segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Pede-me o que quiseres - Megan Maxwell [Opinião]

Título: Pede-me o que quiseres
Autor: Megan Maxwell
N.º de Páginas: 448
PVP: 17,76 €

Amor, sexo e luxúria sem limites para ler sem moderação.

Um romance atrevido, em que o mórbido e as fantasias sexuais estão na ordem do dia.

Uma história de amor cheia de encontros e desencontros na qual os jogos eróticos, o voyeurismo e o desejo de ultrapassar todos os limites do prazer são os grandes protagonistas.
Megan Maxwell arrasou os tops de venda em Espanha, com mais de 140.000 exemplares, em apenas seis meses. No Brasil, entrou directamente para no top 15 dos livros mais vendidos.
Após a morte do pai, o prestigiado empresário alemão Eric Zimmerman decide viajar até Espanha para supervisionar as filiais da empresa Müller.
Nos escritórios centrais de Madrid conhece Judith, uma jovem inteligente e simpática, por quem se enamora de imediato. Judith sucumbe à atracção que o alemão exerce sobre ela e aceita tomar parte nos seus jogos sexuais, repletos de fantasias e erotismo. Com ele aprenderá que todos temos dentro um voyeur, e que as pessoas se dividem em submissos e dominantes…
Mas o tempo passa, a relação intensifica-se e Eric começa a temer que o seu segredo seja descoberto, algo que poderia ditar o princípio do fim de uma relação.

A minha opinião:
Confesso que com a quantidade de livros eróticos que proliferam pelas livrarias, depois de ser editado As Cinquenta Sombras de Grey, que recebi e comecei a ler com uma certa reserva Pede-me o que quiseres de Megan Maxwell.

Pelos vistos a fórmula patrão, ou homem todo poderoso, empregada ou submissa é para durar. Em todos os livros que li do género não há um em que a mulher seja a dominadora ou então esteja o domínio equivalente em ambas as partes.

Porém a leitura deste livro agradou-me bastante, de tal forma que li as 448 páginas em dois dias, tendo intervalado a leitura deste com outra que também estou a ler.

Judith é uma jovem espanhola, espevitada, e com alguma experiência em termos sexuais. O primeiro encontro com Eric é casual, num elevador cheio de gente, e sem que Judith saiba que Eric é o patrão da empresa Alemã onde trabalha, partilha uma pastilha elástica com ele. A química dá-se, sobretudo em Eric, que não descansa enquanto não a convence para jantar.

Com o desenrolar do livro vamos estabelecendo algumas semelhanças com 50 Sombras, com o facto de Eric ter um passado que o atormenta e ser dono de uma grande empresa, mas é mais humano do que se possa pensar à primeira vista e gosto muito mais deste Eric, apesar de algumas atitudes tempestivas e precipitadas.

Megan Maxweel conseguiu criar personagens mais humanas. Judith, uma jovem empregada, com os seus amores (frustrados ou não), que vive na companhia do seu gato Curro, que está em fase terminal. Eric um homem com acções desagradáveis, mas que quando está bem disposto se torna um amor de homem, capaz de fazer tudo pela mulher por quem se está a apaixonar.

Cheia de altos e baixos a relação de Judith e Eric vai, contudo, avançando, ao mesmo tempo que avança as fantasia sexuais, primeiro de Eric, e depois de Judith. Eric encontra uma parceira à altura para todas as suas fantasias e acaba por alinhar em tudo o que ele sugere. Apesar de bastante ciumento e dominador é uma mente aberta no que toca ao sexo propriamente dito. E mais: não entra sado (que já enjoa).

Um livro que me surpreendeu pela positiva. Gostei mesmo muito. Tanto que estou à espera da continuação.
O livro mais hot que li este ano. 

 


Sem comentários: