quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O Segredo dos Pássaros - Vítor Serpa [Opinião]

Título: O Segredo dos Pássaros
Autor:
Vítor Serpa
PVP: 16,00 € 
N.º de Páginas: 336
Sinopse:
O mundo estava em guerra. Salazar conduzia Portugal nas curvas apertadas de uma diplomacia hábil e desafiante. Lisboa tornara-se o teatro preferido dos privilegiados da paz. Cada vez mais pobre, mais triste e mais religioso, o país real, no Alentejo profundo, nunca poderia aceitar uma paixão proibida. Entre intrigas políticas e ambições pessoais, a história da espia Jane Holmes e do contrabandista António Valentim tem consequências trágicas. Salazar manda arquivar uma investigação com um desfecho perigoso e um estranho nome de código: "o segredo dos pássaros".

A minha opinião:
Confesso que estava à espera de um livro em que a história da espionagem num Portugal que se colocou um pouco à margem da 2.ª Guerra Mundial, como um espectador atento. No entanto, esta espionagem veio de uma forma muito suave. Pensei que Jane ia ter um papel mais activo como espia, aliás não vi nenhuma parte do livro em que ela fizesse qualquer trabalho para o governo inglês, ao contrário do seu marido, esse sim um espião.
De um forma simplificada o autor descreve, com algum pormenor, a forma como os portugueses viviam, em especial os portugueses do Portugal profundo, de um Alentejo tantas vezes abandonado à sua sorte, de pessoas que viviam única e exclusivamente do trabalho que a mina lhes dava. Famílias numerosas a passar fome e às quais a guerra passava completamente ao lado, contratando com a vida cosmopolita de Lisboa. Por outro lado mostra-nos a posição que Salazar teve durante a guerra.
Com muitas personagens reais e servindo-se de documentos verdadeiros, como excertos do discurso de Salazar em várias ocasiões, das notas da direcção da Mason and Barry Limited, empresa que explorava as minas de S. Domingos na época, assim como artigos de jornais, incluindo a morte do actor e espião Leslie Howard após uma missão em Portugal, Vítor Serpa enriquece O Segredo dos Pássaros um pouco mais. No entanto, este seu novo romance não me convenceu na totalidade.

Excerto:
“A fome transforma Deus num Diabo” - pag. 216

Sem comentários: