quinta-feira, 30 de dezembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

A próxima vez - Marc Levy [Opinião]


Título: A próxima vez
Autor: Mark Levy
Edição/Reimpressão: 2005

Colecção: Linhas Cruzadas
N.º de Páginas: 232
Editor: Pergaminho


Sinopse:
Numa viagem de São Petersburgo a Boston, de Londres a Florença e a Paris, a história de um amor que desafia o tempo e a distância.
Jonathan é um especialista em arte com uma paixão inexplicável pela obra do pintor russo Vladimir Radskin. Quando, nas vésperas do seu casamento, lhe chega a notícia de que uma galeria em Londres tem em sua posse cinco quadros do pintor – entre elas, possivelmente, A Rapariga do Vestido Vermelho, a sua mítica última obra, misteriosamente desaparecida em 1868 – Jonathan não hesite em partir.

Ao chegar a Londres, encontra Clara, a dona da galeria, e é acometido por uma forte sensação de déja-vu: certamente já viu aquele rosto, já ouviu aquela voz. Mas onde, e quando? Será que entre eles há algo mais em comum do que uma paixão por pintura?
Jonathan e Clara viajam de São Petersburgo a Boston, de Londres a Florença e a Paris, procurando descobrir a misteriosa história por trás de A Rapariga do Vestido Vermelho. Ao longo da sua viagem, descobrem que a história do quadro e do seu criador está entrelaçada com a das suas próprias vidas...
A minha opinião:
É à volta da pintura que se centra mais uma obra de Marc Levy. Desta feita o autor cria duas personagens que já se ligaram no passado, e que quando se encontram pela primeira vez nesta vida, sentem logo uma atracção mútua. O pintor russo Vladimir Radskin é o ponto de partida para estes dois mundos se encontrarem: Clara é uma famosa galerista de Londres e Johnathan um especialista em arte de Boston. A última obra do pintor é descoberta em Londres e faz com que Jonathan parta para aquela cidade conhecendo assim Clara tendo, contudo, a sensação de já a ter visto numa outra ocasião.
Mais uma vez Marc Levy explora o lado do desconhecido, da encarnação, de outras vivências em outras vidas e mais uma vez não me desiludiu com a sua capacidade de envolver o leitor. O facto de ter envolvido a arte neste livro ainda o valorizou mais. Criando uma atmosfera de mistério e paixão, Levy leva o leitor a percorrer a vida de Vladimir Radskin ao mesmo tempo que desvenda o segredo de vida dos próprios protagonistas. O que terá em comum Clara, Jonathan, Anna (noiva de Jonathan) e uma misteriosa mulher de cabelo branco que aparece a Jonathan uma noite num bar?
Vale a pena ler mais esta obra de Marc Levy.
quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentação do livro "Rosas & Espinhos"

Novidades Editora Educação Nacional para Janeiro

Título: O livro que voa
Autores: Pierre Laury/Rébecca Dautremer
N.º de Páginas: 32
Dimensões: 25x30
Capa dura
PVP: 14, 90€

Um livro é uma janela imaginária que nos faz sonhar. Esta é a história de um livro que não está abrigado numa casa, numa livraria, numa biblioteca... É a história de um livro perdido, um livro que caiu na água da chuva, que levou Ícaro nas asas do vento... Um livro que voa!
Uma história que conta com o traço singular e poético de rébecca dautremer (www.rebeccadautremer.com), uma das ilustradoras mais reconhecidas da actualidade.

Título: A Fada Margarida e a Encenação Perfeita - 3
Autoras: Kate Bloom / Emma Pack
N.º de Páginas: 96
Dimensões: 13x20
Capa mole c/badanas
PVP: 5,50€

Título: A Fada Rosa e o Amigo Ternurento - 4
Autoras: Kate Bloom / Emma Pack
N.º de Páginas: 96
Dimensões: 13x20
Capa mole c/badanas
PVP: 5,50€

A colecção “As Fadas do Vale Encantado” conta a história de quatro fadas cuja missão é ajudar as crianças a realizar desejos especiais. Com um enredo dinâmico e ilustrações que pintam a história de vivacidade, estes livros transportam os leitores para um vale de mil encantos!

Título: Sussu e o Grafismo
Autora: Lucília Carvalho
N.º de Páginas: 96 + cartolinas
Dimensões: 23x29
Capa mole
PVP: 7,90€

Potenciar o desenvolvimento, a aprendizagem, a motivação e a autonomia da criança é o objectivo esta colecção, concebida no âmbito das directrizes para a Educação Pré-escolar. As actividades propostas desenvolvem a destreza física e o raciocínio da criança, despertando os seus sentidos e promovendo a obtenção de bases sólidas para o sucesso escolar.
terça-feira, 28 de dezembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

A minha casa é o teu coração - Margarida Rebelo Pinto [Opinião]


Título: A minha casa é o teu Coração
Autor: Margarida Rebelo Pinto
PVP: 16, 95€
N.º de Páginas: 252

A autora mais lida em Portugal, com mais de um milhão de exemplares vendidos, regressa esta semana às livrarias nacionais com A Minha Casa é o Teu Coração, um novo livro de pequenas histórias de amor e humor. A meio caminho entre o romance e a crónica, A Minha Casa é o Teu Coração tem o melhor dos dois mundos: a ironia e a mordacidade que tão bem caracterizam a escrita da autora e a leveza e magia das pequenas narrativas.
O 16º livro da autora surpreende pela forma de dar voz ao sentir, pelo original puzzle narrativo cujas peças começam a encaixar-se história após história e pela intensidade emocional. Em A Minha Casa é o Teu Coração não há meias histórias, não há meias intenções nem há meios amores. Há, sim, um retrato vivo das intrincadas relações humanas e uma revelar das pequenas surpresas da vida. Este é um livro de histórias entre amigas, entre amantes, de mulheres para mulheres, de homens para mulheres e de mulheres para homens. Cada história é uma viagem pela condição humana. A amizade, a cumplicidade e a razão estão do lado do amor, da paixão, do abandono, da desilusão e da descoberta.
Assim como nos livros Diário da Tua Ausência e O Dia em que te Esqueci, A Minha Casa é o Teu Coração espelha a realidade tal como ela é: sem subterfúgios, sem pretextos, sem rodeios. A confirmar a voz única de Margarida Rebelo Pinto no universo literário português.
A minha opinião:
Para quem gosta de Margarida Rebelo Pinto penso que não se vai dececpionar com este novo livro “A minha casa é o meu coração”. O 16.º livro da escritora é mais do mesmo, parecendo que estamos a ler o mesmo livro repetidamente. Não traz nada de novo, sempre as mesmas personagens supérfulas que só pensam em homens, moda e pouco mais. Personagens vazias, ocas, que só falam de relações ocasionais, não lhes interessando nada mais do que isso.
Sinceramente, depois de ter gostado do livro “Português Suave” pensava que a autora iria mudar um pouco o estilo da sua escrita, mas enganei-me redondamente. Voltou ao estilo que sempre a caracterizou e, provavelmente, é essa a sua fórmula para vender milhares de exemplares. Por mim, tão cedo não vou querer ler qualquer livro da escritora.
Destaque positivo para a capa, que está lindíssima.
segunda-feira, 27 de dezembro de 2010 | By: Maria Manuel Magalhaes

Descobri um esconderijo! - Maria Teresa Maia Gonzalez [Opinião]


Título: Descobri um esconderijo!
Autor: Maria Teresa Maia Gonzalez
Ilustrações: Rafaello Bergonse
N.º de Páginas: 56
Colecção: Arca do Tesouro N.º 25
PVP: 9,90€

Sabias que cada bicho tem a sua casa, o seu esconderijo? E que lugares tão diferentes e extraordinários! Queres ver? Há animais misteriosos que vivem no fundo do mar, outros que passam toda a sua vida no deserto. Alguns preferem morar nos troncos das árvores velhas, outros, porém, são grandes engenheiros e constroem a sua casa à beira-rio. E há ainda umas minúsculas criaturas que fazem de uma bela flor o seu lar! Vem surpreender os nossos amigos do Reino Animal nos seus esconderijos!
A minha opinião:
"Vive na neve o arminho
com o seu manto bem quentinho
para não se constipar.

Quando o inverno aparece,
é muito frio o seu lar,
mas o arminho está contente,
pois tem um casaco quente
e, assim, não arrefece
mesmo em corrente de ar,
e, vestido cor de neve,
não é fácil de encontrar!"

Este é só um dos maravilhosos textos escritos por Maria Teresa Maia Gonzalez em "Descobri um Esconderijo!, um livro apropriado para todos as idades, e que prende qualquer criança.
Apesar de ter uma bebé que ainda não entende as estórias dos animais nele contidas, não deixei de lhe contar a vida de cada animalzinho, tão bem descrita em verso. Tenho a certeza que, quando for maior, a minha filhota vai adorar ainda mais ler e ouvir as estórias do caracol, da borboleta, do cavalo-marinho tão bem contadas por Maria Teresa maia Gonzalez e tão bem ilustradas por Rafaello Bergonse.

Intriga em Bagdade - Agatha Christie [Opinião]


Título: Intriga em Bagdade
Autor: Agatha Christie
Ano da Edição: 2005
Editora: Edições ASA
N.º Páginas: 225


Sinopse:
Bagdade é a cidade escolhida para levar a cabo uma secretíssima cimeira entre super-potências mundiais, preocupadas - mas não totalmente convencidas - com a invenção de uma arma secreta ainda não totalmente identificada. Apenas um homem tem provas capazes de confirmar a existência e natureza desta fantástica arma: um agente britânico chamado Carmichael. Infelizmente, a organização criminosa responsável pelo desenvolvimento da arma não se deterá perante nada para impedir a sua entrada em Bagdade. Face a estas circunstâncias, conseguirá Carmichael entrar na cidade? É nesta conjuntura explosiva que aparece Victoria Jones, uma rapariga cuja sede de aventura vai ser largamente ultrapassada pelos acontecimentos quando Carmichael morre nos seus braços. Se ela pelo menos conseguisse perceber o sentido das suas últimas palavras: «...Lucifer ...Basrah ...Lefarge...»

A minha opinião:
Habituada a personagens como Hercule Poirot e Miss Marple, sobretudo, parti para a leitura deste livro de Agatha Christie com algumas reservas porque não colocou como protagonista qualquer detective ou personagem mais conhecida.
Christie coloca como personagem principal uma jovem, a meu ver, pouco inteligente, que parte para Bagdade apenas para ir ao encontro de um homem que viu uma única vez num jardim, no dia em que é despedida por estar a imitar o patrão.
É em Bagdade que a aventura começa. Victoria Jones vê-se envolvida numa investigação quando um dos investigadores morre no seu quarto. Sem qualquer rendimento e, consequentemente, sem dinheiro no bolso, Victoria aceita investigar o patrão do homem por quem está apaixonada por suspeitar que ele está envolvido num esquema um pouco dúbio.
Apesar de diferente dos muitos livros que li da autora, de quem sou fã, Intriga em Bagdade não foi uma má leitura, muito pelo contrário. Gostei bastante de ler a autora num registo um pouco diferente do que estou habituada, embora o eterno Hercule Poirot continue a ser uma das minhas personagens preferidas.

Novidade Contraponto para Janeiro

Título: Frankenstein – Livro 1 – O Filho Pródigo
Autor: Dean Koontz

Mais de 8 000 000 de exemplares vendidos em todo o mundo

Publicado em mais de 20 idiomas

Cerca de 200 anos depois de ter criado o seu monstro, Victor Frankenstein (agora conhecido como Victor Helios), instalou-se em Nova Orleães. As suas experiências e a sua investigação estão cada vez mais sofisticadas; já não tem de roubar cadáveres em cemitérios para construir as suas criaturas, e desenvolveu uma tecnologia que lhe permite escapar ao envelhecimento. O seu plano consiste em propagar por Nova Orleães espécimes da sua Nova Raça de criaturas perfeitas, destinadas a exterminar e a substituir os «imperfeitos» seres humanos.

A única criatura capaz de travar este plano diabólico é o misterioso Deucalião – o primeiro «monstro» criado por Frankenstein. Aparentemente imortal e indestrutível, Deucalião parece possuir também uma alma e uma consciência quase humanas. Mas será isso suficiente para impedir os planos do seu monstruoso criador?

Sobre o autor:
Com uma vasta obra (que inclui contos, romances, livros infantis e memórias, e percorre géneros como a fantasia, o terror e a ficção científica), publicada em mais de 40 idiomas e com mais de 450 000 000 de exemplares vendidos em todo o mundo, Dean Koontz é um dos autores de maior sucesso dos nossos dias.
.
Imprensa Internacional:
«Dean Koontz tem um poder descritivo e um sentido de ritmo com que poucos escritores conseguem rivalizar.» Los Angeles Times
«Os livros de Dean Koontz são irresistíveis e arrepiantes.» The Washington Post Book World
«Dean Koontz tem o dom de fazer o bizarro e o terror parecerem tão quotidianos quanto o nascer do Sol. Um mestre do suspense.» People
«Um mestre do drama psicológico» USA Today
«Nenhum outro autor de best-sellers tem um estilo tão elegante como Dean Koontz. As suas personagens são memoráveis e a sua capacidade única de juntar o humor e o suspense é absolutamente cativante.» Publishers Weekly
«Um verdadeiro fenómeno literário.» Kirkus Reviews
«Dean Koontz tem a mestria de criar mundos vívidos e assustadoramente realistas.» Booklist

Vem ao Mundo a 21 de Janeiro

Vencedor do prémio Campiello 2010, o prémio literário mais importante em Itália
A autora, Margaret Mazzantini, é uma das vozes mais originais e mais fortes da literatura italiana contemporânea, sendo também uma das mais internacionais, publicada em mais de 30 países
O filme de Vir ao Mundo, que está a ser realizado por Sergio Castellitto (marido da autora), será protagonizado por Penélope Cruz.
Javier Bardem e Benicio Del Toro são falados para o papel de Gojko, o poeta bósnio.
O seu livro anterior, de há 6 anos, Não te Movas (Dom Quixote) vendeu mais de 1.500.000 exemplares só em Itália e ganhou o prémio Strega. O filme, também realizado por Sergio Castellitto, e com Penélope Cruz no papel principal, foi um êxito internacional e conquistou diversos prémios em vários festivais.

Sinopse:
Uma manhã, Gemma deixa para trás a sua vida de todos os dias e entra num avião com o filho de dezasseis anos, Pietro. Destino: Sarajevo, uma cidade entre o Ocidente e o Oriente, ainda cicatrizada pelas feridas de um passado recente. À sua espera no aeroporto está Gojko, um poeta bósnio que em tempos apresentou Gemma ao amor da sua vida, Diego, um fotógrafo que captava cenas de beleza estonteante nos reflexos de poças de água.
Esta é a história desse amor, inserida num quadro contemporâneo e devastador do mundo em guerra e em paz. Mas é também a história da maternidade procurada, perdida e finalmente encontrada, um conto misterioso que desafia a ciência e a biologia.

Sobre a autora:
Margaret Mazzantini nasceu em Dublin, filha de uma
artista plástica irlandesa e de um escritor italiano. Foi actriz de cinema, televisão e teatro, mas é sobretudo reconhecida pela sua obra literária. Venceu o prémio Strega com Não te Movas, adaptado ao cinema e protagonizado por Penélope Cruz, que vendeu mais de 1.500.000 exemplares só em Itália e foi um best-seller internacional, traduzido em mais de 30 línguas. Vive em Roma com o marido e os quatro filhos.
www.margaretmazzantini.com

Imprensa Internacional:
«Entre as qualidades da Mazzantini escritora há uma enorme atenção ao pormenor:
basta-lhe mencionar cheiros, luzes, sons e sabores de um determinado ambiente para conseguir levar o leitor no meio do desenvolvimento da acção.» La Repubblica
«Um livro trabalhado, ambicioso, intenso e muito bem-sucedido» La Stampa
«Um belo romance, generoso e verdadeiro.» L’Unità
«Um hino terno e violento, implacável e perturbador» TTL (suplemento do La Stampa)
«Esplêndido e envolvente. Energia pura» Il Giorno
«Os sentimentos lêem-se nestas páginas no seio de um fresco de fôlego épico, exaltado por uma precisão minimalista de pormenor.» Gioia