quinta-feira, 22 de agosto de 2013

A Rapariga dos Seus Sonhos - Donna Leon [Opinião]

Título: A Rapariga dos Seus Sonhos
Autor:
Donna Leon
N.º de Páginas: 360
PVP: 17,76€

Numa manhã chuvosa o Commissario Brunetti e o Ispettore Vianello respondem a uma chamada de emergência sobre o aparecimento de um cadáver a flutuar perto de uns degraus no Grande Canal.
Ao estender os braços para puxar o corpo, o pulso de Brunetti é enredado pelo cabelo dourado e avista um pequeno pé – juntos, Brunetti e Vianello retiram uma rapariga morta da água. Todavia, por incompreensível que possa parecer, ninguém comunicou o desaparecimento de uma criança, nem o roubo das jóias em ouro que tem na sua posse.
Brunetti é atraído para uma busca não só sobre a causa da sua morte, como também da sua identidade, a família e os segredos que as pessoas estão dispostas a guardar a fim de proteger os filhos – sejam inocentes ou culpados.

A minha opinião: 
Quem parte para a leitura dos livros de Donna Leon já espera ler um bom policial, mas também a parte humana de todas as personagens e a descrição maravilhosa da Veneza actual, e das suas gentes. Este nono livro publicado pela Planeta, 17.º da série Comissário Brunetti, não é excepção. O que me agrada mesmo nos romances de Leon é o lado humano do inspector, que além de adorar o trabalho que faz, se preocupa intensamente com a família e com os valores que quer incutir aos filhos.

As cenas familiares entre Guido, Paola e os seus dois filhos, Raffi e Chiara, são deliciosas, assim como é bom sentir o "cheiro" dos pratos que vão sendo confeccionados pela própria mulher de Guido. Além disso, quem é que pode ficar indiferente a um inspector que é amante da leitura?


Mais uma vez se fala da Máfia, da corrupção do poder político, dos interesses instituídos numa Itália que muito me faz lembrar Portugal, ideias provavelmente muito similares aos países latinos.

Em A Rapariga dos Seus Sonhos Guido Brunetti tem duas investigações à sua altura. A primeira surge quando Guido vai a enterrar a mãe. A cerimónia, levada a cabo por uma antigo amigo do seu irmão Sergio, Antonin vai fazer com que Guido tenha de pesquisar sobre os meandros de uma seita que opera recentemente em Veneza. Antonin, um antigo missionário pede-lhe ajuda e, sem saber, também é investigado pelo próprio Guido.

Na mesma altura o comissário é levado a investigar o caso de uma criança encontrada a boiar nas margens do rio, e o que mais o intriga é ninguém ter comunicado o seu desaparecimento. A imagem dessa bela criança, de cabelos e olhos claros, vai ensombrar as suas noites e leva-o a não descansar enquanto não descobrir o culpado.

Numa clara crítica ao preconceito racial, às várias seitas que proliferam um pouco por toda a parte tendo como único objectivo extorquir dinheiro e bens aos que neles acreditam, ao poder instituído, quer do poder político, quer do poder monetário que tudo faz para encobrir um crime, tendo na polícia o seu maior aliado, não podia deixar de recomendar a leitura deste livro.

Apesar de pertencer a uma série lê-se bem isoladamente, ganhando com isso vontade de conhecer um pouco mais de Guido e da sua família, que poderá ser descoberto através da leitura de outros livros da autora.

O único senão para mim é que depois da descoberta do corpo da criança de etnia cigana, a autora descurou bastante a primeira investigação de Brunetti, relativamente ao caso da seita religiosa denominada os Filhos de Jesus Cristo.





Sem comentários: