segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Conspiração do Silêncio - David Baldacci [Opinião]

Título: A Conspiração do Silêncio
Autor:
David Baldacci
Editora: Clube do Autor
N.º de Páginas: 516

Sinopse:
Hitchcocliano no seu crescendo de suspense, marcado por um conjunto de personagens notáveis e um final poderoso, A Conspiração do Silêncio é um thriller surpreendente, arrebatador e verdadeiramente actual. O Livro-Evan Waller é um criminoso sem escrúpulos. Às ordens de Estaline, esteve envolvido na tragédia de Holodomor, que custou a vida a quase 10 milhões de ucranianos. Mais tarde, fugiu do seu país, e, sob nova identidade, construiu um império graças à sua arte em comprar e vender qualquer coisa e qualquer pessoa. Agora, Waller aumenta a parada e coloca em risco milhões de vidas por todo o mundo ao negociar armas nucleares com terroristas islâmicos.

A minha opinião:
Apesar de saber que A Conspiração do Silêncio era o n.º 2 de uma série, e não tendo eu lido ainda o primeiro apesar de o ter em casa, não resisti à sinopse e peguei nele. Em boa hora o fiz porque fiquei completamente rendida ao Baldacci género thriller. Já tinha lido um livro do autor, mas na categoria de romance e, apesar de ter gostado, acho que é no thriller que Baldacci se destaca.

Reggie Campion pertence a uma organização de "vingadores". Ela e os seus colegas têm como missão secreta investigar a vida de personagens cruéis que num momento da sua vida cometeram crimes hediondos. E é com uma missão de Reggie que começa A Conspiração do Silêncio. Nesta missão, a jovem pretende levar a cabo a tarefa de matar um ex-nazi, escondido em Buenos Aires sob outro nome. Sob disfarça, Reggie acaba por cumprir a missão, tendo à sua espera uma nova, e mais desafiante: encontrar um ucraniano que serviu nas forças armadas, espião do KGB e que esteve envolvido na tragédia de Holodomor, que custaria a vida a 10 milhões de ucranianos. Actualmente com nacionalidade canadiana, quase ninguém sabia do passado de Kuchin, até Reggie e a sua equipa entrarem em acção.

Mas este trabalho iria tornar-se muito mais complicado do que pensavam à partida. Experiente em todo o tipo de tortura e investigação, cedo Kuchin descobriu que era o alvo de uma cilada. E é aqui que a adrenalina aumenta, tornando este livro uma cada vez mais agradável leitura.

Apesar de ter outros motivos para aniquilar Kuchin, A. Shaw entra em acção, e acaba por se ver envolvido na missão de Reggie...

Gostei particularmente dos "esqueletos no armário" de muitas das personagens que se foram desvendando ao longo da história. E a prova de que, apesar de vir de famílias onde os monstros imperam, os descendentes poderem enveredar por caminhos completamente diferentes. 

Com capítulos curtos e sempre cheio de acção, depressa se lêem as poucos mais de 500 páginas, ficando no ar a vontade de ler a continuação desta série. Eu vou pegar, muito em breve, n' O Jogo da Verdade, para conhecer ainda melhor A. Shaw um homem cheio de mistérios.


Sem comentários: