segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

As cinquenta sombras livre - E. L. James [Opinião]

Título: As cinquenta sombras livre
Autor:
E. L. James
Editora: Lua de Papel
N.º de Páginas: 624
 

Sinopse:
Quando a jovem e inocente Anastasia Steele encontrou pela primeira vez o impetuoso e fascinante milionário Christian Grey, começou entre eles um affair sensual que lhes mudou a vida para sempre. Assustada e intrigada pelas singulares inclinações eróticas de Grey, Anastasia exige um compromisso total na relação. Com medo de a perder, ele aceita. Agora Anastasia e Grey têm finalmente tudo o que desejavam - o amor, a paixão, a intimidade, uma riqueza incalculável - e todo um mundo de possibilidades à sua espera. Mas ela sabe que amá-lo não será fácil, e que estarem juntos vai implicar ultrapassar barreiras que nenhum deles poderia prever. Anastasia vai ter de aprender a partilhar o estilo de vida de Grey sem sacrificar a sua identidade. E ele terá de aprender a superar o seu obsessivo impulso de tudo controlar, enquanto se debate com os demónios do seu terrível passado. E quando tudo parece estar conjugado para que ambos consigam finalmente ultrapassar os maiores obstáculos, o destino conspira para tornar dolorosamente reais os maiores medos de Anastasia.

A minha opinião:
As Cinquentas Sombras Livre é o último da trilogia que tanto deu que falar este ano e que revela o passado de Grey, como aliás já se estava à espera. Aqui ficamos a entender o porquê de Grey ser tão frio e distante e da sua “aversão”a um relacionamento sério e duradouro e a constituir família.
Atravessando uma fase mais séria da sua relação, que os leva ao casamento, Ana e Christian na minha opinião, continuam imaturos. Ele a querer dominar a relação e a própria Ana, apesar de tentar combater isso mesmo, nunca resistindo ao poder que ele exerce sobre ela, sobretudo em relação ao sexo. Ao contrário do que mostra a autora, penso que esta relação tem tudo para não dar certo, mas...

O facto dela lhe chamar “o meu cinquenta” é uma coisa que me irrita um bocadinho, mas não é tudo. O facto de Grey querer que Ana ande sempre com o motroista atrás também é uma coisa que não me cabe na cebeça. Então para que dar-lhe um super carro quando ela faz anos? E desculpa-se sempre na segurança, bolas! Isso prova, que Grey controla todos os passos de Ana e que esta tem quase de pedir autorização para sair. 
Tal como os anteriores volumes, este também está repleto de cenas tórridas com tendência para o BDSM, que tanto apaixonaram os seus leitores.
Não gostei particularmente deste terceiro volume, achei-o um pouco chato até, com tantas páginas e mais do mesmo. Se não fosse um pouco de acção lá mais para o meio não sei se não resistiria a ler o livro na horizontal (coisa que detesto fazer), só para saber o final da história.
No final a autora brinda os seus leitores com o início da história de amor entre Christian e Ana contada do ponto de vista do primeiro. Um mimo que apreciei bastante.

Sem comentários: