sexta-feira, 20 de abril de 2012

Cadáver não Identificado - Patricia Cornwell [Opinião]

Título: Cadáver não Identificado
Autor:
Patricia Cornwell
P.V.P.: 15,11 €
Coleção: O Fio da Navalha
Nº na Coleção: 46
Data 1ª Edição: 31/07/2002
Nº de Edição:
ISBN: 972-23-2908-1
Nº de Páginas: 376


Sinopse:
"Senti o tal cheiro a cão sujo e molhado no momento em que ele forçou a entrada e fechou a porta com o pé. Afoguei um grito na garganta enquanto ele abria um sorriso hediondo e estendia uma mão peluda para me tocar na cara num gesto quase de ternura". Kay Scarpetta, médica legista, chefe da Virginia e protagonista de eleição de Patricia Cornwell, vai investigar uma série de crimes muito peculiares.

Tudo começa com a descoberta de um corpo já em decomposição no contentor de um barco que chega ao porto de Richmond, vindo da Bélgica. A autópsia levada a cabo pela doutora Scarpetta não revela, a princípio, uma causa para a morte da vítima nem tão pouco a sua identidade. Na tentativa de desvendarem este mistério, Kay e o capitão Pete Marino viajam até França, onde há registo da ocorrência de crimes similares. Na cidade de Lyon, Kay recebe instruções da Interpol no sentido de recolher informações secretas numa morgue em Paris. Um percurso altamente perigoso que pode não só arruinar-lhe a carreira como pôr em risco a sua própria vida.

A minha opinião:
Em Cadáver não Identificado Kay Scarpetta, bastante fragilizada ainda pela morte do marido, vê-se envolvida numa intensa investigação para descobrir a identidade do corpo de um homem encontrado num contentor de um barco.
A autópsia ao corpo da vítima leva-a a um resultado surpreendente: é encontrado um pêlo esquisito no corpo e também nas roupas de marca que trazia vestida. Mais tarde, um crime cometido a uma mulher, que encaixa no mesmo Modus Operandi, leva-a a concluir que este não se trata de um assassino em série vulgar. E quando é chamada pela Interpol a Paris, para investigar o caso, juntamente com Marino, começa a desconfiar que algo de muito estranho pode estar por detrás de tudo isso. Estranho e com muita influência...
Além de realçar o carácter da investigação, há que notar a humanidade com que Patricia Cornwell trata Kay. Os problemas familiares que vão surgindo ao longo da história e o drama interior que ainda vive são muito focados neste livro.
Aos amantes de policiais, e não só, recomendo.

Sem comentários: