quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A Promessa - Lesley Pearse [Opinião]

Título: A Promessa
Autor: Lesley Pearse
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 528
Editor: Edições Asa

Sinopse:
No início de julho de 1914, a Europa vive os seus últimos dias de inocência.

A jovem Belle realizou os seus sonhos. A uma infância pouco comum seguiram-se anos dramáticos, ao longo dos quais quase cedeu ao desespero. Mas a sua coragem e determinação prevaleceram. A sua vida é agora feliz. Está casada com Jimmy, o seu primeiro amor, e conseguiu abrir a elegante loja de chapéus que sempre desejou. Mas a História do mundo está prestes a mudar. A I Guerra Mundial vai arrastar consigo milhões de pessoas. Belle e Jimmy abdicam de tudo para defenderem o seu país. São ambos destacados para França, onde Jimmy vai arriscar a vida nas trincheiras e Belle conduz uma ambulância da Cruz Vermelha. É um tempo de devastação sem precedentes em que sobreviver a cada dia representa uma vitória. E é quando o passado menos ocupa os seus pensamentos que Belle será obrigada a confrontá-lo pela derradeira vez.

Bastará um momento. Um homem. Um olhar.
Entre a luta pela sobrevivência, uma paixão proibida e a lealdade devida a um grande amor, Belle está perante uma escolha impossível. Mas ao viver na pele um dos mais sangrentos conflitos da História, terá ela poder sobre o seu destino?

A Promessa é a continuação da história de Belle, a inspiradora heroína de Sonhos Proibidos.

A minha opinião:
Alerta: A Promessa é a continuação de Sonhos Proibidos portanto se não leu ainda esse livro não pegue neste antes. Aconselho que quem não leu vá a uma livraria comprar um exemplar para desfrutar de uma belíssima leitura.

Em A Promessa vemos já uma Belle completamente segura de si, uma excelente empresária de uma loja de chapéus e com uma vida amorosa feliz. É casada com Jimmy e vive com Mog e Garth numa pequena casa. Mas a felicidade é assombrada tanto pela visita de Étienne, um amor passado, e pela chegada da guerra. Neesa altura já se suspeitava que após a invasão da Bélgica por parte dos alemães, que a guerra com a Inglaterra estaria próxima. Já havia muitos jovens ingleses a inscreverem-se no exército para combater os alemães, por livre vontade. O apelo à alistagem era por demais evidente, surgindo um grupo de mulheres a distribuir penas brancas nas ruas com o intuito de que os homens tivessem vergonha da cobardia por não ajudarem os aliados. Com vergonha, e com vontade de defender a pátria, Jimmy decide alistar-se mesmo sabendo que Belle carregava no ventre o filho de ambos. Esta será mais uma catástrofe a abater-se sobre Belle e que a vai mudar completamente.

Mostrando a força que a caracteriza, e perante tal cenário de guerra, Belle decide aprender a conduzir para que possa auxiliar os hospitais no auxílio dos feridos de guerra. Juntamente com uma amiga que conhece através de estranhas circunstâncias decide mudar o rumo da sua vida e deixar a loja de chapéus, que já nada lhe diz.

Altamente centrado na Primeira Guerra Mundial, A Promessa contém relatos fortíssimos dos mutilados de guerra, dos que voltam completamente transtornados por tudo o que a guerra causou, e para aumentar ainda o pavor de morte surge a peste, uma gripe quase fulminante que mata quase todos que estão infectados.

Nem sempre a protagonista é feliz, nem sempre os que a rodeiam espalham felicidade, mas isso não deita abaixo Belle que procura sempre o sonho de ser uma mulher realizada tanto no amor, como na sua paixão por criar qualquer coisa em termos profissionais. Esta é uma das protagonistas que mais gostei, tendo criado uma enorme empatia com ela, dado a coragem, a força de vontade e a esperança sempre presente para vencer as adversidades. Que pena ter terminado o romance e não haver continuação :(

A par de Sonhos Proibidos, A Promessa foi dos melhores livros que li este ano. 

Excertos:
"Talvez esta guerra também ajude a derrubar as barreiras sociais; é o mais provável, quando as mulheres de todos os estratos sociais tiverem de trabalhar lado a lado para contribuirem para o esforço de guerra. Espero que sim. Não tenho muita paciência para as actuais restrições impostas às mulheres."

"A guerra pode estar a abrir um pouco mais o mundo para as mulheres, com mais escolhas e oportunidades, mas há coisas que nunca hão-de mudar."

"... mas se não tiveres um sonho e trabalhares para o realizar, nada mudará."



O primeiro livro da série (clicar na imagem para ver opinião):









 Outra leitura...


Sem comentários: