sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A Relíquia - Douglas Preston e Lincoln Child [Opinião]

Título: A Relíquia
Autores: Douglas Preston e Lincoln Child
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 352
Editor: Saída de Emergência
 

Sinopse:

Quando uma equipa de arqueólogos é selvaticamente massacrada na bacia do Amazonas, tudo o que resta da expedição são algumas caixas contendo amostras de plantas e a estátua de um deus misterioso.Viajando de barco em barco e de porto para porto, as caixas acabam por chegar ao Museu de História Natural de Nova Iorque, apenas para serem fechadas numa cave e esquecidas.
Mas o coração negro da Amazónia nunca esquece. Algum tempo depois, quando o museu decide expor a arrepiante estátua, alguém ou algo começa a vaguear pelos corredores e galerias poeirentas do museu. E é então que se dão as mortes brutais. Mas quem será o responsável? Um louco... ou algo muito mais inexplicável?
A Relíquia é um romance arrepiante onde se entrelaça o dia a dia de um enorme museu com factos científicos, personagens poderosas e um enredo que arrebata o leitor da primeira página até à reviravolta final.

A minha opinião:


Estava curiosa para ler um livro de Douglas Preston desde O Monstro de Florença, já que nunca tinha lido do autor enquanto ficção. Não posso dizer que fiquei vidrada no livro até porque thriller's que envolvam “monstros” não é bem das coisas que mais aprecie. No entanto, o facto de se passar num museu e estar relacionado com diversas mortes ocorridas na Amazónia, a curiosidade levou a melhor.

O desaparecimento do antropólogo Whittlesey, assim como de todos os membros da expedição à Amazónia há alguns anos atrás é o mote para a história deste livro, até porque, apesar de mortos e de ter sido uma expedição falhada, o Museu de História Natural está prestes a realizar uma Exposição sobre Superstições sendo o ex-libris da mesma uma estátua enviada por Whittlesey pouco antes do seu desaparecimento: estatueta do Mbwun.

O problema é que a partir do momento em que a estátua é posta a descoberto começam os assassinatos brutais e o mistério começa a adensar-se.

É aqui que entra o inspector Pendergast, que vai dar continuidade a algumas das investigações dos próximos livros da dupla.

Sem achar particularmente brilhante, fiquei rendida ao final que achei surpreendente. Por isso mesmo vou estar atenta aos livros de Douglas Preston e Lincoln Child de quem se diz maravilhas.

4 comentários:

Miar à chuva disse...

Quero MUITO ler o "Monstro de Florença". Só quando saiu este livro cá em Portugal pela chancela da Editorial Presença é que me dei conta que a história é ou foi REAL.
Continuação de boas leituras,
Sandra

Maria Manuel disse...

E esse é mesmo muito bom Sandra

Maria Manuel disse...

E bom regresso :)

Anónimo disse...

Aconselho a ler todos os livros da dupla "Douglas Preston e Douglas Preston" nos quais o personagem principal é o Pendergast. Convém lê-los por ordem cronológica uma vez que existe continuidade na maior parte dos livros. Cada um deles escreve livros individualmente mas a qualidade aumenta quando o fazem em conjunto, na minha opinião.