segunda-feira, 24 de junho de 2013

Alex Cross: Perigo Duplo - James Patterson [Opinião]

Título: Alex Cross: Perigo Duplo
Autor:
James Patterson
N.º de Páginas: 384

Alex Cross desejava uma vida mais calma e rotineira depois de ter deixado a polícia. Quando dois assassinos em série decidem persegui-lo em simultâneo, e lhe deixam pistas após cada novo crime, Cross vê-se uma vez mais envolvido em problemas.
Um deles, conhecido por Assassino Público, dá início a uma série de homicídios complexos e mediáticos, espalhando o pânico por Washington, DC. O outro, Kyle Craig, é um dos seus inimigos mais antigos, que jurara vingar-se do detetive e que acaba de escapar da prisão de máxima segurança em que estava há quatro anos.
Alex Cross, o «Caçador de Dragões», regressa, então, para enfrentar dois criminosos perversos, que não olharão a meios para o derrubar.

A minha opinião:

Alex Cross não consegue estar muito tempo afastado das investigações policiais. E quando está prestes a dedicar-se única e exclusivamente à psicologia há sempre um psicopata que chama por ele e o desafia a voltar novamente ao departamento policial, nem que seja apenas para uma ajuda.

Neste livro, mais uma vez, vemos um Alex Cross com vontade de investigar, nem que para isso deixe um pouco a família de lado. O combate ao crime chama mais alto.

E quando sabe que Kyle Craig um criminoso conhecido por "O Crânio", e que foi apanhado graças a Cross, consegue fugir da prisão Alex não consegue resistir a ajudar Bree.

Gostei muito mais deste livro do que do primeiro Cross editado pela Topselller. Talvez por já estar mais familiarizada com o protagonista, mas sobretudo por ter "gostado" mais desde assassinos em série. A brutalidade dos assassinatos e a inteligência de dois criminosos levou-me a ler este livro num ápice.

Há um senão: Patterson devia ter explorado melhor Kyle Craig. A investigação de Cross incidiu muito mais nos crimes do Assassino Público, deixando um pouco para traz um dos mais perigosos assassinos, que estava até então numa prisão de segurança máxima. Provavelmente Craig foi uma personagem de algum dos anteriores livros de Patterson daí não ter explorado novamente o assassino. Será? É o inconveniente de ler os livros desordenadamente...

Aos fãs de Patterson e de policiais recomendo vivamente




Sem comentários: