sábado, 27 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Bertrand publica novo livro de Mary Higgins Clark

Título: Os Anos Perdidos
Autor: Mary Higgins Clark

Género: Thriller
Tradutor: Ana Cunha Ribeiro
N.º de páginas: 280
Data de publicação: 19 de outubro
PVP: 16,60 €



«Uma mistura intrigante de história religiosa e mistério contemporâneo.»
A Bertrand publica o mais recente livro escrito pela “rainha do suspense”, com a premissa: Durante quanto tempo se pode esconder a verdade?
Jonathan Lyons é um estudioso da Bíblia e julga ter encontrado uma relíquia inimaginável: uma carta em papiro que pode ter sido escrita pelo próprio Jesus Cristo. Roubada da Biblioteca do Vaticano no século XVI, pensava-se que estava perdida.
Agora, sempre com um pedido de sigilo, consegue confirmar a sua autenticidade junto de vários especialistas. Mas confidencia também a um amigo de família a suspeita de que uma pessoa que em tempos foi da sua confiança queira agora vender o artefacto para fazer muito dinheiro.
Passados poucos dias, Jonathan é encontrado morto no seu estúdio. Escondida no guarda-roupa, a balbuciar palavras sem sentido e segurando a arma do crime, encontra-se Kathleen, a sua mulher, que sofre de Alzheimer. Apesar da demência, Kathleen sabia que o marido tinha há muito tempo um caso com outra mulher. Terá ela matado o marido num acesso de ciúmes, como alega a polícia? Ou estará a morte dele relacionada com uma questão mais ampla: Quem tem na sua posse o pergaminho de valor incalculável agora desaparecido?
Caberá à filha de ambos, Mariah, ilibar a mãe das acusações de homicídio e desvendar o verdadeiro mistério que se esconde por detrás da morte do pai.


«Clark, justamente conhecida como a Rainha do Suspense, realiza a sua magia habitual. Uma mistura intrigante de história religiosa e mistério contemporâneo. Os Anos Perdidos vêm confirmar o estatuto de Clark como escritora disposta e capaz de contornar a fórmula – e de o fazer com êxito – e abordar temas que não são tratados muitas vezes neste género literário.» Richmond Times Dispatch


Sobre a autora:
Mary Higgins Clark é autora de mais de trinta romances que obtiveram um êxito assinalável, tendo vendido mais de 150 milhões de exemplares em todo o mundo.
Foi secretária e hospedeira, mas depois de se casar dedicou-se à escrita. Com a morte prematura do marido, que a deixou com cinco filhos pequenos, a autora investiu na escrita de guiões para rádio e, depois, nos romances. Rapidamente se tornou um dos grandes nomes da literatura de suspense, conquistando os tops de vendas, a crítica e os fãs.
Foi eleita Grand Master dos Edgar Awards 2000 pela Mystery Writers of America, que também lançou um prémio anual com o seu nome. Foi presidente da Mystery Writers of America, bem como do International Crime Congress.
www.maryhigginsclark.com


Imprensa:
«Simultaneamente um mistério de cortar a respiração e uma caça àquilo que pode muito bem ser o tesouro religioso e arqueológico mais precioso de todos os tempos.» BookReporter.com
«Se é daquelas pessoas que gosta de partilhar romances com os outros, atenção: se emprestar este livro, pode ser que nunca mais lho devolvam. E isto porque, para os fãs de mistérios, Os Anos Perdidos é mesmo para guardar.» Pittsburgh Tribune
sexta-feira, 26 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Três é Demais - Jill Mansell [Opinião]

Título: Três é Demais
Autora:
Jill Mansell
Edição: Set/2012
Páginas: 336
ISBN: 9789897100390
Editora: Chá das Cinco

Não há família mais glamorosa que os Mandeville. O casal de celebridades Jack e Cass Mandeville parece ter tudo — boa aparência, carreiras coroadas de êxito e um casamento maravilhoso.
Os filhos também são incrivelmente talentosos: a Cleo é supermodelo; o Sean é um comediante de sucesso; e embora Sophie, uma adolescente de 16 anos, esconda a sua aparência sob uns enormes óculos redondos e roupa larga, todos veem que existe um belo cisne ansioso por desabrochar. Aos olhos da imprensa, a família Mandeville é simplesmente exemplar.
Mas uma ruiva lindíssima, de seu nome Imogen, aparece para entrevistar Jack e Cass na manhã do quadragésimo aniversário de Jack… e a família fabulosa descobre que afinal talvez não seja assim tão perfeita.
Com Jill Mansell, o amor está sempre ao virar da esquina, com muitas surpresas e grandes doses de humor.

A minha opinião: 

Eu que costumo divertir-me a ler os livros de Jill Mansell e até a recomendar a sua leitura fiquei completamente decepcionada com o seu mais recente livro Três é demais. O que foi demais foi mesmo a sua leitura, que não me cativou de todo. Não me ri uma única vez, o que não é normal nos livros dela. 
Desta vez Mansell decidiu contar a história de uma família, inicialmente perfeita, de Cass e Jack. Casados há muitos anos, este casal vivia feliz com os seus três filhos, até que Cass decide aceder a um pedido de uma reportagem sobre a sua família. O que Cass não imagina é que a repórter e o seu marido a vão trair...
No fundo, o livro anda à volta desta história e não sai muito daí. Pelo meio há ainda as aventuras amorosas dos seus filhos, que fazem lembrar também a do casal mais velho, ou seja, há quase sempre uma terceira pessoa a atrapalhar os relacionamentos. Nunca acrescentando nada de novo à leitura, este livrinho não me conseguiu seduzir ao contrário de tantos outros que já li de Mansell. A autora foi mesmo infeliz na escolha das personagens e do próprio tema, nada divertido ao contrário do que nos costuma oferecer. 
No entanto, não vou deixar de ler os próximos livros da autora até porque adorei os anteriores.  

Passatempo Natal 2012 - Civilização Editora

Inserido na campanha de Natal 2012 da Civilização Editora está um passatempo com a oferta de 2000 livros à escolha.
Esta informação também já se encontra disponível na página do facebook da Civilização.
 

TOPSELLER entra no mercado editorial português com fantásticos autores: James Patterson e Janet Evanovich

É no dia 1 de novembro que surge no mercado editoral uma nova editora: a Topseller. Uma nova editora que se diz arrojada, que arranca com toda a garra.

James Patterson e Janet Evanovich. É com estes dois nomes de peso e de referência da ficção - figuram no “top 5” de autores mais bem sucedidos em todo o mundo (fonte: Forbes ), que a Topseller revela a sua ambição: construir um catálogo on
de figurem os mais populares autores – portugueses e estrangeiros - de ficção para adultos e jovens adultos.

James Patterson já vendeu mais de 250 milhões de livros em todo o mundo, o que faz dele detentor do recorde absoluto de vendas e de top’s do New York Times. Mas era um autor praticamente desconhecido em Portugal até agora. Janet Evanovich é a autora de policiais mais vendida em todo em mundo e a escritora mais bem sucedida atualmente (fonte: Forbes), com mais de 75 milhões de livros vendidos. E, no entanto, estava inédita até agora em Portugal.

A Topseller, fruto do empenho de toda a sua equipa, tem como ambição tornar James Patterson e Janet Evanovich autores que superem igualmente recordes em Portugal. Para tal, apoiados por uma forte e original campanha de marketing, a editora irá editar mais sete títulos de James Patterson em 2013 (adulto, jovem adulto e juvenil) e três de Janet Evanovich.

«Crise? Somos irrequietos. Crise para nós era ficarmos parados.» Manuel de Freitas, diretor-geral da 20|20 Editora

"A Topseller nasce no seio da 20I20 Editora, a mais jovem e dinâmica do Top 10 nacional, cujo crescimento desde a sua fundação há três anos demonstra bem a qualidade do seu catálogo. Mais do que a promoção da marca, a aposta passou até agora pela edição de livros de qualidade para o grande público, trabalhados e acarinhados por profissionais reconhecidos. Esta missão já existia nas outras três chancelas da 20|20 Editora: Booksmile, Nascente e Vogais."
"A Booksmile edita livros infantojuvenis e álbuns ilustrados, contando no seu catálogo com a série infantojuvenil mais vendida em Portugal: O Diário de um Banana. Aliás, é com muito orgulho que, no conjunto das chancelas, a 20|20 Editora conta com três dos cinco autores mais bem sucedidos em todo o mundo. Além de Patterson e Evanovich, Jeff Kinney, autor d’O Diário de um Banana está presente no Top 5 da Forbes.


"A Nascente edita livros de autoajuda e espiritualidades, uma área que tem crescido nos últimos anos, enquanto a Vogais edita livros de não-ficção e temas atuais."


«Sabemos que o mercado acredita na qualidade do nosso trabalho e sentimo-nos preparados para entrar, com a Topseller, num segmento onde ainda não estávamos presentes: a ficção para adultos. Acreditamos que, com a nossa experiência e capacidade de inovação, saberemos dar a volta à crise e oferecer ao público os melhores livros, com a melhor relação qualidade/preço e sem qualquer risco. Somos a única editora a oferecer por escrito uma garantia incondicional de satisfação e qualidade. ‘Satisfeito ou reembolsado’ é uma proposta muito forte nesta altura em que qualquer compra é muito bem ponderada pelo consumidor.»

As nossas opções eram desistir ou então crescer para ter uma dimensão que nos permitisse ter distribuição própria.
Lançamentos Topseller


1 de Novembro – James Patterson (www.jamespatterson.com)
 

Alex Cross: Primeiro de uma coleção com 18 volumes já publicados, com o detetive mais admirado dos policiais dos tempos modernos. O livro terá campanha cruzada com a Zon Lusomundo que estreia, a 15 de novembro, o filme Eu, Alex Cross, com Matthew Fox (série Perdidos) e Tyler Perry.


 











Maximum Ride 1: O Resgate de Angel: Primeiro de uma coleção com oito volumes, para jovens leitores. Mais um bestseller de James Patterson que permaneceu semanas no top do New York Times.

 














15 de Novembro – Janet Evanovich (www.evanovich.com)  

Perseguição Escaldante: Um policial divertido e autêntico, que vai arrancar muitas e muitas gargalhadas. É um novo estilo de policial, repleto de personagens únicas e inesquecíveis, que em muitos países já criou uma legião de fãs





A 5 de novembro, chega às livrarias portuguesas uma obra de ilusionismo

Título: Escola de Magia
Autor:
João Miranda
Págs.: 184 

Capa: integral
PVP: 15,00 €


A 5 de novembro, chega às livrarias portuguesas uma obra de ilusionismo com uma abordagem inovadora, a única que, através de fotografias, ensina truques passo a passo. O autor é João Miranda, fundador da Escola de Magia do Porto, e o livro intitula-se, como não podia deixar de ser, Escola de Magia.
Ao criar esta obra, integralmente colorida e repleta de fotografias produzidas exclusivamente para o efeito, o autor teve a intenção de divulgar o ilusionismo «como forma de arte», usando objetos simples «que toda a gente tem em casa». Os truques estão divididos por três graus de dificuldade, mas o livro traz outras informações importantes, como a história da Magia e dicas prévias para o sucesso. O aspirante a mágico deve, entre outros aspetos, saber guardar segredo dos truques, treinar muito e comunicar bem.


Sinopse:  

Se gostava de aprender fantásticos truques de magia para surpreender tudo e todos, este livro é para si. De forma clara e simples, o mágico João Miranda irá ensinar-lhe, passo a passo e por diferentes níveis de dificuldade, ilusões com objetos que encontra em sua casa. Fazer aparecer dinheiro, levitar uma carta, transformar água em sumo ou rasgar e reconstituir um jornal são alguns dos truques de magia que irá aprender.

Sobre o autor:
João Miranda nasceu no Porto, em 1986. Aos seis anos de idade deixou-se seduzir por uma caixa de magia, e contrariamente à grande maioria dos outros meninos, facilmente trocou o futebol por um baralho de cartas, sem nunca deixar para trás os estudos.
Sem quaisquer antecedentes familiares no mundo da magia, tornou-se um autodidata e com apenas catorze anos fazia a primeira atuação em público, num pequeno auditório, tendo na assistência os trabalhadores de uma empresa local.
Licenciado em Comércio Internacional, conjuga na perfeição as duas atividades, aliando a prática profissional da magia ao facto de também ser proprietário de uma empresa exportadora de artigos de magia para todo mundo, a OPORTO MAGIC.
No ano de 2009, coinventou uma ilusão de palco, utilizada por mágicos profissionais de vários países (Espanha, Holanda, Suécia, Inglaterra e Estados Unidos) nos seus espetáculos.
Conta no seu percurso com atuações em festivais de magia (entre eles o MagicValongo, considerado o maior festival português de magia), espetáculos das mais prestigiadas empresas sediadas em Portugal e em programas de televisão dos três canais generalistas portugueses e ainda no Porto Canal, onde, no início de 2010, produziu e apresentou o programa de magia de rua “Porto Mágico”, pioneiro na televisão portuguesa, com performances realizadas em parceria com diversas figuras públicas ligadas à cidade, como Pedro Abrunhosa, Manuel Serrão ou Fernando Rocha.
Em 2011 criou, em parceria com o seu amigo Gonçalo Gil, a Escola de Magia do Porto (www.escolademagiadoporto.com), que dá formação a entusiastas e mágicos amadores de Norte a Sul do País.
As performances de João Miranda passam pela criação de ilusões que recorrem a estímulos visuais através dos quais pretende transmitir emoções ao público. Mais do que ilusões, trata-se de sensações que estimulam a capacidade de imaginar de cada espectador.
João Miranda é um dos mágicos portugueses mais requisitados, apostando fortemente na criação de novas ilusões e na recuperação de antigos números de magia, aliados às novas tecnologias. Dedica grande parte dos tempos livres à pesquisa e criação de novas ilusões, assumindo ainda uma grande paixão pelas viagens e pelo cinema.

Ilija Trojanow lança O Colecionador de Mundos, pela Arkheion



Ilija Trojanow lança O Colecionador de Mundos, pela Arkheion

«Comparável a Moby Dick», Günter Grass


A esperada tradução de O Colecionador de Mundo, do escritor alemão Ilija Trojanow, chega ao público português pela Arkheion Editora. A apresentação da obra, a cargo do escritor Pedro Rosa Mendes, contará com a presença do autor e será realizada no dia 30 de outubro, pelas 19 horas, no Goethe-Institut em Lisboa.



O Colecionador de Mundos é um romance sobre a vida fascinante de Sir Richard Francis Burton (1821–1890), uma das personalidades mais extraordinárias do século xix. Oficial do Exército britânico, orientalista, viajante, explorador, além de tradutor para o inglês de clássicos como As Mil e Uma Noites e o Kama Sutra, teve uma vida recheada de escândalos e polémicas, mas também de viagens e muitas aventuras.


Na obra O Colecionador de Mundos, Ilija Trojanow constrói uma narrativa que nos transporta a três momentos importantes da vida de Richard Burton. Índia, Médio Oriente e África são palco desta obra que dá voz a universos culturais opostos. 
Um livro que revela um raro talento literário.
  
Sobre o autor: 
Ilija Trojanow nasceu em Sófia em 1965. Em 1971, a sua família foge da Bulgária; passa pela Jugoslávia e por Itália, acabando por fixar-se na Alemanha, onde recebe asilo político. Em 1972, a família viaja para o Quénia, e aí o pai consegue obter um emprego. Com uma interrupção de 1977 a 1981, Trojanow vive em Nairobi até 1984, onde frequenta uma escola alemã.
Após uma estadia em Paris, estuda Direito e Etnologia na Universidade de Munique entre 1985 e 1989. Interrompe os estudos para fundar a Kyrill-und-Method-Verlag em 1989 e a Marino-Verlag em 1992, duas editoras especializadas em literatura africana. Em 1999 muda-se para Bombaim, na costa ocidental da Índia, país no qual começaria a focar o seu interesse, até 2003, altura em que se muda para a Cidade do Cabo, onde vive até 2007. Nesse ano é agraciado com o Maizer Stadtschreiber, prestigiado prémio literário alemão. Desde então vive em Viena de Áustria.
É membro, desde 2002, do Centro PEN da República Federal da Alemanha. Entre outros prémios, recebeu o Prémio de Literatura Bertelsmann na competição Ingeborg Bachmann em Klagenfurt em 1995; o Prémio de Literatura Marburg em 1996; o Prémio Thomas Valentin em 1997; o Prémio Adelbert von Chamisso em 2000; e o Prémio da Feira do Livro de Leipzig na categoria de Ficção, em 2006, por O Colecionador de Mundos.

 




quinta-feira, 25 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Esfera dos Livros para Outubro

Título: A Rainha Adúltera
Autor:
Marsílio Cassotti
Colecção: História
P.V.P: 24 €
Páginas: 531 + 8 de extratextos

D. Joana de Portugal (Lisboa, 1439 – Madrid, 1475) foi uma infanta de «esplendente formosura» e «magistral dissimulação». Segundo um cronista da época, Afonso V, o Africano, irmão de Joana, contou com ela para levar a cabo um antigo sonho de Portugal: reunir sob o seu cetro as coroas portuguesa e castelhana.

Filha póstuma do rei D. Duarte, era ainda uma criança de peito quando foi levada para o exílio em Castela, por causa do confronto entre a sua mãe e os infantes da ínclita geração. De regresso a Lisboa, passou a adolescência na rica e agitada corte do irmão. Aos 16 anos, converteu-se na segunda mulher do rei de Castela, em cuja corte os cargos mais importantes eram ocupados por filhos e netos de portugueses exilados depois da batalha de Aljubarrota. A sua missão consistia em dar descendência a Enrique IV, o Impotente, para que a sucessão do trono não passasse diretamente à linha dos meios-irmãos do monarca, entre eles a futura Isabel, a Católica, de mãe portuguesa.

É possível que D. Joana tivesse conspirado para conseguir «um aumento do império» de Afonso V. A sagacidade política da rainha consorte portuguesa mais influente em toda a história de Espanha, bem como a misteriosa conceção da sua filha e princesa herdeira, a Excelente Senhora, provável fruto da primeira inseminação artificial documentada, obra de físicos judeus, provocaram a rebelião da nobreza castelhana, comandada pelos descendentes de portugueses.

Enrique foi apelidado de sodomita, Joana acusada de ter relações adúlteras com um favorito do marido, Beltrán de la Cueva, e de dar ao reino uma princesa «bastarda»: a Beltraneja.

A Rainha Adúltera é o relato de um drama transcendente da História. Graças a uma pesquisa de documentos portugueses, espanhóis e italianos iniciada há doze anos, Marsilio Cassotti pôde reconstruir a tragédia de uma infanta portuguesa e da sua filha, a Excelente Senhora, cuja legitimidade é provada. Esta primeira biografia da soberana «mais ultrajada e perseguida» da realeza europeia descreve, além disso, a refinada, galante e violenta vida de duas cortes ibéricas em estreito contacto e as suas arriscadas relações financeiras com o judaísmo sefardita, numa altura em que a Península já estava incubar a expulsão desta importante minoria religiosa.



Sobre o autor:
Marsilio Cassotti foi diretor de uma coleção de História numa importante editora de Barcelona e é autor de estudos fundamentais sobre mulheres como a princesa de Éboli, a Excelente Senhora, a XIII duquesa de Alba e a rainha Maria Luísa de Parma. Em Portugal publicou Infantas de Portugal, Rainhas em Espanha (6.ª edição); D. Teresa, A primeira rainha de Portugal (4.ª edição) e Carlota Joaquina, O pecado espanhol (5.ª edição).

Título: A Última Duquesa
Autor:
Daisy Goodwin
Colecção: Romance
P.V.P: 19,90 €
Páginas: 384

Cora Cash, possivelmente a herdeira mais rica da América nos anos 1890, foi criada a acreditar que o dinheiro lhe podia abrir qualquer porta. Bonita, com um guarda-roupa invejável vindo diretamente das melhores casas de Paris, vive no meio do luxo de uma enorme e confortável mansão em Newport. Mas a sua autoritária mãe deseja vê-la casada com um nobre inglês. Pouco interessada nos sentimentos da sua filha, envia-a para Inglaterra para garantir o tão desejado casamento aristocrático. Na época, era comum juntar o dinheiro americano ao desejado título aristocrático inglês. Uma pura combinação de interesses, onde o coração ficava de fora.

Cora fica consternada com a receção e o mundo que encontra neste novo país. O choque de culturas é imediato. As grandes casas senhoriais que frequenta são lindas, mas geladas e muito desconfortáveis. Sem casa de banho e aquecimento central. Os corredores enchem-se de intrigas, e nas caves, na ala dos criados, reina a coscuvilhice.
Só quando perde o seu coração para o duque de Warehamm, um misterioso homem que quase não conhece, é que Cora percebe que está a jogar um jogo para o qual não está devidamente preparada, que não entende, mas onde a sua felicidade futura pode ser o preço. 


Sobre o autor:
Daisy Goodwin trabalha como produtora e apresentadora de televisão. Formada em História pela Cambridge University, frequentou a Columbia Film School. Editou várias antologias de poesia incluindo o bestseller 101 Poems That Could Save Your Life. É autora de Silver River, a memoir. Pertenceu ao painel de jurados em 2010 do prestigiado prémio Orange Prize for Fiction. My Last Duchess é o seu primeiro romance.


 
Título: Novembro
Autor: Jaime Nogueira Pinto
Colecção: Romance
P.V.P: 22 €
Páginas: 640

Lançamento, 8 de Novembro,18h30, Café Império. Apresentação por Vasco Graça Moura
É no Portugal tranquilo de 1973, que Henrique segue pela Marginal a caminho da Baixa, para mais um conselho de administração do banco. Ao fim da tarde, o seu filho Eduardo atravessa a Praça de Londres rumo ao Bunker, um rés-do-chão semi-devoluto que serve de sede a um movimento de jovens nacionalistas radicais. É aí que Alexandre dirige a Ofensiva.

Henrique tenta esquecer a mulher desaparecida em romances e relações atípicas, Eduardo move-se na esperança secreta de encontrar Diana, Alexandre procura na paixão política o romantismo e aventura que não encontra na vida.
Mas a História está a preparar-se para tomar conta das histórias destes homens e das mulheres que amam. Num andar de Nova Oeiras, o capitão Vasco de Carvalho abre o segundo maço de Português Suave e traça, na noite, o plano do golpe militar.
A torrente da revolução e da contra-revolução vai arrastar os heróis de Novembro por Lisboa, Luanda, Madrid, Londres e Washington. Tal como na tragédia antiga, Henrique, Eduardo e Alexandre vão cumprir um destino sabendo que grande parte da sua ação é inútil.
Novembro é o primeiro romance de Jaime Nogueira Pinto, um romance construído a partir da experiência vivida e da história por contar dos que quiseram resistir à História; um fresco realista que descreve com ritmo, perspicácia e sensibilidade, personagens, lugares, paixões e intrigas, entre o Verão de 73 e o Outono de 75. É em Novembro que acabam o Império e a Revolução e com eles os sonhos dos que, em lados opostos, jogaram tudo por um destino e por um país diferentes.


Sobre o autor:
Jaime Nogueira Pinto regularmente na imprensa portuguesa. Publicou por A Esfera dos Livros, em 2007, António de Oliveira Salazar – O Outro Retrato, que se encontra já na 7.ª edição, em 2008, Jogos Africanos, que se encontra na 4.ª edição, em 2009, Nuno Álvares Pereira, que se encontra na 4.ª edição, e, em 2010, Nobre Povo - Os Anos da República, na 2.ª edição. É ainda autor de obras de História Contemporânea como O Fim do Estado Novo e as Origens do 25 de Abril, A Direita e as Direitas, Introdução à Política e Razão de Estado e Ideologia: Uma história do poder. Nascido no Porto em 1946, licenciou-se em Direito pela Universidade de Lisboa e é doutorado em Ciências Sociais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas onde atualmente leciona Ciência Política e Relações Internacionais. O autor foi administrador da Bertrand, S.A., e diretor do diário O Século. É administrador de empresas na área de segurança, business intelligence e aconselhamento estratégico. 



Título: 1333 perguntas para fazer ao seu pediatra
Autor:
Mário Cordeiro

Colecção: Guias
P.V.P: 24 €
EAN: 9789896264390
Páginas: 672
Formato: 15 x 23 / Brochado

Lançamento dia 5 de Novembro, 18h30. Livraria Bulhosa Entrecampos. Apresentação por Maria Jorge Costa e Sónia Morais Santos
Ter dúvidas é próprio da parentalidade ou não vivamos o ser mãe e o ser pai com amor, afeto, preocupação e interesse.

Mais, o crescimento e o percurso de vida da criança revelam-se por questões que, no dia a dia, incomodam, perturbam e causam stresse.
Ter filhos também é isso: ganhar cabelos brancos. Mas se pudermos viver o quotidiano com menos ansiedade, viveremos mais felizes e teremos tempo e disponibilidade para investir noutros aspetos mais interessantes deste fantástico fenómeno de sermos mães ou pais.
Durante muitos anos fui escutando as questões que os pais me traziam – e fico grato a todos os que o fizeram, porque confiaram em mim – e recebo e-mails e mensagens com perguntas, que para muitas pessoas poderiam ser banais e «comezinhas», mas que ficam a «morder» e prejudicam a tranquilidade da vida diária. Como pai, sei também «na pele» o que isso é.
A minha função, como pediatra, para lá de promover a saúde das crianças e identificar e prevenir a doença, é ajudar os pais a ter uma parentalidade feliz e gostosa.
Neste livro decidi aglomerar 1333 questões. São muitas. Mas estou certo de que, ao lerem-nas, se identificarão com a maioria delas. Do sono à alimentação, passando pelo crescimento e desenvolvimento, sexualidade, brincar, escola e educação, birras, vacinas, amigos… Bom, já viram que os temas são muitos e que justificam tantas questões.


Sobre o autor: 
Mário Cordeiro, um dos mais prestigiados pediatras nacionais, é professor auxiliar de Saúde Pública na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e membro da Sociedade Portuguesa de Pediatria e da British Association for Community Child Health. Mário Cordeiro é autor dos livros O Grande Livro do Bebé (8.ª edição), O Livro da Criança (6ª edição), O Grande Livro do Adolescente, Dormir Tranquilo (2.ª edição), O Grande Livro dos Medos e das Birras (2.ª edição) publicados pela Esfera dos Livros.


Título: 10 minutos por dia para viver melhor
Autor:
Dr. Fernando Póvoas
Coleção: Saúde
P.V.P: 18 €
Páginas: 376

Lançamento dia 31 de Outubro, 18h30, El Corte Inglés Lisboa. Apresentação por Helena Sacadura Cabral


O que lhe proponho é que durante 10 minutos por dia, ao longo de todo o ano, pense em si. Quecuide de si, da sua saúde, da sua felicidade. Não deixe para amanhã, não se desleixe, não pense que fica para depois porque há sempre coisas mais importantes a fazer. No meu consultório ouço frequentemente o argumento: a minha vida é muito agitada, tenho o trabalho, os filhos, não tenho tempo para cuidar de mim … Pois agora não tem desculpas, porque eu só lhe peço 10 minutos por dia. 10 minutos para ser mais feliz! Não vale a pena experimentar?

- Não tem tempo nem dinheiro para massagens, nem tratamentos à pele, então aproveite o banho para fazer um tratamento personalizado ao seu corpo.
- Não consegue ir ao ginásio? Que tal deixar o carro a 5, 10 minutos a pé do trabalho? Ou em vez de ir de elevador até ao seu escritório, utilizar as escadas?
- Sabia que aprender a respirar de forma correcta pode libertar tensão, purificar o sangue e melhorar a qualidade do nosso sono?
- Que melhor forma de começar o dia do que com uns simples e rápidos alongamentos? Não demoram mais de 10 minutos a fazer.
- Não consegue fazer tratamentos anti envelhecimento, mas há certos alimentos que podem ajudar a combater a idade.

Ao longo deste livro vai encontrar 365 conselhos, um por dia ao longo de todo o ano, sobre saúde, bem-estar, beleza, exercício físico, nutrição. Todos são pequenos gestos, pequenos truques, pequenas acções que não lhe roubam demasiado tempo, não custam dinheiro, mas acredite, vão revolucionar a sua vida.


Sobre o autor:
Fernando Póvoas formou-se na Faculdade de Medicina do Porto e hoje trabalha entre Lisboa e o Porto nas suas duas clínicas onde presta apoio – juntamente com a sua equipa multidisciplinar – nas áreas de nutrição, psicologia, estética e cirurgia plástica a milhares de doentes de vários pontos do país, Espanha e Angola. Trabalhou na área desportiva ao serviço do Futebol Clube do Porto, Ermesinde e Freamunde. Foi no Centro de Saúde de S. Pedro da Cova, onde exercia Medicina Geral e Familiar, que começou a tratar, com uma taxa elevada de sucesso, inúmeros casos de obesidade.


Título: Uma baleia no quarto
Autor:
João Miguel Tavares e Ricardo Cabral
Colecção: Infanto-Juvenil
P.V.P: 12 €
Páginas: 48

Esta é a história de uma menina que chorava tanto, que o seu quarto ficou inundado de lágrimas e foi invadido pelos peixes. Mas no dia em que uma baleia se instala ao lado da sua cama, ela vai enfim perceber que nem as birras, nem a teimosia são solução para coisa alguma. 



Sobre os autores:
João Miguel Tavares nasceu em Portalegre em 1973. Passou pela Engenharia Química, licenciou-se em Ciências da Comunicação. Foi jornalista no Diário de Notícias e é colunista do Correio da Manhã, diretor adjunto da revista Time Out e integra a equipa ministerial do programa da TSF Governo Sombra.

Ricardo Pereira Cabral. Licenciado em Pintura, pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa em 2005. Com diversos trabalhos publicados como ilustrador, no jornal Correio da Manhã, Expresso, Diário de Notícias, Jornal i, Revista TimeOut, revista Inútil. Colaborou como ilustrador para TMN, PT, Super Bock, Galp, Cafés Delta, Moleskine. Ilustrou os livros 12 Erros que tramaram Portugal e 12 Erros que tramaram o nosso Benfica, para a editora Guerra e Paz, e o livro infantil Portugal para Miúdos de José Jorge Letria para a Editora Texto. É autor dos livros Evereste, Israel Sketchbook, Newborn – 10 dias no Kosovo, e Pontas Soltas-Cidades, editados pela editora Asa.

Albatroz - Um «segredo aberto» em Hollywood

Título: O Método
Autores: Barry Michels e Phil Stutz
Tradução:
Ângelo dos Santos Pereira
Págs.:
256
Capa:
mole com badanas

PVP: 15,50 €

O Método, a edição portuguesa do fenómeno The Tools, do psicoterapeuta Barry Michels e do psiquiatra Phil Stutz, está a chegar ao nosso país. A partir do dia 29 de outubro, os portugueses vão poder conhecer a obra que mudou a vida das estrelas de cinema, ou que, como afirmou a The New Yorker, constitui um «segredo aberto» em Hollywood.
Não espanta que este livro já esteja vendido para cerca de quarenta países. Ele tem sido considerado intelectualmente provocador e possuidor de uma receita forte para mudar a vida do leitor, rumo ao sucesso profissional e pessoal. O famoso Dr. Oz descreve-o, também, como inovador, por sugerir Cinco Ferramentas capazes de «proporcionar uma dinâmica de mudança»: desejar a dor, amar ativamente, ter coragem interior, agradecer e arriscar. Possui ainda ilustrações simples e divertidas, feitas pelos próprios autores.


Sinopse:
A mudança acontece realmente na sua vida e acontece já. Um livro revolucionário que se foca na solução e não no problema. Oferece-lhe respostas ao invés de as procurar no passado, dando-lhe a capacidade de mudar o que quer agora.
O Método revela as Cinco Ferramentas que precisa para transformar os problemas em coragem, confiança e novas oportunidades.


Sobre os autores:
Phil Stutz
estudou no City College de Nova Iorque e licenciou-se em medicina na Universidade de Nova Iorque. Trabalhou como psiquiatra prisional na Rikers Island e num consultório nova-iorquino, antes de se mudar para Los Angeles, em 1982
Barry Michels
licenciou-se em Humanidades em Harvard. Tem também o curso de Direito, pela Universidade da Califórnia, Berkeley, e o Curso de Ação Social da Universidade do Sul da Califórnia. Trabalha como psicoterapeuta num consultório privado desde 1980.


Críticas:
Um livro de autoajuda inovador. Apresenta um conjunto extraordinariamente eficaz de Cinco Ferramentas que proporcionam uma dinâmica de mudança. Dr. Oz
Um “segredo aberto” em Hollywood... [Stutz e Michels] desenvolveram um método concebido para aceder ao poder criativo do inconsciente. The New Yorker
A simplicidade das ferramentas fará com que qualquer leitor seja capaz de as usar. A abordagem clara e prática associada à crença de que “o poder das forças superiores é real” é uma combinação vencedora. Este é um dos raros livros de autoajuda que não acaba no “eu”. Transcendente... Um método rápido e simples de autoaperfeiçoamento. Publishers Weekly
 

Convite Encontro com Alexandra Vidal - No Coração do Império, 27 de Outubro


Título: No Coração do Império
Autor:  Alexandra Vidal
Género: Romance Histórico
N.º de páginas: 240
PVP: € 15,80


O Terramoto de Lisboa de 1531 foi um duro golpe no coração do Império português.
E decidiu a história de Maria da Esperança e Rodrigo Montalvão, um amor intenso que desafiou as regras da corte de D. João III.


Sobre o livro:
Numa manhã fria no início do século XVI, chega a Portugal um carregamento de escravos vindos do Congo. Os melhores negros são encaminhados para a corte de D. João III, para servir a rainha D. Catarina de Áustria. Entre eles segue Imani, baptizada como Maria da Esperança pelos frades portugueses. Pela sua inteligência e natural elegância, destaca-se entre os escravos – é ensinada a ler e a aprender a religião católica. O seu mestre é o gramático Rodrigo Montalvão, um nobre de alta condição, que por ela se apaixona.
Nasce, entre ambos, um amor intenso e proibido, que é posto à prova no dia 26 de Janeiro, quando se dá o grande terramoto de 1531 que causou a morte de mais de 30 mil pessoas e a fuga de milhares de lisboetas, tornando irreconhecível aquela que era a grande capital do Império, no auge dos Descobrimentos.
É a história de uma paixão controversa, vivida numa corte de riqueza e intriga, em que uma mulher e um homem testam o valor do amor e da liberdade.
Um romance que começa nas terras quentes de África, atravessa o oceano, e termina vendo renascer Lisboa dos escombros para onde a ira da terra a empurrou.


Sobre a autora:
Alexandra Vidal é licenciada em História e pós-graduada e mestre em Ciência da Informação e Documentação (variante Arquivo). Tem dedicado muito do seu tempo à leitura e estudo de manuscritos da época medieval e moderna, nomeadamente no Arquivo Municipal do Porto (Casa do Infante). Foi uma das premiadas, em 2011, com o galardão Arte de Ler, do arquivo da Universidade de Coimbra, que destaca a qualidade na leitura paleográfica.
No Coração do Império é o seu primeiro romance.

Ruy de Carvalho receberá a Grã- Cruz da Ordem de Santiago de Espada, no próximo dia 30 de Outubro, pelas 12 horas, na Presidência da República

No próximo dia 30 de Outubro, pelas 12 horas, na Presidência da República, Ruy de Carvalho receberá a Grã- Cruz da Ordem de Santiago de Espada. 


Título: Os Anjos Não Têm Asas
Autor: Ruy de Carvalho com Paulo Mira Coelho
N.º de páginas: 204
PVP: € 14,50
Género: Testemunho 


«Tudo o que aprendi sobre o amor, a vida e os afectos»
 
Sobre o livro:
«Quando naquela tarde, no Conservatório, eu a vi, disse ao Armando Cortêz, vês aquela miúda, gostava que fosse a minha mulher, a mãe dos meus filhos... e foi! Ela escolheu-me. Estivemos casados 53 anos. Foi uma vida. »
«Já estou na idade dos balanços, e por isso dou por mim a medir algumas das minhas acções. Às vezes, erramos por ingenuidade, por desconhecimento, e penso que disso não seremos culpados. Errar sem querer, não é errar, é por vezes, aprender.»


Sobre o autor:
Tem 85 anos e diz não estar arrependido de nada. Ruy de Carvalho faz, neste livro, uma viagem íntima pelas suas emoções e pelos grandes momentos da sua vida, como marido, pai, amigo e actor. Partilha com os leitores - com aqueles que quase sempre o viram através das personagens que interpretou – as suas mais importantes experiências e as lições de vida que fazem com que a própria existência, a de cada um de nós, faça realmente sentido.
Com um olhar crítico mas temperado pela ternura e pela doce maturidade, Ruy de Carvalho abre aqui o livro do seu coração, num relato espontâneo e comovente sobre a vida, o amor, os afectos e os anjos que aparecem na nossa vida, quase sem darmos por isso.

A Magia das Estrelas e Os Monstros também Amam são novidades da Matéria-Prima

Título: A Magia das Estrelas
Autor: Tom Bullough
Género: Romance histórico
N.º de páginas:
212
PVP: €
15,90
 

Esta é a história do pai da ciência espacial russa, contada de uma forma elegante e fascinante.
«As observações íntimas de Bullough dão vida à ciência.» Sunday Times


O livro:
Estamos no Inverno de 1867, em Ryazan, uma cidade nas margens do rio Oka, na Rússia Central. Konstantin tem dez anos e os dias cheios de sonhos de voo — até Moscovo, até às estrelas distantes. Um dia, apanha uma constipação nos bosques gelados, perto de casa, e todo o seu mundo se torna silencioso. Surdo depois da escarlatina, as perspectivas de futuro parecem desesperadas. Apenas o seu encantamento pela nova era de mecanização e as suas extraordinárias visões acerca do futuro da humanidade parecem fazer chegar-lhe alguma esperança.
Para fugir à Terra, Konstantin aprende que tem de viajar a uma velocidade dez vezes superior à de uma bala de espingarda, e oitocentas vezes maior do que a de um comboio expresso. Mas como atingir tão incrível velocidade?
Tom Bullough, dá-nos a conhecer o ambiente de um país no final do século XIX. Das florestas infestadas de lobos, aos bordéis de Moscovo, dos confins da vida na aldeia, ao deslumbramento da Era do Vapor, de uma terrível tragédia à maravilhosa descoberta de um grande amor, A Magia das Estrelas, o brilhante e inspirador romance de Tom Bullough, conta-nos a história extraordinária, e real de Konstantin Tsiolkovsky, o primeiro homem a acreditar que viajar no espaço iria ser uma realidade. A história de um homem, da natureza e do ilimitado poder da imaginação.


Sobre o autor:
Tom Bullough nasceu em 1975 no País de Gales onde cresceu numa quinta. Estudou no Royal Holloway Collegue da Universidade de Londres. Foi jornalista, professor de escrita criativa e até produtor musical.
Vive no País de Gales com a sua mulher e dois filhos. É autor de Claude Glass e A.
A Magia das Estrelas é o seu primeiro livro editado em Portugal.


Título: Os Monstros também Amam
Autor: Clara Sánchez
Género: Romance
N.º de páginas: 368
PVP: € 16,80


Vencedor do Prémio Nadal
MAIS DE 500 MIL EXEMPLARES VENDIDOS
ACREDITA NAS APARÊNCIAS?
A VERDADE VEM SEMPRE AO DE CIMA


Sandra tem 30 anos, está grávida de um homem que não ama e decide ir viver para uma pequena aldeia costa leste espanhola. Num dos seus passeios pela praia conhece os Christensen, um casal de octogenários noruegueses e estabelece com eles uma relação de proximidade.
Nada faria supor que estas três vidas, unidas por acaso, pudessem ser a razão de viver de Julián, um homem recém-chegado da Argentina que segue, passo a passo, os noruegueses.
Um dia Julián aborda Sandra e revela-lhe detalhes do seu passado e do dos seus novos amigos. E conta-lhe que os Christensen não são quem aparentam ser.
Repleto de suspense e emoção, Os Monstros Também Amam é, acima de tudo, um romance sobre as ambiguidades do ser humano, entre a maldade e o amor, e sobre a forma como as aparências escondem o lado mais negro de cada um de nós.


Sobre a autora:
Clara Sánchez vive em Madrid. O seu primeiro romance, Piedras Preciosas, foi publicado em 1989. Até hoje já editou mais oito romances, dos quais se destaca As Últimas Notícias do Paraíso, com o qual ganhou a edição de 2000 do Prémio Alfaguara.
É colaboradora do jornal El País e foi, durante vários anos, professora universitária. Recentemente ,o Le Nouvel Observateur referiu-se a Clara Sánchez como «dona de um estilo e de uma liberdade de tom que encantam. O seu olhar é irónico. A crueldade é suavizada pela melancolia e, até, pela indulgência.» Os monstros também amam, editado em Espanha em 2010, é o seu romance mais premiado e que lhe deu fama mundial.


«Lê-se sem conseguir parar, entre o suspense, o medo e a emoção.» ABC
«Desperta a consciência e revela o horror que a normalidade encerra.» El Mundo
«Este livro não fala apenas da maldade escondida perto de nós mas também dos pequenos monstros que nos habitam e que dormem na nossa memória.» La Razón

Novidades Assírio & Alvim

Chegam às livrarias nacionais, no próximo dia 25 de outubro, livros de Eugénio de Andrade, Al Berto, Almeida Faria e Sérgio Godinho.
O início da coleção Obras de Eugénio de Andrade na Assírio é marcado pela publicação de dois volumes: Primeiros Poemas · As Mãos e os Frutos · Os Amantes sem Dinheiro e As Palavras Interditas · Até Amanhã, magnificamente prefaciados, respetivamente, pelos poetas Gastão Cruz e Nuno Júdice. Este são os dois primeiros títulos da obra canónica de Eugénio de Andrade, tal como a fixou em vida. Poeta maior do
século XX português, para muitos o maior, este projeto editorial irá repor no mercado, com o maior rigor e dignidade, toda a sua obra. 

De Al Berto chegam-nos os seus Diários. Neste volume são publicados sete diários inéditos do poeta, escritos entre 1982 e 1997, ano da sua morte. Com organização a cargo de Golgona Anghel este é um livro fascinante que, mais do que constituir uma janela para a vida pessoal e íntima do poeta, representa um testemunho fulgurante sobre a sua escrita e sobre o seu processo criativo.
50 anos após a sua primeira publicação, é também com enorme orgulho que apresentamos agora Rumor Branco, de Almeida Faria, em edição profundamente revista. Como diz Pedro Mexia: «Nem gratuito nem ensimesmado, Rumor Branco desmultiplica-se em perspetivas agudas, do melodrama lisboeta à boémia parisiense, passando pela militância política ativa e pelo proverbial enfado dos burgueses cultos; no essencial, a sua visão é feérica, espectral, e em várias passagens o fio narrativo cede lugar a digressões poéticas soturnas. Portugal como assombração, como assombro. E uma literatura nova nos escombros de um mundo antigo».
Nos próximos dois anos publicaremos ainda, de Almeida Faria, A Paixão, Cortes, Lusitânia e Cavaleiro Andante. 

Finalmente, é com grande satisfação que apresentamos 60 Canções — Partituras, Letras, Cifras, de Sérgio Godinho: um livro que não se limita a publicar algumas das suas melhores letras mas que reproduz também as respetivas músicas, em pautas cuidadosamente preparadas por João Cabrita e que serão seguramente um excelente recurso para todos aqueles, iniciantes e iniciados, que as queiram tocar.


Chegam às livrarias no dia 25 de outubro os primeiros dois volumes da colecção Obras de Eugénio de Andrade, que marcam a entrada deste poeta maior no catálogo da Assírio & Alvim. Para assinalar este evento o «Porto de Encontro» promove uma sessão de homenagem a um dos nomes incontornáveis da poesia portuguesa do século XX, que se realizará no próximo dia 28 de outubro, às 17 horas, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto.
Durante uma hora e meia, Ana Maria Moura, Miguel Moura, António Barbedo, Bernardo Pinto de Almeida e Miguel Veiga vão recordar o percurso de Eugénio de Andrade, autor de obras marcantes como As Mãos e os Frutos, Os Sulcos da Sede e O Sal da Língua.
A 11.ª sessão do ciclo literário «Porto de Encontro» contará ainda com a participação especial dos declamadores Ana Celeste Ferreira e José Carlos Tinoco.


Título: As Palavras Interditas · Até Amanhã
Autor:
Eugénio de Andrade

N.º de Páginas: 72
PVP: 10€
Edição brochada

As Palavras Interditas · Até Amanhã
O presente volume prossegue a publicação da obra canónica de Eugénio de Andrade, tal como o poeta a estabeleceu em vida. Integra os livros As Palavras Interditas, publicado pela primeira vez em 1951, e Até Amanhã, de 1956.
«As Palavras Interditas e Até Amanhã são livros em que se encontra, praticamente em cada poema, aquilo que fez, e faz, de Eugénio de Andrade o mais luminoso e claro dos nossos poetas do século XX.»  Nuno Júdice


Título: Primeiros Poemas · As Mãos e os Frutos · Os Amantes sem Dinheiro
Autor: Eugénio de Andrade
N.º de Páginas: 112
PVP: 12,00 €

Edição brochada

Primeiros Poemas · As Mãos e os Frutos · Os Amantes sem Dinheiro A obra do autor inicia-se em 1942 com Adolescente, livro que acaba por renegar, tal como Pureza, de 1945. Desses dois livros faz mais tarde uma breve seleção intitulada Primeiros Poemas, que integra a presente edição. As Mãos e os Frutos é publicado em 1948 tendo merecido críticas elogiosas de Vitorino Nemésio, Jorge de Sena e Eduardo Lourenço, entre outros. Dois anos mais tarde, Eugénio publica Os Amantes sem Dinheiro, um livro notável e central na sua obra poética.

Nos teus dedos nasceram horizontes 
e aves verdes vieram desvairadas 
beber neles julgando serem fontes.

«A poesia de Eugénio de Andrade criou, para dele falar, uma linguagem que é, simultaneamente, simples e espessa, eufórica e trágica, direta e metafórica. A sábia dosagem destes elementos afastou-a completamente dos perigos de uma aproximação excessiva do real prosaico e vulgar que tem inquinado tanta pretensa poesia, dita do quotidiano e “da experiência”, e avessa à metáfora.» Gastão Cruz


Sobre o autor:
Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de Janeiro de 1923 no Fundão. Em 1947 ingressou na função pública, como funcionário dos Serviços Médico-Sociais, e em 1950 fixou residência no Porto. Manteve sempre uma postura de independência relativamente aos vários movimentos literários com que a sua obra coexistiu ao longo de mais de cinquenta anos de actividade poética.
Revelou-se em 1948, com As Mãos e os Frutos, a que se seguiria, em 1950, Os Amantes sem Dinheiro. Os seus livros foram traduzidos em muitos países e ao longo da sua vida foi distinguido com inúmeros prémios, entre eles o Prémio Camões, em 2001.



Título: Diários
Autor: Al Berto
Organização: Golgona Anghel
N.º de Páginas: 592
PVP: 22€
Edição brochada

Embora não haja uma organização definida pelo autor, nem indicações quanto à edição dos diários, Al Berto alimentava o corpo dos cadernos com notas e esboços, acreditando, por vezes, que esse devir-obra da sua própria vida pudesse ganhar uma dimensão diferente, uma outra força, outra leitura se ponderasse a sua publicação.
Decidimos agora, de acordo com a vontade dos herdeiros legais e, ao mesmo tempo, fazendo eco do desejo de Al Berto, tornar públicos estes documentos privados. Nestes Diários sobressai o registo diário de algo que servia para um uso pessoal e íntimo. Estamos perante um corpus que se expõe a si mesmo, que se dá no ritmo efervescente da criação mas também na sua fragilidade, na dúvida.


«Preciso com a máxima urgência de escrever, sobretudo não parar de escrever, não para substituir o livro que me escapa, que se desligou de mim, mas porque me é impossível não criar, não escrever, ou ficar siderado perante o vazio que o livro deixou. Não acredito no génio, acredito, sim, na necessidade, na urgência, na ânsia de me manter por um fio entre a queda final e o precário equilíbrio das palavras.» Al Berto


Sobre o autor:
Alberto Raposo Pidwell Tavares nasceu a 11 de Janeiro de 1948, em Coimbra, e faleceu a 13 de Junho de 1997, em Lisboa. Tendo vivido até à adolescência em Sines, exilou-se, entre 1967 e 1975, em Bruxelas, dedicando-se, entre outras actividades, ao estudo de Belas-Artes.
Embora tenha inicialmente seguido uma estética surrealizante de temática erótica, em O Anjo Mudo (1993) funde prosa e poesia, exprime intertextualidades, numa viagem marginal e purificadora. A sua obra poética encontra-se coligida em O Medo, edição Assírio & Alvim.


Título: Rumor Branco
Autor: Almeida Faria
N.º de Páginas: 160
PVP: 12, 90€

Edição brochada
Lançamento: Fnac do Chiado 8 de novembro pelas 19h00

«Mais «romance novo» do que nouveau roman, Rumor Branco é uma representação do mundo português de 1962 enquanto náusea. E no entanto, a polémica que à época identificou Almeida Faria como delfim do  “existencialismo” (em resposta ao astuto prefácio de Vergílio Ferreira), agitou o vão fantasma das “angústias metafísicas” onde havia, na verdade, um novíssimo e torturado realismo, uma denúncia de um quotidiano opressivo, repugnante.
Mas é a linguagem, antes de mais, que se revolta: a fragmentação, a pontuação escassa, a sintaxe ousada, uma partitura dissonante e ofegante de provérbios, palavras de ordem, neologismos, clichés. Uma música pós-musical, como a de Stockhausen, a que o título alude. Na década mais moderna do romance português, o jovem escritor de dezanove anos recusava uma ficção didática, previsível e de fundo otimista. Eduardo Lourenço chamou-lhe uma “literatura desenvolta”, que vale tanto pelo que consegue como por aquilo que recusa. Nem gratuito nem ensimesmado, Rumor Branco desmultiplica-se em perspetivas agudas, do  melodrama lisboeta à boémia parisiense, passando pela militância política ativa e pelo proverbial enfado dos burgueses cultos; no essencial, a sua visão é feérica, espectral, e em várias passagens o fio narrativo cede lugar a digressões poéticas soturnas. Portugal como assombração, como assombro. E uma literatura nova nos escombros de um mundo antigo.»
Pedro Mexia


Sobre o autor:
Nasceu em 1943. Aos dezanove anos publicou o seu primeiro e premiado romance, Rumor Branco.
Além de romancista, é autor de ensaios, contos, teatro. Mais recentemente publicou, a partir de um conto seu, o libreto para a cantata de Luís Tinoco Os Passeios do Sonhador Solitário; e O Murmúrio do Mundo, relato ensaístico de uma viagem à Índia. Os seus romances receberam diversos prémios, estão traduzidos em muitas línguas, são estudados nos mais variados países e sobre eles há livros e teses universitárias. Fez numerosas conferências em universidades europeias, norte-americanas e brasileiras e tem artigos publicados em português, espanhol, francês, italiano, neerlandês, alemão, dinamarquês e sueco. Ao conjunto da sua obra foi atribuído o Prémio Vergílio Ferreira da Universidade de Évora e o Prémio Universidade de Coimbra.


 
Título: 60 Canções
Autor: Sérgio Godinho
N.º de Páginas: 248
PVP: 19 € 
Edição brochada
Lançamento: El Corte Ingles 7 de novembro pelas 18h30

«Foi há tantos anos que ainda me lembro: adolescente, eram livros como este que me levaram a experimentar as primeiras (e rudimentares) formas de escrita; e, desde aí, nunca me têm largado. Ou seja, tenho-os à mão e eles têm-me à perna.
O acesso prático aos mecanismos que outros usaram para criar (ou criaram para usar…) nunca deixou de me trazer luzes e dicas importantes, neste ofício intermitente da feitura de canções.
Imitamos, transformamos, inventamos, emperramos e solucionamos, mas nunca a partir do nada – há sempre, num ponto de partida, de percurso ou de chegada, o que nos foi sugerido por outros saberes.
Com livro ou sem livro. Mas é destes manuais que falamos: sabemos como em Portugal, são ainda, infelizmente, aves raras. Começam agora algumas a pousar, e serão cada vez mais bem-vindas.
Que prenda para todos os que praticam estas coisas, ter um dia acesso a toda a música portuguesa (enfim, não exageremos…) neste formato, ou formatos afins. Estatisticamente, o meu contributo passaria a ser muito menor, e eu com isso no maior contentamento.»
Sérgio Godinho


«Ninguém escreve canções como estas em português de Portugal. Em grande medida porque ninguém escreve textos tão trabalhados. Sérgio Godinho usa o verso longo e curto, cultiva referências cultas ou populistas, faz jogo com o gozo da rima. É essa oficina que garante graça e acutilância às canções.» Pedro Mexia, in Público


Sobre o autor:
Sérgio Godinho nasceu no Porto, em 1945. Partiu de Portugal com 20 anos, recusando participar na guerra colonial. «Os Sobreviventes», o seu primeiro LP, foi gravado em França em 1971. Também no exílio grava o álbum «Pré-Histórias». Regressa a Portugal após o 25 de Abril, sendo o autor de muitas das canções mais aclamadas no panorama musical português. Publicou na Assírio & Alvim o livro de poesia O Sangue por um Fio e o livro infantil O Pequeno Livro dos Medos.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade da Matéria-Prima

Título: Alice 
Autor: Caroline Stoessinger
Género: História
N.º páginas: 240
PVP: € 14,80
Formato: 15,5 *23,5
ISBN: 978-989-8461-46-9


«É uma história de resistência pela música e talvez mais ainda por um intenso amor à vida como apenas as pessoas que encararam morte de frente podem sentir.» Esther Mucznik

O livro:
Este livro relata a impressionante e inspiradora história da feroz determinação de uma mulher, Alice Herz-Sommer, actualmente a mais idosa sobrevivente do Holocausto.
Alice nasce em 1903, em Praga. Toda a sua infância e juventude são influenciadas pela riquíssima cultura de língua alemã e checa da Europa Central da época: Kafka, Max Brod, Stefan Zweig, Thomas Mann, Rilke ou Mahler fazem parte da sua vida. Influenciada pela mãe, inicia ainda criança a sua carreira de pianista e professora que a irá tornar famosa. Todos os seus sonhos foram cortados com o eclodir da Segunda Guerra Mundial. Alice vê-se num gueto com o seu filho e vive uma nova e dura realidade à qual, graças à música, consegue escapar.
Alice é uma história de amizade e optimismo, da importância de viver de uma forma simples e com esperança. É a história da música de uma vida em que não se desiste.


A autora:
Caroline Stoessinger é pianista e vive em Nova Iorque. Já actuou nos palcos do Carnegie Hall e do Lincoln Center e tocou, durante mais de vinte e cinco anos, com o Tokyo String Quartet e a Orquestra Filarmónica de Brooklyn. Reconhecida internacionalmente, percorreu o mundo em concertos, desde Tóquio a Praga, passando pelas principais cidades norte-americanas.
Alice: Lições de vida, fé e coragem da mais antiga sobrevivente do Holocausto é o seu primeiro livro, tendo conquistado todos os países onde vem sendo publicado.

Homenagem a Vasco Graça Moura: a vista desarmada, o tempo largo


Passatempo A Rainha Adúltera

O blogue Marcador de Livros, em conjunto com a Esfera dos Livros, tem para oferecer 1 exemplar do livro de Marsilio Cassotti, A Rainha Adúltera.

Regras do Passatempo:

- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 31 de Outubro.
- Para participarem terão de responder acertadamente às três perguntas presentes no formulário abaixo.

- O premiado será sorteado aleatoriamente e o seu nome será publicado neste blogue e o mesmo será avisado por email.

- Só serão permitidas participações a residentes em Portugal e apenas uma por participante e residência.


Respostas aqui 

Passatempo terminado 

Um fim de semana com Mazagran



Uma noiva, três pretendentes... Quem será o escolhido?


O Segredo dos Pássaros - Vítor Serpa [Opinião]

Título: O Segredo dos Pássaros
Autor:
Vítor Serpa
PVP: 16,00 € 
N.º de Páginas: 336
Sinopse:
O mundo estava em guerra. Salazar conduzia Portugal nas curvas apertadas de uma diplomacia hábil e desafiante. Lisboa tornara-se o teatro preferido dos privilegiados da paz. Cada vez mais pobre, mais triste e mais religioso, o país real, no Alentejo profundo, nunca poderia aceitar uma paixão proibida. Entre intrigas políticas e ambições pessoais, a história da espia Jane Holmes e do contrabandista António Valentim tem consequências trágicas. Salazar manda arquivar uma investigação com um desfecho perigoso e um estranho nome de código: "o segredo dos pássaros".

A minha opinião:
Confesso que estava à espera de um livro em que a história da espionagem num Portugal que se colocou um pouco à margem da 2.ª Guerra Mundial, como um espectador atento. No entanto, esta espionagem veio de uma forma muito suave. Pensei que Jane ia ter um papel mais activo como espia, aliás não vi nenhuma parte do livro em que ela fizesse qualquer trabalho para o governo inglês, ao contrário do seu marido, esse sim um espião.
De um forma simplificada o autor descreve, com algum pormenor, a forma como os portugueses viviam, em especial os portugueses do Portugal profundo, de um Alentejo tantas vezes abandonado à sua sorte, de pessoas que viviam única e exclusivamente do trabalho que a mina lhes dava. Famílias numerosas a passar fome e às quais a guerra passava completamente ao lado, contratando com a vida cosmopolita de Lisboa. Por outro lado mostra-nos a posição que Salazar teve durante a guerra.
Com muitas personagens reais e servindo-se de documentos verdadeiros, como excertos do discurso de Salazar em várias ocasiões, das notas da direcção da Mason and Barry Limited, empresa que explorava as minas de S. Domingos na época, assim como artigos de jornais, incluindo a morte do actor e espião Leslie Howard após uma missão em Portugal, Vítor Serpa enriquece O Segredo dos Pássaros um pouco mais. No entanto, este seu novo romance não me convenceu na totalidade.

Excerto:
“A fome transforma Deus num Diabo” - pag. 216
terça-feira, 23 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

Lançamento do livro «O Agente da Catalunha», de Cesário Borga


As Cinquenta Sombras Livre nas livrarias a partir de 12 de Novembro

Título: As Cinquenta Sombras Livre
Autor:
E. L. James
Edição/reimpressão: 2012
Editor: Lua de Papel
PVP: 17,70€

Sinopse:

Quando a jovem e inocente Anastasia Steele encontrou pela primeira vez o impetuoso e fascinante milionário Christian Grey, começou entre eles um affair sensual que lhes mudou a vida para sempre. Assustada e intrigada pelas singulares inclinações eróticas de Grey, Anastasia exige um compromisso total na relação. Com medo de a perder, ele aceita.

Agora Anastasia e Grey têm finalmente tudo o que desejavam - o amor, a paixão, a intimidade, uma riqueza incalculável - e todo um mundo de possibilidades à sua espera. Mas ela sabe que amá-lo não será fácil, e que estarem juntos vai implicar ultrapassar barreiras que nenhum deles poderia prever. Anastasia vai ter de aprender a partilhar o estilo de vida de Grey sem sacrificar a sua identidade. E ele terá de aprender a superar o seu obsessivo impulso de tudo controlar, enquanto se debate com os demónios do seu terrível passado.

E quando tudo parece estar conjugado para que ambos consigam finalmente ultrapassar os maiores obstáculos, o destino conspira para tornar dolorosamente reais os maiores medos de Anastasia.

Tributo a Eugénio de Andrade no “Porto de Encontro”

A obra do poeta estará no centro da conversa que Sérgio Almeida vai moderar e que conta com convidados especiais e momentos únicos.
A propósito do início da reedição, pela Assírio & Alvim, da obra de Eugénio de Andrade, o “Porto de Encontro” promove uma sessão de homenagem a um dos nomes incontornáveis da poesia portuguesa contemporânea, que se realizará no próximo dia 28 de outubro, às 17 horas, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto.
Durante uma hora e meia, Ana Maria Moura, Miguel Moura, António Barbedo, Bernardo Pinto de Almeida e Miguel Veiga vão recordar o percurso de Eugénio de Andrade, autor de obras marcantes como “As mãos e os frutos”, “Os sulcos da sede” e “O sal da língua”.
Entretanto, os primeiros títulos chegarão às livrarias nos próximos dias: Primeiros Poemas · As Mãos e os Frutos · Os Amantes sem Dinheiro, com prefácio de Gastão Cruz; e As Palavras Interditas · Até Amanhã, com prefácio de Nuno Júdice.
A 11ª sessão do ciclo literário “Porto de Encontro” conta ainda com a participação especial dos declamadores Ana Celeste Ferreira e José Carlos Tinoco.
“Porto de Encontro” é uma iniciativa do jornalista Sérgio Almeida promovida pela Porto Editora com o apoio do “Jornal de Notícias”, Câmara Municipal do Porto, Rádio Nova, “Ler +, Ler Melhor” (RTP-Informação), Porto Canal, Plano Nacional de Leitura e Porto Calém e Bombonaria Bonitos (Foco-Porto).
Nas edições anteriores do ciclo literário estiveram em evidência as obras de autores como Gonçalo M. Tavares, J. Rentes de Carvalho, Germano Silva, Luis Sepúlveda, Manuel António Pina, António Mega Ferreira, Francisco José Viegas, Mário Cláudio e Mário de Carvalho.

A partir de 30 de Outubro mais uma novidade Quinta Essência: Noite de Reis de Trisha Ashley


Novidades Livros Horizonte já nas bancas

Título: A Princesa do Dia e o Príncipe da Noite (ou “Como Nascem as Histórias”)
Texto:
Adeline Yzac
Ilustrações: Lisbeth Renardy
Coleção: Álbuns
Nº Páginas: 32
Encadernação: Capa dura
P.V.P.: 13,50 €


Era uma vez o reino do Dia, onde o Sol nunca se punha, e o reino da Noite, onde o Sol não nascia nunca. O amor, porém, ultrapassa todas as barreiras temporais e espaciais, e eis que a Princesa do Dia e o Príncipe da Noite se apaixonam um pelo outro. Para poderem viver felizes para sempre, como nas histórias, é preciso encontrar uma solução… da noite para o dia.
As maravilhosas ilustrações de Lisbeth Renardy acompanham esta bonita história de Adeline Yzac, que, com ritmo e magia, nos fala de amor, dicotomias, ciclos, solidão e imaginação… e de como as histórias trazem alegria ao mundo.






Sobre o autor:
Adeline Yzac (1954) é natural da região de Périgord Nord e a idílica paisagem entre o Vale do Loire e os Pirenéus, no sudoeste de França, é a responsável pela tónica rural das suas obras. É uma conceituada e premiada autora de livros infantis e de romances, para além de dinamizar atelieres de escrita e de ser uma contadora de histórias. Tem a particularidade de escrever em francês e em occitano, uma língua românica considerada pela Unesco como estando ameaçada de extinção.
Lisbeth Renardy (1980) é uma promissora ilustradora belga e esta obra corresponde ao seu segundo trabalho. Desde então, foram publicados mais quatro livros infantis em língua francesa por si ilustrados.


Título: A Nova Ordem Industrial no Estado Novo: da fábrica ao território de Lisboa (1933-1968)
Autor:
Deolinda Folgado
Coleção: Cidade de Lisboa
Nº Páginas: 384
Encadernação: Capa mole
P.V.P.: 27,56 €



Fruto de uma rigorosa investigação, que serviu de base à tese de doutoramento da autora, esta obra permite acompanhar o desenvolvimento da indústria portuguesa no período de 1933 a 1968 e compreender as transformações urbanas e sociais que as fábricas provocaram na cidade de Lisboa.
A obra é enriquecida pela reprodução de imagens de inegável valor histórico, nomeadamente fotografias da época, retiradas dos arquivos de empresas e revistas entretanto extintas, e planos de urbanização e plantas arquitetónicas, fisicamente dispersas em vários arquivos de difícil acesso pelo grande público.
Inclui um prefácio da arquitecta Ana Tostões, professora no Instituto Superior Técnico e Presidente do DoCoMoMo Internacional, e uma nota introdutória da autoria de Maria João Neto, professora na Faculdade de Arquitectura: «Uma leitura clara e absorvente, que importa ao especialista mas também ao leitor comum interessado no processo de modernização da sociedade portuguesa e em particular da industrialização da área de Lisboa.»  in Prefácio, de Ana Tostões
«Uma obra que prova, com a competência e engenho da sua autora, a possibilidade de ser trilhado um caminho seguro e sério no levantamento, estudo e classificação destes exemplares [fábricas], permitindo a sua selecção num contexto de preservação e salvaguarda.» in Nota introdutória, de Maria João Neto


Sobre a autora: 

 Doutorada em História, com especialização em Arte, Património e Restauro, Deolinda Folgado é autora de inúmeros artigos e textos integrados em obras coletivas no âmbito do património, arquitetura industrial ou urbanismo associado à indústria, incluindo a obra “Caminho do Oriente – Guia do Património Industrial”, publicada pela Livros Horizonte. É também investigadora integrada do Instituto de História Contemporânea e associada do Instituto de História da Arte da Universidade Nova de Lisboa.
segunda-feira, 22 de outubro de 2012 | By: Maria Manuel Magalhaes

As «aventuras excitantes» de Bared to you chegam finalmente a Portugal: Rendida, de Sylvia Day

Título: Rendida
Autores:
Sylvia Day
Tradução: Cláudia Ramos
Págs: 352
Capa: mole com badanas
PVP: 16,60 €


29 de outubro: é este o dia em que chega às livrarias portuguesas, com chancela da 5 Sentidos, o sucesso internacional Rendida (Bared to you, na versão original), de Sylvia Day, um dos mais falados nos blogues e nas redes sociais. Esta obra integra uma série intitulada Crossfire, cujas narrativas eróticas foram descritas como «aventuras excitantes», pela Publishers Weekly, e «maravilhosamente divertidas», pela Booklist.
Sylvia Day é uma autora bestseller do The New York Times e várias vezes finalista do prémio RITA (Romance Writers of America). Publicou em e-book, com grande sucesso, a trilogia Crossfire, que despertou o interesse das maiores editoras internacionais. Rendida tem direitos vendidos para mais de trinta países e uma primeira tiragem, só nos Estados Unidos da América, de um milhão de exemplares. Desde que foi publicado, ocupa, juntamente com As Cinquenta Sombras de Grey, os primeiros lugares dos principais tops de vendas mundiais.
A chancela 5 Sentidos conta, até este momento, com dois títulos: Desejo Subtil e Sedução Intensa, que integram uma série dedicada a Lisa Kleypas, intitulada À flor da pele. Rendida é o primeiro livro da série Crossfire, constituída por obras da autora Sylvia Day.


Sinopse:
Gideon Cross apareceu na minha vida como uma luz na escuridão.
Um homem lindo, fascinante, um pouco louco e muito sedutor. A atração que sentia por ele era diferente de tudo o que tinha experimentado até então. Eu desejava-o como a uma droga que me enfraquecia dia após dia. Gideon encontrou-me fragilizada e carente e entrou facilmente na minha vida. Descobri que também ele tinha os seus próprios demónios. Tornámo-nos o espelho um do outro; éramos o reflexo das nossas mais profundas cicatrizes e... desejos. Este amor transformou-me, mesmo que ainda hoje continue a rezar para que os pesadelos do passado não voltem para nos atormentar.


Sobre a autora:
Sylvia Day é autora bestseller de uma dezena de romances, habituée nos tops do New York Times, USA Today e outros igualmente relevantes a nível internacional. O seu percurso profissional diversificado inclui a colaboração num parque de diversões e como especialista em língua russa e interrogadora para os serviços secretos do exército norte-americano.
Com mais de uma dezena de livros publicados, a escritora dedica-se agora a tempo inteiro à escrita, tendo sido galardoada com prémios prestigiantes como RT Book Reviews Reviewers’ Choice Award, o EPPIE Award, o National Readers’ Choice Award, o Readers’ Crown, além de ter sido várias vezes finalista do reconhecido RITA Award of Excellence.


Críticas:
Sendo verdade que Rendida tem muito em comum com As cinquentas sombras de Grey, Rendida é uma história mais completa, mais bem escrita. As personagens são mais sólidas e o enredo é mais sensual. É um romance erótico que não pode perder. Romance Novel News