quinta-feira, 25 de julho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Esfera dos Livros: Sessões de Autógrafos

Amanhã, 26 de Julho a editora Esfera dos Livros promove diversas sessões de autógrafos. Aqui fica a lista:

18h00 – Sessão de autógrafos com Sara Rodi autora de D. Estefânia. Um trágico amor e D. Teresa de Tavira. Amante do rei. Continente do Oeiras Parque    
18h30 - Sessão de autógrafos com João Fernando Ramos autor de D. João I.  O Pai da Ínclita Geração. Continente do Norte ShoppingMatosinhos    
19h00 - Sessão de autógrafos com Ágata Roquette autora de A Dieta dos 31 Dias e de As Regras de Ouro da Nutricionista Ágata Roquette. Continente Portimão                                  
21h30 - Sessão de autógrafos com Isabel Stilwell autora de Filipa de Lencastre, Catarina de Bragança, D. Amélia e D. Maria II. Feira do Livro de Sesimbra      

Novidades Esfera dos Livros

Título: Os Privilegiados
Autor: Gustavo Sampaio
Colecção: Atualidade
P.V.P: 15 €
Páginas: 242

Dos 230 deputados à Assembleia da República, 117 estão em regime de part-time, acumulando as funções parlamentares com outras atividades profissionais no setor privado. Advogados, juristas, médicos, engenheiros, consultores, empresários, etc. Em diversos casos, prestando serviços remunerados a empresas que operam em setores de atividade fiscalizados por comissões parlamentares que os mesmos deputados integram.

Dos corredores do poder político para as salas de reunião dos conselhos de administração, e demais órgãos sociais, das maiores empresas portuguesas, com ou sem período de nojo. Um fluxo recorrente entre cargos públicos e privados. Das 20 empresas cotadas no índice PSI 20, por exemplo, 16 contam com ex-políticos em cargos de administração. Por vezes são ex-governantes que decidiram sobre matérias que implicam as empresas para as quais vão depois trabalhar, ou até administrar. Sabia que as subvenções vitalícias dos políticos foram criadas numa altura em que Portugal estava sob assistência financeira do FMI? Que foram alvo de um veto presidencial? Que duplicam de valor quando o beneficiário alcança os 60 anos de idade? Que apesar de terem sido revogadas há 8 anos, o número de beneficiários continua a aumentar? Que a identidade dos beneficiários passou a ser secreta? Ou que há políticos que a requereram com idade inferior a 50 anos? Pedro Passos Coelho prometeu que iria fazer nomeações com base no mérito e não nas ligações partidárias. Apesar da maior transparência, as 142 nomeações com ligações partidárias para altos cargos dirigentes na Administração Pública, identificadas neste livro, demonstram que os boys continuam a ser favorecidos.

O jornalista Gustavo Sampaio traz-nos um livro revelador, onde depois de uma exaustiva e rigorosa pesquisa, apresenta-nos as zonas cinzentas entre o interesse público e privado, e faz as ligações que nos permitem perceber como políticas e ex-políticos gerem interesses, movem influências e beneficiam de direitos adquiridos.

Sobre o autor:
Gustavo Sampaio (Coimbra, 1982) é licenciado em Jornalismo (Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), pós-graduado em Direitos Humanos (Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra) e mestrando em Ciência Política e Relações Internacionais (Universidade Católica Portuguesa). Trabalhou nas redações do jornal O Independente e da revista Sábado. É jornalista freelancer, com artigos publicados em diversos órgãos de comunicação social: Público, Exame, Fact Magazine, Bodyspace, Umbigo, entre outros.

Título: Em Defesa de Jacob
Autor: William Landay
Coleção: Romance
P.V.P: 22 €
Páginas: 388

Andy Barber é procurador-geral adjunto num pequeno condado no subúrbio de Massachusetts há mais de vinte anos. Bem-sucedido, é respeitado na sua comunidade como um advogado sério, obstinado e um homem de família feliz, junto da sua mulher Laurie e do filho Jacob. Mas tudo muda quando um crime chocante abala a pequena cidade de Nova Inglaterra. Um jovem de 14 anos é encontrado morto no bosque junto da casa de Barber que naturalmente assume a investigação do caso. Contudo o advogado não estava preparado para o que viria a acontecer: o seu filho Jacob é acusado de ser o assassino.
É preciso proteger Jacob que garante ao pai a sua inocência. Andy acredita nele. Tem de acreditar. Mas à medida que o julgamento ganha intensidade, com a descoberta de novos factos e revelações chocantes, que demostram como um pai sabe tão pouco acerca do seu filho, com a ameaça de um casamento prestes a ruir, Andy Barber vai enfrentar o seu próprio julgamento. Inicia então uma luta entre a lealdade e a justiça, entre a verdade e a alegação, entre um passado que tenta enterrar a todo o custo e um futuro que não consegue conceber. Este livro, aclamado pela crítica como o livro do ano, está recheado de mistério e suspense, fala-nos de culpa, traição, de amor incondicional e da forma como a nossa vida pode, num segundo, sair do nosso controlo, para nunca mais voltar a ser igual ao que era…

Sobre o autor:
William Landay vive em Boston. Licenciado pela Universidade de Yale, e pela Boston College Law School, foi procurador-adjunto antes de se dedicar à escrita. É autor dos livros Mission Flats e The Strangler, publicados com grande sucesso nos Estados Unidos.

Título: Estratégia Merkel
Autor: Gertrud Höhler
Coleção: Atualidade
P.V.P: 21 €
Páginas: 272

«Portugal olha com razão para a Chancelaria de Berlim, quando procura respostas para a questão do seu destino. Há muito que os cidadãos perceberam que os seus políticos estão paralisados: ironicamente, aquela que nunca se viu como europeia, faz dos portugueses vítimas dos seus interesses de poder europeus, que a longo prazo não são os interesses da Europa.» In Introdução à edição portuguesa.
Como é que Angela Merkel se tornou a mulher mais poderosa do mundo? Porque é que a Europa depende das suas decisões? Porque comanda os destinos de países como Portugal? O seu plano passa pela imposição de austeridade, a destruição dos postos de trabalho e a paralisação das economias mais fracas? Gertrud Höhler, uma das vozes mais críticas da chanceler na Alemanha, disseca de forma escrupulosa, a personagem-chave do cenário europeu actual e chega à definição de uma verdadeira «estratégia M». Uma estratégia que segue uma autêntica política de poder, sem olhar a meios democráticos ou legais, e vazia de quaisquer valores.
Este livro - um verdadeiro bestseller na Alemanha e em Itália - põe a nu a chanceler vinda da ex-República Democrática e o sistema de escândalos que marcou a «sua» Alemanha. Mediante uma análise meticulosa e desapiedada da sua carreira – iniciada sob a égide de Helmut Kohl – Höhler desvenda o segredo do sucesso de Angela Merkel. A mulher que não governa em prol de uma Europa com futuro, mas apenas em prol de uma Europa sob Merkel.

Sobre a autora:
Editorialista e ensaísta, autora de numerosos best-sellers e prestigiada consultora económica e política. No início dos anos 80 foi uma importante colaboradora do então chanceler Helmut Kohl. Com este livro, estrondoso sucesso editorial na Alemanha, editado em Itália com igual sucesso, impôs-se como a mais determinada voz crítica da política de Angela Merkel.
 
Título: Como o Capitalismo Acabou com a Classe Média
Autor: Santiago Camacho
Coleção: Atualidade
P.V.P: 18 €
Páginas: 232

O capitalismo está a matar a classe média. O desemprego não para de crescer, as desigualdades entre ricos e pobres acentuam-se, quem ainda tem trabalho perdeu o poder de compra, afogado em impostos e em cortes salariais, a bem da austeridade, há uma redução no acesso a serviços públicos outrora garantidos e surgem os chamados, novos-pobres, pessoas que até há algum tempo viviam confortavelmente, e que hoje não têm o que comer. O medo instalou-se na nossa sociedade. A vida como a conhecíamos é agora uma miragem longínqua.

Mas afinal para que servem os sacrifícios dos portugueses? O jornalista Santiago Camacho põe o dedo na ferida. Apesar de serem o pilar fundamental da sociedade e o motor da economia, estas pessoas não foram beneficiadas por resgastes financeiros, nem por injeções de capital, linhas de crédito e outras regalias como os bancos, um dos principais causadores da atual situação. Portugal negociou com a Troika um empréstimo financeiro de 78 mil milhões de euros, dos quais 12 mil milhões são destinados exclusivamente à recapitalização da banca... Então, porque é que há dinheiro para entidades financeiras, manchadas por negócios duvidosos enquanto a classe média paga a fatura sem ver um cêntimo? Porque é que esta classe luta para sobreviver, enquanto as classes altas conseguem escapar às rigorosas medidas de austeridade, nomeadamente através da transferência de avultadas quantias de dinheiro para paraísos fiscais, que continuam por fiscalizar, mas que representam o esconderijo de um quarto da riqueza privada mundial?

Numa linguagem direta e arrojada, o jornalista Santiago Camacho, autor da obra A troika e os 40 ladrões, analisa o modo como o capitalismo, através de jogadas económicas e financeiras arriscadas e dos interesses políticos dominantes, coloca em causa a estabilidade económica e social mundial, principalmente nos países do Sul da Europa.

Sobre o autor:
Santiago Camacho, escritor e jornalista, colabora em vários meios de comunicação social espanhóis como a Cadena SER, Rádio Nacional e as revistas Más Allá, Año Cero, Generación XXI e Ajoblanco. Os seus artigos e reportagens obedecem sempre a um denominador comum: a denúncia e a polémica. Uma grande parte do seu trabalho centra-se em temas heterodoxos, como as sociedades secretas, os serviços de inteligência e as teorias da conspiração. É autor da obra A troika e os 40 ladrões, editada por A Esfera dos Livros, em 2012.
 

Título: O Meu Cão e Eu
Autor: Alexandra Santos
Coleção: Manuais e Guias
P.V.P: 16,50 €
Páginas: 278

É o melhor amigo do homem. Um fiel companheiro de alegrias, diversão e, por vezes até, um apoio para alguns momentos de tristeza. Único e especial, assim é o meu cão. No entanto, na hora de escolher o companheiro que queremos, ou quando chegamos a casa e as coisas não correm como tínhamos imaginado, surgem sempre algumas dúvidas: Que raça devo escolher tendo em conta que vivo num apartamento pequeno e tenho dois filhos? Onde devo comprar o meu cachorro? Pela internet ou num criador certificado? A minha cadela labrador é um doce mas não acata as minhas ordens. Estou desesperada. Como devo ensiná-la a sentar? É normal o meu cocker roer os meus sapatos e destruir os brinquedos dos meus filhos? Devo alimentar o meu cão com ração ou com comida caseira? Tenho um beagle e não consigo ir passeá-lo à rua todos os dias, o exercício físico diário é realmente importante?Alexandra Santos, consultora de comportamento canino e treinadora de cães, acredita que com educação e treino adequados é possível criar um cão obediente e fiel.
Num livro amplamente ilustrado, esta especialista, com vários anos de experiência, dá-lhe conselhos práticos sobre que raça escolher, quais os cuidados veterinários que deve ter em atenção, como entender a forma de comunicar do seu cão, as melhores técnicas de aprendizagem e obediência, o que deve ter em consideração quando adota um cão, cuidados a ter com o cão idoso, e muitos outros temas que o ajudarão a tornar a sua relação com o seu animar de estimação, numa relação mútua de amizade baseada na confiança, respeito e dedicação.

Sobre a autora:
Alexandra Santos é CET em Cinotecnica, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Especializou-se em formação e treino de obediência no Boxer Club of Southern Africa. É membro da AABP (Association of Animal Behavior Professionals). Autora e co-autora de vários artigos publicados no Journal of Applied Companion Animal Behavior e na página do International Institute for Applied Companion Animal Behavior. É autora do livro Cachorros, publicado em Espanha por KNS Ediciones.
 

Apresentação de Trans Iberic Love de Raquel Freire, dia 26 de Julho, às 18h00, na FNAC Santa Catarina.


quarta-feira, 24 de julho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

... segundo Mafalda - Quino [Opinião]


Mafalda é a famosa personagem feminina criada pelo autor argentino Quino, a qual se "estreou" a 29 de Setembro de 1964 no semanário Primera Plana, tendo surgido pela primeira vez em Portugal seis anos depois. Com um olhar terno, perspicaz e simultaneamente crítico, Mafalda, uma criança de seis anos de idade, filosofa, detesta sopa, adora os Beatles e questiona-se - e questiona-nos - sobre a realidade que nos rodeia.

A minha opinião:
Lembro-me de ler BD da Mafalda ainda miúda. Tinha, inclusive, agendas de vários anos da pequena esperta criada por Quino que me acompanhavam por toda a parte. Daí não me espantar por ficar vidrada e constatar o quão actual continua Mafalda. Com uma crítica mordaz, a pequenita lá vai mostrando o que pensa do mundo, da vida política, dos próprios pais e do futuro. Em quatro livros alusivos à paz, aos pais, à crise e à política, Mafalda discorre sobre o que lhe vai na alma, estabelecendo diálogos com os seus habituais amigos, com os pais e até com Gui, o seu irmão mais novo. 
A Sábado associou-se à Asa e comemorou em pleno os 50 anos desta personagem tão famosa, brindando os leitores da revista com estes quatro livros grátis. 
Diverti-me imenso com a tiradas da pequenita. Foi uma tarde bem passada. 
Mais iniciativas destas precisam-se, para bem dos leitores ;)   
terça-feira, 23 de julho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

A estante está mais cheia


Estes são os novos inquilinos da minha estante. É verdade. Durante as férias comprei Agridoce, na promoção de uma revista; não consegui resistir ao novo livro de Musso, A Rapariga de Papel, com desconto de 20%; e a dois livros de Lobo Antunes, que me custaram 9,90€ (os dois).
Inferno foi prenda do meu marido pelo meu aniversário, será a minha próxima leitura.
Hotelle e A Escola Nocturna foram enviados pela Suma das Letras e Alfaguara durante as semaninhas em que estive de férias.
Já leram algum? O que acharam?

O Livro do Anjo - Alfredo Colitto [Opinião]

Título: O Livro do Anjo
Autor:
Alfredo Colitto
Tradução: Maria Irene Bigotte de Carvalho
PVP: 17,00 €
N.º de Páginas: 296

1313. A cidade de Veneza fervilha com os preparativos para a festa da Ascensão até que a maré alta traz à porta da Basílica de São Marcos os cadáveres de três crianças cristãs que haviam sido crucificadas. Um crime tão hediondo tem de ser expiado sem demoras. Eleazar de Worms, judeu, é acusado do homicídio e acaba por morrer na prisão. Na cela onde foi encarcerado, Eleazar deixa escrita uma misteriosa frase em latim. Porque a terá escrito com o seu próprio sangue? Qual o seu significado?
Mondino de Liuzzi, médico anatomista, desafiando o poder de Veneza e arriscando a própria vida, terá de descobrir o enigma de uma antiga linhagem de guardiães que remonta aos tempos do dilúvio para poder ilibar o judeu e decifrar o enigma por detrás destas mortes.


A minha opinião: 
A crucifixação de três crianças cristãs chocou Veneza corria o ano de 1313. Tão hediondo crime depressa arranja um culpado: o judeu Eleazar de Worms, que poderá ser, nada mais nada menos, que um bode expiatório.

Perante tal condenação do pai, que está convicto estar inocente, David por intermédio de uma jovem árabe Adia, chama Mondino um médico experiente, por forma a tentar defendê-lo. No entanto, quando Mondino chega é tarde demais: Elezar é encontrado morto na prisão. Mas a frase que deixa na parede, escrita com o seu próprio sangue, pode ser a chave para a resolução de todo o crime.

Perto de casar-se Mondino decide partir numa aventura sem medida, onde junta um grupo fortíssimo ligado à lei de Veneza, dois templários foragidos, e um amor passado que volta para o atormentar.

Pelas mãos de Mondino ficámos a conhecer a Veneza daquele tempo, sob aspectos políticos e históricos, a forma como as pessoas viviam e mau cheiro que se fazia sentir por entre os variados canais. Além disso, se bem que de uma forma bastante leve, acompanhamos os dois templários que fogem com o intuito de chegarem a Portugal para daí partirem de barco para terras desconhecidas.

Com toda a investigação à volta de Eleazar, Mondino e a sua equipa de circunstância, vai ainda descobrir um livro secreto, que passa de geração em geração, que poderá conter um enigma há muito guardado: O Livro dos Mistérios também conhecido como o Livro do Anjo, que terá sido ditado pelo anjo Raziel a Noé.

Com poucas páginas, pouco habitual neste género de thrillers históricos, penso que faltou explorar um pouco mais sobre o próprio livro do anjo, aspecto por demais importante para perceber o porquê de tanto mistério no seu esconderijo.
 
 
segunda-feira, 22 de julho de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Quetzal: Os Anéis de Saturno, de W.G. Sebald, a 9 de agosto nas livrarias

Título: Os Anéis de Saturno
Autor:
W.G. Sebald
Género: Romance
Tradução: Telma Costa
N.º de páginas: 264
Data de lançamento: 9 de agosto
PVP: 16,60 €

«Tão estranha como convincente – assim é a força invulgar da linguagem de Sebald, a sua seriedade festiva, a sua maleabilidade, a sua precisão.» Susan Sontag
«W.G. Sebald é dotado de uma capacidade percetiva alucinantemente apurada.» Der Spiegel
“Sebald tem o calibre de Nabokov, a mesma majestosa leveza.” Chicago Tribune

Como outros livros de W.G. Sebald, Os Anéis de Saturno é de impossível classificação: é ficção, viagem, biografia, mito, enciclopédia. Uma viagem a pé pelo litoral inglês de Suffolk e um relato autorreferencial transformam-se numa longa romagem melancólica por lugares da literatura, da arte e da história, as grandiosas (ou malfadadas) construções do espírito humano. Aqui, como em outros livros, Sebald conduz um paciente trabalho de arqueólogo, resgatando do esquecimento dos homens os prodígios da natureza e da criação lado a lado com a destruição, o horror do holocausto, da guerra, da escravatura.
O movimento exploratório do individual para o universal (e vice-versa), os grandes temas recorrentes do tempo, da memória e da identidade (inesgotáveis em si mesmos e na inimaginável riqueza de manifestações que Sebald observa) mantêm-se em Os Anéis de Saturno. Mas este será talvez o seu livro mais sombrio, mais arrebatador – e mais belo.

Livro - José Luís Peixoto [Opinião]

Título: Livro
Autor:
José Luís Peixoto
Editora: Quetzal
N.º de Páginas: 264

Este livro elege como cenário a extraordinária saga da emigração portuguesa para França, contada através de uma galeria de personagens inesquecíveis e da escrita luminosa de José Luís Peixoto. Entre uma vila do interior de Portugal e Paris, entre a cultura popular e as mais altas referências da literatura universal, revelam-se os sinais de um passado que levou milhares de portugueses à procura de melhores condições e de um futuro com dupla nacionalidade. Avassalador e marcante, Livro expõe a poderosa magnitude do sonho e a crueza, irónica, terna ou grotesca, da realidade. Através de histórias de vida, encontros e despedidas, os leitores de Livro são conduzidos a um final desconcertante onde se ultrapassam fronteiras da literatura.

A minha opinião: 
"A mãe pousou o livro nas mãos do filho", assim começa a história de Livro, nome de obra e nome da personagem principal, que transporta os leitores para a realidade da emigração portuguesa nos anos 60, a vida numa pequena vila portuguesa, das gentes, da ruralidade em comparação com a vida mundana de Paris.

Com início em 1948,  vivenciamos o drama de Ilídio, um pequeno rapazito que espera numa noite fria e solitária pelo regresso de uma mãe que o abandona à sua sorte e parte para nunca mais voltar. Um rapaz que se fez homem, que batalhou em busca de um sonho, de um grande amor.

É com Ilídio que conhecemos as peripécias dos muitos portugueses que decidem abandonar a sua terra, partindo para um destino melhor, mais desenvolvido, sujeitando-se a tudo e mais alguma coisa para amealhar o mais possível para um dia mais tarde regressarem à sua verdadeira casa.

Mas é na pequena vila que surgem as personagens importantes, desde a velha Lubélia, determinante na relação de Ilídio e Adelaide, a própria Adelaide, Josué, Cosme, Galopim, tudo personagens com características bem marcadas e que povoam o nosso imaginário de pessoas que fomos conhecendo também nas nossas próprias vivências, sobretudo aqueles que também viveram em pequenas localidades nalguma altura das nossas vidas, como foi o meu caso.

Apesar de um pouco maléfica, gostei de Lubélia e da sua história, gostei de Galopim, um jovem tonto, mas com uma grande responsabilidade, e gostei do amor das personagens centrais.


Depois de Morreste-me, este Livro soou-me, em várias partes, a livro autobiográfico. Tal como o protagonista também José Luís Peixoto nasceu em 1974, também ele viveu numa pequena localidade do país, também os pais dele foram emigrantes, o que ajudou a enriquecer mais esta obra magnífica.

Não é, pois, de estranhar que este romance tenha ganho o Prémio Salerno Libro d'Europa.

Estou definitivamente rendida a José Luís Peixoto.

Quetzal Editores: Claudio Magris distinguido com Prémio Europeu Helena Vaz da Silva

Claudio Magris é o primeiro distinguido com o Prémio Europeu Maria Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural
O Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a divulgação do Património Cultural, instituído pela Europa Nostra, pelo Conselho Nacional de Cultura e pelo Clube Português de Imprensa foi atribuído, pela primeira vez, ao escritor italiano Claudio Magris. Este prémio, agora em primeira edição, visa distinguir anualmente um cidadão europeu que, ao longo da sua carreira se tenha distinguido pela sua atividade de divulgação, defesa e promoção do Património Cultural Europeu.
Segundo o comunicado emitido pelo Centro Nacional de Cultural, Claudio Magris reagiu ao anúncio desta distinção expressando “profunda gratidão por este grande, generoso e totalmente inesperado reconhecimento que me chega de um país que sempre esteve presente na minha fantasia, nos meus interesses, no meu imaginário”.
O Grupo BertrandCírculo congratula-se com a distinção deste escritor cuja obra tem vindo a ser publicada, nos últimos quatro anos, pela Quetzal Editores.
A Quetzal Editores publicará ainda este ano mais um título de Claudio Magris: Alfabetos estará disponível em edição portuguesa em outubro.

Sobre o autor:
Claudio Magris (10 de abril de 1939) é filho de um corretor de seguros e de uma professora primária. Graduou-se em 1962 como germanista na Universidade de Turim. Depois de passar pela Universidade de Freiburg, foi professor de Língua e Literatura Germânica na Universidade de Turim (1970-1978) e atualmente ensina em Trieste, sua terra natal. Os seus livros contribuíram para o conhecimento literário da cultura. europeia; foi o criador do conceito de Mitteleuropa. Claudio Magris é um dos candidatos favoritos ao Prémio Nobel.