sábado, 12 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Quartos de hotel - Inês Pedrosa [Opinião]

Título: Quartos de Hotel (DN Contos Digitais #6)
Autor:
Inês Pedrosa


Quartos de Hotel. Quartos de encontros, desencontros, reencontros, despedidas. A literatura. O amor. A Paixão. Desilusão. Quartos de Hotel. Quartos de Vidas.

A minha opinião:

De Inês Pedrosa já tive oportunidade de ler Fazes-me Falta; Fica comigo esta noite; A instrução dos amantes (o meu livro de estreia) e a Antologia de poesia portuguesa escolhida por ela. Portanto, já dá para perceber que gosto da autora, apesar de não ter lido os seus últimos livros. Por isso, esperava mais deste conto. Talvez por ter escrito muitas histórias paralelas em tão poucas páginas, não me conseguiu prender a uma história que seja, contrariamente ao que me aconteceu quando li os seus livros. Gosto da sua forma de escrever, e aí não me desiludiu, mas desejei saber mais do passado e do presente das diversas personagens para ter uma opinião mais bem formada do conto.

No entanto, é interessante o facto da autora ter pegado nas diversas vidas que se cruzaram naquele hotel em 2024e com histórias de amor tão diferentes entre si. Todos da área literária, já que iam reunir-se num congresso, regressam ao hotel onde já foram felizes...

A Sextante Editora inicia o ano com uma forte aposta na literatura lusófona contemporânea: O ano em que Pigafetta completou a circum-navegação, do timorense Luís Cardoso

Título: O ano em que Pigafetta completou a circum-navegação
Autor:
Luís Cardoso
Págs.: 256
PVP: € 15,50


A Sextante Editora inicia o ano com uma forte aposta na literatura lusófona contemporânea: O ano em que Pigafetta completou a circum- -navegação, do timorense Luís Cardoso, chega às livrarias a 14 de janeiro.
Luís Cardoso é uma das principais vozes da cultura timorense atual e este livro vem comprová-lo. Enquanto nos guia numa viagem por diversas regiões de Timor-Leste, o autor narra momentos determinantes da História do seu país e presta a devida homenagem aos que lutaram e ajudaram a construí-lo.
Os romances de Luís Cardoso estão traduzidos para diversas línguas nomeadamente inglês, francês, italiano, holandês, alemão e sueco. O seu primeiro livro, com o título original The Crossing, foi inicialmente publicado em Inglaterra pela prestigiada Granta Books.


Sobre o loivro:
É este um romance luminoso, em que a história contemporânea de Timor-Leste se transforma e resplandece no transbordante prazer de contar histórias. Histórias todas elas pontuadas por movimentos de navios: o Arbiru, que desapareceu um belo dia, o Lusitânia Expresso, que nunca pôde trazer o auxílio português, e a nau Vitória, que aportou em Timor e na qual viajava António Pigafetta, o cronista da primeira viagem de circum-navegação. E todas elas são contadas e reinventadas pela voz da narradora, a sandália esquerda da Carolina, filha de um empresário e integracionista confesso. O romance inclui generosamente todos os que participaram na construção do país: os que ficaram e os que partiram, os que lutaram e os que colaboraram; as mulheres que perderam os maridos e tiveram de pedir «proteção» aos agentes dos invasores, em suma, todos os timorenses, sem censurar uns e outros, e com um enorme sentido de humor e uma profunda humanidade em que todos têm direito ao seu lugar.


Sobre o autor:
Luís Cardoso nasceu em Kailako, uma vila no interior de Timor que aparece por diversas vezes referenciada nos seus romances. É filho de um enfermeiro que prestou serviço em várias localidades de Timor, razão pela qual conhece e fala diversos idiomas timorenses. Estudou nos colégios missionários de Soibada e de Fuiloro e, posteriormente, no seminário dos jesuítas em Dare e no Liceu Dr. Francisco Machado em Díli. Licenciou-se em Silvicultura no Instituto Superior de Agronomia de Lisboa. Desempenhou as funções de Representante do Conselho Nacional da Resistência Maubere em Portugal. É autor de outros quatro romances: Crónica de Uma Travessia (1997), Olhos de Coruja Olhos de Gato Bravo (2002), A Última Morte do Coronel Santiago (2003), Requiem para o Navegador Solitário (2007).
sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora - Ficção Juvenil - O fim da primeira série da CHERUB

Título: Tsunami
Autor:
Robert Muchamore
Coleção: CHERUB
Tradução: Miguel Marques da Silva
Págs.: 344
Capa: mole
PVP: 12,90 €


A 14 de janeiro chega às livrarias portuguesas o muito aguardado décimo segundo e último livro da primeira série da coleção juvenil CHERUB, Tsunami. As obras de Robert Muchamore ultrapassaram, em 2012, a barreira dos 200 mil exemplares vendidos no nosso país.
Em outubro, ainda antes de dar por finalizada a primeira série da coleção, a Porto Editora publicou o primeiro título da segunda série, protagonizada por novos recrutas. República Popular chegou rapidamente aos primeiros lugares dos principais tops de vendas nacionais e de Tsunami espera-se sucesso semelhante.
TSUNAMI
Após um violento tsunami destruir quase por completo uma ilha tropical, o seu governador aproveita a situação para construir estâncias de luxo muito lucrativas. James Adams tem como missão proteger a família corrupta do governador da ilha e o agente não gosta muito da ideia, sabendo que esta será a sua última missão na CHERUB. E, para complicar ainda mais, o seu colega Kyle Blueman reaparece com um plano ultrassecreto, nada oficial e muito, muito perigoso… Chegada a hora da verdade, James terá de escolher entre ser leal à CHERUB ou ao seu melhor amigo. Primeiras páginas: disponíveis aqui.
A CHERUB
É o braço juvenil dos serviços secretos britânicos (MI5). O grupo foi criado a partir do pressuposto de que nenhum criminoso desconfiaria de que crianças perfeitamente normais pudessem ser espiões. Porém, os membros da CHERUB, embora o pareçam, não são jovens normais, mas sim profissionais treinados com rigor – todos eles órfãos –, enviados para missões de espionagem contra terroristas e traficantes de droga temidos internacionalmente.

Um rio chamado Angústia - Eduardo Madeira [Opinião]

Título: Um rio chamado Angústia (DN Contos Digitais #5)
Autor:
Eduardo Madeira

Há Um Rio Chamado Angústia. E há uma história sobre o nome deste rio. O tom escolhido é o científico. Claro que também existe um ou outro apontamento de humor, mas apenas para disfarçar o facto de o Angústia ser um mastodôntico e sensaborão acidente da Natureza. Não é para isso mesmo que serve a ficção?

A minha opinião:

Do que necessita um texto para ser designado conto? E de que necessita um conto ser escolhido como fazendo parte de um grupo de contos para figurar no DN? Sinceramente não sei o que este texto de Eduardo Madeira se encontra a fazer neste grupo, já que não entendo como é que uma lição de geografia e história se encaixa neste contexto, ao mesmo tempo que não tive nenhum interesse em ler a história deste rio. Se já não gostava de Eduardo Madeira como humorista, muito menos gosto dele como autor.
quinta-feira, 10 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Saiba quais foram os Grandes Naufrágios Portugueses

Para a semana publicamos uma obra que vai marcar todos aqueles que se interessam pela história marítima de Portugal. São mais de 60 naufrágios, provocados por acidentes, batalhas navais ou falhas humanas, descritos no livro Grandes Naufrágios Portugueses 1149-1991 de José António Rodrigues Pereira

Num relato empolgante e original, auxiliado por um  conjunto de mapas e ilustrações o autor conta-nos  a luta contra o mar, um adversário  imprevisível e perigoso que nospermite perceber uma parte fundamental e fascinante
da nossa história marítima.

Sinopse:
A História da Expansão Portuguesa foi pautada por batalhas épicas, pelo domínio dos oceanos pelas nossas naus e pela conquista de novos continentes, mas há sempre um reverso da medalha que fica por contar. A história dos naufrágios e da luta contra o mar, um adversário intempestivo e imprevisível. Desde os primeiros séculos da nacionalidade com os navios das esquadras de D. Fuas Roupinho (1180), da conquista de Faro (1249) e de Manuel Pessanha (1337), à esquadra de Pedro Álvares Cabral, em 1500; passando pelos séculos XVI e XVII, onde, graças ao aumento do comércio originado pela Carreia da Índia, se deu não só a maioria como também as mais dramáticas tragédias marítimas portuguesas, com referência entre tantos outros, aos desastres das naus Águia e Garça, em 1559, ou dos navios da esquadra de D. Manuel de Meneses, em 1627, terminando nos dias de hoje, em 1991, com o naufrágio do pesqueiro Bolama. Uma recolha exaustiva de 60 naufrágios, provocados por acidentes, batalhas navais ou por falha humana, muitos deles ocorridos na traiçoeira barra do Tejo, outros em locais por todo o mundo onde os portugueses andaram, destroços que continuam por descobrir e fascinam os caçadores de tesouros que ainda sonham com as riquezas que as naus portuguesas transportavam. Um relato empolgante e original, auxiliado por um vasto conjunto de mapas e ilustrações, que nos permitem perceber uma parte fundamental e fascinante da nossa história marítima.
                              
Biografia:                                                       
José António Rodrigues Pereira nasceu em Lisboa em 7 de Junho de 1948, entrou para a Escola Naval em 1 de Setembro de 1966, sendo promovido a capitão-de-mar-e-guerra em 27 de Julho de 1999. Foi professor da Escola Naval, de 1982 a 1990 e de 2006 a 2010. Esteve colocado no Departamento de Relações Bilaterais da Direcção-Geral de Política de Defesa Nacional (1991-1995) e foi diretor do Museu de Marinha (2006-2010). É académico emérito da Academia de Marinha e académico honorário da Academia Portuguesa da História. Autor de Grandes Batalhas Navais Portuguesas, publicado por A Esfera dos Livros.

A Garça - Giorgio Bassani

Título: A Garça
Autor:
Giorgio Bassani

Género: Romance
Tradutor: Sara Ludovico
N.º de páginas: 200
Data de lançamento: 18 de janeiro
PVP: 15,50 €


Numa madrugada de 1947, Edgardo Limentani, proprietário judeu de Ferrara, acorda cedo para uma caçada. Dentro do barril, enquanto olha patos e galeirões sem conseguir disparar, é tomado por uma estranha lucidez: vê-se a si próprio desprendido do mundo, fora do curso da vida, sem afetos, sem apreço por ideias ou ideologias, morto por dentro. Uma garça em voo baixo, muito próxima, arranca-o ao seu langor. Limentani observa-a – a sua grácil morfologia –, agora desperto, o coração pulsando contra o peito. Dois tiros são disparados e a ave é atingida. A perplexidade da garça, primeiro, e a lenta agonia que se segue vão ligar-se à perceção que Limentani tem de si próprio e vão lançá-lo num longo desespero.
A Garça é uma novela delicada e pungente que, centrada na angústia de uma crise pessoal, retrata uma sociedade cuja ordem se aproxima do fim.


Sobre o autor:
Giorgio Bassani (1916 – 2000) é um dos grandes escritores europeus do século XX. A sua obra foi galardoada com os prémios literários Veillon, Strega, Campiello, Viareggio e Nelly Sachs. Os seus livros mais importantes estão reunidos nos dois volumes de Il romanzo di Ferrara, do qual fazem parte O Jardim dos Finzi-Contini e Os Óculos de Ouro, ambos publicados pela Quetzal.
Além de escritor, Bassani foi editor da mítica Feltrinelli, onde publicou nomes como Giuseppe Tomasi di Lampedusa. Segundo o jornal The Guardian, «Giorgio Bassani é uma das grandes testemunhas do século [XX] e um dos seus maiores artistas.»

Bertrand publica Na Cama com um Highlander de Maya Banks

Título: Na cama com um highlander
Autor: Maya Banks
Editora: Bertrand Editora
N.º de Páginas: 336
Data de publicação: 18 de Janeiro

Sinopse:
Ewan, o mais velho dos irmãos McCabe, é um guerreiro decidido a destruir o seu inimigo. Agora que o momento é ideal para a guerra, os seus homens estão preparados e Ewan quer reaver aquilo que lhe pertence – até que uma tentação de olhos azuis e cabelo negro se atravessa no seu caminho. Mairin pode muito bem ser a salvação para o clã de Ewan, mas, para um homem que sonha com vingança, as questões do coração são um território desconhecido a conquistar.
Mairin é filha ilegítima do rei e é senhora de propriedades valiosas que a obrigaram a esconder-se e a desconfiar do amor. Os seus piores receios acabam por acontecer quando é salva do perigo mas depois obrigada a casar com o seu salvador, Ewan McCabe, um homem carismático que está habituado a mandar. Mas a atração que sente pelo seu novo marido fá-la desejar o seu toque; o seu corpo ganha vida com a mestria sensual dele. E à medida que a guerra se aproxima, as forças, o espírito e a paixão de Mairin obrigam Ewan a derrotar os seus próprios fantasmas e a entregar-se a um amor que significa mais do que a vingança e a terra.

Na Cama com um Highlander é o primeiro livro da trilogia McCabe sendo também o primeiro livro de Maya Banks a ser editado em Portugal. 


Sobre a autora:



Porto Editora - Novidades Literatura janeiro-maio 2013

Foram apresentadas, esta manhã, na Livraria Bertrand Chiado, em Lisboa, as novidades das chancelas da Porto Editora para o início de 2013. O momento foi aproveitado, também, para anunciar as entradas de Miguel Esteves Cardoso e de Valter Hugo Mãe para o catálogo da editora. Mereceu grande destaque, ainda, a publicação de novos títulos de Luis Sepúlveda, Francisco José Viegas e Luís Miguel Rocha.
No início da sessão, fez-se uma retrospetiva da atividade editorial das chancelas da Porto Editora no semestre anterior. De seguida, apresentaram-se as novidades para o período janeiro-maio. Cláudia Gomes enfatizou o regresso de Luís Miguel Rocha, com A Filha do Papa, e as entradas de Miguel Esteves Cardoso e Valter Hugo Mãe no catálogo da Porto Editora. Manuel Alberto Valente sublinhou a publicação, também na Porto Editora, de História de um gato e de um rato que se tornaram amigos, de Luis Sepúlveda, e de O Colecionador de Erva, de Francisco José Viegas. Por seu turno, João Rodrigues deu especial ênfase ao livro Viver na Noite, a estreia de Dennis Lehane no catálogo da Sextante, e ao novo livro de António Mega Ferreira, Cartas de Casanova. Da intervenção de Vasco David, da Assírio & Alvim, destacaram-se a publicação de Crónica, Saudade da Prosa, de Manuel António Pina, e o relançamento da coleção Peninsulares, com livros de Ricardo Menéndez Salmón e Enrique Vila-Matas.

No final da apresentação, Francisco José Viegas falou aos jornalistas do seu novo romance, Miguel Esteves Cardoso e Valter Hugo Mãe dos respetivos ingressos na Porto Editora. Foram apresentados oitenta títulos, distribuídos por cinco chancelas: Porto Editora, Albatroz, 5 Sentidos, Sextante e Assírio & Alvim.

Alice - Caroline Stoessinger [Opinião]

Título: Alice
Autor:
Caroline Stoessinger
Género: História
N.º páginas: 240
PVP: € 14,80

O livro:
Este livro relata a impressionante e inspiradora história da feroz determinação de uma mulher, Alice Herz-Sommer, actualmente a mais idosa sobrevivente do Holocausto.
Alice nasce em 1903, em Praga. Toda a sua infância e juventude são influenciadas pela riquíssima cultura de língua alemã e checa da Europa Central da época: Kafka, Max Brod, Stefan Zweig, Thomas Mann, Rilke ou Mahler fazem parte da sua vida. Influenciada pela mãe, inicia ainda criança a sua carreira de pianista e professora que a irá tornar famosa. Todos os seus sonhos foram cortados com o eclodir da Segunda Guerra Mundial. Alice vê-se num gueto com o seu filho e vive uma nova e dura realidade à qual, graças à música, consegue escapar.
Alice é uma história de amizade e optimismo, da importância de viver de uma forma simples e com esperança. É a história da música de uma vida em que não se desiste.

A minha opinião:

Sem ser particularmente chocante relativamente a relatos passados durante o Holocausto (confesso que já li livros bem piores), Alice tocou-me de uma forma particular porque é uma mulher forte, que ultrapassou os desaires da guerra de uma forma soberba e levou a vida para a frente sem quaisquer queixume. Imagine-se que a maior parte dos conhecidos e alunos, nem sequer sabiam que Alice era uma sobrevivente do Holocausto.

Nascida em Praga em 1903 faz de Alice a mais velha sobrevivente do Holocausto. Mas Alice não é só isso. Fantástica pianista desde muito nova, professora exemplar a quem os alunos recordam com ternura, Alice, do alto dos seus 109 anos, ainda leva uma vida “normal”. Toca todos os dias, vive sozinha, e é uma optimista por natureza. Perdeu o seu marido em Auschwitz, o seu filho e ela foram para o campo de concentração de Theresienstadt e saíram de lá vivos, muito graças ao talento que tinha e que os nazis apreciavam.

Foram muitos os judeus que morreram naquele campo de concentração. De 156 mil sobreviveram apenas 17. 500, mas Alice sempre tentou sorrir para o seu filhote, que lhe perguntava muitas vezes porque é que estavam ali, para que ele não se apercebesse tanto da maldade da guerra. Estes episódios fazem em muito lembrar o filme “A Vida é Bela” protagonizado por Roberto Benigni.

Depois de ter sido libertada Alice ainda viveu em Praga alguns anos, mas decidiu viver para Israel, local onde passaria parte da sua vida. Com a ida de Rafi, o seu filho, para Inglaterra, Alice deixa Israel e passa a viver em Inglaterra, onde ainda hoje vive.

Com uma cultura invejável, conviveu com os grandes da música, mas também da política e literatura, que a viriam a influenciar para a vida. Dona de grandes máximas, fiquei extasiada com o poder de atracção que exerce sobre qualquer um, até com o humilde leitor.

Excertos:
“Diante da tragédia do 11 de Setembro, Alice disse-me: “claro que foi terrível, mas porque está tão chocado? O bem e o mal existem desde a Pré-História. A forma como os encaramos, como lhes respondemos, é que é importante.”
“Talvez um dia sejamos suficientemente espertos para vivermos juntos e em paz.”

“A escola é apenas o início. Podemos aprender durante toda a vida.”

Sobre o filme de Kurt Gerron:
“O filme inclui o acto cuidadosamente encenado de um rapaz judeu a correr rua abaixo atrás de uma bola. Um nazi fardado apanha a bola e entrega-a à criança, fazendo-lhe uma festa na cabeça. Algumas semanas mais tarde, essa criança seria assassinada em Auschwitz.”
No fim do filme também o próprio actor e realizador do filme é mandado para o campo de concentração de Auschwitz para a câmara de gás.

Filme que retrata o campo de concentração:






quarta-feira, 9 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Nascente a abrir o ano

A qualidade da nossa vida é o resultado das decisões que tomamos e do cultivo de atitudes e pensamentos positivos. Com determinação, todos os caminhos são possíveis. Mas como podemos evitar que o pessimismo, a hipocrisia e a resignação se tornem pedras nos nossos sapatos?

Este livro inspirador mostra-lhe, através das palavras reconfortantes e dos exemplos simples de Álex Rovira — um dos mais prestigiados autores nas áreas de Desenvolvimento Pessoal e Liderança —, que a hipótese de uma vida feliz habita dentro de si.

Uma Boa Vida: Encontrar o caminho para a felicidade irá ensinar-lhe que a chave para alcançar as suas metas se esconde nos mais simples gestos. Aprenda sem esforço a tomar decisões, a confiar e a libertar-se dos seus fardos. Só assim poderá potenciar a sua força interior.

Comprometa-se com a vida, cumpra os seus sonhos e seja feliz!



Sobre o autor:
Álex Rovira é um dos autores espanhóis de maior prestígio mundial nas áreas de Desenvolvimento Pessoal e Liderança. Os seus livros estão traduzidos em 41 idiomas. É coautor de A Boa Sorte, um êxito sem precedentes na literatura espanhola de não- -ficção, tendo vendido mais de quatro milhões de exemplares. Licenciado em Gestão e Administração de Empresas, Álex Rovira dirige programas de Executive Education para altos dirigentes e organizações não-governamentais. É uma presença constante e destacad em alguns dos principais canais de media espanhóis, entre os quais o El País e a Cadena Ser. É também um reputado conferencista, tendo discursado ao lado de personalidades como Michael Porter, Philip Kotler. 





Em Seja o Autor da Sua Vida, descubra como pode mudar a sua vida seguindo seis simples etapas:

1. Escreva o que deseja de modo preciso.

2. Diga-o bem alto e justifique-o.

3. Divirta-se a sentir o que sentiria se já tivesse alcançado o seu objetivo.

4. Defina e visualize o que quer; saiba concretamente como alcançá-lo e tome todas as decisões; esteja totalmente de acordo com o que decide; estipule um prazo realista.

5. Confie esse projeto ou esse desejo ao seu cérebro inconsciente, criando a imagem e a emoção do seu objetivo.

6. Viva como se já tivesse alcançado o que deseja.

«Quando o sonho se tornar realidade, não será por magia, mas sim pela programação consciente ou inconsciente do seu cérebro.

O Desenvolvimento Pessoal é uma área que continua a crescer exponencialmente em Portugal. Todos temos a ambição de alcançar uma melhor qualidade de vida, possível através de um crescimento cognitivo, emocional e pessoal. E, entre as teorias, estratégias e técnicas existentes, algumas, pela sua fiabilidade, destacam-se pela taxa de sucesso.

É o caso da Programação Neurolinguística (PNL), técnica sistematizada na década de 70 pelos norte-americanos Richard Bandler e John Grinder. Estes investigadores partiram do pressuposto de que, se alguém é bem sucedido em algo, qualquer pessoa pode também desenvolver essa qualidade. Perceber como tudo é processado ao nível do cérebro é o passo seguinte. O termo “neuro” refere-se à maneira como o cérebro trabalha e processa informações, de que modo funciona para produzir pensamentos, sentimentos e comportamentos. O termo “linguística” diz respeito ao modo como a linguagem faz parte e interfere no processamento cerebral, e “programação” indica que temos padrões e procedimentos que se estruturaram ao longo da vida, de modo inconsciente na maioria das vezes.

Estes padrões, sendo identificados, podem ser modificados em relações a metas estabelecidas, para superar bloqueios, eliminar ansiedades e medos ou para gerar ou ampliar as capacidades e habilidades de alguém. Um dos pressupostos importantes da PNL é o de todos temos os recursos que precisamos para se desenvolver e evoluir. A Programação Neurolinguística possibilita uma maior tomada de consciência do que uma pessoa vê, ouve, sente, pensa, diz e faz. É a conquista pessoal no que respeita à organização da vida no dia a dia, seja em ambiente de família, com os amigos ou no trabalho. Com as ferramentas fornecidas e o desejo de aperfeiçoamento contínuo, o indivíduo cresce em qualidade de vida.


Sobre a autora:
Michelle Noel dedica-se há 30 anos ao estudo das faculdades do cérebro e à relação do corpo com o pensamento. Especializou-se no estudo das abordagens modernas para a resolução dos conflitos. Hoje é formadora, terapeuta e docente de Programação Neurolinguística. Seja o Autor da Sua Vida é um guia recheado de exemplos práticos, técnicas acessíveis e eficazes. A autora francesa tem a ambição, com este livro, que o leitor passe «90% do tempo a pensar em soluções e não nos problemas». Mais sobre a autora em: www.michellejnoel.com

 

Todos nós temos Anjos da Guarda que nos podem ajudar a tornar a nossa vida mais harmoniosa e pacífica. Com 365 Conselhos dos Seus Anjos irá viver cada dia de uma forma positiva e conciliadora, usando as mensagens reconfortantes apresentadas por Doreen Virtue. Cada página apresenta uma mensagem dos Anjos, prática e aplicável à sua vida, que o/a vai ajudar a ter um dia maravilhoso.

Pensado para meditações matinais, pode, no entanto, usufruir do livro a qualquer hora do dia ou da noite. É um livro ideal para ter na mesa de cabeceira, ou na secretária, para consultá-lo sempre que precisar de uma palavra de conforto e ânimo.

Neste livro, os Anjos mostram-lhe que é possível:

Perceber o sentido da vida Respeitar o amor e a família

Reagir perante acontecimentos inesperados

Sentir que a vida é sua pertença

Ouvir a sua criança interior

Afastar o sentimento de culpa e a ansiedade

Acreditar que não existe um limite para as suas expectativas

Sobre a autora:
Doutorada em Psicologia, Doreen Virtue é uma das especialistas em Terapia dos Anjos mais conhecidas em todo o mundo, e autora bestseller com mais de 50 livros publicados.

As suas capacidades mediúnicas surgiram na infância, quando via e conversava com os seus Anjos da Guarda. Mundialmente conhecida pela sua ligação ao mundo angelical, tem dedicado a sua vida a ouvir e interpretar as mensagens dos Anjos.

Frequentemente convidada para talk-shows como Oprah, Good Morning America e The View, Doreen Virtue publica também com regularidade em jornais e revistas conceituados. Conheça melhor a autora em: www.angeltherapy.com.


Mania - Luísa Costa Gomes [Opinião]


Título: Mania (DN Contos Digitais #4)
Autor:
Luísa Costa Gomes

Um escritor recebe um telefonema. Parece engano. Ao aceitar o jogo equívoco e de equívocos, o escritor produz uma realidade híbrida, de limites indefinidos: que inclui o falso, o fictício e o indecidível.

A minha opinião:

Da autora já tinha lido Olhos Verdes da autora há uns anos e até fiquei agradada com a sua escrita. No entanto, fiquei completamente desiludida com este conto. 

Não entendi onde a autora queria chegar com Sáurio, para mim um personagem completamente esquizofrénico, cuja companhia era Bóris, uma pessoa inventada pela sua mente. Mas será isso? Confesso que não entendi de todo a história, confusa demais. Um escritor sem ideias, Sáurio aproveita-se de um telefonema que surge por engano e entra numa história rocambolesca de amor, desconfiança e ciúme e que vai terminar em tragédia. Uma história com suspense que não me atraiu.
terça-feira, 8 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Quetzal

Título: Uma História por Contar
Autor:
Monica Ali

Género: Romance
Tradutor: Patrícia Xavier
N.º de páginas: 296
Data de lançamento: 18 de janeiro
PVP: 16,60€


E se a princesa Diana estivesse viva?
Quando a princesa Diana morreu em Paris, tinha trinta e sete anos. Se tivesse sobrevivido, faria cinquenta e um anos no dia 1 de julho de 2012. Quem seria ela agora se estivesse viva? O que faria? E onde?
Monica Ali, uma das escritoras mais versáteis e ousadas do nosso tempo, imaginou um destino diferente para Diana no seu novo livro. Uma década após o acidente de Paris, uma mulher britânica chamada Lydia vive numa pequena cidade norte-americana. Tem um círculo de amigas: uma tem uma loja de roupa, outra é agente imobiliária, outra é uma mãe a tempo inteiro. Lydia é voluntária num canil e gosta de nadar. O namorado, que a adora, sente que ela não se dá a conhecer. Quem é ela?
Uma História por Contar fala dos custos da fama, do sentido da identidade e da possibilidade (ou impossibilidade) de se reinventar uma vida. A princesa ficcional de Monica Ali é bonita, intrépida e engenhosa e conseguiu para si própria uma paz frágil. Mas depois o passado ameaça destruir a sua nova vida.


Sobre a autora:  

Monica Ali foi nomeada pela Granta para a sua lista de vinte melhores romancistas britânicos. É autora de Brick Lane, Alentejo Blue e Na Cozinha. Foi finalista do Booker Prize. Vive em Londres com o marido e os dois filhos.

O Aleph, de Jorge Luis Borges, a 18 de janeiro nas livrarias

Título: O Aleph
Autor:
Jorge Luis Borges

Género: Contos
Tradutor: José Colaço Barreiros
N.º de páginas: 184
Data de lançamento: 18 de janeiro
PVP: 14,40 €


Neste conjunto de ficções publicado em 1949 (acrescido de quatro textos na edição de 1952), encontramos os motivos borgesianos recorrentes: o tempo, o infinito, a imortalidade, a identidade, o duplo, a perplexidade metafísica.
Descoberto na cave de um casarão devoluto, o Aleph – que dá título ao último conto e ao livro – é “uma pequena esfera de cor tornesol, de um fulgor quase intolerável”, o ponto no universo a partir do qual se vê a totalidade do universo, em simultâneo e sob todos os ângulos. Borges tê-lo-á definido com a comparação: «o que a eternidade é para o tempo, o Aleph é para o espaço.»
«Começa aqui o meu desespero de escritor.» – afirma o narrador – «Toda a linguagem é um alfabeto de símbolos cujo exercício pressupõe um passado que os interlocutores compartilham; como transmitir aos outros o infinito Aleph (…)?»


Sobre o autor:
Nas listas de maiores escritores do século XX, há vários nomes omnipresentes: Proust, Joyce, Kafka. Jorge Luis Borges é um deles. A sua ascensão ao panteão literário foi lenta, mas com o reconhecimento do prémio Formentor, em 1961, fixou-se aí definitivamente. Borges tornou-se uma lenda, um arquétipo do escritor erudito e de infinitos conhecimentos enciclopédicos.
Bibliotecas, tigres, espelhos e labirintos: não é possível pensar em qualquer destes substantivos sem que o nome de Borges nos ocorra de imediato. São elementos de um universo único que gerou uma multidão de admiradores e imitadores, embora nenhum tivesse atingido o nível do mestre. Tal como os escritores referidos no início, Jorge Luis Borges não recebeu o Prémio Nobel.

Um Romance - Rui Zink [Opinião]

Título: Um Romance
Autor:
Rui Zink

Anos 80. O narrador improvável. Um restaurante ao lado de uma sala de cinema. Ele, Artur. Ela, Carolina. Cannelloni e lasagna. Romance anunciado? Já agora, também a vida.

A minha opinião:

Rui Zink encarna aqui o papel de narrador, que qual voyeur, ouve uma conversa privada entre um casal com um problema entre mãos. De forma irónica, comparando o tempo dos anos 80 à actualidade, Zink vai contando o teor da conversa ao mesmo tempo que faz o seu próprio juízo do tema.

É o momento em que Artur termina com Carolina que mostra o lado mais sarcástico do autor. Num tempo em que a inexistência de telemóveis, e em que as pessoas iam ao teatro e em que ainda havia bailado na Gulbenkian...

Gosto da escrita de Zink, gosto da forma como ele crítica a sociedade, e gostei deste conto, tendo ficado com vontade de ler mais.

Excerto:

Uma análise comezinha à realidade provaria, suponho, que a crise é permanente. Sempre foi mais fácil destruir do que construir. Criticar do que fazer.

Novidade Esfera dos Livros

Todos sabemos que os portugueses andam stressados com a crise, a falta de dinheiro, o desemprego e a falta de perspetivas. A isto somamos a correria do dia-a-dia. Andamos sobre-ocupados, angustiados, deprimidos, irritados, até agressivos.

Quais as consequências?

- Dormimos mal;

- O nosso sistema imunitário vai-se abaixo e ficamos mais vezes doentes;

- Andamos cansados, desmotivados e impacientes com tudo e com todos,

- Sofremos de perturbações gastrointestinais;

- Discutimos mais com a/o nossa/o parceira/o;

- O nosso entusiasmo sexual vai baixando;

O psicólogo Vítor Rodrigues traz-nos um manual prático que nos ajuda a superar estes problemas e ensina, num tom bem-humorado, a vencer o stress. Tranquila-Mente pode ajudá-lo a viver uma vida mais calma e feliz!

Sinopse:
Há quem ache que viver em stress é uma obrigação dos nossos tempos. Se concorda, então não compre esta obra. Este livro destina-se a todos os outros que querem viver uma vida mais calma, tranquila e feliz. Decore esta frase: o stress é inimigo do prazer e da fruição da vida. O psicólogo Vítor J.F. Rodrigues traz-nos um manual prático que nos ensina, num tom bem-humorado, a vencer o stress. A distinguir o stress positivo, do stress que nos faz mal a saúde. A estar atentos aos sinais de alerta e às fontes do stress. A ter uma atitude diferente perante os problemas, gerando os padrões positivos e diminuindo os negativos. A rodearmo-nos das pessoas certas. A agir sem medo de errar, sem ter de agradar aos outros. A deixar de evitar situações dolorosas ou conflituosas, pois a fuga promove uma maior ansiedade.

Biografia:

Vítor José F. Rodrigues, doutor em Psicologia e psicoterapeuta desde 1985, é conferencista e formador na área da Psicologia Transpessoal. Enquanto terapeuta, o stress é uma das suas áreas de trabalho mais relevantes, à qual se acrescentam a Terapia Regressiva, Hipnose, Meditação, técnicas de Auto-Investigação Profunda e mesmo a Defesa Psíquica. Como escritor, tem publicado livros sobre temáticas que incluem a auto-ajuda.

domingo, 6 de janeiro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidade Esfera dos Livros

Esquecer é possível! Mesmo quando tudo parece negro e sem futuro. Mesmo quando o nosso coração está partido em mil pedaços, graças a uma relação falhada, quando a rutura nos leva a um beco sem saída, onde a esperança dá lugar à depressão, é possível continuar a viver. Reinventarmo-nos. Abrir um novo leque de possibilidades. É verdade que uma rutura sentimental pode parecer uma catástrofe sem solução. O fim da linha. Não consigo esquecê-lo! Como posso viver sem ele? Porque é que ele me deixou? Sinto um vazio que não consigo explicar. Todos os dias penso nele. Não consigo estar sozinha… Se é garantido – e não vale a pena mentir - que perdemos muita coisa com o fim de um relacionamento, é certo que ganhamos muitas mais, quando arriscamos virar a página…. Para isso é preciso entrar num processo com diferentes fases pelas quais precisamos de passar uma a uma. Dos sentimentos de negação, à raiva, ao medo de viver sozinha, ao ciúme do outro, ao duelo com a nossa dor, à resistência para mudar…, chega um momento em que estes dão lugar ao esquecimento, ao perdão, ao alívio, à liberdade, a uma vida nova.

Mariela Michelena é psicanalista e membro da Associação Psicanalítica de Madrid (Associação Psicanalítica Internacional). Desenvolveu a sua prática clínica em Caracas, Houston e Lima. Atualmente exerce Psicologia em Madrid. Publicou Un año para toda la vida (2002) e Saber y no saber. Curiosidade sexual infantil (2006). Em Portugal, com a chancela da Esfera dos Livros, editou Mulheres Mal-Amadas (2.ª edição).

A psicanalista Mariela Michelena vem a lisboa nos dias 24 e 25 de janeiro explicar como podemos ultrapassar a dor de uma relação amorosa falhada, reconstruindo a nossa identidade e alcançando sozinha, ou numa nova relação, a felicidade.

Novidades Chá das Cinco para Janeiro

Título: À Luz da Meia Noite
Autor:
Sherrilyn Kenyon

Uma celebridade generosa que tudo oferecia e nada pedia em troca… até ser enganado pelos que o rodeavam. Agora Aidan nada quer do mundo ou sequer fazer parte dele.

Quando uma estranha mulher aparece à sua porta, Aidan sabe que já a viu antes… nos seus sonhos.
 

Uma deusa nascida no Olimpo, Leta nada sabe do mundo dos humanos.

Mas um inimigo implacável expulsou-a do mundo dos sonhos e para os braços do único homem capaz de a ajudar: Aidan. Os poderes imortais da deusa derivam de emoções humanas, e a raiva de Aidan é todo o combustível que precisa para se defender…
Uma fria noite de inverno irá mudar as suas vidas para sempre…
Aprisionados durante uma tempestade de inverno brutal, Aidan e Leta terão
que conquistar a única coisa que os poderá salvar a ambos – ou destruí-los – a confiança. Conseguirão triunfar sobre todos os obstáculos?


Título: Amo-te em todas as línguas

Não basta a minha língua para dizer amo-te.
Por isso repito-o em todas as línguas do mundo.
Para que o sintas todos os dias da tua vida.

Amo-te.

A mais bela palavra do mundo.

Abre portas, conquista corações,
termina guerras, une vidas.
Nunca será demais repeti-la.

Amo-te.

Amo-te sempre e de todas as maneiras.

E amo-te em todas as línguas do mundo.

Novidades Saída de Emergência para Janeiro

Título: Acácia - Outras Terras
Autor:
David Anthony Durham

Um rei assassinado pelo seu mais antigo inimigo. Um império dominado por um povo austero e intolerante. Quatro príncipes exilados determinados a cumprir um destino. 

Recuperar o trono de Acácia poderá ter consequências devastadoras.
A luta apocalíptica contra os Mein terminou. Uma vitoriosa Corinn

Akaran reina no Império Acaciano do Mundo Conhecido. Apoiada no seu conhecimento de artes mágicas do livro A Canção de Elenet, ela reina com mão de ferro. E reconstruir um império desgastado pela guerra não é fácil. Das misteriosas Outras Terras, chegam à corte notícias inquietantes, e Corinn envia o seu irmão, Dariel, como emissário pelos mares tempestuosos das Encostas Cinzentas.

Ao chegar àquele distante continente, este antigo pirata é apanhado numa
rede de velhas rivalidades, ressentimentos, intrigas e uma crescente deslealdade. A sua chegada provoca um tal tumulto que o Mundo Conhecido é de novo ameaçado pela possibilidade de invasão — algo que tornaria os anteriores perigos numa brincadeira de crianças. Sem aparentes obstáculos, um novo ciclo de acontecimentos que irá arruinar e remodelar o mundo está prestes a começar…

Título: Inferno nos Açores
Autor:
Clive Cussler

Um cargueiro japonês cruza o Atlântico oriental perto dos Açores quando irrompe em chamas. Um bando de piratas avança para se aproveitar da catástrofe, mas o seu barco explode. Que se passará? Qual a relação com o rapto de um cientista de topo nas ruas de Genebra? Com a deserção de um russo misterioso ocorrida sessenta anos antes? Com a descoberta de um extraordinário cemitério submarino de navios e aviões dispersos sobre o fundo marinho?
Quando Austin, Zavala e o resto da equipa iniciam a investigação, veem-se arrastados para as ambições mirabolantes de um ditador africano, para a criação de uma arma com capacidade destrutiva quase mítica e para um plano de audácia inimaginável para chantagear as principais potências mundiais.
O castigo pela recusa? A destruição das maiores cidades do planeta. Começando por Washington, D.C...
Repleto de suspense intenso e da criatividade quase ilimitada que são exclusivas
de Cussler, Inferno nos Açores é um dos livros mais emocionantes do grande mestre da aventura.

Título: 20 anos Moonspell (fotobiografia)
Autores:
Fernando Ribeiro e Paulo Moreira

Edição normal e especial (capa dura com foto autografada)

E de repente, vinte anos passaram desde que nos reunimos, pela primeira
vez, para explorar a nossa obscuridade, usando a música como voz. Dentro destas páginas, encontrarão um modesto relato, feito a partir de um ponto de vista privilegiado de episódios seleccionados da história dos MOONSPELL, cruciais para entender os ambientes e o crescimento dos mais ilustres embaixadores portugueses do Metal Gótico. Ficarão a saber que a
história de uma banda é bem mais do que sangue, suor e lágrimas. Que é, de facto, feita de actos de fé, de pressão interior e exterior quase insuportável, de recompensas que envergonham os deleites de qualquer Paraíso.
Saberão o que é ser um português no Mundo; como gravações em Londres podem despoletar a loucura artística. Conhecerão o fim de cumplicidades, pulverizadas pelos caprichos de egos; o preço a pagar pela ingenuidade; as viagens intermináveis que atingem sempre um qualquer destino. Bemvindos a um mundo escuro, apaixonante, feito de compromissos e de humanidade, onde os lobos têm coração, a religião pecado, onde borboletas destroem edifícios, onde a escuridão envenena a esperança. Onde há uma taça cheia de antídoto prestes a tornar-se memória de uma noite eterna.
Onde Alpha e Omega se seduzem para se tornarem um só. Ilustrada dramaticamente por uma série de fantásticas fotografias, esta é a história nunca contada dos MOONSPELL. A loucura que a Lua cheia instala. Desfrutem.
Título: O Inferno de Gabriel
Autor:
Sylvain Reynard

VENHA MERGULHAR NUM MUNDO DE OBSESSÕES, SEGREDOS E PRAZER SEM LIMITES

O enigmático e sedutor professor Gabriel Emerson é um reputado

especialista na obra de Dante. Mas à noite dedica-se a uma vida de
prazer sem limites, não hesitando em usar a sua beleza de cortar a respiração para manipular as mulheres a satisfazerem cada capricho seu.
Talvez por isso se sinta torturado pelo passado e consumido pela crença de que está para lá de qualquer salvação.
Quando a jovem Julia Mitchell se inscreve como sua aluna de pósgraduação, Gabriel não consegue ficar indiferente. Ela é linda, deliciosamente inocente, um diamante em bruto para ele polir. Sempre que Julia se apercebe do olhar de predador dele, espera sentir receio, mas o que verdadeiramente sente é uma estranha luxúria que a assusta. Desejando desesperadamente possuí-la, Gabriel põe em perigo não só a sua carreira, como ameaça desenterrar segredos de um passado que preferia manter oculto.
Uma história inebriante sobre amor proibido, luxúria e redenção, O Inferno de Gabriel retrata a jornada de um homem que procura escapar do seu próprio inferno pessoal enquanto tenta conquistar o impossível:
perdão e amor.
Um livro obsessivo e viciante como As Cinquenta Sombras de Grey.

Título: Lisboa no ano 2000 - antologia
Bem-vindos a Lisboa!
Bem-vindos à maior cidade da Europa livre, bem longe do opressivo
império germânico. Deslumbrem-se com a mais famosa das jóias do Ocidente! A cidade estende-se a perder de vista. O ar vibra com a melodia incansável da electricidade.

Deixem-se fascinar por este lugar único, onde as luzes nunca se
apagam, seja de noite, seja de dia. Aqui, a energia eléctrica chega a todos os lares providenciada pelas fabulosas Torres Tesla.
Nuvens de zepelins sobem e descem com as carapaças a brilhar ao

sol. Monocarris zumbem por todo o lado a incríveis velocidades de mais de cem quilómetros à hora. O ar freme com o estímulo revigorante da electricidade residual. Bem-vindos ao século XX!

Lisboa no Ano 2000 recria uma Lisboa que nunca existiu. Uma

Lisboa tal como era imaginada, há cem anos, por escritores, jornalistas, cientistas e pensadores. Mergulhar nesta Lisboa é mergulhar numa utopia que se perdeu na nossa memória colectiva.
Título: Porque és Minha
Autor:
Beth Kery

A autora bestseller do New York Times, Beth Kery, agarra-nos com um romance inebriante como nenhum outro — onde as regras do desejo são quebradas, noite após noite…

No instante em que Francesca e Ian se conhecem, a atração é mútua; uma carga
requintadamente física incendeia ambos. Para Ian, ela é o tipo de mulher a que ele não resiste: inocente e pura. Para Francesca, ele é o tipo de homem que ela mais teme e deseja: sombrio, extremo, autoritário, e interdito. O que se passa entre eles não pode ser ignorado — apenas acatado, evoluindo para um inevitável vínculo.

De um jato particular para um interlúdio em Paris, de um ousado encontro num
museu público para a intimidade de um hotel de luxo, Francesca e Ian estão um com o outro sempre que o desejo se torna premente. Mas à medida que a relação deles fica mais intensa, Francesca descobre algo a respeito de Ian  — e dela própria — que altera para sempre o jogo e os jogadores. É algo com que eles nunca contaram, algo que lhes faz girar as vidas, delirantemente fora de controlo…

Francesca Segal vence Costa Book Award com Primeiro Romance: A Civilização Editora publica The Innocents em 2013

A escritora Francesca Segal acaba de vencer um dos ‘2012 Costa Book Awards’ (antigo Whitbread) – juntamente com Hilary Mantel, outra autora editada em Portugal pela Civilização. A britânica foi distinguida na categoria ‘Primeiro Romance’ com The Innocents, romance que será publicado em breve no nosso país.
As críticas ao seu romance de estreia são abundantes e profundamente elogiosas. “The Innocents é estimulante e Segal escreve com uma subtil elegância”, escreve o Observer. “Delicioso… A escrita de Segal é sensata, espirituosa e observadora, acrescenta o Times. “Uma estreia impressionante”, conclui o Sunday Times.
Francesca Segal nasceu em Londres em 1980. Criada entre o Reino Unido e os Estados Unidos da América, estou no St. Hugh’s College, Oxford, antes de se tornar escritora. O seu trabalho tem sido publicado, entre outros, no Guardian e na Vogue UK e US. Foi escritora-convidada na Tatler e, durante três anos, escreveu na coluna ‘Debut Fiction’ do Observer.

Irma Voth: 2013 começa com o romance de Miriam Toews

Título: Irma Voth
Autor: Miriam Toews
Género: Romance
Tradutor: Lucília Filipe
N.º de páginas: 248
Data de lançamento: 18 de janeiro
PVP: 16,60 €


«É fascinante o ritmo da sua narrativa, moldada por uma inteligência luminosa, divertida e apaixonada.» Toronto Star
«Uma mistura inesperada de humor, desespero e melancolia. Ilumina e acalma o coração ao mesmo tempo.» The Guardian


Irma Voth foi banida pela família depois de ter casado com um mexicano que a abandonou porque, diz ele, ela não soube ser uma «boa mulher». Jorge partiu sem outras explicações, não sem antes lhe ter dado uma lanterna nova – objeto de extrema utilidade num lugar onde as noites são de escuridão total.
Esta é a história de Irma Voth: pouco mais do que adolescente, criada numa comunidade menonita do Canadá e, depois, nas montanhas da Sierra Madre. Vive numa casa abandonada e vê a mãe e as irmãs às escondidas do pai.
Um dia, uma equipa de filmagens instala-se na vizinhança para rodar um filme sobre as comunidades amish e menonita – e Irma é convidada a trabalhar com o grupo na qualidade de intérprete da protagonista, uma atriz alemã. Este contacto irá despertar em Irma a consciência de si mesma e libertá-la da solidão e do silêncio que tinham dominado a sua vida. É então que parte para a Cidade do México em busca de uma nova identidade. De uma vida totalmente inesperada.



Sobre a autora:
Miriam Toews nasceu no Canadá e, à semelhança da protagonista deste romance, cresceu numa comunidade menonita. Toews é jornalista e autora premiada de vários livros de ficção (e não ficção) em que tem explorado o universo das suas origens: A Complicated Kindness, The Flying Troutmans, Swing Low: a Life, por exemplo. A breve incursão que fez no cinema, no filme Luz Silenciosa do mexicano Carlos Reygadas, um filme sobre o choque cultural entre uma equipa de filmagens vanguardista e uma comunidade rural anabatista e em que Toews desempenhou um dos papéis principais femininos – experiência que inspirou Irma Voth –, foi assinalada com a nomeação para melhor atriz dos prémios Ariel. Miriam Toews vive atualmente em Toronto.