segunda-feira, 10 de setembro de 2012

As Cinquenta Sombras de Grey - E. L. James [Opinião]

Título: As Cinquenta Sombras de Grey
Autor:
E. L. James
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 552
Editor: Lua de Papel
PVP: 17,70€

Sinopse:


As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre.

Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor? As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E. L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicado.

A minha opinião:


Amado por muitos, odiado por outros tantos, As Cinquenta Sombras de Grey não é uma obra-prima. No entanto, soube prender a minha leitura até ao fim. Com quase 40 milhões de exemplares vendidos, o segundo volume, As Cinquenta Sombras Mais Negras, chega a Portugal em Outubro, e o terceiro, s Cinquenta Sombras Livre, apenas em Fevereiro de 2013.

E. L. James apresenta-nos Anastacia, uma rapariga sem sal, virgem aos vinte e um anos, sem nunca ter bebido álcool e quase sem saber beijar. Tímida, cora facilmente, com tiques de morder o lábio e revirar os olhos, é a típica rapariga de romances deste género. Por outro lado, aparece Christian Grey um homem mais velho, mas não muito (27 anos), mas mais experiente e que tem um fetiche por sexo BDSM (bondage, disciplina e sado-masoquismo).

Com uma escrita pobre a todos os níveis e com uma narrativa unicamente centrada nestas duas personagens, seria de esperar que este livro não alcança-se este sucesso de vendas. Mas uma coisa é certa: sexo vende e muitos dos seus leitores não esperam com este livrinho uma obra-prima.

Mister Grey é um homem dominador, tanto no trabalho como em casa e quer exercer esse domínio sobre a jovem e inexperiente Anastacia. Mas antes de tudo esta terá de assinar um contrato, tantas vezes adiado, em que se compromete a obedecer a todos os parâmetros. Caso não o faça será castigada. Pontos como: “a Submissa certificar-se-á de que dorme um mínimo de sete horas por noite quando não estiver com o Dominador” ou então ter de comer bem durante as refeições parece-me completamente ridículo.

Exímio a tocar piano e a pilotar aviões, Grey é o sonho de qualquer mulher (?). Rico e lindo, atrai e é atraído por Ana, vivendo um clima de romance tórrido, apimentado, ou não, por uma constante troca de emails.

Para quem gosta de ler literatura deste género, ou então gosta de mudar a sua leitura de vez em quando (como foi o meu caso) não se vai arrepender de ler As Cinquenta Sombras de Grey, mas não é recomendado a pessoas que preferem outro tipo de literatura.

Sem comentários: