quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O Anjo Caído - Daniel Silva [Opinião]

Título: O Anjo Caído
Autor:
Daniel Silva
Género: Romance
Tradutor: Vasco Teles de Menezes
N.º de páginas: 400
Data de lançamento: 4 de outubro
PVP: 17,70 €

Depois de ter sobrevivido por um triz à sua mais recente missão, Gabriel Allon, o herói dos serviços secretos israelitas, refugiou-se por detrás dos muros do Vaticano, onde se encontra a restaurar uma das obras-primas de Caravaggio. Mas certa manhã, bem cedo, é chamado à Basílica de São Pedro por monsenhor Luigi Donati, o influente secretário privado de Sua Santidade o Papa Paulo VII. Foi encontrado o cadáver de uma bela mulher debaixo da magnífica abóbada de Miguel Ângelo. A polícia do Vaticano suspeita de suicídio, mas Gabriel não concorda. E, segundo parece, o mesmo se passa com Donati, que receia que uma investigação pública possa vir provocar no seio da Igreja e, por isso, chama Gabriel para que ele descubra discretamente a verdade. Com uma advertência: «Regra número um no Vaticano», diz Donati. «Não faça demasiadas perguntas.»

Gabriel descobre que a mulher morta desvendara um segredo perigoso, que ameaça uma organização criminosa que anda a pilhar tesouros da Antiguidade e a vendê-los a quem oferecer mais dinheiro. Mas não se trata apenas de ganância. Um agente misterioso planeia uma sabotagem que irá mergulhar o mundo num conflito de proporções apocalípticas…

A minha opinião:
"Peço desculpa, Signor Allon, mas a verdade é que as pessoas têm o hábito de morrer sempre que o senhor aparece no Vaticano."
Usando a mesmo fórmula que os livros anteriores (este é o 12.º da série Allon), Daniel Silva consegue novamente prender-me com esta leitura, que conta com muita espionagem e muito mistério. Quem nunca leu nenhum livro da série Allon e esteja curioso com este não desespere. Silva, ao longo da história, vai contando também um pouco da vida do seu protagonista, do que foi fazendo ao longo dos 11 livros anteriores, para que ninguém se sinta perdido. Aliás, o primeiro livro publicado da série em Portugal foi o número 3 e muito rapidamente se entra na história do restaurador de arte.

Este livro parece que vaticina o fim próximo da série Allon, que demonstra que deseja aposentar-se, namorar e viajar com Chiara e, quem sabe, terem um filho. Mas pelo que tenho visto, há pelo menos mais um livro da série, que já foi publicado nos EUA com o título The English Girl

No entanto, há sempre algo que surge, como um misterioso assassinato, que impede a Allon o descanso justo de um guerreiro. Quando uma curadora da divisão de antiguidades do Vaticano aparece morta, Gabriel é chamado mais uma vez, pelo Papa Paulo VII para tomar conta da investigação do caso por suspeitar de assassinato. As suspeitas tornam-se cada vez mais uma verdade quando Gabriel toma conhecimento que Claudia Andreatti, a curadora, estava a trabalhar num projecto há 6 meses que investigava corrupção e comércio ilícito internacional de antiguidades. "A coleção do Vaticano é uma das maiores e mais antigas do mundo. E grande parte dela não tem qualquer provenicência conhecida."

Com o decorrer da investigação Allon estabelece ligações com o Hezbollah. Mais uma vez vem à baila o conflito Israel-Palestina. É aqui se torna ainda mais interessante que culmina na visita do Papa a Jerusalém.

Sabendo que poderá sofrer um atentado e não conseguindo demovê-lo de visitar a Terra Santa, Gabriel é eleito "segurança" n.º 1 de Paulo VII e descobre que o inimigo tem planos muito fortes para o destruir...

Viajando por Roma, Jerusálem, Viena... o leitor percorre e toma conhecimento ainda mais aprofundado da história do conflito israelo-árabe, passando pelo roubo de obras de arte, até às vítimas do Holocausto.

Uma lição de história contada ao jeito de Daniel Silva com algum fundo de verdade que é desvendada no final do livro. Muito bom

Excertos:
"O monselhor escolheu para seu investigador um homem muito parecido consigo. Um anjo caído vestido de negro. Um pecador na cidade dos santos."

"As mulheres mortas são como as caixas-fortes dos bancos. Contêm quase sempre segredos desagradáveis."


Sem comentários: