sexta-feira, 1 de outubro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora publica novo volume da colecção Alta Tensão, que chega às livrarias no dia 7 de Outubro e tem a assinatura de Ian Rankin

Título: Uma Questão de Consciência
Autor: Ian Rankin
Tradução: Vasco Gato
N.º de Págs.: 432
Capa: mole
PVP: 16,50 €

Uma Questão de Consciência é o mais recente livro do escocês Ian Rankin e estará disponível a partir do dia 7 de Outubro na colecção Alta Tensão da Porto Editora.

Ian Rankin tem vindo a destacar-se cada vez mais como um dos grandes autores de policiais
europeus e, neste livro, apresenta-nos Malcolm Fox, um inspector dos Assuntos Internos da Polícia que todos os dias tentar desmascarar mais um polícia corrupto, até ao dia em que recebe uma missão que irá destruir o frágil equilíbrio entre a sua vida profissional e familiar.
Um policial empolgante que tem como cenário o lado desconhecido da cidade de Edimburgo e onde
as relações humanas são postas à prova.

O enredo
:
Ninguém gosta do departamento de assuntos internos da polícia - o «Lado Negro», como é conhecido no meio -, onde polícias investigam outros polícias. É aí que trabalha o inspector Malcolm Fox, numa secção responsável pelos casos mais graves de racismo e corrupção. Enquanto a sua carreira vai de vento em popa, com mais uma investigação bem-sucedida e mais um polícia corrupto desmascarado, a sua vida pessoal deixa muito a desejar. Atormentado entre a culpa de ter internado o pai num lar e a impotência que sente face à situação da irmã, vítima de abusos constantes por parte do homem com quem vive, é-lhe atribuída uma nova missão: aproximar-se de Jamie Breck, um detective suspeito de estar envolvido numa rede de pedofilia, sem que até agora tenha sido possível reunir provas para o acusar. Mas, à medida que Fox se envolve no caso, crescem as suspeitas de que as coisas não são tão lineares como o fizeram crer, e as dúvidas instalam-se, sobretudo quando um terrível homicídio ameaça destruir o frágil equilíbrio entre a sua vida profissional e familiar.

Sobre o autor:
Nascido na Escócia em 1960, Ian Rankin licenciou-se na
Universidade de Edimburgo. Considerado o maior escritor escocês de policiais da actualidade, as suas obras encontram-se disponíveis em trinta e cinco idiomas Entre os inúmeros prémios que recebeu destacam-se 4 Daggers (um Diamond e um Gold), o Grand Prix du Roman Noir 2003, o Edgar Award para melhor romance em 2004 e o British Book Awards Crime Thriller of the Year em 2005.
Recebeu ainda a Order of the British Empire pelos serviços prestados à literatura. Actualmente vive em Edimburgo com a mulher e os dois filhos.
Página pessoal: http://www.ianrankin.net

Críticas:
«O melhor escritor escocês de policiais.» Qué Leer
«Rankin oferece-nos um excelente livro policial, repleto de acção, bons diálogos e personagens
bem elaboradas, sob um pano de fundo autêntico.» The Times
«Rankin explora a moralidade pública e privada numa história muito bem construída.» Daily Mail
«Um livro obrigatório para os fãs de Ian Rankin e que cativará novos leitores.» Shortlist
«Uma visão interessante sobre o comportamento humano e uma visita guiada por toda a cidade de Edimburgo – a que os turistas conhecem e aquela que nunca é mostrada.» Literary Review

"História de Portugal" galardoada com Prémio D. Dinis 2009

O Prémio D. Dinis 2009 foi atribuído, por unanimidade, aos historiadores Rui Ramos, Bernardo Vasconcelos e Sousa e Nuno Gonçalo Monteiro pelo livro “História de Portugal", publicado pela Esfera dos Livros.

A sessão de entrega do Prémio decorrerá na Casa de Mateus, no dia 8 de Outubro, pelas 18h00 e, será presidida pelo Presidente da Comissão Europeia, Doutor José Manuel Durão Barroso.


Rui Ramos é Investigador Principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, onde ensina nos cursos de Mestrado em Política Comparada e de Doutoramento em Ciência Política, e Professor convidado na Universidade Católica Portuguesa (Lisboa). Licenciado em História pela Universidade Nova de Lisboa e doutorado em Ciência Política pela Universidade de Oxford, é autor de vários livros.

Bernardo Vasconcelos e Sousa é Professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de LisboauHumanas, onde tem leccionado no âmbito da Licenciatura e do Mestrado em História Medieval e de cujo Instituto de Estudos Medievais foi Presidente. Tem várias obras editadas.

Nuno Gonçalo Monteiro é Investigador Coordenador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e Professor convidado do ISCTE (Lisboa). Doutorado em História Moderna pela F.C.S.H/Universidade Nova de Lisboa e agregado em História pelo ISCTE, realizou conferências e comunicações em vários países, tendo sido professor visitante em universidades espanholas, francesas e brasileiras. Tem várias publicações editadas.

Novidades Editora Educação Nacional para Outubro

Infanto-Juvenil - Didáctico
Autoras: Lúcia Pereira / Salomé Castro
Colecção: O Clube dos Curiosos
N.º de Páginas: 168 pág.
Capa mole com badanas
PVP: 8,90€

«Sempre Certo!» é o companheiro ideal para os alunos do 1º e do 2º ciclos do Ensino Básico. Os erros de ortografia, as falhas de concordância e o uso incorrecto ou descontextualizado de algumas palavras, não mais terão lugar!
Prático e apelativo, e simultaneamente completo e rigoroso, este Prontuário da Língua Portuguesa explica e descomplica!



Colecção: Clube dos Curiosos
N.º de Páginas: 24/livro
Capa mole
PVP: 4,40€

Esta colecção desenvolve a compreensão progressiva das inter‑relações entre a Natureza e a Sociedade.
Os saberes são ampliados pela abordagem de temáticas essenciais que despertam o interesse das crianças, promovendo observadores activos, com capacidade para descobrir, experimentar e aprender.

Manual de actividades do Pré-Escolar
N.º de Páginas: 128
Capa mole
PVP: 14,60€

Na idade das primeiras descobertas, criar é tarefa fácil. Este livro vai acompanhando os pequenos traquinas nas suas criações ao longo das estações do ano, sugerindo actividades para os momentos mais especiais, como o regresso às aulas, as festas ou ainda as férias escolares... Especialmente concebidas para os pequenos artistas, com idades compreendidas entre os 3 e os 6 anos, estas divertidas realizações requerem materiais simples ou reciclados, de modo a proporcionar horas de diversão sem gastar muito dinheiro.
UmDóLiTá . 3-4 anos . 4-5 anos . 5-6 anos
Autora: Lucília Carvalho
N.º de Páginas: 156/livro
Capa mole
PVP: 9,50€

Uma colecção concebida para apoiar pais e educadores na prática educativa. Desenvolve, nas crianças dos 3 aos 6 anos, as competências organizadas em torno das orientações para a educação pré-escolar.

Civilização: Novidades para Outubro

A Civilização Editora edita este mês, entre outros títulos, duas obras internacionais imperdíveis.

A Última Noite em Twisted River é um romance de John Irving, escrito com autenticidade histórica e emocional. Uma história que abrange cinco décadas, retrata assim o último meio século nos Estados Unidos.

Absolutamente imperdível. Um conto emocionante, extremamente bem escrito da relação entre um pai e o seu filho. (Financial Times)




Heresia é o outro título que destacamos. Um thriller da autora S. J. Parris que conta as aventuras do monge Giordano Bruno que fugiu da Inquisição para a corte de Isabel I.

Um thriller histórico evocativo de uma época e bem escrito. (The Guardian)

Civilização publica em Outubro primeiro romance da trilogia de S. J. Parris

Heresia: um thriller histórico passado no pré-Iluminismo
Homicídios macabros nos pátios do Lincoln College, em Oxford, e um monge, mágico, cientista e herético para os resolver. Com uma acção que decorre em Inglaterra, em 1583, Heresy, o novo livro de S.J. Parris, com a chancela da Civilização Editora, é um romance histórico sobre um homem à frente do seu tempo: Bruno Giordano.

Considerado pelo The Guardian “um thriller histórico evocativo de uma época e bem escrito”, o novo livro de S.J. Parris recria – de forma ficcionada – a vida do monge e filósofo italiano, Bruno Giordano, um homem acusado de heresia pela Inquisição por defender teorias tão revolucionárias como a heliocêntrica de Copérnico. Segundo a autora de Heresy, o ter andado sempre em viagem, o facto de ser “um fugitivo sem paradeiro certo”, transformou-o “numa figura próxima das principais cortes da Europa”.
Bruno Giordano é uma “personagem fascinante, alguém com uma vida que conduz perfeitamente à ficção” sobre a qual Parris pretendia escrever desde os tempos de estudante, quando descobriu esta figura histórica. Para a escritora, a publicação deste “romance de homicídios misteriosos, como um quebra-cabeças, um policial” sobre uma figura perseguida – e, ao mesmo tempo, Iluminada – teve também por objectivo levar os leitores a interessarem-se por este período conturbado.
S. J. Parris é o pseudónimo de Stephanie Merritt. Nascida em 1974, colaborou como crítica e jornalista numa série de jornais e revistas (, incluindo The Times, the Daily Telegraph, the New Statesman, Arena e Die Welt), na rádio e na televisão. Escreve, desde 1998, para o The Observer.
Heresia é o primeiro livro de uma trilogia sobre as aventuras empolgantes do místico e herético Bruno Giordano.

Título: Heresia
Autor: S. J. Parris
Título Original: Heresy
Tradução: Isabel Baptista
Formato: 155 x 235 mm
Páginas: 448 pp.
Encadernação: Capa mole
Família: Literatura
Sub-família: Histórica
Colecção: Literatura
Preço PVP: 18,90 €
Lançamento: Outubro 2010

Sinopse:

A estreia do monge Giordano Bruno, mágico, cientista e herege, numa nova série de thrillers históricos para fãs de C. J. Sansom e da Inglaterra da época de O Nome da Rosa.
Inglaterra, 1583. Um país inundado pela paranóia e pela conspiração, mas um porto de abrigo para um monge radical em fuga. Giordano Bruno, com as suas teorias de astronomia, fugiu da Inquisição para a corte de Isabel I. Ali, atrai as atenções de Francis Walsingham, chefe dos espiões e inimigo dos conspiradores católicos. Bruno é infiltrado na Universidade de Oxford, que se crê ser um antro de dissidentes franceses. Rapidamente Bruno dá por si envolvido nas intrigas do colégio universitário e distraído por uma bela jovem. Pouco depois, começa a investigar uma série de assassinatos horríveis, relacionados entre si por cartas com pistas. As cartas sugerem que as vítimas eram culpadas de heresia. Mas estará Bruno a ser ajudado ou induzido em erro, ou será ele o próximo alvo? Perseguindo um assassino astuto e determinado pelos claustros sombrios de Oxford, Bruno apercebe-se de que nem sempre os sábios conseguem distinguir a verdade da heresia. Mas alguns estão prontos a matar por ela!

Imprensa Internacional:
“Um thriller histórico evocativo de uma época e bem escrito.”
The Guardian
“Parris entrelaça factos históricos e compreensão da psicologia humana quando Bruno, um humanista perigosamente avançado para o seu tempo, principia a sua demanda para acender as luzes do Iluminismo na Europa.”
The Times
“Uma história rica, sombria e absolutamente cativante, com um ritmo perfeito e povoada por um magnífico elenco de personagens.”
Mark Mills
“Fascinante… O período é incrivelmente realista e a história absolutamente cativante.”
Conn Igulden

Lançamento "Somos Todos Criminosos", de André Kuhn e Cândido da Agra - dia 11 de Outubro, às 18h, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da Universida

Novo livro de Daniel Silva nas novidades Bertrand para Outubro

Título: O Desertor
Autor: Daniel Silva
Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 448
PVP: 17, 95€
Nas livrarias a 8 de Outubro

Seis meses após o dramático final de As Regras de Moscovo, Gabriel Allon regressa à lua-de-mel com Chiara e ao restauro de uma peça setecentista do Vaticano. Mas a sua paz é efémera. De Londres chega a notícia de que Grigori Bulganov, espião e desertor russo que lhe salvou a vida em Moscovo, desapareceu sem deixar rasto. Nos dias que se seguem, Gabriel e a sua equipa travarão um duelo mortal com Ivan Kharkov, um dos homens mais perigosos do mundo. Confrontado com a possibilidade de perder a coisa mais importante da sua vida, Gabriel será posto à prova de maneiras inconcebíveis até então. E nunca mais será o mesmo. Com um enredo surpreendente e um conjunto de personagens inesquecíveis, O Desertor é o thriller mais explosivo do ano e o melhor livro de Daniel Silva até à data.

Imprensa Internacional:

«Pura e simplesmente o melhor» The Kansas City Star
«O livro perfeito» The Associated Press
«Daniel Silva é um ás da ficção de espionagem.» People
«Um dos maiores autores de espionagem americanos.» The Washington Post

Sobre o autor:
Daniel Silva foi jornalista e trabalhou para a UPI, primeiro em Washington e depois no Cairo, como correspondente para o Médio Oriente. Nesse período cobriu diversos conflitos políticos e a guerra Irão-Iraque. De volta aos Estados Unidos, foi produtor da CNN durante vários anos. Em 1997, logo após o êxito do seu primeiro livro, The Unlikely Spy, Daniel Silva resolveu dedicar-se por completo à escrita, tendo entretanto publicado diversos best-sellers mundiais. O Washington Post coloca-o «entre os melhores jovens autores norte-americanos de literatura de espionagem» e é com frequência comparado a Graham Greene e a John Le Carré. Vive em Washington D.C., com a mulher e os dois filhos.
www.danielsilvabooks.com


Título: Um Percurso
Autor: Tony Blair
Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 748
PVP: 34,95€
Nas livrarias a 1 de Outubro

Apenas um mês depois do lançamento internacional, chega a Portugal o livro que retrata na primeira pessoa o percurso de um dos políticos mais influentes da actualidade. UM PERCURSO é a narrativa em primeira mão dos anos que Tony Blair passou no Governo, e não só. Descreve aqui, pela primeira vez, o papel que teve na história recente, desde o rescaldo da morte da princesa Diana até à guerra contra o terrorismo. Revela as decisões de liderança que foram necessárias para reinventar o seu partido, as relações com colegas como Gordon Brown e Peter Mandelson, as difíceis negociações para a paz na Irlanda do Norte, as batalhas relativamente à educação e à saúde, a implementação das maiores reformas nos serviços públicos desde 1945 e as suas relações com líderes mundiais, de Mandela a Clinton, de Putin a Bush. Analisa a sua convicção na intervenção ética, que levou à decisão de ir para a guerra no Kosovo, na Serra Leoa, no Afeganistão e, a mais controversa de todas, no Iraque. Poucos primeiros-ministros britânicos influenciaram tão profundamente o rumo da nação quanto Tony Blair, e os seus feitos e legado serão debatidos durante anos. Entre os milhões de palavras escritas sobre ele, este livro é único: trata-se do seu próprio percurso, nas suas próprias palavras.

Sobre o autor:
Tony Blair nasceu em Edimburgo, em 1953, e ocupou o cargo de primeiro-ministro do Reino Unido entre 1997 e 2007. Aos 41 anos tornou-se o mais jovem líder do Partido Trabalhista britânico, tendo sido eleito duas vezes como chefe do governo britânico. Carismático e polémico, Tony Blair é sem dúvida uma das figuras mais influentes da História e da política dos últimos 50 anos.


Título: Vício Intrínseco
Autor: Thomas Pynchon
Chancela: Bertrand Editora
Género: Ficção Contemporânea
N.º de Páginas: 400
PVP: 17, 50€
Nas livrarias a 8 de Outubro

Em parte noir, em parte farsa psicadélica, protagonizado por Doc Sportello, detective privado, que de vez em quando se ergue de uma névoa de marijuana para assistir ao fim de uma era. Há já algum tempo que Doc Sportello não vê a ex-namorada. Mas um dia ela aparece com uma história acerca de um plano para raptar o milionário por quem por acaso se apaixonou. Esta ponta solta dos anos sessenta em Los Angeles é o mote para o livro, mas Doc sabe que o «amor» não passa de mais uma palavra que anda na moda, como trip ou «curte». Quando o milionário e a ex-namorada desaparecem de repente, Doc vai à procura de respostas e, embora lhe escapem imensas pistas (a marijuana não ajuda), lá consegue fazer algumas descobertas importantes, sobretudo a existência de uma estrutura mafiosa chamada Golden Fang.
Um livro inesquecível de um dos escritores mais influentes da actualidade.

Imprensa Internacional:
«Pynchon é um mágico» O Magazine, A Revista da Oprah
«Uma grande voz americana, única» Rolling Stone
«De uma inteligência inabalável» Boston Globe
«O génio dominante da literatura americana marginal» Telegraph
«O Deus escondido das letras modernas» Washington Post
«Sempre estranho, sempre divertido» Newsweek
«Diversão ao mais alto nível» Time
«Este é o mundo de Pynchon, e é brilhante» Library Journal

Sobre o autor:
Thomas Pynchon - É um autor de culto, algo misterioso pois não é fotografado nem aparece publicamente há 50 anos. Autor de livros como Gravity’s Rainbow, O Leilão do Lote 49, Vineland e Mason & Dixon é considerado uma das vozes mais influentes da actualidade, conquistou um National Book Award e está há mais de 30 anos na lista para o Prémio Nobel encontrando-se todos os anos entre os favoritos.


Título: Não há problema mesmo que o seu filho coma este livro
Autor: Lara Zibners
Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 296
PVP: 15, 50€
Nas livrarias a 8 de Outubro

Sempre num tom divertido e muito prático, a doutora Lara Zibners esclarece neste livro todas as questões e problemas que afligem os pais com crianças pequenas. Assim, antes de pegar na lista telefónica para ligar ao pediatra, consulte o índice deste livro e veja como pode resolver os pequenos problemas funcionais do seu bebé. Sabia que, mesmo que o seu filho comesse as pedrinhas do fundo do aquário, não precisaria de recorrer ao Serviço de Urgência? Como pediatra do Serviço de Urgência, a doutora Lara Zibners já viu de tudo. Dedicou os seus cuidados a muitas dos vinte e cinco milhões de crianças norte-americanas que dão entrada todos os anos no Serviço de Urgência – mais de 75% sem necessidade. Esta obra, Não Há Problema!... Mesmo que o Seu Filho Coma Este Livro, explica quando é que os pais têm de passar à acção e quando é que simplesmente devem voltar para a cama e chamar o médico na manhã seguinte. Desde «As Fraldas» até «A Cabeça e o Sistema Nervoso», a doutora Zibners percorre todas as partes do corpo e oferece conselhos sensatos (sabia, por exemplo, que o azeite das saladas é um remédio que dissolve a Super Cola entre partes do corpo?), mantendo sempre um tom divertido e mesmo hilariante. À pergunta «E se a criança sufocar no seu vómito?», a doutora Zibners responde que isso não acontece a uma criança saudável, a não ser que esteja «a cair de bêbeda ou pedrada com os comprimidos de dormir da avó». Nem todas as crianças moram ao lado de um pediatra com experiência do Serviço de Urgência. Mas um livro como este é a segunda melhor coisa que lhes podia acontecer.
Sobre a autora:
Apesar de ter obtido uma nota negativa em Biblioteconomia, aos dez anos de idade, a doutora Lara Zibners perseverou nos seus estudos académicos, vindo a licenciar-se com distinção na Faculdade de Medicina da Universidade Estatal de Ohio. Fez depois um estágio em Pediatria e ganhou uma bolsa de estudo para se especializar em Urgência Médica Pediátrica no Hospital Nacional Infantil de Columbus, Ohio, sendo actualmente diplomada em Pediatria Geral e em Urgência Pediátrica. Depois de terminar a sua formação, foi chamada para o lugar de professora assistente de Urgência Médica Pediátrica no Hospital Monte Sinai, em Nova Iorque. Vive actualmente em Londres, dividindo a sua actividade profissional como escritora, conferencista e pediatra no Serviço de Saúde entre Londres e Nova Iorque. Pode visitar o seu site em www.drzibners.com


Título: Bipolar - Memórias de Extremos
Autor: Terri Cheney
Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 224
PVP: 16, 50€
Nas livrarias a 8 de Outubro

Terri Cheney era uma mulher atraente e advogada de sucesso na área do entretenimento em Beverly Hills. Contudo, por detrás dessa fachada perfeita, residia um segredo perigoso: durante grande parte da sua vida lutou contra um distúrbio bipolar debilitante e escondeu a enorme quantidade de estabilizadores de humor que a tornavam «normal». Em explosões de prosa que espelhavam os altos e baixos devastadores da sua doença, Cheney descreve a sua vida com uma honestidade chocante: desde as festas glamorosas até à noite na prisão; desde a electroconvulsoterapia até à tentativa de suicídio entre tequila e comprimidos. Em Bipolar, Cheney dá voz à loucura incoerente que sofreu. Aqui, os acontecimentos desenrolam-se episodicamente, de humor em humor, da forma que viveu e de como se lembra da vida. O leitor consegue, assim, experienciar visceralmente as incríveis acelerações e altos da mania e os baixos esmagadores da depressão, tal como a autora os viveu. Bipolar não se limita a explicar o distúrbio bipolar; conduz-nos na história da luta constante pela sobrevivência e, simplesmente, não conseguimos parar para respirar. Este livro angustiante e, contudo, esperançoso é muito mais do que apenas uma confissão cauterizadora do que é, efectivamente, viver com a bipolaridade – é um testamento da incrível beleza de uma vida vivida nos extremos.

Sobre a autora:
Terri Cheney é especializada em Direito de Propriedade Intelectual e Entretenimento em várias empresas importantes de Los Angeles, onde, durante dezasseis anos da sua carreira, representou clientes célebres como Michael Jackson e Quincy Jones, assim como grandes estúdios cinematográficos, incluindo a Universal Studios e a Columbia Pictures. Actualmente, dedica-se à causa da doença mental. É membro da Community Advisory Board da UCCLA Mood Disorders Research Program, e membro fundador do grupo de apoio do Instituto de Neuropsiquiatria da UCCLA. Vive em Los Angeles.
quinta-feira, 30 de setembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Guerra & Paz edita obra inédita de Boris Vian com ilustrações de Pedro Vieira

Título: Escritos Pornográficos
Autor: Boris Vian
Ilustração: Pedro Vieira
Tradução: Rita Sousa Lopes
Nº de páginas: 96
Género: Colecção «Três Sinais» / Ficção
Preço: 17,00€
Saída: 30 de Setembro


A primeira tradução portuguesa de Escritos Pornográficos chega esta semana às livrarias. Com ilustrações de Pedro Vieira, esta obra expõe a «Liberdade» – título de um dos textos – de amar sob todas as formas, da dimensão carnal do amor, que revela as suas luzes e sombras.
Esta obra reúne diversos textos, irreverentes e com um apurado sentido de humor, em prosa e poesia, e é precedida de um ensaio sobre a «Utilidade de Uma Literatura Pornográfica».
Cinquenta anos depois da morte de Boris Vian, a Guerra & Paz reinventa um dos livros mais originais do provocador autor que, ainda hoje, inspira e cria polémica.

«Sexualmente, quer dizer, com a minha alma.»
Boris Vian

Sobre o autor:
Boris Vian (1920 – 1959) nasceu em Ville d'Avray, e ao mesmo tempo que foi escritor, foi também músico, cantor, tradutor, actor, inventor e engenheiro. Um dos escritores franceses mais importantes do século XX, deixou-nos uma vasta obra que inclui poesia, romances, contos, entre outros.
quarta-feira, 29 de setembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Convite Vogais & Companhia: Convite- O Regício e a República - Apresentação Fnac Colombo; Fnac Vasco da Gama; e Fnac Cascais

Porto Editora lança brevemente "Matteo perdeu o emprego", de Gonçalo M. Tavares

«O atractivo era este: em redor de uma rotunda ninguém volta atrás, ninguém se engana, ninguém tem de assumir o erro e fazer inversão de marcha. A vida, apesar de tudo, é fácil. Numa rotunda.»

BOOKSMILE:" Ripley's Acredite se Quiser! - Ver Para Crer" vai levar a sua imaginação e a credulidade ao limite!

O livro “Ripley’s Acredite se Quiser: Ver Para Crer” (Ripley’s Belive It or Not!) tem vendido milhões de exemplares em todo o mundo desde o seu lançamento em 2005, e chega agora a Portugal pela mão da BOOKSMILE.

Neste álbum, 256 páginas com fotografias a cores retratam milhares de factos bizarros e histórias inacreditáveis que vão levar a imaginação e a credulidade das pessoas ao limite! Robert Ripley foi uma das pessoas mais famosas da primeira metade do século XX.
Cartoonista, repórter, aventureiro e incansável explorador, Ripley percorreu mais de 200 países na demanda por factos bizarros e insólitos e atrás das mais incríveis histórias e pessoas.
Foi um homem cuja vida se pode resumir no slogan criado por ele próprio: Acredite Se Quiser!

Ripley faleceu como viveu… rodeado de circunstâncias estranhas. Aos 58 anos, o cartoonista morreu no decorrer da filmagem do 13.º episódio da sua série de televisão, o qual abordava o tema da morte e os seus diferentes rituais.
O trabalho de uma vida, as histórias que viveu e os objectos que coleccionou são a base daquele que é hoje o mundo Ripley’s. Os seus famosos cartoons, traduzidos em 17 idiomas e publicados em 42 países, ainda são publicados e lidos por mais de 80 milhões de pessoas. Muitas das descobertas documentadas pela vasta equipa Ripley’s, fiel ainda hoje à sua filosofia, podem ser vistas e admiradas nos 85 museus e aquários espalhados por 11 países, mas também nas páginas deste livro.

O livro já se encontra à venda em todo o país e promete ser um dos livros sensação do Natal.
terça-feira, 28 de setembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Sextante Editora publica "A Cidade do Homem", um retrato da época das luzes

Título: A Cidade do Homem
Autor: Amadeu Lopes Sabino
N.º de Págs.: 566
Capa: mole
PVP: 18.50 €

A Cidade do Homem, o novo romance de Amadeu Lopes Sabino, leva-nos ao século XVIII em Portugal e no Brasil A Sextante Editora acaba de publicar o mais recente livro de Amadeu Lopes Sabino, intitulado A Cidade do Homem. Neste romance regressamos ao século XVIII português e brasileiro através da biografia de António Dinis da Cruz e Silva, autor de O Hissope, a famosa sátira à querela protocolar entre o bispo e o deão da Sé de Elvas.
Este livro tem a particularidade de estar escrito segundo o Novo Acordo Ortográfico e inclui um conjunto de ilustrações que vão complementando a narrativa. A apresentação deste romance está marcada para o dia 21 de Outubro, na livraria Bulhosa de Entrecampos.

O enredo

Romance, ficção documentada, relato das errâncias de um narrador europeu do século XXI através do universo mental do iluminismo, A Cidade do Homem é a biografia imaginada de António Dinis da Cruz e Silva (1731-1799), magistrado e poeta árcade que viveu, trabalhou e poetou em Portugal e no Brasil. Participante ativo nas polémicas que, durante o consulado de Pombal, agitaram o Reino e a Europa, foi juiz militar em Elvas e autor de O Hissope, sátira à querela protocolar entre o bispo e o deão da Sé da cidade alentejana. Presente desde o início no imaginário do protagonista, o Brasil torna-se o cenário da narrativa com a transferência de Cruz e Silva para a Relação do Rio de Janeiro em 1776. A partir desse ano, servidor da Justiça e de Apolo, julgou e poetou nas capitanias do Sul, sobretudo em comarcas do Rio e de Minas, privando com os juristas e árcades locais. Em 1792, seria membro do tribunal que julgou e condenou na capital do Brasil os inconfidentes mineiros, entre eles os seus companheiros mais próximos nas lides judiciais e na poesia. Numa digressão através da História e das ideias em busca da polis racional, A Cidade do Homem centrase na condenação dos conspiradores à morte ou ao degredo, evocando uma época que, na Europa, em Portugal e no Brasil nas vésperas da independência, prenunciou os antagonismos e as hecatombes do nosso tempo.

Sobre o autor:
Amadeu Lopes Sabino, nascido em Elvas em 1943, ocupa um lugar singular na literatura portuguesa contemporânea: romancista e novelista da expatriação e dos exílios, exteriores e interiores, a sua obra é muitas vezes uma evocação da sua vivência no estrangeiro, «amarga como muitas, mas, como poucas, libertadora», no dizer de Eduardo Lourenço, no prefácio a Identidades fugidias. Com uma escrita marcada «pela agilidade da narração e por um requintado hedonismo» (António José Saraiva e Óscar Lopes, in História da literatura portuguesa), Amadeu Lopes Sabino é autor de uma obra que Álvaro Manuel Machado, no seu Dicionário de literatura portuguesa, carateriza como «uma irónica interrogação sobre o passado dito glorioso de Portugal e, simultaneamente, um pendor autorreflexivo, cosmopolita e quase autobiográfico».
Principais obras: Após Aljubarrota (Centelha, Coimbra, 1978); O cavaleiro cego (A Regra do Jogo, Lisboa, 1982); O retrato de Rubens (D. Quixote, Lisboa, 1985); A capa escarlate (Presença, Lisboa, 1989); Novelas imperfeitas (Quetzal, Lisboa, 1991); A homenagem a Vénus (Presença, Lisboa, 1997); A Lua de Bruxelas, (Campo das Letras, Porto, 2000); Vidas apócrifas (D. Quixote, Lisboa, 2005).

Sextante Editora - Don DeLillo recebe Prémio PEN/Saul Bellow com POINT OMEGA

Don DeLillo acaba de receber o Prémio PEN/Saul Bellow 2010 para ficção com o romance Point Omega, que será publicado pela Sextante Editora em 2011.
A Sextante Editora tem já publicados três outros romances deste conceituado autor americano: O Homem em Queda (Novembro 2007), Ruído Branco (Outubro 2009) e Submundo (Abril 2010).

Sobre o prémio atribuído a Point Omega:
«Este é um livro maravilhoso – o mais surpreendente e estruturalmente brilhante que DeLillo escreveu. Alentando e examinando, frame a frame, o vídeo violento de alta velocidade em que o nosso mundo está impresso, DeLillo penetra mais profundamente no mistério da nossa mortalidade do que qualquer um de nós pensaria ser possível fazer. A sua longa e brilhante carreira está contida neste livro de forma intensa e emocionante.» - Jonathan Franzen

«DeLillo previu, analisou, encomendou mesmo, os tempos espantosos em que vivemos. Fechou o século XX com Submundo e ainda é capaz da audácia acrobática de estar à frente no seu tempo. Point Omega tem a qualidade vertiginosa de o fazer – meses depois de o ter lido ainda corta o tempo, ainda encanta, ainda ressoa e me força a voltar ao essencial. É um livro que nos tira a pele, que canta nas profundidades, nos limites da crueza…» Colum McCann

Ler no Chiado com José Luís Peixoto

José Luís Peixoto abre literalmente o “Livro” na próxima “Tertúlia Ler no Chiado”

Como o rapaz de uma aldeia alentejana se transformou, no espaço de uma década, num fenómeno literário?

As conversas à volta dos livros continuam no Chiado todas as primeiras quintas-feiras de cada mês. A marcar a rentrée das “Tertúlias Ler no Chiado”, Anabela Mota Ribeiro convida José Luís Peixoto a abrir literalmente o “Livro”, no dia 7 de Outubro, pelas 18h30, na Livraria Bertrand do Chiado. O que anda a ler e, sobretudo, o que o inspira serão a base da conversa com o rapaz oriundo de uma vila alentejana que, no espaço de uma década, se transformou num fenómeno literário. “Livro” é o título da mais recente obra de José Luís Peixoto, que aborda a História recente de Portugal, acontecimentos dos últimos 50 anos, com destaque para a vaga de emigração para França, uma aventura que milhões de portugueses empreenderam em busca de uma vida melhor. As “ Tertúlias Ler no Chiado” são uma iniciativa da parceria Bertrand Livreiros e Revista LER.

Booksmille: Vem aí a paródia do ano - O Diário de um Vampiro Banana

O Diário de um Vampiro Banana: a paródia mais divertida do ano.
Um livro, publicado pela BOOKSMILE que irá conquistar os fãs de Twilight e todos aqueles que devoraram a série Diário de Um Banana. Tansos e totós, bananas e vampiros há muitos, mas Nigel é único.


Nigel Mullet é o primeiro vampiro banana da História: fracote, desajeitado e pouco popular na sua escola. Transformado aos 15 anos, o Nigel vai permanecer com esta idade para sempre, obrigado a lidar com os eternos problemas da adolescência: acne, voz de valsete e total falta de jeito para as raparigas. Neste seu hilariante diário, o Nigel escreve pequenas crónicas sobre as suas desesperadas tentativas de captar a atenção do amor da sua vida, Chloe; do constante embaraço causado pelos seus pais vampiros (que por vezes tentam morder os seus amigos) e de como é injusto estar morto há mais de 80 anos e nunca ter tido uma namorada.


Debatendo-se com o seu constante e confuso desejo de afundar os caninos no pescoço de Chloe, será que o Nigel vai conseguir conquistar a sua miúda? Esta será, provavelmente, a paródia mais divertida do ano. Um livro que irá conquistar os fãs de Twilight e todos aqueles qu devoraram a série Diário de Um Banana. Tansos e totós, bananas e vampiros há muitos, mas Nigel é único.

«“Vou fazer um século este ano e por isso achei que estava na altura de ter um diário. Mas lá porque eu disse que vou fazer 100 anos, não me imaginem como um velho jarreta. Se me vissem, dar-me-iam 15 anos, já que foi com essa idade que fui transformado num vampiro pelas pessoas a quem chamo pais. Transformaram-me ao mesmo tempo que à miúda a quem chamo irmã, numa altura em que lhes apeteceu formar uma família. E acham que eles me pediram a opinião acerca do assunto? Claro que não!”»

Um adolescente confuso com a sua existência que irá debater-se entre as suas necessidades de vampiro e os ideais românticos. Os seus deliciosos pensamentos e peripécias diárias vão deixar os leitores emocionados e, simultaneamente, a rir às gargalhadas.

Tim Collins é o autor deste hilariante diário que lembra a panóplia de desventuras vividas por Adrian Mole na sua turbulenta passagem pela adolescência, e o universo vampírico dos livros de Stephenie Meyer. As ilustrações de Andrew Pinder completam de forma perfeita este diário, no qual vai sentir ser impossível não ter pena de Nigel. É que os mortos-vivos também se apaixonam!.


A tradução é de Dulce Afonso e a revisão de José João Leiria.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Passatempo "A Queda dos Gigantes"

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a Editorial Presença, tem para oferecer 1 exemplar do livro deKen Follett, A Queda dos Gigantes.

Regras do Passatempo:
- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 3 de Outubro.
-
Para participarem terão de responder acertadamente às três perguntas presentes no formulário abaixo.
- O premiado será sorteado aleatoriamente e o seu nome
será publicado neste blogue e o mesmo será avisado por email.
- Só serão permitidas participações a residentes em Portugal e apenas uma por participante e residência.


As respostas poderão ser facilmente encontradas aqui


Sextante Editora - Campanha de celebração do centenário da República

A Sextante Editora decidiu juntar-se às celebrações do centenário da República e reuniu um conjunto de livros de ficção e não ficção que têm como pano de fundo a queda da Monarquia e a instauração da República portuguesa. Indispensáveis para qualquer leitor interessado ou estudioso, estes livros têm vindo a complementar o grande acervo de edições sobre este tema que ocorreram nos últimos dois anos.
Fazem parte desta campanha A Revolução portuguesa 1907-1910, de Machado Santos, 1908 – Um olhar sobre o Regicídio, de Margarida Ramalho, As cidadãs, de Filomena Marona Beja, A crise da República e a Ditadura Militar, de Luís Bigotte Chorão, Cinco de Outubro, de Lourenço Pereira Coutinho e E AGORA? Por uma nova República, de Manuel Maria Carrilho.

A Revolução portuguesa 1907-1910
«Escrito pouco depois do Cinco de Outubro e publicado em 1911, o famoso relatório de Machado Santos intitulado A Revolução Portuguesa constitui, sem dúvida, uma das fontes fundamentais para a história da Revolução Republicana, especialmente para a narrativa dos factos ocorridos entre a noite de 3 de Outubro e a manhã do próprio dia 5. Desde logo porque o seu autor é unanimemente reconhecido como o actor principal no teatro das operações, a partir do momento em que tomou a decisão de resistir na Rotunda com um punhado de escassas centenas de militares e alguns civis, quando tudo parecia já perdido para as forças republicanas.» António Reis
Edição: Outubro 2007
PVP: 17.00 €
Género: Não Ficção

1908 – Um olhar sobre o Regicídio

A 1 de Fevereiro de 1808, Junot declarava pomposamente, em Lisboa, que a partir desse dia a casa de Bragança deixaria de reinar em Portugal.
Como uma maldição, nesse mesmo dia, cem anos depois, o rei D. Carlos e D. Luís Filipe eram abatidos a tiro no Terreiro do Paço, por Alfredo Costa e Manuel Buiça. Naquela tarde «morna e diáfana», como a descreveu Raul Brandão, não morriam só um rei e um príncipe, desaparecia também a esperança de conservar a monarquia.
Os dados estavam lançados e dois anos e oito meses depois implantava-se a República.
Edição: Fevereiro 2008
PVP: 10.00 €
Género: Não Ficção

As cidadãs

Na alvorada do século XX, eis o retrato de Júlia, uma mulher excepcional cuja vida acompanha as convulsões do fim da monarquia. Uma vida profundamente ligada à situação social e política de Portugal e, em particular, à condição da mulher na sociedade portuguesa da época, através do seu empenho republicano e da sua consciência de cidadã.
Edição: Janeiro 2009
PVP: 16.00 €
Género: Ficção

A crise da República e a Ditadura Militar
Importante estudo sobre o fim da Primeira República e a Ditadura Militar que abriu a porta ao Estado Novo. Extratexto de 32 páginas a cores, com iconografia de relevo da época
Edição: Agosto 2010 (2ª Edição)
PVP: 29.50 €
Género: Não Ficção

Cinco de Outubro

Junho de 1910: D. Manuel II enfrentava nova crise governamental, após a queda do ministério Veiga Beirão. Entretanto, revolucionários e carbonários organizavam reuniões desencontradas, para o derrube da monarquia. Cinco de Outubro acompanha os percursos dos principais protagonistas da época – D. Manuel II, Teixeira de Sousa, Paiva Couceiro, Afonso Costa, Machado Santos –, que se cruzam com personagens ficcionados, numa narrativa de intensidade crescente que culmina nos dias da revolução republicana: 3, 4 e 5 de Outubro.
Edição: Janeiro 2010
PVP: 16.00€
Género: Ficção

E AGORA? Por uma nova República

Os problemas que antes se adivinhavam, e que infelizmente foram escamoteados, são hoje incontornáveis. Analisando-os, Manuel Maria Carrilho avança com várias propostas, defendendo uma visão do País e do seu futuro centrada na urgente qualificação do território, das instituições e das pessoas que lance as bases de uma Nova República.
No meio de uma crise que torna a intervenção pública um imperativo de cidadania, este livro procura, num registo simultaneamente político e pedagógico, estimular um debate fundamental sobre os problemas do nosso tempo e do nosso País.
vasta obra, publicada em Portugal e no estrangeiro.
Edição: Setembro 2010
PVP: 16.50 €
Género: Não Ficção

Caderno: Roberto Saviano, autor de Gomorra, está de volta com novo livro

Este livro é a história do “Pulga”, mas também de Miriam Makeba, que um dia foi cantar para Saviano – para ele, por ele, e por todos os filhos da Mãe África que morrem às mãos manchadas de sangue e de culpa; ou ainda a história de Anna Politkovskaia, outra jornalista sem medo, morta porque não havia outra maneira de a silenciar. São os rostos da beleza, as vozes da liberdade, o que resta no mundo cada vez mais fechado de Saviano. São as suas histórias desde que foi condenado à morte, as palavras que consegue pôr cá fora, o que ainda lhe é permitido ver, ouvir e dizer, todo o horror e poesia que existem entre A Beleza e o Inferno.

Sobre o autor:
Roberto Saviano nasceu e cresceu em Nápoles, onde começou uma brilhante carreira como jornalista. Infiltrado na Máfia napolitana, publicou em 2006 o aclamado best-seller internacional Gomorra.

O sucesso do livro, porém, rapidamente se tornou num pesadelo – desde então o autor, perseguido pelos mafiosos que denunciou, viu-se obrigado a viver na clandestinidade, sob protecção policial. Saviano escreve para L’espresso e La Repubblica de Itália e para diversos jornais estrangeiros como o Times, El País, Die Zeit, Expressen e Washington Post.

Além de Gomorra, em 2008, a Caderno publicou, do mesmo autor, O Contrário da Morte (2009).



Clube do Autor lança primeiros livros - Novo romance de Mário Zambujal e "fenómeno Kanikosen" chegam em Outubro

A chegada dos primeiros livros do Clube do Autor às livrarias nacionais, a 7 de Outubro, marca oficialmente o arranque do novo projecto editorial liderado por João Gonçalves. Dama de Espadas – Crónica dos Loucos Amantes, de Mário Zambujal, e Kanikosen – O Navio dos Homens, de Takiji Kobayashi, um fenómeno literário que está a conquistar a Europa, são as primeiras apostas da nova editora.
Com estes dois primeiros títulos, o Clube do Autor inicia a construção de um catálogo que se pretende generalista, constituído por autores nacionais e estrangeiros, na área da ficção e não ficção, e, numa primeira fase, vocacionado para o público adulto.

Dama de Espadas – Crónica dos Loucos Amantes, de Mário Zambujal, o escritor que ao longo dos anos tem conquistado várias gerações de leitores é uma obra singular sobre as conturbadas relações entre homens e mulheres, um livro bem-humorado e despretensioso, escrito no registo único e inconfundível inaugurado com a Crónica dos Bons Malandros.

De Takiji Kobayashi, Kanikosen – O Navio dos Homens, é um clássico japonês convertido em bestseller internacional com mais de 1.600.000 exemplares vendidos só no Japão. Classificado pelo Le Monde des Libres como “uma obra-prima”, Kanikosen surpreende pela actualidade do tema (a precariedade laboral e as inevitáveis consequências sociais) e pela força e crueza do relato.

Ambos estão disponíveis nas livrarias a partir de 7 de Outubro.

Livros d'Hoje: Jorge Gabriel escreve O Livro dos Avós

Título: O Livro dos Avós
Autor: Jorge Gabriel
Editora: Livros d’Hoje
N.º Páginas: 260
Preço: 14,95 €
ISBN: 978-972-20-4323-6
1ª Edição: Setembro de 2010

Sinopse:
Este livro, da autoria do famoso apresentador de televisão Jorge Gabriel, conhecido por ser um apaixonado pelos Avós, é uma colectânea de divertidos jogos com ilustrações e diversas histórias, para que possa partilhar em família, e acima de tudo, é o livro que permite que todos os avós possam passar tempo de qualidade com os seus netos.

Sobre o autor:
Jorge Gabriel foi o apresentador do programa semanal «Roda dos Milhões», da SIC. Durante muito tempo a sua grande paixão foi a rádio. Começou em 1984, no "Musicomania", na Antena 1. Mais tarde entra para o desporto da Comercial e colabora no desporto da TSF. Em 1992, foi seleccionado para jornalista de desporto da SIC. Começa a colaborar no concurso "Donos do Jogo", integrado no programa diário "Donos da Bola", onde chegou a apresentador. Em 2003, apresenta "O Preço Certo em Euros", a gala "Pirilampo Mágico" e participa como actor na série "A Minha Sogra é Uma Bruxa". E até 2004 é o rosto do "Quem Quer Ser Milionário”. Torna-se imagem de diversas campanhas publicitárias e vence o Globo de Ouro para melhor apresentador. Em 2005 integra o trio de comentadores do programa "Trio de Ataque", apresenta o concurso "O Cofre" e o programa "Música no Ar". Entre 2007 e 2008 apresenta os concursos "Sabe Mais Que Um Miúdo de 10 anos" e "Quem Quer Ser Milionário". Em 2010 conduz o concurso "O Cubo". Desde 2002, diariamente, apresenta o programa das manhãs da RTP "Praça da Alegria” com Sónia Araújo.