sexta-feira, 15 de março de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

"Um Chá, Torradas e Yôga" de Bruno Reis - Dia 19 de março, 18h30 - Espaço do Autor, Bertrand do Chiado

Diga lá que o seu dia-a-dia não é uma correria, o telemóvel não para de tocar, o trânsito é infernal, a rotina casa-trabalho não lhe dá tempo para pensar em si... E quando alguém lhe fala de yôga o seu primeiro pensamento é: «tenho lá tempo para estar em posição de lótus, toda torta, com a cabeça nos pés, ou a fazer saudações ao sol!»

Com este livro vai perceber que o yôga pode fazer parte do seu quotidiano e preencher o seu dia com bem-estar, foco e energia. O convite do professor de yoga Bruno Reis é simples: Ao acordar espreguice-se, devolvendo força e vitalidade aos músculos do seu corpo. No banho faça expirações rápidas e sucessivas. Ao vestir-se treine o equilíbrio e alongue o corpo. Entre o chá e as torradas da manhã, respire de forma a tranquilizar a mente e a revitalizar o corpo. Se sentir o stress acumular, faça alguns exercícios que aliviam as tensões musculares, corrigem a postura e fortalecem a musculatura, tudo sentado à sua secretária. 

Se tem de um prazo para cumprir e não consegue ser produtivo, aprenda técnicas de concentração que vão produzir os resultados desejados. No tempo perdido da viagem de elevador aproveite para treinar o equilíbrio. Conheça os alimentos mais saudáveis e formas de desintoxicar o corpo. Aprenda ainda a ter maior prazer no seu relacionamento sexual e à noite ao deitar aproveite para meditar e assim conseguir uma noite de sono bem dormida. Ao longo destas páginas, encontra mais de 100 exercícios simples, amplamente ilustrados e explicados passo a passo, que vão fazer toda a diferença no seu dia a dia, desde que acorda até que se deita. 


Sobre o autor:
Bruno Reis Instrutor de Yôga há 10 anos, toda a abordagem que desenvolve assenta na premissa de adaptar as técnicas orientais ao estilo de vida ocidental. Sem filosofias ou teorias demasiado complexas, o seu trabalho consiste em proporcionar a quem o procura ferramentas eficazes para gerir o stress, descontrair, melhorar a concentração e, acima de tudo, alcançar bem-estar. O auto-conhecimento virá mais tarde. Em 2003 formou-se em Yôga, em Lisboa, tendo aprendido esta arte com os melhores professores da Universidade de Yôga, onde também deu aulas práticas durante 6 anos, tendo assistido à formação de outros instrutores e organizado vários eventos na área. Em 2009 começa o seu próprio projeto e dedica-se em exclusivo ao Yôga Personal Training ao domicílio. Paralelamente, surge a oportunidade de dar aulas em empresas, em grupo, mas também com o formato de pequenas intervenções de 15 minutos. É ele quem está no aeroporto, pronto para receber os passageiros que queiram descontrair antes de levantar voo. Em 2013, na Tapada da Ajuda, organiza o “Não é na Índia, é em Lisboa”, o primeiro retiro urbano na capital... e quiçá, no mundo!...

Lançamento do livro A Fada Íris

A Papiro Editora, a Livraria Leya Barata e a autora Cláudia Vieira têm o prazer de convidar V. Exa. a estar presente no lançamento de A Fada Íris, que terá lugar dia 16 de março pelas 17 horas na livraria Leya Barata, em Lisboa

Gente Gira - Luísa Ducla Soares [Opinião]

Título: Gente Gira
Autores: Luísa Ducla Soares / Pedro Leitão
Coleção: Álbuns
Pág.: 32, a cores
P.V.P.: 9,52 €

Três divertidas histórias bem ao estilo inconfundível de Luísa Ducla Soares - "A Menina Verde", "O Homem das Barbas" e "O Sr. Pouca Sorte" - reunidas num livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura, aqui na 3ª edição já com a grafia atualizada segundo as normas do Novo Acordo Ortográfico.
As ilustrações são de Pedro Leitão, tratando-se esta de uma prolífera dupla no panorama da literatura infantil em Portugal, com mais quatro livros publicados com sucesso pela Livros Horizonte: Todos no Sofá, Arca de Noé, O Maluquinho da Bola e Doutor Lauro e o Dinossauro.

A minha opinião:
Desde que fui mãe, a minha curiosidade por livros infantis aumentou. Aumentou porque nunca deixei de gostar das histórias para os mais novos. Estas têm o condão para nos levar mais longe, onde o nosso imaginário quiser ir. Normalmente para locais encantados, onde tudo é permitido.
Com este livro Luísa Ducla Soares dá a conhecer três histórias engraçadíssimas de gente peculiar. A primeira conta a história de uma menina verde, que nasceu assim sem ninguém saber porquê. Confundia-se com a paisagem pela qual ia passando, mas era uma menina feliz, apesar da diferença.
A segunda é sobre um homem com umas enormes barbas. Nunca as cortou e utilizava-as como se doutro braço se tratasse. Fazia tudo com elas, desde limpar chaminés, a salvar pessoas e a neta gostava delas para saltar à corda. A ultima história, e para mim a mais engraçada é sobre um homem que acha que nunca tem sorte nenhuma. Retratando um facto: nunca estamos contentes com aquilo que temos. Ou é porque tem muitos carros, mas não tem carta, ou porque lhe rebentava um cano e o senhoria não lhe pagava o conserto por ser ele o dono da casa, ou então porque queria abrir um poço no quintal para extrair água e dele saía petróleo.
Em suma, três histórias muito engraçadas para contar aos mais novos.
quinta-feira, 14 de março de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

A autobiografia de Sveva chega a 25 de Março com a Porto Editora

Título: O Diabo e a Gemada
Autor:
Sveva Casati Modignani
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 168 

Tradução: Regina Valente
Editor: Porto Editora
PVP: 13,30€




É uma das autoras mais queridas das leitoras portuguesas e uma das que mais livros vendem. Os seus romances atingem sempre os primeiros lugares dos principais tops de vendas nacionais. Mas o que se sabe da vida e da infância de Sveva Casati Modignani? O Diabo e a Gemada, o primeiro livro autobiográfico da escritora italiana, é uma obra que nenhuma fã vai querer perder. Chega às livrarias a 25 de março.
Obras como Baunilha e Chocolate e Um Dia Naquele Inverno fizeram de Sveva um caso ímpar de popularidade e fidelidade por parte das leitoras. A Porto Editora já publicou oito dos seus romances e prepara-se, agora, para lançar um título de não ficção que serve, no fundo, de complemento fundamental a toda a obra ficcional da autora.
O Diabo e a Gemada é também um documento de valor histórico, com um olhar atento sobre as pessoas, os sabores e os costumes.
Sinopse:
Em 1943, Milão está sob as bombas dos Aliados, e nas proximidades da via Padova, uma criança extraordinariamente curiosa, inicia a sua aprendizagem de vida. Chama-se Sveva e tem 5 anos. É este o contexto de O Diabo e a Gemada, um relato autobiográfico em que a autora percorre os anos da Segunda Guerra Mundial, que se desenrolam entre a casa de família em Milão e uma quinta, nos arrozais de Trezzano sul Naviglio, na Lombardia. A comida é o fio condutor que atravessa os episódios deste relato, em que se entrelaçam memórias e emoções, sabores e receitas e cujos acontecimentos estão sempre ligados à elaboração de um prato ou a uma refeição partilhada.

Com uma descrição cuidada e rigorosa de pessoas, sabores e costumes, Sveva Casati Modignani devolve-nos um mundo, não tão longínquo, mas do qual estamos a perder a memória. 


Sobre a autora: 
Reconhecida como a grande signora do bestseller italiano, com mais de 11 milhões de exemplares vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular, Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia, O Esplendor da Vida, A Siciliana, Mister Gregory, A Viela da Duquesa e Um Dia Naquele Inverno.

Excerto da obra:
Neste relato de 13 episódios, que percorrem os anos da Segunda Guerra Mundial, a comida é o fio condutor que entrelaça memórias e emoções com sabores e receitas. Primeiras páginas disponíveis aqui.

Francisco José Viegas de regresso: Novo livro do autor e reedição de um dos seus romances mais conhecidos chegam às livrarias a 25 de março

Título: O Colecionador de Erva
Autor:
Francisco José Viegas
Págs: 250
PVP: 15,50 €

O Colecionador de Erva é o título do aguardado novo romance de Francisco José Viegas e chega às livrarias no dia 25 de março, na companhia de Longe de Manaus, vencedor do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005, agora numa edição da Porto Editora.
O novo livro do autor é protagonizado pelo incomparável inspetor Jaime Ramos e a ação passa pelos quatro cantos do mundo, onde residem personagens peculiares como o próprio colecionador de marijuana. O Colecionador de Erva vai ser apresentado por Pedro Marques Lopes no dia 26 de março, às 18:30, na livraria Bertrand do Chiado. Seguir-se-ão outras sessões de apresentação noutras cidades do país.
 

Sobre o autor:
Francisco José Viegas nasceu em 1962. Professor, jornalista e editor, foi também diretor das revistas Ler e Grande Reportagem – e da Casa Fernando Pessoa. De 28 de junho de 2011 a 25 de outubro de 2012 exerceu o cargo de Secretário de Estado da Cultura do XIX Governo Constitucional. Colaborou em vários jornais e revistas, e foi autor de vários programas na rádio (Antena Um) e televisão (Livro Aberto, Escrita em Dia, Ler para Crer, Primeira Página, Avenida Brasil, Prazeres, Um Café no Majestic, Nada de Cultura). Da sua obra destacam-se livros de poesia (Metade da Vida, O Puro e o Impuro, Se Me Comovesse o Amor) e os romances Regresso por um Rio, Morte no Estádio, As Duas Águas do Mar, Um Céu Demasiado Azul, Um Crime na Exposição, Lourenço Marques, Longe de Manaus (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005) e O Mar em Casablanca. Os seus livros estão publicados na Itália, Alemanha, Brasil, França e República Checa.

Sobre O Colecionador de Erva
Jaime Ramos, o investigador protagonista dos livros de Francisco José Viegas, vê-se a braços com duas investigações paralelas: a do assassínio de dois imigrantes russos (antigos militares soviéticos), cujos corpos são encontrados no interior de um carro semicarbonizado, nos arredores do Porto – e o desaparecimento de uma jovem de vinte anos, oriunda de uma família tradicional do Minho. Se uma das investigações o transporta às suas memórias de militante comunista e a uma velha paixão pela literatura russa, a outra leva-o a um mundo onde coabitam velhas famílias do Minho ou do Porto, sexo, marijuana, espionagem a políticos, venda de armas, negócios em Angola e as memórias de um país que vive entre ruínas (as do império e as das fortunas recentes e antigas), corrupção e luta pelo poder – e que guarda os seus loucos nos armários, para não parecer mal.
Com capítulos perdidos nos quatro cantos do mundo (entre Portugal, Rússia, Angola, Brasil ou Cabo Verde) O Colecionador de Erva funciona como uma montagem cinematográfica sem princípio, meio ou fim – onde vários crimes são cometidos sem nexo aparente, onde personagens aparecem e desaparecem sem justificação, e onde a solução nunca está à vista senão apelando à nossa imaginação, como num road movie.


Imprensa:
Contam-se pelos dedos (de uma mão?) os anti-heróis da ficção portuguesa que perduram, ganhando substância na memória dos leitores. Um desses anti-heróis é Jaime Ramos, personagem criado por Francisco José Viegas.- Visão
Viegas reinventa um género (o policial), e, acima de tudo, faz uma notável biografia de Portugal. Expresso



Lançamento de «Diário da Queda», de Michel Laub. Apresentação de Pedro Mexia


As Esganadas - Jô Soares [Opinião]

Título: As Esganadas
Autor:
Jô Soares
N.º de Páginas: 264

Rio de Janeiro, 1938. Um perigoso assassino anda à solta nas ruas. O alvo: mulheres jovens, bonitas e gordas. A arma: irresistíveis doces portugueses. Para investigar os crimes, o famigerado chefe de polícia Filinto Müller designa uma trupe hilariante: um delegado sempre rabugento, assessorado por um auxiliar obtuso e medroso, e que contará com a ajuda de um ex-inspetor lusitano muito bem relacionado. Os três serão também acompanhados por uma repórter e fotógrafa corajosa e dinâmica, interessada em cobrir o caso para a imprensa. Com a verve que lhe é característica, Jô Soares consegue neste romance realizar a façanha de narrar uma série de crimes brutais e deixar o leitor com um sorriso satisfeito nos lábios.


A minha opinião:


Mais uma vez fiquei rendida à escrita de Jô Soares. Desde que peguei para ler Assassinatos na Academia Brasileira de Letras que tive de comprar os outros dois livros do autor à venda em Portugal. Portanto, quando tive oportunidade de ler As Esganadas não consegui resistir e li-o logo que pude.

Num Rio de Janeiro de 1938 repleto de eventos culturais muito diversificados, desde ópera até teatro de revista portuguesa um assassino anda à solta. Um misterioso caso que leva a que a polícia brasileira tenha um ajudante à altura: um ex-polícia português que se estabeleceu no Brasil após ter sido demitido da polícia lusa por se ter envolvido na falcatrua realizada entre o mago inglês Aleister Crowley e o poeta Fernando Pessoa (poeta de eleição de Jô).

Desde o início que sabemos a identidade do assassino, mostrando de uma perspectiva diferente o modus operandi e dos motivos que o levam a matar apenas mulheres e gordas...

A ironia é uma constante, assim como a clara necessidade de Jô em colocar a trama num contexto histórico que, apesar de não ser completamente relevante para a narrativa, é interessante no aspecto cultural.

O facto de o principal investigador ser português, Tobias Esteves, e dos assassinatos serem executados sob o aspecto de esganamento por afrontamento de comida portuguesa faz com que ainda me prendesse mais ao livro.

É certo que gostei mais dos outros, mas gosto do sentido crítico de Jô, das comparações Portugal-Brasil, da época retratada, do facto do assassino ter uma predilecção por gordas...

A Filha do Papa - Luís Miguel Rocha [Opinião]

Título: A Filha do Papa
Autor:
Luís Miguel RochaPágs.: 432
Capa: mole com badanasPVP: 17,70 €
Será o antissemitismo a verdadeira razão para o Papa Pio XII não ter sido beatificado?

Quando Niklas, um jovem padre, é raptado, ninguém imagina que esse acontecimento é apenas o início de uma grande conspiração que tem como objetivo acabar com um dos segredos mais bem guardados do Vaticano a filha do Papa Pio XII.

Rafael, um agente da Santa Sé fiel à sua Igreja e à sua fé, tem como missão descobrir quem se esconde por detrás de todos os crimes que se sucedem e evitar a todo o custo que algo aconteça à filha do Papa.

Conseguirá Rafael ser uma vez mais bem-sucedido? Ou desta vez a Igreja Católica não será poupada?

A minha opinião: 
Luís Miguel Rocha regressa com mais um excelente livro numa altura em que a eleição do novo Papa está na ordem do dia. 
Não podia ser mais pertinente avançar para a leitura de A Filha do Papa, e aprender um pouco mais da vida do Papa Pio XII que, muito provavelmente, foi bastante injustiçado, erroneamente apelidado de anti-semitismo. Ao longo do livro, e também no final, o autor esclarece, com uma breve nota sobre o Papa que este não foi amigo de Hitler, tendo inclusive como melhor amigo de infância um judeu. Refere ainda que Pio XII mandou falsificar certidões de batismo para salvar milhões de judeus, qual Aristides de Sousa Mendes, e enviou 55 protestos formais ao Governo de Hitler. 
Poderão ser estes boatos suficientes para a não canonização de Pio XII ou um outro segredo religiosamente escondido terá mais força para a não canonização?

Com mestria Luís Miguel Rocha além de um thriller, escreveu um romance de amor entre Pio XII e Pasqualina, uma madre que detinha imenso poder sobre o Vaticano, tendo sido a única mulher, em dois mil anos, a ter presenciado um conclave. Uma relação de mais de quarenta anos e da qual resultou uma filha.

Sarah, a jornalista britânica e o Padre Rafael estão novamente presentes nesta aventura dentro do Vaticano, assim como do enigmático JC. O misterioso Rafael oculta ainda um segredo que vai ser surpreendente e muito semelhante ao do Papa... 


Quem gosta de histórias sobre Papas e o Vaticano não pode deixar de ler os livros de Luís Miguel Rocha. Desde os mistérios por detrás da crucificação de Jesus Cristo em A Mentira Sagrada, até à estranha morte do Papa João Paulo I n' O Último Papa, passando pela tentativa de assassinato de João Paulo II na praça do Vaticano em 1981 com o livro Bala Santa, terminando com A Virgem, um livro que o autor escreveu quando tinha 16 anos, este é dos livros que mais gostei do autor.E de certeza que será um sucesso tal a curiosidade dos portugueses por esta história misteriosa. Enquanto o estive a ler foram muitos os clientes que me questioram sobre o livro.
Luís Miguel Rocha é dos meus autores de eleição. 

Excertos:
"Quando os homens já não crêem em Deus, isso não se deve ao facto de já não acreditarem em mais nada, mas sim ao facto de acreditarem em tudo."

"Não faças planos para a vida para não estragares os planos que a vida fez para ti." 

Se ficou curioso pode ler mais aqui:








 

quarta-feira, 13 de março de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora acaba de editar um conjunto de quatro livros, que ensinam Inglês a crianças dos 6 aos 10 anos.

Coleção: Aprende Inglês com a Disney
Págs.:
48
Capa:
mole
PVP:
8,80 €


A Porto Editora acaba de editar um conjunto de quatro livros, que ensinam Inglês a crianças dos 6 aos 10 anos. A grande particularidade destas obras reside no facto de serem protagonizadas por personagens famosas da Disney Pixar, como Ratatui ou os brinquedos de Toy Story, selecionadas tendo em conta a faixa etária a que se destinam os livros.
A coleção Aprende Inglês com a Disney tem a chancela da The Walt Disney Company e os títulos que a compõem permitem às crianças aprender, relembrar e praticar a língua inglesa através de atividades lúdicas e didáticas.
Aprende Inglês com Ratatui destina-se a crianças de 6/7 anos; Aprende Inglês com Toy Story, a crianças de 7/8 anos; Aprende Inglês com Monstros e Companhia é dirigido a crianças de 8/9 anos e Aprende Inglês com os Super-Heróis foi pensado para crianças de 9/10 anos.
Os conteúdos destes livros seguem as Orientações Programáticas do Programa de Generalização do Ensino do Inglês no 1.° Ciclo do Ensino Básico.

Novidade Matéria-Prima: Heróis de Quatro Patas de John McShane

Título: Heróis de Quatro Patas 
Autor: John McShane
Testemunhos
Número de páginas: 272
PVP: € 15,80


O Livro:
Conheça dezenas de histórias verdadeiras que celebram o amor e amizade que os cães sentem por nós.
São os cães mais corajosos do mundo. Os nossos heróis de quatro patas.
Atravessam-se à frente de balas dirigidas aos donos, salvam-nos de incêndios e são capazes de percorrer quilómetros de neve, em sofrimento, para levar medicamentos a quem mais precisa.
Em Heróis de Quatro Patas surgem histórias comoventes de alguns desses pequenos grandes benfeitores que, a todo o custo, tentaram e conseguiram proteger os seus donos. É o caso de Roselle, um Labrador, que deixou o seu dono cego a salvo da carnificina do 11 de Setembro; ou de Balto e Togo, dois dos Huskies que atravessaram mais de mil quilómetros de neve para levarem medicamentos a uma cidade isolada no Alaska onde grassava uma epidemia mortal.
Qualquer um dos cães aqui retratado conquistou o direito de ser tratado como «o melhor amigo do homem».


Sobre o autor:
John McShane é um jornalista e autor britânico. Casado e com três filhos, é um apaixonado por cães. Além deste livro, publicou mais de uma dezena de títulos, desde policiais a biografias, entre eles: Didier Drogba: Portrait of a Hero, Heath Ledger: His Beautiful Lifeand Mysterious Death, e Susan Boyle: Living the Dream.

Apresentação da biografia "Mário Soares. Uma Vida" de Joaquim Vieira, pelo Prof. Doutor Diogo Freitas de Amaral. Dia 18 de março, 18h30, Fnac do Chiado


Depois de ter editado, com grande sucesso, em 2011, O Caderno de Maya, a Porto Editora dá início, em 2013, à publicação das obras mais marcantes de Isabel Allende.

Depois de ter editado, com grande sucesso, em 2011, O Caderno de Maya, a Porto Editora dá início, em 2013, à publicação das obras mais marcantes de Isabel Allende. Chegam às livrarias, a 18 de março, êxitos como A casa dos espíritos, Eva Luna e Paula.
 Para além das novas edições dos três títulos mais marcantes da autora – A casa dos espíritos, a obra que a revelou internacionalmente, Eva Luna, romance de consagração, e Paula, o livro mais intenso e intimista –, a Porto Editora reedita ainda A ilha debaixo do mar, sucesso recente em Portugal.
Isabel Allende integra o lote de escritores mais populares do mundo, com perto de 60 milhões de livros vendidos.



Sobre a autora:
Isabel Allende nasceu em 1942 no Peru. Viveu no Chile entre 1945 e 1975, com largos períodos de residência noutros locais, na Venezuela até 1988 e, desde então, na Califórnia. Em 1982, o seu primeiro romance, A Casa dos Espíritos, converteu-se num dos títulos míticos da literatura latino-americana. Seguiram-se muitos outros, todos êxitos internacionais. A sua obra está traduzida em trinta e cinco línguas.
Recentemente, foi galardoada com o Prémio Nacional de Literatura do Chile.






Título: A casa dos espíritos
Autor:
Isabel Allende
Tradução: Cristina Paixão
Págs.: 408 

Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €


A Casa dos espíritos relata a saga familiar dos Trueba, desde o início do século XX até aos nossos dias. O despótico patriarca Esteban Trueba construiu com mão de ferro um império que entra em declínio com o passar do tempo e no meio de um contexto social explosivo. Envolvidas em dramáticas relações familiares, as personagens deste poderoso romance encarnam as tensões sociais, políticas e espirituais de uma época que abarca grande parte do século.
Esta obra foi adaptada com enorme sucesso ao cinema, num filme protagonizado por Jeremy Irons, Meryl Streep e Antonio Banderas. 






Título: Eva Luna
Autor:
Isabel Allende
Tradução: Cristina Paixão
Págs.: 272

Capa: mole com badanas
PVP: 15,50 €


Em Eva Luna, Isabel Allende recupera o seu país através da memória e da imaginação. Eva, a cativante protagonista da narrativa, constitui um nostálgico alter ego da autora, pois também ela acredita que radica nas histórias o segredo da vida e do mundo. Filha da selva, do analfabetismo e da pobreza, Eva luta tenazmente por conquistar o seu espaço no mundo, sem nunca perder o encanto feminino. Nesta obra, marcada por um profundo humanismo, Isabel Allende consegue fundir o destino individual com o coletivo através de uma fulgurante prosa, confirmando-se como uma das maiores escritoras dos nossos tempos.




Título: Paula
Autor:
Isabel Allende
Tradução: Ângela Barroqueiro
Págs.: 336 

Capa: mole com badanas
PVP: 17,70 €


Paula, com um forte cunho autobiográfico, é uma das obras mais intensas de Isabel Allende, que nos faz revisitar o universo mágico dos seus primeiros romances. Paula, a filha da escritora, adoeceu gravemente, entrando pouco tempo depois em coma. Durante meses no hospital, a autora começou a escrever a história da família para a filha, que permanecia inconsciente. Nesse relato somos levados a conhecer os segredos e recordações mais íntimos do seu passado e do seu país natal, o Chile, ao mesmo tempo que assistimos às sucessivas tentativas de contrariar e, por fim, aceitar a partida iminente de um ente querido. Escrita como uma catarse face à irreversível doença, Paula é uma enorme lição de vida, ao mesmo tempo que nos permite conhecer um pouco melhor o mundo fantástico de A casa dos espíritos e Eva Luna e concluir que as suas personagens pertencem, na verdade, ao mundo fantástico de Isabel Allende: a sua realidade encantada. 



Título: A ilha debaixo do mar
Autor:
Isabel Allende
Tradução: Jorge Fallorca
Págs.: 512 

Capa: mole com badanas
PVP: 18,80 € 


Zarité foi vendida aos 9 anos a um rico fazendeiro de Saint-Domingue. No entanto, não conheceu o esgotamento das plantações de cana nem a asfixia e o sofrimento dos moinhos, porque foi sempre uma escrava doméstica. A sua bondade natural, força de espírito e noção de honra permitiram-lhe partilhar os segredos e a espiritualidade que ajudavam os seus, os escravos, a sobreviver, e conhecer as misérias dos amos, os brancos. Isabel Allende dá voz a uma mulher lutadora que singrará na vida, apesar das partidas do destino. Zarité é uma heroína que, contra todas as adversidades, conseguirá abrir caminho para alcançar a liberdade.


terça-feira, 12 de março de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora - Evento de lançamento de "A Filha do Papa", de Luís Miguel Rocha

A Filha do Papa, o novo thriller de Luís Miguel Rocha, o primeiro autor português a figurar no top do New York Times, está à venda desde ontem e é apresentado oficialmente no dia 17, às 17:00, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, no âmbito do ciclo literário Porto de Encontro. A sessão, conduzida pelo jornalista Sérgio Almeida, contará com a participação especial do animador de rádio Diogo Beja.

Na semana seguinte, a 23 de março, às 16:00, haverá apresentação em Lisboa, na Bertrand Chiado: a jornalista Ana Lourenço conduzirá uma conversa com o autor. 


Depois disso, Luís Miguel Rocha parte para uma digressão nacional de apresentação do novo livro, que tem já mais de sessenta eventos agendados.

Elogiado por dois dos principais escritores portugueses da atualidade, José Rentes de Carvalho e Valter Hugo Mãe, A Filha do Papa está a dar que falar na generalidade da comunicação social nacional. A obra que sucede ao êxito A Mentira Sagrada, publicado pela Porto Editora em 2011, centra-se na figura de Pio XII e lança uma pergunta: terá sido o antissemitismo a verdadeira razão da não beatificação do Papa?

Esfera dos Livros: A comunidade Neocatecumenal. "O kerigma" por Kiko Argüello

Neste primeiro livro Kiko Argüello dá-nos a conhecer a comunidade criada por si, que nasce nas barracas mais pobres da periferia de Madrid, mas que hoje está presente em 101 países dos cinco continentes, incluindo em Angola e Moçambique e claro Portugal.

Sinopse:
Diz São Paulo: «Deus quis salvar os crentes com a loucura da pregação (kerigma)» (1 Cor 2,21)
Poderíamos interrogar-nos sobre qual é a pregação que nos salva. O que é o kerigma?
Barraca do Kiko (Palomeras Altas, Madrid)

Kiko Argüello convencido de que Cristo está presente no sofrimento dos inocentes, em 1964 vai viver entre os mais pobres, nas barracas do bairro de Palomeras Altas, na periferia de Madrid. Mais tarde, conhece Carmen Hernández. Levados pelo ambiente de pobreza em que se moviam, vêem-se forçados a encontrar uma forma de pregação, uma síntese kerigmático-catequética, que dá lugar à formação de uma pequena comunidade cristã. Nasce assim, entre os mais pobres, a primeira comunidade Neocatecumenal, onde se torna visível o amor de Cristo Crucificado, e que se converte em «semente» que, graças ao então arcebispo de Madrid, monsenhor Casimiro Morcillo, é semeada nas paróquias de Madrid e, mais tarde, nas de Roma e de outras cidades de todo o mundo. Pouco a pouco vai-se formando um Caminho de iniciação cristã para adultos, que revela e recupera a riqueza do baptismo. Kiko Argüello, Carmen Hernández e o sacerdote italiano Mário Pezzi são hoje os responsáveis, a nível mundial, pelo Caminho Neocatecumenal, já presente em mais de cem países dos cinco continentes.                                                                                       

Sobre o autor:
Francisco José Gómez-Argüello Wirtz nasce em León (Espanha) a 9 de Janeiro de 1939. Estuda Belas-Artes na Academia de San Fernando, em Madrid, onde obtém o título de Professor de Pintura e Desenho. Em 1959 recebe o Prémio Nacional Extraordinário de Pintura. Após uma profunda crise existencial, produz-se nele uma forte conversão, que o leva a dedicar toda a sua vida a Cristo e à Igreja. Em 1960, com o escultor Coomontes e o vitralista Muñoz de Pablos, funda o grupo de investigação e desenvolvimento de Arte Sacra «Gremio 62» e representam Espanha na Exposição Universal de Arte Sacra em Royan (França).

O Golpe dos Traficantes, quarto livro da coleção infantojuvenil Duarte e Marta, da autoria de Maria Inês Almeida e Joaquim Vieira, acaba de chegar às livrarias


Título: O Golpe dos Traficantes
Autores:
Maria Inês Almeida e Joaquim Vieira
Coleção: Duarte e Marta
Págs.: 152
Capa: mole
PVP: 7,50 €

O Golpe dos Traficantes, quarto livro da coleção infantojuvenil Duarte e Marta, da autoria de Maria Inês Almeida e Joaquim Vieira, acaba de chegar às livrarias. Esta aventura, passada no Algarve, coloca os heróis em perseguição de um grupo de traficantes.
O realismo e a ligação à atualidade são, de resto, dois dos pontos fortes desta coleção. E os leitores têm correspondido. Joaquim Vieira considera que os livros, «com o espírito das aventuras de antigamente» pretendem «encontrar os impulsos das aventuras dos dias de hoje». Maria Inês Almeida, por seu turno, salienta que «os jovens não precisam das lições dos adultos, mas sim de encontrar as suas».
O Golpe dos Traficantes sucede a Mistério no Pavilhão de Portugal, Ameaça no Vale do Douro e O Caso da Aluna Desaparecida, publicados com sucesso em 2012.


O GOLPE DOS TRAFICANTES
Durante um passeio a uma ilha algarvia, o barco onde viajavam Duarte, Marta e alguns amigos é roubado por traficantes. Os dois jovens seguem uma pista para tentarem descobrir o paradeiro dos ladrões. Só que, no meio desta aventura, ficam cercados por gente com más intenções, e então tudo se vai complicar.



Sobre os autores:
Maria Inês Almeida é jornalista de formação e dedica-se atualmente à autoria de livros infantojuvenis. Os seus títulos Sabes onde é que os teus pais se conheceram? e Quando eu for… Grande figuraram na lista “100 livros para o futuro” apresentada por Portugal na Feira Internacional do Livro Infantil de Bolonha de 2012, e o segundo foi um dos três nomeados para o prémio do melhor livro infantojuvenil da Sociedade Portuguesa de Autores em 2011. Tem um filho, José, nascido em 2008.
Joaquim Vieira é jornalista, ensaísta e documentarista, foi membro da direção de vários órgãos de informação (Expresso, RTP, Grande Reportagem) e Provedor do Leitor do Público. Entre muitos outros livros, assinou a série em 10 volumes Portugal Século XX – Crónica em Imagens (Círculo de Leitores) e dirigiu, para a mesma editora, uma coleção de 18 fotobiografias (de que escreveu os volumes sobre Salazar, Marcelo Caetano, Almada Negreiros e Benoliel) e Crónica de
Ouro do Futebol Português (cinco volumes). Os seus mais recentes documentários intitularam-se Maior que o Pensamento (RTP1) e Os Mitos da República (RTP2). O seu trabalho foi reconhecido com diversos galardões. Tem dois filhos, nascidos em 1997 e 2004.

Sextante Editora lança novo livro de António Bagão Félix

Título: Trinta árvores em discurso directo
Autor:
António Bagão Félix
Págs.: 272
PVP: € 19,90


O interesse e entusiasmo de António Bagão Félix pela área da botânica, a investigação sobre árvores e a descoberta das características e especificidades de cada uma deram origem ao seu mais recente livro, Trinta árvores em discurso directo, que será publicado e apresentado no Dia da Árvore, 21 de março, o primeiro dia da Primavera. A sessão de apresentação realiza-se às 18:00 no Jardim Botânico da Universidade de Lisboa.
Trinta árvores em discurso directo é mais do que um guia, é um livro original e cuidadosamente ilustrado, em que se apresentam trinta das mais fascinantes e conhecidas árvores portuguesas, autobiografando-se e revelando factos curiosos das suas ligações à cultura e à arte. Este livro inclui ainda um glossário de nomenclatura botânica e um quadro das árvores protegidas em Portugal.


Sobre o livro:
«Este livro é um preito singelo de quem vê nas árvores um código universal de respeito pela vida e nelas encontra civilidade, paz, ágape, sensualidade. Escolhi trinta delas e convidei-as, com a minha ajuda, a apresentarem-se ao leitor. Com alforria, sem constrangimentos, cada uma delas descreve-se na forma, na essência e nas circunstâncias. E revela-se nas envolventes relativas à sua família botânica, mas igualmente em pinceladas da sua relação com a cultura popular, a arte nas suas diferentes expressões, a poesia e a literatura, as religiões e as tradições, a toponímia e a onomástica, a história e outras abordagens. Porque, afinal, a vida é tudo isto, mesmo para uma árvore.»


Sobre o autor:
António Bagão Félix nasceu em Ílhavo em 1948. Economista, é atualmente Professor Catedrático convidado na Universidade Lusíada. Ministro e Secretário de Estado em vários governos do Portugal democrático nas áreas das Finanças, da Segurança Social, do Trabalho e do Emprego. Desempenhou também múltiplos cargos em instituições, tendo sido, nomeadamente, vice-governador do Banco de Portugal, administrador nas áreas da banca e dos seguros, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz e membro de órgãos sociais de várias instituições de solidariedade social. É atualmente membro do Conselho de Estado. Tem publicados muitos trabalhos e reflexões de âmbito técnico, profissional e religioso e é também autor de Do lado de cá, ao deus-dará, editado em 2002 pela editora Sopa de Letras, e de O cacto e a rosa, em 2008, na Sextante Editora.



Passatempo Frederico Garcia ou Existência Inacabada

Frederico Garcia ou Existência Inacabada conta a história de três amigos da província, das suas vidas, dos seus percursos distintos e fundamentalmente de três naturezas divergentes. Através dos olhos de Frederico podemos avaliar várias formas de percepcionar a existência de cada um, as suas tristezas, alegrias, objectivos, segredos, sonhos e vícios secretos.
A obra pretende ser uma experiência libertadora, pretende mostrar ao leitor que não está amarrado a absolutamente nada, que é dono das suas acções, dos seus mais íntimos devaneios, das suas ideais mais dementes.
Desejo a todos uma autonomia de espírito tão magnífica quanto a do jovem Frederico.



O blogue Marcador de Livros, graças à gentileza de Paulo Lima, do blogue Clube dos Livros tem para oferecer 1 exemplar do livro J. M. Coutinha, Frederico Garcia ou Existência Inacabada
 
Regras do Passatempo:
- O passatempo decorre até às 23:59 do dia 19 de Março.
- Para participarem terão de responder acertadamente às duas perguntas presentes no formulário abaixo.
- O premiado será sorteado aleatoriamente e o seu nome será publicado neste blogue e o mesmo será avisado por email.
- Só serão permitidas participações a residentes em Portugal e apenas uma por participante e residência.



Passatempo terminado

Projecto Adamastor

Para quem é fã de livros digitais, o Projecto Adamastor, através da criação de uma biblioteca digital de obras literárias em domínio público, obras essas que serão disponibilizadas de forma gratuita e em formato EPUB, sem qualquer tipo de restrição, é o ideal. 
Aqui poderão ter acesso a vários livros, em formato digital, sobretudo clássicos, que pertencem ao domínio público, portanto, completamente legais. 

Pode saber mais aqui: http://projectoadamastor.org/

Apresentação do livro " O Pai Mais Horrível do Mundo" de João Miguel Tavares e João Fazenda. Dia 16 de março, às 17h, na Fnac do Chiado


TOPSELLER: Segundo volume da série bestseller "Maximum Ride" já nas livrarias


«Um livro de ação constante, repleto de suspense e excitação, que deixa o leitor sem fôlego» Kirkus Review

«Passaram 24 horas desde que Max e o seu bando escaparam do Instituto, em Nova Iorque. Os seis amigos com poderes extraordinários - são 98% humanos e 2% pássaros -continuam a emocionante procura dos seus pais e da verdade sobre quem realmente são.
Embora perseguidos pelos medonhos Erasers, os seis amigos tentam levar uma vida normal, com a ajuda de uma agente do FBI. É assim que voltam a estudar e que Max se apaixona por um rapaz, tentando a todo o custo não desvendar os seus poderes…
Mas para este bando não existem dias normais. Max apercebe-se de que estão a ser alvo de uma emboscada e que terão de abandonar a escola. E a situação é ainda mais grave — ela e os cinco amigos devem, supostamente, salvar o mundo. Mas salvá-lo de quem? Quando? E como?»


Maximum Ride 2: Adeus à Escola. Aí está o n.º 2 da série bestseller internacional que, fruto das excelentes críticas realizadas ao primeiro volume lançado em novembro de 2012, acreditamos que já está a conquistar os leitores em Portugal.

O género Fantástico veio, definitivamente, para ficar, pois trata-se de um estilo que nos transporta para fora da nossa realidade, que nos faz sonhar. O sucesso de coleções como O Senhor dos Anéis, Harry Potter, Twilight, entre outras, são excelentes exemplos de como o Fantástico tem conquistado leitores de todas as idades. A série Maximum Ride, com oito volumes publicados, rendeu grandes elogios a James Patterson, o autor que criou mais personagens inesquecíveis do que qualquer outro escritor da atualidade.


Sobre o autor:
James Patterson é o autor que mais livros teve até hoje no topo da lista de bestsellers do New York Times, figurando no Guinness World Records. Desde que o seu primeiro romance venceu o Edgar Award, em 1977, os seus livros venderam mais de 250 milhões de exemplares. Patterson escreveu diversos bestsellers de grande êxito, entre os quais estão Alex Cross, editado igualmente pela Topseller, Middle School (Escola) e I Funny (Eu Cómico), estas duas editadas pela Booksmile (ambas chancelas da 20I20 Editora)

 
A grande aposta em James Patterson, o autor mais bem-sucedido da atualidade, manter-se-á ao longo de 2013, com um total de 10 títulos, dividos entre novas séries e continuação das já editadas.
Maximum Ride 1: Um grupo de seis jovens com poderes extraordinários está em FUGA. O seu líder é Maximum Ride, ou Max. Retirados dos seus pais à nascença, os seis estavam presos num laboratório secreto, onde foram alterados geneticamente para se tornarem 98% humanos e 2% pássaros. Agora eles conseguem voar e escaparam da sua prisão. Mas desconhecem as razões para tudo o que lhes foi feito, e não sabem quanto tempo de vida lhes resta. No seu encalce estão os Erasers, seres diabólicos criados no mesmo laboratório, que apanham Angel, a miúda mais nova e especial do grupo de Max. Conseguirá Max resgatar Angel e descobrir a verdade sobre si e os seus amigos?