sexta-feira, 1 de junho de 2012

O Circo dos Sonhos - Erin Morgenstern [Opinião]


Título: O Circo dos Sonhos
Autor: Erin Morgenstern
N.º de Páginas: 464
Tradução: Maria da Fé Peres
Capa: Mole
PVP: 16,50€

Sinopse: 
Um romance de magia e amor que está a encantar os leitores de todo o mundo através do fantástico poder da imaginação. Um misterioso circo itinerante chega sem aviso e sem ser precedido por anúncios ou publicidade. Um dia, simplesmente aparece. No interior das tendas de lona às listas pretas e brancas vive-se uma experiência absolutamente única e avassaladora. Chama-se Le Cirque des Rêves (O Circo dos Sonhos) e só está aberto à noite. Mas nos bastidores vive-se uma competição feroz – um duelo entre dois jovens mágicos, Celia e Marco, que foram treinados desde crianças exclusivamente para este fim pelos seus caprichosos mestres. Sem o saberem, este é um jogo onde apenas um pode sobreviver, e o circo não é mais do que o palco de uma incrível batalha de imaginação e determinação. Apesar de tudo, e sem o conseguirem evitar, Celia e Marco mergulham de cabeça no amor – um amor profundo e mágico que faz as luzes tremerem e a divisão aquecer sempre que se aproximam um do outro (…). O Circo dos Sonhos é uma obra fascinante que fará com que o mundo real pareça mágico, e o mundo mágico, real.


A minha opinião:

Quem me conhece sabe que não sou amante de circo logo, este não seria um livro que me oferecessem. Mas se não lesse O Circo dos Sonhos nunca chegaria a saber o que estava a perder. De facto, este é um grande livro, sobretudo para quem gosta de livros de fantasia.
No Circo dos Sonhos o real torna-se possível e tudo é feito de magia. Uma magia encantadora que deixa a todos os que o visitam boquiabertos, daí até fazer seguidores do próprio circo, os Rêveurs.
Com a particularidade de só abrir ao público de noite e fechar já de madrugada, chegando sem avisar, O Circo dos Sonhos não deixa ninguém indiferente e todos o querem visitar. Mas tal como chega parte sem aviso. E no seu âmago, sem que ninguém dê por isso, está a defrontar-se um desafio que une Célia e Marco. Mas nada vai correr como o desejado pelos criadores do próprio desafio, já que os “rivais” se apaixonam perdidamente. Dotados de super poderes, Célia, a ilusionista e Marco um rapaz discreto que ninguém suspeita do que é capaz de fazer, vão acabar por lutar contra todos para ficarem juntos.
Mas o Circo dos Sonhos não é apenas este casal. Aliás, contrariamente ao que se possa pensar, estes são apenas personagens secundárias, já que o circo é que acaba por se tornar o centro de todas as atenções, com todas as personagens a terem uma importância relativa, mas ao mesmo tempo importante, em relação à história.
O tempo em que vai decorrendo a narrativa é preponderante para a compreensão da mesma, já que o livro é constituído por várias datas e em diferentes anos.
Por último, e relativamente tenho de salientar a excelente capa do livro que retrata na perfeição o circo, que tem apenas duas cores: o preto e o branco. 

Excertos:
"Os melhores prazeres são sempre os inesperados."
" - Porque não me perguntou como é que eu faço os meus truques? - questiona Celia, assim que atingem o ponto onde ela tem a certeza de que ele não está simplesmente a ser discreto em relação ao tema.
...
- Porque não tenho vontade de o saber - afirma ele. - Prefiro manter-me nas trevas, para apreciar melhor a escuridão."




Psicoterapeuta de Randy Pausch escreve sobre como enfrentar a doença e o luto

Título: Lições de Perda, Lições de Vida
Autor: Michel Reiss
Género: Não Ficção, Saúde, Psicologia
PVP: 16,60€
Data de lançamento:1 de Junho

«Este belo livro é a concretização do desejo de Randy»
Jeffrey Zaslow, co-autor de «A Última Aula»
 
Em «Lições de Perda, Lições de Vida», que chega amanhã às livrarias portuguesas, Michelle Reiss, psicoterapeuta que acompanhou Randy Pausch, oferece conforto e aconselhamento aos que enfrentam os desafios trazidos pelas doenças graves ou pelo luto. Baseado em testemunhos reais de doentes e famílias, este é um livro sobre a esperança e a arte de saber amar e viver bem, mesmo quando se luta contra o pior dos inimigos.
Através das histórias de adultos e crianças, Michele Reiss mostra-nos a todos que o tempo é precioso e que devemos viver as nossas vidas de forma plena, generosa e cheia de alegria.

Sobre a autora:
Michele Reiss é directora de Ciências Comportamentais do CMUP (Centro Médico da Universidade de Pittsburgh) e directora assistente do Programa para Médicos de Família Residentes de St. Margaret, em Pittsburgh, onde também exerce a sua actividade de psicoterapia. É professora assistente adjunta na Escola de Medicina e na Escola para Licenciados em Enfermagem, da Universidade de Pittsburgh. Vive em Pittsburgh e tem dois filhos, ambos psicólogos.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Guerra & Paz: Vencer a crise com a sabedoria das avós em «Já a minha avó sabia» de Erin Bried


Título: Já a Minha Avó Sabia
Autor: Erin Bried
Género: Não Ficção, Vida Prática
PVP: 17,70€ 
Data de lançamento:1 de Junho



«A sabedoria das nossas avós não só resiste à passagem do tempo como revela ser igualmente valiosa em qualquer parte do mundo, especialmente agora em Portugal, pela difícil situação que têm de enfrentar.» Erin Bried

Autora inspirou-se nos ensinamentos de dez avós e reuniu todas as dicas em livro

A nossa vida é uma correria, não temos tempo para nada e a crise faz com que a nossa carteira fique muito leve. «Já a Minha Avó Sabia» recupera a sabedoria dos ensinamentos valiosos das nossas avós. São 10 capítulos com mais de 100 dicas sobre cozinha, limpeza, jardinagem, lazer e poupança. Um guia útil que revela como dez avós que enfrentaram a crise de 1929 nos podem ajudar a ultrapassar a crise de 2012.

Sobre a autora:
Erin Bried é autora de três livros e redactora sénior da revista Self, para a qual já escreveu mais de 200 artigos nos últimos 9 anos.Escreve sobre saúde, fitness, nutrição e psicologia. É colaboradora em várias publicações. Mãe e dona de casa, Erin Bried vive em Brooklyn, Nova Iorque.


A Menina é Filha de Quem? - Rita Ferro [Opinião]



   

Título: A Menina é Filha de Quem?
Autor:
Rita Ferro 
Editora: Dom Quixote
Data de Lançamento: Outubro 2011 
ISBN: 9789722047050 
Dimensões: 15,5 x 23,5 cm 
N.º Páginas: 256 
Encadernação: Capa mole

Sinopse:
Depois de ter perdido a mãe, em Agosto de 2010, Rita Ferro volta ao passado para saber de si. A viagem é penosa porque as pessoas são as mesmas, mas ela não se reconhece. Quem é aquela menina? Com que sonha? Que espera da vida? O que a defrauda? E como conseguem os seus, tão cheios de regras, ensiná-la a voar? Por ela respondem as memórias mais marcantes: o primeiro amor na Primária, os namorados de Verão, as primas direitas que se ficam num desastre brutal, as vezes que ela própria se cruzou com a morte, os avós públicos e privados, o pai e, sobretudo, a mãe, difícil de chorar pois toda a vida fez rir. Uma viagem que começa nos anos 50 e atravessa toda uma época de escuridão e mansidão, em que a obediência e o mimetismo são encorajados, por onde passam figuras conhecidas de todos nós como Fernanda de Castro, António Ferro, António Quadros, Ruben A., Almada Negreiros, Natália Correia, Ary dos Santos, David Mourão- Ferreira e até Fernando Pessoa. 

A minha opinião:
Esta não é apenas a autobiografia da conhecida Rita Ferro. É, antes de mais, um excelente retrato de época, detalhado ao mais ínfimo pormenor, sobretudo pelos olhos de uma criança (a autora) que cresceu no seio de uma família de intelectuais, mas também de aristocratas.
Estabelecendo como base a figura materna, este livro soa-me a jeito de homenagem a uma mulher um pouco fria e fechada, mas que marcou para sempre a vida da autora: a sua mãe, Pó.
No entanto, não podia deixar de mencionar a sua ascendência no que toca à literatura: neta de António Ferro e da poetisa Fernanda de Castro, filha de António Quadros, Rita Ferro só podia dar em escritora, e uma escritora de sucesso. Apesar de não ter conhecido o avô, guarda dele uma admiração enorme, prestando-lhe a sua homenagem. Quanto à avó dá um exemplo que eu acho soberbo: já no fim da vida e cega, Fernanda de Castro escreveu, ditando, 4 livros. E todos eles tinham caligrafia diferente já que pedia que lhe escrevessem quem estivesse de momento com ela, fosse filho, netos, empregados... 
Gostei de conhecer um pouco mais desta escritora que conheci com o livro Uma mulher não chora há já muitos anos. Uma mulher que foi marcada sobretudo por influência feminina, já que quando nasceu já não tinha avô materno, e o avô paterno viria a falecer um ano depois. 
Recomendo, sem reservas.


quarta-feira, 30 de maio de 2012

Assírio & Alvim - A melhor poesia e a melhor ficção nacional


Dando corpo ao seu empenho em promover e divulgar a melhor literatura nacional, a Assírio & Alvim apresenta mais três livros marcantes, já disponíveis nas livrarias.
Apesar do seu desaparecimento prematuro, Daniel Faria deixou uma marca indelével na poesia portuguesa do século xx, conquistando inúmeros leitores. A sua Poesia regressa agora aos escaparates com treze poemas inéditos, em edição encadernada.
Armando Silva Carvalho surpreende-nos mais uma vez com De Amore, um livro de grande beleza e especial fulgor poético onde o amor, a perda, a paixão, a humanidade e o rumor do mundo assumem um lugar central.
Finalmente, a publicação da Obra de Fernando Assis Pacheco no catálogo da Assírio & Alvim prossegue a bom ritmo com a edição do admirável Trabalhos e Paixões de Benito Prada.
Para terminar, merece destaque o trabalho em curso no sentido de se reeditarem diversos livros há muito esgotados. Já nas livrarias voltam a estar as Quadras de Fernando Pessoa, as Viagens de Marco Polo, as Parábolas e Fragmentos de Franz Kafka e O Jogo das Nuvens de Goethe.

Título: Poesia
Autor: Daniel Faria
N.º de Páginas: 464
PVP: 22€
Edição encadernada

O presente volume reúne toda a poesia de Daniel Faria e dá a conhecer treze poemas inéditos. A edição é de Vera Vouga, professora do poeta que acompanhou os seus primeiros passos literários. Este livro é recomendado pelo Plano Nacional de Leitura: Ensino Secundário — sugestões para leitura autónoma.

Trago os instrumentos do fogo
Ponho-os na boca
Ponho-os no coração

Trago os instrumentos da respiração
— Uma montanha, uma árvore que lhe dá abrigo —
E suspendo-os nos ramos como pinhas que dão sombra
Um lugar fresco para os deportados de Sião nas margens

Trouxe também os instrumentos dos mineiros
Uma luz na cabeça voltada para o pensamento
Um olhar profundo
O modo prisioneiro de virem livremente para fora

E trago todos os instrumentos na circulação do sangue e na ocupação
[ permanente
Das mãos
Para o instrumento difícil
Do silêncio

Sobre o autor:
Daniel Faria nasceu em Baltar, Paredes, em 1971. Frequentou o curso de Teologia na Universidade Católica Portuguesa, no Porto, obtendo a licenciatura em 1996. O gosto pela poesia e pela expressão poética levou-o a obter uma segunda licenciatura, em Estudos Portugueses, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Faleceu em 1999, com apenas 33 anos, quando estava prestes a concluir o noviciado no Mosteiro Beneditino de Singeverga. Deixou-nos, apesar do seu desaparecimento prematuro, um notável legado poético.

Título: De Amore
Autor: Armando Silva Carvalho
N.º de Páginas: 80
PVP: 10€

Depois do brilhante Anthero, Areia & Água, distinguido com o Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes 2010, surge agora De Amore. Sobre o autor escreveu António Carlos Cortez no Jornal de Letras: «Armando Silva Carvalho é uma das vozes poéticas mais impressionantes da atualidade […].».  
A capa é da pintora Ilda David’. 

Dado que tudo se chama dia e noite, é por aí que devemos começar, escreveu Agustina.
O que fica aqui dos amorosos, lembrados ou surgidos no discursar do invento, será sempre a imagem dos dois lados inseparáveis, ignotos.
Mas persistem os pensamentos deliberadamente angustiados — para que não morra o espírito por falta de bulha e desespero — disse ainda a grande senhora do Norte.

Sobre o autor: 
Armando Silva Carvalho nasceu em Olho Marinho (Óbidos), em 1938. Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, exerceu advocacia por pouco tempo, optando pelo jornalismo, ensino secundário, publicidade e tradução.
Revelou-se como poeta em 1965 com Lírica Consumível, que ganhou o Prémio de Revelação da APE. Publicou a seguir em poesia O Comércio dos Nervos (1968), Os Ovos d’Oiro (1969), Antologia Poética (1976), Eu Era desta Areia (1977), Armas Brancas (1977), Técnicas de Engate (1979), Sentimento dum Acidental (1981), Alexandre Bissexto (1983), Canis Dei (1995), Prémio Pen Clube ex-aequo, Obra Poética (1998), Lisboas (2000), Prémio Luís Miguel Nava, Três Vezes Deus (em colaboração com Ana Marques Gastão e António Rego Chaves) (2001), Sol a Sol (2005), O Que Foi Passado a Limpo (obra poética) (2007), O Amante Japonês (2008), Grande Prémio de Poesia APE/CTT, Anthero, Areia & Água (2010), Prémio de Poesia Teixeira de Pascoaes 2010, De Amore (2012). Em prosa: O Alicate (1972), O Uso e o Abuso (1976), Portuguex (1977), A Vingança de Maria de Noronha, menção honrosa do Prémio Cidade de Lisboa, Em Nome da Mãe (1994), O Homem que Sabia a Mar (2001), Prémio Fernando Namora, O Menino ao Colo. Momentos, Falas, Lugares do Sublime Santo António (2003), Elena e as Mãos dos Homens (2004), O Livro do Meio (com Maria Velho da Costa — 2006).

Título: Trabalhos e Paixões de Benito Prada
Autor: Fernando Assis Pacheco
N.º de Páginas: 240
PVP: 14€
Edição Brochada

Benito Prada vem para Portugal ganhar a vida, deixando para trás os seus trabalhos e paixões: a casa pobre, o pai afiador, as poucas letras aprendidas na Meiga de Ventosela. Sendo uma obra de ficção não deixa de abordar acontecimentos históricos da primeira metade do século xx, como a visita de Franco à Universidade de Coimbra para receber o título de doutor honoris causa em Direito. Um livro vibrante com capa da artista plástica Bárbara Assis Pacheco

Os «sórdidos galegos, duro bando», de que falava Camões, encontraram o cronista ideal. Torcato Sepúlveda

Afiador de vidas. Rogério Rodrigues

Num tempo de romances pálidos, anémicos, o romance de Assis Pacheco é uma labareda, saga ardente, acelera o coração, dá um nó nas tripas do leitor. Bem haja!, como dizem os de Coimbra. Jorge Amado

Sobre o autor:
Nasceu em 1937 em Lisboa. Em discurso direto: «Sou o Fernando Assis Pacheco, 41 anos, um pasmado sem cura. Tudo me espanta, gramo a vida, quero morrer mais lá para o Verão». Às perguntas «Consideras-te deprimido, introvertido, extrovertido, calmo, fogoso? A que signo pertences? Dás-lhes importância?», Assis responde: «A partir do fim: sou Aquário, mas não ligo peva. Sou todos os adjectivos da pergunta, mas também sou inteligente, esquizóide, reinadio, arrebatado, ponderado e extravagante, embora à vez, para não chatear o indígena». Morreu em 1995, aos 58 anos, à porta da livraria Bucholz.

Bertrand publica Soldado de Acaso de Helena Campos Henriques João Poole da Costa

Título: Soldado de Acaso
Autores: Helena Campos Henriques e João Poole da Costa
Género: Romance Histórico
Formato: 15 x 23 cm
N.º de páginas: 640
Data de lançamento: 25 de maio
PVP: 19,90 €

Sequela do anterior romance histórico dos autores – Uma Mulher do Reino.
Sequela da saga familiar Uma Mulher no Reino, o presente romance, Soldado de Acaso, decorre entre duas guerras – a última Guerra Peninsular e a Guerra do Paraguai, passando pelas Lutas Liberais e pela Guerra dos Farrapos.
Num século marcado pelo conflito entre Conservadores e Liberais, desenham-se os percursos românticos de um pai pragmático e de um filho idealista. A violência das guerras e a intensidade das paixões entrecruzam-se numa trama cheia de cor e de suspense, cujo desenlace é verdadeiramente inesperado.
Uma história passada entre Portugal, Brasil e Inglaterra.

Sobre os autores:
Helena  Campos Henriques nasceu em Lisboa, onde completou o curso do liceal e se interessou pelo estudo de línguas estrangeiras. Visitou vários países da Europa e da Bacia Mediterrânica. Sempre se dedicou à literatura e à poesia, tendo publicado, em 1969, um livro de viagens, Ruy e Concha Fazem um Cruzeiro e, em 1995, um livro de contos para crianças, Grandma's Tales.
João Poole da Costa nasceu em Lisboa, onde se formou. Foi durante muitos anos consultor internacional em projetos e construção de barragens no Brasil e no Peru. Mais recentemente, lecionou na Universidade Nova de Lisboa como Professor Associado Convidado. Viajou desde cedo por vários países onde, em paralelo com a sua atividade profissional, se interessou pela cultura dos povos que conheceu.

A Trama da Estrela é o romance de estreia de Vasco Ricardo

Título: A Trama da Estrela
Autor: Vasco Ricardo
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 240
Editor: Pastelaria Studios Editora
ISBN: 9789899759077

Sinopse:
Enquanto uma negra conspiração se vai expandindo por algumas cidades europeias, três adolescentes divertem-se, navegando pela Internet, tentando decifrar mistérios e crimes até então irresolúveis.
Dana, Mark e Rohan são provenientes de nações distintas mas os seus interesses e suas motivações convergem. À medida que uma onda de crimes vai assolando o território do velho continente, os jovens vão interagindo através das comuns salas de chat, falando sobre um infindável número de temas.
O percurso das suas vidas toma, porém, um rumo diferente, acompanhado d e estranhos acontecimentos que podem mudar os seus destinos.
Paralelamente, uma sociedade secreta, cujos elementos parecem tão competentes quanto obstinados, move-se de forma obscura e sanguinária, onde todos os seus passos são criteriosamente preparados, na tentativa de alcançar um marco até então inatingível.

Sobre o autor:
Vasco Ricardo nasceu no ano de 1981, em França mas é em Portugal que gosta de estar. Nem sempre viveu em Famalicão; cresceu em Matosinhos e formou-se em Viana do Castelo. Pratica Aikido, uma arte marcial japonesa. Raramente se sente cansado, se bem que certas particularidades do quotidiano o vão arreliando. Acha piada a moralistas, principalmente os que são imorais. Ainda não descobriu a verdadeira razão pela qual sente vontade de escrever, mas jura que um dia o fará.

Podem visitar o blogue do autor: http://vascoricardo.blog.com/

Lançamento de "D. Estefânia. Um Trágico Amor" de Sara Rodi. Dia 4 de Junho, às 18h, Fnac Chiado. A obra é apresentada por Maria Filomena Mónica


terça-feira, 29 de maio de 2012

Porto Editora marca presença na Feira do Livro do Porto

Abre na próxima quinta-feira, 31 de maio, a 82.ª Feira do Livro do Porto, que decorrerá na Av. dos Aliados até ao dia 17 de junho. 
Tal como aconteceu no ano passado, o espaço do Grupo Porto Editora estará situado na zona central da Feira do Livro e proporcionará aos leitores de todas as idades um envolvimento especial pelos livros e com os escritores.
Logo no dia 1 de junho, sexta-feira, o Grupo Porto Editora assinalará o Dia Mundial da Criança com três sessões de leitura para os mais novos, com início às 15 e estendendo-se tarde fora e a entrar pela tarde fora, com Leonor Mexia, Amélia Lopes e Odete Praça.
O fim de semana de 2 e 3 de junho será marcado pela presença de vários escritores para sessões de autógrafos que se iniciam sempre às 15:00. No sábado, Eric Frattini, José Rentes de Carvalho, João Luís Barreto Guimarães, João Pedro Marques e Luís Miguel Rocha; no domingo, Jorge Sousa Braga e Teolinda Gersão juntar-se-ão aos repetentes Eric Frattini, José Rentes de Carvalho e Luís Miguel Rocha. Destaque, ainda, para o concerto especial que Ricardo Azevedo dará no sábado, às 22:00, e para o workshop de culinária infantil promovido por Mónica Bello e Rita Bebiano, que se realiza no domingo, a partir das 17:30.
Na quarta-feira, 6 de junho, realiza-se uma edição especial da tertúlia “LER no Chiado”, que todos os meses decorre na livraria mais antiga do mundo, a Bertrand do Chiado, em Lisboa. Com a moderação de Anabela Mota Ribeiro, a conversa terá como interlocutores Ana Luísa Amaral, João Luís Barreto Guimarães e Rui Lage e falarão da sua poesia numa sessão intitulada “Porto, Cidade de Poetas”.
No dia seguinte, feriado, voltamos a dar especial atenção aos mais novos, com a presença de Leonor Mexia (sessão de leitura às 15:00), do “Avô Cantigas” Carlos Vidal (apresentação do livro Uma Mão Cheia de Coisas, 15:30), e Artur Correia e A. Gomes Dalmeida (apresentação do livro O País dos Cágados, às 16:30). Para os mais crescidos, estarão disponíveis para o encontro com os leitores Germano Silva, o grande cronista do Porto, e Paula Veloso e Teresa Maia, que muito recentemente lançaram o livro Peso, Uma Questão de Peso.
No segundo fim de semana da Feira do Livro, 9 e 10 de junho, será mais uma oportunidade para o contacto direto com vários escritores em sessões de autógrafos. No sábado, a partir das 15:30, Alberto S. Santos, Manuel Jorge Marmelo, Miguel Miranda e Tânia Ganho; no domingo, António Brito e Germano Silva (às 15:00), a quem se juntarão Alberto S. Santos e Miguel Miranda às 15:30. No dia 9, é também de sublinhar a sessão de leitura infantil que será protagonizada por Catarina Águas, autora de Letras com Histórias, e o concerto do grupo EZ Special, às 22:00.
A Feira do Livro do Porto encerrará em grande. No sábado, dia 16 de junho, às 15:00, o Grupo Porto Editora promove sessões de autógrafos com Manuel António Pina, Germano Silva, Alberto S. Santos e Luís Miguel Rocha, sendo de destacar a presença especial de Robert Muchamore, o autor da coleção CHERUB que tantos leitores jovens tem conquistado no nosso país. À noite, às 21:30, o palco será do grupo Dr1ve.
Domingo, último dia da grande festa do livro, Helena Vasconcelos estará com Germano Silva, Alberto S. Santos, Luís Miguel Rocha e Robert Muchamore em sessão de autógrafos a partir das 15:00.
De referir ainda que o GPE participa na iniciativa da APEL “Hora H”, que proporciona descontos excecionais de segunda-feira a quinta-feira. No entanto, todos os dias, o GPE apresenta uma seleção de inúmeros livros com descontos que vão até os 50%.
O GPE desenvolveu uma página na Internet onde disponibiliza toda a informação sobre a sua presença na Feira do Livro de Lisboa (http://www.portoeditora.pt/sites/feiradolivrodoporto), a qual será veiculada também através das redes sociais Facebook (nas páginas oficiais das diferentes chancelas) e Twitter.
O Alfa estará na Feira do Livro do Porto no Dia Mundial da Criança e em todos os fins de semana.

Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka, da jornalista Zarghuna Kargar, chega às livrarias a 5 de junho

Título: Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da BurkaAutores: Zarghuna Kargar
Tradução: Isabel Alves
Págs: 272
PVP: 14,40 €


As leis, os costumes, os conceitos, o vestuário são elementos da cultura afegã com os quais, no Ocidente, temos pouco contacto. Em Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka, da jornalista Zarghuna Kargar, livro que chega às livrarias a 5 de junho, chegam-nos testemunhos contados na primeira pessoa sobre a falta de liberdade e de direitos que aflige estas mulheres, sobretudo nas zonas rurais do Afeganistão.
Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka reúne um conjunto de histórias que foram transmitidas no programa de rádio da BBC «Afghan Woman’s Hour», coordenado e apresentado pela autora Zarghuna Kargar, que permitia aos ouvintes um acesso único a informação sobre variados assuntos, muitos deles considerados tabu mas de importância vital. Rapidamente, este programa tornou-se num dos mais importantes da BBC a nível mundial e numa ferramenta para alertar o mundo para a realidade desta sociedade.
Para além dos testemunhos, este livro dá-nos a conhecer a Sharia - código de conduta da lei islâmica - e tradições relacionadas com, por exemplo, o casamento, família e sexualidade, que condicionam o quotidiano de todas as muçulmanas.

Sobre o livro:
Um relato que traz a lume as vidas escondidas das mulheres afegãs que tiveram a coragem de enfrentar a comunidade e contar a sua experiência.
Shereenjan era ainda uma menina quando foi obrigada a casar-se para pôr termo a um conflito entre duas famílias; Samira passa os dias num quarto húmido e escuro a tecer tapetes, por imposição do marido, e tem de drogar a filha bebé com ópio para poder dedicar-se plenamente à sua tarefa; ao perder uma perna num bombardeamento, Wazma é abandonada pelo marido, que amava incondicionalmente, e privada de ver a sua única filha; Anesa é forçada a casar-se com um homossexual e a tornar-se escrava do
amante do marido; Layla é uma das muitas viúvas renegadas pela família e pela sociedade.
Zarghuna Kargar, uma jornalista afegã refugiada em Londres, ouviu estas e outras histórias, que compilou com o objetivo de destapar uma realidade assustadora, tão próxima e ao mesmo tempo tão distante – milhares de mulheres afegãs há muito que são vítimas dos costumes de uma sociedade profundamente religiosa e tradicional.
Embora a sorte das mulheres afegãs tenha melhorado consideravelmente nos últimos anos – há mais de 60 membros do sexo feminino no parlamento −, em várias zonas do país a repressão continua inabalável. Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka é disso testemunha.

Sobre a autora:
Zarghuna Kargar nasceu em Cabul em 1982. Quando a guerra civil irrompeu, ela e a família viram-se obrigadas a fugir para o Paquistão, onde Zarghuna se formou em Jornalismo. Em 2001 mudou-se para Londres e em 2004 foi convidada a produzir e apresentar o programa «Afghan Woman’s Hour», da BBC. Este projeto bem-sucedido tinha como objetivo apoiar, consciencializar e educar milhões de mulheres e homens em todo o Afeganistão. Durante os vários anos que o «Afghan Woman’s Hour» esteve no ar, debateram-se assuntos difíceis, muitas vezes tabu, e foi emitido o relato de centenas de mulheres afegãs ansiosas por partilhar a sua história de vida. Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka decorre dessa experiência.

Imprensa:
Estas histórias afetaram-me profundamente... Mulheres Afegãs – Histórias por detrás da Burka é uma leitura obrigatória. Xinran, autora de Mensagem de uma Mãe Chinesa Desconhecida
Uma compilação de histórias que retrata a luta das mulheres afegãs. Uma leitura comovente e por vezes dolorosa, com o objetivo último de homenagear estas mulheres, assim como a sua capacidade de resistir perante um cenário demasiado hostil e cruel. Khaled Hosseini, autor de O Menino de Cabul
Uma absorvente compilação de treze histórias sobre coragem e resistência. Independent
Este livro extraordinário vem corrigir a ideia simplista que muitos de nós temos sobre a situação das mulheres afegãs; uma esmagadora exposição dos abusos a que estão sujeitas... The Times


segunda-feira, 28 de maio de 2012

Uma Aventura no Pulo do Lobo - Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada [Opinião]


Título: Uma Aventura no Pulo do Lobo
Autor:
Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
Ilustração: Arlindo Fagundes
Editora: Editorial Caminho
Data de Lançamento: Março 2010
Colecção: Uma Aventura
ISBN: 9789722121026
Nº Páginas: 214
Encadernação: Capa Mole
Dimensões: 12 x 18,1 x 1,7 cm
Nº Colecção: 52

Quando os cinco amigos se juntam, uma simples ida ao cinema pode transformar-se rapidamente numa perseguição trepidante! E a resolução de um mistério com dezenas de anos leva-os às planícies alentejanas, onde os aguardam surpresas fantásticas, pessoas especiais e paisagens que falam ao coração! Com muita acção e emoção, esta é Uma Aventura ao alcance de um "pulo de lobo"!

A minha opinião:
De vez em quando não resisto a comprar um livro da colecção Uma Aventura que me acompanharam na minha infância e princípio da adolescência. Por isso mesmo, quis regressar ao passado e ler mais um livrinho da colecção, ao mesmo tempo que vou aumentando o número de livros que tenho para, mais tarde, a minha filhota também poder ir lendo estes livros que tanto prazer me deram ler.
Nesta nova aventura os cinco inseparáveis amigos vão envolver-se na procura de um tesouro escondidos há muitos anos. Pedro e Chico descobrem uns papéis e fotografias numa casa abandonada e depressa constatam que uma fotografia é como uma espécie de mapa do tesouro. Daí até estarem todos envolvidos na procura é um passo e arranjam logo maneira de ir até ao Pulo do Lobo, situado em Mértola, para investigarem. Não contam é que seja uma busca extremamente difícil, sobretudo porque um grupo de ladrões também anda à procura do mesmo e não são nada amigáveis. Mas, como sempre, o grupo de amigos consegue descobrir o enigma, que se transforma numa bonita história de amor. 



Bertrand publica... Nova edição de Arcas Encoiradas, de Aquilino Ribeiro

Título: Arcas Encoiradas
Autor: Aquilino Ribeiro
Género: Romance
Formato: 15 x 23,5 cm
N.º de páginas: 256
Data de lançamento: 25 de maio
PVP: 14,40 €

A Bertrand continua a (re)publicar as grandes obras de um dos nomes de referência nas letras portuguesas: Aquilino Ribeiro.
Os estudos etnográficos de Aquilino Ribeiro sobre o Interior português deram origem a Arcas Encoiradas.
«Ainda no quintalejo da planície, mormente na casa há mocinha louçã, ver-se-á luzir a de Alexandria, a dália, o crisântemo bastardo, o nome de despedidas do verão; na horta ser além da couve galega, do cebolinho, dos colondros quando muito medram a alosna, o aipo, a arruda, o alecrim, a alfazema, que entram no condimento das mezinhas com que é vezo seu ou era da sua medicar-se. Mas se a árvore de fruto está na do meio da leira porque a sombra prejudica ao cultivo, com razão dobrada não entra ali planta viva apenas para mimo dos olhos. Ama a terra amor entranhadamente egoísta e a ferocidade lobo insatisfeito. Não lhe toquem no talhadoiro águas; cuidado, a charrua do vizinho não desvie o marco um centímetro para a banda; que a cabra pobre não lhe roa as duas fêveras que se inclinam para o baldio; sem licença não pisem o que é e paga boa décima ao “cães da Fazenda”!»

Sobre o autor:
Aquilino Ribeiro nasceu na Beira Alta, concelho de Sernancelhe, no ano de 1885 e morreu em Lisboa em 1963.
Deixou uma vasta obra em que cultivou todos os géneros literários partilhando com Fernando Pessoa, nas palavras de Óscar Lopes, o primado das letras portuguesas do século XX.
Foi sócio de número da Academia das Ciências e, após o 25 de abril, reintegrado, a título póstumo, na Biblioteca Nacional, condecorado com a Ordem da Liberdade e homenageado, quando do seu centenário, pelo Ministério da Cultura. Em setembro de 2007, por votação unânime da Assembleia da República, o seu corpo foi depositado no Panteão Nacional.