quarta-feira, 17 de abril de 2013

Triplo - Ken Follett [Opinião]

Título: Triplo
Autor:
Ken Follett
Título Original: Triple
Tradução: Isabel Nunes e Helena Sobral
Páginas: 392
Coleção: Grandes Narrativas Nº 545
Género: Ficção e Literatura/Thriller
Público-Alvo: Leitores de Ken Follett
PVP: 18,90€


No ano de 1968, Israel esteve por detrás do desaparecimento de 200 toneladas de urânio, material destinado a dotar o Egito da bomba atómica com a ajuda da União Soviética. Contudo nunca se conseguiu determinar como é que um carregamento daquele minério, suficiente para produzir 30 armas nucleares, desapareceu no mar alto sem deixar provas que comprometessem Israel. Follett pegou nesta enigmática ocorrência e criou a partir dela um thriller único, onde um suspense de alta voltagem se combina com factos históricos.

Sobre o autor:
Ken Follett é britânico e nasceu em 1949. Consagrado autor de bestsellers, é sobretudo conhecido pelos seus thrillers. O seu primeiro grande êxito registou-se com o livro O Olho da Agulha, que venceu o Edgar Award em 1978, logo seguido de Triple. Entre os seus maiores sucessos conta-se Os Pilares da Terra e O Mundo sem Fim, dois romances históricos que se tornaram livros de culto no mundo inteiro, e a trilogia «O Século». Estima-se que a obra de Ken Follett tenha vendido acima dos 130 milhões de exemplares em todo o mundo.

Citações de Imprensa Estrangeira:
«Um thriller único e uma história de amor extraordinária, Triplo combina factos históricos com suspense de alta voltagem.» Amazon.co.uk
«Um romance vencedor...Um thriller soberbo.»  Newsweek


A minha opinião:
Nathaniel Dickstein é o protagonista deste novo livro de Ken Follett publicado pela Presença. Original de 1979, Triplo, talvez devido aos três agentes duplos que trabalham para diferentes países, é um livro de espionagem, muito ao estilo de James Bond. E não falta a bond girl, uma mulher exótica e demasiado bela por quem o protagonista, como não podia deixar de ser, se vai apaixonar.

Baseado em factos verídicos, Triplo relata a história do desaparecimento de 200 toneladas de urânio cujo destino seria o Egipto. Nathaniel poderá ser o responsável por esse desaparecimento da matéria que terá como destino Israel, país para quem Nathaniel trabalha.

Basicamente, o livro roda à volta de toda esta história, com os diferentes espiões, Yasif Hassan (árabe Fedayeen) e David Rostov (Rússia), a tentarem impedir que Nathaniel chegue aos seus intentos. A intenção de todos era a construção de uma bomba atómica. Curiosamente, todos se conheceram, uns anos atrás, em Oxford quando todos estudavam na mesma universidade.


Apesar de não ter sido a minha leitura favorita, Triplo não deixa de ter a escrita inconfundível de Follett, um mestre em juntar factos verídicos numa história que prende os leitores.

Mais informações consulte o site da Presença aqui

Para mais informações sobre o livro Triplo, clique aqui.





Sem comentários: