segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Liberta-me - J. Kenner [Opinião]

Título: Liberta-me
Autor: J. Kenner
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 384
Editor: TopSeller
PVP: 17,69€
Sinopse:
Ele era o único homem que ela não podia evitar. E o único homem a quem ela não conseguia resistir.
Nikki Fairchild tem 24 anos e parte do Texas para Los Angeles. Bela, inteligente e criativa, ambiciona montar o seu próprio negócio na área da tecnologia. Damien Stark tem 30 anos e é uma antiga estrela do mundo do ténis. Atualmente é um empresário rico, poderoso e bem- -sucedido, com negócios em todas as áreas. Sensual, ousado, e controlador, Damien é desejado por todas as mulheres que o rodeiam.
Os caminhos de ambos cruzam-se, dando lugar a um romance arrebatador, revestido de uma carga emocional e erótica tão poderosa que os consome. Mas tanto Damien como Nikki possuem segredos que temem partilhar. Poderão os fantasmas do passado forçar a sua separação?
A história de uma paixão obsessiva entre um homem que não conhece a palavra «não», e de uma mulher que sabe dizer «sim», num tom excitante e com todos os detalhes.
A minha opinião: 
Depois de ter lido Pede-me o que Quiseres de Megan Maxwell pensei que a fórmula das 50 Sombras de Grey se tinha esvaecido. Daí ter ficado curiosa para ler Liberta-me de J. Kenner um romance erótico cuja sinopse me fez querer ler o livro.

No entanto, o início da narrativa fez-me prever o pior. Chato, e com pouco desenvolvimento logo no início, Liberta-me não me deixou criar empatia por nenhum dos protagonistas. Damien Stark, muito ao estilo de Christian Grey é um homem riquíssimo. Conhecido do meio desportivo por ter sido um exímio praticante de ténis tendo ganho variados prémios, Stark dedica-se agora aos negócios tornando-se uma espécie de todo-poderoso.

Nikki Fairchild (que raio de nome!) é a típica rapariga burrinha (apesar de dois cursos no currículo), que se deixa levar pelo sedutor, logo na primeira noite que se conheceram, mesmo que tivessem trocado parcas palavras. Será que os jovens de hoje em dia são assim? Será que estou a ficar velha com 35 anos?

Apesar das reservas que tinha ao continuar ler o livro, por norma nunca deixo um livro a meio, por gostar de dar segundas oportunidades e, ok, por ser muitas vezes masoquista (hehe).

Mas a partir de metade do livro a história deixou de ser tão chata, mostrando um pouco mais de acção, com a narrativa a desenrolar mais normalmente.

Para quem gostou, adorou, amou, as 50 Sombras de Grey, este livro é o ideal. Sadomaso q.b., submissão, regras, mistérios de ambas a partes (o casal tem passados sombrios e traumatizantes), carros potentes, jactos, hotéis e, claro, muito fogosidade e imaginação é a fórmula de J. Kenner para prender os leitores. 


Sem comentários: