quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Urbano Tavares Rodrigues, O Livro Aberto de uma Vida Impar - José Jorge Letria [Opinião]

Título: Urbano Tavares Rodrigues, O Livro Aberto de uma Vida Impar
Autor: José Jorge Letria
Editora: Guerra  Paz
N.º de Páginas: 128
PVP: 13,99€

Para inaugurar a colecção o fio da memória, a Sociedade Portuguesa de Autores e a Guerra e Paz Editores publicam um livro de homenagem a Urbano Tavares Rodrigues, romancista, poeta, dramaturgo e ensaísta. Urbano Tavares Rodrigues: O Livro Aberto de Uma Vida Ímpar é, pela voz do próprio Urbano, o retrato de uma vida e o retrato de uma obra. Da infância à idade adulta, da política à literatura, Urbano Tavares Rodrigues, numa longa e exaltante conversa com José Jorge Letria, não só se expõe sem medos ou reticências, como ilumina, pela evocação de episódios, figuras e factos, a nossa história dos últimos 50 anos. Um livro para conhecermos ainda melhor Urbano. Um livro, afinal, para nos conhecermos melhor a nós próprios.

A minha opinião:
Urbano Tavares Rodrigues, O Livro Aberto de uma Vida Ímpar é a prova de como um pequeno livro pode conter algo tão bom.

Conheci os livros do autor quando era muito jovem, num tempo em que não tinha tantos livros ao meu gosto para ler em casa (apesar das estantes estarem cheias) e frequentar a biblioteca municipal do concelho onde vivia. Certo é que a pequena biblioteca de Marco de Canaveses tinha poucos livros, baseando-se em clássicos. Foi nessa altura que conheci Camilo, Eça, Miguel Torga e Urbano Tavares Rodrigues, entre muitos outros autores. E que sortuda que fui.

Mas de Urbano apenas fiquei a conhecer a sua obra e não o homem que ele foi. Com este livro, recentemente publicado pela Guerra & Paz e pela Sociedade Portuguesa de Autores, escrito por José Jorge Letria, Urbano tornou-se ainda mais humano. José Jorge Letria partilhava com Urbano uma amizade de quase 45 anos, quando Urbano já era um jornalista consagrado. Mesmo assim mostrava modéstia nas palavras do autor do livro "Estando connosco ele era mais um de nós."


Escritor desenfreado, só parou de escrever praticamente na véspera do seu internamento do qual resultaria a sua morte, aos 89 anos. "Urbano era um lutador incansável." Para aquele que seria um livro aberto, deu uma entrevista para o seu longo amigo, mais de 3 horas de conversa.

Escrito de uma forma leve, intimista e bastante aberta, José Jorge Letria conseguiu em poucas páginas, que Urbano abarcasse um pouco da sua vida. Desde que nasceu até quase ao dia da sua morte. "Fez questão que a entrevista fosse livre e solta como sempre foi a sua vida." Filho de um grande jornalista [Urbano Rodrigues], Urbano teve porém uma relação bem mais forte com a sua mãe. Com o pai o relacionamento foi distante.

Ao longo da sua longa vida privou com os mais variados escritores portugueses e estrangeiros, tendo conhecido, entre outros, Simone de Bouvoir, Jorge Amado, Jean Paul Sartre, Fernando Namora. Antes disso formou-se em letras, mas foi impedido de leccionar devido às suas ideias políticas. Pela mesma razão esteve preso onde sofreu várias privações. Mesmo assim não parou de escrever, em pedaços duros de papel higiénico. Apesar de comunista apenas conheceu Cunhal após o 25 de Abril


Casado com uma grande escritora, Maria Judite de Carvalho do qual resultaria uma filha, Isabel Fraga, este foi talvez o ponto que menos explorado foi no livro...

De salientar ainda o bonito poema que dá início ao livro de José Jorge Letria, dedicado a Urbano em 2011.

Sem comentários: