sábado, 6 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes
quinta-feira, 4 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novo romance de Sveva Casati Modignani hoje nas livrarias. Apresentação de Um Dia Naquele Inverno contará com presença da autora

Chega hoje às livrarias o novo romance de Sveva Casati Modignani, Um Dia Naquele Inverno e a autora vai estar em Lisboa entre os dias 18 e 23 de outubro para diversas sessões públicas.
A partir da página de Facebook da autora em Portugal, que já conta com mais de 5000 seguidores, é possível acompanhar de perto todos os eventos.


Apresentação
Dia 19 de outubro, sexta-feira | 18:30


El Corte Inglés Lisboa
Sessões de autógrafos
Dia 20 de outubro, sábado | 11:30
Livraria Bertrand Almada Fórum
Dia 20 de outubro, sábado |17:00
Livraria Betrand Centro Comercial Colombo
Dia 21 de outubro, domingo | 11:30
Livraria Bulhosa Oeiras Park
Dia 21 de outubro, domingo | 17:00
FNAC Centro Comercial Vasco da Gama
Dia 22 de outubro, segunda-feira | 18:30
FNAC Centro Comercial Colombo

Biografia de Lisboa de Magda Pinheiro vence Prémio Especial do Júri, do Prémio Máxima Literatura,

É como muito orgulho que a Esfera dos livros comunica a atribuição do Prémio Especial do Júri, no âmbito do Prémio Máxima Literatura, a Magda Pinheiro, autora da obra Biografia de Lisboa, publicada pela Esfera dos Livros em setembro de 2011.

O júri do Prémio Máxima de Literatura 2012 foi constituído por Maria Helena Mira Mateus, Leonor Xavier, António Carvalho, Valter Hugo Mãe e Laura Luzes Torres (presidente).


Biografia de Lisboa é uma viagem pela história de Lisboa, cidade capital, metrópole cosmopolita, cabeça do reino, desde a lenda de Ulisses, passando por momentos como grande terramoto até aos nossos dias

 

A história de uma cidade tem gente, tem cheiros, tem comércio, tem cercos e pestes, revoluções e invasões, batalhas, conquistas e derrotas, casas e mosteiros, evolução urbanística, higiene, limpeza, saúde pública, transportes, ruas, lendas, mistérios, momentos de lazer e desporto, cafés, festas urbanas e tradições, alegrias e sofrimento. Tal como num ser vivo, tudo isto cabe na vida, na história, na biografia de Lisboa. A historiadora Magda Pinheiro, especialista em História Urbana, traz-lhe uma obra absolutamente original, baseada numa profunda investigação de vários anos e consulta de várias fontes e arquivos. Ao longo destas páginas, percorremos a história de Lisboa, cidade capital, metrópole cosmopolita, cabeça do reino, desde a lenda de Ulisses até aos dias de hoje passando por momentos que marcaram a vida da metrópole, como a conquista de Lisboa, a saída da Corte para o Brasil, os Descobrimentos, o grande terramoto, as Revoltas Liberais, a Pneumónica, a chegada da Liberdade ou a Expo’98. Recheado de episódios que marcam a história do próprio país, de histórias do quotidiano da cidade, curiosidades sobre os bairros típico como Alfama ou Santos e as ruas onde passeamos, e onde podemos descobrir vestígios do passado, este livro, amplamente ilustrado, torna viva a cidade de Lisboa.

Sobre a autora:
Magda de Avelar Pinheiro é desde 1977 professora do Departamento de História e investigadora do Centro de Estudos de História Contemporânea do ISCTE-IUL. Dirige a revista Ler História. Doutorou-se em 1987 na Universidade de Paris I Panthéon/Sorbonne onde decorreu toda a sua formação universitária. As suas áreas de especialização têm incluído a História dos caminhos-de-ferro e das finanças públicas, a biografia e a História urbana. Das suas publicações destacam-se as biografias de Luís da Silva Mousinho de Albuquerque (1992) e de Passos Manuel (1996); os livros O Liberalismo nos Espaços Públicos (2000), Cidade e Caminhos de Ferro (2008). Tem também organizado livros coletivos e publicado estudos em revistas da especialidade e coletâneas nacionais e estrangeiras.


Porto Editora lança República Popular

Título: República Popular
Autor:
Robert Muchamore
Coleção: CHERUB
Tradução: Miguel Marques da Silva
Págs.: 400
Capa: mole
PVP: 12,90 €


A 15 de outubro, a Porto Editora publica o primeiro livro da nova série da coleção CHERUB, intitulado República Popular. No dia 20 do mesmo mês, o autor, Robert Muchamore, vem a Portugal apresentá-lo. O evento está marcado para a FNAC do centro comercial Colombo, em Lisboa, às 17:00. Esperam-se centenas de jovens leitores.
 
Com 200 mil livros vendidos no nosso país, a primeira série da coleção está a terminar – o último livro sai no início de 2013 –, mas a segunda já vem a caminho, com novo design, novos agentes, novas missões e a promessa de ainda mais ação.
O autor esteve, este ano, na Feira do Livro do Porto, onde contactou com centenas de fãs e autografou mais de 700 livros.


República Popular
Ryan é o mais recente recruta da CHERUB. Tem apenas 12 anos, acabou a recruta há oito meses e está ainda muito verde. Foi destacado para a sua primeira missão: tornar-se amigo de Ethan Aramov, um miúdo rico e mimado que vive na Califórnia e é neto da mulher que comanda, a partir do Quirguistão, um multimilionário império internacional de crime organizado. Ryan não imagina que a sua primeira missão se vai tornar numa das mais importantes da história da CHERUB...


A CHERUB
É o braço juvenil dos serviços secretos britânicos (MI5). O grupo foi criado a partir do pressuposto de que nenhum criminoso desconfiaria de que crianças perfeitamente normais pudessem ser espiões. Porém, os membros da CHERUB, embora o pareçam, não são jovens normais, mas sim profissionais treinados com rigor – todos eles órfãos –, enviados para missões de espionagem contra terroristas e traficantes de droga temidos internacionalmente.


Sobre o autor:
Robert Muchamore nasceu a 26 de dezembro de 1972, em Islington, Inglaterra. Trabalhou durante treze anos como detetive privado, mas abandonou a profissão para se dedicar à escrita a tempo inteiro.
Costuma levar quatro a cinco meses a escrever um livro, sendo que dedica o primeiro à pesquisa e o segundo à planificação da história. Só depois escreve. Segundo o próprio, tentar escrever aquilo que gostaria de ter lido aos 13 anos de idade foi a principal razão para a criação da coleção CHERUB.
Sítio oficial da coleção: aqui. Sítio oficial do autor: aqui.
Sítio oficial português: aqui. Facebook da coleção portuguesa: aqui.


Imprensa:
É o autor estrangeiro preferido dos jovens leitores portugueses. Diário de Notícias
Num país em que os pais se queixam sobre a falta de leitura dos filhos, Muchamore contraria esta situação. Diário de Notícias
Robert Muchamore é o escritor infantojuvenil da atualidade. Jornal de Notícias
Robert Muchamore criou um novo tipo de agente secreto: miúdos órfãos. Os livros da coleção Cherub dirigem-se a jovens entre os 12 e os 17 anos. E são um sucesso. Sol
Robert Muchamore, autor juvenil das séries CHERUB, arrasta multidões. Diário Económico
Escritos com um ritmo de thriller e com uma imaginação contagiante, os episódios de cada livro marcam o estilo jovial e atraente de contar histórias dos nossos tempos. Carlos Pinto Coelho

Lançamento de O Corsário dos Sete Mares


O Inverno do Mundo - Ken Follett - Opinião 3.ª parte [Opinião]

Esta é a parte mais curta do livro e que nos deixa a vontade de quer ler mais. Aqui fica a minha primeira opinião e a segunda.

Depois da guerra os países ficam destroçados e, consequentemente as famílias que vamos seguindo também, sobretudo os países que saíram a perder.

Na Alemanha a comida ainda continua a escassear e as famíliasVon Ulrich e Frank (outrora ricos) são obrigados a vender mobília para conseguirem mantimentos. Os priosioneiros políticos voltam a casa em condições que chocam as suas famílias. Escanzelados e com doenças causadas pelo frio e pelas más condições nos campos dos priosioneiros, Werner e Erik parecem esqueletos.

Na Rússia a espionagem continua, sobretudo em relação aos EUA, o seu principal adversário. A bomba atómica criada pelos EUA é a sua principal preocupação. O perigo de uma Terceira Guerra Mundial estava na ordem do dia, daí se ter de traçar planos de emergência.

Vólida começa a ficar cada vez mais desiludido com a política russa, sobretudo porque tudo o que havia acreditado se tinha deteriorado.

Em Inglaterra as leis mudam em benefício dos mais pobres. O ministro do carvão autoriza uma mina a céu aberto para ser explorada e criar riqueza para os mais precisam.

Os aliados continuam a ansiar por restabelecer a democracia na Alemanha e haviam marcado eleições municipais em Berlim ainda para o ano de 1946, mas a parte da Alemanha que ficou sob influência russa estava renitente. Os até então nazis eram agora apoiantes do comunismo...

Excerto:


“Temos de construir uma família nova a partir daquilo que a guerra nos deixou, tal como temos de construir casas novas a partir dos destriços nas ruas.”

Novidade Oficina do Livro: O Fotógrafo da Madeira de António Breda Carvalho

Título: O Fotógrafo da Madeira
Autor:
António Breda Carvalho
PVP: 14,50 euros
N.º de Páginas: 300

Sobre o livro
:

Madeira, 1ª metade do séc. XIX, o patriarca de uma família produtora de vinho da Madeira vê-se obrigado, face ao contexto político, a enviar o seu herdeiro para Paris. Passados cerca de vinte anos, Afonso Ayres Drumond regressa à ilha na qualidade de cônsul francês e com o intuito de gerir o negócio dos pais falecidos.

Depara-se, então, com uma realidade muito diferente da de uma França marcadamente liberal, cosmopolita e industrializada. Afonso encetará uma série de diligências de desenvolvimento da região no sentido de estreitar as relações entre a Madeira e a França, estimular o crescimento económico e melhorar as condições sociais da população. Esta missão custará um rol infinito de inimigos.


A par do enredo surge a história de amor entre Afonso e Laura, a filha do feitor que, apesar de pertencer a uma classe inferior à de Afonso, recebeu uma educação muito liberal.

Um romance é feito de ficção e de História.


Sobre o autor
:
António Breda Carvalho, 1960. Licenciado em Estudos Portugueses, pela Universidade de Coimbra, mestre pela Universidade de Aveiro. Professor, estreou-se na literatura com o livro de contos In Vino Veritas (1989). Distinguido com vários prémios, nomeadamente Prémio João Gaspar Simões/2010 para este novo romance.

Lançamento de «Agora e na hora da nossa morte», de Susana Moreira Marques‏


Lançamento do livro Máfias da Noite de Marion Queiroz


quarta-feira, 3 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento: A Imprensa Portuense e os Desafios da Modernização de Helena Lima


Apresentação do livro "Resgatados. Os bastidores da ajuda financeira a Portugal" de David Dinis e Hugo Filipe Coelho. Dia 9 de Outubro, 18h30, FNAC Chiado


Sextante publica A lebre de olhos de âmbar

Título: A lebre de olhos de âmbar – Uma herança escondida
Autor:
Edmund de Waal
Tradutor: Maria Lúcia Lima
Págs.: 328
PVP: € 16,60
A lebre de olhos de âmbar, de Edmund de Waal, é uma obra-prima da biografia
Receber uma coleção de 264 netsuke, pequenas mas valiosas peças japonesas, marcou o início da aventura de Edmund de Waal, relatada em A lebre de olhos de âmbar – Uma herança escondida, um livro que a Sextante Editora publica a 11 de outubro.
Vencedor do Prémio de Biografia Costa Book Award 2010, Prémio Ondaatje Award 2011 e considerado Livro do Ano pelo Economist, A lebre de olhos de âmbar foi aclamado por escritores como A.S. Byatt, Colm Tóibín e Julian Barnes, e, mais recentemente, recomendado por José Rentes de Carvalho e Yvette Centeno.

Sobre o livro:
264 pequenas esculturas de madeira e marfim, nenhuma maior que uma caixa de fósforos: o oleiro Edmund de Waal cruza-se com elas quando conhece a coleção em Tóquio, em casa do seu tio-avô Iggie. Mais tarde, quando Edmund herda os netsuke, eles deixam- lhe ver uma história muito maior do que a que ele poderia ter imaginado…
Os Ephrussi vieram de Odessa, e a certa altura eram os maiores exportadores de cereais do mundo; em 1870, Charles Ephrussi fazia parte de uma rica nova geração que se instalava em Paris. O poeta Jules Laforgue foi seu secretário e Marcel Proust inspirou-se nele como modelo do esteta Swann de Em busca do tempo perdido. A paixão de Charles era o colecionismo, e os netsuke, comprados quando os objetos japoneses faziam furor nos salões parisienses, foram enviados como presente de casamento ao seu primo banqueiro em Viena.
Mais tarde, três crianças – entre elas o jovem Ignace – brincaram com a coleção num momento em que a História lhes caía em cima. O Anschluss e a Segunda Guerra Mundial arrastaram os Ephrussi para o reino do esquecimento. O que restou do seu vasto império foi quase só a coleção de netsuke, subtraídos do gigantesco palácio vienense (na
altura ocupado pelos teóricos hitlerianos da questão judaica), um a um, no bolso de uma fiel criada, e escondidos depois no seu colchão de palha.
Neste extraordinário livro de memórias, Edmund de Waal viaja pelo mundo para olhar os magníficos edifícios que os seus antepassados habitaram. E traça o percurso de uma família notável sobre o pano de fundo de um século tumultuoso. E, numa escrita tão elegante e precisa como os próprios netsuke, conta-nos a história de uma coleção única que passou de mão em mão e que, num golpe do destino, encontrou o seu caminho de volta ao Japão.

Sobre o autor:
Edmund de Waal nasceu em 1964, em Nottingham, Inglaterra. É um prestigiado oleiro inglês, professor de Cerâmica na Universidade de Westminster. Quando herdou uma coleção de 264 pequenas esculturas japonesas, em madeira e marfim, chamadas netsuke, decidiu escrever a extraordinária história da família que as colecionou e de como elas atravessaram os séculos. O resultado foi este livro, A lebre de olhos de âmbar, um sucesso mundial classificado como Livro do Ano pelo Economist e vencedor dos prémios Costa Book Award 2010 (biografia), Galaxy National Book Award 2010 (estreia literária) e Ondaatje Book Award 2011.

Livro de Luís Miguel Rocha adiado. A Filha do Papa não será publicado em 2012


Luís Miguel Rocha solicitou à Porto Editora o adiamento da publicação de A Filha do Papa. 
Tendo em conta o cariz sensível da temática, o autor decidiu alterar o desfecho do enredo. Nesse sentido, o novo livro do único escritor português que alcançou o top do The New York Times não será editado, como previsto e anunciado, em 2012. A nova data de publicação do sucessor do bestseller A Mentira Sagrada será divulgada oportunamente.
Luís Miguel Rocha nasceu na cidade do Porto em 1976, onde mora atualmente, depois de passar dois anos em Londres. Foi repórter de imagem, tradutor e guionista; hoje em dia dedica-se em exclusivo à escrita.
Publicou, até ao momento, cinco livros: Um País Encantado (2005), O Último Papa (2006), Bala Santa (2007), A Virgem (2009) e A Mentira Sagrada (2011). As suas obras estão publicadas em mais de 30 países e foi o primeiro autor português a entrar para o top do jornal The New York Times. O Último Papa, bestseller internacional, vendeu mais de meio milhão de exemplares em todo o mundo.

O Inverno do Mundo - Ken Follett - Opinião 2.ª parte [Opinião]

Após a minha opinião sobre a primeira parte de "O Inverno do Mundo" segue a opinião sobre a segunda parte.
Com a entrada da Inglaterra na Grande Guerra muitos são os personagens que se vão envolver na mesma. Mas muitos segredos também serão revelados. Lloyd descobre a verdade sobre o seu passado e apaixona-se pela pessoa errada. Apesar de britânico será destacado para vários locais de guerra, nomeadamente França onde é feito prisioneiro.
Mas não é só Lloyd que sofre com a guerra. Além da sua família, também Boy vai sofrer um revés. Terá de combater também, embora de uma outra forma: a nível aéreo.

Em Berlim as atrocidades dos nazis começam a ser descobertas, e chocam até aqueles que eram a favor de Hitler. São relatos impressionantes daquilo que são capazes de fazer, desde tortura até à dizimação de milhares de pessoas só porque são diferentes do ideal ariano. Carla continua a trabalhar como enfermeira, mas quase não tem condições de trabalho. Mesmo assim a sua consciência vai falar mais alto quando tem de tratar e socorrer nazis.

Durante grande parte da guerra os EUA quiseram manter-se à parte, embora a estivessem a seguir ao minuto. Com o ataque a Pearl Harbor por parte do Japão, os EUA entram finalmente na guerra, o que causa desconforto para os russos. Em 1941 Greg ocupa um cargo importante, trabalhando no serviço de informações do governo. Leva uma vida praticamente despreocupada, mas vai descobrir uma coisa na sua vida passada que o vai surpreender e vai juntar a família um pouco mais. Participa ainda, ao lado de J. Robert Oppenheimer, judeu nova-iorquino, cientista responsável pelo fabrico da bomba atómica, numa experiência “bombástica”

A Rússia também não escapa às atrocidades nazis, e a miséria volta à população. A espionagem e os avanços na área da química e na manufactura de armas nucleares é cada vez maior. Vólida ganha um papel de destaque. 

A crueldade que é feita com os comunistas, incluindo crianças e judeus foi o que me chocou mais. No entanto, o livro não mostra o outro lado tal como deveria ser retratado. Também os seguidores de Estaline e o próprio matavam a torto e a direito, não sendo muito melhores que os nazis. No entanto, a forma como os invasores alemães se tinham comportado em 1941 enfurecera todos os russos a ponto de crescer uma tremenda raiva. Cartazes a incitar a morte aos alemães eram vistos por toda a parte e incitavam os russos a vingarem-se. 


Em 1945 a Guerra termina mas vai deixar grandes feridas...

Excertos:

“É tal e qual fazer tiro aos pombos no quintal, meu capitão.”
“Na política, sabemos que estamos a ganhar quando os nossos adversários nos roubam as ideias.”
“Se não mataste pelo menos um alemão por dia, esse dia foi um desperdício.”
terça-feira, 2 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Heróis do Ultramar, de Nuno Castro é novidade da Oficina do Livro

Título: Heróis do Ultramar
Autor:
Nuno Castro
N.º de Páginas: 200
PVP: 14,90€

Uma homenagem a toda a geração submetida ao maior dos sacrifícios: o da guerra. Uma grande lição de coragem para todos os portuguese.


Testemunhos dos intervenientes, cruzando-os, sempre que possível, com informação existente sobre os episódios.

Sobre o livro


Entre 1961 e 1974, centenas de milhares de portugueses combateram em Angola, em Moçambique e na Guiné. Mas, como acontece em todos os conflitos, só alguns combatentes se destacaram.

Heróis do Ultramar traça o retrato de um punhado de homens que se distinguiram nos campos de batalha da Guerra Colonial e que ainda hoje são recordados pela sua bravura extrema.
Portugueses que, independentemente do curso da História, da política ditada pelo governo de Lisboa, das suas próprias convicções e até das suas personalidades por vezes polémicas, demonstraram uma extraordinária capacidade de liderança debaixo de fogo e uma determinação inabalável perante a adversidade e o terror que só uma guerra consegue despertar.

Escrito a partir de vários testemunhos e das memórias dos combatentes, Heróis do Ultramar reúne alguns dos episódios mais ousados e dramáticos das três frentes do conflito português em África, na perspectiva dos seus principais protagonistas no terreno


Sobre o autor

Nuno Castro tem 33 anos e é jornalista desde 2003. Começou por trabalhar na extinta revista Doze, colaborou com a Grande Reportagem, a «Notícias Sábado» (revista de fim-de-semana do Diário de Notícias e Jornal de Notícias), a Visão e a Sábado, foi editor na FHM e no diário i, onde fez parte da equipa fundadora.
Actualmente vive em Houston, nos Estados Unidos, onde está a fazer um mestrado.
Heróis do Ultramar é o seu primeiro livro.






A 11 de outubro a Porto Editora publica A Poção Mágica, da jornalista da TSF Cristina Lai Men

Título: A Poção Mágica
Autor:
Cristina Lai Men
Págs.: 160 

Capa: mole com badanas
PVP: 14,40 €


A 11 de outubro a Porto Editora publica A Poção Mágica, da jornalista da TSF Cristina Lai Men, uma obra inspiradora sobre a forma como várias instituições procuram devolver o sorriso a crianças com doenças graves. O livro é a adaptação de uma reportagem premiada pela UNESCO e pela Liga Portuguesa Contra o Cancro.
A autora confessa que «se no final destas páginas o leitor tiver um sorriso nos lábios e um coração mais cheio» terá realizado o sonho de «homenagear quem sabe descobrir pozinhos de felicidade, mesmo quando tudo parece impossível».
Dedicada à cobertura de questões sociais, internacionais e culturais, e distinguida com vários prémios, Cristina Lai Men é uma jornalista que os portugueses se habituaram a ouvir na rádio TSF. Em A Poção Mágica transformou um grande trabalho jornalístico numa obra de muita força e esperança.


Sinopse:  

Um quarto com borboletas azuis, uma aventura no fundo do mar, princesas, cadernos e lápis de cor - são alguns dos muitos desejos que iluminam as crianças deste livro.
São meninos com doenças graves e em risco de vida, a quem a dedicação de profissionais e voluntários devolve um sorriso, um raio de sol e esperança nos dias mais sombrios. Porque como num conto de fadas moderno, estes pequenos heróis não podem viver felizes para sempre, mas acreditam que tudo é possível. Basta sonhar.
Inspirada numa reportagem da TSF distinguida com vários prémios, A Poção Mágica é uma homenagem a quem não desiste de sonhar e de acreditar num final feliz.


Sobre a autora:
Cristina Lai Men tem uma voz que nos habituámos a ouvir todos os dias na rádio TSF, onde é jornalista desde 1995. Dedicada à cobertura de questões sociais, internacionais e culturais, foi distinguida com os Prémios de Jornalismo "Direitos Humanos e Integração" pela Comissão nacional da UNESCO, "Jornalismo contra a Indiferença" pela AMI (Assistência Médica Internacional), Liga Portuguesa Contra o Cancro e Novartis Oncology.
Entre 2008 e 2011, foi Editora Executiva da TSF. Colaborou ainda com
a SIC Notícias, a RDP Antena 1 e a Rádio Azul em Setúbal.
Paralelamente, é praticante de Aikido, tendo já representado Portugal em competições internacionais.

Assírio & Alvim publica Guia de Aves

Título: Guia de Aves
Autor: Lars Svensson, Killian Mullarney e Dan Zetterström
Tradução e revisão científica: Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves
N.º de Páginas: 448
PVP: 33,00 €

Há muito aguardado, o Guia de Aves regressa
às livrarias mais completo que nunca

O mais completo Guia de Campo das Aves de Portugal e da Europa regressa às livrarias no dia 4 de outubro. Agora numa edição profundamente revista e aumentada, o Guia de Aves é um instrumento essencial para todos os interessados no Bird Watching — uma atividade que move, atualmente, milhares de pessoas de norte a sul do país.
Este Guia disponibiliza toda a informação necessária para identificar qualquer espécie em qualquer época do ano. O texto é detalhado e cobre aspetos do habitat, da área geográfica, da descrição e dos cantos de cada espécie. Inclui mapas de distribuição para as espécies de Portugal e da Europa, com informação rigorosa sobre as áreas de distribuição, de migração e de invernada.
O Guia inclui mais de 3500 ilustrações com todas as plumagens representativas de cada espécie, pintadas pelos melhores artistas de ilustração de aves do mundo. A tradução e a revisão estiveram a cargo de uma equipa técnica da SPEA — Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves.
 

Porto Editora publica inédito de Sophia

Conto inacabado foi concluído pelo neto, o jornalista Pedro Sousa Tavares. As belíssimas ilustrações são de Danuta Wojciechowska.

É com orgulho que a Porto Editora anuncia a publicação de Os Ciganos, um conto inédito que terá uma edição exclusiva de 3000 exemplares e que será apresentado a 16 de outubro, pelas 19:00, na Livraria Bertrand Chiado.

Passeio a Marte - Fernando Cardoso [Opinião]

Título:Passeio a Marte
Autor:
Fernando Cardoso
Edição/reimpressão: 1993
Páginas: 50
Editor: Editora Portugalmundo

Sinopse:

Uma viagem extraordinária numa noite de Natal e em que a Ecologia é uma palavra mágica

A minha opinião:


Neste Passeio a Marte Fernando Cardoso conta uma história idílica de duas crianças. Pedro e Clara são irmãos e, juntamente com a família, reúnem-se para passar a noite de Natal. Como qualquer criança estão ansiosos pelas prendas, mas a mais importante de todas estava para vir nas mãos de um mendigo. A família com pena daquele velho que bate à porta, convida-o para passar com eles aquela noite de Natal e as jovens crianças nem sabe o que os espera.

Uma viagem ao imaginário infantil, o velhote transforma aquela noite na melhor das suas vidas, levando-os a visitar Marte, uma paraíso onde a beleza e a consciência ecológica é enorme. Onde todos se ajudam e onde os animais e plantas ganham outra vida e relevância.

Acompanhado por quadras que cativam ainda mais os leitores mais pequenos, a história de Fernando Cardoso não deixa de ser inerente ensinamentos que lhe vão valer para toda a vida, sobretudo os de respeitar o meio ambiente e os mais velhos.



Novidade Europa-América: O Anjo das Trevas - Os Cânticos do Serafim - Anne Rice

Título: O Anjo das Trevas
Subtítulo:
Os Cânticos do Serafim
Autora:
Anne Rice
Colecção: Obras de Anne Rice
Preço: 17.50€

Pp.: 144

A sequela d' O Tempo do Anjo

«Sonhei com anjos. Vi-os e ouvi-os numa enorme e interminável noite galáctica. Vi as luzes que simbolizavam estes anjos, voando aqui e ali, em laivos de um brilho irresistível […] Senti amor em redor de mim neste vasto e contínuo domínio de som e luz […] E algo semelhante a tristeza apoderou-se de mim e confundiu toda a minha essência com as vozes que cantavam, porque as vozes cantavam sobre mim.»
Assim começa o novo romance assombroso de Anne Rice, um thriller sobre anjos e assassinos, que nos conduz novamente aos mundos obscuros e perigosos de tempos passados. Anne Rice leva-nos para outros domínios, desta vez para o mundo de Roma no século XV, uma cidade de cúpulas e jardins suspensos, torres altas e cruzes por debaixo de nuvens sempre em mudança; colinas familiares e pinheiros altos… de Miguel Ângelo e Rafael, da Sagrada Inquisição e de Leão X, segundo filho de um Medici, dissertando sobre o trono papal…
E nesta época, neste século, Toby O’Dare, antigo assassino por ordem do governo, é convocado pelo anjo Malquias para resolver um terrível crime de envenenamento e para procurar a verdade sobre a aparição de um espírito irrequieto — um diabólico dybbuk. O’Dare em breve se vê envolvido no seio de conspirações negras e contra-conspirações, rodeadas por uma ameaça sombria e ainda mais perigosa, porque o véu do terror eclesiástico a cobre.
Enquanto embarca numa viagem de expiação, O’Dare é ligado ao seu próprio passado, com assuntos claros e obscuros, ferozes e ternos, com a promessa de salvação, e com uma visão mais profunda e rica do amor.

Sobre a autora:
Anne Rice é uma autora consagrada de diversos best-sellers na área da literatura de fantasia e gótica. Entre êxitos como A Rainha dos Malditos e A Hora das Bruxas, alcançou a notoriedade com Entrevista com o Vampiro, um clássico que redefiniu a literatura de vampiros e foi adaptado ao cinema por Neil Jordan.
 
segunda-feira, 1 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento de Amália – O Romance da Sua Vida


Poto Editora publica primeira biografia de Jorge Sampaio

Título: Jorge Sampaio – Uma Biografia (Volume I)
Autor:
José Pedro Castanheira
Págs: 1064
PVP: 24,90 €


Jorge Sampaio foi Presidente da República, Secretário-Geral do Partido Socialista, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, advogado, e marcou a História e a vida política portuguesa desde meados do século xx. A sua primeira biografia autorizada, assinada pelo jornalista do Expresso José Pedro Castanheira, é publicada no dia 11 de outubro, numa coedição da Porto Editora e das Edições Nelson de Matos.
Resultado de vários anos de pesquisa, este primeiro de dois volumes da obra Jorge Sampaio – Uma Biografia é uma viagem única que se inicia com as memórias de infância de Sampaio até à sua candidatura à Câmara Municipal de Lisboa, em 1989.


A apresentação de Jorge Sampaio – Uma Biografia está marcada para o dia 23 de outubro, às 18:00, no Anfiteatro 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, e contará com a presença do autor e do biografado. A apresentação estará a cargo dos Drs. António Costa e Emílio Rui Vilar.


Sobre o livro:
Esta não é só a história de um homem especial. Através da biografia de Jorge Sampaio vai-se fazendo o retrato de uma geração que lutou contra a ditadura e ajudou a construir a democracia. É o relato do último século da vida política portuguesa. O autor, José Pedro Castanheira, teve acesso ao vastíssimo arquivo particular do ex-Presidente da República. E entrevistou uma centena e meia de pessoas: familiares e amigos, colegas de advocacia e companheiros das lides políticas, mas também vozes críticas, opositores e adversários. O resultado final é um trabalho absolutamente único. Um documento histórico impressionante e valioso.


Sobre o autor:
José Pedro Castanheira nasceu em 1952 e é jornalista profissional desde 1974. Estudou Economia no ISCEF e tem uma pós-graduação em Jornalismo pelo ISCTE e Escola Superior de Comunicação Social. Foi jornalista do diário «A Luta», de que foi chefe de redação. Em 1979, ingressou no semanário «O Jornal», onde coordenou um gabinete de grande reportagem e investigação. Desde 1989 que pertence aos quadros do semanário «Expresso», onde tem a categoria de repórter principal. Especialista em assuntos sociais, dedicou-se nos últimos anos à grande reportagem e ao jornalismo de investigação, em particular sobre a história recente de Portugal e das ex-colónias.
Ganhou alguns dos mais prestigiados galardões de jornalismo atribuídos em Portugal: Prémio Macau de Jornalismo (1990) e Prémio Nacional de Reportagem de Imprensa (1993), ambos do Clube de Jornalistas; Primeiro Prémio de Reportagem (1993 e 1997), do Clube Português de Imprensa; Jornalista do Ano (1994), do Clube de Jornalistas do Porto; Grande Prémio Gazeta (2002), o principal prémio de jornalismo existente em Portugal; Medalha de Ouro comemorativa do 50º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos do Homem (2004); Menção Honrosa do Prémio Cáceres Monteiro (2011). Fez parte dos corpos gerentes do Sindicato dos Jornalistas em vários mandatos, tendo sido eleito presidente da direção no biénio 1985/86. Em 1998 presidiu à Comissão Organizadora do 3º Congresso dos Jornalistas Portugueses.
Autor de vários livros, assinou reportagens em todos os territórios que, a 25 de Abril de 1974, ainda faziam parte, mesmo que nominalmente, do então «império»: os cinco países africanos de língua oficial portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe), o enclave de São João Baptista de Ajudá (no Benim), Goa, Damão e Diu (na Índia), Macau e Timor-Leste. Cobriu, como enviado especial, as guerras na Croácia (1991/92), na Guiné-Bissau (1998/99) e em Timor-Leste (1999).

Novo livro de Daniel Silva, Retrato de uma espia nas livrarias a partir de 12 de Outubro

Título: Retrato de uma espia
Autor:
Daniel Silva
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 432
PVP: 17,70€

Sinopse:
Gabriel Allon, restaurador de arte e espião, está em Londres com Chiara, a mulher, para um fim de semana que se esperava agradável. Mas duas bombas, em Paris e Copenhaga, conseguiram já estragar este encantador dia de outono. Depois, quando Gabriel se prepara para deter um homem que ele suspeita estar prestes a fazer um terceiro atentado em Covent Garden, é atirado ao chão e fica a observar um verdadeiro pesadelo, sem poder fazer nada. Ainda tem bem fresca a perturbadora memória do seu fracasso em impedir um massacre de inocentes quando é chamado a Washington para um confronto com o novo rosto do terrorismo global. Ao centro de uma explosiva praga de morte e destruição está um esquivo clérigo de origem americana a viver no Iémen. E o pior ainda está para vir...

Círculo de Leitores publica novo livro de Lisa Gardner: Desaparecida



Título: Desaparecida
Autor: Lisa Gardner
N.º de Páginas: 288
PVP: 17,49€

Um carro abandonado numa noite de tempestade na zona rural de Oregon. No interior é encontrada apenas a carteira, mas não há vestígios da condutora. O que pode parecer um banal acidente acaba por revelar um mistério de intrincados contornos. Pierce Quincy, profiler do FBI, é chamado para investigar. Aquele é o carro da sua mulher, uma alcoólica que sofreu uma recaída e que tinha todas as razões do mundo para querer desaparecer. Apesar de separados, eles investigavam um duplo homicídio, e o abandono do carro em plena estrada, sem mensagens nem pistas, pode ter sido engendrado como uma terrível vingança. Um intenso thriller psicológico assinado por Lisa Gardner. 

Imprensa:
"Personagens simpáticos, numa encenação bem montada e com um enredo notável." - Publishers Weekly
"Lisa Gardner enfeitiça os leitores." - Publishers Weekly
"Explosivo...  Sustemos a respiração até ao final." - Romantic Tmes (Top Pick)

Sapatos de Rebuçado - Joanne Harris [Opinião]

Título: Sapatos de Rebuçado
Autor:
Joanne Harris
Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 512
Editor: Edições Asa
PVP: 17,50€

Sinopse:

Sapatos de Rebuçado é mais uma viagem ao mundo encantado de Joanne Harris. Um (esperado) regresso a Chocolate.

Após ter abandonado a aldeia de Lansquenet-sur-Tannes, cenário de Chocolate, Vianne Rocher procura refúgio e anonimato em Paris, onde, juntamente com as suas filhas Anouk e Rosette, vive uma vida pacífica, talvez até mesmo feliz, por cima da sua pequena loja de chocolates. Não há nada fora de comum que as destaque de todos os outros. A tempestade que caracterizava a sua vida parece ter acalmado... Pelo menos até ao momento em que Zozie de l’Alba, a mulher com sapatos de rebuçado, entra de rajada nas suas vidas e tudo começa a mudar…
Mas esta nova amizade não é o que parece ser. Impiedosa, retorcida e sedutora, Zozie de l’Alba tem os seus próprios planos - planos que vão despedaçar o mundo delas. E com tudo o que ama em jogo, Vianne encontra-se perante uma escolha difícil: fugir, tal como fez tantas outras vezes, ou confrontar o seu pior inimigo…
Ela própria.

A minha opinião:

Depois de ter lido Chocolate (e visto o filme) há uns anos atrás, e apesar de ter comprado Sapatos de Rebuçado logo que o livro saiu, só agora com a saída de novo livro que continua a história de Vianne Rocher, O Aroma das Especiarias, decidi partir para esta leitura, com uma vontade ávida da sua continuação.

Se em Chocolate o cenário foi na pequena aldeia de Lansquenet-sur-Tannes, a acção de Sapatos de Rebuçado é passada nos arredores de Paris, onde Vianne apesar de com uma nova identidade e com duas filhas por companhia, não resiste ao seu maior amor, e decide mesmo assim abrir uma pequena chocolaterie

Tal como em Chocolate, neste segundo livro a história é contada não apenas pela voz de Vianne, mas também da sua filha Anouk e de Zozie, uma mulher que entra nas suas vidas de forma inesperada, mas de tal maneira intensa que consegue os seus intentos com uma facilidade estrondosa. Porque nem tudo o que parece é. Zozie aproxima-se da pessoa mais frágil da casa, e com uma imagem de boa amiga e conselheira, acaba por saber os segredos que esconde esta família, que são muito semelhantes com os seus.


Um livro fantástico, que me levou novamente ao doce prazer do chocolate, da confecção dos mais variados doces e que deixa um gosto por mais. Vou ler brevemente O Aroma das Especiarias que já aguarda que pegue nele.  

O Corsário dos Sete Mares é o novo livro de Deana Barroqueiro

Com data prevista para lançamento o dia 22 de Outubro, O Corsário dos Sete Mares é o novo livro de Deana Barroqueiro a ser publicado pela Casa das Letras.

Sinopse:
Fernão Mendes Pinto é o exemplo vivo do aventureiro português do século XVI, que embarcava para o Oriente com o fito de enriquecer. Curioso, inteligente, ardiloso e hábil, capaz de todas as manhas para sobreviver, vai tornar-se num homem dos sete ofícios, sendo embaixador, mercador, médico, mercenário, marinheiro, descobridor e corsário dos sete mares - Roxo, da Arábia, Samatra, China, Japão, Java e Sião - por onde, durante vinte anos, navegou e naufragou, ganhou e perdeu verdadeiros tesouros, fez-se senhor e escravo, amou e foi amado, temido e odiado. Herói polémico e marginalizado, Fernão participa em campanhas de paz e guerra, da Etiópia à China, sendo também um dos primeiros portugueses a visitar o Japão, onde introduz os mosquetes ali desconhecidos e fica nas crónicas locais como o noivo do primeiro matrimónio de uma japonesa com um ocidental. Através de Fernão Mendes Pinto e dos testemunhos das personagens com quem se cruza, na sua peregrinação pelo Oriente longínquo, a autora faz ainda a narrativa dos principais episódios da grande saga dos Descobrimentos Portugueses, como as conquistas de Goa e Malaca, o heróico cerco de Diu ou as campanhas do Preste João na Etiópia. Em sete mares se divide o romance, por onde o leitor, na pele das personagens, fará uma intrigante viagem no Tempo, ao encontro de si próprio e de mundos e povos antigos, tão diferentes e ao mesmo tempo tão semelhantes, uma peregrinação na busca incessante de fortuna, encarnada na demanda da mítica Ilha do Ouro.

Dia 2, lançamento do mais recente título da col. de viagens, Os Primos da América, de Ferreira Fernandes. Apresentação de Adelino Gomes