sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Pura Malícia - Jill Mansell [Opinião]



Título: Pura Malícia
Autor: Jill Mansell
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 352
Editor: Edições Chá das Cinco
ISBN: 9789897100185
PVP: 18,85€

Sinopse: Não é que Janey não tenha ficado feliz por ver a irmã, mas ser acordada às sete da manhã por Maxine, trajada de noiva e com escolta policial, não foi bem a maneira como planeara começar o seu domingo.

Contudo, a vida nunca é entediante quando Maxine está por perto e Janey, a reconstruir a vida após o desaparecimento do marido, fica encantada com o regresso da irmã.
As coisas só começam a aquecer quando Maxine põe a vista em Guy Cassidy, um fotógrafo de moda tão competente quanto deslumbrante - é que Janey sabe que não há limites para as tropelias que a irmã vai fazer para destruir a concorrência.
O que elas não sonham é que a concorrência está mais perto de casa do que imaginam…

A minha opinião:
Estou completamente rendida a Jill Mansell. De uma leitura fácil e divertido, a autora leva-nos às lágrimas de tanto rir com as peripécias tão divertidas das suas personagens, mas também coloca dose de romantismo q.b.
Em Pura Malícia Jill Mansell presenteia-nos não com uma, mas com duas protagonistas, irmãs, que são completamente diferentes uma da outra, mas que, apesar de tudo, se dão bem e ajudam-se mutuamente. Chegam a estar apaixonadas pelo mesmo homem, embora em circunstâncias diferentes, e mesmo assim a amizade não é quebrada. No meio da trama existe um famoso fotógrafo, viúvo, que é disputado pela irmã mais extrovertida, que faz de tudo para ser ama dos seus filhos, para se aproximar dele. O problema é que este não mostra qualquer interesse nela e soma casos e mais casos com mulheres deslumbrantes e conhecidas de todas as revistas do social. No entanto, sem que disso esteja à espera, a sua vida também vai sofrer uma reviravolta.
Pura Malícia anda sobretudo à volta destas personagens, e é uma autêntica novela com muita diversão à mistura. Para quem é fã do género, recomendo.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Novidade Oficina do Livro: "UPS! Já Fiz Asneira Outra Vez" de Nuno Amado

Título: UPS! Já Fiz Asneira Outra Vez
Autor: Nuno Amado
PVP: 14,50€
N.º de Páginas: 242

Sobre o Livro:
Errar faz parte da vida. Conseguimos lidar bem com alguns dos erros que cometemos, mas outros levam-nos a bater com a mão na testa ou mesmo a querer bater com a cabeça na parede. Por vezes parece que está na nossa natureza cometer certas asneiras. Apesar de só termos ido ao ginásio duas vezes nos últimos seis meses, voltamos a inscrever-nos e acreditamos que é desta que passaremos a ir todas as semanas. Fazemos empréstimos que depois não conseguimos pagar. Mantemo-nos numa relação amorosa que quase só nos traz sofrimento. Deixamos para amanhã o que devia ser feito hoje. Ao longo da nossa vida cometemos pequenos e grandes erros no amor, no trabalho, na saúde e nessa demanda caótica que é a busca da felicidade. O estudo dos nossos aspectos menos perfeitos e das nossas más decisões tem sido alvo de interesse de cientistas das mais diversas áreas. Economistas, psicólogos, biólogos, neurologistas e muitos outros têm procurado entender quais são os nossos erros mais comuns e porque os cometemos. Este livro fala-nos dessas investigações. E fala-nos também de monges apressados, gorilas invisíveis, memórias falsas, oráculos errados e formas cientificamente testadas de sermos mais felizes. Com a ajuda da ciência, da cultura popular e do humor, Ups! Já fiz asneira outra vez permite-nos conhecer melhor a nossa natureza, para aprendermos a errar menos.

Sobre o Autor:
Nuno Amado nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Psicologia Social e das Organizações e Psicologia Clínica. É Doutorado em Psicologia do Desenvolvimento pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada/Universidade Nova. Actualmente, divide a sua actividade entre a prática clínica e o ensino, ocupando a posição de professor adjunto no Instituto Superior de Educação e Ciências e professor convidado na Universidade de Évora. O seu trabalho enquanto investigador tem-lhe permitido publicar e participar em vários congressos científicos em Portugal e no estrangeiro. Este é o seu segundo livro, depois de Diz-me a verdade sobre o amor (2010).

Chega às livrarias, a 10 de novembro, a sequela do sucesso O Livro da Ignorância Geral: O Segundo Livro da Ignorância Geral

Título: O Segundo Livro da Ignorância Geral
Autores: John Lloyd e John Mitchinson
Tradução: Rui Azeredo
Págs.: 280
Capa: mole com badanas
PVP: 14,90 €

Chega às livrarias, a 10 de novembro, a sequela do sucesso O Livro da Ignorância Geral (7.ª edição), um long-seller que a Ideias de Ler publicou no final de 2007. O Segundo Livro da Ignorância Geral é, tal como o antecessor, um grande inimigo do senso comum, uma obra que surpreende mesmo os mais informados.
Ideias erradas, equívocos e mal-entendidos da "cultura geral" estão elencados às dezenas nesta obra. O objetivo é desambiguar. Eis alguns exemplos: os polvos têm apenas duas pernas; o ponto mais a sul de África não é o Cabo da Boa Esperança; a água não congela aos zero graus; o diamante não é a substância mais dura que se conhece; os morcegos não são cegos.
Este título da Ideias de Ler constitui um excelente presente para os mais curiosos, para os que se julgam sabichões, ou para aqueles que, simplesmente, não sabem muita coisa. Os autores, John Lloyd e John Mitchinson, são criadores de um programa televisivo da BBC, de nome QI (Quite Interesting), na sequência do qual desenvolveram estes livros.

Sinopse:
Se pensa que já sabe tudo, está totalmente enganado!
Será que sabe…
● O que apareceu primeiro, a galinha ou o ovo?
● Que pássaros inspiraram a teoria da evolução de Darwin?
● Quanto pesa uma nuvem?
● Porque é que Júlio César usava uma coroa de louros?
De modo bem divertido, O Segundo Livro da Ignorância Geral ajuda-o a descobrir inúmeras curiosidades e a esclarecer ideias erradas e equívocos que assume como verdadeiros, mas que, no fundo, são autênticos disparates. Esclareça o que erradamente foi aprendendo ao longo dos anos e torne-se num mestre em Cultura Geral

Sobre os autores:
John Lloyd é presidente da Quite Interesting Ltd e produtor do programa QI, um concurso de celebridades, da BBC.
John é o criador de Not The Nine O'Clock News, Spitting Image e Blackadder e desempenhou um papel importante em The Hitchhiker's Guide To The Galaxy e em Mr. Bean.
É muito mais feliz enquanto produtor de televisão, um emprego em que 98% do trabalho não é feito por ele, mas por alguém que sabe o que está a fazer.
John Mitchinson é diretor da Quite Interesting Ltd e diretor de pesquisa para o QI.
Começou a sua carreira no mundo editorial como gestor de marketing da Waterstone’s. Atualmente passa os dias a recolher material para o QI e a escrever livros de cultura geral.
O que mais gosta de fazer na vida é ler, comer e beber.

Imprensa – SOBRE O LIVRO DA IGNORÂNCIA GERAL
Um livro indispensável para brilhar entre os amigos! João Paulo Sacadura, Cartaz das Artes, TVI
Para impressionar os amigos com a sua inteligência, suplique, peça ou compre ‘O Livro da Ignorância Geral’, uma extraordinária coleção de equívocos e ideias erradas muito comuns, compiladas para o programa da BBC QI (Quite Interesting). Financial Times
Este livro faria até Edison corar de vergonha, por apresentar respostas a perguntas que nunca pensámos fazer ou nunca tivemos necessidade de fazer, já que sabíamos, ou pensávamos que sabíamos, a resposta. The Economist

Novidade Antígona: A Escavação, de Andrei Platónov - Já à venda

Título: A Escavação
Autor:
Andrei Platónov

Tradução do Russo - António Pescada
N.º de Páginas: 176

A Escavação, obra-prima de Platónov, é um perturbador romance distópico que retrata um grupo de operários que escava os alicerces de um monstruoso edifício: a casa do proletariado, promessa de um futuro risonho convertida num atroz abismo que suga impiedosamente vidas e almas. Violenta crítica à construção do socialismo soviético e negra reflexão sobre o preço do progresso e os sacrifícios aterradores feitos pelo povo em nome de objectivos absurdos, esta obra, escrita em 1930, foi somente publicada na Rússia em finais dos anos 80, devido à censura. Com esta distopia, a Antígona conta agora com três romances do género: Nós, de Evgueni Zamiatine, 1984, de George Orwell, e A Escavação, de Andrei Platónov. Andrei Platónov (1899-1951), autor até hoje inédito em Portugal, foi descoberto pelo Ocidente nas últimas décadas do século xx, um fenómeno que resultou na tradução dos seus vários livros em diversas línguas e na reescrita da história da literatura russa. Nascido na viragem do século, entre a Rússia citadina e rural, Platónov foi partidário da Revolução de 1917 e, embora poucos autores tenham escrito de forma mais cáustica e incisiva sobre as suas consequências catastróficas, manteve-se fiel ao sonho que a materializou. O uso idiossincrático da linguagem valeu-lhe a condenação pelo regime político, e a sua prosa foi comparada por alguns à de Joyce e de Kafka.

Clube do Autor lança Coma Comigo de Helena Sacadura Cabral

Título: Coma Comigo
Autor: Helena Sacadura Cabral
PVP: 18,50€
N.º de Páginas: 192 + 32 Páginas com fotografias a cor

Receitas práticas para o dia-a-dia
As formas mais criativas de aproveitar as sobras
Os pratos ideais para impressionar públicos exigentes
Selecção de receitas adaptadas a regimes dietéticos
Seja um prazer ou apenas mais uma tarefa a cumprir no dia-a-dia, o certo é que, nos tempos que correm, o acto de cozinhar tem subjacente duas questões fundamentais: a saúde e o orçamento familiar. É precisamente a pensar nessas questões que Helena Sacadura Cabral apresenta Coma Comigo, uma selecção de receitas familiares fáceis de pôr em prática, saborosas e saudáveis, e a um preço em conta. Ao longo do livro encontram-se propostas para quem não tem qualquer tipo de restrição alimentar e se pode permitir algumas liberdades e também outras nas quais a gordura e o açúcar foram reduzidos sem que daí resulte menos prazer para quem decida segui-las.
A acompanhar as receitas, juntam-se as dicas da autora, no registo pessoal e directo que a caracteriza, tornando mais fácil e inspirador o momento de cozinhar.

Sobre a autora:
Helena Sacadura Cabral é licenciada em Economia, tendo obtido o prémio para o melhor aluno do Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF). Desempenhou vários lugares de chefia na Administração Pública, tendo sido a primeira mulher a ser admitida nos quadros técnicos do Banco de Portugal. Além de colunista de diversos jornais e revistas, mantém colaboração regular em televisão.
Autora de uma dezena e meia de livros, concilia ainda a participação cívica com a actualização dos seus quatro blogues.
http://hsacaduracabral.blogspot.com
http://duas-ou-tres-coisas-que-eu-ja-sei.blogspot.com
http://duasoutrescoisasquejulgosaber.blogspot.com
http://e-nada-o-vento-levou.blogspot.com

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Convite - "Os Profetas" de Alice Vieira

Europa-América relança Os Três Mosqueteiros de Alexandre Dumas

Título: Os Três Mosqueteiros
Autor: Alexandre Dumas
Colecção: Clássicos
Preço: 31.25€
Pp.: 672
Formato: 14 cm x 21 cm
ISBN: 978-972-1-05333-5
Data de edição: Março de 2004

Romance histórico, Os Três Mosqueteiros pertencem com efeito a esse género literário que Sir Walter Scott pôs em moda, por volta de 1820, com os célebres Ivanhoe, A Flecha Negra ou Rob Roy.

Alexandre Dumas teceu as suas ficções sobre uma trama do século XVII, misturando personagens reais das mais altamente colocadas com personagens imaginárias, conseguindo colocar uma e outras no panteão dos imortais. A sua inspiração faz agir e falar o monarca absoluto Luís XIII e o temível cardeal Richelieu, Ana de Áustria e Buckingham, reviver toda uma época em que se sucedem as aventuras dos seus heróis, D’ Artagnan, Athos, Porthos, Aramis e essa fascinante Milady, à volta da qual a acção se desenrola com inegável poder dramático.
Gerações de leitores renderam-se a esta obra brilhante.
E hoje, passado mais de um século, o livro conserva todo o seu interesse e continua a ser adaptado ao cinema, televisão e mesmo a desenhos animados, transformando esta numa verdadeira obra para todas as idades.

Sextante Editora publica, a 10 de novembro, Rixa de gatos, o mais recente romance do prestigiado Eduardo Mendoza, vencedor do Prémio Planeta 2010

Título: Rixa de gatos
Autor: Eduardo Mendoza
Tradutor: António Pescada
Págs: 360
PVP: € 17,90

Passado na Madrid de 1936, Rixa de gatos cruza costumes, arte e uma revolução política, e trata a tragédia e a conspiração com o reconhecido estilo irónico e perspicaz do escritor. A título de curiosidade, «Gatos» é uma designação que se dá aos naturais de Madrid.
Desde o ano passado que a Sextante Editora iniciou a publicação regular dos livros de Eduardo Mendoza, tendo já editado A assombrosa viagem de Pompónio Flato e Três vidas de santos.

Sinopse:
Um perito de arte inglês, Anthony Whitelands, chega de comboio à Madrid fervilhante de 1936. A sua tarefa é autenticar um quadro desconhecido, que pertence a um amigo de José Antonio Primo de Rivera, fundador da Falange, quadro cujo valor pode ser fundamental para apoiar uma mudança política em Espanha. Turbulentos amores, retratos fiéis dos meios sociais da época e a atmosfera tensa de aventura e de conspiração que antecede a guerra civil que se aproxima marcam este notável novo romance de Eduardo Mendoza, onde o humor e a ironia se cruzam com a gravidade da tragédia.

Sobre o autor:
Eduardo Mendoza nasceu em Barcelona em 1943. Escreveu entre outros romances A verdade sobre o caso Savolta (1975, Prémio da Crítica), O mistério da cripta assombrada, O labirinto das azeitonas, A cidade dos prodígios (1986, Prémio Cidade de Barcelona), Uma comédia ligeira (1996, Prémio de Melhor Livro Estrangeiro em Paris em 1998), A aventura do cabeleireiro de senhoras (2001, Prémio para o «Livro do Ano» do Grémio dos Livreiros de Madrid) e Maurício ou as eleições sentimentais (2006, Prémio de Romance da Fundação José Manuel Lara). Com Rixa de gatos venceu o Prémio Planeta 2010. A Sextante Editora iniciou, com A assombrosa viagem de Pompónio Flato e Três vidas de santos, a publicação regular em Portugal das obras de Eduardo Mendoza.

Imprensa:
Rixa de gatos, o romance ganhador do mais recente Prémio Planeta, pinta um panorama histórico com a ~enfase da inteligência, os perfis do cepticisco e o ritmo enlouquecido de certo tipo de vaudeville. Arte e vida, cães e gatos, obras de Velázquez e truculência política, num grande romance. José-Carlos Mainer, «Babelia», El País
Invenção e estilo harmonizam-se numa história moldada com uma minúcia técnica que funciona com a precisão de um mecanismo de relojoaria. ABC
Mendoza descreve com perfeição o turvo ambiente pré-guerra, as duas Espanhas, o clima de violência e o papel histórico da Falange de José Antonio Primo de Riviera naquele momento histórico. […] O melhor são as suas cenas de costumes que mostram como eram os bares de temática taurina, ou os jantares que faziam os espanhóis esquecer as tensões sociais. Juan Luis Sánchez

Clube do Livro SIC - Outubro: «Peso Pesado - Manter o Peso: receitas para vencer»

Título: «Peso Pesado - Manter o Peso: Receitas Para Vencer»
Autora: Terea Branco

Nº de páginas: 144 (a cores)
PVP: 13,99€
Data de saída: 28 de Outubro

Depois do sucesso do Plano de 12 Semanas de Exercício e Dieta do primeiro livro Peso Pesado, os portugueses podem agora aprender como manter o peso ideal - o maior desafio de todos.

Este é o livro que ensina a cozinhar com conta, peso e medida, sem ter de abdicar dos alimentos saborosos. Em Peso Pesado - Manter o Peso: Receitas Para Vencer, Teresa Branco oferece ao leitor mais de 50 receitas para manter o peso ideal e dicas práticas para poupar e adaptar as receitas ao gosto e à carteira de cada um. A autora explica ainda a importância que cada refeição tem.
Este novo título do Clube do Livro SIC conta ainda com os testemunhos inspiradores de todos os ex-concorrentes e dos leitores do primeiro livro da série.

«O que este livro nos dá não são apenas receitas para vencer,
são mesmo receitas para Viver!» Bárbara Guimarães

Hoje: Margarida Noronha modera 'Tertúlia das Pequenas Leituras

A Leitura Shopping Cidade do Porto promove, esta quarta-feira, 26 de Outubro, às 21h30, mais uma Tertúlia das Pequenas Leituras… para os grandes falarem dos livros dos pequenos. Moderada por Margarida Noronha, a sessão tem por tema As Histórias Que as Palavras Não Contam.
Margarida Noronha é actualmente Directora Editorial da Kalandraka Portugal e co-lecciona, como especialista convidada, o módulo de “Edição de Livro Infantil” na Pós-Graduação em Livro Infantil da Universidade Católica de Lisboa. Foi Assistente Editorial nas Edições Afrontamento, entre 2002 e 2007, e integrou o Departamento de Livros da FNAC Portugal, na secção de Importação de Arte e Literatura, de 1999 a 2001. É, além disso, tradutora e revisora, tendo colaborado com várias revistas e editoras. Estudou Línguas e Literaturas Modernas na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Hoje: Valter Hugo Mãe vai ao Clube de Leitores Bulhosa

O escritor Valter Hugo Mãe vai estar presente no Clube de Leitores Bulhosa, esta quarta-feira, 26 de Outubro, às 18h30, em Entrecampos, para falar do seu mais recente romance, O filho de mil homens, editado pela Objectiva. A moderação da sessão está a cargo de Paula Reis.
Poeta e romancista, Valter Hugo Mãe nasceu em Angola, em 1971, passou a infância em Paços de Ferreira e vive em Vila do Conde desde 1981. É licenciado em Direito e pós-graduado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. Publicou diversos livros de poesia, novelas e editou antologias dos poetas Manoel de Barros, José Régio e Adília Lopes, entre outros. Traduziu obras do italiano e do espanhol.
O seu segundo romance, O remorso de Baltasar Serapião, foi galardoado com o Prémio José Saramago em 2007, considerado pelo próprio Saramago um verdadeiro "tsunami literário". Começa, entretanto, a escrever letras para canções e funda, em 2008, com Miguel Pedro e António Rafael, do grupo Mão Morta, a banda Governo, onde assume a função de vocalista.
O Clube de Leitores Bulhosa tem periodicidade mensal. Sempre que um livro de um autor português é escolhido, o clube conta a presença do autor. Uma das personagens do romance, Isaura, foi baptizada pelo escritor em honra de uma das leitoras habituais do Clube.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Novidades Esfera dos Livros

Este mês a Esfera dos Livros quer dar especial destaque à vinda do psicólogo Javier Urra a Lisboa nos dias 26 e 27 de Outubro para apresentar o livro Prepara o Teu Filho para a Vida. Valores para crescer Feliz.
De salientar ainda a obra História Económica de Portugal de Leonor Freire Costa, Pedro Lains e Susana Münch Miranda. Este livro vem no seguimento da História de Portugal de Rui Ramos, Nuno Monteiro e Bernardo Vasconcelos e Sousa.
É uma obra de referência, num só volume, bem estruturado, desde a fundação do reino até ao início do Século XXI.

Título: Reis no Exílio
Autor: Charles-Philippe d’Orléans
Colecção: História Divulgativa
Nr de páginas: 304 + 16 extratextos
PVP: 24 €
ISBN: 978-989-626-345-4
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado

Sinopse:

A Europa era devastada por uma guerra cruel e mortífera, Portugal, país neutral, torna-se num destino apetecível para milhares de refugiados que procuram fugir dos horrores da ameaça nazi. Entre estes estão príncipes, reis sem coroa e membros das grandes monarquias europeias que encontram em Portugal um refúgio real. Em 1940, Wallis Simpson e o duque de Windsor e o rei Carol da Roménia que acabava de ser deposto, chegam a Portugal. Seis anos depois é a vez da família real espanhol se instalar no Estoril. Segue-se o rei Humberto e a rainha Maria José de Itália e a família real francesa. Cascais, Estoril e Sintra, o chamado Triângulo Dourado, locais que recebem estes visitantes de luxo. O bar do Hotel Palácio serve o conde de Barcelona e o conde de Paris, as águas do Guincho acolhem as proezas dos jovens príncipes espanhóis e franceses, o restaurante «O Pescador» é o eleito da condessa de Barcelona que adora os «santiaguinhos», o São Carlos acolhe o rei Humberto ávido de divertimento.

Sobre o autor:
O autor Charles-Philippe d’Orléans, duque de Anjou, não viveu estes tempos, mas têm-nos bem presentes na memória graças às histórias que a sua avô, a condessa de Paris, lhe contava sobre a Quinta do Anjinho, a casa da felicidade, refúgio da família real francesa. Aqui se casaram as infantas espanholas Pilar e Marguerita num ambiente de festa nunca antes visto. Maria Pia elegeu Cascais, a vila onde cresceu, como cenário de um matrimónio que encheu as primeiras páginas dos jornais europeus, foi na Villa Giralda, no Estoril, que morreu, em circunstâncias trágicas, Alfonsito irmão de Juan Carlos, atual rei de Espanha.


Título: Prepara o teu Filho para a Vida
Autor: Javier Urra
Colecção: Psicologia e Saúde
Nr de páginas: 264
PVP: 19 €
ISBN: 978-989-626-343-0
Formato: 15 x 23
Encadernação: Brochado

Sinopse:

«(…) Este livro significa uma convocatória endereçada a todos aqueles que, afetiva ou profissionalmente, estão envolvidos nestes problemas e se confrontam diariamente com as dúvidas e angústias decorrentes do trajeto de crescimento das crianças e das metamorfoses de vida que as transformam em adolescentes, em jovens e em adultos.»In Prefácio

Ao longo da vida dos nossos filhos surgirão dificuldades, problemas, crises, confrontos, possíveis traumas que terão de ultrapassar. Como podemos preparar os nossos filhos para a vida? Para ultrapassarem de forma serena, realista e otimista as pequenas ou grandes adversidades do seu dia a dia? O desafio da educação deve ser encarado com alegria e determinação pelos pais e educadores. Com o objetivo de formarmos pessoas equilibradas, capazes de partilhar e cooperar, de se enriquecerem no gosto por aprender, no desenvolvimento da criatividade devemos apetrechá-las com conhecimentos, atitudes, aptidões, competências e valores fundamentais.

- Devemos fortalecer os nossos filhos, torná-los mais flexíveis, mais adaptáveis, - Fortaleça um otimismo inteligente, -Cultivemos uma auto-estima saudável, - Não façamos dos nossos filhos seres dependentes, incapazes de tomar decisões, - Ensinar habilidades de confrontação a todas as crianças, para que possam fazer frente a acontecimentos graves e dolorosos que, de outra forma, se convertem em devastadores. - Partilhe com os seus filhos a ideia de que se pensa melhor com bom humor.

Título: O Milagres de João Paulo II
Autor: Saverio Gaeta
Colecção: Religião
P.V.P: 14 €
EAN: 9789896263416
Páginas: 160
Formato: 13 x 21 / Brochado
Data de lançamento: Outubro

Na homilia do funeral de João Paulo II, o então cardeal Joseph Ratzinger pronunciou as seguintes palavras: «Podemos ter a certeza de que o nosso amado Papa está agora à janela da casa do Pai, a ver-nos e a abençoar-nos.» Desde então o túmulo de João Paulo II é visitado, todos os dias, por milhares de fiéis provenientes de todo o mundo.
No dia 1 de maio de 2011, a beatificação oficial de Karol Wojtyla confirmou a convicção do atual pontífice Bento XVI e o sentimento popular que sempre quis que João Paulo II fosse considerado santo.
Neste livro, o jornalista Saverio Gaeta narra o milagre que permitiu concluir o processo de beatificação mais rápido na história milenar da Igreja, apenas seis anos e 29 dias.
Além da descrição da extraordinária cura da religiosa francesa atingida pela doença de Parkinson – cientificamente inexplicável segundo os médicos –, Gaeta reúne numerosos testemunhos acerca de outras graças, tanto físicas como espirituais, atribuídas pelos seus devotos à intercessão do Papa Wojtyla. Milhares de cartas chegadas à Postulação Romana descrevem histórias de tumores definitivamente desaparecidos, corações e fígados que ficaram repentinamente saudáveis, bebés nascidos sem as malformações prognosticadas nas ecografias e ainda extraordinárias conversões de condenados e prostitutas.
Este livro contém ainda uma entrevista ao Cardeal José Saraiva Martins que explica em que consiste a santidade cristã, o que é um processo de beatificação e de que modo se afere se uma cura é realmente milagrosa.

Sobre o autor:
Saverio Gaeta nasceu em Itália, em 1958 e é atualmente chefe de redação da Famiglia Cristiana. Licenciado em Ciências da Comunicação Social, foi ainda redator do diário L’Osservatore Romano e editor do jornal mensal Jesus. Enquanto escritor dedica-se a temas religiosos tendo publicado vários livros dos quais destacamos as biografias do padre Pio da Petrelcina, Papa João XXIII e da Madre Teresa de Calcutá e ensaios dedicados aos milagres e às devoções. Publicou um livro-entrevista Dio Crede in Te, com o presidente da Associação Teológica Italiana, o Monsenhor Piero Coda e Perché Santo - traduzido para português com o título João Paulo II Santo, editado por A Esfera dos Livros - um bestseller escrito em parceria com o Monsenhor Sławomir Oder, postulador da causa de beatificação de João Paulo II.


Título: Vidas Surpreendentes, Mortes Insólitas da História de Portugal
Autor: Ricardo Raimundo
Colecção: História Divulgativa
Nr de páginas: 432
PVP: 22 €
ISBN: 978-989-626-344-7
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado
Sinopse:

Numa bonita noite de primavera, a 14 de maio de 1277, Pedro Hispano, o único Papa português, deslocou-se até à câmara onde efetuava as experiências científicas que tanto apreciava. Mas algo de inesperado aconteceu. Uma grande explosão ecoou por toda a cidade de Viterbo. O teto desabava sobre o Papa que, ferido, agonizava por debaixo de uma trave de madeira. Seis dias depois entregava a sua alma ao Criador. O grande explorador Silva Porto, depois de uma vida de conquistas e descobertas, envolveu-se na bandeira nacional, sentou-se em cima de um barril de pólvora e suicidou-se sem glória. O escritor Antero de Quental escolheu um banco de jardim onde estava escrita a palavra «Esperança» para acabar com a sua vida. O médico Miguel Bombarda foi morto por um paciente psiquiátrico. O homem todo-poderoso que todos temiam, António de Oliveira Salazar, caiu do poder graças a uma cadeira de lona. Almirante Reis não esperou para ver e suicidou-se por achar que o golpe de 5 de outubro de 1910 iria falhar…Morrer é sempre tão ridículo. Mas há mortes mais insólitas que outras.


Título: História Económica de Portugal
Autores: Leonor Freire Costa, Pedro Lains (coordenador), Susana Münch Miranda
Colecção: História
P.V.P: 26 €
EAN: 9789896263461
Páginas: 516 + 16 extratextos a cores
Formato: 16 x 23,5 / Brochado

Leonor Freire Costa, Pedro Lains e Susana Münch Miranda apresentam-nos a História Económica de Portugal, desde a fundação do reino até ao início do século XXI.

Trata-se de uma obra de referência, num só volume, bem estruturado e coerente, que inclui ilustrações a cores, quadros e mapas, e que nos permite traçar a evolução da economia portuguesa ao longo dos seus mais de oito séculos de história, dentro das suas fronteiras, e nas suas relações com o império, a Europa e o resto do mundo.
Tendo Portugal como objeto de estudo, na procura das causas das variações nos ritmos de evolução económica, os autores analisaram de forma criteriosa, numa linguagem clara e rigorosa, as transformações institucionais do país, a evolução demográfica, as alterações nas formas de propriedade e organização da produção agrícola, assim como o comportamento da produção manufatureira, do comércio externo, das finanças públicas e de outros indicadores de desenvolvimento económico.
Trata-se de uma obra fundamental, apresentando uma perspetiva inovadora sobre um país que conheceu avanços e dificuldades, uns mais notados e outros menos, ao longo de uma história secular, em muitos aspetos única, no contexto de uma economia internacional em constante mutação. Um livro que obriga a repensar o passado, para assim melhor analisarmos o presente e perspetivarmos o futuro.

Sobre os autores:
Leonor Freire Costa é professora de História Económica do Instituto Superior de Economia e Gestão (UTL). É licenciada em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É doutorada e agregada em História Económica e Social pelo Instituto Superior de Economia e Gestão.

Pedro Lains é investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e professor convidado da Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica. É licenciado e agregado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, e doutorado em História pelo Instituto Universitário Europeu.
Susana Münch Miranda é docente da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É licenciada e doutorada em História pela mesma Universidade.

Título: Soldados de Honra
Autor: Adrian Goldsworthy
Colecção: Romance
Nr de páginas: 416
PVP: 23 €
ISBN: 978-989-626-342-3
Formato: 16 x 23,5
Encadernação: Brochado

Sinopse:

De repente tudo muda na vida dos homens do 106.º regimento de infantaria do exército britânico. No verão de 1808 deixam para trás as formalidades civilizadas de Inglaterra para combater numa guerra selvagem e brutal, contra os exércitos conquistadores de Napoleão que devastam sem misericórdia toda a Europa, nomeadamente a Península Ibérica. Para Hamish Williams, com falta de meios para conseguir uma comissão e a servir nas fileiras como voluntário, a única forma de progredir é provar o seu valor em ação. Para o pacato Billy Pringle, os rigores de uma campanha militar poderão afastá-lo da bebida e das mulheres que ameaçam ser a sua ruína. Para Hanley, um artista falhado forçado pela pobreza a enveredar pela carreira militar, é a oportunidade para descobrir os limites da sua aversão pela vida militar. E para o educado tenente Wickham, o campo de batalha é o local perfeito para uma criteriosa ascensão social. Sob o comando de Sir Arthur Wellesley, futuro duque de Wellington, um ambicioso general desesperado por encontrar a sua oportunidade para provar que Napoleão não é invencível, partem rumo a Portugal.
Cedo os sonhos de uma vitória fácil são postos de lado, a crueldade da batalha da Roliça e do Vimeiro fazem com que estes homens se confrontem com os seus maiores medos, com a força da amizade, da coragem, do amor e da traição.

Resultado do passatempo Contos que são poemas

Obrigada a todos que participaram no passatempo "Contos que são poemas" realizado entre o Marcador de Livros e a Civilização Editora, num total de 144 participações.

A feliz contemplada com um exemplar do livro é:
104 - Ema Filipa Neves Firmino (Amadora)


Além de o seu nome figurar no blogue, a contemplada foi ainda avisada através de email.

Novo romance de Isabel Allende, O Caderno de Maya, é publicado a 4 de novembro

Título: O Caderno de Maya
Autor: Isabel Allende
Tradução: Alcinda Marinho
Págs.: 360
Capa: mole com badanas
PVP: 18,90 €

O dia 4 de novembro promete ser um dos mais importantes do ano editorial em Portugal. Nesse dia, é publicado o novo e muito esperado romance de Isabel Allende, o primeiro na Porto Editora, intitulado O Caderno de Maya.
A chilena integra o lote de escritores mais populares do mundo. Só a soma dos livros vendidos é impressionante: 57 milhões. Obras como A Casa dos Espíritos e Paula são incontornáveis para milhões de leitores de dezenas de países e alcançaram um sucesso enorme também em Portugal.
Sobre O Caderno de Maya e respetiva protagonista, a autora explica: «esta Maya fez-me sofrer mais do que qualquer outra das minhas personagens». A obra aborda um tema contemporâneo – o da droga – e Allende decidiu escrevê-la simplesmente porque sentia necessidade de contar uma história atual.
Em setembro, a Porto Editora anunciou que iria publicar o novo romance de Isabel Allende. Desde aí, a expectativa cresceu junto dos fãs portugueses da escritora, que diariamente têm enviado mensagens para a editora procurando saber a data de publicação do livro.

O Caderno de Maya
«Sou Maya Vidal, dezanove anos, sexo feminino, solteira, sem namorado por falta de oportunidade e não por esquisitice, nascida em Berkeley, Califórnia, com passaporte americano, temporariamente refugiada numa ilha no sul do mundo. Chamaram-me Maya porque a minha Nini adora a Índia e não ocorreu outro nome aos meus pais, embora tenham tido nove meses para pensar no assunto. Em hindi, Maya significa “feitiço, ilusão, sonho”, o que não tem nada a ver com o meu carácter. Átila teria sido mais apropriado, pois onde ponho o pé a erva não volta a crescer.»

Sobre a autora:
Nasceu em 1942 no Peru. Viveu no Chile entre 1945 e 1975, com largos períodos de residência noutros locais, na Venezuela até 1988 e, desde então, na Califórnia. Em 1982, o seu primeiro romance, A Casa dos Espíritos, converteu-se num dos títulos míticos da literatura latino-americana. Seguiram-se muitos outros, todos êxitos internacionais. A sua obra está traduzida em trinta e cinco línguas.
Em 2010 foi galardoada com o Prémio Nacional de Literatura do Chile.

Isabel Allende sobre Maya
«Esta Maya fez-me sofrer mais do que qualquer outra das minhas personagens. Em algumas cenas apeteceu-me dar-lhe um par de estalos para a fazê-la voltar à razão, e noutras envolvê-la num abraço apertado para a proteger do mundo e do seu próprio coração imprudente.»

Imprensa:
Um livro para pôr os pés na terra e voar com a imaginação. Fnac.es
Ninguém conta histórias sobre mulheres fortes de um modo tão apaixonante como Isabel Allende. Cosmopolitan
Instantaneamente sedutora, luxuosamente sensual e descaradamente romântica.

Livro de Sónia Brazão está a chegar às livrarias

Título: Não Desisto
Autor: Sónia Brazão
Editora: Livros d’Hoje
N.º Páginas: 240
Preço: 14,40 €
ISBN: 978-972-20-4835-4
1ª Edição: Outubro de 2011

Sinopse:
Um testemunho de vida, força e coragem que pode inspirar outras pessoas. O mundo pode transformar-se em segundos. Inesperadamente. E a vida que tínhamos torna-se outra. Eu sou a mesma pessoa que sempre fui e, ao mesmo tempo, outra: sou uma sobrevivente. E feliz por o ser. O objectivo do meu relato, não é outro se não o de poder dar a conhecer um pouco do que sou e sinto, antes e depois dos eventos mais recentes, a explosão da minha casa, as queimaduras que me levaram à unidade de queimados do Hospital de São José em Lisboa, um local único, onde só encontrei pessoas de um extremo profissionalismo e cheias de amor e sentido positivo.
Como disse, as palavras são poderosas e escreve-se muito sobre as figuras públicas, especula-se, imagina-se. Ser uma figura pública tem várias vertentes, é como se fôssemos um cristal trabalhado, várias faces, formas de reflectir a luz ou a escuridão. A melhor de todas é, sem qualquer dúvida, o reconhecimento e carinho do público, o público que nos aborda na rua, ou através de outros meios, e faz questão de deixar uma palavra, um conforto, um elogio.
A pior? Como é fácil de imaginar, a pior vertente de se ser alguém cujo rosto pode entrar pela casa adentro diariamente é a exposição, os rumores, os boatos, uma desfiguração de quem somos. Muita coisa foi dita e escrita sobre os últimos meses da minha vida.
Eu sou a mesma pessoa por dentro e tenho os olhos postos no futuro. Se o meu relato for passível de ajudar alguém, de motivar quem está numa situação de saúde grave ou apenas esclarecer aqueles que, por uma razão ou outra, sentem curiosidade sobre a minha vida, pois aqui fica. Da forma mais honesta e sincera que fui capaz, sem tabus ou preconceitos, respeitando obviamente uma barreira de intimidade que, acredito, nunca deve ser ultrapassada. Assim, convido o leitor ou leitora a espreitar aquilo que sou, o que fiz, o que pensei e senti.
«A minha situação pode ajudar alguém? Espero que sim. Mas há algo que posso garantir seja a quem for, é que numa situação desta gravidade vamos buscar forças que desconhecemos e temos um instinto de sobrevivência brutal que nos leva a coisas que não sabíamos que podíamos fazer. Eu sei que foi o meu instinto que me levou a sair daquela cama de hospital. Não tenho qualquer dúvida sobre isso. Há casos muito piores. O meu, por ser uma figura conhecida, teve este impacto no público. Já que há este nível de exposição, então que sirva de testemunho para alguém em qualquer parte do país. Se eu consegui sobreviver, outra pessoa também consegue, é o testemunho motivador que posso dar.»


Sobre a autora:
Sónia Brazão é, há muitos anos, uma cara bem conhecida especialmente por causa da sua carreira de actriz, integrou diversos elencos de algumas das telenovelas de maior sucesso. Recentemente, tornou-se notícia pelos piores motivos ao sofrer um grave acidente depois da sua casa ter explodido misteriosamente. Ficou com cerca de 90% do corpo queimado, foi internada de urgência e esteve sujeita a um prognóstico muito reservado. Depois de uma recuperação que os médicos apelidaram de «milagrosa», Sónia regressou a casa e tenta recuperar a sua vida perdida. Sónia sente que está a viver uma segunda vida, como se tivesse renascido da primeira. «Não desisto» é o seu lema desde pequena, desde que era bailarina e insistia vezes sem fim na repetição de cada movimento, uma perseverança que se revelou fundamental na sua recuperação. Foi isso que a levou a escrever este livro.

Regresso de Fernando Campos à Cena Literária

O ficcionista, cronista e investigador Fernando Campos regressa à cena literária pela mão da Editora Objectiva, sob a chancela da Alfaguara, com o seu novo livro A Rocha Branca.

Com a mestria narrativa e o rigor histórico que este autor nos habituou, A Rocha Branca transporta o leitor até à antiguidade clássica. A acção do novo livro de Fernando Campos decorre na ilha de Lesbos, no Mar Egeu, e tem como personagem principal a poetisa mais famosa daquela época: Safo de Lesbos, que via no amor fonte inesgotável de inspiração para os poemas líricos que compunha.

O drama desta biografia romanceada reside em que a alma ardente e jovial de Safo, presa no invólucro da velhice, ama o corpo jovem de Fáon, que encerra um espírito velho e desapaixonado. Mas Safo parece ignorar essa diferença e entrega-se sem reservas à paixão por aquele homem de olhar fenício.

Fernando Campos, com o seu primeiro livro A Casa do Pó, publicado há 25 anos, desde logo foi colocado no grupo dos grandes escritores portugueses. Este romance histórico, que obrigou o autor a 11 anos de pesquisa e um de escrita, conta com 18 edições, num total de mais de 100 mil exemplares vendidos.

Algumas das obras de Fernando Campos foram traduzidas para francês, alemão e italiano.

Fernando Campos nasceu em 1924, em Águas-Santas, concelho da Maia, distrito do Porto. Cursou e licenciou-se em Filologia Clássica pela Universidade de Coimbra. Leccionou no ensino secundário em várias escolas técnicas e liceus do país, sendo o Liceu Pedro Nunes, em Lisboa, o último em que exerceu a função de professor.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Lançamentos Papiro Editora

Título: O Livro de Deusar
Autor:
Fernando Macedo

Género:
Romance

N.º de Páginas:
288

Formato:
15x23

PVP
: 15,80€

Sobre o livro:

A religião, refúgio do homem quando a ciência lhe falha, é seguramente a maior invenção da humanidade! Leonardo tem dúvidas. Existirá alguém que as não tenha? Indigna-se também Leonardo, que é um direito que a todos assiste. Mas as dúvidas e a indignação desta irreverente personagem não são suficientemente leves para que o vento lhas leve. Com o motivo de tanta dúvida e indignação no bolso – um velho livro de autoria desconhecida – Leonardo parte na busca de auxílio, que pensa vir a encontra junto de alguém que acredita ser quem melhor o poderá ajudar. Alguém que, aliás, há quem diga ser o filho do misterioso autor do livro. É no deserto que encontra esse alguém providencial, só, imundo e ascético talvez. Alguém que acabará por beber nas dúvidas e na indignação de Leonardo a inspiração para o seu projecto: “ (…) conquistar estas terras a este seu senhor derrotando-o e assim fazendo-o conhecer a humildade de vir aos homens, em vez de se impor do seu trono intocável, inexorável e solitário numa solidão que o torna desconfiado, injusto, bélico e vingativo”.

Sobre o autor:

Fernando de Macedo Gonçalves é o mais velho de três irmãos e nasceu a 14 de Fevereiro de 1963, em Vila Real, onde viveu até aos 6 anos de idade. Concluiu a instrução primária em Carvalhelhos, Boticas, onde os seus pais fixaram residência. Regressou a Vila Real para fazer o ensino secundário e foi aí que conheceu a sua futura mulher. Mais tarde licenciou-se em Engenharia Mecânica na faculdade de Engenharia da faculdade do Porto Terminado o curso, casou com a maravilhosa mulher que conheceu em Vila Real e voltou a Carvalhelhos onde se fixou, passando a exercer a sua profissão. Foi ai que nasceu o seu, até agora, único filho. A escrita, tal como a pintura, especialmente acarinhadas foram sempre hobbies que a realidade do dia-a-dia nunca deixou que passassem disso mesmo. Contudo, a irreverência da arte não deixou que as linhas que dão corpo a esta sua primeira obra literária, iniciada já nos tempos de estudante, se mantivessem por mais tempo no pó que vai cobrindo as sebentas da faculdade.


Título: Reflexo de Emoções
Autor:
Ana Rita Rendas

Género:
Poesia

N.º de Páginas:
80

Formato:
15x23

PVP
: 9,80€

Sobre o livro:

Nos tempos que correm, a vida é muito stressante para todos os grupos etários. Quer adultos quer jovens são sujeitos a um quotidiano de grande exigência e dificuldades sendo ainda obrigados a uma vivência “em alta velocidade”. Quando as pessoas não têm uma estrutura psicológica forte, que lhes permita encarar e ultrapassar os obstáculos que vão encontrando, inicia-se um processo de negação em que não acreditam nas suas capacidades e acabam por cair na depressão, ou pior ainda. Os poemas e reflexões deste livro têm como finalidade dar força a cada pessoa fazendo-a acreditar em si própria, lembrando-lhe que cada um é o dono do seu destino.


Sobre a autora:

Ana Rita de Oliveira Rendas nasceu no dia 10 de Novembro de 1993 no hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro. Nasceu numa família da classe média, sendo a mais nova de três irmãos. Tem tido um percurso escolar normal e frequenta o 11º ano do curso de Línguas e Humanidades. Tem como objectivo vir a ser Psicóloga Clínica e Educacional. Não é adepta de desporto e tem como paixões, para além da Psicologia, a Poesia, as Crianças e a Fotografia.


Título: O sentido da vida
Autor:
José Gomes Fonte

Género:
Poesia

N.º de Páginas:
68

Formato:
15x23

PVP:
9,40€


Sobre o livro:

O Sentido da Vida comporta três partes distintas. Uma primeira, de quadras ao estilo popular, muitas delas premiadas, a segunda, constituída por quadras inspiradas em pensamentos célebres, e uma terceira, de máximas ou aforismos. A poesia de Gomes da Fonte tem recebido várias críticas positivas ao longo dos anos.

Sobre o autor:
José Cândido Gomes da Fonte é natural de Fão, Esposende. É licenciado em Línguas e Literaturas Modernas pela Faculdade de Letras do Porto. É membro da Associação Portuguesa de Escritores (APE). Ganhou vários prémios literários entre os quais se destacam o 2.º lugar no concurso «Quadras de São João», organizado pelo Jornal de Notícias (1995); 2.º lugar nos I Jogos Florais do Sul do País, categoria de Poesia Regional (1979); 2.º prémio no concurso de Poesia organizado pela Comissão Municipal de Turismo de Esposende (1976) que teve Agustina Bessa-Luís como presidente do júri. Para além destes prémios, recebeu três menções honrosas no concurso «Quadras Populares de Santo António» (2002, 2004, 2007), organizado pela Câmara Municipal de Lisboa; menção honrosa no concurso «Quadras de São João» (1993), organização Jornal de Notícias e menção honrosa no I Concurso de Quadras Populares de 1977, organizado pelo Etnográfico de Vila Praia de Âncora. Tem quatro livros publicados: Quando Deus Quer (ed. autor, 1974), O Canto da Vida (ed. autor), Entre o Rio e o Mar (Associação Sílaba, 2006), O Abraço das Raízes (Papiro Editora, 2009). O Sentido da Vida – Aforismos / Vida Em Verso vem, agora, a lume sob a chancela da Papiro Editora.


Título: O Livro dos Ecos
Autor:
Helena Lebre

Género: Romance
N.º de Páginas:
128

Formato:
15x23

PVP:
11,40€


Sobre o livro:

No final das suas anotações, Madalena escreveu: «E o fim da história é sempre um começo. Talvez a melhor forma de começar algo seja inventar-me como personagem. Eventualmente desdobrar-me. Posso ser todos numa história. Afinal os outros são pedaços de mim e eu sou reflexo de todos com quem me cruzo. A originalidade, se houver alguma, reside na arquitectura que elaboro. Agrada-me ter vários nomes e estados e géneros. Sentir a várias vozes… Não há recriação. Não vou contar a minha vida perspectivada por outros olhares. Vou antes dividir-me e deixar sair os outros de mim. Uns conheço bem, coabito pacífica e prazenteiramente com eles. Outros irrompem e espantam-me. Não sei quem são, mas estão lá. Abraço-os para não me assustarem. Sei o risco que corro: esquizofrenia absoluta. Mas não posso evitar o desafio, não posso proibir-me de ser todas as possibilidades. Não saio de mim nem fujo de mim. Apenas tenho a coragem de assumir que não tenho centro. Essa é a minha provável solidez. (…)»


Sobre a autora:

Vivo há meio século em Lisboa: esta a minha cidade. Creio que seria muito infeliz em qualquer outro lado do mundo. Lisboa Antiga é a minha paisagem de eleição, a minha casa, o sítio onde pertenço. Nasci e cresci na freguesia da Lapa e durante a maior parte da minha vida deambulei por bairros idênticos, que embora envelhecidos, representam a essência desta cidade, em conjunto com o Tejo e o mar. Licenciei-me em Filosofia na Universidade de Lisboa, Faculdade de Letras, pelos anos oitenta. Posteriormente, foi o tempo de uma pós-graduação em Filosofia Contemporânea. Depois, bastante mais tarde, o inicio do doutoramento, com o ano curricular completo. Dentro do âmbito académico, escrevi alguns artigos da especialidade, realizei várias comunicações e integrei diversos projectos de trabalho. O que me interessa mais do que tudo são as pessoas, o seu comportamento, as suas atitudes e o seu modo de estar. Daí, o meu trabalho desde sempre: sou professora. Uma boa parte do meu tempo é dividida entre a Universidade e uma Escola Secundária. Na primeira, formo professores, na segunda formo alunos.



Título: Joaquinha na cidade de Miau
Autor:
Anne Caroline Soares

Género:
Infantil

N.º de Páginas:
24

Formato:
21,5x21,5

PVP:
10,00€


Sobre o livro:

O Joquinha é um menino muito reguila, tal como outros meninos da sua idade, mas vai aprender a lição graças ao seu animal de estimação, o gato Faísca.
Ilustrações de Ricardo Jorge Ladeira

Sobre a autora:
Anne Caroline Soares nasceu em São Carlos, São Paulo, em 1978. Mudou com os pais e dois irmãos para Portugal quando tinha 14 anos. Formou-se em Comunicação na Escola Superior de Educação de Coimbra. Aos 24 anos teve um acidente de viação e ficou tetraplégica. Realiza a hora do conto para crianças e lança agora seu primeiro livro infantil.


Título: Um grão de dor Pintado de sombra
Autor:
Nuno Novo
nero: Vários
N.º de Páginas:
76

Formato:
15x23

PVP:
9,80€


Sobre o livro:
Nuno Novo traz-nos em Um Grão de Dor Pintado de Sombra uma colecção de textos inéditos, prosa e poesia, impressões sobre o quotidiano em registo intimista.

Sobre o autor:
«Colecciono um conjunto de cicatrizes que empacoto nos meus contornos desde 22 de Dezembro de 1989. Escrevo o mar e as rochas nos acordes da minha irremediavelmente desafinada vida. Não sou os sítios por onde passo, sou os homens que me acompanham e as coisas que trago, mesmo as que vêm sem eu querer (e muitas vezes sem eu saber). Vivo, evito sobreviver!»


Título: Esmeralda Cor-de-Rosa
Autor: Carlos Reys
Género:
Romance

N.º de Páginas:
186

Formato:
15x23

PVP:
8,20€


Sobre o livro:
Quem tem ideais na vida terá, certamente, um ou mais mentores que como faróis, lhe indicarão rumos certos de rota e escolhos a evitar. Raramente o mentor será um modelo de conduta tão abrangente que se ajuste a todas as facetas da vida. Assim podemos ter mentores no campo da vida familiar, da vocação profissional, da vida artística, da vida amorosa e até na vida religiosa. O autor, Carlos Reys, adaptou um mentor ficcional, Guilherme Esteves, que o terá inspirado para a vida e que ele escolheu como personagem condutor de uma saga de pessoas que preenchem o tempo que vai do após a Primeira Guerra Mundial até aos nossos dias e cujas existências vão colorir uma cidade portuguesa, banhada por um rio que é fonte de sustento e de evasão de um Portugal oprimido até à libertação do 25 de Abril de 1974.Não sendo um livro histórico o retrato das personagens que o habitam é pelas suas características uma referência da sociedade média de Portugal do século XX.

Sobre o autor:

Carlos Reys é natural da Figueira da Foz – 1937 – onde iniciou os seus estudos e despertou o gosto pelo desenho. Frequentou o Instituto Superior de Engenharia de Coimbra para complemento dos conhecimentos técnicos inerentes à sua vida profissional deslocando-se para a Marinha Grande onde está radicado há longos anos. Licenciado em Design Industrial pelo ISDOM (Universidade Lusófona) trabalha na Indústria de Moldes para Plásticos. Como designer destacou-se na criação e desenvolvimento do projecto de artigos produzidos no material plástico em grande parte adquiridos para a linha "Regaline" da Companhia Americana Del Rey Plastic Corp. de New York. Desde cedo começou a dedicar-se às Artes Plásticas e a partir dos anos 60 iniciou a sua participação em manifestações culturais na região, através da ilustração de poesia. Leitor quase compulsivo, Esmeralda-Cor-de-Rosa é o seu primeiro livro.

Título: Do Éden ao Inferno
Autor:
Ângelo Santos

Género:
vários

N.º de Páginas:
404

Formato: 15x23
PVP:
24,00€


Sobre o livro:
Do Éden ao Inferno: por entre páginas e parábolas, Ângelo Santos enuncia um conjunto de episódios ficcionais que, pela sua violência, poderiam tornar-se argumentos de filme. No entanto, muitos destes episódios repetem-se quotidianamente e apenas se altera a identidade de um agressor impune, as vítimas permanecem as mesmas.
Qual o fundamento de tanto ódio? Por que motivo Deus não intervém nessas alturas, se é omnipresente e omnipotente? Respondendo a estas e outras questões, o presente livro tenta diluir desalentos e constitui-se como mensagem de fé, compreensão e perseverança.

Sobre o autor:

João Ângelo de Freitas Santos, nasceu em Agosto de 1963 na Freguesia de Cepães, Concelho de Fafe, onde ainda reside. Terminou o Ensino Secundário em 1982. Cumpriu o serviço militar obrigatório em 1984. Entre 1988 e 1995 foi chefe dos Serviços Administrativos da A.H.B.V. de Fafe. Desde 1995 que exerce funções como bancário numa prestigiada instituição financeira. É casado e tem duas filhas. Do Éden ao Inferno é o seu primeiro livro.


Título: Conversas com a Lua
Autor:
Débora Novo

Género: Juvenil
N.º de Páginas: 80
Formato:
15x23

PVP:
9,80€


Sobre o livro:
Livro de cariz religioso que pretende ajudar os jovens a esclarecer dúvidas sobre assuntos relacionados com a fé, em geral, e sobre o cristianismo, em particular.
A lua, ou seja, o repouso e a calma da noite que ela significa, trazem a capacidade de entrar no próprio íntimo para auscultar as aspirações que jazem latentes em todo aquele que é capaz de lhe dar ouvidos. A lua tem resposta para quase todas as dúvidas que se relacionam com a transcendência, a origem do cosmos e a história humana. Também sabe dar lições sobre as diversas religiões e, de uma maneira especial, sobre as religiões monoteístas. Parece ter prazer especial quando fala de Jesus Cristo e do povo que Ele conquistou na cruz. Vale a pena ouvi-la falar da Igreja e da sua missão no mundo.

Sobre a autora:
Débora Novo é o pseudónimo de alguém que vive o dinamismo da contemplação e da evangelização. Identificando-se com Débora, narrada em Juizes 4-5, procura, de forma simples e persuasiva, transmitir o que Deus é capaz de fazer em favor do seu povo, na óptica do Novo Testamento. A autora possui formação em Saúde (Bacharelato em Enfermagem), Psicologia (Curso Superior de Psicologia), Teologia (Licenciatura em Ciências Religiosas) e Ciências da Educação (Mestrado em Ciências da Educação).


Título: Contos da Raia
Autor:
Luís Faria

Género:
Contos

N.º de Páginas:
76

Formato:
15x23

PVP:
9,40€


Sobre o livro:
Os Contos da Raia são pequenas histórias romanceadas que acontecem, temporalmente, entre os anos 70 e os dias de hoje e, espacialmente, em toda a zona ribeirinha de Melgaço, Serra da Peneda e de Barroso, termas do Peso e Galiza. À volta das tradições e crenças do povo dessa região, o leitor deparar-se-á com possessões demoníacas, bruxedos, ciganas adivinhas, contrabando, vacas de olhar lânguido, casamentos pouco sustentáveis e amores fatais. Se alguns contos são sátiras que provocam facilmente o riso, outros são episódios pungentes, de um romantismo clássico, que convidam à lágrima. Em Contos da Raia o leitor encontrará as mais deliciosas fábulas e lendas, as mais caricatas personagens humanas e animais e peculiaridades linguísticas e etnográficas essenciais ao património imaterial deste povo raiano. Tudo isto embrulhado pelas mais belas descrições da deslumbrante paisagem minhota. Contos da Raia é um documento de incomensurável valor cultural.

Sobre o autor:
Luís Faria nasceu em Março de 1954, na Casa da Corga, na freguesia de Remoães, Concelho de Melgaço. Hoje é professor do quadro de um Agrupamento Escolar, destacado na CPCJ (Comissão de Protecção de Crianças e Jovens). É amante das letras e alguns dos seus autores preferidos são Camilo, Eça, Bocage. António Vieira, Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade, Cervantes, Voltaire e Lord Byron. Foi o vencedor do concurso literário lançado no ano de 1992 pela Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em associação com a respectiva escola secundária, cujo tema era “O Conto”. Contos da Raia é o seu primeiro livro.


Título: Na Calada da Noite
Autor:
Elisa Vila Nova

Género: Romance
N.º de Páginas:
556

Formato:
23x15

PVP: 29,00€

Sobre o livro:
Na Calada da Noite, primeiro romance de Elisa Vila Nova, oferece-nos uma subtil análise do Portugal continental e colonial do século XX nas vivências da protagonista, Sónia, e outras personagens ocasionais. Acontecimentos marcantes do século passado são, aqui, narrados de forma poética e intimista e entrecruzados com uma comovente história de amor transversal. Em suas reflexões oportunas para o contraponto entre o passado histórico e o presente, a autora de Na Calada da Noite envolve o leitor e transforma-o em seu principal confidente.


Sobre a autora:
Elisa Vila Nova nasceu em Lisboa, fez os estudos secundários em Moçambique e licenciou-se em Ciências Biológicas na Faculdade de Ciências da Universidade de Coimbra (1959). Até se reformar exerceu a docência como professora de Ciências Naturais e de Biologia em escolas públicas de Portugal Continental, Açores, Moçambique e Guiné. Depois de regressar definitivamente ao Continente após o 25 de Abril exerceu variadas actividades no âmbito da Educação, como: Orientação de um núcleo de estágio do Ramo Educacional ligado à Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, durante dez anos, Monitorização de numerosas acções de formação de professores e de delegados de disciplina, promovidas pelo Gabinete de Ciências da D.G.E.B.S. Participação na elaboração do programa para adultos O Homem e o Ambiente, do Ministério da Educação.Co-autoria de manuais escolares de Ciências da Natureza, Ciências Naturais e Biologia, num total de quinze manuais (Lisboa Editora e Plátano Editora) e da compilação documental constante do Guia da Reforma Curricular Autoria dos seguintes títulos publicados pela Texto Editora:Educar para o Ambiente, Educar para a Protecção Civil, Catástrofes Naturais, Avaliação dos Alunos. Na Calada da noite é o seu primeiro romance.

Destaque
Título: Mãos que falam com pressa
Autor: Eduarda de Andrade Mendes
Género: Prosa Poética
N.º de Páginas: 112
Formato: 15x23
PVP: 7
,00€

Sobre o livro:
Não existe nem pode haver passividade na palavra, nem valores equacionados na mesma. Cresço em cada sílaba, em cada frase, em emoções de gestos incontidos. Brindo o gosto pela poesia, com as horas que fruem os caminhos, como o lavrador semeia na terra lavrada. Corre em mim um quotidiano, rebelde e irreverente que me desalinhou da estética como indivíduo e comunico a vida, como algo adjacente no vaguear torto das esquinas.

Sobre a autora:

Nascida em Lisboa nos anos 50, cedo se destacou pelas idas constantes para a Quinta dos avós na Beira-Alta, onde se encontrava no seu pleno no meio da Natureza. Fez os seus estudos no Liceu de Oeiras, tendo igualmente frequentado o British Council e Alliance Française. Os estudos Académicos passaram pelo Curso de Língua e Cultura Portuguesa, na Faculdade de Letras de Lisboa. O "amor" pelos multi-deficientes, levou-a a tirar várias especialidades, para se dedicar ao trabalho quer com os mesmos, quer com jovens em risco. O gosto pela poesia, incentivada pela mãe e avó, desabrochou na Escola Primária, quando Pessoa era leitura obrigatória. A partir daí tornou-se o seu mestre, quer com Caeiro, mas principalmente com Campos. E como costuma dizer: "Meto a metafísica no bolso e vou para a rua dançar".