quinta-feira, 30 de maio de 2013

Lobo Vermelho - Liza Marklund [Opinião]

Título: Lobo Vermelho
Autor:
Liza Marklund
Tradução: Vasco Gato
Págs: 448
PVP: 16,60 €

Sobre o livro:
No Norte da Suécia, no pequeno povoado de Luleå, um jornalista é brutalmente assassinado.
Para a repórter do Correio da Tarde de Estocolmo, Annika Bengtzon, não há qualquer dúvida de que o crime está relacionado com a investigação de um ataque a uma base aérea ocorrido nos anos sessenta. Mas esta será apenas a primeira de uma série de mortes acompanhadas de uma carta manuscrita aos familiares. Contra ordens explícitas do chefe, Annika decide continuar a investigação por sua própria conta e risco, envolvendo-se numa espiral de violência e terrorismo que tem por trás um grupo de seguidores da filosofia Mao que se autodenomina «As Feras».
Chegará o momento em que a jovem repórter será obrigada a rever as suas prioridades de vida.

Mas não será tarde de mais?

A minha opinião:
Quando tive conhecimento que ia surgir no mercado português mais um livro de Liza Marklund fiquei felicíssima. Isto porque há uns anos li o primeiro livro da série Annika Bengtzon, publicado pela Presença, e lembro-me de ter gostado muito. Em Homicídio no Parque Annika ainda era uma jovem estagiária num dos principais jornais de Estocolmo quando se viu envolvida na investigação do assassinato de uma jovem stripper.

É certo que esperava de ver o segundo volume da série publicado, mas como não se publicou mais nada da autora até agora parti, mesmo assim, com muita curiosidade para a leitura de Lobo Vermelho, o 5.º livro da série. Embora haja uma ou outra referência aos livros anteriores, até porque Annika passou de jovem estagiária a uma excelente jornalista do Correio da Tarde de Estocolmo, é um livro que se lê bastante bem.

Quando Benny Ekland, um jornalista que se ia encontrar com Annika é assassinado, esta começa a desconfiar que a morte deste pode estar ligada com a investigação que ambos tinham em curso. Apesar de trabalharem em jornais completamente diferentes, ambos partilhavam informações sobre um atentado, acontecido nos anos 60, mas que tinha tido novos desenvolvimentos muito recentemente.

Annika não tem qualquer dúvidas acerca do relacionamento das coisas, e começa a investigar a fundo a morte do seu colega. A investigação vai levá-la a descobrir o grupo terrorista composto pelas mais diferentes personagens, cada uma usando um nome de código inspirado em animais. E o caso agrava-se mais quando alguns membros do próprio grupo começam também eles a ser assassinados.

Gosto particularmente de Liza Marklund porque, além de nos oferecer um excelente policial, desenvolve muito bem as suas personagens e os locais onde a acção decorre, o que para mim é um aspecto por demais importante. Além do crime acompanhamos a vida pessoal de Annika, os problemas do casamento, os dois filhos de ambos, o problema pessoal da sua melhor amiga, e, sobretudo a influência que a política tem nas redações dos jornais, mas também da media em geral. E a questão que coloco é sempre esta: ética ou poder? Liberdade de expressão é um utopia, sobretudo para quem é jornalista, infelizmente.

Como me identifico muito com a protagonista, por ser jornalista, só poderia adorar este livro. Excelente.

Sem comentários: