sexta-feira, 19 de abril de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora: O policial espanhol que conquistou a Europa

Título: O Verão dos Brinquedos Mortos
Autor:
Antonio Hill
Tradutor: Helena Pitta
Págs: 344
PVP: 16,60 €

Ainda antes de entrar no mercado espanhol, já os direitos de tradução
de O Verão dos Brinquedos Mortos estavam vendidos para oito
importantes editoras europeias. O romance de estreia de Antonio Hill,
que alcançou o 1.º lugar do top assim que chegou às livrarias
espanholas, é publicado pela Porto Editora no dia 29 de abril.
Em O Verão dos Brinquedos Mortos, o inspetor Héctor Salgado vê-se
enredado numa teia de interesses da qual terá de se libertar para
resolver um delicado caso de homicídio no seio de uma família catalã
de classe alta. O enredo e as fortes personagens deste livro – entre
elas a própria cidade de Barcelona – justificaram a produção de uma
série televisiva que estreará brevemente.

Sobre o livro:
O inspetor Héctor Salgado está afastado do serviço há semanas quando lhe atribuem, extraoficialmente, um caso delicado – o aparente suicídio de um jovem de boas famílias. À medida que Salgado penetra num mundo de privilégios e de abusos de poder, o caso, aparentemente simples, complica-se de forma inesperada, e o inspetor terá de enfrentar não só esse mundo mas também o seu passado mais obscuro, que, no pior momento, volta para ajustar contas. Os sonhos, o trabalho, a família, a justiça e os ideais têm um preço muito alto… mas há sempre quem esteja disposto a pagá-lo.

Sobre o autor:
Antonio Hill (Barcelona, 1966) é licenciado em Psicologia e há mais de dez anos que se dedica à tradução literária e à colaboração editorial em diversas áreas. Entre os autores que já traduziu encontram-se David Sedaris, Jonathan Safran Foer, Glenway Wescott, Rosie Alison, Peter May, Rabbih Alameddine e A. L. Kennedy. O Verão Dos Brinquedos Mortos é o seu primeiro romance, e os respetivos direitos foram já vendidos para 11 países. Para mais informações sobre o autor visite o site www.tonihill.es

Imprensa:
Há tantos acontecimentos e reviravoltas, tantas personagens, todas elas com uma biografia trabalhada ao pormenor, que o leitor fica agarrado desde o primeiro momento. El País
A primeira coisa que atrai o leitor neste impressionante romance de estreia é a sua linguagem sugestiva e atmosférica – a sensação de um calor opressivo está sempre presente. Também a forma como a cidade de Barcelona é tratada, tornando-se mais uma personagem da trama, invoca o grande mestre da literatura barcelonesa Carlos Ruiz Zafón. The Indendent (UK)
Uma excelente caracterização dos personagens e do ambiente, um protagonista agradável e cativante, e muitas reviravoltas, com um final em suspense que deixa a porta aberta para o próximo livro da série do inspetor Héctor Salgado. The Guardian


Convite: Lançamento do livro «Quando fores Mãe, vais Ver», de Ana Saragoça


23 Abril pelas 18h30 - Lançamento do livro "Enorme, Brutal, Colossal 2012!", de Henrique Monteiro. FNAC do Colombo


Iniciativa do Dia Mundial do Livro entre Saída de Emergência e CGD cancelada.

A Saída de Emergência anunciou que a iniciativa que iria ter em parceria com a CGD no Dia Mundial do Livro já não vai ser levada avante. Isto porque a CGD "alegou que alguns livros continham linguagem com o potencial de ferir a suscetibilidade de alguns clientes, não os considerando adequados ao posicionamento e imagem do banco.
Lamentamos imenso qualquer transtorno ou inconveniente que possamos ter causado aos nossos leitores e parceiros."

Enquanto a mente de algumas pessoas pensar assim, o país continuará estagnado e não andará para a frente. Esta é a minha opinião, claro. Porque é que os clientes ficariam "escandalizados" com alguma linguagem que pudesse estar contida nos livros???? Será que terá de vir o lápis azul da censura outra vez???? 
Lamenta a Saída de Emergência e lamentamos nós, amantes de livros, mas sobretudo amantes da liberdade!

Novidades Planeta de Abril

Título: Um Segredo no seu Beijo
Autor:
Anna Randol

Uma estreia auspiciosa.
Uma história de amor, intriga e espionagem, passada no período da Regência e no exótico cenário de Constantinopla. Personagens densas, quase reais, de tirar o fôlego ao leitor.
Um Segredo no Seu Beijo foi nomeado pela Publishers Weekly como parte do seu Top 10 de romances que saíram na Primavera de 2012.
«Sensual, quente… e delicioso, são as palavras que melhor descrevem Um Segredo no seu Beijo. O romance de estreia de Randol passa-se num fascinante e muito bem representado período que poucos autores consideram usar como cenário, mas as personagens são fascinantes e estão exemplarmente retratadas. O major Bennett é incrível e Mari tem uma personalidade riquíssima que muitas mulheres sonham ter. Divertido, romântico e intrigante, é uma excelente leitura para começar o ano.» Romance Junkies
«A história de espionagem é tão fascinante quanto a história de amor… Mal posso esperar pelos próximos romances da autora.» New York Times
«A autora estreante Randol levou a narrativa do período da Regência a um novo nível, num cenário diferente que deixará os leitores a aplaudir por mais.
«Aventura, tensão sexual e emoção enquanto um duo de intrépidos atravessa os becos e palácios do Império Otomano. Randol prova, assim, ter o que é preciso para alcançar 4 estrelas numa escala de 4,5 estrelas.» RT Reviews
«Uma proeza impressionante… Um livro extremamente bem escrito, é uma grande estreia para uma nova autora. Espero, com impaciência, os próximos romances de Anna Randol.» Romance Reviews Today

Uma rara beleza nasceu no coração exótico do Oriente misterioso na forma de uma mulher. Mari Sinclair sabe que chegou o momento de pôr um fim na sua carreira como espia inglesa quando consegue evitar um encontro com a morte. Infelizmente, há os que pensam de outra forma e que não têm escrúpulos em usar a chantagem para manter Mari em missão. Para garantir que ela completa e sobrevive a uma última missão, é destacado um guardião, o major Bennet Prestwood. Mas Mari está furiosa, pois, além de ter este homem à força na sua vida, ele é demasiado dedicado, inflexível, e muitíssimo atraente.
Face aos segredos negros e traições mortais, o verdadeiro perigo para Mari é aos poucos revelado e o leal Bennet percebe que, para salvar e conquistar esta mulher extraordinária, terá de fazer o impensável e quebrar as regras, que a paixão e o desejo de repente mudam irrevogavelmente.

Sobre a autora:
Anna Randol vive e escreve na soalheira Califórnia do Sul. Quando não está a imaginar histórias de amor sensuais, normalmente come chocolate, dá festa loucas com os filhos na sala ou remodela a casa. Anna adora ler os comentários dos leitores no seu website: www.annarandol.com ou twitter@AnnaRandol

Título: Harry
Autor:
Alice Montgomery
BIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA
N.º de Páginas: 264
PVP: 15,95€
Disponível a 23 de Abril

Quando Harry Styles fez a audição para o X Factor, não suspeitava que em breve deixaria a escola, o seu emprego de sábado na padaria, e uma vida obscura e normal.
Os One Direction chegaram à final e ganharam um contrato de gravação, e não demorou muito para que a cara de Harry forrasse as paredes dos quartos de todo o país. Como lida Harry com a recém-descoberta fama?
E o que acontece quando «toma» de assalto os Estados Unidos?
Com lindos olhos verdes e caracóis, que enlouquecem as raparigas, Harry viu-se cercado de belas mulheres. Mas qual a verdade por detrás dos rumores?
As relações com Caroline Flack, Emily Atack, Taylor Swift e a comprometida Lucy Horobin são postas a nu.
E o que mais para Harry e os One Direction?
Este livro revela tudo sobre Harry e os rapazes que nasceram para conquistar o mundo.
Harry é o livro que os verdadeiros fãs vão querer ler antes de assistir ao concerto, em Maio.
A autora desta biografia é também autora de outras biografias de cantores de sucesso internacional, como Katy Perry e Susan Boyle.

Sobre a autora:
Alice Montgomery é uma autora freelance, que vive e trabalha em Londres.
Já escreveu várias biografias best-sellers, como Susan Boyle: Dreams Can Come True e Katy Perry.

Título: Quando Fores Mãe, Vais Ver e outras Pérolas do Folclore Materno
Autor:
Ana Saragoça
PVP: 13,30€  
N.º de Páginas: 128
Nas livrarias a partir de 23 de Abril


Lembra-se destas frases que ouviu da sua mãe e que jurou nunca, mas nunca, em tempo algum, repeti-las aos seus filhos?
«Antes chorares tu que chorar eu.»
«Se os teus amigos se atirarem a um poço, também te atiras?»
«É para teu bem.»
«Também eu queria muita coisa!»
«Temos o caldo entornado»
Pois é, Ana Saragoça, actriz, dramaturga, romancista, senhora de um sentido de humor acutilante, de uma inteligência notável e de uma escrita que traduz tudo isso, desfia as memórias da sua infância, de filha de uma mãe alentejana a residir em Lisboa e faz-nos dar sonoras gargalhadas e recordar a nossa própria infância a todo o passo.
«Ao cabo de milénios a criarem filhos, as mulheres de todo o mundo acabaram por desenvolver um léxico quase comum, um glossário de frases feitas que todas ouviram às mães, e todas juraram que nunca repetiriam aos filhos – com os resultados que se conhecem.»
“O vocabulário das mães é verdadeiramente um colar, mas não de pérolas. É mais daqueles a que se vão acrescentando penduricalhos ao longo da vida, sem nunca retirar nenhum.»

«O folclore materno tem frases certeiras em todas as áreas - aspecto físico, agressão passiva, segurança, ameaças, saúde e bem-estar, etiqueta e boas maneiras, segurança; e para todas as fases de crescimento dos filhos - infância, adolescência e idade adulta – embora, para as mães, o conceito de idade adulta nos filhos seja altamente discutível: como vim a descobrir, é-nos muito complicado reconhecer o crescimento de um rabo que limpámos vezes sem conta.»
Este é o livro sobre a Verdadeira-Mãe-à-Portuguesa, que é uma variante muito nossa da Mãe Universal: todas as mães do mundo parecem copiadas a papel químico. Se consultarmos um dicionário chinês de ditos das mães encontraremos, de certeza, muitos que parecem retirados a papel químico dos das nossas: o Rio das Pérolas Maternas passa por todos os continentes e desagua num oceano nem sempre pacífico, como se descobrirá ao ler este livro. Um oceano em que todos, mas todos, molhamos os pezinhos, ao longo de gerações e gerações.
Boa disposição garantida num livro recheado de divertidas ilustrações, que todos os filhos quererão ler e todas as mães podem ler sem motivar ameaças como a de que «vai haver cachapim com couve!».

Sobre a autora:
Ana Saragoça, filha dos anos sessenta, de um pai terno e de uma mãe extremosa que não deixa os créditos por mãos alheias, cresceu, tal como a irmã, limpinha e asseada, bem-educada, bem alimentada e agasalhada e bem comportada, apesar de um forte pendor para a irreverência que se lhe adivinha desde as primeiras linhas deste livro e se aposta que existe naquela cabeça desde os primeiros anos de vida.
Terá, pois, dado à mãe fortes razões para coleccionar «pérolas» suficientes para um colar com várias voltas e, agora, passa a herança à filha pré-adolescente e ao filho, já adolescente, com quem vive, em Lisboa. Embora por vezes tenha melhores resultados (como todas as mães sabem) a falar para as paredes, ou para os cinco gatos que completam o agregado familiar...
Para além do currículo materno-filial, é actriz, tradutora e escritora, tendo publicado, em 2012, um dos mais interessantes romances do ano literário: Todos os Dias São Meus. É também dramaturga, com duas peças levadas à cena recentemente, e colaboradora de várias revistas, e nomeadamente de uma que se chama Papel mas só existe online (o que pensará disto a mãe dela?)

Sobre a ilustradora:
Marta Carreté nasceu em Barcelona, em 1973. É ilustradora e pintura. Colabora habitualmente com revistas, agências de publicidade e produtoras de audiovisuais. O sentido de humor e a pesquisa de uma linha simples, mas graficamente conceptual, caracterizam o seu trabalho. Era ainda criança quando sentiu dentro de si qualquer coisa a agitar-se. Como uma daquelas bolas de vidro que contém um souvenir e quando se agitam provocam uma tempestade de neve, sabem?
Então teve a certeza do que queria ser quando fosse grande e, de então para cá, tem o privilégio de se dedicar àquilo que a faz vibrar mais intensamente: criar.


Título: A Rainha Cativa
Autor:
Barbara Kyle
N.º de Páginas: 392
PVP: 19,95 €
Disponível a 23 de Abril

Barbara Kyle consegue de forma magistral mostrar-nos a verdadeira História da Inglaterra de meados do século XVI, através das vidas de duas famílias, a Thornleigh, que apoia a princesa Isabel, e a Grenville, apoiante da rainha Maria. Depois de A Aia da Rainha e A Filha do Rei, a autora mergulha o leitor na Londres quinhentista, uma época dominada por reformas religiosas, uniões por conveniência e jogos de bastidores.
E é também sobre este pano de fundo que se desenrola a história de A Rainha Cativa.
Rico em detalhes, este terceiro volume da série não poupa o leitor a imagens impressionantes, de uma época pródiga em episódios e personagens fascinantes.
«Kyle é exímia em dotar a sua história de descrições vívidas, pormenores precisos e reviravoltas inesperadas num enredo empolgante que prende a atenção do leitor.» Romantic Times
«Uma excitante história de intriga e jogos de política na corte dos Tudor» Booklist

Inglaterra, 1554. No rescaldo da fracassada Revolta de Wyatt, uma rainha Maria vingativa manda capturar e executar todos os conspiradores. Entre os detidos encontra-se a irmã, Isabel, de vinte e um anos. Isabel declara-se inocente, atitude que intensifica ainda mais a raiva de Maria. Isabel anseia por recuperar a  liberdade – e conquistar a coroa da irmã. Em Honor e Richard Thornleigh e no filho de ambos, Adam, a jovem princesa encontra aliados leais.
Revoltada com a intenção proclamada por Maria de queimar todos os hereges, Honor visita Isabel, presa na Torre, e as duas mulheres tornamse amigas. E quando Adam desmascara um potencial assassino, a gratidão de Isabel transforma-se numa atracção forte e mútua. Mas embora Honor esteja disposta a pôr em risco a sua segurança pela futura rainha, a participação numa nova revolta contra a impiedosa Maria obriga-a a fazer uma escolha impossível…

Sobre a autora:
Foi actriz de sucesso e teve uma brilhante carreira na televisão. Como sempre gostou de escrever, e de História, nomeadamente da época dos Tudor, dedicou-se a uma investigação profunda e escreveu A Aia da Rainha, o seu primeiro romance, que recebeu as melhores críticas e esteve várias semanas no top de vendas. Vive em Ontário com o marido, onde escreve e ensina escrita criativa. Saiba mais em:  www.barbarakyle.com
quinta-feira, 18 de abril de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Dia Mundial do Livro – 23 de abril. Em Lisboa, as Livrarias Bertrand saem portas fora.

Celebra-se já na próxima terça-feira o Dia Mundial do Livro. Para assinalar a efeméride, há poemas na Estação de Metro de PT Blue Station – Baixa-Chiado. Dois actores estarão entre as 8h00 e as 11h00 e entre as 14h00 e as 16h30 na zona de galeria da linha verde e na zona do cais, em leitura de poesia. Ao fim do dia, na Bertrand do Chiado, a livraria mais antiga do mundo em funcionamento (reconhecida pelo Guinness Book of Records), há um Ler no Chiado especial.
"Vamos saber quais foram os Livros que mudaram o mundo e para isso convidamos o painel de comentadores do Eixo do Mal, da Sic Notícias. Clara Ferreira Alves, Daniel Oliveira, Luís Pedro Nunes, Nuno Artur Silva e Pedro Marques Lopes estarão à conversa com Anabela Mota Ribeiro, moderadora residente destas tertúlias que marcam, mensalmente, os fins-de-dia na baixa lisboeta."
À semelhança de anos anteriores, durante toda a semana, na rua Anchieta, avenida de Roma e praça Duque de Saldanha, a Bertrand abre as portas e traz os livros para a rua, numa feira que decorre no âmbito da Semana dos Livreiros, promovida pela APEL e pela Câmara Municipal de Lisboa. Retomando a tradição, publicaremos, também neste Dia Mundial do Livro, o Almanaque Bertrand 2013-2014. À venda, depois, em toda a rede livreira, a 23 de abril será oferecido em compras superiores a 25 euros.

Ao longo de todo o mês, mantém-se os Cursos de Livreiro para escolas que vão abranger cerca de 1000 (mil) crianças, de todo o país. Mantém-se também os descontos até 40% para portadores de cartão Leitor Bertrand, numa oferta selecionada disponível em todas as livrarias Bertrand e publicada na revista Somos Livros.

Somos livros todos os dias, mas mais ainda a 23 de abril.

Convite: 'Isto é um Assalto', no Porto, dia 23 de abril


Dia Mundial do Livro é com a Saída de Emergência

No próximo dia 23 de abril, comemora-se o Dia Mundial do Livro.
Como não podia deixar de ser, a Saída de Emergência vai assinalar esta data com uma iniciativa muito especial.

A Saída de Emergência e a Caixa Geral de Depósitos uniram esforços para levar literatura grátis de norte a sul de Portugal.

São 12.000 livros de uma seleção variada e de autores fantásticos que temos para oferecer.

Basta ser cliente CGD e dirigir-se à agência mais próxima. Terá um livro à sua espera.



Poderá encontrar, entre outros, livros de:

Anne Bishop
Clive Cussler
Rosie Thomas
Charlaine Harris
Laurel K. Hamilton
Christine Feehan
David Soares
Christopher Priest
Maria Helena Ventura
P. C. Cast e Kristin Cast
Alan Moore
Kim Harrison
Nora Roberts
Peter Ackroyd
Michael Moorcock



Uma oportunidade a não perder…

Dia da Mãe Presença: oferta maravilha + portes grátis


quarta-feira, 17 de abril de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Triplo - Ken Follett [Opinião]

Título: Triplo
Autor:
Ken Follett
Título Original: Triple
Tradução: Isabel Nunes e Helena Sobral
Páginas: 392
Coleção: Grandes Narrativas Nº 545
Género: Ficção e Literatura/Thriller
Público-Alvo: Leitores de Ken Follett
PVP: 18,90€


No ano de 1968, Israel esteve por detrás do desaparecimento de 200 toneladas de urânio, material destinado a dotar o Egito da bomba atómica com a ajuda da União Soviética. Contudo nunca se conseguiu determinar como é que um carregamento daquele minério, suficiente para produzir 30 armas nucleares, desapareceu no mar alto sem deixar provas que comprometessem Israel. Follett pegou nesta enigmática ocorrência e criou a partir dela um thriller único, onde um suspense de alta voltagem se combina com factos históricos.

Sobre o autor:
Ken Follett é britânico e nasceu em 1949. Consagrado autor de bestsellers, é sobretudo conhecido pelos seus thrillers. O seu primeiro grande êxito registou-se com o livro O Olho da Agulha, que venceu o Edgar Award em 1978, logo seguido de Triple. Entre os seus maiores sucessos conta-se Os Pilares da Terra e O Mundo sem Fim, dois romances históricos que se tornaram livros de culto no mundo inteiro, e a trilogia «O Século». Estima-se que a obra de Ken Follett tenha vendido acima dos 130 milhões de exemplares em todo o mundo.

Citações de Imprensa Estrangeira:
«Um thriller único e uma história de amor extraordinária, Triplo combina factos históricos com suspense de alta voltagem.» Amazon.co.uk
«Um romance vencedor...Um thriller soberbo.»  Newsweek


A minha opinião:
Nathaniel Dickstein é o protagonista deste novo livro de Ken Follett publicado pela Presença. Original de 1979, Triplo, talvez devido aos três agentes duplos que trabalham para diferentes países, é um livro de espionagem, muito ao estilo de James Bond. E não falta a bond girl, uma mulher exótica e demasiado bela por quem o protagonista, como não podia deixar de ser, se vai apaixonar.

Baseado em factos verídicos, Triplo relata a história do desaparecimento de 200 toneladas de urânio cujo destino seria o Egipto. Nathaniel poderá ser o responsável por esse desaparecimento da matéria que terá como destino Israel, país para quem Nathaniel trabalha.

Basicamente, o livro roda à volta de toda esta história, com os diferentes espiões, Yasif Hassan (árabe Fedayeen) e David Rostov (Rússia), a tentarem impedir que Nathaniel chegue aos seus intentos. A intenção de todos era a construção de uma bomba atómica. Curiosamente, todos se conheceram, uns anos atrás, em Oxford quando todos estudavam na mesma universidade.


Apesar de não ter sido a minha leitura favorita, Triplo não deixa de ter a escrita inconfundível de Follett, um mestre em juntar factos verídicos numa história que prende os leitores.

Mais informações consulte o site da Presença aqui

Para mais informações sobre o livro Triplo, clique aqui.





O mais recente livro de Teolinda Gersão chega às livrarias a 29 de abril: As águas livres

Título: As águas livres – Cadernos II
Autor:
Teolinda Gersão
Págs.: 176
PVP: € 15,50

O mais recente livro de Teolinda Gersão chega às livrarias a 29 de abril. As águas livres é uma obra de cruzamento de géneros, entre diários, observações e microcontos, com uma reflexão profunda sobre a vida e a literatura. Neste livro, a autora revela algumas pistas sobre o seu processo criativo e o modo como o seu olhar transporta o quotidiano para a ficção.
O lançamento de As águas livres realiza-se no dia 16 de maio, pelas 18:30, no Grémio Literário, em Lisboa, e a apresentação será feita pelo Dr. Guilherme d’Oliveira Martins.
O LIVRO
«São Cadernos espelhados uns nos outros, de algum modo autónomos, embora estejam interligados. Vêm de vários tempos, circunstâncias e lugares, como já acontecia em CADERNOS I - Os guarda-chuvas cintilantes, podem encaixar-se como matrioscas ou fugir em todas as direções como fagulhas. Formarão, eventualmente, no fim, uma constelação? Não tenho nenhuma certeza. Até porque nunca os poderei dar por terminados, serão sempre um contínuo interrompido, folhas de papel à solta, voando ao sabor do vento, que não me obedecem nem se deixam prender por mim. Pedaços de mundo em que tropeço como se tropeçasse em pedras, que não têm outro sentido para além de existirem, puro acontecer, em estado bruto.»

Sobre a autora:
Teolinda Gersão estudou nas universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi leitora de português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada. A partir de 1995 passou a dedicar-se exclusivamente à escrita literária. Viveu três anos na Alemanha, dois anos em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique, onde se passa o romance A árvore das palavras (1997). É autora de 12 livros de ficção, traduzidos em 11 línguas. Foram-lhe atribuídos os seguintes prémios: por duas vezes o Prémio de Ficção do PEN Clube (O silêncio, 1981, e O cavalo de sol, 1989), o Grande Prémio de Romance e Novela da APE (A casa da cabeça de cavalo, 1995), o Prémio Fernando Namora (Os teclados, 1999), o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco (Histórias de ver e andar, 2002), o Prémio Máxima de Literatura (A mulher que prendeu a chuva e outras histórias, 2008), o Prémio da Fundação Inês de Castro (2008). Três dos seus livros foram adaptados ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia. Foi escritora-residente na Universidade de Berkeley em 2004. O seu romance mais recente é A Cidade de Ulisses (Sextante Editora, 2011).

O primeiro livro em português escrito pelo Papa Francisco à venda no dia 18 de abril

O Verdadeiro Poder é Servir, à venda a partir de dia 18 de abril (384 páginas, 17,49€), e com prefácio do Cônego António Rego, é o primeiro livro escrito por Sua Santidade o Papa Francisco publicado em Portugal, e a melhor fonte para conhecer a mensagem e os princípios que orientarão o seu pontificado.
Por uma Igreja mais humilde e ao serviço de todos.

Usando o formato da homilia num estilo claro, simples e acessível a qualquer um, o Papa Francisco baseia-se no exemplo de Jesus Cristo, que veio à Terra para servir e dar a vida pelos outros, no que é porventura um dos mais importantes ensinamentos cristãos. O verdadeiro poder consiste, pois, em servir, e esse é o poder que o Papa e a Igreja devem, humildemente, exercer.

Um novo compromisso de fé e de renovação social.

O Papa Francisco mostra-nos, em O Verdadeiro Poder é Servir, a importância de sabermos ouvir e colocarmo-nos no lugar do próximo. A sua brilhante capacidade de análise da realidade leva-o a colocar-se, enquanto pastor da Igreja, lado a lado com o seu povo, assumindo um compromisso fraternal, através da catequese e da educação, pela renovação social.
Uma mensagem de fé e de esperança, num livro de leitura fundamental.

A Nascente disponibiliza os primeiros capítulos para leitura: www.nascente.pt/docs/PapaFrancisco.pdf

A Nascente irá ainda editar, no segundo semestre de 2013, um novo livro igualmente da autoria de Sua Santidade o Papa Francisco: Mente Aberta, Coração Crente.


terça-feira, 16 de abril de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Porto Editora: Mário de Carvalho apresenta "Revolução Paraíso"


Passatempo «Beat Girl»

Se tens entre os 16 e os 25 anos, transforma-te numa DJ por uma noite!
Participa no passatempo Beat Girl aqui!

Todas as informações no site http://www.beatgirl.pt/.

A loja dos suicídios - Jean Teulé [Opinião]

Título: A loja dos suicídios
Autor:
Jean Teulé
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 222
Editor: Editora Guerra & Paz
Coleção: Magistério
PVP: 14€

Sinopse:
Algures, num futuro pós-apocalíptico, podemos encontrar os Tuvache - mãe, pai e três filhos, cujo negócio de família garante as formas mais originais de cometer suicídio! E é no meio deste mórbido conjunto de personagens, de carácter sombrio e carregado de negativismo que encontramos Alan, a ovelha negra da família, uma criança que, para vergonha e desespero da parentela, pula, canta, dança e, imagine-se, sorri.

A minha opinião:
"A sua vida foi um fracasso? Connosco a sua morte será um sucesso!" "Viver mata." "Mesmo que não corte fundo, apanha tétano.", referindo-se a lâminas com ferrugem. Estes são alguns slogans que os clientes podem ver n' A Loja dos Suicídios. Lá arranjam tudo para um suicídio perfeito. E não há reclamações até porque quem poderia reclamar estará morto.
Nunca pensei divertir-me tanto ao ler este livro. Jean Teulé, numa narrativa de poucas páginas, conseguiu-me fazer soltar sorrisos, e adorar esta família tão disfuncional.
Os Tuvache são uma família peculiar. Num mundo cinzento pelo qual atravessam, os Tuvache dedicam-se, há várias gerações, por auxiliar os deprimidos e os que estão descontentes com a vida. Mas eis que nasce um Tuvache alegre, feliz com a vida que tem, que vai por em causa tudo aquilo que os Tuvache construiram. E vão começar a ver a vida de uma maneira diferente.
Alan é um miúdo cheio de vida e nem o nome que lhe deram, em homenagem ao Alan Turing, o inventor do computador que se suicidou com uma maçã com cianeto, o faz demover da alegria constante que é a sua vida. Contrariamente aos seus irmãos Vicent (em homenagem a Van Gogh) e Marilyn (Monroe), este vê o mundo como se fosse cor-de-rosa e tenta colocar alguma alegria às suas tristes vidas.
Um livro muito divertido, repleto de ironia, que se lê de um trago. Adorei os nomes das personagens, em homenagem a grandes suicídas das história, e os diversos chavões ao longo do livro.
Se está deprimido ou desanimado, nada com uma excelente leitura para desanuviar. E este é o livro ideal.

Porto Editora publica "O maior amor do mundo"

Título: O maior amor do mundo
Autor: Seré Prince Halverson
Tradutor: Ana Lourenço
Págs: 288
PVP: 15,50 €

Vivemos numa sociedade em que a taxa de divórcios continua a subir e são comuns os casos de crianças que se habituam a ter uma nova família, com madrastas, padrastos ou, antes, pais afetivos. Será o sentimento desses pais mais puro que o dos biológicos? Em O maior amor do mundo, romance de estreia de Seré Prince Halverson, assistimos à história enternecedora de uma mulher que luta pela custódia dos seus enteados contra a mãe biológica. Este livro, que já se tornou um sucesso mundial e que é publicado pela Porto Editora no dia 22 de maio, promete conquistar e comover todas as mulheres que amam os seus filhos, sejam eles ou não do seu sangue.

Sobre o livro:
Ella Beene vive uma vida idílica numa pacata cidade americana, com o marido, Joe, e os dois filhos do primeiro casamento deste. Certo dia, porém, infringindo uma regra de ouro, Joe vira costas ao mar e uma onda arrasta-o para o fundo, levando consigo os seus muitos segredos.
Convencida de que a mãe biológica dos filhos, Paige, os tinha abandonado, é com grande surpresa que Ella a vê aparecer no funeral, decidida a recuperar a custódia.
À medida que os segredos emergem, Ella vê a sua vida perfeita ruir como um castelo de cartas. Mas há duas crianças que precisam de si mais do que nunca e pelas quais está disposta a enfrentar todas as adversidades…

Sobre a autora:
Seré Prince Halverson é mãe e madrasta e cresceu com uma mãe e uma madrasta. Trabalhou vários anos como copywriter freelance. O maior amor do mundo é o seu primeiro romance e está a ser traduzido para 19 países.
Para mais informações visite o site da autora em:
www.sereprincehalverson.com

Imprensa:
O maior amor do mundo aborda as várias fases por que passamos na vida – casamento, maternidade e morte – com grande maturidade, sabedoria e elegância. Uma história que dá que pensar. Associated Press
Um romance de estreia comovente sobre mães, segredos e sacrifícios… uma análise lúcida e cuidadosa dos perigos e benesses inerentes aos laços familiares. Kirkus Review
Um sucesso anunciado. Publishers Weekly
Um primeiro romance encantador… comovente e cheio de esperança. People Style Watch
Uma autora a que devemos estar atentos. Bookpage

Lançamento do livro Apontamentos Políticos - Eanes e os Partidos, do General Garcia dos Santos e David Castaño, dia 23 de abril, 17h30, IDN


Novidade Oficina do Livro: Também há finais felizes, de Fernanda Serrano

Título: Também há finais felizes
Autor:
Fernanda Serrano
PVP: 15,10€
Págs: 248

Uma história desconhecida revelada pela primeira vez. Um diagnóstico terrível. Uma gravidez inesperada. E uma decisão corajosa.

Sobre o livro:
No dia do nascimento da sua segunda criança, por mero acaso, Fernanda Serrano tocou no peito e sentiu um caroço. O obstetra garantiu que não era nada. Mas era um cancro, como mais tarde se concluiu – e muito agressivo.

Quando soube da notícia, o sorriso mais bonito de Portugal desvaneceu-se. Mas nem o medo da morte o fizeram desaparecer.

Depois de muita luta, a actriz conseguiu ultrapassar a doença, voltar à normalidade e preparar o regresso aos palcos e à televisão. Sentia-se a renascer.

Só que, três meses depois, tudo desabou outra vez. A única coisa que os médicos lhe tinham proibido aconteceu: na sequência de um conjunto de circunstâncias insólitas, Fernanda engravidou e voltou, assim, a ficar numa situação dramática. A gravidez podia custar-lhe a vida e teria de ser interrompida, disseram-lhe os oncologistas – era ela ou a filha. O sofrimento da actriz tornou-se, então, dilacerante.

Sobre a autora:
Fernanda Serrano é uma das mais conhecidas actrizes portuguesas.

Nasceu a 15 de Novembro de 1973, em Lisboa, mas, tal como os seus pais, considera-se alentejana de corpo e alma. Inquieta por natureza, estudou línguas na Universidade Autónoma de Lisboa e desempenhou várias profissões, desde secretária a vendedora de livros, passando por modelo.

Através da moda, conheceu vários lugares do mundo e chegou a viver um ano em Barcelona, onde descobriu a sua paixão pela arte de representar. Mãe de três filhos, é casada com o empresário Pedro Miguel Ramos.

"Aprenda com a Máfia" de Louis Ferrante

Para tornar o início da sua semana ainda mais interessante comunico-lhe que a Esfera dos livros convidou Louis Ferrante, um ex-membro da família Gambino, responsável pelos maiores assaltos da história dos Estados Unidos para vir a Lisboa nos dias 29 e 30 Abril falar sobre o seu livro Aprenda com a Máfia. As regras para ter êxito em negócios legítimos.

Um livro original, bestseller nos E.U.A, com 88 técnicas de gestão imprescindíveis para alcançar o êxito, de forma legal, em negócios legítimos.

A Máfia é a mais antiga empresa em funcionamento no mundo. Conhecida pelas suas práticas imorais e cruéis, os seus membros mais bem-sucedidos são reconhecidos como sendo inteligentes homens de negócios. É o caso de Louis Ferrante, ex-membro da família Gambino, responsável pelos maiores assaltos na história dos Estados Unidos que cedo revelou um talento natural para a gestão.

Depois de passar oito anos e meio na prisão, Louis Ferrante decidiu mudar de vida. Ficou surpreendido com o que encontrou fora das quatro paredes. No mundo legítimo, nos bancos, no mundo dos negócios, nas empresas de crédito, encontrou gente bem mais mafiosa que os seus antigos companheiros da Máfia. Baseado na vida que vivera, que o ensinou a defender-se dos predadores, a farejar um aldrabão, a ser autossuficiente, a pensar em grande e acreditar em si mesmo, Ferrante criou estas lições práticas para os empregados, quadros-médios de empresas e para os patrões. Um verdadeiro manual prático de gestão

Sobre o autor:
Louis Ferrante é um antigo membro da Máfia que esteve preso durante oito anos e meio depois de recusar incriminar os membros da família Gambino. Depois de ser libertado, escreveu um livro de memórias sobre a sua vida na Máfia que obteve críticas entusiásticas. Atualmente é apresentador de televisão, autor e orador. www.louisferrante.com

Actualmente passa no Discovery Channel o programa “Código Gangster” com Louis ferrante. Sábados, às 21h.