quarta-feira, 11 de julho de 2012

A Suspeita - Agatha Christie [Opinião]


Título: A Suspeita  
Autor: Agatha Christie
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 272
Editor: Edições Asa
PVP: 10.50€

Sinopse

Três jovens mulheres partilham um apartamento em Londres. A primeira trabalha como secretária, a segunda é uma artista, e a terceira - que pediu ajuda a Poirot - desapareceu, convencida de que era uma assassina. Embora não tenha sido encontrado nenhum corpo ou sequer indícios de crime, a jovem está atormentada.
Entre a curiosidade que este estranho caso lhe provoca e a insistência da sua amiga Ariadne Oliver, Poirot terá de fazer uso de toda a sua perspicácia e celulazinhas cinzentas para perceber se a rapariga desaparecida é inocente, culpada ou simplesmente louca...

A Suspeita (The Third Girl) foi originalmente publicado em 1966 na Grã-Bretanha, tendo sido editado no mesmo ano nos Estados Unidos. Foi adaptado para a televisão em 2008, com David Suchet no papel de Hercule Poirot.

A minha opinião:

Além de policial A Suspeita relata maravilhosamente a época que Inglaterra estava a atravessar. Com a influência dos Beatles e de roupas arrojadas e multicoloridas, os jovens não eram muito bem vistos aos olhos dos mais velhos e conservadores.

E é neste contexto que Poirot conhece Norma, uma rapariga que o procura pensar ter cometido um assassinato. Coisa estranha: não sabe quem poderá ter assassinado, nem quando.

Sem a companhia de Hastings (para pena minha que acho uma personagem importante para todo o boneco do detective belga), mas com a preciosa ajuda de uma famosa escritora de policiais: Mrs Oliver, Poirot, com algum custo, desvenda mais um caso, um pouco para o previsível.

A Suspeita relata a emancipação feminina, o facto de as jovens saírem de casa dos pais para terem uma vida independente, com um trabalho e uma vida próprias; o mundo das drogas, muito frequente naquela altura e não muito condenável, mas também a solidão de uma jovem que espera ser amada pelo pai ausente que de repente volta de África do Sul.

Apesar de não ter aquela emoção que espero sempre que pego num livro de Christie, talvez porque não tenha havido um assassinato logo nas primeiras páginas, gostei de mais este livro.

Sem comentários: