sexta-feira, 14 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Raquel Varela apresenta o seu novo livro, A Segurança Social é Sustentável, em Lisboa, no dia 17 de junho (Bertrand Chiado, 19h00), e em Coimbra, no dia 21 de junho (Bertrand Dolce Vita, 18h00)



Quetzal: O Relatório de Brodie, de Jorge Luis Borges, nas livrarias a 21 de junho

Título: O Relatório de Brodie
Autor: Jorge Luis Borges
Género: Contos
Tradução: António Alçada Baptista
N.º de páginas: 120
Data de lançamento: 21 de junho
PVP: 13,30 €

«Creio que, com o tempo, mereceremos que não haja governos. Nunca escondi as minhas opiniões, nem sequer nos anos difíceis, mas nunca permiti que elas interferissem na minha obra literária, salvo quando me foi imperioso exaltar a Guerra dos Seis Dias. O exercício das letras é misterioso. Aquilo que opinamos é efémero e opto pela tese platónica da Musa e não pela de Poe, que razoou, ou fingiu razoar, que a feitura de um poema era uma operação da inteligência. Não deixa de me admirar que os clássicos professassem uma tese romântica e que um poeta romântico adiantasse uma tese clássica.» Do Prólogo

Nas listas de maiores escritores do século XX, há vários nomes omnipresentes: Proust, Joyce, Kafka. Jorge Luis Borges é um deles. A sua ascensão ao panteão literário foi lenta, mas com o reconhecimento do prémio Formentor, em 1961, fixou-se aí definitivamente. Borges tornou-se uma lenda, um arquétipo do escritor erudito e de infinitos conhecimentos enciclopédicos.
Bibliotecas, tigres, espelhos e labirintos: não é possível pensar em qualquer destes substantivos sem que o nome de Borges nos ocorra de imediato. São elementos de um universo único que gerou uma multidão de admiradores e imitadores, embora nenhum tivesse atingido o nível do mestre. Tal como os escritores referidos no início, Jorge Luis Borges não recebeu o Prémio Nobel.

Intriga em Monte Carlo - Elizabeth Adler [Opinião]

Título: Intriga em Monte Carlo
Autora: Elizabeth Adler
N.º de Páginas: 428

Sinopse:
Sunny Alvarez está farta de amar um homem que não se quer comprometer e o desejo de se afastar de tudo é mais forte do que nunca. Em Monte Carlo, espera encontrar descanso e tranquilidade; mas é apanhada numa teia de intrigas que envolvem uma série de roubos de joalharias elegantes. Será que Sunny pode confiar nos novos amigos que conhece naquele hotel glamoroso do Sul de França? A velha amiga de Sunny, a estrela de cinema Allie Ray, que possui uma vinha em França, vem em seu auxílio e tenta, ao mesmo tempo, transformar a vida e a aparência da sua velha amiga, Pru Hilson, com uma mudança de visual que altera não só o seu aspeto desleixado e com excesso de peso, mas converte também Pru numa detetive amadora. Se Sunny não deslindar esta embrulhada, poderá acabar como cúmplice involuntária de roubo, chantagem e até homicídio. Quando o seu namorado, Mac Reilly aparece, vem preparado para fazer tudo para recuperar Sunny, não sendo de somenos ter de resolver os crimes e salvar-lhe a vida. Repleto de pormenores decadentes e com a escrita inconfundível que tem encantado a legião de fãs de Elizabeth Adler, Intriga em Monte Carlo é uma perfeita gema e uma perfeita evasão. 

A minha opinião:
Elizabeth Adler leva-nos outra vez a França para mais uma aventura de Sunny Alvarez e Mac Reilly. A zona escolhida é Monte Carlo, um local cheio de glamour e mistério, perfeito para mais uma investigação do famoso detective norte-americano.

Cansada de ser deixada para segundo plano pelo noivo, que prefere o seu trabalho, a investigar novos casos e casar com ela, Sunny decide viajar para Paris, sem pensar muito no assunto. No avião conhece um homem fascinante que a convence a ir para Monte Carlo, um local lindíssimo que servirá de tónico para a crise pela qual está a passar.

Depressa Sunny se integra conhecendo no hotel onde está hospedada duas mulheres solitárias, mas completamente diferentes. Por um lado existe Kitty Ratte uma quarentona, com algum peso a mais, e com um aspecto um pouco sombrio e Maha Mondragon uma mulher sofisticada, com jóias maravilhosas, e que dá um conselho a Sunny que ela não vai esquecer: "Aproveite as oportunidades que a vida poderá oferecer."

Ao mesmo tempo que isso acontece, uma joalharia famosa é assaltada deixando para traz uma vítima mortal. O assalto é muito semelhante a outros que já tinham acontecido em Paris e noutros países.

Claro está que Mac, ao partir para Monte Carlos para tentar conquistar Sunny, não vai conseguir resistir a investigar o caso. Não imagina é que a sua noiva poderá estar envolvida num caso que a poderá colocar em perigo.

Pelo meio Adler coloca ainda duas personagens engraçadas, Allie, amiga de longa data de Sunny e Pru, amiga de Allie que está a passar uma fase conturbada na sua vida pessoal. Não esquecendo ainda o companheiro de viagem de Sunny que a aconselhou a ir para Monte Carlo.

Um romance que junta intriga e algum policial, perfeito para os amantes de ambos os estilos literários.

Círculo de Leitores publica mais um livro de Lisa Gardner: A Sobrevivente

Título: A Sobrevivente
Autor: Lisa Gardner
Preço Círculo: € 13,99

Na obra de suspense mais emocionante de Lisa Gardner, a vida de três mulheres vai desdobrar-se e conectar-se de maneiras inesperadas. Pecados do passado são revelados e segredos assustadores mostram a força que os laços de família podem ter. Às vezes, os crimes mais devastadores são aqueles que acontecem mais perto de nós.

A queda dos inocentes. Uma família é brutalmente assassinada. O pai, único sobrevivente do massacre, é também o maior suspeito. Face ao horror, só a detetive D.D. Warren parece manter o sangue-frio e tentar chegar mais longe na sua investigação. Aos poucos, deixa-se envolver numa teia de mentiras que liga o destino de três mulheres – uma enfermeira na ala de psiquiatria, uma mãe decidida a proteger os filhos e uma menina sem medos. Quem planeou afinal aquele crime? Quem o oculta?
 

"Cheio de inventivos volte-faces, um romance emocionante a revelar uma chocante solução e um perfeito senso de justiça.” Publishers Weekly
“A vida de três mulheres colide no novo arrepiante thriller de Gardner… Eletrizante.” Romantic Times
“Afinado como um piano… Uma montanha-russa de suspense.” Karin Slaughter

Sobre a autora:
Bestseller do New York Times, a autora americana é uma das mais lidas no mundo e um ícone da ficção policial e de suspense contemporânea. Depois de abandonar o mundo corporativo, dedicou-se inteiramente à escrita, criando romances policiais emocionantes que muitas vezes se baseiam em crimes reais. A extraordinária adesão dos leitores às suas obras é a prova do fascínio que a sua escrita exerce.

Bertrand: Pássaros Amarelos, de Kevin Powers: um dos livros do ano

«A brutalidade da guerra choca muitas vezes, nestas páginas, com a sensibilidade poética da escrita de Powers.» 
Fernando Sobral, Jornal de Negócios


«Negro e luminoso, Pássaros Amarelos é um livro surpreendente, com uma aura que o torna num clássico […]. Um dos grandes lançamentos literários do ano, absolutamente obrigatório.»  Pedro Silva, Rua de Baixo
quinta-feira, 13 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Guerra & Paz publica o primeiro livro de Bárbara Guimarães

Num só livro estão juntos escritores como José Saramago, Valter Hugo Mãe, Pepetela e Gonçalo M. Tavares. No mesmo livro, o leitor vai descobrir personalidades tão distintas como a do arquitecto Souto Moura, a da pintora Graça Morais, a da cantora Aldina Duarte, a do compositor Bernardo Sassetti.

Bárbara Guimarães publica o seu primeiro livro, reunindo as entrevistas que fez a 30 grandes figuras das artes e da cultura portuguesas.

O livro chama-se «Páginas do Páginas Soltas» e é mais do que um livro. É uma aventura. Bárbara Guimarães desafiou e entrevistou alguns do melhores espíritos da nossa vida cultural. Com uma condição: cada um tinha de trazer dois livros. Bárbara convidou os escritores, os pintores, os realizadores, os músicos que mais a apaixonam. Depois a conversa foi pessoalíssima.

«Páginas do Páginas Soltas» é um livro essencial para quem gosta de Saramago, para quem concorda ou discorda da controversa Maria Teresa Horta. Mário Zambujal e Olga Roriz, Rodrigo Guedes de Carvalho e Beatriz Batarda, Ana Hatherly e Pedro Tamen são alguns dos entrevistados que Bárbara Guimarães trouxe para este «Páginas do Páginas Soltas». Um livro de 30 grandes personalidades da cultura portuguesa que é também uma obra sobre 60 grandes livros da literatura mundial.

quarta-feira, 12 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Planeta: Novidades Junho novo livro de Donna Leon

Título: A Rapariga dos Seus Sonhos
Autor: Donna Leon
N.º de Páginas: 360
PVP: 17,76€
Disponível a 13 de Junho

Uma história de mistério e intriga emocionante, que começa e acaba com um funeral, protagonizada pelo Comissário Guido Brunetti, com a assinatura da grande dama do crime, Donna Leon.

PARA QUEM NÃO PERDE UM BOM MISTÉRIO POLICIALÉ UM CRIME NÃO LER...

Este nono romance de Donna Leon publicado pela Planeta, no mês da sua publicação nos Estados Unidos, foi nomeado melhor livro do mês na Amazon.
Os romances desta autora acrescentam ao policial uma componente social. Neste livro, Donna Leon funde habilmente o trabalho de detective do Comissário Guido Brunetti com a perspicaz consciência das questões sociais, expondo sem pudores os conflitos raciais. E sempre com Veneza como pano de fundo.

«Donna Leon possui um talento especial para a criação de ambientes e reviravoltas no enredo que cativou milhões de admiradores e se nunca passou pela experiência de ler um dos seus romances, não poderia haver ocasião mais apropriada para começar do que esta.» Sunday Telegraph

Numa manhã chuvosa o Commissario Brunetti e o Ispettore Vianello respondem a uma chamada de emergência sobre o aparecimento de um cadáver a flutuar perto de uns degraus no Grande Canal.
Ao estender os braços para puxar o corpo, o pulso de Brunetti é enredado pelo cabelo dourado e avista um pequeno pé – juntos, Brunetti e Vianello retiram uma rapariga morta da água. Todavia, por incompreensível que possa parecer, ninguém comunicou o desaparecimento de uma criança, nem o roubo das jóias em ouro que tem na sua posse.
Brunetti é atraído para uma busca não só sobre a causa da sua morte, como também da sua identidade, a família e os segredos que as pessoas estão dispostas a guardar a fim de proteger os filhos – sejam inocentes ou culpados.

«Escrito num estilo poderoso e parcimonioso... este romance de Donna Leon é um dos seus livros mais sombrios e reflexivos.» Guardian
«A Rapariga dos Seus Sonhos é uma observação arguta dos laços familiares e uma avaliação perspicaz e realista dos prós e dos contras do que é politicamente correcto.» Evening Standard

Veneza é uma das mais visitadas cidades do mundo, célebre pelos seus canais, monumentos e beleza secular. Através das páginas de Donna Leon, é possível visitar uma Veneza que nem todos os turistas conhecem…
Pela mão do Comissario Brunetti, descobre-se a cidade dos residentes, as pequenas ruas por trás das catedrais, o interior dos edifícios que falam de História, os lugares frequentados pelos venezianos, os encantos escondidos da autêntica cidade que não está nos guias turísticos.
Nas páginas dos livros Donna Leon, a verdadeira Veneza também é personagem…

Sobre a autora:
Donna Leon nasceu a 29 de Setembro de 1942, em Nova Jérsia, mas viveu em Veneza durante vinte anos.Exerceu a actividade de Leitora de Literatura Inglesa na Universidade de Maryland. Há alguns anos a autora decidiu deixar o ensino para se dedicar à escrita e à música barroca. Apesar de ter chegado à escrita por acaso, atingiu rapidamente o êxito com a série policial protagonizada pelo Commissário Brunetti, consagrando-se como A Grande Senhora do Crime. Os seus livros estão traduzidos em mais de 23 línguas e são um êxito de vendas e da crítica. A escritora venceu o Crime Writters Association Silver Dagger em 2000 na Europa e nos Estados Unidos.

Título: Indiscrição
Autor: Charles Dubow
N.º de Páginas: 280
PVP: 17,76 €
Nas livrarias a partir de 13 de Junho

O que acontece quando se tem tudo e se quer mais?
Um romance intimista e inebriante sobre a infidelidade. Uma história de amor, luxúria, engano e traição. Sexy. Urbano. Sofisticado. Indiscreto Indiscrição é um romance pensado, cheio de fascinantes factos da vida, um irresistível e sensual page-turner, que explora o desejo de ter tudo, e as consequências de querer mais, com um equilíbrio subtil de sexo e muito intimista.
Tendo como pano de pano cenários idílicos como Paris, Roma, Nova Iorque e um dos locais mais frequentados pela classe alta nova-iorquina: Hamptons, o autor, Charles Dubow conta a história através da perspectiva de um narrador Walter, amigo íntimo dos protagonistas.
Um narrador que a crítica norte-americana compara com Nick Carraway, o narrador do livro O Grande Gastby.

O que diz a crítica internacional:
«O primeiro romance de Charles Dubow é uma deliciosa e absorvente história. As personagens cativantes parecem saltar da página convidando a entrar na sua história.» Library Journal
«A estreia de uma escrita inteligente e observadora.» Publishers Weekly
«Um romance épico de amizade, traição e amor eterno... excelente.» Kirkus
«Dubow prova ser um escritor elegante, com um sentido perspicaz de como moldar o seu material e conseguir apelar aos leitores. Cenários glamorosos, dinheiro antigo e sexo escaldante tudo se combina para tornar este romance uma leitura viciante.» Booklist
«O maior trunfo de Charles Dubow está na maneira como reinventa e revigora assuntos familiares de uma forma nova e hipnotizante.» New World Review

Harry e Madeleine Winslow foram abençoados na vida: têm talento, charme e dinheiro. Harry é um autor premiado e com uma carreira promissora. Madeleine é uma mulher de beleza sublime e graça, cuja bondade e serenidade desmentem a educação privilegiada e vivência no luxo. Ligados por profunda devoção, partilham um amor que provoca inveja.
Num fim-de-semana, no princípio de Verão passado na praia, Harry e Maddy, que estão na casa dos quarenta, conhecem Claire, uma jovem aparentemente inocente e inteligente, que desperta com sua a juventude e ingenuidade desarmante uma admiração no casal.
Atraída pelo inegável magnetismo dos Winslow, Claire entra na vida no casal. Mas, ao longo do Verão, a amizade e reverência transformam-se em desejo perigoso. O que irá abalar e poderá destruir o mundo dos Winslow. Uma história de amor, luxúria, engano e traição contada através da perspectiva de Walter, amigo de infância e apaixonado em segredo por Maddy.

Sobre o autor:
Charles Dubow nasceu em Nova Iorque e passou os verões na casa de família em East Hampton. Frequentou a Westeyan University e a New York University. Trabalhou como empregado de balcão, lenhador e, pastor na Nova Zelândia.
Foi também assessor do Congresso, e editor fundador do Forber.com e mais tarde editor do Businessweek.com. Vive em Nova Iorque com a mulher Melinda, os filhos William e Lally e o labrador retriver, Luke. Indiscrição é o seu primeiro romance.

Título: As Cinquenta Baboseiras de Toni
Autor: Roseella Calabró
N.º de Páginas: 136
PVP: 12,20€
A partir de 13 de Junho

O lado B da trilogia mais quente do ano que já é best-seller em Itália e Espanha.
Uma paródia ao garboso senhor Grey, que não passa de ficção quando comparado aos Tonis da nossa terra, esses sim, homens reais.

Se depois de ler a trilogia de As Cinquenta Sombras de Grey, se interrogou sobre quem é o homem que ressona a seu lado, então, este é o livro perfeito para si. O senhor Grey é lindo, rico, sensível, misterioso e sexy. E é o protagonista do fenómeno literário do ano: a trilogia As Cinquenta Sombras de Grey.
Há só um pequenino problema: este senhor Grey não existe. E o Toni? O Toni claro que existe.
Onde o Grey conversa garbosamente com a amada, o Toni recita o alfabeto inteiro arrotando. Se o senhor Grey toca de forma magistral piano, o Toni fica escarrapachado no sofá. O Toni, em suma, é o nosso companheiro-marido-amante, com quem nos encontramos à frente no exacto momento em que paramos de sonhar acordadas com o fatal Grey literário. Menos fascinante, mas muito mais divertido e com pelo menos cinquenta razões narradas neste livro hilariante.

O Toni esconde-se dentro de T-shirts decoradas a gordura, e em vez da leitura refinada prefere o último número do jornal A Bola. Bem, há qualquer coisa que falta ao senhor Grey: ser amado por provocar um sorriso. Se depois de ler de um só fôlego a trilogia de E. L. James se perguntar quem é o exemplar de homem que ressona alto ao seu lado, então, este é o livro certo para descobrir. E o mais importante, para rir. Porque, afinal, o riso é a coisa mais erótica que existe.
O senhor Grey é lindíssimo.
Olhos: cinzentos como o céu antes de uma tempestade hormonal. Mãos: grandes como o amigo solitário que se situa abaixo da cintura. Cabelos: que dão para fazer um ninho.
E o Toni?
Olhos: dois. Mãos: também. Cabelos: heróicos. Podem ser admirados perto do monumento aos Caídos erigido em sua homenagem.

Sobre a autora:
Rossella Calabró, milanesa, é escritora, copywritter e bloguer. Tem uma insana paixão por gatos e pelo pandoro (que utiliza de diversos modos). Escreve desde os cinco anos. Publicou quatro livros, incluindo Di  matrigna ce n’è una sola na Sonzogno e o e-book Perché le donne sposano gli opossum?, na Emma Books. Quando leu As Cinquenta Sombras de Grey, não resistiu e escreveu este livro.

Título: A Estranha Máquina dos Livros
Autor: Geronimo Stilton
N.º de Páginas: 48
PVP: 12,90€
Disponível nas livrarias a partir de 13 de Junho

Mais uma fantástica aventura do rato mais famoso do mundo, que vai permitir aos mais novos perceber os diferentes momentos da História, sempre de uma forma divertida. Quem teria conhecimento dos livros de Geronimo Stilton e do seu jornal se ninguém inventasse a imprensa tipográfica?
Seria um sarilho de dar água pelos bigodes!!!
Para evitar tal catástrofe, Geronimo, com Benjamim, Esparrela, Patty e Pandora, volta atrás no tempo, viajando até à Alemanha do século XV, para impedir os Gatos Piratas de sabotarem o trabalho de Gutenberg, o inventor da imprensa!
Para crianças a partir dos 7 anos.
Mais de 15 000 exemplares vendidos desta colecção.
As aventuras da família Stilton e dos Gatos Piratas oferecem um mundo de aventura e gargalhadas onde as crianças querem sempre entrar. Geronimo Stilton promete boas leituras para os pequenos leitores, ao mesmo tempo que funciona como uma ferramenta educacional para pais e professores. Publishers Weekly

Lançamento de Cinerama Peruana, de Rodrigo Magalhães, no dia 18 de junho, às 18h30, na Bertrand Picoas Plaza



Gianrico Carofiglio estreia-se em Portugal com As Perfeições Provisórias

Título: As Perfeições Provisórias
Autor:
Gianrico Carofiglio
Tradução: Regina Valente
Págs.: 256
PVP: 16,60 €

Já vendeu mais de 4 milhões de exemplares em todo mundo e os seus livros foram galardoados com diversos prémios, mas, antes deste sucesso, Gianrico Carofiglio foi um juiz antimáfia e um membro do Senado italiano. O seu primeiro romance a chegar a Portugal intitula- -se As Perfeições Provisórias e vai ser publicado pela Porto Editora a 21 de junho.
Gianrico Carofiglio estreou-se na escrita em 2002 e desde então já publicou oito romances. Em As Perfeições Provisórias, o autor faz um retrato cru da alta sociedade italiana, num thriller envolvente, digno de um autêntico Sherlock Holmes.

Sinopse:
Tudo começou com um estranho telefonema a anunciar um caso mais adequado a Marlowe do que ao advogado de defesa Guido Guerrieri. Seria ele capaz de encontrar novas provas que obrigassem a Polícia a reabrir o processo de investigação acerca do desaparecimento da jovem Manuela, filha de um casal abastado de Bari?
À medida que as suas pesquisas avançam, Guido vai combatendo a solidão e a melancolia que lhe são inerentes, partilhando ideias com o velho saco de boxe que tem pendurado no meio da sala de estar e calcorreando as ruas silenciosas da Bari noturna, por vezes frequentando o excêntrico bar de uma antiga cliente e ex-prostituta. Os depoimentos dos colegas de faculdade de Manuela são demasiado vagos e parecem não bater certo, e Guido ver-se-á obrigado a enfrentar uma juventude que, por mais que lhe custe, nada tem a ver consigo, enquanto uma convicção se lhe impõe no meio do caos: a de que a resposta jaz nos não-ditos, no silêncio e no vazio da noite.

Sobre o autor:
Nascido em 1961, em Bari, Gianrico Carofiglio é magistrado de profissão, foi membro do Senado italiano e juiz antimáfia, tendo participado em variadíssimos casos de crime organizado, corrupção, prostituição e tráfico humano. O seu primeiro romance, Testimone inconsapevole, foi um êxito de vendas e desde então tem recebido inúmeros galardões, como o XXXVI Premio Città di Chiavari, Premio delle Biblioteche di Roma, Grinzane Piemonte Noir Sezione Giallo Italiano, entre outros.
Em todo o mundo, os seus romances venderam para cima de 4 milhões de exemplares e permaneceu durante dois meses seguidos no 1.º lugar da lista de livros mais vendidos. Os direitos de tradução das suas obras foram cedidos para 24 países.
terça-feira, 11 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Quetzal: «Belo, subtil e original», o primeiro romance de Teju Cole chega às livrarias a 21 de junho

Título: Cidade Aberta
Autor: Teju Cole
Género: Romance
Tradução: Helder Moura Pereira
N.º de páginas: 288
Data de lançamento: 21 de junho
PVP: 17,70 €

Prémio Pen/Hemingway

«Belo, subtil e original» James Wood, The New Yorker
«Uma poderosa e inquietante exploração da alma humana.» Time Magazine

Julius, um jovem médico nigeriano, deambula sem destino através das ruas de Manhattan. Caminhar liberta-o do ambiente tenso da sua profissão e oferece-lhe o espaço necessário para pensar no relacionamento com os outros, na recente separação da namorada, no presente e no passado. Nesta caminhada por Nova Iorque, os milhares de rostos por que passa não atenuam o seu sentimento de solidão, pelo contrário.
Mas não se trata aqui apenas de uma paisagem física: Julius atravessa também um território social, cruzando-se com pessoas de diferentes culturas e origens, com quem partilha um cidade, um imaginário e sonhos impossíveis.
Tendo merecido os maiores elogios (que o comparam a Sebald, Coetzee e Henry James), este romance é também uma investigação sobre a identidade, a liberdade, a perda, o exílio interior e a entrega.
Cidade Aberta é uma obra profundamente original, cativante e encantatória.

Sobre o autor:
Teju Cole nasceu nos Estados Unidos, filho de pais nigerianos. É escritor, historiador de arte e um ávido fotógrafo de rua. Colabora regularmente com o New York Times e as revistas New Yorker e Granta, entre outras. Presentemente, trabalha num projeto do Twitter chamado «small fates». Teju Cole vive em Brooklyn, Nova Iorque.

Nascente: Cartas do Céu - Histórias reais de crianças que já partiram

E se a morte não significasse o fim?

«É impossível não ficar comovido» - Newsweek

Com base em quase 30 anos de experiência a comunicar com os espíritos, James Van Praagh, considerado o pioneiro entre os médiums, e voz do mundo dos espíritos há quase 30 anos, convida o leitor, em Cartas do Céu (16,49€), para uma viagem inspiradora. Repleta de histórias enternecedoras e profundas mensagens de amor, esta espantosa observação do Céu fornece-nos um retrato incrivelmente pormenorizado da viagem que os espíritos das crianças fazem enquanto andam entre este mundo e o próximo.

Em Cartas do Céu vai descobrir verdades acerca da vida após a morte que a maioria das pessoas não sonha existirem:

O que se passa quando morremos · Qual é o papel dos guias espirituais · O que é a evolução kármica · O que são os pactos espirituais · O que é a reencarnação · Como se faz o desenvolvimento da alma · Como é que os espíritos ocupam o seu tempo.

A Nascente oferece os primeiros capítulos para leitura imediata: www.nascente.pt/docs/CartasdoCeu.pdf

Sobre o autor: 
James Van Praagh é considerado o pioneiro entre os médiums. As suas mensagens trazem conforto e paz a milhões de pessoas, mudando a sua visão sobre o mundo dos vivos e dos mortos. Autor bestseller do New York Times, os seus livros foram publicados em mais de 50 países e traduzidos para mais de 60 línguas. James Van Praagh faz apresentações e leituras em todo o mundo.

Ao longo da sua carreira trabalhou com chefes de Estado, líderes religiosos de todo o mundo, e celebridades como Cher, Goldie Hawn, Shirley Maclaine, Ellen DeGeneres, Joan Rivers, Jennifer Love Hewitt, Wesley Snipes, e muitos outros. James van Praagh já marcou presença em alguns dos mais importantes programas de radio e televisão nos EUA, incluíndo Oprah, Larry King Live, Dr. Phil, The View, The Today Show.

Conheça melhor o autor em: www.vanpraagh.com

A 14 de junho, a Albatroz publica uma nova e surpreendente obra de Deepak Chopra, intitulada Deus: Dez histórias de encontros com o Divino

Título: Deus: Dez histórias de encontros com o Divino
Autor:
Deepak Chopra
Tradução: Alcinda Marinho
Págs.: 312
Capa: mole com badanas
PVP: 15,50 €

Esta obra – daquele que é, provavelmente, o mais importante autor da área das espiritualidades a nível mundial – reúne histórias de figuras importantes da História, que se sentiram «tocadas pelo poder divino».
O catálogo da Albatroz inclui outros dois livros do médico indiano Deepak Chopra: Poder, Liberdade e Graça (2009) e A Alma do Líder (2011).

Sinopse:
Neste novo livro, Deepak Chopra conta-nos as histórias de conhecidos santos, profetas e místicos que se sentiram tocados pelo poder divino. Através de notáveis e poderosos relatos, conheça os momentos decisivos do encontro com Deus que marcaram a diferença nas suas condutas. Deus: Dez histórias de encontros com o Divino mostra-nos que o diálogo com Deus está ao alcance de todos. Basta que saibamos escutá-Lo, como muitos o fizeram ao longo da história da Humanidade. Um livro inspirador que o ajudará a conectar-se com Deus, no seu dia a dia, de uma forma íntima e profunda.

Sobre o autor:
Deepak Chopra é o fundador do Centro Chopra para o Bem-Estar, nos EUA, e é mundialmente reconhecido como o grande mestre da Filosofia Oriental no mundo ocidental. Publicou mais de 60 livros e está traduzido em 35 línguas.
Mais informações em www.deepakchopra.com

Opiniões:
Deepak Chopra, o sábio da espiritualidade, demonstra neste novo livro, Deus: Dez histórias de encontros com o Divino, uma enorme ambição. A forma como explica Deus arrepia-me. O seu sucesso na definição desse mistério comove-me e enche-me de gratidão. Recorrendo à História escreve um livro para a História. Maya Angelou, escritora
A linha é habitualmente traçada por de Deus para a revelação, mas, ao desenhá-la da revelação para Deus, Deepal consegue dois resultados surpreendentes. Demonstra que Deus não tem de ser igual para todos e que não é necessário ver toda a escadaria que conduz até Ele para darmos o primeiro passo. Arvind Sharma, professor de Religião Comparada
segunda-feira, 10 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Madrugada Suja - Miguel Sousa Tavares [Opinião]


Título: Madrugada Suja
Autor: Miguel Sousa Tavares
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 352
Editor: Clube do Autor
PVP: 20€

Sinopse:
No princípio, há uma madrugada suja: uma noite de álcool de estudantes que acaba num pesadelo que vai perseguir os seus protagonistas durante anos. Depois, há uma aldeia do interior alentejano que se vai despovoando aos poucos, até restar apenas um avô e um neto. Filipe, o neto, parte para o mundo sem esquecer a sua aldeia e tudo o que lá aprendeu. As circunstâncias do seu trabalho levam-no a tropeçar num caso de corrupção política, que vai da base até ao topo. Ele enreda-se na trama, ao mesmo tempo que esta se confunde com o seu passado esquecido. Intercaladamente, e através de várias vozes narrativas, seguimos o destino dessa aldeia e em simultâneo o dos protagonistas daquela madrugada suja e daquela intriga política. Até que o final do dia e o raio verde venham pôr em ordem o caos aparente.
 

A minha opinião:
Madrugada Suja é bem diferente de Equador e Rio das Flores. Neste seu novo romance Miguel Sousa Tavares (MST) leva-nos para o Portugal pós-revolução, mas também para o Portugal corrupto dos dias de hoje, para a política a qualquer preço, para a desertificação das aldeias alentejanas, um pouco do espelho de todo o interior do país...

Se numa primeira parte MST nos leva para uma festa de jovens universitários que acabou mal, depressa nos remete para um ambiente familiar de uma típica aldeia alentejana, onde toda a gente se conhece e convive como se de família se tratasse.

A primeira parte vai ter reflexos no futuro de alguns personagens, que só se desvendarão muito mais tarde. A escolha de maus "amigos" leva a que se esconda um crime que terá reflexos no futuro do personagem principal.

Medronhais da Serra é a aldeia alentejana onde vivem as personagens principais. Um casal de idosos, um filho[Francisco] muito metido consigo próprio e um neto ainda pequeno, que cresce sem mãe. A altura do PREC, Verão Quente de 1975, da reforma agrária, vai levar a que Francisco parta com um grupo de revolucionários e nunca mais volte. Filipe, o filho esquecido, acaba por ser educado com os seus avós, vivendo numa aldeia pequena, mas que fica sempre na lembrança, mesmo depois, de ele próprio, partir.

Através de Filipe MST leva-nos também a conhecer, como se não já não soubéssemos, um Portugal corrupto, onde se constroem campos de golfe em zonas verdes, onde se compram políticos por tuta e meia, onde se muda de cor política como se muda de camisola, onde se constroem autoestradas que levam a nenhures...

Muito além de um romance, Madrugada Suja é a uma crítica dura a Portugal. Muito bom.

Excerto:

"Um Portugal de aldeias mortas, de comerciantes falidos, de agricultores sentados à berma das estradas construídas com os dinheiros da Europa, vendo passar os grandes camiões TIR que traziam de Espanha e dessa Europa as frutas e os legumes criados em estufas maiores do que quaisquer hortas deles, em direcção aos centros comerciais onde, em breve, eles próprios aprenderiam o novo e insípido sabor dos melões e das cebolas, dos reinventados “frangos do campo”, ou dos porcos sem gordura nem pecado, embalados em vácuo."





domingo, 9 de junho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

E onde está o Amor? - Ana Zanatti [Opinião]



Título: E onde é que está o Amor?
Autor: Ana Zanatti
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 136
Editor: Editora Guerra & Paz
PVP: 9€

Sinopse:
Seis mulheres e três homens, reúnem-se para confessar o que lhes parece inconfessável. Casamentos falhados, amores que não se cumprem, ciúme, traição, medo, frustração, erotismo, solidão. De tudo se fala nessa tarde, num encontro transformador do qual ninguém sai como entrou.

A minha opinião: 
Estava muito curiosa em saber como era Ana Zanatti enquanto escritora. Não me desiludiu, mas também não me cativou por aí além com este pequeno livro, pertencente a uma nova colecção da editora Guerra & Paz.

Através do relato de diversas personagens que se encontram num grupo de apoio, vamos descobrindo os amores e desamores que foram tendo ao longo da vida. Por ter diversas personagens nenhuma consegue prender o leitor, o que nos leva a ficar um pouco desligados do próprio livro.

Cada um com o seu sofrimento, com diversos tipos de amor, mas todos sofrendo do mesmo mal [o mal de amor], juntam-se numa tertúlia, um pouco improvável, para desabafar sobre a sua vida privada. Renato chora a perda da mãe, a única pessoa que amou verdadeiramente, já que nunca teve um relacionamento; Marisa chora um amor proibido por uma mulher, apesar de viver num casamento convencional, com um marido dedicado. Estas são apenas duas das personagens presentes, mas há também outra cujo marido apesar de presente fisicamente não tem qualquer conversa com ela, preferindo-a à televisão; um homem que gosta de outro homem; uma mulher que não se prende a ninguém... No fundo diversos tipos de amor, mas um amor que os deixa a todos infelizes.

Para quem gosta deste género, até que não é mau de todo.

Sessão de Autógrafos de Nelson Quintino, autor de Bordel Português na Feira do Livro