sábado, 12 de março de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Quinta Essência para Março

Título: Onde está o branco em ti?
Autor: Ricardo Antunes
Ficção Portuguesa
N.º de Páginas: 174
PVP: 14,13€

Um romance inspirador sobre o amor, a amizade e as escolhas que fazemos em cada momento da nossa vida.

Sinopse:
O amor está vivo. Temos de o procurar enquanto vivemos. Uma estranha e súbita morte leva um grupo de amigos a procurar respostas que os façam encontrar um sentido para aquele inesperado acontecimento. Numa viagem em que se irão confrontar com o mundo, com os outros e finalmente consigo próprios, vão viver momentos de intensa alegria, cheios de risos e afectos, mas também momentos marcados pelas aparências, pelas lágrimas e pelas desilusões. Gradualmente, aproximam-se do limite a que conduzem as suas opções. Nessa altura, dá-se o confronto entre o desejo de deixar tudo para trás e retomar os dias de sempre e a vontade de penetrar definitivamente no caminho que os levará às respostas que, afinal, sempre procuraram.

Sobre o autor
:
Ricardo Antunes nasceu em Sintra, em 1978. Começou a viajar pelo país e pelo estrangeiro desde muito cedo, percorrendo a pé e à boleia inúmeros lugares, contactando com realidades e pessoas muito diferentes. Às vezes acompanhado, outras vezes sozinho, viveu experiências profundas que o marcaram para sempre. Licenciado em História Moderna e Contemporânea, a paixão pelos livros levou-o a seguir uma carreira profissional em contacto permanente com eles. Escreveu Onde Está o Branco em Ti?, no início um conjunto de pequenos fragmentos rabiscados aqui e ali. Alguns anos mais tarde, percebeu que aquelas primeiras páginas, escritas quase sem querer num momento de inspiração, poderiam transformar-se numa história que tocasse o coração das pessoas. E assim nasceu este livro, agora editado pela Quinta Essência. Actualmente encontra-se a escrever o seu próximo romance.

Título: Tabu
Autor: Jess Michaels
Ficção Estrangeira
N.º de Páginas: 238
PVP: 14€

A estrela do romance sensual.

Sinopse:
Um amor proibido, uma traição imperdoável, uma implacável sede de vingança….
Cassandra Willows fez nome como uma das mais procuradas costureiras de Londres e como criadora de «brinquedos» íntimos muito apreciados nos quartos das damas e dos cavalheiros da elite. Mas o seu êxito não pode aliviar a culpa e a dor devido a uma traição devastadora. Nathan Manning, conde de Blackhearth, nunca irá perdoar à bela Cassandra tê-lo abandonado sem uma palavra no dia em que iam fugir. Agora está de volta a Londres e desejoso de vingança. Munido de memórias escandalosas e provocantes, o belo e vingativo conde chantageia a sua ex-amante, forçando-a a um romance ilícito... e reacende o fogo ardente que antes consumira ambos. Mas ao perderem-se no êxtase erótico renascido, Nathan e Cassandra estão a tentar a sorte - ficando vulneráveis a um passado que ainda ameaça destruir as suas vidas e a sua paixão; à mercê de segredos sombrios e tácitos que são chocantemente, perigosamente… tabu. Finalista na categoria de Melhor Romance Sensual nos Australian Romance Readers Awards

Imprensa:
«Jess Michaels superou-se novamente! Este livro vai atrair os leitores desde a primeira página e não os largará até à sua conclusão maravilhosa. É uma leitura obrigatória para os fãs de romance histórico sensual.» Romantic Times «
Tabu é uma peça de ficção estelar… Jenna Petersen, escrevendo sob qualquer nome, continuará a ser uma das minhas autoras preferidas por muitos anos.» Rakehell


Sobre a autora
:
Jess Michaels escreve desde o dia fatídico em que o marido lhe disse: «Só és realmente feliz quando estás a escrever. Porque não fazes isso?» Em Novembro de 2003, o seu trabalho (e vários baldes de lágrimas) compensaram quando ela fez a sua primeira venda à editora Red Sage. Jess tem sido apelidada de «estrela do romance sensual», e o seu trabalho foi descrito como «demasiado quente para largar». Também escreve romances históricos como Jenna Petersen. É conhecida das leitoras pelo seu popular site para aspirantes a escritoras, The Passionate Pen. Casada com o seu herói desde 1997, Jess vive no Midwest dos Estados Unidos.


Título: Reencontros
Autora: Cathy Kelly
Ficção Estrangeira
N.º de Páginas: 494
PVP: 16,50€

O novo romance da autora de Alguém como Tu * Uma Vez na Vida

Sinopse:
Eleanor Levine deixou a Irlanda há setenta anos, levando consigo pouco mais do que uma mala e o livro de receitas escritas à mão pela mãe. Agora, depois de toda uma vida, regressa de Nova Iorque com uma sabedoria duramente adquirida e memórias suas. Psicanalista conceituada, Eleanor sabe que existe uma última viagem que tem de fazer….
A jovem e adorável actriz Megan Bouchier não precisava de correr atrás do sucesso, pois este chegava sem esforço. Fama foi o que ela sempre quis, até que um caso de amor desastroso lhe valeu os cabeçalhos que ela não queria. Agora, Megan precisa de um lugar para se esconder….
A bela morena Rae é uma esposa maravilhosa, uma amiga leal e uma voluntária empenhada dentro da sua comunidade. No Salão de Chá Titania’s, distribui chá e simpatia por toda a gente, até que um segredo doloroso do passado ameaça tudo o que mais ama…
A professora Connie O’Callaghan, um coração de ouro, desistiu do amor. Alegremente, aproxima-se dos quarenta e pergunta-se porque não encontra nenhum homem igual aos heróis dos romances de amor de que tanto gosta?
Enquanto Eleanor relê as palavras reconfortantes da mãe e observa o desenrolar da vida através da sua janela da bonita Golden Square, em Dublin, começa lentamente a envolver-se nas vidas de Megan, Rae e Connie. Mas será que a sabedoria acumulada e transmitida de mãe para filha ainda é relevante nos dias de hoje? E quais são os ingredientes para uma vida bem vivida?


Imprensa:
«Sábio, caloroso, generoso, cheio de personagens que adorei e com as quais me identifiquei. É como um grande mexerico com as nossas melhores amigas. O melhor livro que Cathy Kelly escreveu até agora.» Marian Keyes
«Esta contadora de histórias de primeira água mergulha uma vez mais profundamente na vida das mulheres de hoje e nas suas relações.» Woman and Home
«Uma escritora que nos comove e nos faz interessar pelo destino das suas personagens… Uma leitura calorosa, comovente.» Daily Mail
«Divertido, comovente e vivo como se fosse um filme – traça um retrato da vida das mulheres irlandesas que, como toda a boa ficção, coloca a verdade bem em evidência.» Irish Independent

Sobre a autora:
Cathy Kelly nasceu em Belfast e cresceu em Dublin. Iniciou a sua carreira num jornal nacional irlandês, onde foi editora de moda e de notícias, crítica cinematográfica e autora da popular coluna de conselhos «Dear Cathy». Actualmente colabora com o jornal Sunday World. Editou o seu primeiro romance, Woman to Woman, em 1997, que se transformou de imediato num êxito de vendas e converteu Cathy Kelly numa autora reconhecida internacionalmente: os seus livros estão traduzidos em mais de quinze línguas, com milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Alguém como Tu, a sua primeira obra editada em Portugal, recebeu o prémio Romantic Novel of the Year, para o melhor romance do ano, em 2001. Actualmente, Cathy Kelly vive no condado de Wicklow, na Irlanda, com o marido e os filhos gémeos.
Para saber mais, visite www.cathykelly.com

Apresentação do livro "Fores de Outono"

Pré Lançamento Promocional de Flores de Outono de António Levi de Meireles dia 13 Março na Fnac GaiaShopping, Vila Nova de Gaia, pelas 17 horas

Sinopse:
Flores de Outono é constituído, na sua grande maioria, por sonetos. Está dividido em duas partes, cuja diferença reside no carácter mais ou menos intimista da poesia, sendo a primeira de cariz existencial, onde o poeta se auto caracteriza na sua relação com o mundo, e a segunda, de cariz mais reflexivo, onde o poema é espelho da realidade que se observa.

Pré-lançamento do livro Portugal no 1º Quartel do Séc. XX da autora Graça Fernandes

A Papiro Editora promove hoje pelas 16 horas o pré-lançamento do livro Portugal no 1º Quartel do Séc. XX da autora Graça Fernandes, na Biblioteca e Museu da República e Resistência (na Cidade Universitária em Lisboa).

A apresentação do livro estará a cargo da Dra. Dina Matos Ferreira, Coronel Manuel Bernardo, Prof. João Figueira.

Coincidindo com o centenário da proclamação e implantação da República, “Portugal no 1.º Quartel do século XX” é uma obra que descreve a história de Portugal naquele período, focando, como não podia deixar de ser, o derrube da Monarquia e a implantação da República.
Ao longo destas páginas são-nos apresentados os homens e as mulheres que lutaram pelos ideais
republicanos e aqueles que se notabilizaram na política, no campo da literatura e das artes e na imprensa.
Também é dado destaque à I Guerra Mundial, e à participação de Portugal neste conflito bélico, que permitiu preservar, naquela época, o espaço ultramarino português.

“Os jornais eram, então, o palco e cenário do grande pulsar da acção política e cultural. Manuel Laranjeira, nas páginas do jornal O Norte, pouco antes do regicídio, proclamava num texto que ficou célebre, que em Portugal “o pensamento representa um capital negativo”. Referia-se ao suicídio de homens como Antero, Camilo e Soares dos Reis — ele que pouco depois se suicidaria também. Ora é este País “desencontrado” e “caótico”, mas também erudito nas franjas mais esclarecidas, para recorrer a expressões do mesmo Manuel Laranjeira, que Graça Fernandes redescobre e nos devolve nestas páginas de saborosa leitura.”

Sobre a autora:
Graça Fernandes nasceu em Lisboa em 1945. Licenciou-se em Estudos Anglo-Americanos, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em 1975. Em 1993, fez o Mestrado de Ciências da Informação, pela Faculdade de Ciências Humanas da Univ. Católica Portuguesa. Concluiu, com distinção, o Curso de Jornalismo na Escola de Comunicação Assis Chateaubriand. Trabalhou nos CTT-Funchal como Especialista de Comunicação Social. Colaborou no Jornal da Madeira, no Posto Emissor do Funchal e na RTP-Madeira.
Exerceu as funções de Directora Administrativa e de professora de inglês no Colégio Português de Kinshasa, na antiga República Democrática do Zaire, de 1990 a 1991. Em 1992, em Angola leccionou Cursos de Secretariado para a Sonangol e de Técnicas Administrativas para o Ministério do Petróleo. Depois da cisão dos CTT, integrou a Portugal Telecom onde permaneceu até 1998.
Publicou, em 2008, a obra “A Verdade Madeirense e a Grande Guerra. Neste momento, Graça Fernandes está a terminal um outro livro Portugal no 1º Quartel do Séc. XX, que editará também pela chancela da Papiro Editora, ainda este ano.
quinta-feira, 10 de março de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

O pintor de sombras - Esteban Martín [Opinião]


Título: O Pintor de Sombras
Autor: Esteban Martin
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 320
Editor: Saída de Emergência
PVP: 18,95€
Quem quer incriminar Picasso?
Restará alguém em quem ele possa confiar?

Barcelona, finais do séc. XIX. Um dos maiores génios artísticos de todos os tempos é revelado ao mundo: Picasso. Desde criança que o seu talento irrequieto é avassalador. Picasso é um jovem rebelde que cedo vê os seus estudos académicos
serem prejudicados pela sua irreverência. Depois de se apaixonar loucamente por uma mulher, ela abandona-o sem deixar rasto. Ela era a sua musa, a sua inspiração, a primeira mulher que amou verdadeiramente na vida. De coração partido, Picasso começa a procurar consolo na vida boémia e nos bordéis da rua Avignon. Mas tudo se complica quando alguém parece seguir os seus passos, deixando entre as prostitutas um rasto de mortes violentas que apontam Picasso como o principal suspeito. Uma por uma, as estranhas mortes vão-se tornando cada vez mais violentas e assemelham-se em tudo às que 10 anos antes assombraram as ruas de Londres.
Poderá Jack, o Estripador, ter chegado a Barcelona?

A minha opinião:
Baseando-se na vida e obra de um dos maiores génios da pintura a nívem mundial, Esteban Martin leva o leitor a percorrer uma Barcelona obscura cheia de vielas, de prostíbulos e bares onde os pobres e soldados desafortunados se juntam para contarem as suas mágoas.
Partindo da infância do jovem Pablo, um rapaz oriundo de uma família pobre, cujo sonho do pai, pintor frutrado, era ver projectado no filho aquilo que nunca teria conseguido ele próprio ver conseguido concretizar em si: ser um pintor reconhecido. Juntou todas as economias para dar a melhor educação ao filho, mas este apenas só se interessava pela pintura e o seu intelecto também não dava para mais. A vida boémia viria a fazer com que se apaixonasse por uma prostituta e que os caminhos se cruzassem com um marinheiro que poderá ter ligações a Jack, o Estripador, já que os métodos que emprega para matar as suas vítimas são muito idênticos aos utilizados pelo assassino em série inglês.
Por isso mesmo, é chamado para tentar resolver o caso Steven Arrow, um personagem um tanto ou quanto parecido com Sherlock Holmes, talvez percursor deste, até porque Esteban Martin faz igualmente renascer Conan Doyle, e o seu inseperável Watson, personificado pela personagem Sherrinford.
Martin divide O Pintor de Sombras em duas partes distintas encaminhando o leitor primeiro pela vida do jovem Pablo Picasso e pela sua infância e depois pela investigação dos assassínios das prostitutas por parte daquele que se supõe ser Jack, o Estripador ou alguém que lhe segue as pisadas. As prostitutas vítimas do serial killer são nada mais nada menos que as retratas por Picasso no célebre quadro “As meninas de Avignon”.
Devo dizer que fiquei fã do autor, que já me tinha levantado curiosidade com a sinopse, de “A chave de Gaudi”. Se na altura não comprei o livro vejo agora motivos mais que suficientes para o adquirir.

Depois do grande sucesso de hush, hush, aí está a sequela: Crescendo

Título: Crescendo
Autor: Becca Fitzpatrick
Coleção: hush, hush
Tradução: Irene Ramalho
Págs: 336
Capa: mole com badanas
PVP: 17,60 €

Becca Fitzpatrick tornou-se numa autora de grande sucesso em Portugal – uma simples pesquisa na Internet permite confirmá-lo –, quando, em 2010, a Porto Editora publicou hush, hush. Desde então, os fãs ansiavam pela sequela que, finalmente, a 21 de março, chega às livrarias portuguesas, com o título original: Crescendo.
Quando a comunicação social portuguesa noticiou que, na ficção para jovens, os anjos iriam substituir os vampiros («Vampiros estão a dar lugar aos anjos», in Sábado), já hush, hush era um sucesso à escala mundial. E preparava-se para chegar o nosso país. No mês seguinte, a edição da Porto Editora conquistou os principais tops de vendas. A partir daí, a expectativa em torno do segundo livro da saga não parou de crescer. A Porto Editora recebeu centenas de emails ao longo dos últimos meses a perguntar por Crescendo e pela respetiva data de publicação. Adivinha-se, portanto, um novo grande êxito.

O enredo:
A vida de Nora Grey continua longe de ser perfeita. Sobreviver a um ataque que podia ter-lhe custado a vida não foi fácil, mas tudo se resolveu, graças ao seu anjo da guarda - uma criatura misteriosa, sedutora e bela.
Mas Patch tem sido tudo menos angelical. Está mais distante do que nunca e parece estar a passar demasiado tempo com a arqui-inimiga de Nora, Marcie Millar. E, como se isso não bastasse, Nora é assombrada por recordações do seu pai assassinado, começando a pensar que as intrigas dos anjos poderão estar relacionadas com a morte dele.
Desesperada por desvendar os estranhos acontecimentos do seu passado, Nora expõe-se ao perigo, na esperança de encontrar algumas respostas.
Mas todos sabemos que há perguntas que nunca devem ser feitas...

Sobre a autora:
Becca Fitzpatrick cresceu a ler as aventuras de Nancy Drew e Trixie Belden, com a ajuda de uma lanterna, debaixo dos lençóis. Licenciou-se em Saúde, vocação que rapidamente trocou pelas histórias. Quando não está a escrever, o mais certo é estar a correr, a vasculhar as prateleiras das lojas em busca de sapatos giros e em saldos ou a ver séries de televisão.
Vive no Colorado. Descubra mais em beccafitzpatrick.com.

NOVIDADE Orfeu Mini: Perdido e Achado de Oliver Jeffers

Título:Perdido e Achado
Texto e ilustrações: Oliver Jeffers
Tradução: Rui Lopes
Ano de edição: 2011
N.º pp.: 34
Formato: 27 x 26,5 cm
Preço: 14,00 €
JÁ NAS LIVRARIAS
Melhor Livro do Ano 2006 | BBC Television
Medalha de Ouro 2005 | Nestlé Children’s Award

Era uma vez um menino que, um dia, encontrou um pinguim à sua porta…
Assim começa a aventura mágica destes dois novos amigos que rumam ao Pólo Sul num pequenino barco a remos, enfrentando mares calmos e tumultuosos debaixo de um guarda-chuva.
Com ilustrações desenhadas a aguarela, este livro foi já adaptado ao cinema de animação pelo realizador Peter Hunt (AKA Studio, 2008).Oliver Jeffers é um artista multidisciplinar, cujo trabalho se estende por diversos meios, da pintura à instalação, passando pela ilustração e pela escrita para crianças.
É autor de O Incrível Rapaz Que Comia Livros (Melhor Livro Infantil 2007 | Irish Book Awards) e de O Coração e a Garrafa, já publicados na colecção Orfeu Mini.

Convite - "Dai-lhes, Senhor, o Eterno Repouso" de Miguel Miranda

quarta-feira, 9 de março de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

Convite para lançamento do livro "Dê a Volta por Cima" de José Luiz Tejon

Um dos nossos mais prestigiados autores, o brasileiro José Luiz Tejon, vai estar em Portugal para fazer o lançamento do livro Dê a Volta por Cima. A ideia principal é dar a conhecer ao público português o homem por detrás do conferencista famoso em terras de Vera Cruz.

- A mãe, espanhola, de José Luiz Tejon fugiu grávida para o Brasil para não perder o filho, vindo, porém, a morrer de forma precoce.
- José Luiz Tejon é adoptado por um casal de emigrantes que não tinha filhos - o pai português de Chaves e a mãe alemã
- Tem um acidente aos 3 anos, com a mãe adoptiva involuntariamente a queimar-lhe o rosto em acidente doméstico
- Passa 14 anos em hospitais
- Supera-se... e torna-se um profissional de sucesso. Foi entrevistado no livro norte-americano “Succeed on your own terms”, ao lado de 50 personalidades do mundo inteiro como exemplo de superação
- Mestre em Educação, Arte e Cultura pela Universidade Mackenzie
- Pós Graduações em Marketing na Pace University e na Harvard Business School; em Media no MIT (EUA) e em Liderança no INSEAD(França)
-Professor de Pós-graduações em duas das mais prestigiadas universidades do Brasil - Fundação Jetúlio Vargas e Escola Superior de Propaganda e Marketing
-Autor de 10 livros nas áreas de Marketing, Vendas, Liderança e Motivação
- Recebeu vários prémios como profissional do ano, como publicitário, jornalista e orador
- Vem a Portugal desde de 2007 em Parceria com a PLURIVALOR para realizar palestras em empresas nas áreas de Marketing, Vendas, Motivação e Superação


Sobre o autor:
José Luiz Tejon é considerado um dos seis melhores conferencistas no Brasil e já vendeu mais de 500 mil exemplares entre os diversos títulos que tem vindo a publicar.

Segunda edição de Os Demónios de Berlim já nas livrarias

Dá hoje entrada nas livrarias portuguesas a 2.ª edição de Os Demónios de Berlim, de Ignacio del Valle. Na capa, uma frase de Urbano Tavares Rodrigues: «Este romance, muito bem escrito, com extrema precisão nos pormenores da topografia de Berlim e dos sentimentos das personagens, afirma o talento exuberante de um grande escritor».
Ignacio del Valle, que há dias esteve em Portugal para apresentar o livro no Correntes d’Escritas, encontra-se de momento na Lituânia, a acompanhar a rodagem da adaptação cinematográfica de O Tempo dos Imperadores Estranhos, o primeiro livro do escritor espanhol editado em Portugal. O realizador é Gerardo Herrero, vencedor de um Óscar da Academia em 2010, como produtor de O Segredo dos seus Olhos (Melhor Filme Estrangeiro).
A Arte de Matar Dragões, O Tempo dos Imperadores Estranhos e Os Demónios de Berlim formam uma trilogia de cariz policial protagonizada pelo tenente Arturo Andrade.

Na internet
Novo site oficial de Ignacio del Valle: www.ignaciodelvalle.es

Em Março, a Planeta sugere duas viagens inesquecíveis...

Título: Introdução à cultura portuguesa
Autor: Miguel Real
PVP: 19,90€
N.º de Páginas: 308
Já disponível

Introdução à Cultura Portuguesa é a mais importante súmula daquilo que caracteriza e distingue a nossa cultura, desde que em 1946 foi publicada essa obra marcante de António José Saraiva: “Para a História da Cultura em Portugal”.

Sinopse:

Estabelecendo uma nova teoria definidora da cultura portuguesa desde o início da nacionalidade, Introdução à Cultura Portuguesa, (dotado de um sintético mas esclarecedor prefácio de Guilherme d’Oliveira Martins, outro grande especialista deste tema), divide a história da cultura portuguesa em quatro correntes de pensamento - messianista, racionalista, modernista e espiritualista - e cinco períodos temporais, destacando o primeiro período (de D. Dinis à epopeia dos Descobrimentos) como o grande momento enformador e cristalizador das dez categorias maiores da nossa cultura.

Com uma organização clara, que permite ao leitor apreender rapidamente a proposta do autor sobre a arquitectónica da história da literatura, da cultura e do pensamento portugueses, Introdução à Cultura Portuguesa, para além de apontar os «cinco pecados da cultura portuguesa», traz-nos ainda uma visão das relações culturais entre Portugal e o Brasil numa perspectiva nunca antes abordada.

Sobre o autor:
Formado em Filosofia e especialista em cultura portuguesa, Miguel Real (n. Lisboa, 1953) tem publicado – para além da obra ficcional e dramatúrgica que o tornou conhecido do grande público – um conjunto de estudos sobre figuras da nossa cultura que faz dele um dos mais constantes e produtivos investigadores da actualidade neste domínio. A presente Introdução à Cultura Portuguesa constitui uma súmula do seu trabalho nesta matéria, desenvolvido ao longo dos últimos anos.


Título: O Trompete de Miles Davis
Autor: Francisco Duarte Azevedo
PVP: 17,75€
N.º de Páginas: 304
Já disponível

Sinopse:
O trompete verde de Miles Davis, em exposição na biblioteca da Universidade de Rutgers, em Newark, é roubado, sem se perceber exactamente como foi possível.

Um detective português emigrado nos EUA, que trabalha por conta própria em pequenos casos de infidelidade, traições e divórcios é colocado na pista do trompete pelo seu amigo, o reitor da universidade, mas não se sente nada à vontade fora da sua rotina. Grande amante de jazz, resquícios de uma mulher americana com quem viveu e lhe incutiu essa paixão, e também grande amante de livros e livrarias: vai recorrentemente à Barnes & Noble para pensar no caso e acalmar a olhar para as lombadas. Na agência, tem dois assistentes a trabalhar consigo: uma mulher/secretária e um ajudante/fotógrafo que deixa bastante a dever à inteligência.

Durante a investigação, este detective português (que desmaia quando vê cadáveres) vai-nos conduzindo pelos pontos de encontro da comunidade portuguesa de Newark e seus habitantes. Guia-nos também pela realidade social de Newark e de Nova Iorque, como por um território de guerra declarada entre os gangues que dominam a cidade e a própria polícia e forças políticas das cidades, os problemas e dramas dos emigrantes ilegais à mercê destas máfias. Estão também retratadas a beleza e a podridão da Grande Maçã e das cidades satélites do outro lado do rio Hudson, onde se desenha uma geografia concreta da emigração e da comunidade portuguesa em particular.

Tudo isto imerso em jazz.

Sobre o autor:
Francisco Duarte Azevedo nasceu em Moçambique. É diplomata de carreira, tendo cumprido missões em África e nas Américas. Tem colaboração dispersa na “Página Jovem” do Notícias da Beira (Moçambique), na revista Vértice, nos Cadernos de Literatura da Universidade de Coimbra, nas revistas O Instituto e Gávea-Brown, no Jornal Luso-Americano e noutras publicações. O Trompete de Miles Davis é o seu primeiro romance. Para saber mais sobre o autor, visite a sua página oficial: http://www.franciscoazevedo.com/

Lançamento do livro Alquimia da Felicidade


A Editora Nascente e Vera Faria Leal têm o prazer de o convidar, família e amigos, para o lançamento do livro Alquimia da Felicidade. A sessão, dia 11 de Março, às 21h30, no Quiron, Centro Português de Astrologia - Rua Víctor Cordon n.º 5, em Lisboa - contará com a presença da autora e seus convidados. Não perca a oportunidade de conhecer uma principais formadoras na área de desenvolvimento pessoal em Portugal neste bonito espaço com vista para o Rio Tejo.
«A Vera é a autora mais conhecida do desenvolvimento pessoal em Portugal e TU não podes perder o que ela tem para ensinar. Este livro é uma obra-prima que todos deviam ler.» Daniel Sá Nogueira, autor de Trate a Vida por Tu.

terça-feira, 8 de março de 2011 | By: Maria Manuel Magalhaes

Mataram a Rainha! - Juliette Benzoni [Opinião]


Título: Mataram a Rainha! - A época dos venenos I
Autora: Juliette Benzoni
N.º de Páginas: 280
PVP: 18,85€
Tradução: Irene Daun e Lorena e Nuno Daun e Lorena

Sinopse:
Charlotte de Fontenac foge do convento onde a mãe, sequiosa da fortuna do defunto marido, a queria obrigar a tomar o véu. Perdida na noite, a jovem depara-se com um ritual aterrador numa capela abandonada... Até que um desconhecido a arranca da perigosa contemplação.

Sobre Paris e a corte de Luís XIV sopra o vento pestilencial do Caso dos Venenos e a suspeição recai sobre todos. Encontrando refúgio em casa da tia, madame de Brecourt, Charlotte é enviada para a corte da jovem e pitoresca duquesa de Orleães, Madame, a princesa Palatina.

Um caminho singular, o dos palácios reais, abre-se diante de Charlotte, e os perigos avolumam-se. Um capricho da natureza fá-la parecer-se com um antigo amor de Luís XIV, o que lhe vale o ódio de madame de Maintenon, em vias de tomar o lugar de madame de Montespan. No momento de maior perigo é Maria Teresa, a rainha, que lhe presta auxílio... mas morre passados quatro dias.
Mortes suspeitas, missas negras, um amor que não ousa dizer o seu nome e protecções que desaparecem uma após outra. Que vai ser de Charlotte?

Esta é a primeira parte de uma série de dois livros com a acção centrada na Época dos Venenos, um episódio real que abalou a corte de Luís XIV. Ainda por desvendar, estão muitos dos mistérios, suspeitas e aparatosas execuções, que ocorreram entre 1670 e 1682. A Rainha Maria Teresa foi apenas mais uma das muitas vítimas de esquemas políticos e passionais que alimentavam a Paris do faustoso monarca…
A minha opinião:
Conheci Juliette Benzoni há alguns anos com a trilogia Segredo de Estado e apaixonei-me desde logo pelos livros da escritora francesa.
Quando surgiu o seu mais recente romance Mataram a Rainha!, mais um romance pertencente a uma nova série desta feita A Época dos Venenos I, e me foi dada a oportunidade de lê-lo por parte da editora, Planeta, fiquei contentíssima, por ser uma das minhas escritoras do género romances históricos preferidas. E devo dizer que o seu mais recente título não me desiludiu.
Desta feita, Benzoni leva-nos para a época de Luís XIV na companhia da jovem Charlotte. Juntamente com a noviça, que foge do convento onde se vê enclausurada por ordem expressa da mãe, vivemos as aventuras da corte do rei Sol, mas também da corte espanhola, quando Charlotte é feita dama de honor de Maria Luísa, filha do irmão do rei francês, agora Rainha de Espanha, ao casar-se com Carlos II de Espanha. Na corte espanhola Charlotte e também a própria Maria Luísa tem de conviver com os terrores da Inquisição, que ambas condenam, mas que fazem as delícias do rei espanhol, que se “delicia” com o terrível espectáculo de ver centenas de judeus e outros opositores e desgraçados serem queimados em praça pública. Maria Luísa, que se opõe desde logo ao casamento com Carlos II por achar que é um homem horrendo, é uma mulher infeliz, e não consegue dar um herdeiro ao trono devido ao seu marido ser impotente. Nessa altura, e para felicidade de Charlotte, a jovem é mandada de volta para a corte francesa.
Aí continuámo-nos a deparar com as intrigas palacianas, com as amantes do rei Sol, que são muitas, com os desgostos da rainha, que se vê cada vez mais relegada para segundo plano, e com a época dos envenenamentos e bruxarias.
Um livro que me cativou bastante e que me deixou com curiosidade para continuar a ler os outros da trilogia.