sábado, 23 de março de 2013

Amuleto - Roberto Bolaño [Opinião]

Título: Amuleto
Autor:
Roberto Bolaño
Género: Romance
Tradução: Cristina Rodriguez e Artur Guerra
N.º de páginas: 144
PVP: 15,50 €

A voz arrebatadora de Auxilio Lacouture narra um crime atroz e longínquo, que só virá a ser desvelado nas últimas páginas deste romance – no qual, de resto, não escasseiam crimes, sejam eles os dos quotidiano, ou os da formação do gosto.
Uruguaia de meia-idade, alta e magra como Dom Quixote, Auxilio ficou escondida na casa de banho das mulheres, enquanto a polícia ocupava, de forma brutal, a Faculdade de Filosofia e Letras da Cidade do México, em 1968. Durante os dias que aí permaneceu, os lavabos converteram-se num túnel do tempo, que lhe permitiu rememorar os anos vividos no México e antever os que estavam por vir.
Neste exercício evoca a poeta Lilian Serpas, que foi para a cama com Che, e o seu desafortunado filho; os poetas espanhóis León Filipe e Pedro Garfias, a quem Auxilio serviu voluntariamente como empregada doméstica; a pintora catalã Remedios Varo e a sua legião de gatos; o rei dos homossexuais da colónia Guerrero e o seu reino de terror; Arturo Belano, uma das personagens centrais de Os Detetives Selvagens; e a derradeira imagem de um assassínio esquecido.


A minha opinião:
Este é a minha estreia em Roberto Bolaño e fiquei surpreendida com a qualidade da narrativa.

Neste pequeno livro Bolaño conta a história pelos cinco sentidos de Auxilio Lacouture, uma Uruguaia que vive no México e que ficou retida na casa de banho de Faculdade de Filosofia e Letras da Cidade do México, em 1968. Mas, contrariamente ao que pensava, a invasão do exército àquele local, não é o principal do livro, ou melhor, não é aqui tão bem explorado como estava à espera. O fundamental é a convivência desta mulher culta, de meia-idade, com os grandes nomes da cultura mexicana, como Lilian Serpas, poetisa e jornalista, dos poetas León Filipe e Pedro Garfias, entre outros.

Gostei de conhecer Auxilio Lacouture, a mãe de todos os poetas, naquela que é uma homenagem a todos os artistas mexicanos, ou que escolheram o México como país de acolhimento, quer seja para se refugiar contra um país opressor, como Espanha, quer para conviver com a cultura daquela época. 


Por diversos momentos transportei-me para o México de 68 e desejei conhecer e conviver com todos aqueles nomes, que viriam a ficar na história.

Novidade Asa para Abril: Morte na Aldeia de Caroline Graham

Título: Morte na Aldeia
Autor: Caroline Graham
Coleção: Crime à Hora do Chá
N.º de Páginas: 312
PVP: 13,90€

Sinopse:
Badger’s Drift é a típica aldeia inglesa onde todos se conhecem e, aparentemente, nada acontece. Tem um vigário, um médico desastrado, umas quantas figuras excêntricas e uma solteirona amorosa, famosa pelas suas bolachas caseiras. Mas quando a velhinha morre subitamente, a sua melhor amiga não se conforma. Ela sabe que aquela morte não foi natural. O inspector-chefe Barnaby e o incansável sargento Troy não têm alternativa senão investigar. E o lado sombrio da pitoresca aldeia começa lentamente a ser revelado. Perante velhos ressentimentos e novas rivalidades, ódios intensos e paixões dissimuladas, Barnaby está cada vez mais alarmado. Infelizmente, um segundo e hediondo crime vai confirmar as suas piores suspeitas.

Presença lança novo livro de Ken Follett a 2 de Abril

Título: Triplo
Autor:
Ken Follett
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 392
Editor: Editorial Presença

Sinopse:
No ano de 1968, Israel esteve por detrás do desaparecimento de 200 toneladas de urânio, material destinado a dotar o Egito da bomba atómica com a ajuda da União Soviética. Contudo nunca se conseguiu determinar como é que um carregamento daquele minério, suficiente para produzir 30 armas nucleares, desapareceu no mar alto sem deixar provas que comprometessem Israel. Follett pegou nesta enigmática ocorrência e criou a partir dela um thriller único, onde um suspense de alta voltagem se combina com factos históricos.
 

sexta-feira, 22 de março de 2013

Novidades ASA para Abril

Título: Nasci num Harém
Autor: Fatima Mernissi 
PVP: 16,90€ 
Nas livrarias as 12 Abril
 

”Nasci num harém em Fez, Marrocos…” assim começa a história de uma infância passada por detrás dos muros proibidos de um harém.

Com uma voz carregada de emoção e um exotismo comparável ao das “Mil e Uma Noites”, Fatima narra as suas memórias e os sonhos e fantasias das mulheres que a viram crescer. Mulheres a quem o mundo exterior era interdito e que usavam o puro poder da imaginação para o recriar. Por entre o inebriante aroma a incenso e a suavidade dos véus multicores, ela viveu uma infância exuberante e mágica, mas também isolada e com pouco ou nenhum contacto com a realidade.A sua timidez e docilidade eram uma fonte de preocupação para a sua mãe, uma mulher rebelde e inspiradora, que a instigava a sonhar mais alto e a ousar transpor os muros proibidos para ver o mundo com os seus próprios olhos.






Título: Menina Rica, Menina Pobre
Autor: Joanna Rees 
PVP: 16,90€
Nas livrarias as 30 Abril

Thea e Romy são duas lindas bebés cujo futuro é ditado por uma moeda atirada ao ar. Separadas e vendidas na calada da noite, os seus destinos não podiam ser mais diferentes. Thea é enviada para os Estados Unidos, onde a espera uma vida de privilégio e luxo. Romy é internada num violento e degradado orfanato na Alemanha de Leste. Embora vivam em continentes diferentes, os seus caminhos vão cruzar-se ao longo dos anos, sem que nenhuma conheça a identidade da outra. Mas os seus mundos acabarão por colidir um dia. Face a uma tragédia iminente, com tudo o que lhes é mais querido em jogo, elas têm apenas duas opções: destruírem-se mutuamente ou unirem-se, arriscando as próprias vidas, para descobrir a chocante verdade sobre o seu passado.

Das vielas decadentes de Londres aos arranha-céus de Nova Iorque, das montanhas geladas da Europa de Leste às exuberantes praias das Caraíbas, duas mulheres unidas pelo poder invisível dos laços de sangue constroem as suas vidas numa luta permanente contra a arbitrariedade do acaso.




Título: Amor & Enganos 
Autor: Julia Quinn
PVP: 16,90€ 
Nas livrarias as 19 Abril

Sophie Beckett tinha um plano ousado: fugir de casa para ir ao famoso baile de máscaras de Lady Bridgerton. Apesar de ser filha de um conde, ela viu todos os privilégios a que estava habituada serem-lhe negados pela madrasta, que a relegou para o papel de criada. Mas na noite da festa, a sorte está do seu lado. Sophie não só consegue infiltrar-se no baile como conhece o seu Príncipe Encantado. Depois de tanto infortúnio, ao rodopiar nos braços fortes do encantador Benedict Bridgerton, ela sente-se de novo como uma rainha. Infelizmente, todos os encantamentos têm um fim, e o seu tem hora marcada: a meia-noite.


Desde essa noite mágica, também Benedict se rendeu à paixão. O jovem ficou até imune aos encantos das outras mulheres, exceção feita… talvez… aos de uma certa criada, que ele galantemente salva de uma situação desagradável. Benedict tinha jurado tudo fazer para encontrar e casar com a misteriosa donzela do baile, mas esta criada arrebatadora fá-lo vacilar. Ele está perante a decisão mais importante da sua vida. Tem de escolher entre a realidade e o sonho, entre o que os seus olhos veem e o que o seu coração sente. Ou talvez não…




Novidade Clube do Autor: Ponto Pé de Flor de Clara Pinto Correia

Título: Ponto Pé de Flor
Autor:
Clara Pinto Correia
PVP: 14,50€
N.º de Páginas: 280


Sinopse:
Situado no universo confiante e criativo do Portugal dos anos 80, este livro abre-nos a porta para os segredos mais íntimos da vida privada das mulheres e fala, sobretudo, da amizade e lealdade entre as mulheres.
As personagens do Ponto Pé de Flor aprendem a noção insuspeitada do prazer, esperam-se, deitam-se juntas, livram-se de vergonhas, fantasiam revoltas contra a tradição e o desprezo masculino. E um dia percebem, através de um olhar desconhecido, de um gesto diferente, que tudo no mundo mudou.

A Lenda do Vento - Série A Torre Negra: o regresso de Stephen King, o mestre do terror e da fantasia

Título: A Lenda do Vento
Autor:
Stephen King

Género: Ficção
Tradutor: Rosa Amorim
N.º de páginas: 304
Data de lançamento: 15 de março
PVP: 16,60€


Do incontestado mestre do terror e da fantasia, Stephen King.
Em A Lenda do Vento, Stephen King transporta-nos ao Mundo Médio, o território espetacular da saga A Torre Negra.
Roland Deschain, Jake, Susannah, Eddie e Oy enfrentam uma terrível tempestade depois de atravessarem o rio Whye e são obrigados a procurar refúgio numa cidade há muito abandonada. Embalados pelo brilho das chamas e pelo uivo do vento, os quatro companheiros embarcam numa viagem ao passado do pistoleiro Roland Deschain. Uma viagem cativante e assustadora ao mundo de Roland e um testemunho do poder e da magia de Stephen King a contar histórias.
A série A Torre Negra (The Dark Tower Series) era composta por sete livros. Stephen King concluiu este trabalho há cerca de nove anos (começou em 82, terminou em 2004). Recentemente, acrescentou um título no meio da série, entre o quarto e o quinto livro. Um livro que não é sequencial, não tem implicações na narrativa que se segue, pelo que não é necessário que o leitor tenha lido os anteriores. Trata-se de uma história paralela, independente, mas dentro do universo da série. São dois episódios da vida do protagonista, desenvolvidos.
«Uma lenda fantasmagórica…A capacidade que King tem de nos entreter e desassossegar não pode ser negada. A mestria com que produz choque ou um terror gótico é absolutamente ímpar.» - Independent on Sunday


Sobre o autor:
Stephen King, apelidado por muitos de «mestre do terror», escreveu mais de quarenta livros, incluindo Carrie, A História de Lisey e Cell – Chamada para a Morte. Vencedor do prestigiado National Book Award e nomeado Grande Mestre nos prémios Edgar Allan Poe de 2007, conta hoje com mais de trezentos milhões de exemplares vendidos em cerca de trinta e cinco países. Números e um currículo impressionantes a fazerem jus ao seu estatuto de escritor mais bem pago do mundo.

Guerra & Paz: Mulheres preparem-se: vêm aí os conselhos de Cláudio Ramos!

Título: Valorize-se, Organize-se!
Autor:
Cláudio Ramos
N.º de Páginas:192 páginas a cores
PVP: 14,99 €
Nas livrarias a 21 de Março
Guerra e Paz|Clube do Livro SIC


«A felicidade pode estar na Valorização Pessoal? Pode, digo eu!» Cláudio Ramos

Sinopse:
Da casa à roupa, passando pela família e pelo trabalho, partilho consigo dicas, truques e, sobretudo, ensinamentos que reuni em mais de uma década a trabalhar lado a lado com a maior força da natureza, a que consegue superar tudo e vencer, a Mulher. Bem-vinda!

Ao fazer uma rubrica dedicada à mudança de visual e de estilo de vida, travei conhecimento com a realidade de centenas de mulheres portuguesas. Ouvindo-as sem preconceitos ou ideias feitas, percebi que a grande maioria tem tudo para alcançar sucesso pessoal e profissional, apenas não tem as ferramentas para lá chegar.
Foi por isso que resolvi partilhar consigo tudo o que tenho vindo a aprender ao longo de muitos anos a dar formação na área da Valorização Pessoal.
Em Valorize-se, Organize-se! a leitora vai encontrar um livro prático, que a ensina a adaptar os seus sonhos à realidade, sem que isso signifique perder brilho ou criatividade.
Um livro onde a realidade do dia-a-dia anda de mãos dadas com energia positiva. Um livro onde todas as soluções estão verdadeiramente ao seu alcance.
O pensamento positivo não lhe resolve a vida, mas pode ter a certeza que a organização diária a torna mais feliz. Sendo feliz, sente-se mais valorizada, e isso depende muito da forma como encara o dia. Porque feitas as contas, o tempo é o que se faz com ele.

Valorize-se, Organize-se! – O Livro de que Estava à Espera para Dar a Volta à Sua Vida
É um livro prático, um livro amigo e divertido que gostava que tivesse ao seu lado naquelas alturas em que achamos que o dia é curto ou então, o que também acontece, que é longo demais...
Não adianta sonhar em chegar à Lua se nos está a ser difícil atravessar a rua, não é? O primeiro passo é conseguir chegar ao outro lado. É isto que quero passar com este livro, que um passo de cada vez, pequeno que seja, uma actividade, um exercício e conseguimos fazer os nossos dias mais felizes e muito mais organizados.
O truque é adaptar o seu sonho à sua realidade. É olhar para estas páginas e perceber que não são um sonho, que se eu consigo isto, a leitora também consegue... é mulher, elas o sexo forte. Há muito que o mundo é delas!

Sobre o autor: 

Nasceu a 11 de Novembro de 1973, às sete da manhã, na sua casa de Luanda, de onde sairia com dois anos para se apaixonar para sempre pelo Alentejo e pelas suas gentes.
Comunicador nato, estreou-se em televisão no Noites Marcianas, na SIC.
Passou também pelo Canal 21 e pela TVI. Assinou várias rubricas e especiais televisivos, dos quais se destaca Cara Nova, um sucesso da SIC Mulher.
Actualmente, marca presença no Jornal Rosa, no Querida Júlia, e apresenta o Mundo dos Famosos, no Mais Mulher.
Colaborador regular da rádio e da imprensa escrita, escreve semanalmente na TV Mais e no JN e todos os dias no seu blogue, Eu, Cláudio. É autor de três romances e de um livro infantil.
Fundador da empresa Você Precisa de Nós!, Cláudio Ramos dá há vários anos formação na área da Valorização Pessoal, ajudando muitas portuguesas a mudarem de visual e de estilo de vida. Este livro é para todas elas, mulheres de garra que nunca desistem de lutar.


A Filha do Papa no n.º 1: Novo thriller de Luís Miguel Rocha lidera vendas e é apresentado este sábado

Ao fim de uma semana nas livrarias, A Filha do Papa, o novo thriller de Luís Miguel Rocha, tornou-se imediatamente o livro mais vendido em Portugal. A obra é apresentada amanhã, às 16 horas, na livraria Bertrand do Chiado, numa sessão conduzida pela jornalista da SIC Ana Lourenço.
O novo livro daquele que foi o primeiro autor português a figurar no top do New York Times já foi dado a conhecer no Porto, no âmbito do ciclo literário Porto de Encontro. Desde aí, Luís Miguel Rocha iniciou uma digressão nacional, que conta com mais de sessenta eventos agendados e que chega este sábado a Lisboa.
Elogiado por dois dos principais escritores portugueses da atualidade, José Rentes de Carvalho e Valter Hugo Mãe, A Filha do Papa sucede ao êxito A Mentira Sagrada, publicado pela Porto Editora em 2011. Centra-se na figura de Pio XII e lança uma pergunta: terá sido o antissemitismo a verdadeira razão da não beatificação do Papa?


Digressão A Filha do Papa – próximos eventos
Sexta-feira, 22/03 

18:30 - Coimbra – Bertrand Fórum Coimbra
21:00 - Coimbra – Bertrand Dolce Vita
Sábado, 23/03

16:00 - Lisboa – Bertrand Chiado
Domingo, 24/03

14:00 - Lisboa – Bertrand Colombo
17:00 - Lisboa – Bertrand Vasco da Gama
Terça-feira, 26/03

18:00 - Gaia – El Corte Inglés
Quinta-feira, 28/03

19:00 - Porto – Bertrand Dolce Vita Antas
Sexta-feira, 29/03 

13:00 - Lisboa – Bertrand Campo Pequeno
17:00 - Lisboa – Bertrand Monumental
19:00 - Loures – Bertrand
21:00- Lisboa – Bertrand Amoreiras
Sábado, 30/03 

14:00 - Almada – Bertrand Almada Fórum
17:00 - Seixal – Bertrand
21:00 - Montijo – Bertrand Fórum Montijo

Sophia de Mello Breyner será publicada pela Assírio & Alvim

O Grupo Porto Editora anuncia que a Assírio & Alvim vai publicar a obra poética de Sophia de Mello Breyner Andresen.
Vasco Teixeira, Diretor Editorial do Grupo Porto Editora, afirma que a possibilidade de se publicar a obra poética de Sophia de Mello Breyner Andresen na Assírio & Alvim estava a ser analisada há algum tempo e que este anúncio não podia acontecer em melhor data (Dia Mundial da Poesia). “Estamos particularmente satisfeitos com a concretização deste nosso desejo. A Assírio & Alvim é a casa ideal para dar a visibilidade que a obra poética da Sophia de Mello Breyner Andresen merece”, sublinha Vasco Teixeira.
Será ainda no decorrer de 2013 que serão publicadas pela Assírio & Alvim as primeiras obras de Sophia: Poesia (originalmente publicado em 1944); Coral de 1950); No Tempo Dividido (de 1954); e Mar Novo (de 1958).
De lembrar que, em outubro de 2012, a Porto Editora já tinha assegurado os direitos de edição da obra em prosa de Sophia de Mello Breyner Andresen.


Sobre a autora:
Sophia de Mello Breyner nasce a 6 de novembro 1919 no Porto, onde passa a infância. Entre 1936 e 1939 estuda Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publica os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia. Casada com Francisco Sousa Tavares, passa a viver em Lisboa. Tem cinco filhos. Participa ativamente na oposição ao Estado Novo e é eleita, depois do 25 de Abril, deputada à Assembleia Constituinte.
Autora de catorze livros de poesia, publicados entre 1944 e 1997, escreve também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. Traduz Eurípedes, Shakespeare, Claudel, Dante e, para o francês, alguns poetas portugueses.
Recebeu entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana. Foi a primeira vez que um português venceu este prestigiado galardão, que, para além do valor pecuniário de 42 070 euros, significa ainda a edição de uma antologia bilingue (português-castelhano), o que levará a autora a um vastíssimo público que cobre os países latino-americanos.
Com uma linguagem poética quase transparente e íntima, ao mesmo tempo ancorada nos antigos mitos clássicos, Sophia evoca nos seus versos os objetos, as coisas, os seres, os tempos, os mares, os dias. A sua obra, várias vezes premiada está traduzida em várias línguas.
Sophia de Mello Breyner Andresen faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa.

quinta-feira, 21 de março de 2013

Sextante Editora - Ficção - "Agosto" e 50 anos de vida literária de Rubem Fonseca

Título: Agosto
Autor
: Rubem Fonseca
Págs.: 320
PVP: € 16,60


Rubem Fonseca comemora, em 2013, os seus 50 anos de vida literária, pretexto ideal para a Sextante Editora publicar, no dia 1 de abril, Agosto, um dos seus romances mais emblemáticos.
Dentro de toda a obra romanesca de Rubem Fonseca, Agosto revela uma clara originalidade devido ao seu fundo histórico: a crise política que vai levar ao suicídio do governador brasileiro Getúlio Vargas, a 1 de agosto de 1954. É também de notar que o tempo do romance coincide com a vida profissional do autor enquanto inspetor da polícia criminal, o que levantará a curiosidade sobre a influência e dados autobiográficos que poderão estar presentes na trama.


Sobre o livro:
1 de agosto de 1954, Rio de Janeiro. Um empresário é assassinado, e na sede da Presidência federal planeia-se mais um crime. O atentado falhado contra o jornalista Carlos Lacerda e uma série de mortes violentas conduzirão ao suicídio de Getúlio Vargas, um dos grandes dramas da História do Brasil.
Uma das mais notáveis narrativas de Rubem Fonseca, Agosto segue a investigação do comissário Alberto Mattos – individualista impenitente, com uma úlcera de estômago e amores desencontrados – e deixa no ar a questão de saber em que medida a história de uma pessoa e de um país se determinam mutuamente.


Sobre o autor:
Contista, romancista, ensaísta, guionista e «cineasta frustrado», Rubem Fonseca só precisou de publicar dois ou três livros para ser consagrado como um dos mais originais prosadores brasileiros contemporâneos. Com as suas narrativas velozes e sofisticadamente cosmopolitas, cheias de violência, erotismo, irreverência e construídas em estilo contido, elíptico, cinematográfico, reinventou para a língua portuguesa uma literatura noir ao mesmo tempo clássica e pop, brutalista e subtil.
Em 2003, ganhou o Prémio Juan Rulfo e o Prémio Camões, o mais importante da língua portuguesa. Recebeu cinco vezes o Prémio Jabuti. Com várias das suas histórias adaptadas ao cinema, ao teatro e à televisão, Rubem Fonseca já publicou treze coletâneas de contos e mais de uma dezena de romances.
Do autor a Sextante publicou O seminarista, Bufo & Spallanzani, A grande arte, Axilas e outras histórias indecorosas e José.


Imprensa:
Invulgar romance no conjunto da obra ficcional de Rubem Fonseca, assim se pode definir Agosto, considerado por alguns críticos como um dos melhores livros brasileiros atuais e o melhor do seu autor. […] Agosto fascina com uma expressão mais comedida, com um estilo denso, objetivo e, em certos momentos, altamente irónico.
Petar Petrov, Colóquio Letras (abril – setembro 1994) Uma história política com a perseguição a Getúlio Vargas e o seu suicídio como pano de fundo. Um grande romance.
Francisco José Viegas

VOGAIS: Sabe o que vê e faz o seu filho quando usa a Internet?

Todos os dias se fazem novos avanços tecnológicos que alteram radicalmente o mundo em que vivemos e a forma como interagimos uns com os outros. Essas forças estão a mudar irremediavelmente o comércio, a educação e a sociedade, arrastando com elas as novas gerações – os nossos filhos.

A tecnologia veio para ficar e já se tornou uma parte integrante das vidas dos nossos filhos. Todos os dias, no mundo inteiro, há 84 milhões de menores de 17 anos online..

E é aqui que surge a grande questão: até que ponto estão os pais bem informados acerca desta nova geração tecnológica? Os média não se cansam de nos apresentar casos de cyberbullying, de sexualização precoce das crianças, de pedófilos predadores, e dos males das redes sociais.

Mas saberemos nós como é que os nossos filhos fazem uso dessa tecnologia? Mais importante ainda, estaremos nós a fazer o suficiente para os proteger?

O Seu Filho Está Seguro Online?, editado pela Vogais (chancela da 20I20 Editora), e à venda a partir de 21 de março (14,99€), é um guia fundamental sobre segurança online para toda a família. Inclui conselhos práticos para os pais minimizarem os riscos e assegurarem-se de que os filhos estão protegidos em quaisquer situação.

Pamela Whitby ensina os pais a controlar a utilização de redes sociais, salas de chat e mensagens instantâneas; Gerir a informação que os filhos veem e partilham online; Reconhecer e minimizar os efeitos do tempo passado online na saúde mental e na vida social dos filhos; Educar para que se protejam de cyberbullying e de todos os tipos de aliciamento.

Este é o guia essencial sobre segurança online que todos os pais atentos devem ter e ler.

Sobre a autora:
Pamela Whitby formou-se em advocacia e viajou pelo mundo antes de se dedicar a tempo inteiro ao jornalismo e à escrita. Após quase 15 anos de carreira jornalística, e tendo trabalhado essencialmente as áreas de Tecnologias de Informação e Comunicação e de Puericultura – BBC, Economist’s Intelligence Unit, UK Trade & Investment, escreveu este livro sobre segurança online de crianças e jovens destinado a pais e educadores, para despertar a atenção para este tema.

Pamela é mãe de duas crianças de 5 e 10 anos, especialista em segurança online, e está preocupada com o modo como a tecnologia constitui uma força de mudança na sociedade atual.

«Dei-me conta de que a única forma de abordar este tema complicado seria conversar diretamente com crianças. Comecei por entrevistar um grupo de jovens com 17 anos. Tinha o raciocínio notoriamente não científico de que se eles – os primeiros sobreviventes da chamada «geração ecrã-dependente » – aceitassem falar, saberiam melhor do que ninguém identificar as preocupações que os pais devem ter.

A filha adolescente de uma amiga aceitou reunir uns amigos, e assim, certa tarde, um grupo diversificado de jovens inteligentes e especialistas em Internet esteve a partilhar comigo os seus pontos de vista. Ao fim de três horas exaustivas e esclarecedoras (e por vezes chocantes), achei que já tinha ouvido – e visto – tudo. Contaram-me algumas histórias bastante assustadoras de cyberbullying levado ao extremo e de publicações no Facebook que deram para o torto. Juntos, entrámos no Chatroulette, um website que salta à vista, onde homens e mulheres – e até crianças, aparentemente sem supervisão, que dizem ter 12 anos – utilizam uma webcam e chat ao vivo, em muitos casos, para exibirem o corpo. (...)

Embora adorem visivelmente utilizar as tecnologias – e as suas vidas dependam dessa utilização –, estes adolescentes reconhecem que nem tudo são rosas. Então, quais seriam as principais dicas deles para os pais? A resposta que me deram pareceu-me por de mais sensata, para a idade deles.Conversem com os vossos filhos, mas, mais importante ainda, ouçam-nos. Deem-lhes liberdade, mas com alguns limites, e tenham cuidado com os vossos cartões de crédito.»
 


TOPSELLER: "Gula Perversa" - Cai na tentação... Não te livres do pecado...

Depois de Perseguição Escaldante, um policial viciante da série Stephanie Plum, a Topseller (chancela da 20I20 Editora) arranca com uma nova coleção da autora bestseller mundial, Janet Evanovich.

Gula Perversa é o primeiro volume da série Lizzy & Diesel, e já chegou às livrarias nacionais (16,49€).

Janet Evanovich, é a autora de policiais mais vendida em todo o mundo e a escritora mais bem-sucedida atualmente (fonte: Forbes), com mais de 75 milhões de livros vendidos em todo o mundo.

Os seus romances policiais, repletos de personagens caricatas e inesquecíveis, e recheados de intrigas complexas e cómicas, já criaram uma verdadeira legião de fãs em todo o mundo.

A Topseller, para aguçar o apetite aos leitores, disponibiliza gratuitamente os primeiros capítulos de Gula Perversa: www.topseller.pt/docs/gula-perversa.pdf

Sinopse:
«A vida de Lizzy Tucker não pode ser mais confortável: mudou-se recentemente para uma casa histórica que herdou em Salem, no Massachusetts, e acaba de tornar-se chef na Dazzle's, uma das pastelarias mais visitadas da cidade. Mas a esperança por qualquer tipo de normalidade evapora-se quando dois homens entram de rompante na sua vida: o sombrio Gerewulf Grimoire, e Diesel, um homem lindíssimo e de aparência angelical. Grimoire procura as Pedras de Saligia que estarão, diz-se, em Salem.

Esses sete talismãs — representativos de cada um dos sete pecados mortais — dão poderes assustadores a quem os detenha. Diesel é um homem com uma missão: parar Grimoire a todo o custo. Só precisa de convencer Lizzy de que apenas ela será capaz de manter o vilão longe dos talismãs. Mas, para que isso aconteça, Diesel quer protegê-la todo o dia… e toda a noite. Estes talismãs têm efeitos estranhos sobre si, enchendo-a de apetites e desejos súbitos. Com dois homens no seu encalce, e sentindo-se estranhamente atraída por ambos, como irá ela escapar à espiral de emoções em que se vê envolvida?»


Apresentação de "As Regras de Ouro da nutricionista Ágata Roquette" por Isabel Queiroz do Vale. Amanhã, 18h30, El Corte Inglés


Resultado do passatempo Frederico Garcia ou Existência Inacabada

Obrigada a todos que participaram no passatempo "Frederico Garcia ou Existência Inacabada" realizado pelo Marcador de Livros.
 
A feliz contemplada com um exemplar do livro é:
72 - Patrícia Braz (Tramagal)


Além de o seu nome figurar no blogue, o contemplado foi ainda avisado através de email.

Leia poesia

No Dia Mundial de Poesia não podia deixar de lembrar um dos poetas que me acompanhou na adolescência. Conheci-o ao ler alguns dos seus diários, tendo passado posteriormente para os livros que o tornaram conhecido: Bichos, Contos de Montanha... 
Do que mais gostava nos seus Diários era a poesia, numa altura em que eu devorava poesia. Tenho de começar a readquirir o hábito de ler novamente. 

Depoimento 

Deponho
no processo do meu crime.
Sou testemunha
E réu
E vítima
E juiz
Juro

Que havia um muro,
E na face do muro uma palavra a giz.
MERDA! – lembro-me bem.
– Crianças......
– disse alguém que ia a passar.
Mas voltei novamente a soletar
O vocábulo indecente,
E de repente
Como quem adivinha,
Numa tristeza já de penitente
Vi que a letra era minha.....

quarta-feira, 20 de março de 2013

Novidade Asa: Ligeiramente Casados, de Mary Balogh

Título: Ligeiramente Casados
Autor:
Mary Balogh
PVP: 15,90€
N.º de Páginas: 336

Conheça a família Bedwyn: seis irmãos e irmãs – homens e mulheres de paixão e privilégio, ousadia e sensualidade. Por vezes, as aparências não iludem…

Sobre o livro:
Como todos os Bedwyn, Aidan tem a reputação de ser arrogante. Mas este nobre orgulhoso tem também um coração leal e apaixonado – e é a sua lealdade que o leva a Ringwood Manor, onde pretende honrar o último pedido de um colega de armas.
Aidan prometeu confortar e proteger a irmã do soldado falecido, mas nunca pensou deparar com uma mulher como Eve Morris. Ela é teimosa e ferozmente independente e não quer a sua proteção. O que, inesperadamente, desperta nele sentimentos há muito reprimidos. A sua oportunidade de os pôr em prática surge quando um parente cruel ameaça expulsar Eve de sua própria casa. Aidan faz-lhe então uma proposta irrecusável: o casamento, que é a única hipótese de salvar o lar da família. A jovem concorda com o plano.
E agora, enquanto toda a alta sociedade londrina observa a nova Lady Aidan Bedwyn, o inesperado acontece: com um toque mais ousado, um abraço mais escaldante, uma troca de olhares mais intensa, o “casamento de conveniência” de Aidan e Eve está prestes a transformar-se em algo ligeiramente diferente…

Sobre a autora:
Autora premiada e presença constante nas listas de bestsellers do New York Times, Mary Balogh cresceu em Gales, terra de mar e montanhas, músicas e lendas. Ela levou consigo a música e uma imaginação vívida quando se mudou para o Canadá. Aí iniciou uma auspiciosa carreira como autora de livros com finais felizes e que celebram o poder do amor. Os seus romances históricos venderam já mais de 4 milhões de exemplares em todo o mundo. Na ASA estão publicados Uma Noite de Amor e Um Verão Inesquecível.

Acho que Posso Ajudar - David Machado [Opinião]

Título: Acho Que Posso Ajudar (DN Contos Digitais #15)
Autor:
David Machado, Mafalda Milhões (illustrator)

"Acho que posso ajudar" é a história de uma menina que acredita estar ao seu alcance resolver os problema de qualquer pessoa, monstro ou bruxa no mundo. Mas ela não sabe que cada gesto seu pode provocar uma cadeia de acontecimentos que deixará tudo pior do que estava. 


A minha opinião: 
Ao contrário da maioria dos contos desta colecção, gostei bastante deste conto infantil de David Machado. De um forma simples, o autor coloca uma responsabilidade numa menina de oito anos que vai trazer consequência. A protagonista pensa conseguir resolver todos os problemas que lhe surgem, não pensando com isso que vai deixar tudo pior do que o que estava.
Tudo começa quando o vento despenteia a avó, fazendo com que a menina decida prender o vento para que este não mais a chateie. Esquece-se é que o vento também é precioso, sobretudo quem precisa dele para o seu ganha pão como é o caso do moleiro que necessita que os moinhos de vento trabalhem. Por momentos, esta pequena história fez-me lembrar uma outra, que me era contada na minha infância: O Macado de Rabo Cortado, também ele vítima do próprio desenrolar de acontecimentos.

Planeta: Novidades de Março

Título: A Rainha
Autor: Meg Clother
N.º de Páginas: 292  
PVP: 18,85 €
Disponível a 21 de Março


Reza a história que na Geórgia medieval, a filha única de um rei sem herdeiro masculino-Tamara - foi uma rainha corajosa e destemida, tendo sido a primeira mulher a governar um país.

Meg Clothier investigou as fontes históricas mais remotas e transporta-nos ao mundo esquecido de uma rainha indómita. Intriga, guerra, amor e traição são os principais ingredientes deste romance histórico, que marcou a estreia auspiciosa da autora e jornalista Meg Clothier, bastante aplaudida pela crítica internacional.

«É como se Henrique VIII, Maria e Isabel fossem combinados numa única personagem, e originou pela primeira vez, um livro muito bem-vindo e sobretudo sem ser sobre Ana Bolena.»
Independent
«Meg Clothier tem uma boa história, um estilo vigoroso e soube dar a volta à história.» Times Literary Supplement


A autora descobre, na época medieval, uma mulher que apesar de esquecida e perdida na história, foi uma importante rainha na Geórgia do século XII.
Tamara foi a primeira mulher a romper com a lei sálica e foi a primeira mulher a governar um país por direito próprio, além de ter sido uma grande mecenas das artes.
Uma protagonista excepcional, soberba e inteligente que apaixonará os leitores pela sua coragem e determinação.

Ela irá enfrentar nobres conspiradores, um marido russo grosseiro, uma inteligente e insidiosa tia e, uma invasão que feriu mortalmente o império Bizantino.
Cercada por inimigos, perseguida por pretendentes, subestimada e traída, é a correspondente a Isabel I, mas na Geórgia. 


Geórgia, 1177. Durante vinte anos o rei Giorgi defendeu o trono do seu frágil reino contra todos os invasores. Agora, às portas da morte, o soberano enfrenta uma nova ameaça: não tem um filho que lhe suceda, apenas uma filha, Tamara, uma rapariga esperta, indómita e corajosa. Quando uma revolta ameaça a vida de Tamara, é enviada para as montanhas disfarçada de rapaz, até que uma traição devastadora a coloca nas mãos dos inimigos.
A sua fuga corajosa convence Giorgi de que deve ser a sucessora, mas os nobres sentem-se ultrajados, pois nunca foram governados por uma mulher.
Enquanto o pai vive, Tamara está protegida das forças hostis que a rodeiam, mas quando morre fica sozinha e tem de arranjar forças para controlar as facções que se defrontam na corte e atingir não só o respeito dos amigos como o medo dos inimigos.
Para conquistar os objectivos tem de casar com um homem que os mais velhos aprovem. Porém, o seu coração pertence a um temerário rapaz das montanhas, um pobre partido para uma rainha. Com a rebelião a fermentar nas suas terras e os inimigos a assolarem-lhe as fronteiras, Tamara tem de escolher entre o homem que ama e o país que adora...


Sobre a autora:
Estudou Literatura Clássica em Cambridge e passou um ano a velejar entre a Inglaterra e o Alasca. Após algumas reviravoltas tornou-se jornalista. O seu último trabalho foi para a Reuters, em Moscovo, depois voltou a Londres para se licenciar em Política Russa Pós-União Soviética.
Meg descobre Tamara ao escrever um artigo sobre a Geórgia e decide escrever um livro em vez de tentar arranjar outro emprego. Volta a visitar a Rússia várias vezes e, mais recentemente, em lua-demel. Meg gosta de montanhas, barcos, línguas e histórias de aventuras.



Título: Delírio - O Jardim Químico II
Autor: Lauren DeStefano
N.º de Páginas: 256 
PVP: 15,95 €
Disponível a partir de 21 de Março


Num mundo onde as raparigas só vivem até aos vinte anos e os rapazes até aos vinte e cinco, o tempo é precioso.
Da autora best-seller do The New Tork Times, chega agora a sequela de Raptada, um romance sofisticado, assustador, com grande ritmo e uma trama que reserva contínuas surpresas ao leitor.


E SE SOUBESSEMOS EM QUE DIA MORREMOS?
Lauren DeStefano volta a inquietar-nos neste segundo volume da trilogia, com mais uma história marcante, de suspense e incertezas, que se passa num hipotético futuro, talvez não muito distante, que nos faz pensar que este cenário poderá de facto acontecer.
Esta trilogia, que se transformou de imediato num êxito de vendas em mais de 30 países, já garantiu a sua adaptação para cinema.
Nesta sequela de Raptada, a heroína tem de decidir se a liberdade vale a pena, pois tem mais a perder do que nunca.
Rhine e Gabriel fugiram da mansão, mas o perigo nunca ficou para trás.
Para Rhine de dezassete anos, a arriscada fuga do casamento polígamo parece ser o princípio do fim. A evasão leva Rhine e Gabriel a uma armadilha sob a forma de uma feira popular, cuja dona mantém várias raparigas prisioneiras, Rhine acaba de fugir de uma prisão dourada para se meter noutra ainda pior.


A jovem acaba por percorrer um cenário tão sombrio como o que deixou há um ano – que reflecte os seus sentimentos de medo, desespero e desesperança. Com Gabriel a seu lado está decidida a chegar a Manhattan para se encontrarem com Rowan, o irmão gémeo, mas a viagem é longa e perigosa e o que Rhine espera que seja uma segurança relativa revelar-se-á muito diferente.
Num mundo onde as raparigas só vivem até aos vinte anos e os rapazes até aos vinte e cinco, o tempo é precioso e Rhine não tem como escapar nem iludir o excêntrico sogro Vaughn, que está determinado a levá-la de novo para a mansão... a todo o custo.


Sobre a autora:
Lauren DeStefano licenciou-se em Letras e especializou-se em escrita criativa no Albertus Magnus College, em Connecticut. Raptada é o seu primeiro livro. Lauren DeStephano alcançou os primeiros lugares no top do New York Times, confirmando-se como um novo talento na ficção distrópica, tendo o segundo livro desta série entrado directamente para o primeiro lugar.
Lauren vive em Connecticut e se quiser conhecê-la, visite-a em: www.laurendestefano.com


Título: Uma Mochila para o Universo
Autor: Elsa Punset
PVP:16,95€ 
N.º de Páginas: 284 páginas
Disponível a partir de 21 de Março

 
«Para transformar as nossas vidas e relações não precisamos de tanto como pensamos. Numa pequena mochila cabe tudo o que nos ajuda a perceber e controlar a realidade que nos rodeia.» Elsa Punset, especialista em educação emocional

Um guia com 21 rotas que percorrem a geografia das emoções humanas, que combina rigor científico, com uma narrativa trepidante e o mais fino humor.
Quanto tempo deve demorar um abraço?
De quantos amigos precisamos para ser felizes?
Por que sofre o homem mais do que a mulher quando lhe riscam o carro?
Como aprendemos a ter medo?
Há truques emocionais para emagrecer?
Como conseguir convencer os outros em 47 segundos?


Para dar resposta a todas estas perguntas, Elsa Punset, reconhecida especialista em educação emocional, conferencista e responsável pela laboratório de aprendizagem social e emocional de Madrid, decifra os códigos para navegar pelos afectos humanos.
«O objectivo é facilitar o entendimento do que nos rodeia, reconhecer a importância das nossas relações com os outros, descobrir que é muito mais o que nos une do que o que nos separa, encontrar formas eficazes de comunicarmos entre nós, conjugar a relação entre o corpo e a mente, aumentar o caudal de alegria que encerramos, organizarmo-nos para conseguirmos fixar e alcançar os nossos objectivos e ajudar o cérebro humano a contrariar a sua tendência inata para a sobrevivência receosa e desconfiada» Elsa Punset


21 ROTEIROS PARA VIVER AS NOSSAS EMOÇÕES
Uma Mochila para o Universo faz uma viagem por todas as emoções. Uma das que mais tememos é o medo.
«O problema do medo é que temos o cérebro tremendamente sofisticado que tende sempre a ver o mais negativo, e somos muito dados a olhar para o futuro, a prever e a recordar. E enquanto passamos o tempo a prever e a recordar, amplificamos muitíssimo as recordações do medo e o corpo passa a estar programado constantemente com este alarme.»
Para aqueles a quem a sorte nunca os acompanha, Elsa Punset propõe que sejam mais activos e com a mente mais aberta a novas oportunidades.
«As pessoas que têm sorte, quase sempre são pessoas muito abertas para a vida, com muitos menos medos e com uma capacidade especial para criar oportunidades ou reconhecê-las.»
Um guia para transformar a nossa vida.
«Dividi este livro em 21 roteiros porque as pessoas não circulam todas pelas muitas rotas ao mesmo tempo. Ou seja, há dias, há semanas, há meses em que nos afundamos num determinado lugar, e eu queria dar às pessoas várias chaves para as ajudar a sair desse marasmo e a perceberem que se não o fizerem, não conseguirão transformar-se.»
Uma Mochila para o Universo pretende ser um manual para aprender a lidar com as emoções humanas, uma pequena chave que potencia a nossa capacidade para o optimismo inteligente e criativo. Escrito numa linguagem clara e simples, aprendemos porque é que é preferível ter um amigo feliz a um bilhete de lotaria premiado, quais são as etapas por onde passa o amor, ou quais as técnicas que nos libertam do stress.
Também encontramos conselhos e truques para pôr em prática todos os novos conhecimentos sobre nós mesmos e sobre os que nos rodeiam: como chamar um pensamento positivo do passado para começar o dia com o pé direito, qual a melhor maneira de falar em público, como controlar a raiva ou quais as chaves para causar boa impressão logo no primeiro encontro.


Sobre a autora:
Elsa Punset é licenciada em Filosofia e mestre em Humanidades, pela Universidade de Oxford. É ainda mestre em Jornalismo, pela Universidade Autónoma de Madrid e em Educação de Ensino Secundário, pela Universidade Camilo José Cela (UCJC).
Colabora com regularidade em diversos meios de comunicação, participa em conferências e dirige o Laboratorio de Aprendizaje Social y Emocional, na Universidade Camilo José Cela, onde se dedica ao estudo da aplicação da inteligência emocional nos processos de tomada de decisões e aprendizagem, em crianças e adultos. Os seus livros Bússola para Navegantes Emocionais e Inocência Radical consagram-na como autora de êxito e as suas intervenções na RNE (Rádio Nacional de Espanha) e na televisão, no programa El Hormiguero, confirmam, com a grande audiência, o impacte das suas mensagens.


Título: Tempo para Falar
Autor: Helen Lewis
N.º de Páginas: 284 
PVP: 15,50 €
Disponível a 21 de Março


Helen Lewis sobreviveu a dois campos de concentração nazi.
A sua história, aterradora, hipnotizante e de uma coragem ímpar, é narrada na primeira pessoa sem o mais pequeno tom de autopiedade. Um livro de memórias, desprovido de especulações ou lições de moral, que é uma verdadeira celebração da vida.


«O que distingue este livro de todos os relatos em primeira mão do  Holocausto é a capacidade evidenciada por Lewis para descobrir traços de humanidade, onde, com toda a justiça, não tinha razões para os ver… recusa-se a desumanizar mesmo aqueles que tentaram arrancar-lhe tudo quanto tinha de humano – um feito raro para  qualquer pessoa na sua situação.» Guardian

Tempo para Falar é um testemunho avassalador de uma extraordinária e corajosa mulher judia, bailarina de formação, que sobrevive a dois dos mais mortíferos campos de concentração: Terezin e Auschwitz, e que consegue surpreender-nos pela positiva pelo seu discurso de esperança e de força de viver.
O livro é tal forma intenso que várias personalidades do mundo literário, como os escritores Ian McEwan e Michael Longley, se juntaram para dar um pequeno testemunho.
Publicado pela primeira vez, na versão original, em 1992, depressa se tornou num best-seller e a crítica internacional não lhe poupou elogios. 

«É a história de um sofrimento quase inacreditável, mas contada de uma maneira que quase infunde alegria no leitor… notável pela sua simplicidade e lucidez elegíacas, pelo ímpeto irresistível, pela integridade insuperável e pela impressionante ausência de autocomiseração e rancor. De abordagem fácil, empolgante e de uma honestidade evidente… todos deviam lê-la.» Independent

«Um livro notável – notável acima de tudo pela abordagem desapaixonada a experiências inimagináveis… Tudo isto proporciona uma leitura revigorante, cáustica e empolgante. Um livro credor de estima» Independent on Sunday

Em Tempo para Falar, Helen Lewis descreve a escala de horrores e misericordiosa sequência de acasos que, contra todas as expectativas, lhe permitiram vir viver para Belfast, na Irlanda do Norte, em 1974.
Durante muitos anos foi uma conhecida coreógrafa e professora de bailado naquela cidade e fundou o Belfast Modern Dance Group, no início da década de 60. Neste livro, Helen Lewis traça um mapa do Inferno, mas a sua voz não se altera, o seu estilo permanece simples, numa forma modesta de se exprimir que esconde a angústia da recordação.
Dar o testemunho, como Helen faz, do que há de mais baixo e degradante na experiência humana, é um acto de heroísmo. 

«Em sucessivas passagens, Helen escolhe apenas uma ou duas imagens para transmitir o horror: a hora passada nos lavabos, a “roubar o precioso fio de água umas às outras”; a refeição do meio-dia “o ângulo da concha”, do qual dependia a própria vida, porque “se a concha fosse arrastada em paralelo com a superfície apenas se recebia uma tigela de água morna com aroma a qualquer coisa. Mas se a concha mergulhasse verticalmente na barrica podia trazer um nabo, um pouco de cevada, talvez uma batata. Em Auschwitz, “a natureza morrera com as pessoas. Os pássaros tinham fugido do fumo negro dos crematórios, que tudo empestava, e a sua partida deixara um silêncio que se assemelhava a um grito”» Michael Longley in Prefácio
Quando a Checoslováquia foi invadida pela Alemanha nazi em 1939, Helena Katz encontrava-se em Praga, a estudar ballet, embora como judia não lhe fosse permitido actuar em público devido às leis anti-semitas.
Helen e o primeiro marido Paul Hermann foram expulsos de Praga e enviados em 1942 para Terezin, e depois para Auschwitz, onde foram separados, e nunca mais se viram.
Em Auschwitz Helen foi escolhida para a denominada «selecção» do Dr. Josef Mengele, o famoso Anjo da Morte, tendo sobrevivido a experiências horrendas. Quando os prisioneiros de Auschwitz foram libertados em 1945, Helen encontrava-se gravemente doente com febre tifóide.


Foi salva quando um soldado russo a ajudou na marcha de Stutthof que matou milhares de pessoas. Harry Lewis, um antigo amigo de Praga, que fugira para Belfast antes da guerra, viu o nome de Helen numa lista de sobreviventes publicada pela Cruz Vermelha. E como diz a sobrevivente, foi outro feliz acidente que a levou até Harry. Acabaram por se casar em 1947.
Quando os filhos atingiram a idade adulta, Helen ficou preocupada com reacção deles, quando lhe perguntaram que número era aquele tatuado no seu braço. Decidiu então contar as experiências de perseguição nazista de que foi alvo. Foi uma defensora acérrima e inflexível de que os sobreviventes não deviam tentar proteger os filhos do passado dos pais.
Helen sobreviveu para ensinar os jovens de Belfast a dançar e para da ao mundo o seu testemunho arrasador. Morreu na véspera de Ano Novo de 2009, aos 93 anos de idade.


Sobre a autora:
Helen Lewis nasceu em 1916 em Trutnov, na Checoslováquia. Terminado o secundário, candidatou-se com êxito à Escola de Dança Milca Mayerovà, de Praga. Enquanto estudava começou também o curso de filosofia na Universidade Alemã. Casou em 1938, e em 1942 foi deportada, com o marido, Paul, para o campo de concentração de Terezín.
Em Maio de 1944 foi transferida para Auschwitz, onde a separaram do marido. Depois da libertação, regressou a Praga e foi lá que soube que ele não sobrevivera. Em 1947, casou-se com Harry Lewis, um velho amigo que havia fugido para Belfast antes da eclosão da guerra. Depois do nascimento dos dois filhos, Helen voltou a envolver-se no mundo da dança, em trabalhos de coreografia para teatro e ópera. Os seus ensinamentos levaram à fundação do Belfast Modern Dance Group, pioneiro da dança moderna na Irlanda do Norte.


Título: A Princesa dos Corais
Autor: Tea Stilton
N.º de Páginas: 280 + 16 páginas a cores
PVP: 16,65€
Nas livrarias a partir de 21 de Março


O segundo volume de uma nova colecção de fantasia, na qual Tea Stilton, bem conhecida dos mais novos, conta as emocionantes aventuras das Princesas do Reino da Fantasia.
Depois de A Princesa dos Gelos, este é o segundo título da saga de fantasia, que já apaixonou os jovens leitores.
Kalea, a protagonista deste romance, vive no Reino dos Corais, na antiga cidade submersa, em harmonia com a natureza que a circunda e com Purotu e Naehu, os seus inseparáveis irmãos. No entanto, quando Kaliq chega de repente do Reino do Deserto, a vida da Princesa mudará para sempre.
As Princesas do Reino da Fantasia guardam a Canção do Sono, versos secretos que conservam a união e harmonia dos Cinco Reinos onde governam.
O Rei Sábio, seu pai, confiou às princesas as estrofes da canção quando ainda existia um único Grande Reino. Agora, porém, um desconhecido, o misterioso Kaliq, quer apropriar-se da canção para expulsar as princesas e tornar-se o novo soberano. Kaliq chegou ao Reino dos Corais graças a antigos feitiços, quase esquecidos. Com a sua chegada, a estrofe desaparecerá, colocando em perigo o Reino dos Corais. A princesa Kalea procurará salvar a sua estrofe, apesar de a tarefa se revelar dura e difícil.


Este livro é ilustrado a preto e branco, e inclui dezasseis páginas a cores com todos os segredos da princesa Kalea. E há mais uma surpresa: a parte interior da sobrecapa transforma-se num fantástico poster da princesa. Recomendado para crianças a partir dos 10 anos 
Esta nova colecção Princesas do Reino da Fantasia é composta por cinco livros diferentes: Princesa dos Gelos; Princesa dos Corais; Princesa do Deserto; Princesa da Escuridão e Princesa das Florestas.


Título: Agatha Mistery: O Tesouro das Bermudas
Autor: Sir Steve Stevenson
N.º de Páginas: 144 
PVP: 9,90€
Disponível a partir de 21 de Março


A miúda detective que adora resolver mistérios já se tornou na heroína dos pequenos leitores mais curiosos e apaixonados por enigmas. Este é o sexto volume de uma colecção de grande qualidade, repleta de humor e aventuras que se já tornou num caso sério de sucesso entre o público jovem.

Agatha, extraordinária aspirante a detective de invulgar faro detectivesco, viaja por todo o mundo, juntamente com o desajeitado primo Larry, com o fiel mordomo e com o gato Watson, tendo como objectivo resolver os mais intrincados mistérios.
Desta vez, os dois primos Agatha e Larry Mistery vão ter de lidar não só com um ávido e perigoso criminoso mas também com as antigas divindades do mar… Oceano Atlântico: sopra uma violenta tempestade.
Um calendário maia em ouro maciço e de valor incalculável desaparece inesperadamente num dos lugares mais misteriosos do planeta: o Triângulo das Bermudas!


A colecção Agatha Mistery pretende criar o gosto pela leitura, e ao mesmo tempo, aproximar os jovens a lugares reais emblemáticos e a outras culturas, o que é conseguido através da astúcia da pequena detective Agatha, que anota tudo o que vê num caderno. As personagens e as paisagens exóticas onde se realizam as investigações e se vivem estranhas aventuras ganham vida, através das divertidas ilustrações de Stefano  Turconi.

Sobre o autor:
Sir Steve Stevenson, pseudónimo de Mario Pasqualotto, é um escritor italiano que durante de mais de dez anos tem escrito histórias sobre diversos jogos para revistas inglesas e italianas. Actualmente dedica-se à escrita juvenil. As divertidas e dinâmicas ilustrações de Stefano Turconi mostram-nos as personagens e as paisagens exóticas onde se realizam as investigações e se vivem estranhas aventuras.

terça-feira, 19 de março de 2013

E. L. Doctorow na Porto Editora com romance delirante sobre a América do século XX

Título: Homer & Langley
Autor:
E. L. Doctorow
Tradução: Tânia Ganho
Págs: 176
PVP: 16,60 €


Um dos principais romancistas americanos contemporâneos, E. L. Doctorow, estreia-se no catálogo da Porto Editora com Homer & Langley. Segundo a Publishers Weekly, trata-se de uma «obra-prima arrebatadora sobre os eremitas nova-iorquinos, os irmãos Collyer», protagonistas deste romance, inspirados em personagens reais. Este livro chega às livrarias no dia 25 de março.
Homer & Langley retrata a História da América do século XX através dos episódios que vão marcando a vida de dois personagens peculiares, dois irmãos socialmente desajustados que vivem numa mansão na Quinta Avenida. O livro é narrado por Homer, cego mas perspicaz e atento, que, juntamente com Langley, o irmão mais excêntrico, fazem o retrato de uma época.


Sobre o livro:
Eu sou o Homer, o irmão cego. Não perdi a vista de repente, foi como nos filmes, um lento fade-out.
Homer e Langley Collyer tornaram-se uma lenda tragicómica de Nova Iorque quando foram encontrados soterrados debaixo de toneladas de lixo acumulado na sua mansão, na Quinta Avenida.
Transportados para o mais recente romance de E. L. Doctorow, estes personagens delirantes – Homer, cego e intuitivo, e Langley, abandonado à loucura, ou à genialidade, após servir na Primeira Guerra Mundial – tornam-se os cicerones de uma visita guiada à América do século XX e aos becos sombrios da mente humana.
Uma intensidade narrativa quase hipnótica. Um retrato singular da condição humana.


Sobre o autor:
E. L. Doctorow nasceu em Nova Iorque, em 1931. Considerado um dos mais talentosos escritores da segunda metade do século XX, é autor de romances que combinam História e crítica social, tendo sido galardoado com vários prémios como o National Book Award, National Book Critics Circle Award, PEN/Faulkner Award (duas vezes), entre outros. Com Billy Bathgate foi também finalista do Pulitzer.
A sua obra está publicada em mais de 32 países e cinco dos seus romances foram adaptados ao cinema.
Doctorow dedica-se à escrita e ao ensino da literatura na Universidade de Nova Iorque.


Imprensa:
Doctorow é um grande alquimista: consegue conciliar o público e o íntimo, os grandes eventos e destinos mais privados. Cada livro seu tem o poder de devolver à História a dignidade literária que outros tentam roubar diariamente. Juan Gabriel Vásquez
Enquanto Doctorow invoca os espetros da Primeira Guerra Mundial, da Grande Depressão, da Lei Seca, da Guerra Fria, da Coreia, do Vietname, dos assassinatos de John, Bobby e Martin, o leitor experimenta os efeitos desses acontecimentos em Homer. Da guerra fica-lhe a tosse seca e o espírito quebrado; a Lei Seca traz-lhe a amizade com um gangster; os assassinatos, uma enorme preocupação pelos hippies que vivem em sua casa... The Independent
Uma obra-prima arrebatadora sobre os ermitas nova-iorquinos, os irmãos Collyer […] O mérito de Doctorow está em não comprometer a dignidade de dois irmãos que partilham uma exuberante paisagem construída apenas na imaginação e na inaptidão. É uma façanha de grande visão, delicadeza e destilação. Publishers Weekly

A Mãe Terra - Jean M. Auel [Opinião]

Título: A Mãe Terra
Autor:
Jean M. Auel
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 584
Editor: Clube do Autor
PVP: 18,50€

Sinopse:
Para se tornar na líder espiritual do seu povo, Ayla empreende uma emocionante viagem na qual descobrirá o fascínio e o misticismo das cavernas sagradas e das suas pinturas rupestres.
Caçadas, cerimónias sagradas e ritos matrimoniais são apenas alguns dos episódios que Jean Auel retrata com mestria. A autora reconstrói o modo de vida na Pré-História e faz deste livro uma criação histórica cativante, rigorosa e inesquecível.



A minha opinião:
Apesar de gostar imenso de romances históricos nunca tinha lido um que retratasse a Pré-História, a vida dos nossos antepassados há 35 mil anos. Estreei-me com este livro de Jean M. Auel e posso dizer que o balanço final foi muito bom.

Auel retrata com mestria o dia a dia dos habitantes da Idade do Gelo na Europa e revela que as mulheres tinham um papel preponderante na tribo, sendo elas uma espécie de matriarcas das cavernas.

Ayla, a personagem principal, é uma mulher forte, que apesar de vir de um outro clã, se adapta muito bem à sua nova tribo, os Zelandonis, e lhes traz muitos ensinamentos, sobretudo a nível medicinal.

É engraçado como conhecia tão pouco acerca destes povos, que achava tão rudimentares. No fundo, além da caça, este povo tinha vários tipos de conhecimento quer a nível de curativos, das estações do ano, acerca dos próprios filhos e descendentes. Mas o que mais me marcou foi o relacionamento entre eles.


Andando de caverna em caverna (os Zelandonis eram apenas sedentários no inverno), fui viajando no tempo e no conhecimento com Ayla, e a sua família, acompanhada também pelo lobo (um animal enternecedor, provevalmente o percursor do cão doméstico) e alguns cavalos, que não eram comuns naquela tribo.

Devo, contudo, confessar que me custou a entrar na história e que achei o seu início um pouco maçudo. Saltar de caverna em caverna não se tornou atrativo desde logo, mas a partir de umas quantas páginas, comecei a entrar na história, e que história!

Para os amantes de História, e também para os que desconhecem a Idade do Gelo, recomendo vivamente este livro, que me levou a viajar no tempo como nenhum outro.

Depois deste livro fiquei com curiosidade para, assim como  o autor, visitar o Abrigo do Lagar Velho, em Leiria, local onde foi descoberto "O Menino do Lapedo" em 1998, um fóssil que apresenta características modernas e arcaicas, resultado do contacto entre o homem de Neandertal e o Homem Moderno.


Pode comprar aqui: 
 

Grupo Porto Editora e Museu Nacional de História Natural e da Ciência saúdam a chegada da primavera e assinalam o Dia da Árvore e da Poesia

O magnífico Jardim Botânico da Universidade de Lisboa vai acolher a celebração do Dia da Árvore e do Dia Mundial da Poesia, numa iniciativa preparada pela Assírio & Alvim e Sextante Editora em parceria com o Museu Nacional de História Natural e da Ciência.
O programa abre com as boas-vindas à primavera amanhã, dia 20, às 16:30, no Planetário, seguida da inauguração da exposição dos trabalhos de ilustração infantil AR.CO “BORBOZINE”.
No dia 21, quinta-feira, logo pelas 10:00, a Avenida das Palmeiras do Jardim Botânico acolhe a Feira de Poesia, que permanecerá aberta até às 20:00. Também a partir das 10:00, e até às 17:00, serão proporcionados Percursos Poéticos.
A partir das 18:00, terá lugar o lançamento do livro Trinta Árvores em Discurso Directo, de António Bagão Félix, evento que se iniciará através de uma visita guiada pelo autor a algumas árvores do Jardim Botânico – ou não fosse este original livro a expressão do interesse e entusiasmo de António Bagão Félix pela área da botânica, pela investigação sobre árvores e pela descoberta das características e especificidades de cada uma.
Uma hora mais tarde, os Artistas Unidos farão a leitura de poemas de poetas portugueses. Esta sessão é de entrada gratuita.
De sublinhar, ainda, a realização de expedições poéticas no Jardim Botânico e Borboletário para escolas e ATL’s entre as 10:00 e as 12:00 e entre as 14:00 e as 16:00.


Pode ver o programa aqui

segunda-feira, 18 de março de 2013

Novidade Clube do Autor para 21 de Março: O Livreiro de Mark Pryor

Título: O Livreiro
Autor: Mark Pryor
N.º de Páginas: 352
PVP: 17€

O que esconde Max, o dono de uma das bancas de livros em segunda mão ao longo do Sena?
Quem é o mentor dos raptos de vários alfarrabistas?
Quem é o assassino responsável pela morte de alguns dos alfarrabistas desaparecidos?
Por que razão as autoridades francesas não investigam o desaparecimento e a morte destes livreiros?
Terá uma misteriosa dedicatória de Rimbaud alguma relação com o rapto de um livreiro?
Será que um código escondido é justificação para matar alguém?
Que submundo se esconde por detrás das requintadas fachadas parisienses?
O Livreiro é sobre um livro raro, e também sobre um sobrevivente do Holocausto. E é uma história perfeita, da autoria de Mark Pryor, para todos os que gostam de livros. Mark Pryor nasceu em 1967, em Inglaterra. Foi jornalista durante alguns anos, e frequentou o curso de jornalismo na universidade da Carolina do Norte, licenciando-se depois em Direito. Atualmente trabalha no gabinete do Procurador-Geral Distrital em Austin, Texas. O Livreiro é o seu primeiro romance.


«Uma estreia forte e auspiciosa.»
I Library Journal
«O protagonista é um herói convincente que vai conquistar os leitores.» I Publishers Weekly
«Um livro inteligente e repleto de mistérios.» I Jeff Abbott, autor de Medo e O Último Minuto  


Neste romance de ritmo acelerado e empolgante (que prenderá os leitores da primeira à última página), encontramos a história de um terrível segredo escondido durante décadas nas páginas de um livro há muito desaparecido.

Hugo Marston decide comprar um livro raro ao seu amigo Max, o idoso proprietário de uma banca de obras antigas. Poucos minutos depois, Max é raptado. Vivamente surpreendido com o ato, Marston, chefe de segurança da embaixada americana em Paris, nada consegue fazer para impedir o raptor. Marston inicia então uma investigação destinada a encontrar o livreiro, recrutando a ajuda do seu amigo Tom, um agente da CIA.

A busca de Hugo revela que Max é, afinal, um sobrevivente do Holocausto que mais tarde se converteu num caçador de nazis. Estará o rapto ligado ao sombrio passado de Max ou aos misteriosos livros raros que vendia?

Novidades Civilização Editora para Março

 FICÇÃO/NÃO FICÇÃO

Título: A Filha do Conspirador
Autor:
Philippa Gregory
N.º de Páginas: 496
Tradução: Miguel Romeira
Capa: Mole
PVP: 17,90€
 

Sinopse:
“Perdi o meu pai numa batalha, a minha irmã às mãos de uma espia de Isabel Woodville, o meu cunhado às mãos do seu carrasco e o meu sobrinho às mãos de um seu envenenador, e agora o meu filho foi vítima da sua maldição…” A apaixonante e trágica história de Ana Neville e da sua irmã Isabel, filhas do Conde de Warwick, o nobre mais poderoso da Inglaterra durante a Guerra dos Primos. Na falta de um filho e herdeiro, Warwick usa cruelmente as duas jovens como peões, mas elas desempenham os seus papéis de forma previdente e poderosa. No cenário da corte de Eduardo IV e da sua bela rainha Isabel Woodville, Ana é uma criança encantadora que cresce no seio da família de Ricardo, Duque de Iorque, transformando-se numa jovem cada vez mais corajosa e desesperada quando é atacada pelos inimigos do seu pai, quando o cerco em seu redor se aperta e quando não tem ninguém a quem possa recorrer, a quem possa confiar a sua vida.



Título: Império: Como a Grã-Bretanha Construiu o Mundo Moderno
Autor:
Niall Ferguson
N.º de Páginas: 504+16pp.
Tradução: Miguel Mata
Capa: Mole
PVP: 18,90€



Sinopse:
Império, o bestseller de Niall Ferguson, conta a notável história da ascensão ao poder do Império Britânico – e da sua queda. Em tempos, vastas áreas do mapa-múndi estavam pintadas de vermelho-imperial, e a Britânia exercia o seu poder não só nos mares, mas também nas pradarias americanas, nas planícies asiáticas, nas selvas africanas e nos desertos árabes. Mas como é que uma pequena e chuvosa ilha do Atlântico Norte conseguiu tudo isto? E porque é que o império onde o Sol nunca se punha chegou por fim ao seu declínio e queda? Império, o aclamado livro de Niall Ferguson, desvenda de forma brilhante a história imperial com todo o seu esplendor e miséria, mostrando como um grupo de bucaneiros e exploradores gananciosos abriram o caminho para o maior império de toda a história e colocaram o mundo na senda da modernidade. 

LIVRO ILUSTRADO – INFANTO-JUVENIL

 Título: O Fulano do F
Autor:
Luísa Ducla Soares

N.º de Páginas: 24 
Ilustração: Raquel Pinheiro
Capa: Dura
PVP: 11,50€



Sinopse:
Fernando Freitas Fonseca era um rapaz com a mania dos Fs. Morava em Faro. Só jogava futebol. Só cantava o fado. Só tocava flauta… Será que o Fernando consegue levar a sua mania até ao fim? Descobre o final feliz desta divertida história de Luísa Ducla Soares!
 

Título: Uma Semana na Quinta
Autor:
Bénédicte Carboneill e Angélique Pelletier
N.º de Páginas: 116

Capa: Dura
PVP: 11,50€



Sinopse:
O galo Alberto anuncia a chegada de um novo dia na Quinta da Belavista. É segunda-feira e adivinha-se uma bela semana… As aventuras dos habitantes da Quinta da Belavista contadas numa história para cada dia da semana.


LIVRO ILUSTRADO – ADULTOS 
Título: Malhas Portuguesas
Autor:
Rosa Pomar [OS MODELOS TRADICIONAIS ADAPTADOS AO USO CONTEMPORÂNEO]
N.º de Páginas: 160

Capa: Mole
PVP: 21,99€



Sinopse:
Malhas à portuguesa é uma obra pioneira na temática do têxtil artesanal em Portugal. Rosa Pomar preserva, recupera e divulga o património português das malhas em duas vertentes. Nos primeiros dois capítulos investiga a História das malhas desde a Idade Média, expondo imagens de grande relevo cultural. Na segunda parte, inspira-se na riqueza das peças históricas e apresenta vinte modelos modernos – de almofadas a luvas ou xailes – com explicações passo a passo da execução, complementadas com fotografias e ilustrações detalhadas das técnicas utilizadas.

Título: A Volta ao Mundo em 80 pratos
Autor:
David Loftus
N.º de Páginas:288

Capa: Mole
PVP: 23,50€



Sinopse:
“A Volta ao Mundo em 80 Pratos é como o Top of the Pops da comida excitante – as melhores garfadas num livro extraordinário.” Jamie Oliver. A Volta ao Mundo em 80 Pratos tem receitas de fazer crescer água na boca da autoria de chefs internacionais e autores de livros de culinária, incluindo Jamie Oliver, Nigella Lawson, Gennaro Contaldo, Heston Blumenthal e Atul Kochhar. Seguindo os passos de Phileas Fogg, passa pela Europa, o Médio Oriente, a Ásia e a América e reúne um verdadeiro tesouro de sabores dos quatro cantos do mundo. Esta excelente compilação, com fotografias de grande beleza, é ideal para amantes de viagens e de comida, permitindo-lhe escolher o seu destino e saboreá-lo.

A Provação do Inocente - Agatha Christie [Opinião]


Título: A Provação do Inocente
Autor:
Agatha Christie
PVP: 12,50€

Condenado a prisão perpétua, Jacko Argyle sucumbiu a uma pneumonia e acabou por morrer sem conseguir provar a sua inocência. Acusado de assassinar a mãe adotiva, o jovem jurou em tribunal ter um álibi e até uma testemunha. Mas essa pessoa nunca foi encontrada.

Acabado de chegar de uma longa viagem, Arthur Calgary tem informação que permite limpar o nome de Jacko, ainda que postumamente. A inocência de Jacko implica a culpa de outra pessoa… mas só a família estava em casa naquela noite fatal…

A Provação do Inocente (Ordeal by Innocence) foi originalmente publicado em 1958 na Grã-Bretanha, tendo sido editado nos Estados Unidos no ano seguinte. Foi adaptado para o cinema em 1985 e para a televisão em 2007.

A minha opinião: 
Agatha Christie não deixa de me surpreender. Apesar de gostar mais dos romances cujo protagonista é Hercule Poirot, a descoberta deste tipo de policiais cujo protagonista pode ser qualquer personagem, sem muito destaque por parte da autora, tem sido muito agradável. 
E colocar com principal instigador de uma suspeita um homem que após uma longa viagem pela Antártida descobre, através dos jornais, que é o álibi de um acusado de assassinato, é por demais brilhante. 
Apesar de demasiado tarde, já que o suposto culpado acabava de sucumbir a uma pneumonia na prisão, Arthur Calgary vai reacender o debate na casa dos Argyle. Se não foi Jacko, que seria então? Uma vez que não entraram estranhos na casa durante o período de tempo em que Mrs Argyle foi morta só poderia ter sido alguém da família, ou então alguém que vivesse por lá. 
Com a investigação a avançar, depressa vamos conhecendo a personalidade de cada um dos filhos adoptivos da matriarca da família. As suas fraquezas e virtudes. Mas também vamos descobrir que Mrs Argyle exercia uma pressão e controlo demasiado grande sobre cada um deles. Como se o facto de terem sido adoptados fossem propriedade dela. Logo, qualquer um podia estar origem do crime, para ter assim, como que uma espécie de libertação. Por outro lado, existe o marido, Leo, que cai de amores pela sua secretária pessoal. Mais uma suspeita fundamentada... 
Desde o início até ao final do livro Agatha Christie dá razões ao leitor que determinada personagem pode ser a mentora do crime, deixando-nos a especular sobre quem será realmente o assassino. Só no final é que descobri... 
Muito bom.

Pode comprar aqui: