quinta-feira, 29 de março de 2012

Uma Noite de Amor - Mary Balogh [Opinião]

Título: Uma Noite de Amor
Autor:
Mary Balogh
Colecção: Romance

PVP: 15,90 eur
N.º de páginas: 368

Sinopse:
Numa manhã perfeita de Maio…Neville Wyatt, conde de Kilbourne, aguarda a sua noiva no altar. Mas, para espanto geral, em vez da bela jovem que todos conhecem aparece uma mendiga andrajosa. Perante a nata da aristocracia, o perplexo conde olha para ela e declara que é Lily, a sua mulher! Ao olhar para aquela que em tempos desposou, que amou e perdeu nos campos de batalha de Portugal, ele compromete-se a honrar o seu compromisso… apesar do abismo que agora os separa. Até que Lily fala com franqueza…E afirma querer começar de novo… e que Neville a ame verdadeiramente. Para isso, sabe que terá de estar à altura das expectativas dele, o que a leva a aceitar ser dama de companhia da sua tia e aprender as boas maneiras. A determinada Lily rapidamente conquista a admiração da alta sociedade, demonstrando ser uma condessa à altura do seu conde. Por seu lado, Neville está disposto a tudo para provar à sua formidável mulher que o que sentiu por ela no campo de batalha foi muito mais que desejo, muito mais do que o arrebatamento de…

A minha opinião:
Apesar de se terem conhecido da forma menos convencional possível, Neville, o conde de Kilbourne e Lily, apaixonaram-se perdidamente e, em plena guerra contra as tropas de Napoleão, Neville faz uma promessa ao pai de Lily: proteger a sua filha até ao fim dos seus dias. Assim, no dia em que o seu sargento morre, Neville e Lily casam, tendo como únicas testemunhas os seus pares do exército. No entanto, nesse mesmo dia são vítimas de uma emboscada e Neville é feito ferido e pensa que a sua amada morreu.
Dois anos volvidos deparamo-nos com um outro cenário. O conde de Neville já se encontra em Inglaterra e está prestes a casar-se com a sua eterna prometida: Lauren, uma mulher que a sua mãe sempre idealizou para sua nora e sua sucessora. No entanto, na nave da igreja, no lugar da noiva aparece uma mulher andrajosa que Neville reconhece como a sua esposa, que julgava morta, Lily.
Filha de um humilde sargento é óbvio que Lily não é bem aceite pela aristocracia, apesar de Neville a ter acarinhado logo desde o primeiro momento. Afinal no que a tinha esquecido. Apenas ele e a sua tia viam em Lily as qualidades que ela acarretava: a sua jovem beleza e a bondade. Mas Lily também não era feliz numa casa enorme que a prendia a regras que desconhecia.
É aqui que a autora estabelece o paralelo entre a vivência das classes alta e baixa, de que nem tudo o que traz dinheiro traz felicidade. As regras também podem trazer aprisionamento a um jovem de pensamento livre.

Além disso, o que poderia ser apenas uma linda história de amor entre classes, acarreta também um mistério, solucionado apenas no final do livro, embora a autora tenha dado algumas pistas ao longo da narrativa.
Gostei bastante.

1 comentário:

Guerreiro disse...

Atenção ao tiro!!! Vai ver o meu blog! ;o) NÃO FUJAS!