quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Os Monstros também Amam - Clara Sánchez [Opinião]

Título: Os Monstros também Amam
Autor:
Clara Sánchez
Género: Romance
N.º de páginas: 368
PVP: € 16,80

Sandra tem 30 anos, está grávida de um homem que não ama e decide ir viver para uma pequena aldeia costa leste espanhola. Num dos seus passeios pela praia conhece os Christensen, um casal de octogenários noruegueses e estabelece com eles uma relação de proximidade.
Nada faria supor que estas três vidas, unidas por acaso, pudessem ser a razão de viver de Julián, um homem recém-chegado da Argentina que segue, passo a passo, os noruegueses.
Um dia Julián aborda Sandra e revela-lhe detalhes do seu passado e do dos seus novos amigos. E conta-lhe que os Christensen não são quem aparentam ser.
Repleto de suspense e emoção, Os Monstros Também Amam é, acima de tudo, um romance sobre as ambiguidades do ser humano, entre a maldade e o amor, e sobre a forma como as aparências escondem o lado mais negro de cada um de nós.

A minha opinião:


Quando há cinco anos Clara Sánchez viu num jornal uma fotografia de um casal norueguês, ex-nazi, a viver no sul de Espanha, achou que tinha ali matéria para um bom romance. E, de facto, apesar de ficcional, esse “casal” ou qualquer um semelhantes, saltou para as páginas deste excelente livro “Os Monstros também Amam”, que viria a ganhar um importante prémio. «Eram dois velhinhos com as mãos cheias de sangue. Dois monstros», disse em entrevista ao Sol.

De facto, assim é. E esta história leva-nos a pensar seriamente que podemos viver rodeados de nazis, que cometeram atrocidades e que não foram punidos por tal.

Contado a duas vozes este livro retrata dois relatos díspares. Por um lado temos o velho Julián um espanhol sobrevivente do campo de concentração de Mauthausen e Sandra uma rapariga de 30 anos que encontra por acaso o casal norueguês que acolhe como se fosse uma filha. E é Julián que revela o passado macabro do casal Christensen (Karin e Fredrik) a Sandra encontrando nela uma aliada para os desmascarar.

Durante o seu relato o autor vai percebendo que Julián dedicou toda a sua vida, juntamente com o seu amigo, recentemente falecido, Salva, a perseguir nazis e a fazê-los pagar por todas as atrocidades que fizeram durante o regime de Hitler. Numa obsessão permanente Julián procura-os seja em que local for para aí se “vingar” do que passou enquanto prisioneiro, não desejando que tenham uma morte pacífica.

Já Sandra é uma jovem rapariga que se encontra grávida e longe de uma família ausente, que vê na ajuda dos Christensen um apoio e atenção que nunca teve. Depressa acaba a viver com eles sem imaginar que está constantemente a ser controlada e cujo único objectivo é colocá-la na Irmandade, dando, por isso, continuidade ao seus ideais nazis. Sim, porque os Christensen assim como outros velhos que fazem parte do seu círculo de amigos, não se arrependeram do seu passado, muito pelo contrário.

Um livro fantástico!

Sem comentários: