sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Para ti - Luísa Castel-Branco [Opinião]


Título: Para ti
Autor: Luísa Castel-Branco
Editora: Clube do Autor
N.º de Páginas: 220
PVP: 15,95€

Sinopse:
Luísa Castel-Branco, jornalista e apresentadora de televisão, tornou-se reconhecida como escritora pela sua sensibilidade e profundo conhecimento das relações humanas. Uma mulher que revela na sua escrita uma grande riqueza interior e cultural, marcada ainda pela sinceridade das introspecções, e atenta contemplação do mundo, revelando um permanente deslumbre perante a vida e as pessoas que cruzam os nossos caminhos.

A minha opinião:
Ao contrário dos dois anteriores livros publicados por Luísa Castel-Branco, Para ti é um livro de contos. Contos que falam do quotidiano, dos desgostos, das alegrias, pelas quais qualquer pessoa passa. São sobretudo contos contados no feminino e que identificam muitas mulheres, senão a maioria, das mulheres portuguesas.
Mulheres que trabalham, que amam os seus maridos e que tudo fazem para os agradar, que amam mais do que tudo os seus filhos, que amam a vida, mas que trazem conseguem também tristeza. Tristeza de saudades passadas, de momentos vividos, de situações passageiras ou então que se prolongam no tempo.
Desta autora li apenas Alma e os Mistérios da Vida embora tenha na minha estante a aguardar leitura o seu segundo romance Não Digas a Ninguém. Confesso que gosto mais do registo de romance do que de contos, mas pela sua leitura simples e abrangente dos problemas e alegrias de uma vida, aliadas à excelente capa que chama a atenção em qualquer livraria, é um excelente título para oferecer ou ler a pessoas que gostem do género.

Novidades Presença brevemente em passatempo

Título: e depois do amor
Autor: Ray Kluun
Título Original: De Weduwnaar
Tradução: Miguel Romeira
Páginas: 304
Colecção: Vidas d' Escritas n.º 13
PVP: 16,90€

Sequela do bestseller Love Life - De coração aberto com mais de 1 milhão de exemplares vendidos na Europa

Após a morte prematura da mulher, Dan entra numa espiral descendente e autodestrutiva. Abandona o trabalho e entrega-se ao álcool e à vida boémia de Ibiza e Amesterdão. É só quando bate no fundo que Dan compreende que tem de alterar drasticamente o rumo da sua vida e investir na relação com Luna, a filha de três anos. Juntos, fazem uma longa viagem de autocaravana pela Austrália que se revelará fundamental para a sua aproximação. Despretensioso e divertido, este romance autobiográfico, que é a sequela de Love Life – de Coração Aberto, toca-nos profundamente pela empatia que nos suscita o protagonista, um pai viúvo que procura a todo o custo recuperar o controlo da sua vida.

Sobre o autor:
Ray Kluun nasceu em 1964 e trabalhou durante vários anos em publicidade. Em 2001 a sua mulher morreu de cancro e algum tempo depois Ray foi viver com a filha para a Austrália, onde escreveu Love Life – De Coração Aberto. Esta sua estreia como escritor tornou-se um dos maiores fenómenos literários na Holanda, país onde vendeu mais de 500 000 exemplares, tendo os direitos sido adquiridos por cerca de 30 países. Figurou durante mais de 70 semanas nas listas de bestsellers. A sua sequela, E Depois do Amor, vendeu já mais de um milhão de exemplares em todo o mundo.


Título: Descobri um esconderijo!
Autor: Maria Teresa Maia Gonzalez
Ilustrações: Rafaello Bergonse
N.º de Páginas: 56
Colecção: Arca do Tesouro N.º 25
PVP: 9,90€

Sabias que cada bicho tem a sua casa, o seu esconderijo? E que lugares tão diferentes e extraordinários! Queres ver? Há animais misteriosos que vivem no fundo do mar, outros que passam toda a sua vida no deserto. Alguns preferem morar nos troncos das árvores velhas, outros, porém, são grandes engenheiros e constroem a sua casa à beira-rio. E há ainda umas minúsculas criaturas que fazem de uma bela flor o seu lar! Vem surpreender os nossos amigos do Reino Animal nos seus esconderijos!

Sobre a autora:
Maria Teresa Maia Gonzalez é uma das autoras mais consagradas da literatura infanto-juvenil em língua portuguesa. A Presença tem vindo a publicar as suas obras mais recentes, entre as quais se contam Voa Comigo!; Boas Férias, Miguel!, A História dos Brincos de Penas; Margarida na Lua; A Menina Que Voava ou Um Sonho de Presente.

Sobre o ilustrador:
Rafaello Bergonse nasceu em Lisboa em 1978. Estudou ilustração no AR.CO. Divide-se entre a ilustração e a escrita de livros infantis e a Geografia, a sua outra grande paixão. Tem diversas obras publicadas no âmbito da literatura infanto-juvenil, sendo autor e ilustrador de sete.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Um amor imenso - Danielle Steel [Opinião]


Título: Um amor imenso
Autor: Danielle Steel
Chancela: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 360
PVP: 16,95€

Sinopse:
No regresso de uma maravilhosa viagem de noivado a bordo do Titanic com os pais e o namorado, Edwina passa, numa noite, de jovem e feliz noiva com uma vida risonha pela frente a mulher que carrega o pesado luto pelos pais e pelo homem que ama, bem como a responsabilidade de criar os cinco irmãos mais novos, deixados órfãos pela catástrofe.
Vergada prematuramente pelo peso do desgosto e das responsabilidades, Edwina nem pensa na hipótese de voltar a apaixonar-se e evita cuidadosamente qualquer envolvimento amoroso durante doze longos anos.
No entanto, à medida que cada um dos irmãos encontra o rumo que o leva ao sucesso e à felicidade para destinos tão vários como Hollywood ou a Europa, Edwina vai começando finalmente a libertar-se do peso opressivo e dos fantasmas que a assombram desde aquela fatídica noite e descobre que a vida pode ser bem mais alegre do que alguma vez imaginou.

A minha opinião:
Danielle Steel soube aproveitar, e a meu ver bem, a trágica história do até então maior navio do mundo, o Titanic, e fazer um fantástico romance. De facto, seis das principais personagens viriam a sobreviver daquele que na altura se diziam ser inafundável fazendo-nos seguir as suas vidas durante e após a catástrofe.
Edwina, e a sua família, tinha viajado até Inglaterra para comunicar aos seus tios, Liz e Rupert, o seu casamento com Charles, que se realizaria em Agosto de 1912. Nessa viagem, o próprio noivo também esteve presente e estaria igualmente a bordo do Titanic aquando do seu naufrágio, na viagem de regresso aos Estados Unidos, após a estada deles em Londres. Juntamente com o futuro casal viajaria toda a família de Edwina, os seus cinco irmãos, e os seus pais. Edwina via no amor dos pais um exemplo para o seu futuro ao lado de Charles e na própria noite do naufrágio fariam juras de amor e sonhavam com o casamento que se realizaria daqui a poucos meses.
No entanto, o naufrágio do maior navio de passageiros do mundo viria mudar completamente a vida da jovem Edwina: os pais e o seu amado noivo sucumbiriam ao naufrágio deixando a Edwina a educação dos seus cinco irmãos.
E de facto, com tal desgosto, Edwina decide abdicar da sua vida pessoal e afectiva para se dedicar por inteiro à educação dos seus irmãos, alguns deles ainda bastante pequeninos.
Depressa vê que é muito difícil educar crianças e jovens irmãos, principalmente para uma jovem mulher de 21 anos com é Edwina, mas esta mostra-se sempre uma personagem bastante forte ao longo de todo o romance. No entanto, guarda sempre o rancor por a sua própria mãe ter preferido morrer juntamente com o seu pai, recusando entrar num bote que lhe poderia ter salvado a vida, a pensar no futuro dos seus filhos, depositando, assim, tamanha responsabilidade numa jovem.
Apesar de tudo, o futuro vai reservar-lhe uma felicidade nunca esperada. No sítio onde ela nunca poderia pensar que podia acontecer, conhece novamente o amor, que lhe abre caminho para uma felicidade eterna, muito ao jeito dos romances de Steel.

Um pouco de história:
Dispondo das mais avançadas tecnologias para a época tendo sido referenciado como “inafundável”, o Titanic, o maior navio de passageiros do mundo, afundar-se-ia na madrugada de 15 de Abril de 1912, duas horas e quarenta minutos após ter chocado com um iceberg, em pleno Oceano Atlântico.
O naufrágio resultaria na morte de 1523 pessoas, hierarquizando-a como uma das piores catástrofes marítimas de todos os tempos. Tal se deveu, além da muita confiança da tripulação, ao facto de a bordo apenas existirem 16 botes salva vidas de madeira, o mínimo permitido pelas leis da época, e mais quatro desmotáveis, que acomodariam cerca de 52% das pessoas a bordo.
O Titanic prosseguiria para Nova Iorque com 2.240 pessoas a bordo, entre as quais algumas das pessoas mais proeminentes do mundo como o Benjamin Guggenheim; Isidor Straus, proprietário da Macy's e sua esposa; a milionária de Denver, Margaret "Molly" Brown; o assessor presidencial norte-americano Archibald Butt; a autora e socialite Helen Churchill Candee; o autor Jacques Futrelle, sua esposa May e os seus amigos, os produtores da Broadway Henry e Irene Harris; a actriz de filme mudo Dorothy Gibson.
Às 23h40, foram avistados por dois vigias do mastro uma sombra mais escura que o mar que se viria a revelar ser um enorme iceberg existente na direcção do navio. Por fracas indicações dadas, o navio viria a embater no iceberg começando assim a afundar.
Pelas 0h01 do dia 15 de Abril, o Comandante Smith dirige-se à cabine de telégrafos e imite um pedido de SOS: "SOS. Abalroamos um Iceberg. Afundamento rápido. Venham ajudar-nos". O navio de passageiros RMS Carpathia, da "Cunard Line", estava a quatro horas de distância do Titanic, sendo o primeiro a acorrer ao local. Quatro minutos depois o comandante solicitava que os passageiros fossem acordados e dirigidos ao convés, onde se encontravam os botes salva vidas.
Como não havia botes salva vidas para todos os passageiros, os empregados começaram por acordar primeiro os passageiros da primeira e segunda classe, enquanto os passageiros da terceira classe permaneciam reunidos e trancados no grande salão da terceira classe junto à popa.
Às 0h31, os botes começam a ser preenchidos com mulheres e crianças, tendo sido lançados ao mar sem ter a lotação máxima permitida, pelo menos os primeiros. 15 minutos depois, e sem que tenha ainda vindo ajuda, o capitão decide disparar foguetes de sinalização e lançar ao mar o primeiro bote salva vidas. A fim de evitar o pânico, o capitão solicitou que a orquestra de bordo viesse tocar junto ao convés dos botes para acalmar os passageiros. Quando começa a afundar cada vez mais, muitos passageiros morrem esmagados. Muitos dos que conseguem sobreviver a tal destino viriam a morrer nas águas geladas. Das 2.223 pessoas a bordo, apenas 706 foram resgatadas. Mais de 1.500 morreram.
A maior coincidência é que 14 anos antes da tragédia foi publicado um livro intitulado Futility, or the Wreck of the Titan, que narrava a história de um navio chamado Titan, considerado indestrutível, se afunda numa noite fria de Abril. Além de tamanha coincidência o autor também viria a acertar tanto no número de mortes referido na história, como a capacidade do navio fictício, e a maioria das características técnicas do Titan eram exactamente iguais às do Titanic. Fonte do texto e fotografia: Wikipedia

Porto Editora - "Tesouro das Cozinheiras", o livro de cozinha mais vendido em Portugal: relançamento

Título: Tesouro das Cozinheiras
Autor: Mirene
N.º de Págs.: 848
Capa: dura
PVP: 44,92 €

Tem lugar, este sábado, pelas 16 horas, no espaço G’s Collection, no Porto, uma sessão de relançamento de um clássico sempre actual, o Tesouro das Cozinheiras, de Mirene, o livro de cozinha mais vendido em Portugal.
A autora vai estar presente neste evento em torno de um livro há mais de cinquenta anos nas cozinhas portuguesas, que contém mais de duas mil receitas.
Pela sua clareza, simplicidade e variedade, esta obra constitui um precioso auxiliar na elaboração das ementas diárias de qualquer família.
Nele se encontram, garantidamente, todas as receitas e todas as sugestões que se procuram. A variedade, o rigor e a apresentação cuidada fazem desta obra uma referência incontornável e indispensável em todas as cozinhas.
O espaço G’s Collection fica situado na Avenida da Boavista, n.º 1521, no Porto.

Críticas

O Tesouro das Cozinheiras, da Porto Editora, é uma das obras portuguesas de referência da arte culinária. - Expresso/Única

Convite - Amanhã, dia 10, pelas 19,00, Isabel Ricardo na Fábrica Braço de Prata

A Planeta Editora convida os leitores a estarem presentes no dia 10 de Dezembro, sexta-feira, pelas 19 horas na Fábrica Braço de Prata, Rua da Fábrica do Material de Guerra, 1, Lisboa, para o lançamento de um livro dedicado aos 200 Anos das Invasões Francesas. A autora, Isabel Ricardo, nascida na Nazaré, narra por via da ficção com fundamento em factos e personagens históricos, a luta do povo português na defesa da sua identidade e da sua história.
A apresentação será realizada por David Sequerra Jornalista, Professor, Dirigente desportivo, antigo secretário-geral do Comité Olímpico Português e seleccionador de futebol de júniores

«…esse povo não é tão insignificante como Vossa Majestade referiu. Não se esqueça que teve a coragem para desvendar os mares quando todas as outras nações da altura nada faziam. Foi ele que descobriu meio mundo, imperador. É um povo valente, mesmo que não gostemos dele… Napoleão Bonaparte ficou sem fala. Aquela verdade atingira-o em cheio. É um povo corajoso e não deve ser subestimado. E temos disso a prova, não é…? Apesar de abandonado pelos seus governadores, pelo seu rei e pela sua corja de parasitas, sem exército que o pudesse defender, enfrentou as poderosas tropas de Napoleão, sem medo, muitas vezes de mãos nuas. E não foram só os homens, as mulheres também. Estas são tão corajosas como os homens. Soube de casos de portuguesas que nem lembraria ao diabo!… Por isso, o meu conselho é de muita prudência no trato com este povo… É um povo valente. Insolente, mas valente!»

Por considerarem os portugueses insignificantes no mapa político e militar europeu à época das Invasões, Napoleão acreditava que facilmente calcaria este povo de nobre linhagem e heroicidade.
Isabel Ricardo mais uma vez se perde nas páginas da História de Portugal oferecendo-nos um romance apaixonante e perturbador, proporcionando-nos o convívio com personagens históricas num cenário verdadeiramente surpreendente daqueles anos. Ana Luzindra, personagem real e misteriosa, era uma bela mulher que atraía os soldados franceses levando-os à morte. São muitas as personagens fascinantes desta narrativa inspiradas pelo período histórico ou criadas pela imaginação da autora.

É já amanhã que a rainha dos "pequenos monstros" invade Lisboa... mas como chegou até aqui?

Título: Lady Gaga - Rainha da Pop, Ícone da Moda
Autor: Lizzy Goodman
N.º de Páginas: 144
PVP: 18, 85€
Tradução: Irene e Nuno Daun e Lorena

Lady Gaga começou por inventar roupas knockoff com o objectivo de trabalhar com Alexander McQueen, Hedi Slimane e Thierry Mugler, entre outros. As suas influências musicais foram artistas como David Bowie, Madonna e Freddie Mercury, que misturavam a moda com a sua música, criando assim os próprios mundos.
Nos capítulos como «Estilos de Roupa, Escrava da Moda»,« Os Chapéus», Lady Gaga: Rainha da Pop, Ícone da Moda analisa as suas influências da cultura pop, para projectar o seu estilo e ideias de como ser uma celebridade. Lady Gaga entrou em contacto com o seu próprio e estranho mundo impulsivo e deseja que todos os fãs, os seus «pequenos monstros», possam fazer o mesmo.

Sobre a autora:
Lizzy Goodman é uma jornalista de Nova Iorque cujos artigos sobre o rock ‘n’ roll, a moda, o cinema e a televisão aparecem nas revistas Spin, Rolling Stone, New Musical Express britânica, Nylon, Out, Interview, Details, Elle e New York Post. Lizzy também escreve para a revista New York, foi editora da Blender, onde ainda é o rosto da revista e continua a ser uma especialista de cultura pop na televisão, na televisão por satélite e na rádio.

Lizzy é autora da biografia Cat Power: A Good Woman (Three Rivers Press / Random House 2009). Os ensaios de Lizzy Goodman também têm aparecido nas antologias Cringe (Crown / Random House 2008) e Rock and Roll Cage Match (Three Rivers Press / Random House 2008).

José Pacheco Pereira apresenta a biografia "Sá Carneiro" de Miguel Pinheiro, dia 11 de Dezembro, 16h, na Fnac do Cascais Shopping

Depois da máfia e dos skins, Antonio Salas volta a infiltrar-se... Seis anos em redes terroristas internacionais narrados em «O Palestiniano»

Título: O Palestiniano
Autor: Antonio Salas
N.º de Páginas: 720
PVP: 26,65€
Tradução: António Carlos Carvalho

Um mergulho no terrorismo internacional, um trabalho de investigação revolucionário. A última missão do mais corajoso jornalista de investigação espanhol levou-o a 13 países e a inúmeros encontros com a morte. Seis anos depois, chega às livrarias a missão mais perigosa do autor de Diário de um Skin Este livro inclui cadernos de imagens inéditas de importante valor jornalístico.

Sinopse:
Armado com uma câmara oculta e sob a identidade de Muhammad Abdallah, um muçulmano nascido na Venezuela e com raízes palestinianas, o autor viverá de muito perto os atentados suicidas de Amã e de Casablanca, os assassínios selectivos da MOSSAD, os laços que irmanam jihad e suástica, a captação de integristas islâmicos nas mesquitas europeias, a luta nos bairros mais perigosos da Venezuela ou o treino terrorista nos campos das FARC. A realidade de uma rede bélica, política e mediática. No seu trajecto cruzar-se-á com personagens como o líder palestiniano Aiman Abu Aita, o cabecilha tupamaro Chino Carías, o etarra Arturo Cubillas, o fundador do Hizbullah-Venezuela, Teodoro Darnott, o comandante Eduardo Rózsa ou o terrorista internacional Ilich Ramírez, aliás Carlos, o Chacal de que chegou a ser o homem de confiança.


O rosto mais cruel do medo, documentado com rigor e a peculiar ironia de uma das vozes mais autorizadas do panorama jornalístico. Segundo Salas, que se infiltrou em grupos neonazis e em máfias para outros projectos, todas as suas investigações anteriores parecem «jogos» comparadas a este trabalho.

Sobre o autor:
António Salas é o pseudónimo de um conhecido jornalista de investigação que tem de manter a sua identidade oculta desde que a primeira obra, Diário de Um Skin, se tornou no livro mais vendido em Espanha durante 2003 devido às impressionantes revelações. Depois de mergulhar no universo skinhead espanhol, voltou a arriscar a a vida para escrever Um Ano no Tráfico de Mulheres. O Palestiniano, cujo processo de investigação decorreu entre 2004 e 2010, voltou a colocá-lo na linha de fogo. Para mais documentação, incluindo álbuns fotográficos da sua investigação undercover, consultar o site do autor: www.antoniosalas.org

Amanhã fala-se de Vargas Llosa na Bertrand do Chiado

O Ler no Chiado deste mês (iniciativa da revista Ler e da Bertrand) é dedicado à obra de Mario Vargas Llosa, a título excepcional no dia 10.
A organização convidou os críticos literários Clara Ferreira Alves e Eduardo Pitta e a tradutora do mais recente livro, O Sonho do Celta, de que também falarão, e de outras obras de Vargas Llosa, Cristina Rodriguez.
Sexta, dia 10, às 18h30, na Bertrand do Chiado com moderação de Anabela Mota Ribeiro.

Babel Convite - "Diários Secretos de Eva Braun"

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Últimas novidades Livros d' Hoje para Dezembro

Título: Tubo de Ensaio Parte III
Autores:
Bruno Nogueira e João Quadros

Editora: Livros d’Hoje
N.º Páginas: 280
Preço: 11,50€
1ª Edição: Dezembro de 2010

Sinopse: Uma nova colectânea dos melhores textos, do programa Tubo de Ensaio, que foram ouvidos de segunda a sexta-feira, na TSF.

Bruno Nogueira nasceu em Lisboa, a 31 de Janeiro de 1982. Em televisão, colaborou no Curto-Circuito, Levanta-te e Ri, Manobras de Diversão, Os Contemporâneos, entre outros programas. Em teatro, participou nas peças Lata, Manobras de Diversão, Antes Eles do Que Nós, Avalanche, Sou do Tamanho do Que Vejo e Não da Minha Altura, Monty Pythons, A Cidade, entre outros projectos. Participou no Clube de Comédia, no Maxime e continua a com a sua participação no programa da TSF, Tubo de Ensaio. É o apresentador do programa da RTP, O Lado B.
João Quadros nasceu em Lisboa, a 13 de Fevereiro de 1964. Quando nasceu era tão bonito que foram declarados nulos todos os nascimentos desde 1 de Janeiro desse ano, para que ele fosse o primeiro bebé do ano. Ainda hoje é odiado por algumas pessoas sem BI. Começou a escrever para televisão no século passado e escreve, habitualmente, para teatro, cinema, rádio, jornais e revistas. Para saber mais, vá a Omalestafeito – o blog ou no Twitter.


Título: Paga o que deves!
Autor: Nilton
Editora: Livros d’Hoje
N.º Páginas: 144
Preço: 12.00€
1ª Edição: Novembro de 2010


Sinopse:
Um livro de humor, cujo título nos remete para uma das rubricas mais populares do autor no seu programa 5 Para a Meia-Noite.

Nilton é um humorista de stand up comedy que se dedica principalmente a espectáculos ao vivo. Paralelamente vai fazendo televisão, livros, DVD e rádio. Já teve programas na SIC, RTP e apresenta às quartas-feiras na RTP2 o talk-show 5 Para a Meia-Noite.

O livro que está para Vir ao Mundo! vai ser lançado pela Bertrand

Uma manhã, Gemma deixa para trás a sua vida de todos os dias e entra num avião com o filho de dezasseis anos, Pietro.
Destino: Sarajevo, uma cidade entre o Ocidente e o Oriente, ainda cicatrizada pelas feridas de um passado recente. À sua espera no aeroporto está Gojko, um poeta bósnio que em tempos apresentou Gemma ao amor da sua vida, Diego, um fotógrafo que captava cenas de beleza estonteante nos reflexos de poças de água.
Esta é a história desse amor, inserida num quadro contemporâneo e devastador do mundo em guerra e em paz . Mas é também a história da maternidade procurada, perdida e finalmente encontrada, um conto misterioso que desafia a ciência e a biologia.

Depois do inesquecível Não te Movas, Margaret Mazzantini usa o seu inimitável dom para a linguagem para criar uma obra de dimensões abrangentes e intenso compromisso moral, provando que até os piores males da história podem levar ao encantamento de um novo começo.

Uma epifania tornada real nas expressões mutáveis, nos membros desengonçados, e nas disposições e nos caprichos de um filho dos dias de hoje chamado Pietro.

Imprensa Internacional:
«Entre as qualidades da Mazzantini escritora há uma enorme atenção ao pormenor: basta-lhe mencionar cheiros, luzes, sons e sabores de um determinado ambiente para conseguir levar o
leitor no meio do desenvolvimento da acção.» La Repubblica
«Um livro trabalhado, ambicioso, intenso e muito bem-sucedido» La Stampa
«Um belo romance, generoso e verdadeiro.» L’Unità
«Um hino terno e violento, implacável e perturbador» TTL (suplemento do La Stampa)
«Esplêndido e envolvente. Energia pura» Il Giorno
«Os sentimentos lêem-se nestas páginas no seio de um fresco de fôlego épico, exaltado por uma precisão minimalista de pormenor.» Gioia

Sobre a autora:
MargaretMazzantini nasceu em Dublin, filha de uma artista plástica irlandesa e de um escritor italiano. Foi actriz de cinema, televisão e teatro mas é sobretudo reconhecida pela sua obra literária. Venceu o prémio Strega com Não te Movas, adaptado ao cinema e protagonizado por Penélope Cruz, que vendeu mais de 1.500.000 exemplares só em Itália e foi um best-seller internacional, traduzido em mais de 30 línguas.
Vir ao Mundo venceu o prémio Campiello e está a ser adaptado ao grande ecrã. Será também protagonizado por Penélope Cruz.
Vive em Roma com o marido e os quatro filhos.

Fernando Alvim lança Não atires pedras a estranhos porque pode ser o teu pai

No próximo dia 10 de Dezembro Fernando Alvim irá lançar, no Hospital Júlio de Matos em Lisboa, pelas 19 horas, o primeiro livro da Cego Surdo e Mudo, a editora que criou para este efeito, "mas também para lançar uma série de outras ideias que nenhuma outra editora com juízo poderia fazer", revela o autor.

O mesmo acrescente em comunicado:

"Chama-se Não atires pedras a estranhos porque pode ser o teu pai, tem 164 páginas, uma soberba capa ilustrada por Ana Sofia Gonçalves e no seu interior, as lindas crónicas que ao longo destes últimos dois anos fui escrevendo sobre o meu país que é Portugal, sobre a noite, sobre a minha vida e a dos outros, e sobre o amor que deve ser de todos.

Este livro é o primeiro de uma trilogia, pelo que os outros dois sairão em Feveveiro e em Maio de 2011. O segundo é uma reedição de No dia em que fugimos tu não estavas em casa e o terceiro, Não és tu, sou eu é a continuação, a segunda parte do livro que agora edito, com preciosas ilustrações de Manuel Cruz (Foge Foge Bandido, Ornatos Violeta) e um inquietante prefácio de Manuel João Vieira."

"Não atires pedras a estranhos porque pode ser o teu pai será a pedrada no charco que o meio literário há tanto pedia. Irá meter Sousa Tavares e Rodrigues dos Santos num chinelo, humilhará O Segredo, fará de Dan Brown um menino ao lado disto. Só não vê isso quem não quer. E eu espero que queiram."

Depois do lançamento no Hospital Júlio de Matos, o livro será apresentado...
Dia 11 de Dezembro - El Corte Inglés - Vila Nova de Gaia - 17h
Dia 14 de Dezembro - FNAC Chiado - Lisboa - 21h
Dia 16 de Dezembro - Bertrand Dolce Vita Coimbra - Coimbra - 17h
Dia 16 de Dezembro - Café Santa Cruz - Coimbra - 19h
Dia 16 de Dezembro - FNAC NorteShopping - Matosinhos - 22h
Dia 18 de Dezembro - Bertrand Almada Forum - Almada - 17h

Babel Convite - "Cogumelos Conhecer, Conservar e Cozinhar"