheia de gritos, risos, confissões — essa «mulher coberta de orgulho», onde coabitam os vivos e os mortos, as palavras e os sonhos.

Sobre o autor:
Mohamed Berrada nasceu em Rabat em 1938. Romancista, crítico literário, tradutor, foi presidente da União de Escritores Marroquinos de 1976 a 1983. Após os anos de docência de Literatura Árabe na Universidade Mohammed V de Rabat, Berrada vive agora em Paris, onde se dedica exclusivamente à escrita. Como um Verão que Não Voltará é a sua primeira obra traduzida para português.


Título: Deus, o Diabo e a Aventura
Autor: Javier Reverte
Série: serpente emplumada
Tradução: Francisco Guedes
Páginas: 240
PVP: 17,96€
Javier Reverte estará em Portugal, em Matosinhos durante o Encontro Literatura em Viagem, de 17 a 20 de Abril.

Sinopse:
Deus, o Diabo e a Aventura é um magnífico ensaio historico-literário sobre o jesuíta Pedro Páez (1564-1622), missionário na Etiópia durante uma vintena de anos e descobridor do Nilo Azul. Num registo cativante e acessível, que mescla História e viagens, literatura e missionologia, antropologia e jornalismo, geografia, sociologia e economia, Reverte faz-nos um relato da vida aventurosa deste contemporâneo de Cervantes e autor da História da Etiópia.

Sobre o autor:
Javier Reverte nasceu em Madrid, em 1944. Estudou Filosofia e Jornalismo, profissão que exerceu durante trinta anos. Foi correspondente em Londres, Paris e Lisboa e enviado especial em inúmeros países, um pouco por todo o mundo. Foi articulista, cronista, e entrevistador. Desde sempre atraído pela criação literária, este incansável viajante foi ainda guionista para rádio e televisão e autor de romances e livros de viagem que se tornaram grandes sucessos de vendas.
quarta-feira, 7 de abril de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Conto de Gonçalo M. Tavares adaptado ao teatro

O conto A FOTOGRAFIA (A História do Vampiro de Belgrado), de Gonçalo M. Tavares, publicado pela Porto Editora na colectânea Contos de Vampiros (2009), foi adaptado ao teatro pela companhia Teatro Bruto. A versão cénica, que é de Miguel Cabral, intitula-se O Vampiro de Belgrado e estreia a 21 de Abril.

A Porto Editora publicou, recentemente, três colectâneas de contos (policiais, de vampiros e infantis) coordenadas por Pedro Sena-Lino e com a participação de alguns dos mais reputados escritores portugueses. Gonçalo M. Tavares entrou nas três com contos muitíssimo elogiados e a adaptação de A FOTOGRAFIA (A História do Vampiro de Belgrado) vem demonstrá-lo. Para além das sessões para o público geral, até 22 de Maio, o Teatro Bruto, em parceria com a Estufa e a Visualight, vai apresentar o espectáculo – na Fábrica Social, Fundação José Rodrigues (espaço do Teatro Bruto) – até 4 de Junho ao público escolar.

O VAMPIRO DE BELGRADO
Estreia: 21 de Abril às 22:00 Temporada até 22 de Maio (quinta a sábado às 22:00); temporada para as escolas (3.º Ciclo e Secundário) até 4 de Junho (segunda a sexta, às 11:00 e às 15:00) Blogue do espectáculo: http://vampirodebelgrado.blogspot.com/

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto Gonçalo M. Tavares | Versão Cénica e Direcção Miguel Cabral | Interpretação Isabel Nunes e Pedro Mendonça | Desenho de Luz e Vídeo José Nuno Lima | Música Original Rui Lima e Sérgio Martins | Espaço Cénico e Figurinos Ana Luena | Direcção de Produção Susana Lamarão | Assistência de Produção Ana Fernandes | Criação e Co-produção Teatro Bruto / Estufa / Visualight

Resultados do passatempo "Observações"

Obrigada a todos que participaram no passatempo "Observações" realizado entre o Marcador de Livros e a Editoral Presença, num total de 244 participações.

Os felizes contemplados foram:
1 - Juliana Melo(Canedo)
199 - Vera Matias (Baixa da Banheira)
35 - Cláudia Rosadas (S. João de Ver)

Além de o seu nome figurar no blogue, os contemplados foram ainda avisados através de email.

Porto Editora - Ficção Juvenil - Regressa "O Detective Esqueleto"

Título: O Detective Esqueleto – Os Sem Rosto
Autor: Derek Landy
N.º de Págs.: 280
Capa: mole
PVP: 14,90 €

A 15 de Abril, uma semana depois da publicação da nova série da colecção Arrepios, que chega amanhã às livrarias, a Porto Editora vai lançar o terceiro volume da saga juvenil O Detective Esqueleto. O novo livro,
Os Sem Rosto, mostra que a escrita de Derek Landy está cada vez mais refinada no que respeita ao humor e às cenas de intensa aventura e mistério.
Depois de O Detective Esqueleto e de O Detective Esqueleto – Brincar com o fogo, esta terceira história de cariz policial vem dar resposta aos pedidos insistentes de milhares de fãs que, desde 2008, ano em que se publicaram os referidos dois primeiros livros, vêm reclamando novas aventuras em português.
A Porto Editora aposta, desde 2007, na ficção juvenil e o sucesso de colecções como O Detective Esqueleto, de Derek Landy, ou CHERUB, de Robert Muchamore, são a prova de que em Portugal há muitos jovens leitores (da aposta na série Arrepios espera-se, também, um assinalável êxito).

O enredo
Quando tudo estava de novo em paz, uma série de estranhos homicídios acontece… Os Sem Rosto estão de volta para tentarem, uma vez mais, acabar com o mundo.
Felizmente, a destemida dupla de detectives Skul e Valkyrie vai investigar os estranhos homicídios e descobrir quem está por detrás destas inesperadas mortes. Decididos a travar os temíveis Sem Rosto, vão lutar com todas as suas forças para impedir o fim do mundo.
Será que Skul e Valkyrie vão conseguir?

Skul, o protagonista
Tiremos-lhe a pele e o sangue, os músculos e tendões, e encontramos, bem cravada nos ossos, a notável e infalível verdade. Para o detective-esqueleto, a verdade está-lhe no nome. “Skulduggery” carrega em si o decifrador de enigmas, o charmoso trapaceiro que persegue mistérios porque, num mundo de incerteza, eles podem representar a única coisa digna de confiança. “Pleasant”, é claro, refere-se aos fatos que usa, aos seus modos impecáveis e ao seu sentido de decoro perante qualquer situação que possa vir a enfrentar, por pior que ela seja. Alguns heróis não nascem. Nem se fazem. Em vez disso, são mortos. E depois regressam.

Sobre o autor:
Antes de escrever os seus romances juvenis acerca de um janota detective, o irlandês Derek Landy escreveu um argumento para um filme sobre zombies e ainda um sangrento policial onde, no final, toda a gente morre.
Como cinturão negro de karaté, ensinou centenas de crianças a saberem defender-se, na esperança de vir a ter o seu próprio exército de pestinhas! Acredita piamente que elas apenas aguardam o seu grito de comando para investirem e lutarem contra os seus inimigos (na realidade, ele não tem inimigos, mas calcula que eles surgirão mais cedo ou mais tarde...).
Derek vive nos arredores de Dublin e a razão de gostar tanto de ser ele a escrever a sua própria nota biográfica reside no facto de poder finalmente referir-se a si próprio na terceira pessoa sem soar demasiado pretensioso ou mesmo louco.

Novidades Presença para a 1.ª quinzena de Abril

Título: Alice eu Fui
Autor: Melanie Benjamin
P.V.P.: 17,90 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
N.º de Edição:
N.º de Páginas: 332

Colecção: Grandes Narrativas
N.º na Colecção: 463

Sinopse:
Alice Eu Fui é uma biografia romanceada de Alice Liddell, a criança que inspirou o grande clássico da literatura infanto-juvenil Alice no País das Maravilhas. É a primeira vez que a história é contada do ponto de vista irreverente da própria Alice - agora uma octogenária que olha em retrospectiva para o seu passado e reflecte sobre a jornada extraordinária que foi a sua vida para além do País das Maravilhas. Com uma intriga bem construída, esta narrativa explora a natureza elusiva e indecifrável do amor e da sexualidade, presentes na psique humana desde a infância e ajuda-nos, através dos factos narrados, a compreender os assombros e os abismos, as passagens para o outro lado do espelho. História de amor e mistério literário, esta obra entretece com brilhantismo factos e ficção para captar o espírito apaixonado de uma mulher verdadeiramente inspiradora.


Título: Observações
Autor: Jane Harris
P.V.P.: 17,90 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 448

Colecção: Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 464

Sinopse:
Em plena época vitoriana, Bessy Buckley, uma irlandesa de 15 anos, encontra um lugar de criada numa mansão isolada que pertence à encantadora Arabella Reid e ao seu marido, um político com ambições. Arabella faz-lhe várias e intrigantes exigências entre as quais a de que descreva, num diário, as suas tarefas e os seus pensamentos mais íntimos. Apesar de tudo Bessy afeiçoa-se à sua patroa, mas acaba por descobrir que a mansão esconde segredos surpreendentes. Uma sátira inteligente à hipocrisia vitoriana, bem-humorada e com um enredo que cria um suspense psicológico subtil.

Título: A Melodia do Adeus
Autor: Nicholas Sparks
P.V.P.: 18,50 €
Relançamento
Data 1ª Edição: 03/11/2009
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 368

Colecção: Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 449

Sinopse:
Com apenas dezassete anos, Ronnie vê a sua vida virada do avesso quando o casamento dos pais chega ao fim e o pai se muda da cidade de Nova Iorque, onde vivem, para Wrightsville Beach, uma pequena cidade costeira na Carolina do Norte. Três anos não são suficientes para apaziguar o seu ressentimento, e quando passa um Verão na companhia do pai, Ronnie rejeita com rebeldia todas as tentativas de aproximação, ameaçando antecipar o seu regresso a Nova Iorque. Mas será em Wrightsville Beach que Ronnie irá descobrir a beleza do primeiro amor, quando conhece Will e se deixa tomar por uma paixão irrefreável e de efeitos devastadores. Nicholas Sparks é, como sabemos, um mestre da moderna trama amorosa, e, em A Melodia do Adeus, usa de extrema sensibilidade para abordar a força e a vulnerabilidade que envolvem o primeiro encontro com o amor e o seu imenso poder para ferir… e curar.

Título: O Coração é um Caçador Solitário
Autor: Carson McCullers
P.V.P.: 18,50 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 360

Colecção: Obras Literárias Escolhidas
Nº na Colecção: 13

Sinopse:
No Sul profundo dos Estados Unidos, em plena década da Grande Depressão, num cenário desolado, de pobreza, intolerância e isolamento, John Singer, um mudo, torna-se de súbito confidente de um grupo de personagens desenquadradas da sociedade. Todos procuram à sua maneira preencher o vazio deixado pelos sonhos perdidos - e todos, por algum motivo, acham que Singer os compreende. Mas Singer, impassível na sua mudez, não tenta alcançar nada senão a atenção de um amigo que não manifesta mais que indiferença… Uma obra expressiva e poderosa que permanece actual na sua projecção de uma realidade intrínseca à condição humana.

Título: O Clã da Loba
Autor: Maite Carranza
P.V.P.: 17,50 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 328

Colecção: Via Láctea
Nº na Colecção: 84

Sinopse:
Desde que há memória, dois clãs de bruxas, as Omar e as Odish, vivem em permanente conflito, incapazes de conciliar as suas diferenças ancestrais. Apenas uma velha profecia deixa entrever alguma esperança de no futuro a eleita conseguir unir ambas as tribos. E agora todos os sinais confirmam que a chegada dessa eleita está próxima. Quando Anaíd, uma jovem de catorze anos, acorda uma manhã e verifica que a mãe desapareceu, pensa que lhe poderá ter acontecido todo o tipo de coisas, menos que a sua mãe é uma bruxa Omar e considerada por todas aquela de que a profecia fala…

Título: O Segredo de Viver em Harmonia
Autor: James Arthur Ray
P.V.P.: 17,90 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 432

Colecção: Orientações
Nº na Colecção: 53

Sinopse:
Este bestseller do New York Times propõe-nos um plano de prosperidade harmónica, passo a passo, que resulta do extraordinário percurso que o próprio autor empreendeu ao longo de mais de vinte anos e que funde sabedoria antiga de diversas tradições, descobertas científicas no domínio da física quântica e a sua vasta experiência pessoal no mundo dos negócios. O objectivo é alcançarmos o equilíbrio harmonioso dos cinco pilares fulcrais da nossa existência - financeiro, relacional, mental, físico e espiritual -, alinhando pensamentos, sentimentos e acções num sentido comum e atraindo para a nossa vida tudo aquilo que desejamos. Um livro inspirador, que aprofunda a Lei da Atracção e nos oferece a chave da realização pessoal.

Título: Areias Movediças
Autor: Emily Rodda
P.V.P.: 8,60 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 160

Colecção: A Saga de Deltora
Nº na Colecção: 4

Sinopse:
Lief, Barda e Jasmim já conseguiram recuperar três das sete pedras preciosas do Cinto Mágico de Deltora - o topázio, o rubi e a opala -, ficando assim mais perto de derrotar o tirânico Senhor das Trevas. Mas depois de a custo terem escapado com vida da Cidade dos Ratos, os três amigos encontram-se agora na árida planície que a rodeia, sem recursos pois perderam todos os seus mantimentos. E a opala deu a Lief uma visão terrível do seu próximo destino: as Areias Movediças…

Título: Eu Sei Tudo Sobre as Mamãs
Autor: Nathalie Delebarre
P.V.P.: 6,00 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 32

Colecção: Diversos
Nº na Colecção: 86

Sinopse:
Os crescidos acham que sabem tudo sobre as mamãs.

Mas eu acho que eles não entendem nada.
Passam o tempo a inventar coisas porque falam do que não conhecem!
Por isso, prestem-me atenção!
Eu vou contar-vos tudo sobre as mamãs!

Título: Salvemos a Baleia Branca
Autor: Geronimo Stilton
P.V.P.: 8,00 €
Data 1ª Edição: 06/04/2010
Nº de Edição:
Nº de Páginas: 128

Colecção: Geronimo Stilton
Nº na Colecção: 38

Sinopse:
«Era uma abrasadora manhã de Verão e eu não conseguia trabalhar... Subitamente, entrou no meu escritório a Patty Spring, pedindo-me que partisse com ela em viagem. Nem podia acreditar! Umas férias românticas com a minha amiga Patty...

O pior é que as coisas não se passaram como eu esperava...»

Guerra e Paz - Lançamento do livro O Feitiço das Trevas

O primeiro volume da trilogia
O Tratado dos Magos chega às livrarias esta semana
PVP 19,50€

Carlos Coelho da Silva apresenta O Feitiço das Trevas, de Ana Paula Cabral, o primeiro volume da trilogia O Tratado dos Magos, dia 12 de Abril, às 18h30, no restaurante do El Corte Inglés (piso 7), Lisboa.

O livro conta a história Igorj, príncipe de Harmeling, um jovem que terá de lutar contra as forças do mal para alcançar a paz do seu reino. A autora cria um mundo totalmente novo, com criaturas e territórios surpreendentes, convidando o leitor a entrar neste universo imaginário e viver intensamente as aventuras do protagonista, por entre povos distantes.

Sobre a autora:
Ana Paula Cabral estudou jornalismo na New York University. Trabalhou na RTP-USA e no Channel 47, da Univision Network. Em 1990 é convidada para ingressar na RTP como apresentadora do telejornal. Passa pelos programas «Primeira Página», «Repórteres» e «Actual Reportagem», mas é, sobretudo, no «Bombordo», nos relatos de viagem que faz a bordo do «BES Portugal», que a sua imaginação ganha lastro para o universo da ficção.


terça-feira, 6 de abril de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades da Contraponto para Abril

Título: O Vale das Bonecas
Autor: Jacqueline Susann
Chancela: Contraponto
Páginas: 480
PVP: 19,90€

O Vale das Bonecas - com o prefácio de Margarida Rebelo Pinto - é o livro mais vendido de todos os tempos!

Anne, Neely e Jennifer são três jovens fortes, independentes e com muita sede de viver. Mas quando os sonhos da vida se despenham contra os rochedos da desilusão, precisam de algumas «bonecas» – comprimidos calmantes, excitantes, ansiolíticos ou opiáceos – para sobreviver… Anne: ingénua e doce, mas ambiciosa e ansiosa por descobrir tudo o que a vida tem para oferecer… Chega a Nova Iorque, vinda de uma cidade provinciana conservadora, em busca da felicidade e do amor. Apesar de estar noiva de um multimilionário, entrega o seu coração – e o seu corpo! – ao encantador e mulherengo Lyon Burke. Mas quando Burke lhe pede que escolha entre o amor e a carreira, as consequências podem ser devastadoras... Será que algumas «bonecas» a poderão ajudar a viver com o coração partido? Neely... Um espírito rebelde. Orfã desde a mais tenra idade, só ambiciona uma coisa na vida – rios de dinheiro! Quando, através de Anne, é introduzida no impiedoso mundo do showbusiness, não falta quem veja nela uma estrela em potência. Mas estará Neely preparada para enfrentar os perigos do estrelato? Os impiedosos patrões dos estúdios de Hollywood fazem-na trabalhar sem parar. E sem a ajuda de algumas «bonecas», esta estrela não consegue brilhar... Jennifer: com um corpo de fazer parar o trânsito, este imã sexual só deseja uma coisa – casar e assentar. Antes dos 25 já foi a amante lésbica sustentada de uma rica espanhola e mulher de um príncipe europeu depravado. Aos 25, já é uma divorciada acabada e com os primeiros sinais da idade a mostrar... Quando consegue «caçar» um galã de Hollywood, percebe que a vida de casada não é nenhum paraíso. Se não fosse a sua amiga Neely a mostrar-lhe o conforto das «bonecas», não aguentaria as pressões do casamento.
Amor, traição, desejo e dependência são retratados em toda a sua crueza neste romance inesquecível, o maior best-seller de todos os tempos.

Sobre a autora:
Jacqueline Susann nasceu em Filadélfia em 1918. Antes de se dedicar à escrita, foi actriz de televisão e teatro. Faleceu em 1974. O Vale das Bonecas é considerado o livro mais vendido de todos os tempos. Foi adaptado ao cinema, ao teatro e à televisão, e conta com mais de 30 milhões de exemplars vendidos só nos EUA.

«Jacqueline Susann tem um dom natural para contar histórias. Os bons escritores kitsch nascem, não se fazem. E quando Jacqueline Susann escreve, o que produz é kitsch de primeira categoria! Para mais, é uma autora sincera. Um livro que vende tanto como Vale das Bonecas tem mais que bom marketing – e este livro tem muito mais. Para já, não se consegue parar de o ler. E, apesar da fama que tem, não é um livro “indecente”. As mulheres não querem ler pornografia. Nem querem ler nada muito técnico sobre sexo. O que as mulheres querem ler é sobre desejo. E Jacqueline Susann escrevia maravilhosamente sobre desejo. Desejo ardente. Desejo avassalador. Desejo de adolescente. As personagens dos livros de Jacqueline Susann estão sempre a rasgar as blusas ou a abrir as braguilhas. Toda a gente está sempre a desejar alguém.» Nora Ephron
«Jacqueline Susann conseguia escrever livros para os leitores, em vez de ser para intelectuais e críticos. Ela era diferente das escritoras feministas dos anos 60; tinha um glamour e uma capacidade de compaixão únicas. Apesar de estar há mais de 40 anos no mercado, Vale das Bonecas continua a ser um livro corajoso, arrojado, energético e, sim, feminista. Ler este livro é a experiência mais divertida que se pode ter sem receita médica.» The Guardian
«Um livro décadas à frente do seu tempo... absolutamente hipnotizante. A combinação de fragilidade emocional com abuso de drogas é ainda mais chique hoje do que quando foi publicado pela primeira vez.» The Village Voice
«Jackie compreendeu, quase instintivamente, que os leitores estavam prontos para o lado mais cru do sexo – tanto para histórias de amor de fazer chorar como para cenas de sexo oral.» The New Yorker


Título: sete dias para a eternidade
Autor: Marc Levy
Chancela: Contraponto
Páginas: 224
PVP: 16,50€

«Um enredo emocionante e cheio de surpresas.» Le Figaro Littéraire

“O acaso é a forma que Deus tem de passar despercebido” – Jean Cocteau Deus e Lúcifer num braço-de-ferro final. O mais angélico dos anjos e o mais demoníaco dos demónios são postos em cena para o derradeiro desafio. Em apenas sete dias, joga-se o destino da humanidade. Mas nem Deus nem Lúcifer poderiam prever o que resultaria de um encontro entre o anjo e o demónio... «Um triunfo.» L’Express «Com um estilo cheio de humor e ternura, Marc Levy apresenta-nos um romance filosófico, divertido e comovente.» Le Parisien

Sobre o autor:
Marc Levy é o autor de língua francesa mais lido em todo o mundo: os seus livros contam já com mais de 17 milhões de exemplares vendidos em mais de 41 países. Mas este autor não é só um favorito entre os leitores de todo o mundo; a crítica tem também reconhecido o seu talento excepcional como contador de histórias originais, provocantes e sempre comoventes. Nasceu em Boulogne Bilancourt, em 1961. Aos 18 anos, juntou-se à Cruz Vermelha Francesa, instituição com a qual colaborou durante seis anos. Paralelamente, formou-se em Gestão e Informática na Université Paris-Dauphine. Em 1983, fundou uma empresa especializada em design e informática, com projectos em França e nos EUA. Mais tarde, viria a dedicar-se ao design de interiores, fundando outra firma em Paris. Aos 37 anos de idade, Marc Levy escreveu o seu primeiro romance. E Se Fosse Verdade… começou por ser uma história destinada ao homem que o seu filho viria a ser. Encorajado pela irmã, enviou o manuscrito a uma editora, que aceitou publicá-lo. O sucesso fez-se sentir imediatamente e, desde então, os seus romances são presença constante nas listas de best-sellers. Marc Levy tem-se dedicado inteiramente à escrita e dois dos seus romances foram já adaptados com grande sucesso ao cinema.

Novidades Pergaminho para Abril

Título: o teu corpo diz "Ama-te"
Autor: Lise Bourbeau
Chancela: Pergaminho
Páginas: 408
PVP: 20€

Quando o nosso corpo nos fala – através da linguagem da doença – é porque nos quer chamar a atenção para uma forma de pensar que nos é prejudicial. Estes pensamentos prejudiciais, mesmo sendo inconscientes, lesam todo o nosso ser. Por isso, quando uma doença surge, é para nos avisar que é tempo de mudar essa forma de pensar. Infelizmente, a medicina tradicional e mesmo algumas formas de medicina chamadas naturais continuam a encarar a doença como um obstáculo ao bem-estar. Ao lutar contra a doença, estas medicinas limitam-se a fazer desaparecer os sintomas, ignorando a sua origem.
Lise Bourbeau encara a doença não como um problema em si mas como uma dádiva que a vida nos faz para reequilibrar o nosso ser, para reconciliar o corpo e a alma e restabelecer o diálogo entre eles.

Sobre a autora:
Sobre a Autora: Lise Bourbeau, fundadora da escola de vida Escuta o Teu Corpo, autora de vários best-sellers, realiza estágios e seminários em todo o mundo há mais vinte anos e através deles já ajudou milhares de pessoas a descobrir as causas profundas das suas doenças e do seu mal-estar. Considerada uma das autoras francófonas mais lidas em todo o mundo, já vendeu mais de 2,5 milhões de livros apenas no Quebeque. Os seus livros estão publicados em mais de 23 idiomas


Título: Quem sou eu?
Autor: Maria Shriver
Chancela: Pergaminho
Páginas: 88
PVP: 12,95€
Tradução: Joana Neves


«Maria Shriver é uma pessoa autêntica, vulnerável, humilde e honesta (tal como este livro). Um livro maravilhoso. Escrito por uma pessoa maravilhosa.» Danielle Steel

«… às vezes a vida acontece-nos e – zás! – a ideia de quem pensamos ser desvanece-se.» Não precisamos de ser crianças para descobrirmos «o que queremos ser quando formos grandes»; a vida dá muitas voltas e, sempre que pensamos que já temos a certeza de quem somos e do que podemos fazer, a vida gosta de nos surpreender…
Num livrinho simples e repleto de divertidas anedotas, bem como de sentidas reflexões, Maria Shriver (jornalista, autora de best-sellers e primeira-dama do estado da Califórnia) convida-nos a repensar quem somos, quem podemos ser e a descobrir toda a riqueza do nosso potencial interior.

Sobre a autora:
Maria Shriver é filha de Eunice Kennedy e de Robert Sargent Shriver, um dos fundadores do Peace Corps. Foi uma das principais jornalistas da NBC durante mais de 15 anos e o seu trabalho foi premiado com um Peabody e com um Emmy. É mulher de Arnold Schwarzenegger primeira-dama do estado da Califórnia e autora de vários best-sellers do New York Times.

«Este livrinho inspirador é um retrato sincero de uma mulher em processo de transição. O processo cândido de autodescoberta de Shriver, bem como a sua humildade e a sua frontalidade fazem deste livro uma leitora encantadora e genuinamente inspiradora.» Publishers Weekly


Título: Cartas para Cláudia
Autor: Jorge Bucay
Chancela: Pergaminho
Páginas: 232
PVP: 16€

Este livro é composto pelos escritos que, durante mais de três anos de trabalho terapêutico, Jorge Bucay dedicou aos seus pacientes. Trata-se de uma correspondência imaginária entre o autor e Cláudia, uma amiga muito querida que se torna destinatária de importantes lições de vida.
Cada carta levanta questões e lança um desafio à reflexão: seremos verdadeiramente donos do nosso destino? Até que ponto somos determinados pelas circunstâncias? Será possível conhecermo-nos a nós mesmos, ou apenas às diversas máscaras que usamos? Que estratégias usamos para nos definirmos a nós próprios? Qual o verdadeiro sentido da liberdade? A felicidade estará ao nosso alcance? Como poderemos delinear e aceitar as nossas limitações?
Num estilo convidativo, informal, por vezes divertido, por vezes quase cruel, Jorge Bucay inicia em Cartas para Cláudia uma correspondência com todos os leitores, incentivando-os ao autoconhecimento e à busca da felicidade.

Sobre o autor:
Jorge Bucay nasceu em Buenos Aires, em 1949. É psiquiatra e psicoterapeuta e exerce a sua profissão na Argentina, no México e em Espanha, dirigindo cursos de psicologia da vida quotidiana bem como grupos de reflexão para empresas e particulares. É autor de diversos livros de contos, romances, e livros de psicologia e desenvolvimento pessoal, todos grandes sucessos de vendas em Espanha e na América Latina. Recorrendo à sabedoria tradicional de contos, fábulas, mitos e lendas, bem como às mais recentes descobertas na área da psicoterapia, Jorge Bucay tem uma abordagem única e cativante do espírito humano. O seu estilo acessível, com tanto de humor como de intuição, aliado a uma profunda compreensão da psique humana, cativou milhões de leitores em todo o mundo. Quando é confrontado com o enorme sucesso da sua obra, Jorge Bucay responde: «Escrevo apenas livros para pensar.»


Título: A Luz do Além
Autor: Raymond Moody
Chancela: Pergaminho
Páginas: 160
PVP: 16€
Tradução: Maria Augusta Júdice


«Raymond Moody é psiquiatra e autor do revolucionário livro Vida Depois da Vida, que potenciou o início da investigação sobre experiências de quase-morte.
Há mais de 30 anos que o Dr. Moody se dedica ao estudo deste fenómeno e, neste estudo complementar, apresenta descrições de experiências de quase-morte feitas por pessoas que as tiveram. Os relatos das experiências de morte e regresso à vida feitos tanto por adultos como por crianças são espantosamente semelhantes, bem como os casos relatados por outros especialistas. Embora faça notar que não existe qualquer prova científica da vida após a morte, Moody consegue ainda assim persuadir os leitores de espírito aberto a considerarem a hipótese, convidando a uma investigação das novas dimensões das leis naturais.» Publishers Weekly.

Sobre o autor:
Raymond Moody é formado em Medicina pelo Medical College of Georgia e doutorado em Filosofia pela Universidade da Virginia. Há mais de 40 anos que investiga o fenómeno das experiências de quase-morte, sendo autor de mais de uma dezena de best-sellers sobre este tema, que contam com mais de 20 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Realiza conferências e dá formação a profissionais de saúde de todo o mundo. É criador e fundador do Raymond Moody Institute, uma organização sem fins lucrativos destinada ao ensino e à investigação de temas relacionados com a morte física. Os livros de Raymond Moody contam já com mais de 20 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo



Título: A Conspiração de Deus
Autor: Osho
Chancela: Pergaminho
Páginas: 304
PVP: 19,90€
Tradução: Tiago Tavares

A Conspiração de Deus desmascara a antiga aliança entre padres e políticos para destruir a liberdade humana, a alegria, o prazer, o conforto e a luxúria. Os políticos homenageiam os padres para legitimar o seu poder e os padres reforçam as regras de comportamento humano impostas pelos políticos. Tudo em nome de Deus.
Acreditar em Deus e não acreditar em Deus são dois extremos do mesmo espectro. Mas Osho não defende a crença – ele promove a experiência. Através da meditação, conseguimos descobrir a verdade universal da nossa consciência – e, através desta experiência directa da verdade do nosso ser, descobrimos que a vida é auto-suficiente e não precisa da ficção de Deus.

Sobre o autor:
Osho dedicou a sua vida ao estudo da espiritualidade. Fundou vários retiros de meditação e comunas, e ensinou e realizou palestras em todo o mundo. É considerado o autor indiano de maior sucesso: os seus livros vendem mais de um milhão de exemplares por ano e estão traduzidos em dezenas de idiomas. Oficialmente, é autor de mais de seiscentos livros, mas todos eles são transcrições das suas palestras. Osho acreditava no poder da palavra viva e do diálogo, e é isso mesmo que os seus livros transmitem.

«Ele cita Jesus, Buda, Mahavira, Lao-Tsé, os mestres Sufi e Zen impecavelmente, interpretando-os com frescura e vivacidade, como se eles estivessem a falar hoje mesmo, como se usassem jeans!» Die Zeit, Alemanha
«Osho apresenta a sua filosofia com humor e uma retórica brilhante, com uma ironia cativante e encantadora.» Der Spiegel, Alemanha
«Tinha um conhecimento profundo tanto do Ocidente como do Oriente. De Buda a Jesus, de Heraclito a Marx, do místico indiano Tilopa ao psicanalista Jung, do Zen ao Sufismo, do Ioga ao Tantra, ele conseguia apontar as fraquezas e os pontos fortes de cada doutrina. Ele era o mestre que não dava respostas, simplesmente criava um espaço de liberdade.» Elle, Itália
«Eis um guru livre de qualquer tradição, um mestre iluminado que citava Sartre e Heidegger e que acreditava no capitalismo, na tecnologia e no sexo. Osho é um orador brilhante.» The New Yorker, EUA
«Inspirados em várias tradições e ideologias, mas ainda assim totalmente únicos, os ensinamentos de Osho são radicais, convidando a pessoa a libertar-se de qualquer condicionamento social.» The Sunday Times, Inglaterra
«O que há de único nos ensinamentos de Osho é a forma como adapta a sabedoria espiritual do Oriente para um público ocidental.» La Republicca, Itália «Sem dúvida um dos oradores mais inspiradores, mais líricos e mais profundamente sábios. Toda a sua filosofia de vida tem a marca inconfundível da verdade.» Vogue, Inglaterra
«Numa linguagem simples mas profunda, o mestre Osho ensina-nos a viver no momento presente, que é a verdadeira vida eterna.» Livres Hebdo, França