sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Um Dia Naquele Inverno - Sveva Casati Modignani [Opinião]

Título: Um Dia Naquele Inverno
Autor:
Sveva Casati Modignani
Tradutor: Regina Valente
Págs: 384
PVP: 16,60 €

Sinopse:
Numa grande mansão, às portas de Milão, vivem os Cantoni, proprietários há três gerações da homónima e prestigiada fábrica de torneiras. Aparentemente, todos os membros da família levam uma vida transparente, mas, na realidade, todos eles escondem segredos que os marcaram; existem situações que, ainda que conhecidas por todos, permanecem um tema tabu. Omite-se até a loucura de que sofre Bianca, a matriarca desta dinastia.
Um dia, entra em cena Léonie Tardivaux, uma jovem francesa sem dinheiro e sem parentes, que casa com Guido Cantoni, o único neto de Bianca. Léonie adapta-se bastante bem à rotina familiar, compreendendo a regra de silêncio dos Cantoni. Isso não a impede de ser uma esposa exemplar, uma mãe atenta e uma gerente talentosa, que, com bastante êxito, conduz a firma pelo mar hostil da recessão económica. No entanto, também ela cultiva o seu segredo, aquele que todos os anos, durante apenas um dia, a leva a largar tudo e a refugiar-se no Lago de Como.
Mais uma vez, Sveva Casati Modignani cativa o leitor com uma saga familiar que atravessa quase um século da História de Itália, dos anos 20 até aos dias de hoje, colocando em cena personagens encantadoras: homens inteligentes, autênticos e perspicazes, que têm ao seu lado mulheres fortes e inigualáveis, capazes de os aconselhar e apoiar.

A minha opinião:
Sveva Casati Modignani tem o condão de me embrenhar nas suas histórias e senti-las como minhas. Foi o que senti ao ler o seu último livro, e para mim o seu melhor. Também neste livro a autora italiana elege como figura principal uma mulher forte que a vida que levou em criança ainda a tornou mais determinada. Mais uma vez surge uma família com fortes tradições, rica e próspera, mas que guarda segredos que podem mudar a nossa forma de entender a história. No fundo é uma história dentro de tantas outras que faz com que este livro seja uma deliciosa leitura que nos transmite um misto de sensações: amor, tristeza, e leves arrepios de prazer.

Gostei de todos os membros da família, até porque não há um verdadeiramente mal intencionado, adorei os segredos bem guardados, e nutri uma afeição especial por Léoni.

Fui invadida, como acontece nos livros que gosto mesmo de ler, pela sensação de querer saber mais daquela família, mas ao mesmo tempo não querer que o livro acabe, daí ter feito durar um pouco mais a leitura, que se pode ler bem numa tarde tranquila.

A todos os amantes de Sveva recomendo, a quem não é, mas gosta de um bom romance, não podem deixar de ler.

7 comentários:

Anónimo disse...

Vai realizar-se na livraria Bertrand do Centro Comercial Colombo, no dia 20 Outubro, pelas 17:00H uma sessão de autógrafos com a autora Sveva Modignani por ocasião do lançamento do seu novo romance "Um dia naquele Inverno".

Maria Manuel Magalhaes disse...

É verdade. Quem não conseguir estar presente nesse dia a essa hora tem outras alternativas: Dia 19 de outubro, sexta-feira | 18:30
El Corte Inglés Lisboa

Sessões de autógrafos

Dia 20 de outubro, sábado | 11:30
Livraria Bertrand Almada Fórum

Dia 20 de outubro, sábado |17:00
Livraria Bertrand Centro Comercial Colombo

Dia 21 de outubro, domingo | 11:30
Livraria Bulhosa Oeiras Park

Dia 21 de outubro, domingo | 17:00
FNAC Centro Comercial Vasco da Gama

Dia 22 de outubro, segunda-feira | 18:30 FNAC Centro Comercial Colombo

Catarina Abreu disse...

Olá

Acabei de ler este livro, e para mim é o melhor que li dela, apesar de não ser perfeito ;)

Se me permites a indiscrição- eu sou uma cusca do pior- a que livro da Sveva te referes?

Beijinhos e Boas Leituras!


Maria Manuel Magalhaes disse...

Olá Catarina, só agora consegui ter acesso à mensagem, não entendo porquê...
O livro a que me refiro é Mister Gregory :)

Boas leituras,
Maria Manuel

Catarina Abreu disse...

Deve ter ido parar ao spam :/

Obrigada! Vou ver se o encontro na biblioteca ;)

Maria Manuel Magalhaes disse...

E é que foi mesmo. E este segundo comentário também... :(

Cata disse...

:(