sexta-feira, 20 de janeiro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Uma menina de boas famílias - Elizabeth Edmondson [Opinião]

Título: Uma Menina de Boas Famílias
Autor: Elizabeth Edmondson
Editora: ASA
N.º Páginas: 560
Preço: 15,90€
ISBN: 978-989-23-1639-0
1ª Edição: Novembro de 2011 

Sinopse: 
Ela não é o que parece… Em 1932, três amigas vão estudar para Oxford: Verity, filha de um pastor anglicano; Lady Claudia, uma jovem aristocrata; e Lally, filha de um senador. Vee, uma impetuosa maria-rapaz, planeia usar a sua liberdade para corrigir tudo o que falhou na sua infância desprovida de amor. O seu fascínio pelo jovem Alfred abre-lhe as portas das misteriosas sociedades secretas e irá conduzi-la a uma imprevisível carreira como agente secreta. Claudia é resplandecente e intensa, e sente-se igualmente atraída por um misterioso grupo, ou melhor, por um dos seus membros em particular: o sofisticado John Petrus.
É sob a sua influência que viaja para a Alemanha e se deixa enredar nos meandros do fascismo.
Entre duas personalidades tão fortes, Lally, a americana glamorosa, tenta manter viva a chama da amizade mas, na verdade, está céptica e preocupada com as opções e crenças extremas das suas amigas. Mas o assustador ano de 1938 traz consigo a desilusão e Vee decide partir para a Índia. Uma decisão tempestuosa, ensombrada pelo perigo e pelo receio da guerra. Uma viagem que mudará para sempre a sua vida e a das suas amigas.


A minha opinião:
Só existe uma palavra para definir este livro: fantástico! Foi a primeira vez que li um livro d autora, mas fique definitivamente rendida. Com personagens bastante ricas e com um enredo suficientemente atractivo, não foi difícil render-me logo nas primeiras páginas de Uma Menina de Boas Famílias.
Centrado na Segunda Guerra Mundial e na emancipação feminina, depressa nos transportamos para a vida nos anos trinta da velha Inglaterra e da faculdade de Oxford, onde as três protagonistas se encontram. É ali que conhecemos Claudia, Vee e Lally, as duas primeiras são primas e a última é uma americana que decidem prolongar os estudos.
Ao mesmo tempo, da comunidade escolar vamos conhecendo os rapazes do círculo delas, como Marcus, Hugh (irmão de Vee), Giles, Joel, Petrus e Alfred. Rapazes boémios, mas que estão por dentro da política que se vai fazendo no país, mas também um pouco pela Europa. Vee, um pouco ingénua para a idade, vai amadurecendo com a convivência e com a aprendizagem em Oxford, tanto a nível de mentalidade política com sexual.
É aqui que as forças políticas como o comunismo, o capitalismo, o fascismo se cruzam, causando acesas e divergentes discussões entre estes jovens promissores, tornando cativante a leitura do livro.
Os anos vão passando e as personagens deixam Oxford, mas a guerra é cada vez mais eminente em Inglaterra. Novas missões vão surgindo e Vee vê-se cada vez mais envolvida numa trama que poderá tornar-se perigosa. Muda completamente a sua vida até que em 1938, inesperadamente, num navio cruzeiro rumo à Índia, os amigos da faculdade reencontram-se. Mas será que estão iguais ao que eram antes? Ou guardam consigo muitos segredos? Apesar de prever parte do final, achei bastante original. Curiosa por ler mais livros da autora.

Apresentação do livro "O Pecado e a Honra", de Maria João da Câmara - 27 de janeiro l 18h30 l El Corte Inglés de Lisboa

D. Manuel, ainda duque de Beja, perde-se de amores por uma noviça do convento de Odivelas, de seu nome Isabel. Dos seus encontros ocultos (desejados e ao mesmo tempo odiados por Isabel) nasce uma criança – Teresa - que é imediatamente entregue para criar a um homem da confiança do duque, o desembargador Brás Afonso. Anos mais tarde, já com D. Manuel no trono, Teresa, viúva e com duas filhas, conta com o apoio do pai para refazer a sua vida com Rodrigo, escrivão da Fazenda. Dará, então, início a uma saga familiar que se irá prolongar por mais de um século, marcado por intrigas palacianas, campanhas militares, jogos de política internacional e pela sincera devoção a um Reino. Reconstruindo de maneira rigorosa o quotidiano social da época e com uma trama brilhante onde coexistem lealdade e cobiça ou amor e perdão, O pecado e a honra é uma obra apaixonante, que não deixará de prender o leitor mais exigente.

Susanna Tamaro em Portugal

Novidades Presença para a 2.ª quinzena de Janeiro

Título: Os Descendentes
Autor: Kaui Hart Hemmings
P.V.P.: 14,85 €
Colecção: Grandes Narrativas
Nº na Colecção: 520
Data 1ª Edição: 17/01/2012
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4709-9
Nº de Páginas: 304
Sinopse: Matthew King é advogado e um dos homens mais ricos do Havai, mas a sua vida muda por completo, quando a mulher fica em coma depois de um acidente. Esta situação acarreta novas e difíceis responsabilidades para King, entre as quais aprender a lidar com duas filhas nada fáceis. Entretanto, Matthew é surpreendido por uma revelação chocante... Kaui Hart Hemmings, a autora, ambienta este livro sobre relações familiares pouco convencionais no exotismo expressionista do cenário e tira partido da contradição entre o drama familiar e um omnipresente sentido de humor.

Os Descendentes foi nomeado para a categoria de Melhor Livro do Ano pelo San Franciso Chronicle. A adaptação ao grande ecrã, detentora do Globo de Ouro para o melhor filme dramático de 2011, estreia em Portugal a 19 de Janeiro.

Título: Do Reino das Neves para a Liberdade
Autor: Stephan Talty
P.V.P.: 13,95 €
Colecção: Vidas d´Escritas
Nº na Colecção: 19
Data 1ª Edição: 17/01/2012
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4710-5
Nº de Páginas: 276
Sinopse: Do Reino das Neves para a Liberdade traça um retrato completo e real de Tenzin Gyatso, o 14º Dalai Lama, durante os seus anos de juventude, e acompanha a sua dramática fuga para o exílio. Rigorosamente enquadrada no contexto histórico, social e político, esta obra de Stephan Talty lê-se como uma grande aventura épica, que culmina na perigosa fuga do jovem Dalai Lama através dos Himalaias até chegar à liberdade do outro lado da fronteira com a Índia, onde se instalou para assegurar a perpetuidade de uma nação, cuja história se confunde com a do próprio Budismo.

Título: Bilhetinhos de Namorados
Autor: Virginie Hanna
P.V.P.: 7,20 €
Colecção: Diversos
Nº na Colecção: 134
Data 1ª Edição: 17/01/2012
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4551-4
Nº de Páginas: 32
Sinopse: Bilhetinhos de Namorados é um livro com encantadoras ilustrações, concebido com ternura e sensibilidade para crianças na idade em que os primeiros anos de escola são palco de empolgantes descobertas.
Entre elas estão os afetos que podem despertar entre duas crianças de sexo diferente e as qualidades mais preciosas que cada um procura no outro.


Título: A Terra do Gelo
Autor: Ulysses Moore
P.V.P.:
9,89 €
Colecção: Ulysses Moore
Nº na Colecção: 10
Data 1ª Edição: 17/01/2012
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4711-2
Nº de Páginas: 300
Sinopse: No décimo volume desta saga, A Terra do Gelo, Jason, Julia, Anita e Rick regressam a Kilmore Cove e encontram à sua espera uma inquietante verdade: entre os habitantes da terra esconde-se um traidor. Alguém que nunca deixou de manobrar na sombra e que, com a ajuda dos Incendiários, está prestes a levar a cabo a sua vingança. O fio subtil de uma série de indícios conduzirá os quatro amigos ao lugar onde estão escondidas todas as respostas: Agarthi, a lendária cidade perdida entre os gelos onde ninguém, nem sequer Ulysses Moore, alguma vez entrou...

Título: A Carta de Clementina
Autor: Sara Pennypacker
P.V.P.: 6,21 €
Colecção: Clementina
Nº na Colecção: 3
Data 1ª Edição: 17/01/2012
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-4668-9
Nº de Páginas: 160
Sinopse: A Clementina não quer acreditar no seu azar. O seu professor preferido, o Sr. D’Matz, poderá estar prestes a partir para o Egito num trabalho de investigação e a deixar como substituta uma nova professora que exige muitas regras diferentes que a Clementina não consegue entender. A única solução é delinear um plano para trazer o Sr. D’Matz de volta. Mesmo que isso signifique arruinar uma oportunidade única na vida do professor…

Este é o terceiro volume das aventuras hilariantes desta menina cheia de imaginação. O primeiro livro, intitulado Clementina, venceu numerosos prémios literários, encontra-se traduzido em 15 línguas e conquistou o estatuto de bestseller.


Título: A Economia em 24 Lições
Autor: Mário Murteira
P.V.P.: 13,49 €
Relançamento
Colecção: Universidade Hoje
Nº na Colecção: 19
Data 1ª Edição: 01/01/1993
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-1589-0
Nº de Páginas: 232
Sinopse: Esta nova edição revista de A Economia em 24 Lições apresenta ao leitor uma atualização das quatro últimas lições, das propostas bibliográficas e novos quadros estatísticos elucidativos das alterações constantes, em especial, no domínio das relações económicas internacionais. O conteúdo divide-se em quatro grandes partes subordinadas aos temas: a problemática económica: preços, mercados e concorrência; fundamentos da política económica; crescimento, desenvolvimento e relações económicas internacionais. Em anexo, são incluídos quadros estatísticos vários.

Título: O Mundo na Era da Globalização
Autor: Anthony Giddens
P.V.P.: 10,72 €
Relançamento
Colecção: Destaques
Nº na Colecção: 8
Data 1ª Edição: 08/02/2000
Nº de Edição:
ISBN: 978-972-23-2573-8
Nº de Páginas: 92
Sinopse: Anthony Giddens foi escolhido para ser o último conferencista do século XX das Reith Lectures da BBC. O tema que apresentou não podia ser mais adequado ao momento - a globalização. E foram precisamente essas conferências que estiveram na origem de O Mundo na Era da Globalização, um livro breve mas ambicioso quer pela complexidade quer pela controvérsia da sua temática. A globalização é um fenómeno diversificado que está a reestruturar profundamente as nossas formas de viver enquanto humanidade e enquanto indivíduos, a vários níveis. Mas, a par das transformações benignas, ela encerra igualmente divisões profundas, riscos, desigualdades, angústias.

Eventos Bertrand Livreiros - Susanna Tamaro em Portugal

Leitores de todos os tamanhos - Concurso de ilustração

Leitores de todos os tamanhos procuram mascote.
As livrarias Bertrand lançam o desafio aos ilustradores portugueses de criarem uma mascote para comunicar com o público infantojuvenil.
O autor da proposta vencedora recebe 2500 euros e vê a sua criação nas 60 livrarias do país. O regulamento pode ser consultado em www.bertrandcirculo.com ou em http://www.facebook.com/#!/pages/Leitores-de-Todos-os-Tamanhos/314364058606062
quinta-feira, 19 de janeiro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros: "Obrigaste-me a Matar-Te...Quando o Amor se transforma em Violência"

Obrigaste-me a Matar-te… quando o amor se transforma em violência é o titulo do livro escrito por Ana Isabel Fonseca e Tânia Laranjo, duas jornalistas que lidam diariamente com casos de violência doméstica no jornal onde trabalham.
Foi por entenderem tão bem o que se passa no meio de muitas famílias que tomaram coragem de escrever esta história de ficção em todos os pormenores semelhante à mais dura realidade português.
São descritos episódios duros, difíceis de ler e de pensar que acontece com mais frequência do que aquilo que sabemos ou imaginamos. Como as autoras dizem: este é um mundo de silêncios, de vidas escondidas e ocultadas pela vergonha de enfrentar o agressor. É um tema demasiado importante para não ser falado e destacado. O ano passado morreram duas mulheres por mês vitimas de violência doméstica. É um número assustador.


Sinopse:
Esta é a história de Maria. Um relato na primeira pessoa de uma mulher que sonhou com um casamento perfeito e uma vida feliz ao lado de Rui e viveu um verdadeiro pesadelo, entre quatro paredes, durante décadas. Em silêncio, marcada no corpo e na alma pelas mãos, pontapés e palavras malditas do marido, assistindo à violência contra as suas filhas, incapaz de reagir, demasiado assustada, demasiado dependente... até ao dia em que a coragem suplanta a dor e a vergonha, pega numa arma, que mais cedo ao mais tarde a iria matar, e assassina o marido, o pai das filhas, o homem que jurou respeitá-la e amá-la, no cimo de um altar. Esta é a história da Maria, mas poderia ser da Ana, da Sofia, da Francisca, etc., etc., etc...
Sobre as autoras:
Tânia Laranjo tem 39 anos, sendo grande repórter do Correio da Manhã e editora Norte do mesmo diário. Começou a trabalhar em 1993, no Jornal de Notícias, onde permaneceu até 2005. Em agosto desse mesmo ano torna-se grande repórter do diário Público. Em 2007 transita para o Correio da Manhã. Como jornalista sempre se dedicou a trabalhar na área da Justiça.
Ana Isabel Fonseca, 24 anos, trabalha desde 2009 na redação do Porto do Correio da Manhã, onde se dedica à área da justiça.

Porto Editora publica, no dia 26 de janeiro, Às Vezes o Mar Não Chega, o novo livro de Sofia Marrecas Ferreira.

Título: Às Vezes o Mar Não Chega
Autor: Sofia Marrecas Ferreira
Págs: 184
PVP: 14,40 €

Amor, traição, sonho e misticismo encontram-se neste romance que gira em torno das personagens de uma grande família que tem como refúgio o Alentejo, local que é, também ele, uma personagem.
No catálogo da Porto Editora encontra-se, da mesma autora, O Sangue da Terra.
Sofia Marrecas Ferreira vai apresentar Às Vezes o Mar Não Chega no Encontro Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim, e, posteriormente, em Lisboa.

Sinopse:
«... Ambrósia suspeitou que o seu destino e o das mulheres do Monte das Pedras estavam para sempre ligados ao do Monte do Fidalgo, embora não soubesse exatamente como. Mas era uma coisa assim, um presságio que reconhecia e que pairava no ar, no desenho das estrelas, na respiração da terra, no palpitar das searas, nas nuvens do céu, nas lágrimas que entornava e que davam de beber às rãs. Por isso, pensava que Deus a queria ali, grande como um gigante e velha como um século, para olhar pelo futuro das três irmãs e, quem sabe, para protegê-las de si próprias.»
Três irmãs apaixonadas pelo mesmo homem. Uma jovem adolescente, Amália, que tem por única companhia a sua boneca Contratempo. Uma cigana centenária, Ambrósia, que tem o coração do tamanho do mundo e é capaz de ler nas suas próprias lágrimas as pulsões mais profundas daqueles que a rodeiam.
Sofia Marrecas Ferreira transporta-nos de novo a um mundo mágico e real, reconstituindo uma saga familiar que serve de suporte a uma reflexão literária sobre o encanto e as desilusões de uma cultura ancestral – a do Alentejo.

Sobre a autora:
Sofia Marrecas Ferreira estudou Línguas e Literaturas Românicas na Universidade Clássica de Lisboa, licenciou-se na Universidade de São Paulo, Brasil, e obteve o mestrado no King’s College, em Londres, com uma tese sobre «O Lisboeta Queirosiano».
Às vezes o Mar não Chega é o seu sexto romance, depois de Mulheres de Sombra (Prémio Máxima de Revelação), Uma História de Família, Da Cor dos seus Olhos, Só por Amor e O Sangue da Terra, este último publicado pela Porto Editora.

Imprensa:
Sobre O Sangue da Terra:
O quinto romance de Sofia Marrecas Ferreira, genialmente bem escrito, lê-se de um fôlego…
Margarida Sobral Farrajota, Os Meus Livros

«Ascensão à Meia-Noite», de Lara Adrian - Bestseller New York Times (Quinta Essência) - sai a 28 de Janeiro

Título: Ascensão à Meia-Noite
Autor: Lara Adrian
Ficção Estrangeira
N.º de Páginas: 344
PVP: 13,50€


Num mundo de sombras e escuridão, o desejo é a arma mais mortífera…
Bestseller do New York Times


Sobre o livro:
Impelido pela dor e pela raiva por causa de uma enorme traição, o guerreiro Rio dedicou a sua vida à guerra contra os Renegados. Não deixará nada interpor-se no seu caminho – muito menos uma mortal com poderes para expor toda a raça vampírica. Mas agora um mal antigo foi despertado e aproximam-se tempos sombrios…
Para a jornalista Dylan Alexander, o que começou como a descoberta de um túmulo secular oculto acabou por se converter numa espiral de violência e segredos. Porém, nada é mais perigoso que o homem marcado e letalmente sedutor que surge das sombras para a puxar para o seu mundo de desejos sombrios e noite eterna. Ali ela não consegue resistir ao toque de Rio, mesmo enquanto revela uma ligação surpreendente ao seu próprio passado.
Dylan tem então de escolher: deixar o reino noturno de Rio, ou arriscar tudo pelo homem que lhe mostrou a verdadeira paixão e os prazeres infinitos do coração.


Imprensa:
Nomeado para «Best Vampire Romance» em 2008 pela revista Romantic Times
«Estou com dificuldade em explicar como acho este livro fabuloso sem parecer uma fã histérica da Lara Adrian! Ascensão à Meia-Noite é absolutamente soberbo… assim que um “mistério” é explicado, a autora acrescenta outros… uma série fascinante!»RomanceJunkies.com
«Cheio de perigo e acção, [Ascensão à Meia-Noite] também explora as emoções tumultuosas do perigo, da raiva, da traição e do perdão. Adrian conseguiu uma combinação imbatível!»Romantic Times
«Ascensão à Meia-Noite é outro romance de vampiros sólido e fascinante… [Dylan e Rio] são dois heróis soberbos que comprovam o poder curativo do amor.»VampireRoman
LinkceBooks.com

Sobre a autora:

Em criança, Lara Adrian costumava dormir com os cobertores quase sobre a cabeça, com medo de vir a ser vítima de vampiros. Mais tarde, sob a influência de Bram Stoker e Anne Rice, foi levada a interrogar-se se o seu medo não seria antes outra coisa: um desejo secreto de estar num mundo mais sombrio, de viver um sonho perigoso e sensual com um homem sedutor de poderes sobrenaturais. É essa mistura de medo e desejo que alimenta hoje as fantasias de Laura e a ideia que ela explora na série «Raça da Noite», bestseller do New York Times e vendida em 16 países. Com as raízes familiares a estenderem-se até aos primeiros colonos chegados a bordo do Mayflower, Lara Adrian vive com o marido no litoral da Nova Inglaterra, rodeada por cemitérios seculares, pelo moderno conforto urbano e pela inspiração infinita do oceano Atlântico. Para saber mais acerca dos seus romances, visite www.laraadrian.com
quarta-feira, 18 de janeiro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Apresentações da Papiro Editora



Novidades Papiro Editora: Hoje lembrei-me que te amo - Miguel Novo

Título: Hoje lembrei-me que te amo
Autor: Miguel Novo
Género: Conto
N.º de Páginas: 61
PVP: 9€
Mês de edição: Janeiro

Sobre o livro:
Este pequeno mas inquietante livro fala-nos de amor, de angústia, de desespero, revela-nos os mais extremos polos do amor que são sempre negativos, porque extremados ao expoente máximo da loucura. De repente, quem assina as cartas são outras personagens que podem muito bem ser os heterónimos de Fernando Pessoa, como uma defesa que Bartolomeu usa para não assumir que está a cair, a morrer de amor aos poucos por causa de Maria Alice.
Devo chamar a atenção para a simbologia do número três: São três as personagens; as cartas são todas escritas ao dia três de cada mês. Miguel Novo é um jovem escritor que está a lançar o seu segundo livro. Não podemos definir ainda nenhum estilo literário, mas a magia de se ler com surpresa algo que se situa entre a poesia e a prosa, acaba por lhe dar uma virgindade puríssima, que outros autores, por força dos hábitos que criam, não conseguem mais repetir. Há uma contemporaneidade que se lê a todo o instante, como também um viajar ao modernismo de Pessoa, de Sá Carneiro ou outra ainda a uma Atenas clássica onde Platão também está presente. O texto de Miguel Novo é, coerentemente, o texto mais incoerente sem nunca perder o sentido. Poderia dizer que são viagens em palavras, mas isso seria muito redutor. Há uma explosão de sentimentos que rasgam as palavras, saem delas, fogem e espalham-se de tal forma, que nunca mais são as mesmas. Há uma confusão que não é mais do que um espelho do que podemos sentir, e quando amamos alguém o sentido não faz sentido absolutamente nenhum. Há uma frescura em cada frase e a certeza de que estamos a ler o que nos é inevitavelmente familiar.

Sobre o autor:
Escritor, Miguel Novo nasceu no Porto a 30 de Maio de 1991. Estuda Ciência da Informação na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Com apenas vinte anos tem uma obra publicada, “O Livro sem Título”, 2008 da Corpos Editora e “Hoje lembrei-me que te amo” publicado agora pela Papiro Editora.

Os seus interesses literários atravessam áreas distintas como a Poesia, o Argumento e o Romance, onde revela uma personalidade literária vincada e transversal a todos os estilos.

Miguel Novo é um Criador enérgico e compulsivo que bebe das influências literárias de autores como Gonçalo M. Tavares, Pedro Paixão e Albert Camus no Romance, Fernando Pessoa e todos os seus espelhos heterónimos, destacando aqui a figura de Bernardo Soares, e no Argumento escritores como Manuel Arouca e Jonathan Nolan.

Novidade Porto Editora: Uma Fazenda em África, de João Pedro Marques

Título: Uma Fazenda em África
Autor: João Pedro Marques
Págs: 432
PVP: 16,60 €

Uma Fazenda em África, livro que a Porto Editora publica no dia 23 de janeiro, é o novo romance de João Pedro Marques. Desta vez, o autor elege como pano de fundo a colonização de Moçâmedes, em meados do século XIX, e, como protagonistas, os colonos vindos de Pernambuco para o Sul de Angola em busca de uma vida melhor.
De acordo com Fernando Sobral, João Pedro Marques envolve-nos num ambiente hipnótico, enquanto seguimos as aventuras dos principais personagens deste livro. Sentimos o aroma daquela terra através dos sonhos e conflitos e da luta contra as contrariedades. […]
Um romance histórico deve ser assim. Ensinar-nos algo sobre o passado e abrir as janelas para o sonho. […] A escrita é ágil e atraente. Conquista. (excertos de crítica publicado no Jornal de Negócios no dia 13.01.2012)
João Pedro Marques vai apresentar o seu romance no Encontro Correntes d’Escritas, na Póvoa de Varzim, e, posteriormente, em Lisboa.

Sinopse:

Uma história de amor e aventura nos primórdios da colonização de Moçâmedes.
Ao acordar em sobressalto naquela noite de junho de 1848, a jovem Benedita não podia imaginar a transformação radical que a sua vida iria sofrer. Um ano volvido, tendo perdido tudo o que a prendia a Pernambuco, embarcava com escassos haveres e o coração apertado em direção a Moçâmedes. Consigo seguia mais de uma centena de portugueses que, desiludidos com o Brasil, procuravam uma nova oportunidade, fundando uma colónia agrícola do outro lado do Atlântico. Uma Fazenda em África acompanha a vida e as histórias dos primeiros colonos numa terra brutal, trazendo à superfície os sucessos e desaires, os perigos e as surpresas da sua fixação num território inóspito e selvagem.
Baseado numa investigação histórica meticulosa e tendo como pano de fundo a colonização de Moçâmedes, este novo romance de João Pedro Marques leva-nos por uma África simultaneamente enternecedora e inclemente, carregada de exotismo e em cujos trilhos a aventura e o amor caminham de mãos dadas.

Sobre o autor:
João Pedro Marques nasceu em Lisboa, em 1949. Foi professor do ensino secundário e, depois, durante mais de duas décadas, investigador do Instituto de Investigação Científica Tropical e Presidente do Conselho Científico desse Instituto, em 2007-2008.
Doutorado em História pela Universidade Nova de Lisboa, onde leccionou durante a década de 1990, é autor de dezenas de artigos sobre temas de história colonial, e de vários livros, dois dos quais publicados em Nova Iorque e Oxford (The Sounds of Silence, 2006; e, em co-autoria, Who Abolished Slavery? A Debate with João Pedro Marques, 2010).
Em 2010 lançou o seu primeiro romance histórico, Os Dias da Febre, publicado pela Porto Editora.

Imprensa:
Sobre Os Dias da Febre:
Uma estreia auspiciosa. Eduardo Pitta, Ípsilon
Em Os Dias da Febre, a História de Portugal não é um enxerto, as cenas de amor não são um interlúdio, as personagens não são arquétipos […]. São gente de carne e osso. Rui Lagartinho, Time Out
A escrita é muito fluida, equilibrando esmeradamente descrições, acção e diálogos, pelo que não daria muito trabalho adaptar a obra para o ecrã. Isabel Marques da Silva, Os Meus Livros
Adorei! A minha atenção ficou presa desde a primeira página […]. Um enredo de uma notável originalidade e muitíssimo bem construído. Maria de Fátima Bonifácio
Um livro estimulante. Maria Filomena Mónica
Os Dias da Febre tem o dom de evitar o tom maniqueísta dos romances históricos […]. Estamos perante uma outra dimensão, há aqui um salto no abismo, que é amplamente compensado. Francisco José Viegas

«Tudo se perdoa por amor», de Patricia Scanlan - Bestseller Internacional (Quinta Essência) - sai a 28 de Janeiro

Título: Tudo se perdoa por amor
Autor: Patricia Scanlan
Ficção Estrangeira

Poucos casamentos correm conforme o planeado
Bestseller Internacional

Sobre o livro:
Nada como um bom casamento… para dar início a Terceira Guerra Mundial!

E é exatamente o que vai acontecer se Connie Adams, a mãe da noiva, não conseguir melhorar as relações entre Debbie e o pai.Barry faz questão que a sua emproada segunda mulher e a filha adolescente, sempre mal-humorada, o acompanhem no grande dia, mas Debbie preferia casar num supermercado a tê-las no seu casamento.E, como se não bastassem já a Debbie todas estas coisas, a sua chefe anda a fazer-lhe a vida num inferno e ela começa a desconfiar que o noivo tem algumas hesitações relativamente ao casamento…
Por isso, viverão todos felizes para sempre ou estará a família inteira a encaminhar-se para o divórcio?

Imprensa:
Nomeado para Livro Irlandês da Década (2000-2010)
Nomeado para os Irish Book Awards de 2009
«Não há dúvida que Patricia Scanlan é a rainha da ficção popular irlandesa contemporânea.» Sunday Times
«Há uma autenticidade comovente nas suas observações.»Irish Times
«Fabuloso... Uma leitura evocativa e divertida que aborda as tensões que podem surgir nos casamentos entre famílias modernas.»Irish Post
«A leitura agradável por excelência.»Glamour
«Mais um livro divertido da campeã de vendas irlandesa.»You Magazine


Sobre a autora:
Patricia Scanlan nasceu e vive em Dublin. Os seus livros, todos êxitos de vendas, estão traduzidos em várias línguas. Sempre se interessou pelo mundo da edição e trabalhou em part time como consultora numa editora internacional. Embora adore escrever ficção, Patricia anseia verdadeiramente ser convidada para escrever um livro sobres os Grandes Spas de Luxo do Mundo ou as Lojas Mais Elegantes de Paris… não importa quais.

Porto Editora publica Anjos na Neve, o primeiro livro de James Thompson, um americano na Finlândia

Título: Anjos na Neve
Autor: James Thompson
Tradutor: Mário Dias Correia
Págs: 248
PVP: 16,60 €
Coleção: Alta Tensão

Há dez anos que o americano James Thompson foi viver para a Finlândia, onde se inspirou para escrever o seu primeiro romance, Anjos na Neve, o novo título da coleção Alta Tensão, que a Porto Editora publica no dia 23 de janeiro.
O sucesso deste policial foi imediato e, para além de os direitos de tradução já estarem vendidos para 10 países, Anjos na Neve foi escolhido como um dos melhores vinte livros do ano pela Booklist, tendo igualmente sido nomeado para o Edgar Allan Poe Award da Mystery Writers of America 2011 e para o Anthony Award for Best Novel.
O grande escritor de policiais americano Michael Connelly recomenda-o: «Um livro fantástico. Deixei-me conduzir de imediato a um estranho mundo novo, ficando seu prisioneiro da primeira à última página. Uma obra magistral.»

O livro:
O inspetor Kari Vaara é o protagonista deste romance que nos leva ao submundo violento e obscuro da Finlândia, onde a noite polar, kaamos, é a época mais lúgubre do ano. Quando uma bela imigrante somali aparece brutalmente mutilada num campo coberto de neve,com uma injúria racista gravada no ventre, Kari Vaara sabe que é crucial manter o crime em segredo, pois este seria um escândalo num país que convive mal com a sua xenofobia.
Por outro lado, as exigências da investigação começam a afetar o seu próprio casamento – Kate, a atual mulher, norte-americana, adapta-se mal à cultura e ao modo de vida finlandês. E o próprio Vaara vê-se inesperadamente confrontado com o passado: as suas suspeitas sobre o assassino da jovem somali recaem no homem por quem a sua primeira mulher o trocou…

Sobre o autor:
James Thompson, nascido e criado no Kentucky, vive na Finlândia há dez anos e reside atualmente em Helsínquia com a mulher. Antes de se tornar escritor a tempo inteiro, estudou Sueco e Finlandês e trabalhou como barman, segurança, operário da construção civil, fotógrafo, negociante de moedas raras e soldado. Anjos na Neve é o seu primeiro romance.

Imprensa:
Tenso e hipnotizante. James Thompson gela-nos e fascina-nos com esta história de negras intenções em noites de inverno infindáveis, mostrando de inúmeras maneiras como o mês de dezembro pode ser fatal na Finlândia. Lisa Gardner
Uma leitura obrigatória para os fãs de policiais nórdicos. Booklist
A voz lacónica do inspetor Kari Vaara é ao mesmo tempo perigosa e humana; o seu mundo é frio e estéril, mas intrigantemente exótico; a sua história é rápida, brutal e, todavia, contada com uma espécie de descontraída calma. Peter Høeg
Thompson é claramente um grande contador de histórias.Material Witness
Um livro a não perder. USA Today
Um romance de estreia extraordinariamente bom e inteligente. Euro Crime
Anjos na Neve é um mistério complexo que nos dá um novo olhar sobre a cultura e sociedade finlandesas. The Mystery Reader
terça-feira, 17 de janeiro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Passatempo Irmã

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a Civilização Editora, tem para oferecer 1 exemplar do livro de Rosamund Lupton, Irmã.

Regras do Passatempo:
- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 24 de Janeiro.

- Para participarem terão de responder acertadamente às quatro perguntas presentes no formulário abaixo.
- O premiado será sorteado aleatoriamente e o seu nome será publicado neste blogue e o mesmo será avisado por email.
- Só serão permitidas participações a residentes em Portugal e apenas uma por participante e residência.

Novidade Esfera dos Livros: Quando os Macacos se Apaixonam - A Vida Afectiva dos Animais


A Esfera dos Livros convida-o a conhecer um pouco mais sobre o misterioso mundo da espécie animal, das relações amorosas e fraternais que existem entre as mais diferentes espécies.
Se a paixão entre chimpanzés, elefantes e cães pode até parecer natural, este sentimento é mais difícil de entender e aceitar em espécies como os peixes, cobras ou sapos! E pensar que existem em grilos e aranhas??
Mas o que é certo é que existem, só que me formas mais subtis e estranhas. George Stilwell, veterinário e professor universitário, desvenda-nos o enigmático mundo da vida afetiva dos animais.
No livro Quando os Macacos se Apaixonam ficamos a saber que existe instinto maternal, amor e amizade no mundo animal, bem como sentimentos nobres de abnegação, companheirismo e sentido de comunidade. Por exemplo, é muito curioso saber que:
O louva-a-deus arrisca literalmente a sua própria cabeça quando se mete com a sua parceira, que recompensa o prazer da cópula comendo o parceiro durante ou logo após o serviço terminado? Que os genitais dos zangões, depois de uma cópula disputada com a concorrência, explodem e se partem no interior da abelha-rainha, para assim entupir o caminho para novas cobrições? Que também entre os animais como os elefantes e as orcas existe a figura das tias, que são elementos cruciais na educação dos novos rebentos do grupo? Que a mãe foca, ao fartar-se de dar de mamar a um matulão que não faz mais nada do que se espraiar na praia, o persegue quando este se aproxima para mais uma refeição de leite, na tentativa de convencer o anafado descendente a entrar no oceano e a mudar a dieta para peixe ou marisco?


Sobre o autor:
George Stilwell nasceu em Lisboa em 1963. Licenciado em Medicina Veterinária em 1986, trabalhou como clínico de campo durante mais de 15 anos. No ano de 2001 ingressou novamente na universidade (Faculdade de Medicina Veterinária – Universidade Técnica de Lisboa) onde ensina Clínica de Espécies de Pecuária e ainda Bioética. Doutorou-se em Ciências Veterinárias e é diplomado pelo European College on Bovine Health and Management.

Sextante Editora publica A grande arte, a obra-prima de Rubem Fonseca

Título: A grande arte
Autor: Rubem Fonseca
Págs.: 344
PVP: € 16,60

No dia 19 de janeiro, a Sextante Editora publica A grande arte, de Rubem Fonseca, com um prefácio do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, e um posfácio do vencedor do prémio Nobel da Literatura, Mario Vargas Llosa.
A grande arte é um extraordinário romance sobre o crime nas altas esferas sociais e no bas-fond do Brasil, assassinos profissionais, um advogado vingador e a «grande arte» de manejar uma arma branca.
Rubem Fonseca venceu por cinco vezes do Prémio Jabuti e foi agraciado, em 2003, com o Prémio Camões. No catálogo da Sextante Editora encontram-se já os romances O seminarista e Bufo & Spallanzani, sendo o segundo um dos finalistas ao Prémio Literário Casino da Póvoa/Correntes d’Escritas.

O livro:
«O assassinato de duas prostitutas, no Rio de Janeiro, que, de início, parece obra de um maníaco sexual, abre uma caixa de Pandora de onde vão brotando, no decorrer de uma ação trepidante, as complexas ramificações de um tenebroso sindicato do crime. A história passa-se em boîtes e bares sórdidos, em sumptuosas mansões do Rio, em vilarejos da fronteira entre a Bolívia e o Brasil, onde reinam a cocaína e o crime, bem como na interminável viagem de um comboio que percorre metade do Brasil com couchettes que rangem sob o peso de casais fazendo sexo.»
Do posfácio de Mario Vargas Llosa

Sobre o autor:
Contista, romancista, ensaísta, guionista e «cineasta frustrado», Rubem Fonseca só precisou de publicar dois ou três livros para ser consagrado como um dos mais originais prosadores brasileiros contemporâneos. Com as suas narrativas velozes e sofisticadamente cosmopolitas, cheias de violência, erotismo, irreverência e construídas em estilo contido, elíptico, cinematográfico, reinventou para a língua portuguesa uma literatura noir ao mesmo tempo clássica e pop, brutalista e subtil.
Em 2003, ganhou o Prémio Juan Rulfo e o Prémio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Recebeu cinco vezes o Prémio Jabuti. Com várias das suas histórias adaptadas ao cinema, ao teatro e à televisão, Rubem Fonseca já publicou treze coletâneas de contos e mais de uma dezena de romances.

Do prefácio:
É necessário que A grande arte seja lido e relido, aberto em qualquer página a meio da noite, fechado com irritação ou anotado nas margens, como um código.
[…]
Enfim, A grande arte é um livro quase perfeito. O seu único defeito é ter um último capítulo. Um livro assim não pode terminar, bem vistas as coisas. Francisco José Viegas

Novidade Civilização: Irmã de Rosamund Lupton

Título: Irmã
Autora: Rosamund Lupton
Título original: Sister
Tradução: Odete Martins
Formato: 155 x 235 mm
Lombada: 20 mm
Páginas: 369
Peso: 560 g
Encadernação: Capa mole
Coleção: Ficção
Família: Literatura
Subfamília: Romance
Público-alvo: Adultos
PVP: 15,90€
Lançamento: Janeiro de 2012

Sinopse:
Quando Beatrice recebe um telefonema frenético a meio do almoço de domingo e lhe dizem que a sua irmã mais nova, Tess, desapareceu, apanha o primeiro avião de regresso a Londres. Mas quando conhece as circunstâncias que rodeiam o desaparecimento da irmã, apercebe-se, com surpresa, do pouco que sabe sobre a vida de Tess – e de que não está preparada para a terrível verdade que terá de enfrentar.
A Polícia, o noivo de Beatrice e até a própria mãe aceitam ter perdido Tess, mas Beatrice recusa-se a desistir e embarca numa perigosa viagem para descobrir a verdade, a qualquer custo.

Imprensa Internacional:
“Ao mesmo tempo comovente e arrepiante, Irmã provoca um surto de adrenalina capaz de causar calafrios na tarde mais soalheira.” The New York Times Book Review
“O conhecimento de Lupton sobre a dor e a culpa no seio familiar é aliado a um enredo desenvolvido com segurança.” The Independent
“Vai adorar cada momento.” People
“Um thriller viciante e verdadeiramente original. Muito perspicaz, surpreendente e comovente. Devorei-o” Louise Candlish

Argumentos de Vendas:
  • Um dos grandes bestsellers de 2010/11 – mais de meio milhão de exemplares vendidos desde o seu lançamento – e aclamado pela crítica internacional, Irmã foi incluído, em Junho de 2011, na ‘Sunday Times bestseller list’ e na lista dos melhores livros do Mês da Amazon. No Reino Unido esteve (desde o seu lançamento) vários meses no top10.
  • Trata-se do primeiro livro desta autora. Em 2013, a Civilização publicará o seu segundo livro, Afterwards, incluído na Sunday Times bestseller list.
  • A forma como cria o suspense e constrói a narrativa e as personagens aproximam-na, segundo a crítica, de autoras como Kate Atkinson, Patricia Highsmith, Ruth Rendell ou Jodi Picoult (editada em Portugal pela Civilização).

Sobre a autora:
Rosamund Lupton ensina Literatura Inglesa na Universidade de Cambridge. Depois de vários empregos em Londres, incluindo copywriting e revisão para a Literary Review, venceu uma competição para jovens escritores e foi selecionada pela BBC para um curso de jovens escritores. Também foi convidada para o grupo de escritores do Royal Court Theatre. Escreveu guiões originais para televisão e cinema, antes de escrever o seu primeiro romance, Irmã, um bestseller no Reino Unido e nos EUA. O seu segundo romance, Afterwards, também já é um bestseller no Reino Unido.
Rosamund vive em Londres, com o marido e os dois filhos.

Novidade Albatroz: O Amor Wabi Sabi de Arielle Ford

Título: O Amor Wabi Sabi
Autor: Arielle Ford
Tradução: Ângelo dos Santos Pereira
Págs: 192
Capa: mole com badanas
PVP: 14,40 €

A 26 de janeiro, chega às livrarias portuguesas uma obra que explica como encontrar e manter um ingrediente tão vital quanto o amor. O Amor Wabi Sabi, de Arielle Ford, é considerado o novo feng-shui do amor e constitui um excelente presente para o Dia dos Namorados.
A autora, Arielle Ford, é especialista em relações públicas e costuma trabalhar com algumas das figuras mais influentes da área das espiritualidades e do desenvolvimento pessoal, como Deepak Chopra
ou Neale Donald Walsch. As suas obras estão publicadas em mais de vinte países.

Sinopse:
O amor é um ingrediente tão importante na vida como o ar, a comida e a água. Ainda assim, parece ser a coisa mais difícil de encontrar ou manter.
O Amor Wabi Sabi ensina-o a viver um novo modelo de relação em que o enfoque passa do que está errado para o que está certo.
Wabi Sabi é uma filosofia japonesa que encontra a beleza no que é imperfeito. Aplicada às relações, ajuda o casal a abandonar a ideia ilusória de perfeição e a aceitar a relação naturalmente imperfeita que vive.
Aprenda a amar as aparentes fragilidades da sua cara-metade, construindo um amor feliz e duradouro.
Conheça exemplos de relações wabi sabi, como o de Michelle e Barack Obama, e pratique os exercícios que a autora propõe. Seja um amante wabi sabi!

Sobre a autora:
Arielle Ford é fundadora e presidente do Grupo Ford, empresa influente de relações públicas que representa os maiores líderes na área de medicina, corpo e mente. A autora já trabalhou com personalidades como Deepak Chopra, Neale Donald Walsch, Marianne Wiliamson e Jack Canfield. Os seus livros levaram-na a programas de grande audiência na Fox News, Today Show e 4 o’clock at 9 news.

Críticas:
Este livro alia a sabedoria antiga à moderna, criando a fórmula certa para uma relação amorosa feliz e duradoura. Deepak Chopra
O Amor Wabi Sabi eleva o espírito e revela o que é realmente necessário para manter a chama acesa. Christiane Northrup
A minha irmã Arielle é a mestre do amor eterno. Neste guia, ela revela como se alimentam as relações depois do grande "sim", partilhando casos bem-sucedidos de vida a dois e a sua história pessoal. O Amor Wabi Sabi é uma leitura obrigatória que recomendo a todos os casais em busca de um final feliz. Debbie Ford
O Amor Wabi Sabi funciona mesmo. O meu marido e eu seguimos a filosofia da Arielle e estamos a viver um casamento profundamente intenso, feliz e apaixonado. Peggy McColl
O Amor Wabi Sabi ensina-o a viver a sua relação amorosa na plenitude. Arielle é realmente uma especialista em dicas para a vivência de um amor feliz e eterno. Escutem-na, sigam os seus sábios conselhos e conhecerão a felicidade duradoura. Marci Shimoff, autora de Ser feliz porque sim (Albatroz, 2009)

"Phury é o mais fiel à Irmandade da Adaga Negra" - Na Sombra do Amor, de J.R.Ward - a 27 Janeiro nas livrarias (Casa das Letras)

Título: Na Sombra do Amor
Autor: J. R. Ward
PVP: 17,50 €
N.º de Páginas: 676
Nas livrarias a 27 de Janeiro


Seis guerreiros vampiros, amantes perigosos e irmãos de sangue vêm até si nesta colecção verdadeiramente poderosa. Neste livro é a vez de Phury.

Sobre o Livro:
Em Caldwell, Nova Iorque, a guerra entre vampiros e os seus assassinos torna-se mais sangrenta e perigosa. A única esperança é um grupo secreto de irmãos – vampiros guerreiros, acérrimos defensores da sua raça. E Phury é o mais fiel à Irmandade da Adaga Negra. Casto e leal, Phury sacrifica-se pela raça, assumindo a responsabilidade de dar origem a toda uma nova geração de vampiros guerreiros que continuará a proteger a raça e a manter vivos os costumes. No entanto, Phury terá de enfrentar a voz interior que o atormenta e combater o vício que o afasta da batalha cada vez mais sangrenta entre vampiros e os seus inimigos. Mas a sua única salvação é um amor proibido que pode condenar toda a raça. O desejo que Cormia sente por Phury vai muito para além da obrigação e do futuro da raça. Dividida entre a responsabilidade e o amor pelo macho que tem de partilhar com as fêmeas escolhidas, Cormia esforça-se por se conhecer a si própria e salvar o seu amado. Romance da Irmandade da Adaga Negra – Volume VI

Sobre a autora:
J.R. Ward vive no Sul dos Estados Unidos, com o seu marido incrivelmente generoso e o seu amado golden retriever. Depois de se ter formado em Direito, começou a sua vida profissional na área da saúde, em Boston, tendo passado muitos anos como chefe de equipa de um dos centros clínicos do país. A escrita foi sempre a sua paixão, e a sua ideia de Céu é um dia inteiro com mais nada além do seu computador, o seu cão e a caneca de café. Este é o sexto volume da saga «Irmandade da Adaga Negra», a continuação de Na Sombra da Noite, Na Sombra do Dragão, Na Sombra do Pecado, Na Sombra do Desejo e Na Sombra do Sonho.