quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Todas as Palavras de Amor - Ana Casaca [Opinião]

Título: Todas as Palavras de Amor
Autor:
Ana Casaca
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 208
Editor: Editora Guerra & Paz
PVP: 13,99€

Sinopse:
Numa viagem em busca de si mesma, Alice escreve a primeira de muitas cartas a um grande amor. Não imagina que, na morada para onde envia as cartas, vive António, um homem que nunca viu. O homem recebe a primeira carta e as palavras daquela mulher que também não conhece, confrontam-no com aquilo de que sempre fugira.
Alice é uma mulher divorciada à procura do seu próprio rumo. António é um padre que, nunca ousou trilhar o caminho do amor. Todas as Palavras de Amor é um romance que começa com a surpresa de um engano. Depois, em páginas de uma escrita fulgurante, aprendemos que um engano talvez seja a melhor forma de modificar duas vidas para sempre. 


A minha opinião:
Depois de se ter apaixonado por uma completo desconhecido em Londres, que resulta numa paixão de sete dias, Alice decide manter contacto com António, escrevendo cartas para a morada que ele lhe deu, antes de desaparecer. 
Nestas cartas que vão dar lugar a uma pequena povoação perto da Covilhã, Alice desabafa, contando um pouco do que estar a ser a sua fuga, uma espécie de viagem de inspiração para a sua nova vida. Fugida de um casamento que já não a satisfazia, de um emprego como professora que a desgostava, Alice decide fugir de tudo e de todos e parte numa viagem de reflexão por alguns países europeus. Em Londres conhece António, e em Roma desespera por um contacto dele, enquanto manda cartas infindáveis para um completo desconhecido. O António por quem está apaixonada deu-lhe a morada errada e quem recebe as suas missivas é um outro António, um padre. 
Mas António também partilha as mesmas dúvidas que Alice. Quase que obrigada pelos pais a escolher o sacerdócio, António não se sente completo, não se sente feliz. Vê nas cartas de Alice uma forma de mudar o rumo à sua vida.
Quando Alice recebe uma notícia que a leva a regressar a Portugal, António decide esperá-la na estação de comboios e contar toda a verdade: que ele foi sempre o receptor das suas cartas e que o outro António nunca as chegou a ler.
Um livro baseado na história pessoal da autora, que há alguns anos vem recebendo correspondência de uma pessoa muita viajada sem que saiba que está a enviar postais de diversos países para a pessoa errada. Daí resulta uma história bastante original, um romance bonito, que trata da relação entre duas pessoas que se prenderam no sonho dos pais e que só conseguiram viver os seus próprios sonhos muito mais tarde, tendo que, para isso, quebrar algumas barreiras sociais e até pessoais. Gostei.

Excerto:
"Não sonhava há demasiado tempo e apercebeu-se, naquele instante, que um homem sem sonhos era apenas metade de um todo."

"Tu partiste em busca de ti própria, eu fiquei aqui, nesta aldeia, para fugir de mim."

Sem comentários: