sexta-feira, 7 de janeiro de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

Theresa Cheung, autora de Um anjo chamou por mim, regressa com relatos inspiradores

Título: Um anjo a meu lado
Autor: Theresa Cheung
N.º de Páginas: 216
PVP: 16,65€
Tradução: Luís Santos
Disponível a 12 de Janeiro

Depois de Um anjo chamou por mim (já em 2ª edição), os livros de Theresa Cheung continuam a inspirar. Com a sua obra traduzida em mais de 20 línguas, estes são relatos extraordinários de quem já contemplou a eternidade e quis partilhar a sua história com a autora… que agora a partilha consigo.

Um Anjo ao meu lado é uma inspiradora compilação de histórias verídicas sobre os anjos-da-guarda que nos protegem, avisam e guiam a partir do Além.

Sobre a autora:

Theresa Cheung nasceu numa família de espiritualistas com poderes psíquicos. Desde que se formou no King’s College, em Cambridge, tem estado envolvida no estudo sério dos fenómenos paranormais, há mais de 25 anos, tendo sido aluna do College of Psychic Studies, em Londres. É autora de diversos livros, incluindo o best-seller internacional The Element Encyclopedia of 20,000 Dreams, bem como The Element Encyclopedia of the Psychic World, The Element Encyclopedia of Birthdays e Working with Your Sixth Sense. Os seus livros já foram traduzidos em mais de 20 línguas e objecto de artigos nas revistas It”s Fate, Spirit and Destiny e Prediction. Colaborou também em livros de Derek Acorah, Yvette Fielding e Tony Stockwell.

Apresentação de livro Blogue Clube dos Pensadores

Título: Blogue Clube dos Pensadores
Autor: Joaquim Jorge
N.º de Páginas: 256
Género literário: Crónica
Edição: Janeiro 2011
PVP: €13.90
Editora: Papiro Editora

A Papiro Editora vai organizar, no próximo dia 11 de Janeiro, pelas 21h30, no Gaia Hotel, a sessão de lançamento/debate do livro Blogue Clube dos Pensadores, da autoria de Joaquim Jorge, que contará com a presença de Alberto João Jardim.
Blogue Clube dos Pensadores abarca um conjunto de posts publicadas, entre Setembro de 2009 e Setembro de 2010, no blogue com o mesmo nome e que sintetiza o conteúdo daquela que foi uma análise intensiva e diária da primeira legislatura do governo PS.
O blogue surge em 2006 como extensão de O Clube dos Pensadores, clube de reflexão e debate político, que contou com a presença de várias figuras do panorama político nacional. Assume-se como um espaço de discussão pública e exercício democrático mediados por Joaquim Jorge, fundador e dinamizador do Clube.
A leitura de Blogue Clube dos Pensadores, o livro, revela-se, assim, um
instrumento de grande valia no que toca à exigência premente de uma reflexão aprofundada acerca do estado da nação.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

D. Dinis A Quem Chamaram O Lavrador - Cristina Torrão [Opinião]


Título: D. Dinis A Quem Chamaram O Lavrador
Autor:
Cristina Torrão
Editora: Ésquilo
N.º de páginas: 416
PVP: 19, 80€


«E este foi o melhor rei e mais justiceiro e mais honrado que houve em Portugal desde o tempo do rei D. Afonso, o primeiro»
(D. Pedro, Conde de Barcelos)

D. Dinis, sexto monarca português, marcou profundamente a consolidação do reino através dos seus quarenta e seis anos de governação. Fundou a primeira universidade portuguesa, substituiu o latim pela língua portuguesa nos documentos oficiais, reformou quase todos os castelos, foi um diplomata de excepção, admirado, inclusivamente pelo Papa, incrementou a agricultura, a pesca e o comércio, amante da poesia e da música, ficou imortalizado pelos seus cantares.

Mas a tragédia também assolou a sua alma, primeiro foi o conflito armado com o irmão, no final da vida, a dilacerante guerra com o seu próprio filho herdeiro. A seu lado, estava uma rainha de excepção, Isabel de Aragão, com a qual nem sempre as relações foram fáceis…

Neste romance, o leitor é conduzido à intimidade de um Rei justo, sábio e poeta. Nunca a esfera íntima de D. Dinis foi descrita com tanto detalhe e faceta humana.

A minha opinião:
Primeiro rei hispânico com esse nome, Dinis foi um homem de excepção. O pai e o avô castelhano eram as referências de D. Dinis que desde muito novo se mostrou ser forte em relação a todas s adversidades que lhe iam surgindo no caminho.
D. Dinis é nome de empreendedor, de lutador, de conquistador. Conquistador de mulheres, sobretudo, mas também de tudo o que achava bom para o reino que defendia.

Cristina Torrão mostra um rei amoroso, que se apaixona constantemente pelas lindas mulheres com quem convivia e para quem escrevia as cantigas de amor que chegaram aos nossos dias e que aprendemos na Secundária. Mas era também um rei apaixonado pela sua mulher, a quem chamaram Santa.

De facto, Isabel era piedosa, uma rainha que se preocupava com os mais pobres ao ponto de jejuar várias vezes e de dar toda a comida que sobrava dos soberbos banquetes organizados pelo monarca. Era conhecida a sua bondade por todo o reino, e os pobres recorriam a ela constantemente. No entanto, nem sempre as relações do casal foram boas. Quando o filho de ambos, e futuro rei de Portugal, Afonso (futuro D. Afonso IV), se mostra com vontade de reinar, destronando D. Dinis, O Lavrador, mostrou-se mais uma vez um rei guerreiro, defensor da sua vontade e fez frente ao seu filho, como anteriormente tinha feito com o seu irmão, também ele chamado Afonso.

D. Dinis afirmou-se sempre por defender os Templários, que foram perseguidos pelo papa Clemente V e Filipe IV de França. Contrariando a perseguição que estes dois faziam aos Templários, D. Dinis protegeu-os sempre, até que estes criaram a Ordem de Cristo, nova ordem militar e religiosa autorizada pelo Vaticano a pedido do rei português.

Um livro que se lê de um trago e, ao contrário de alguns livros históricos, isso acontece devido a uma narrativa bastante envolvente. A autora não se centrou num aspecto de D. Dinis, mas aproveitou tudo o que ele tinha de bom: o seu empreendedorismo, o seu amor pelas mulheres, as discussões frequentes com o seu irmão Afonso que pretendia o reino para si, e mais tarde com o seu próprio filho pelo mesmo motivo, a posição política nos reinados de Castela, a oposição ao Papa em relação aos templários, a criação da primeira universidade, a plantação do Pinhal em Leiria. Um excelente e rico monarca só podia dar um bom livro.

Chancela Noites Brancas da editora Clube do Autor já tem blogue

Com o lançamento do primeiro livro da chancela Noites Brancas, o Clube do Autor decidiu lançar também um blogue sobre livros e viagens disponível em http://noitesbrancasaler.blogspot.com/.
Por isso mesmo, deseja, acima de tudo, que este sítio seja um ponto de encontro de todos quantos gostam de ler e viajar, por vezes sem sair do mesmo sítio, só com um livro por companhia.

Novidades Orfeu Negro para 2011

Orfeu Negro: Ensaios
Título: Francis Bacon - A Lógica da Sensação
Autor: Gilles Deleuze

Tendo como base a lógica não-racional da sensação, Gilles Deleuze inaugura uma nova concepção da estética, que encontra a sua origem e paralelo no método singular de Francis Bacon, um dos pintores mais marcantes do séc. XX.

Título: O Destino das Imagens
Autor: Jacques Rancière
Jacques Rancière desenvolve, neste ensaio, um novo conceito da imagem na arte contemporânea, incidindo uma vez mais nas relações entre a arte e a política.

Colecção Orfeu Mini
Título: Perdido e Achado
Autor: Oliver Jeffers
Do mesmo autor de O Incrível Rapaz que Comia Livros e de O Coração e a Garrafa


Título: Greve
Autor: Catarina Sobral
Livro de estreia da ilustradora portuguesa Catarina Sobral


Título: Caderno de Pintura para aprender as cores
Autor: Pascale Estellon
Livro de Actividades





Título: 2.ª Edição | Animalário Universal do Professor Revillod
Autor: Javier Sáez Castán & Miguel Murugarrén