sexta-feira, 31 de maio de 2013

Quetzal Editores: A Vida no Céu, de José Eduardo Agualusa | 6 de junho, 21h30, Ler Devagar LX Factory


Procuram-se leitores Beta

A escritora Carla Pais procura leitores Beta para que lhe façam críticas construtivas relativamente ao seu novo romance. Para tal fez o seguinte comunicado:

"Há uns dias pedi, encarecidamente, aos meus leitores do facebook que partilhassem um post que publiquei a pedir leitores Beta, pois agora chegou a vossa vez – leitores deste blog.
O romance que incitou a criação deste meu espaço virtual, “Montebelo a traição do nome”, terminou e está em quarentena antes de passar à fase de reescrita. Este tempo em que os romances repousam são cruciais para o sucesso, ou não, da sua edição e é por isso mesmo que desta vez recorri a um novo método: Leitores Beta. É certo que aquando a sua publicação on line, as criticas que iam chegando eram positivas, o parecer editorial da Escrytus, igualmente positivo, e tudo isso junto foi fundamental para hoje estarmos neste ponto de pré edição. Posto isto, diriam vocês: - Então publica, já tens criticas positivas!
Eu respondo: - Não! Não chega! É a vossa opinião que quero. A vossa crítica, o vosso parecer de leitor na sua plenitude, daí recorrer a leitores Beta, ansiosos por detetar pormenores que me escaparam.
Passo então a explicar este meu devaneio:
Leitor Beta é todo aquele que tem por hábito ler (mínimo ½ livros por mês) e usufrui de uma língua afiada para a crítica, ajudando assim o autor a melhorar a sua obra, antes da publicação. Uma espécie de teste de mercado que se fazem aos livros antes da sua edição.


Quem procuro?
- Leitores (m/f) que apreciem romances eróticos com elevado grau de suspense.
- Idade mínima 18 anos, máxima 110 e que não seja cardíaco (está-se mesmo a ver porquê).
- Leitores que assumam o compromisso de ler a obra na íntegra e sobre ela emitir uma crítica/sugestões (construtiva (s) de preferência) no seu todo (personagens, enredo, cenários, etc…).
- Pretendo no mínimo 8 leitores Beta, 8 críticos distintos, 8 parceiros de opinião. Sim isto é para ti que estás a ler – 8 de vocês serão, daqui a uns dias, os meus mais temidos “Mestres”.


O que procuro?
- Opiniões sinceras e honestas. Não pretendo leitores passivos que apenas absorvem o que gostaram. Preciso de gente com fibra que opine genuinamente sobre o que leu, que saiba fundamentar a crítica, no sentido da qualidade da obra. O que está bem está e o que está mal tem que se mudar – importante frisar isto!
- Os personagens são credíveis? Consensuais? Apaixonantes? Enfadonhos?
- A história tem ritmo? Prende-te a cada página? Provoca-te sensações? Dá-te nervos?
- Os cenários estão adequados? As roupas? O enquadramento das cenas?
- No final das primeiras páginas o que prevês que aconteça ao enredo?
- O final do livro é previsível? Envolves-te ao ponto de sentir todas aquelas emoções?
Todas as gralhas, erros frásicos e de construção podem ser apontados mas alerto que a revisão textual será feita por uma profissional, podemos deixar essa parte de lado, para já.


Agora tu:
Se este é um assunto que te interessa, se te achas capaz de avançar nesta maratona comigo, envia-me um email (carlapais97@gmail.com) a falar um pouco de ti.
"

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Lobo Vermelho - Liza Marklund [Opinião]

Título: Lobo Vermelho
Autor:
Liza Marklund
Tradução: Vasco Gato
Págs: 448
PVP: 16,60 €

Sobre o livro:
No Norte da Suécia, no pequeno povoado de Luleå, um jornalista é brutalmente assassinado.
Para a repórter do Correio da Tarde de Estocolmo, Annika Bengtzon, não há qualquer dúvida de que o crime está relacionado com a investigação de um ataque a uma base aérea ocorrido nos anos sessenta. Mas esta será apenas a primeira de uma série de mortes acompanhadas de uma carta manuscrita aos familiares. Contra ordens explícitas do chefe, Annika decide continuar a investigação por sua própria conta e risco, envolvendo-se numa espiral de violência e terrorismo que tem por trás um grupo de seguidores da filosofia Mao que se autodenomina «As Feras».
Chegará o momento em que a jovem repórter será obrigada a rever as suas prioridades de vida.

Mas não será tarde de mais?

A minha opinião:
Quando tive conhecimento que ia surgir no mercado português mais um livro de Liza Marklund fiquei felicíssima. Isto porque há uns anos li o primeiro livro da série Annika Bengtzon, publicado pela Presença, e lembro-me de ter gostado muito. Em Homicídio no Parque Annika ainda era uma jovem estagiária num dos principais jornais de Estocolmo quando se viu envolvida na investigação do assassinato de uma jovem stripper.

É certo que esperava de ver o segundo volume da série publicado, mas como não se publicou mais nada da autora até agora parti, mesmo assim, com muita curiosidade para a leitura de Lobo Vermelho, o 5.º livro da série. Embora haja uma ou outra referência aos livros anteriores, até porque Annika passou de jovem estagiária a uma excelente jornalista do Correio da Tarde de Estocolmo, é um livro que se lê bastante bem.

Quando Benny Ekland, um jornalista que se ia encontrar com Annika é assassinado, esta começa a desconfiar que a morte deste pode estar ligada com a investigação que ambos tinham em curso. Apesar de trabalharem em jornais completamente diferentes, ambos partilhavam informações sobre um atentado, acontecido nos anos 60, mas que tinha tido novos desenvolvimentos muito recentemente.

Annika não tem qualquer dúvidas acerca do relacionamento das coisas, e começa a investigar a fundo a morte do seu colega. A investigação vai levá-la a descobrir o grupo terrorista composto pelas mais diferentes personagens, cada uma usando um nome de código inspirado em animais. E o caso agrava-se mais quando alguns membros do próprio grupo começam também eles a ser assassinados.

Gosto particularmente de Liza Marklund porque, além de nos oferecer um excelente policial, desenvolve muito bem as suas personagens e os locais onde a acção decorre, o que para mim é um aspecto por demais importante. Além do crime acompanhamos a vida pessoal de Annika, os problemas do casamento, os dois filhos de ambos, o problema pessoal da sua melhor amiga, e, sobretudo a influência que a política tem nas redações dos jornais, mas também da media em geral. E a questão que coloco é sempre esta: ética ou poder? Liberdade de expressão é um utopia, sobretudo para quem é jornalista, infelizmente.

Como me identifico muito com a protagonista, por ser jornalista, só poderia adorar este livro. Excelente.

Após O Veredicto, a Porto Editora publica, no dia 7 de junho, A Reviravolta, um novo thriller judicial de Michael Connelly

Título: A Reviravolta
Autor:
Michael Connelly
Tradução: Miguel Castro Caldas
Págs.: 376
PVP: 16,60 €

Após O Veredicto, a Porto Editora publica, no dia 7 de junho, A Reviravolta, um novo thriller judicial de Michael Connelly, com intriga, suspense e muitas reviravoltas. Para além de ter ocupado o desejado primeiro lugar na lista de mais vendidos do New York Times, A Reviravolta foi ainda considerado um dos melhores livros do autor.
Este livro insere-se na série protagonizada pelo detetive Harry Bosch, onde as salas do tribunal ocupam o cenário de eleição. Desta vez, para alcançar o seu objetivo, o protagonista terá de se aliar ao gabinete do procurador do Ministério Público, seu habitual opositor.

Sinopse:
Em 1986, um crime brutal abalou a vida dos habitantes de Hancock Park: Melissa Landy, de doze anos, foi raptada e brutalmente assassinada, e o seu corpo atirado para uma lixeira. Vinte e quatro anos depois, o caso regressa à barra dos tribunais, sob o olhar atento dos meios de comunicação social. Jason Jessup, o suposto infanticida, tem em seu poder uma prova de ADN capaz de o ilibar do crime. Porém, o advogado Mickey Haller, conhecido pelas suas defesas vitoriosas, aceita agora uma nova missão: trabalhar pela primeira vez com o gabinete do procurador do Ministério Público para provar a culpa de Jessup. Com a ajuda do detetive Bosch e da ex-mulher, a destemida Maggie McPherson, Haller terá então de superar um advogado de defesa hábil na manipulação dos meios de comunicação social, um réu ardiloso e uma testemunha relutante em depor ao fim de tantos anos. E o jogo torna-se cada vez mais perigoso à medida que a família de Haller e a de Bosch se veem transformadas em peças de xadrez num tabuleiro fatal.

Sobre o autor:
Admirado por Stephen King e com 50 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Michael Connelly é um dos nomes incontornáveis da literatura policial moderna e uma presença constante nos tops de vendas mundiais. Autor da série de livros protagonizados pelo detetive Harry Bosch, alguns dos quais já adaptados ao cinema, está traduzido em 36 línguas e recebeu alguns dos mais importantes prémios literários, quer nos Estados Unidos, quer em diversos países estrangeiros. No catálogo da Porto Editora figura já O Veredicto, outro livro protagonizado pelo advogado Mickey Haller e o famoso detetive Bosch.
Página do autor: www.michaelconnelly.com

Matéria-Prima. Novo livro sobre Jorge Jesus, hoje nas livrarias

Título: Jorge Jesus - Os segredos e a arte de um dos melhores treinadores da actualidade
Autor: Rui P. Castro
Género: Biografia/Liderança
N.º de páginas: 240 + 8 (com fotografias)
PVP: € 13,50

ACONTEÇA O QUE ACONTECER, JORGE JESUS NÃO DEIXARÁ DE SER UM DOS MELHORES TREINADORES PORTUGUESES.
Descubra os segredos e a arte do treinador do momento, o homem que devolveu o brilhantismo ao Benfica e que recolocou o clube no mapa das competições europeias.
UM LIVRO INDEPENDENTE E REVELADOR
Apesar de uma recta final marcada pela desilusão e pela injustiça, Jorge Jesus merece que paremos para perceber o seu estilo, as suas ambições, as suas frases mais fortes, os seus momentos mais controversos.
Este livro faz um perfil e uma crítica da carreira deste treinador, tal como da sua mais recente temporada à frente do Benfica. É uma visão da sua capacidade enquanto líder de uma equipa, e das suas fragilidades enquanto actor mediático. Mas como Jesus é treinador de futebol, este livro foca-se naturalmente mais nas suas qualidades do que nos seus defeitos. Os seus defeitos, aliás, só são conhecidos porque, antes de mais, se tornou um grande treinador.
Homenageamos, portanto, o treinador que tem o melhor registo de jogos sem perder num época no Benfica, superando Béla Guttman; que ultrapassou Eriksson e que detém o recorde de vitórias europeias e de presenças em jogos europeus. O homem que é sempre espontâneo, seja a argumentar uma vitória ou a ajoelhar-se perante uma derrota.

Sobre o autor:
Rui P. Castro licenciou-se em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa. Depois de uma breve passagem pela televisão, apaixonou-se pela imprensa desportiva. Dedicou mais de vinte anos à profissão e, durante a sua carreira, acompanhou de perto os principais clubes portugueses e a selecção nacional.

Sessões de autógrafos - Matéria Prima Edições Feira do Livro 2013


quarta-feira, 29 de maio de 2013

Os Contos Sobrenaturais de Carlos Fuentes: «Aura» é um dos textos incluídos no livro que é publicado a 7 de junho

Título: Contos Sobrenaturais
Autor:
Carlos Fuentes
Tradutor: Helena Pitta
Págs.: 136
PVP: 13,30 €

Depois do romance Adão no Éden e de Contos Naturais, a Porto Editora apresenta um novo livro do escritor mexicano Carlos Fuentes, Contos Sobrenaturais, com data de publicação marcada para 7 de junho. Reunindo alguns dos mais importantes contos de Fuentes, dos quais se destacam «Chac Mool» e «Aura», provavelmente o mais conhecido, Contos Sobrenaturais é um livro marcado por temas recorrentes do autor, como a identidade mexicana, a morte e a religião, a que acresce um tom sobrenatural e misterioso.
Carlos Fuentes foi galardoado com os mais importantes prémios para autores de língua espanhola, como o Prémio Cervantes e o Prémio Príncipe das Astúrias, e a sua obra inclui dezenas de livros reconhecidos pela crítica internacional.

Sinopse:
Desde o início da sua carreira literária, o território do relato fantástico é tão natural a Carlos Fuentes como respirar. Este livro (que dá seguimento a Contos Naturais, já publicado pela Porto Editora) inclui os seguintes contos: «Tlactocatzine, do Jardim de Flandres», «Pela Boca dos Deuses», «Litania da Orquídea», «A Boneca Rainha», «O Robô Sacramentado», «Um Fantasma Tropical» e «Pantera em Jazz». E ainda «Aura», provavelmente o mais famoso de todos os textos que Carlos Fuentes assinou.

Fernando Alvim e Raquel Strada apresentam livro de Teresa Branco

Título: Ser Fit ‘Bora Lá!
Autor: Teresa Branco
N.º de Páginas: 272 páginas a cores
PVP: 14,99 €
Nas livrarias desde 23 de Maio
Guerra e Paz|Clube do Livro SIC

Para jovens e adolescentes com e sem excesso de peso

Sinopse:
Este livro é para ti, rapaz ou rapariga, que tens entre 12 e 25 anos e queres ter um estilo de vida saudável. Ser Fit ‘Bora Lá! dá-te as melhores dicas para conseguires controlar o teu peso e a tua saúde, independentemente de o teu objectivo ser o aumento, a perda ou a manutenção do peso.
Ser Fit ‘Bora Lá! é também para todos aqueles que vivem, trabalham e se relacionam com jovens e adolescentes. O controlo do peso nesta fase da vida depende de múltiplos factores e variáveis e o envolvimento dos pais, professores, avós e amigos é essencial.
Ser Fit ‘Bora Lá! foi escrito especialmente para os jovens e adolescentes portugueses. Nele encontrarás:

Tabelas nutricionais e indicações adaptadas ao teu dia-a-dia
Conselhos específicos para rapaz e rapariga
Um programa de 4 semanas de alimentação e exercício concebido para atingires os teus objectivos

«Ser FIT ‘Bora Lá! é para ti… Para ti, que te preocupas com a imagem, que te queres sentir bem com o teu corpo e contigo próprio. Este livro é para ti que és rapaz, para ti que és rapariga, para ti que tens excesso de peso, para ti que não tens excesso de peso, que queres ser musculado ou que queres aprender a ter um estilo de vida saudável.
O quanto gostamos de nós está muito pouco relacionado com o nosso corpo mas muito mais relacionado com o que somos, com aquilo que conseguimos fazer e com a forma como nos vemos»
- Teresa Branco

Sobre a autora:
Teresa Branco é doutorada em Saúde e Condição Física, no âmbito da gestão do peso. É autora de cinco livros, dos quais se destacam os bestsellers Peso Pesado e Emagreça Comigo.
É directora do Instituto Teresa Branco, instituição que se dedica à intervenção clínica na gestão do peso e à investigação científica na mesma área.
Foi a especialista responsável pela perda de peso nos programas Peso Pesado, edição 1 e 2, e Toca a Mexer, da SIC.

www.teresabranco.com

Ganhe um livro do Mia Couto e celebre com a Leya o Prémio Camões 2013


terça-feira, 28 de maio de 2013

Paperblanks retrata a moda Vintage em nova coleção de blocos

Este bloco é fantástico para apontar as citações presentes nos livros que vamos lendo. O que acham? Eu quero um para mim, e vocês?

Novidade Planeta: Carlos Ruiz Zafón «O Palácio da Meia-Noite»

Depois do enorme sucesso de 0 Príncipe da Neblina, o primeiro romance de Carlos Ruiz Zafón, autor best-seller do The New York Times, que vendeu mais de 200 mil exemplares em Espanha, e que já está na quarta edição no nosso país, chega agora o tão esperado segundo livro da trilogia da Neblina.

Nesta quinta-feira, dia 30, chega ao mercado mais um livro de Carlos Ruiz Zafón, «O Palácio da Meia-Noite», o segundo volume da trilogia da Neblina. A partir deste dia, o livro estará à venda na Feira do Livro, com 10% de desconto.

Título: O Palácio da Meia-Noite
Autor: Carlos Ruiz Zafón
N.º de Páginas: 280
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 30 de Maio

Calcutá, 1932.
O coração das trevas.
Um grande enigma.
«Espero que gostem deste passeio pelo mundo crepuscular de Calcutá nos anos de 1930, onde as sombras da noite são mais espessas do que o sangue.» Carlos Ruiz Zafón

Um novo e extraordinário romance deste autor universal que irá manter o leitor agarrado à história. Heróis corajosos e muito hábeis e um vilão maravilhosamente sinistro.
Um livro fascinante sobre o heroísmo e a tragédia. Tão obscuro e ameaçador como uma noite em Calcutá. Um romance cheio de suspense e tensão. Com reviravoltas inesperadas que prendem do princípio ao fim, e escrito com a maestria deste grande autor: uma narrativa elegante cheia de pormenores.

No coração de Calcutá esconde-se um obscuro mistério....
Um comboio em chamas atravessa a cidade. Um espectro de fogo semeia o terror nas sombras da noite. Mas isso não é mais do que o princípio. Numa noite obscura, um tenente inglês luta para salvar a vida a dois bebés de uma ameaça impensável.
Apesar das insuportáveis chuvas da monção e do terror que o assedia a cada esquina, o jovem britânico consegue pô-los a salvo, mas que preço irá pagar?
A perda da sua vida. Anos mais tarde, na véspera de fazer dezasseis anos, Ben, Sheere e os amigos terão de enfrentar o mais terrível e mortífero mistério da história da cidade dos palácios.
Uma história de aventura e mistério para jovens dos 9 aos 99 anos.

«Um livro para adultos, bem como para os adolescentes, mas não aconselhável para cardíacos... O realismo mágico da obra-prima que veio sete anos depois, está aqui, num emocionante mistério meticulosamente trabalhado.» Weekend Press/Dominion Post Weekend (NZ)

Sobre o autor:
Carlos Ruiz Zafón nasceu em Barcelona, em 1964, e é um dos autores mais lidos e reconhecidos em todo o mundo. Inicia a sua carreira literária em 1993 com O Príncipe da Neblina (Prémio Edebé), a que se seguem O Palácio da Meia-Noite, As Luzes de Setembro e Marina. Em 2001 é publicado o seu primeiro grande romance, A Sombra do Vento, que se transforma num fenómeno literário internacional. Com O Jogo de Anjo (2008) regressa ao universo de O Cemitério dos Livros Esquecidos, que continua em O Prisioneiro do Céu. As suas obras foram traduzidas em mais de quarenta línguas e conquistaram vários prémios e milhões de leitores no mundo inteiro.

Guerra & Paz publica novas cartas de Jorge de Sena

Cartas de Jorge de Sena e Gaspar Simões  retratam relação sobressaltada

São cartas e nelas desenha-se um retrato de Portugal. São também um retrato da relação apaixonada de dois homens com a literatura. Uma relação tão apaixonada que gera amuos, incompreensão e um corte de relações de anos.

O livro «Jorge de Sena | João Gaspar Simões – Correspondência, 1943-1977» reúne as cartas trocadas entre dois grandes escritores e ensaístas. São cartas que falam de tudo, dos grandes temas e das pequenas batalhas do dia a dia. São duas visões do mundo e da cultura com marcadas diferenças. Tantas que os dois amigos chegam a cortar definitivamente relações. Mais tarde, já nos anos 70, por iniciativa de Jorge de Sena, João Gaspar Simões é convidado a participar num colóquio, nos Estados Unidos, sobre Fernando Pessoa, um gesto que reatou relações e selou com final feliz uma amizade de décadas.

Uma correspondência enérgica, combativa, mas também emotiva e comovente. Como um dia disse João Gaspar Simões, relembrando uma intervenção de Jorge de Sena: “Pediu-me, em plena cerimónia, que guardássemos um minuto de silêncio pela morte da ‘presença’! E desatou a chorar à nossa frente”.

Organizada e prefaciada por Filipe Delfim Santos, esta «Correspondência» inclui também o carteio de Mécia de Sena com Gaspar Simões e várias resenhas de João Gaspar Simões sobre obras de Sena e outros documentos inéditos.

Esta é a 4ª Correspondência de Jorge de Sena editada pela Guerra e Paz editores. As anteriores reuniam as cartas do poeta a Sophia de Mello Breyner, a Raul Leal e ao filósofo Delfim Santos.

A sessão do lançamento do livro vai ter lugar, na quinta-feira, 30 de Maio, às 18h30, no Grémio Literário, em Lisboa, estando a apresentação a cargo do Prof. Onésimo Teotónio de Almeida.


Branco - Alberto Silva [Opinião]

Título: Branco
Autor: Alberto Silva
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 169
Editor: Chiado Editora
Coleção: Viagens na Ficção
PVP: 12€

Sinopse:
Viaja-se aos desígnios da mente humana, sem propósito de as desbravar, mas antes espreitar, como quem vigia o buraco da fechadura. Fazem- se contas no final, entre dementes passagens carregadas de emoção, em ambientes mágicos, trágicos - talvez. Talvez seja assim, este livro. Ou talvez não.

"Estou rodeado de branco. Paredes brancas, cama branca, lençóis brancos. Tudo é branco. Perfeitamente branco. Não de um branco qualquer. De branco branco." "Sinto-me vazio, seco de mim. Empresto-me memórias passadas, minhas, vividas. Relembro episódios idos de tempos mortos. Encosto-me, velho, na lateral desta cama, esquecendo o lugar, olvidando o presente. Enfio, em mim mesmo, vontades de fuga, de escape. Ternura não tenho, nem jeitos de carinho. Se os tivesse, não teria a quem os deixar."


A minha opinião:


Apesar de Branco ser um livro de prosa, Alberto Silva transporta-nos, de uma forma poética, para o universo de Rita e do narrador do livro. Branco é um estado de espírito, é um nada, um vazio, que assola o protagonista num final de vida triste, só e com um grande amor nunca resolvido.

Uma narrativa sombria, negra como a capa do próprio livro, pessimista, que nos leva ao canto obscuro da nossa mente, da nossa rua, da nossa própria casa.

As relações humanas são por demais evidentes, levando-nos a conhecer o casal protagonista da história, com o seu amor um pelo outro, mas que uma acção irreflectida vai emsombrar a relação.

Um livro para reflectir, e para ler com calma, de modo a saborear tudo o que nele é dito.

No final do livro, Alberto Silva brinda-nos ainda com umas quantas páginas de uma brilhante poesia.

Recomendo.


Excertos:
"... o branco é incerteza, é tudo e não é nada. É um mundo puro, perfeito, sem fim, mas impossível."
"Somos fruto do nada aos olhos de quem nos vê no dia-a-dia."
"O agora é passado, nunca presente. Alcançar o presente é utopia das utopias da humanidade. Agora, foi-se."





A Europa-América publica para este mês dois fantásticos livros que também estarão em destaque tanto na Feira do Livro de Lisboa, como a nível comercial.
O primeiro não é novidade, trata-se do relançamento do clássico Grandes Esperanças, de Charles Dickens, a propósito da nova adaptação cinematográfica.
O segundo é o Irmão de Sangue de Eric Giacometti e Jacques Ravenne, continuação de Ritual da Sombra que a editora publicou em Setembro do ano passado.

Destaque

Título: Grandes Esperanças
Autor:
Charles Dickens
Colecção: Clássicos
Preço: 17.67 €
Pp.: 464

Um clássico intemporal!

Publicado pela primeira vez em 1860/61, Grandes Esperanças é um dos romances mais sérios de Charles Dickens. É impossível escapar ao poder de sedução desta obra poderosa e violenta — de onde não estão ausentes nem a sátira nem o humor. Tal como num romance policial, o mistério apodera-se da nossa atenção e a revelação da sua verdade psicológica e moral mantém-nos em suspenso até ao derradeiro momento. Hipnotizados pela voz de Pip e guiados pela sua memória, vamos desvendando o segredo das suas «grandes esperanças» e testemunhando o encontro de um homem consigo próprio.

Esta nova adaptação cinematográfica de Mike Newell, conta nos principais com Ralph Fiennes, Helena Bonhan Carter, Jeremy Irvine e Holliday Granger, entre outros.

Leia o livro. Veja o Filme.

Novidade

Título: O Irmão de Sangue
Autores:
Eric Giacometti e Jacques Ravenne
Colecção: Contemporânea
Preço: 21.90€
Pp.: 440

Siga as aventuras do comissário Antoine Marcas.
À semelhança de Ritual da Sombra, Irmão de Sangue é um thriller cheio de suspense que introduz os leitores nos meandros da maçonaria e estabelece um paralelo histórico com as mais modernas investigações.

Paris, 1355. Um homem é queimado vivo na praça pública. O copista Nicolas Flamel assiste, nauseado, a esta execução. Mas o horror está apenas a começar, pois aquele que se tornará num célebre alquimista está, neste momento, à beira de mergulhar nas terríveis revelações de um livro secreto, interdito.
Paris, 2007, sede da Obediência Maçónica. O comissário mação Antoine Marcas descobre dois crimes rituais cometidos por um dos seus, a quem chamam «o irmão de sangue». Uma mensagem vinda do Além põe rapidamente o comissário na pista de um velho segredo, relacionado com o mistério do ouro puro.
De Paris a Nova Iorque, assistimos a uma corrida contra o tempo entre o assassino em série e o polícia, articulada em torno de dois lugares altamente simbólicos: a Estátua da Liberdade e a Torre Eiffel.
Entretanto, escondido nas sombras e vigiando o desenrolar dos acontecimentos está o grupo Aurora, uma organização secreta constituída por personalidades da alta finança, cujo objectivo é o controlo absoluto do ouro…

Jacques Ravenne e Eric Giacometti, autores de vários thrillers maçónicos best-sellers, tecem de novo uma intriga fascinante, que arrasta os seus leitores pelos meandros do tempo…

Divina Comédia, uma nova editora que promete dar muito que ler

Em tempos de crise, esta é uma notícia em contraciclo.

Na próxima sexta-feira, 31 de Maio, será apresentada a Divina Comédia, um novo projecto editorial com forte destaque para os autores lusófonos.

"A Divina Comédia é uma editora independente, constituída por um grupo de pessoas que trabalha em livros há mais de 15 anos. Liderado por Alexandre Vasconcelos e Sá, este projecto editorial cria um novo espaço para autores de língua portuguesa e para a edição do que de melhor existe na literatura internacional, colmatando uma lacuna num mercado cada vez mais dominado pelos grandes grupos editoriais.

Com a publicação de cerca de 100 livros por ano, a Divina Comédia quer ser uma das editoras de referência no panorama literário português.", refere em comunicado.


Livros de autores como Fernando Campos, Carlos de Matos Gomes, Aniceto Afonso, Filomena Marona Beja, Raquel Freire, Aura Miguel, Nelson Quintino, Nuno Markl, Rita Ferro Rodrigues, Filipe Homem Fonseca, Pedro Tamen, John Cleese, Sasha Grey, Eric Hobsbawm, Jérôme Ferrari (prémio Goncourt 2012), Mo Yan (Prémio Nobel 2012), Alissa Nutting, Dolores Redondo, Graeme Simsion, Alejandro Zambra, entre muitos outros, fazem parte do catálogo a apresentar este ano.

A funcionar em pleno centro de Lisboa, num antigo armazém de livros totalmente recuperado, a Divina Comédia será um local privilegiado de encontro entre autores e leitores.

Com um espaço capaz de receber mais de 200 pessoas, para além de lançamentos de livros, a Divina Comédia terá também um programa alternativo de actividades culturais que será anunciado em breve.

Do seu núcleo inicial fazem parte:
Alexandre Vasconcelos e Sá – Editor
Paula Caetano – Editora ficção
Sara Wunderly Gomes – Editora de não-ficção
Leonor Branco – Directora de Produção
Cláudia Prata – Directora de Comunicação & Marketing
José Araújo – Director Comercial

A festa de apresentação da DIVINA COMÉDIA é já esta sexta-feira.
O evento está marcado para o próximo dia 31 de Maio, sexta-feira, a partir das 18:00h, prolongando-se pela noite dentro, nas instalações da Divina Comédia na Rua da Conceição da Glória, 75, Lisboa.
Estão programadas seis importantes apresentações de livros, cinco dos quais de autores de língua portuguesa, que darão o mote para um dia de comemoração dos livros, dos autores e da palavra.
A apresentação tem início às 18 horas com o lançamento do livro Alcora, o Acordo Secreto do Colonalismo, de Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes, apresentado por Fernando Rosas, um documento histórico fundamental que revela todos os pormenores de um acordo estratégico secreto entre o regime ditatorial português, a África do Sul e a Rodésia.
Em seguida, Pedro Almeida Vieira fará a apresentação da obra, O Cavaleiro da Águia, daquele que é considerado o decano do romance histórico português, Fernando Campos, cujo tema central é a fundação da nacionalidade.
Será feita ainda uma breve apresentação de Mudanças, de Mo Yan - Prémio Nobel de 2012, por Vasco Gato, tradutor da obra.
Às 21h30, Nuno Markl lança o seu novo livro Como Desenhar Mulheres, Motas e Cavalos, com poemas de Miguel Araújo. Um livro com o humor inteligente ao qual Nuno Markl nos habituou e ilustrações como só ele sabe fazer. A apresentação será feita por José Luís Peixoto.
Deve ser isto o Amor é o promissor livro de Rita Ferro Rodrigues e será apresentado por Andreia Vale e Pedro Mourinho. Um testemunho, na primeira pessoa, cujo cenário são as diferentes relações de amor entre as pessoas.
Segue-se a apresentação do romance revelação Bordel Português, de Nelson Quintino. Com um registo literário semelhante aos primeiros romances de António Lobo Antunes, Bordel Português é o retrato de uma Lisboa actual, mas castiça, com personagens do bas-fond lisboeta tão ou mais coloridas quanto as da Crónica dos Bons Malandros, de Mário Zambujal.

Após um breve retrato da editora e da equipa, Danny & Riqo [Dj set] dão início ao Divine Comedy Medley, uma performance musical que se prolongará pela noite fora.
Os comes-e-bebes serão servidos por Patrícia Furtado – Café Patita e Sebastião Castilho – Simply Sebastião, autores que em breve terão os seus livros publicados na Divina Comédia.

Sessão de Autógrafos – Autores da Oficina do Livro e Casa das Letras e Praça Leya

Terça-feira, 28 de maio
14h Festa da entrega dos prémios do concurso "Uma Aventura Literária", com a presença das autoras Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada e dos alunos das escolas participantes no concurso.
20h30 Cinema ao ar livre: “Comprámos um zoo”, de Cameron Crowe, com Matt Damon e Scarlett Johansson, baseado no livro “Querida comprei um zoo", de Benjamin Mee (Casa das Letras)

Quarta-feira, 29 de maio
20h30 Cinema ao ar livre: “José e Pilar”, Um filme de Miguel Gonçalves Mendes sobre a relação entre José Saramago e Pilar del Río.

Quinta-feira, 30 de maio
20h30-22h30 Música: “José Monteiro and The Italian Trio”. José Monteiro (trompete), Pasquale Mandia (bateria), Federico Arriaga (guitarra) e Tiago Martins (contrabaixo).
Uma iniciativa LeYa + Out of the Blue

Sexta-feira, 31 de maio
20h30-22h30 Música: “José Monteiro and The Italian Trio”. José Monteiro (trompete), Pasquale Mandia (bateria), Federico Arriaga (guitarra) e Tiago Martins (contrabaixo).
Uma iniciativa LeYa + Out of the Blue


Sábado, 1 Junho

MINI-WORKSHOPS
11h00 Mini-workshop de decoração de cupcakes para crianças, com Mafalda Matias, autora de "Momentos Doces" (Casa das Letras)
12h00 Mini-workshop "Plantar uma horta" para crianças, com Cláudia Villax autora do livro "Da Horta para Mesa" (Casa das Letras)

SESSÕES DE AUTÓGRAFOS
16h00 - Nuno Amado; Rita Garcia; Joana Pereira Bastos; Tiago Carrasco; Ricardo Marques; Lucília Galha
17h00 - Francisco Salgueiro; Joost de Rayemaker; Tiago Rebelo; Tiago Salazar
18h00 - Maria João Lopo de Carvalho

Domingo, 2 Junho 
11h30 Teatro Infantil: "A Formiga Juju na Cidade das Papaias", uma leitura dramatizada pela atriz Sofia Maul d’Contabandistas. Iniciativa LeYa + ONG AID Global
15h Visita das mascotes Vampiro Valentim, Asterix e Obelix, Smurfs
18h Lançamento de "1,2,3, conta lá outra Vez!", novo livro de Danuta Wojciechowska (Caminho). Apresentado por Andreia Brites
19h Música: Loafing Heroes Bartholomew Ryan (guitarra, voz, harmónica), João Tordo (contrabaixo), Judith Retzlik (violino), Alexandre Andrade (trompete), Nuno Morão (percussão).
20h30 Cinema ao ar livre: “Capitães da Areia”, baseado na obra homónima de Jorge Amado publicada na Dom Quixote e BIS.
16h00 - Miguel Carvalho
16h30- Tiago Rebelo
17h00 - Fernanda Serrano

Segunda-feira, 3 de junho20h Cinema ao ar livre: “Manoel de Barros – Só 10% é Mentira”, a desbiografia oficial do poeta Manoel de Barros, um documentário sobre a vida e obra do poeta Manoel de Barros, cuja “Poesia Completa”, foi publicada pela Caminho.

Terça-feira, 4 de junho
20h30 Cinema ao ar livre: “Embargo”, um filme de António Ferreira, baseado no conto homónimo de José Saramago.

Quarta-feira, 5 de junho
20h30 Cinema ao ar livre: “Quem Quer Ser Bilionário?”, de Danny Boyle, com Anil Kapoor, Dev Patel, Freida Pinto,Baseado na obra homónima de Vikas Swarup publicada na ASA.
 

Quinta-feira, 6 de junho18h30 Lançamento do livro “Hei-de Amar-te Mais”, de Tiago Salazar (Oficina do Livro), apresentado por Francisco José Viegas e Raquel Ochoa. 20h30-22h30 Música: “José Monteiro and The Italian Trio”. José Monteiro (trompete), Pasquale Mandia (bateria), Federico Arriaga (guitarra) e Tiago Martins (contrabaixo).
Uma iniciativa LeYa + Out of the Blue

Sexta-feira, 7 de junho 

18h30 Debate: A Literatura e a Crise. Moderados pelo jornalista João Céu e Silva, Lídia Jorge, Nuno Júdice, Miguel Real e Zeferino Coelho falam sobre os livros que versaram sobre a crise, uns premonitórios outros atuais.
20h30-22h30 Música: “José Monteiro and The Italian Trio”. José Monteiro (trompete), Pasquale Mandia (bateria), Federico Arriaga (guitarra) e Tiago Martins (contrabaixo).
Uma iniciativa LeYa + Out of the Blue

Sábado, 8 de junho 

11h30 Teatro Infantil: "A Formiga Juju na Cidade das Papaias", uma leitura dramatizada pela atriz Ana Colaço. Iniciativa LeYa + ONG AID Global
15h Visita das mascotes Ruca, Docinho de Morango, Marsupilami e Smurf
21h30 Música: Concerto "Filho da Mãe". Rui Carvalho (guitarra acústica)

Domingo, 9 de junho

11h Teatro Infantil: "A Formiga Juju na Cidade das Papaias", uma leitura dramatizada pelo ator Angelo Torres. Iniciativa LeYa + ONG AID Global
15h Visita das mascotes Ruca, Docinho de Morango, Vampiro Valentim e Smurf
18h Workshop “Faz o Curso na Maior”, uma sessão orientada por Nuno Ferreira e Bruno Caldeira, autores do livro “Faz o Curso na Maior” (Lua de Papel) dedicada a pais (e filhos) sobre o segredo do sucesso na universidade.
19h Showcooking com Claudia Villax (“Da Horta para a Mesa”) e Clara de Sousa(“A Minha Cozinha”)
21h Música: noite de fados tradicionais com os irmãos Cláudio (guitarra) e Patrícia Alves (voz). Uma iniciativa LeYa + Out of the Blue

Segunda-feira, 10 de junho (Feriado)

15h Teatro Infantil: Os melhores momentos de "As Aventuras de Pinóquio", pela Byfurcação – Associação Cultural.
15h30 Visita das mascotes Ruca, Docinho de Morango, Asterix e Obelix, Smurf
15h30 Workshop de Banda Desenhada para os mais novos orientado pelos artistas de BD Hugo Teixeira e Ana Vidazinha, autores dos álbuns Mahou, publicados pela LeYa/ASA. 18h Workshop de “cake design” orientado por Mafalda Matias, autora de “Momentos Doces” (Casa das Letras).

PRAÇA LEYA – SESSÕES DE AUTÓGRAFOS – até 10 de junho


Sábado, 1 de junho11h Maria João Lopo de Carvalho; Susana Cardoso Ferreira; Isabel Zambujal
15h Francisco Moita Flores ; Júlio Isidro
15h30 Cristina Drios; Ana Margarida de Carvalho; João Tordo
15h30 JL Pio Abreu
16h Cristiana Pereira, Walter Zand e Mia Temporário, autores do livro solidário “A Formiga Juju”; Nuno Amado; Rita Garcia; Joana Pereira Bastos; Tiago Carrasco; Ricardo Marques; Lucília Galha; Pedro Leitão; Sara Rodrigues; Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
16h30 Mafalda Moutinho; Patrícia Portela; Rita Taborda Duarte
17h Inês Pedrosa; Pepetela; Joost de Rayemaker; Lídia Jorge ; Rui Cardoso Martins; Patrícia Reis ; Daniel Sampaio e netos; António Caeiro; Alexandra Marques; Margarida Fonseca Santos; Tiago Rebelo
18h Maria João Lopo de Carvalho; Laborinho Lúcio; Francisco Salgueiro

Domingo, 2 de junho
15h Deana Barroqueiro; João Ricardo Pedro; Francisco Camacho; João Tordo (até às 16h30); David Machado
16h Joana Reis; Alice Vieira; Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada; Cristina Norton
16h30 Eva Delgado Martins; Manuela Castro Neves e Madalena Matoso; Patrícia Portela; Joana Bértholo
17h Nuno Lobo Antunes; João Ferreira do Amaral; Inês Pedrosa; Pepetela; Patrícia Reis; Marcello Duarte Mathias; Robert Wilson; Fernanda Serrano; António Borges Coelho; Miguel Carvalho; Ana Paula Tavares; Danuta Wojciechowska; Daniel Sampaio e netos; Alexandra Marques; Joana Sticchini Vilela; Isabel do Carmo; Urbano Tavares Rodrigues
18h Paulo Sousa Costa; Afonso Cruz

Sexta-feira, 7 de junho
18h Nuno Júdice

Sábado, 8 de junho
15h Domingos Amaral; Deana Barroqueiro; António Mota; António Torrado
15h30 Miguel Peres e João Amaral; Catherine Labey; Cristina Drios; Ana Margarida de Carvalho; Nuno Camarneiro; Nelson Martins
16h Lara Xavier; Alice Vieira; Lídia Jorge; Maria Teresa Horta; Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
16h30 Mafalda Moutinho; Rita Taborda Duarte
17h José Norton; Rosário Alçada Araújo; Patrícia Reis; Rita Ferro; Mário Cláudio; António Borges Coelho; António Sala; Maria João Lopo de Carvalho
17h30 João César das Neves

Domingo, 9 de junho
15h António Torrado; Maria Alberta Menéres; Maria do Rosário Pedreira e João Fazenda
15h30 Ricardo Cabral; Miguel Peres e João Amaral; João Tordo; Nuno Camarneiro
16h Maria José Costa Félix; Alice Vieira; Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
16h30 Daniel Sampaio; Rita Taborda Duarte e Maria João Lima
17h Nuno Lobo Antunes; Maria Teresa Horta; Urbano Tavares Rodrigues; Fernando Pinto do Amaral; Danuta Wojciechowska; António Caeiro; Isabel do Carmo; Margarida Rebelo Pinto
18h Nuno Ferreira e Bruno Caldeira; Manuel Alegre; João de Melo; Laborinho Lúcio

Segunda-feira, 10 de Junho

15h30 Ricardo Cabral; João Tordo; João Ricardo Pedro; Francisco Camacho; Miguel Real: André Gago / Marina Palácio
16h Alice Vieira; Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
16h30 Joana Bértholo
17h Patrícia Reis; Rui Cardoso Martins; Rita Ferro; Inês Pedrosa; Isabel do Carmo; O Arrumadinho; Padre José Luís Borga
18h Afonso Cruz

Novidades Quinta Essência para Junho

Título: A Rapariga de Olhos Azuis
Autora:
Tara Moore
N.º de Páginas: 392

Sinopse:
Anya Keating adora seu trabalho como assistente de Macdara Fitzgerald, dono da deslumbrante propriedade Lismore e dos seus cavalos de corrida. Macdara é um patrão indulgente e generoso e Anya tem muito carinho por ele. Mas quando Macdara a pede precipitadamente em casamento, a amizade de ambos - e a posição dela - fica ameaçada, e Anya sente-se dividida entre a sua lealdade para com Macdara e os seus sentimentos pelo neto dele, Fergal, o belo treinador de cavalos. Eis que aparece Orla Fitzgerald, neta distante de Macdara. Orla pode ter deixado Lismore em criança, mas voltou uma mulher sofisticada e bonita. Tão bonita, de facto, que a maioria dos homens ficam encantados por ela - e Anya vê com crescente apreensão enquanto Orla tecer a sua magia em redor de Fergal. No entanto, Orla pode não ser a rapariga de olhos azuis que os outros julgam. Há mistérios sombrios na vida da propriedade. O passado de Orla contém uma tragédia, e ela está determinada a reivindicar o seu direito de primogenitura, independentemente de quem se atravessar no seu caminho.

Título: Emoções Proibidas
Autor:
Jess Michaels
N.º de Páginas: 256

Sinopse:
Durante vários verões Miranda Albright viu - horrorizada, mas vergonhosamente excitada - o seu perverso vizinho Ethan Hamon, o notório conde de Rothschild, «entreter» uma sucessão de amantes nos terrenos da sua propriedade. Agora que o pai dela morreu, deixando para trás uma montanha de dívidas, Miranda deve fazer o impensável. Ethan prometeu apoiar as suas irmãs mais novas, financeira e socialmente, por um preço escandalosamente caro: Miranda deve oferecer-se completamente ao conde durante três meses, sem remorsos e sem restrições. Noventa dias e noites de sensualidade desenfreada esperam-na nos braços de um galã que vê a sua submissão como nada mais do que um grande jogo erótico. Porém, nem Miranda nem Ethan percebem que fogo arde por detrás de um rubor inocente. E assim que a paixão dela é desencadeada pelos lábios e pelo toque de Ethan, é a aluna que vai ensinar ao professor os caminhos do prazer proibido... e do amor.

Título: Intriga em Monte Carlo
Autora:
Elizabeth Adler
N.º de Páginas: 428

Sinopse:
Sunny Alvarez está farta de amar um homem que não se quer comprometer e o desejo de se afastar de tudo é mais forte do que nunca. Em Monte Carlo, espera encontrar descanso e tranquilidade; mas é apanhada numa teia de intrigas que envolvem uma série de roubos de joalharias elegantes. Será que Sunny pode confiar nos novos amigos que conhece naquele hotel glamoroso do Sul de França? A velha amiga de Sunny, a estrela de cinema Allie Ray, que possui uma vinha em França, vem em seu auxílio e tenta, ao mesmo tempo, transformar a vida e a aparência da sua velha amiga, Pru Hilson, com uma mudança de visual que altera não só o seu aspeto desleixado e com excesso de peso, mas converte também Pru numa detetive amadora. Se Sunny não deslindar esta embrulhada, poderá acabar como cúmplice involuntária de roubo, chantagem e até homicídio. Quando o seu namorado, Mac Reilly aparece, vem preparado para fazer tudo para recuperar Sunny, não sendo de somenos ter de resolver os crimes e salvar-lhe a vida. Repleto de pormenores decadentes e com a escrita inconfundível que tem encantado a legião de fãs de Elizabeth Adler, Intriga em Monte Carlo é uma perfeita gema e uma perfeita evasão.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Tertúlia na Ler Devagar


Porto Editora publica terceira série do autor da coleção de sucesso CHERUB: Nova coleção de Robert Muchamore

Título: A Evasão
Autor:
Robert Muchamore
Coleção: Henderson’s Boys
Tradução: Miguel Marques da Silva
Págs.: 280
Capa: mole
PVP: 12,90 €

A Porto Editora prepara-se para publicar, a 3 de junho, A Evasão, o primeiro livro da Henderson’s Boys, uma nova coleção de Robert Muchamore, autor da saga de sucesso CHERUB.
A Henderson’s Boys ajuda a descobrir as origens do braço juvenil do MI5 britânico, a CHERUB, instituição que dá nome a uma coleção de enorme êxito internacional.
Em Portugal, da primeira série da coleção, já se venderam mais de 200 mil livros – o último título, Tsunami, saiu no início de 2013. Recentemente, a Porto Editora publicou os dois primeiros livros da segunda série: República Popular e O Anjo da Guarda, e lançou ainda um novo sítio dedicado aos livros do autor.
Todos os livros de Robert Muchamore já editados em Portugal estão disponíveis no espaço do Grupo Porto Editora na Feira do Livro de Lisboa.

A Evasão:
Estamos no verão de 1940 e o exército de Hitler está a avançar por Paris, obrigando à evasão de milhões de civis franceses.
No meio do caos, duas crianças britânicas são perseguidas por agentes alemães. O espião inglês Charles Henderson tenta alcançá-las primeiro, mas só conseguirá fazê-lo com a ajuda de um órfão francês de 12 anos. Os serviços secretos britânicos estão prestes a descobrir que as crianças podem ajudá-los a vencer a guerra.
Para efeitos oficiais, estas crianças não existem...

Sobre o autor:
Robert Muchamore nasceu a 26 de dezembro de 1972, em Islington, Inglaterra. Trabalhou durante treze anos como detetive privado, mas abandonou a profissão para se dedicar à escrita a tempo inteiro.
Costuma levar quatro a cinco meses a escrever um livro, sendo que dedica o primeiro à pesquisa e o segundo à planificação da história. Só depois escreve. Segundo o próprio, tentar escrever aquilo que gostaria de ter lido aos 13 anos de idade foi a principal razão para a criação da coleção CHERUB.

2.º livro lido do desafio literário

Vermelho: A conspiração do Silêncio
Laranja: A Quinta Mulher - Henning Mankell
Amarelo: Não Matem a Cotovia - Harper Lee
Verde: Compaixão - Jodi Picoult
Azul:
Mel - Ian McEwan
Indigo: Os filhos da liberdade - Marc Levy
Violeta: O livro do Amanhã - Cecelia Ahern


A Conspiração do Silêncio - David Baldacci [Opinião]

Título: A Conspiração do Silêncio
Autor:
David Baldacci
Editora: Clube do Autor
N.º de Páginas: 516

Sinopse:
Hitchcocliano no seu crescendo de suspense, marcado por um conjunto de personagens notáveis e um final poderoso, A Conspiração do Silêncio é um thriller surpreendente, arrebatador e verdadeiramente actual. O Livro-Evan Waller é um criminoso sem escrúpulos. Às ordens de Estaline, esteve envolvido na tragédia de Holodomor, que custou a vida a quase 10 milhões de ucranianos. Mais tarde, fugiu do seu país, e, sob nova identidade, construiu um império graças à sua arte em comprar e vender qualquer coisa e qualquer pessoa. Agora, Waller aumenta a parada e coloca em risco milhões de vidas por todo o mundo ao negociar armas nucleares com terroristas islâmicos.

A minha opinião:
Apesar de saber que A Conspiração do Silêncio era o n.º 2 de uma série, e não tendo eu lido ainda o primeiro apesar de o ter em casa, não resisti à sinopse e peguei nele. Em boa hora o fiz porque fiquei completamente rendida ao Baldacci género thriller. Já tinha lido um livro do autor, mas na categoria de romance e, apesar de ter gostado, acho que é no thriller que Baldacci se destaca.

Reggie Campion pertence a uma organização de "vingadores". Ela e os seus colegas têm como missão secreta investigar a vida de personagens cruéis que num momento da sua vida cometeram crimes hediondos. E é com uma missão de Reggie que começa A Conspiração do Silêncio. Nesta missão, a jovem pretende levar a cabo a tarefa de matar um ex-nazi, escondido em Buenos Aires sob outro nome. Sob disfarça, Reggie acaba por cumprir a missão, tendo à sua espera uma nova, e mais desafiante: encontrar um ucraniano que serviu nas forças armadas, espião do KGB e que esteve envolvido na tragédia de Holodomor, que custaria a vida a 10 milhões de ucranianos. Actualmente com nacionalidade canadiana, quase ninguém sabia do passado de Kuchin, até Reggie e a sua equipa entrarem em acção.

Mas este trabalho iria tornar-se muito mais complicado do que pensavam à partida. Experiente em todo o tipo de tortura e investigação, cedo Kuchin descobriu que era o alvo de uma cilada. E é aqui que a adrenalina aumenta, tornando este livro uma cada vez mais agradável leitura.

Apesar de ter outros motivos para aniquilar Kuchin, A. Shaw entra em acção, e acaba por se ver envolvido na missão de Reggie...

Gostei particularmente dos "esqueletos no armário" de muitas das personagens que se foram desvendando ao longo da história. E a prova de que, apesar de vir de famílias onde os monstros imperam, os descendentes poderem enveredar por caminhos completamente diferentes. 

Com capítulos curtos e sempre cheio de acção, depressa se lêem as poucos mais de 500 páginas, ficando no ar a vontade de ler a continuação desta série. Eu vou pegar, muito em breve, n' O Jogo da Verdade, para conhecer ainda melhor A. Shaw um homem cheio de mistérios.


Novidade Quetzal: Cinerama Peruana: a sensacional estreia literária de Rodrigo Magalhães

Título: Cinerama Peruana
Autor: Rodrigo Magalhães
Género: Romance
N.º de páginas: 232
Data de lançamento: 7 de junho
PVP: 16,60 €

Uma voz nova e surpreendente no panorama ficcional português.
Um aprendiz de alfaiate tornado ensaísta de reduzida fama e menor proveito: Harry Heels. «Ao contrário de Conradin, nenhuma força externa veio em seu auxílio. A sua divindade, a identidade de Harry Heels, criara-a ele sozinho, Heels pela alcunha que lhe tinham posto na escola – tinha o tique de estar a sempre a bater com o calcanhar no chão durante as aulas, impaciente – e Harry, por lhe achar uma certa graça masculina.»
Dois irmãos, gémeos idênticos, enlutados e enfadados: «No Verão, viajavam com os pais: para Lisboa, onde conheceram Dinis Machado; para Bruxelas (…); para o Norte de Inglaterra, onde fumaram uma ganza nas traseiras de um pub, não muito longe da casa de W.G. Sebald, com cuja viúva os pais se encontraram. Depois, sem estação definida, começaram a viajar sozinhos.»
Três assassinos que atravessam fronteiras sem nunca deixarem de regressar a casa: «Da última vez que atravessaram a fronteira, ao chegarem à outra Lima, Bruno observou o céu carregado, considerando-o auspicioso, e ele e Luis concordaram; colheram dessa vez oito vidas, como se os favorecesse a fúria dos elementos.»
De uma maturidade literária verdadeiramente excecional, Cinerama Peruana desenvolve e articula estes três universos através de um tema comum: o do discípulo que ultrapassa o mestre.

Rodrigo Magalhães nasceu em 1975. É livreiro. Vive em Lisboa.