sexta-feira, 1 de novembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Guerra & Paz: Pedro Arroja em diálogo com a neta

Título: F. – Portugal é uma figura de mulher
Autor: Pedro Arroja
N.º de Páginas: 272 páginas
PVP: 16,90 €
Género: Não Ficção/Política/Religião
Nas livrarias a 14 de Novembro

«Apropriou-se de mim um certo sentimento de culpa, senão mesmo de vergonha, que me angustiou durante meses, por aquilo que fiz ao longo da minha vida e, sobretudo, por aquilo que não fiz, mas que deveria ter feito. Que irresponsabilidade colectiva tinha sido esta – de que eu sentia pesadamente a minha quota-parte –, de legar ao futuro e aos mais novos um país sem esperança? Decidi, então, começar pelo princípio.»  Do Prefácio do autor

Sinopse:
Pedro Arroja, economista, cidadão, avô, combina o saber profissional e a experiência de vida para falar às gerações que, em breve, terão de continuar Portugal. Em que identidade se podem vir a reconhecer os nossos filhos e os nossos netos? A que tradição podem ir buscar inspiração e soluções para afirmarem Portugal como uma comunidade forte, com uma cultura distinta e uma economia próspera?

F. – Portugal é uma figura de mulher, diálogo íntimo entre o autor e a sua neta, é uma obra essencial para todos os que se inquietam com o futuro de Portugal, com a nossa cultura, a nossa democracia, a nossa religião, a nossa economia, a preservação da nossa maneira de ser. Um livro para transmitir a Tradição, de avós a netos.

Sobre o autor:
É economista e nasceu em 1954. É casado, pai de quatro filhos e avô de três netos. Vive no Porto há quarenta anos, embora tenha nascido em Lisboa. Pelo caminho, passou oito anos no Canadá, onde se doutorou. Tem vivido entre a Universidade, sua primeira paixão, e a vida empresarial, seu percurso actual. Um estudioso de história e filosofia, desenvolveu mais recentemente o interesse pela religião.
Homem de convicções, mole de coração e amante do seu país, é autor de livros de economia e estatística. A sua vida tem sido pautada por ideias contra a corrente.
Neste livro, deixa o seu testemunho em forma de história de um país contada a uma mulher que terá um dia quarenta anos, mas que, no momento em que foi escrito, ainda não chegou aos cinco.
Portugal, uma figura de mulher, com a F., sua neta, por interlocutora.



Porto Editora publica "As Canções do Alfa"

Título: As Canções do Alfa
Autor:
Luísa Ducla Soares
Págs.: 32
Capa: dura
PVP: 9,90 €

As canções que Luísa Ducla Soares, autora de 130 livros infantis, escreveu para o Alfa – uma personagem com a qual mais de 150 mil crianças portuguesas convivem diariamente – estão agora reunidas em As Canções do Alfa, um livro que a Porto Editora acaba de publicar, juntamente com um CD.
Esta obra oferece uma forma divertida e original de aprender as letras,  os números e as formas geométricas. Com ela, crianças dos 4 aos 6 anos podem ler e ouvir os poemas ou acompanhar a leitura com a música.
As Canções do Alfa é um livro que estimula a leitura, o canto e a dança, de forma divertida.

O ALFA
O Alfa é o protagonista de um projeto inovador criado pela Porto Editora, em 2009, para o 1.º Ciclo do Ensino Básico. A simpática personagem amarela é um extraterrestre, nascido no planeta Maquineta, que chegou à Terra para aprender, ajudar a aprender e fazer amigos. Hoje, dá cara a manuais escolares e livros de apoio para o 1.º Ciclo e, mais recentemente, para a educação pré-escolar. Atualmente, são cerca de cento e cinquenta mil as crianças que diariamente lidam com o Alfa. Os professores reconhecem a qualidade pedagógica do projeto e destacam frequentemente a importância do respetivo cariz lúdico. As atividades e passatempos educativos levados a cabo nas escolas tiveram impacto imediato e o sucesso começou a sentir-se também noutros contextos. No Facebook, o Alfa rapidamente atingiu quarenta e oito mil seguidores, entre pais, professores, educadores e, claro, crianças. Depois do êxito em contexto escolar, o projeto despertou o interesse de outras áreas. O crescimento do Alfa foi acompanhado pelo lançamento de novos livros de histórias e de atividades e ainda de material escolar.

Sobre a autora:
Nascida em Lisboa e licenciada em Filologia Germânica, dedica-se especialmente à literatura infantojuvenil como autora, estudiosa, divulgadora.
Tendo sido jornalista, adjunta do Ministério da Educação e trabalhando 30 anos na Biblioteca Nacional, tem realizado numerosas sessões de incentivo à leitura e conferências em escolas, bibliotecas, universidades. Autora de 130 livros, recusou, por motivos políticos, o Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho e foi por duas vezes galardoada pela Fundação Calouste Gulbenkian, uma delas pelo conjunto da sua obra.


Porto Editora publica Sabores de Angola

Título: Sabores de Angola
Autora:
Conceição Santos
Fotografia: Mário Santos
Págs: 192
PVP: € 14,40
PVP Angola: 2.400 AKZ

Pode-se começar com camarão com quiabos. Ou então ginguba picante ou uns tortulhos. A seguir, um calulu de peixe ou muamba de marisco. Se a preferência for para pratos de carne, vai bem uma alcatra com molho de maracujá ou mucunza com carne. Para sobremesa, uma delícia de caju ou um pudim de batata-doce. Este é apenas um exemplo dos Sabores de Angola preparados por Conceição Santos.
Ao abrir este livro, quase que se sentem os aromas e paladares transbordantes da cultura africana. Sabores de Angola reúne inúmeras receitas para entradas, sobremesas e os obrigatórios pratos principais de carne e de peixe, enriquecidas pelo exotismo de molhos doces, agridoces e picantes. Torna-se fácil fazer parte desta experiência gastronómica, cuidadosamente guiada por dicas, notas e por um glossário.
Sabores de Angola será distribuído simultaneamente em Portugal e em Angola (chancela Plural Editores).

Sobre a autora:
Conceição Santos nasceu a 8 de setembro de 1953 em Valença, viveu em S. Pedro do Estoril e cresceu alimentada pelo fascínio da culinária que brotava já da habilidade da sua avó e das suas tias. Começou a cozinhar desde muito cedo e aperfeiçoou mais tarde este gosto com as técnicas que aprendeu nas aulas de Culinária ligadas ao Curso Geral de Comércio. Viveu em Angola, onde frequentou o Magistério Primário e exerceu a profissão de professora primária. Durante este período na Huila provou os sabores angolanos que mais tarde se instalaram na sua forma de cozinhar.
De regresso a Portugal, Conceição Santos dedicou-se durante quinze anos à decoração. Foi no Alentejo, onde vive atualmente, que as saudades dos sabores e dos saberes angolanos se misturaram com a sua arte de cozinhar fazendo brotar os Sabores de Angola.


Mário Augusto apresenta "Hollywood. Estórias de Glamour e Miséria no Império do Cinema" de Edgar Pêra. Segunda, às 18h30, na Fnac Chiado



Encantamentos - Kathryn Harrison [Opinião]

Título: Encantamentos
Autor:
Kathryn Harrison
Tradutor: J. Teixeira de Aguilar
Págs.: 352
PVP: 16,60 €

Sinopse:
No primeiro dia de 1917, ano de todas as mudanças na Rússia, o corpo de Rasputine é resgatado das águas geladas do Neva, em São Petersburgo. Horas mais tarde, as duas filhas do Monge Louco são levadas para o palácio e acolhidas pela família imperial, pois a czarina espera que Masha, a mais velha, consiga salvar o filho Alyosha, o enfermiço herdeiro do trono. Masha não tem o misticismo magnético do pai, mas descobre o dom encantatório das suas histórias. E é com elas que, sempre entre a vida e a morte, os dois adolescentes conhecerão o amor e um país imenso, a Rússia, que Alyosha nunca chegará a governar.
Inspirando-se na vida aventureira da filha de Rasputine, Xerazade russa que viria a ser domadora de leões na América, Kathryn Harrison retrata uma era em que a História se impacienta e o mundo mudaria, com a Revolução Bolchevique e o fim da lendária dinastia dos Romanov.

A minha opinião: 
O assassinato de Grigory Rasputine, apelidado de "Monge Louco", vai fazer com que as suas duas filhas sejam levadas para o palácio dos Romanov, com o intuito de que Masha, a filha mais velha, pudesse salvar o seu único filho varão, Alyosha.

Pensando que Masha possuía os mesmos poderes que o pai, a czarina Alexandra deixa que os dois jovens passem muito tempo juntos, levando a troca de confidências e a um amor pueril por parte de ambos.

Baseado em factos reais, Encantamentos, de Kathryn Harrison, é centrado na história da Rússia Pré-revolucionária, que queria a todo o custo depor os Czares e, consequentemente, de toda a dinastia Romanov. Vivenciado na primeira pessoa por Maria que, não fazendo parte da família, acabou por se salvar, o livro é profundo, mostrando o lado sentimental de Alyosha, com problemas normais para a idade de um rapaz de 14 anos, não esquecendo a sua doença, que enchia de cuidados a mãe, mas também todos os apoiantes dos Romanov, que não viam em Alyosha um grande futuro. A era dos Romanov, a revolução russa, têm fascinado diversos autores resultando em muitos livros centrados nesta época. Este não é o primeiro livro que leio sobre a família, até porque eu também gosto da história desta época russa. Mas este livro é uma descoberta porque, além de contar a história dentro do palácio, conta também a convivência de Marsha com o pai, de Alyosha depois da despedida de Marsha (explanada num diário) e da vida da filha de Rasputine depois de refugiada em França.

Mostrando ser uma mulher forte e determinada, Marsha acaba por casar com uma homem que acha desprezível, mas que vai de encontro às premonições do pai. Felizmente para ela, o marido morre aos 30 anos deixando-a livre para fazer o que realmente gostava: ser amazona e mais tarde domadora de felinos e ursos, tendo trabalhado para diversos circos demasiado conhecidos na época, incluindo para Barnum & Bailey uma companhia que unia diversas atracções circenses.

Reunindo personagens fortes, como não podia deixar de ser tratando-se dos Romanov, Kathryn Harrison brinda-nos com uma história belíssima, contada pelas mãos de Marsha Rasputine, levando-me a uma vontade maior de ler mais livros seus.
Excertos:
"Se não fosse a sua eterna doença, o meu pai nunca teria sido assassinado."
"... as pessoas passavam fome e gelavam, e não apenas as mais pobres."




quinta-feira, 31 de outubro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Richard Zimler no 2.º aniversário do “Porto de Encontro”

O novo romance de Richard Zimler, A sentinela, vai conhecer a sua apresentação no Porto durante a edição de novembro do ciclo de conversas com escritores
No próximo sábado, 2 de novembro, às 17:00, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, no Porto, o autor de êxitos como O último cabalista de Lisboa e Meianoite ou o princípio do mundo vai estar à conversa com o jornalista Sérgio Almeida e os leitores para falar sobre o enredo de A sentinela, que será apresentado por Elisa Ferreira.
De destacar a participação de Alexandre Quintanilha (leituras)  um evento que servirá, também para dar a conhecer o percurso do escritor. Richard Zimler nasceu em 1956 em Roslyn Heights, um subúrbio de Nova Iorque. Fez um bacharelato em Religião Comparada na Duke University e um mestrado em Jornalismo na Stanford University. Trabalhou como jornalista durante oito anos, principalmente na região de São Francisco. Em 1990 foi viver para o Porto, onde lecionou Jornalismo, primeiro na Escola  Superior de Jornalismo e depois na Universidade do Porto. Tem atualmente dupla nacionalidade, americana e portuguesa. Desde 1996, publicou dez romances, uma coletânea de contos e dois livros para crianças.  Iniciativa promovida pela Porto Editora, o “Porto de Encontro” assinala em novembro o seu segundo aniversário. Nesse período, as 21 edições já realizadas atraíram mais de seis mil espectadores.
Manuel António Pina, Gonçalo M. Tavares, Luis Sepúlveda, Mário de Carvalho e Dulce Maria Cardoso foram alguns dos autores que já participaram no “Porto de Encontro”, que conta com o apoio do Jornal de Notícias, Câmara Municipal do Porto, Rádio Nova, Porto Canal, Bombonaria Bonitos (Foco), Barros Porto e Livrarias Bertrand.

Travessa d’Abençoada, de João Bouza da Costa, é o romance vencedor do Prémio P.E.N. Narrativa 2012

O romance de estreia de João Bouza da Costa, Travessa d’Abençoada, acaba de ser agraciado com o Prémio P.E.N. de Narrativa para o ano de 2012.
Travessa d’Abençoada é um romance que acompanha os diversos protagonistas e acontecimentos que têm lugar numa travessa típica de Lisboa, durante 24 horas.
Aquando da publicação deste livro, em janeiro de 2012, o crítico literário Miguel Real escreveu no Jornal de Letras: «Lamentamos que não exista já o Prémio Literário Cidade de Lisboa, Travessa d’ Abençoada merecia-o em absoluto, retrato em perfeição da nova Lisboa habitada por um cidadão cosmopolita, universalista e tolerante, não já a antiga capital imperial e africanista ou colonialista, não já a Lisboa heroica e épica propagada pelo Estado Novo, pesada de edifícios majestáticos, antes moderna e europeia carregada de idosos (as doenças e a solidão da terceira idade retratadas no romance), de casais pobres e ricos (o novo condomínio de luxo em contraste com as casas envelhecidas dos prédios de reboco à vista), de pessoas diferentes (a criança autista), de estrangeiros (a mulher do tradutor), de vícios (a agonia dos drogados), de maquiavelismo (o empreiteiro reles que atormenta o “Orelhas” para ele abandonar a casa), numa mistura de tradição (os frangos assados o fado as roupas das senhoras velhas…) com rock e música erudita, onde se ouve ao mesmo tempo um refrão clássico e um verso de Rilke.»

Sinopse:
Uma criança autista escuta os sons de dois corpos entregues ao sexo e convoca os seus deuses contra a derrocada do tempo. Um tradutor apropria-se, coxeando, da sua cidade, enquanto a música inunda a noite e a sua mulher se debate com a memória. Um velho preso no labirinto da raiva enfrenta a morte caído numas escadas. Pessoas de uma pequena travessa de Lisboa, vinte e quatro horas da vida no mundo.

Sobre o autor:
João Bouza da Costa nasceu em Lisboa (1954) e passou a infância em África (Luanda). Tem levado uma vida anticíclica, sempre a fugir dos acontecimentos históricos: deixou Angola quando nesta se iniciava a gesta independentista (1963), abandonou Portugal logo após a revolução de Abril (em setembro de 74) e escapou da Alemanha em 89, pouco antes do grande êxtase coletivo da queda do Muro. Meteu-se, com fraco sucesso e por pura necessidade, em muitas e variadas lides: foi carteiro, limpador de vidros, vendedor de vinhos, pintor de cenários de ópera, professor de uma pretérita ortografia, tradutor e intérprete, mas terá talvez sido o acaso das novas tecnologias, com a sua facilidade para rasurar e sintetizar, que o ajudou a ultrapassar o fado dos papelinhos avulsos e a chegar-se um pouco mais à escrita e a si próprio.


Conheça a história de "Espiões em Portugal durante a II Guerra Mundial" de Irene Flunser Pimentel

Numa altura em que parece que todos os países espiam todos os países, nada melhor que conhecer a história dos Espiões em Portugal durante a II Guerra Mundial de Irene Pimentel, uma das principais historiadoras portuguesas de investigação do séc. XX e prémio Pessoa 2007.

Portugal foi durante a II Guerra Mundial, «terra franca» para os serviços de propaganda e espionagem, e uma plataforma de negociações políticas, bem como de trocas de informações, comerciais, económicas e financeiras, entre os dois lados beligerantes. Foi também palco de episódios verdadeiramente novelescos como a tentativa de rapto dos duques de Windsor pelo SS Walter Schellenberg, dos serviços secretos alemães. Por Portugal passaram nomes sonantes da espionagem como o agente duplo Garbo ou o conhecido Tricycle.



Também o escritor e agente secreto inglês Ian Lancaster Fleming passou por Portugal e se alojou no Estoril ao serviço do Naval Intelligence Department, e terá sido neste ambiente de guerra e espionagem que se inspirou para criar a figura de James Bond.

Sinopse:
Entre Lisboa e o Estoril, nos lobbies de entrada e nos bares dos hotéis como o faustoso Hotel Palácio ou o Hotel Atlântico, circulavam, durante a II Guerra Mundial, espiões dos principais campos beligerantes, Alemanha e Grã-Bretanha, mas não só. Também os serviços secretos italianos, franceses, norte-americanos, e ainda polacos, checos e romenos, e até soviéticos, atuaram em Portugal, e nas suas Ilhas atlânticas e nas suas colónias de África, na Índia e em Timor. Enquanto o resto da Europa estava a ferro e fogo, Portugal, durante a II Guerra Mundial, foi «terra franca» para os serviços de propaganda e espionagem e palco de alguns episódios verdadeiramente novelescos como a tentativa de rapto dos duques de Windsor pelo SS Walter Schellenberg, dos serviços secretos alemães. A historiadora Irene Flunser Pimentel, autora do livro Os Judeus em Portugal durante a II Guerra Mundial, traz-nos uma investigação única, baseada em documentos inéditos até agora mantidos em segredo, que nos revelam como o nosso país foi, graças à sua neutralidade e situação geográfica, um local importante de plataforma de negociações políticas, bem como de trocas de informações, comerciais, económicas e financeiras, entre os dois lados beligerantes. A situação atlântica, quer de Portugal, quer das suas ilhas e colónias, fez com que a principal espionagem, de ambos os lados, fosse a deteção de comboios de navios, para serem objeto de bombardeamentos aéreos ou de submarinos. Pelo nosso país passaram agentes secretos como os agentes duplos, do XX Comiittee, Juan Pujol, mais conhecido por «Garbo» e Dusko Popov, nome de código «Tricycle», que conseguiriam enganar os alemães sobre o verdadeiro destino do desembarque aliado na Europa, em junho de 1944, desviando as suas atenções das praias da Normandia, onde ele ocorreu realmente, para a zona do Pas-de-Calais. Popov terá ainda fornecido informações aos serviços britânicos do possível ataque a Pearl Harbour. Também o escritor e agente secreto inglês Ian Lancaster Fleming se alojou no Estoril ao serviço do Naval Intelligence Department, e terá sido neste ambiente de guerra e espionagem que se inspirou para criar a figura de James Bond. Mas também os portugueses, quer os elementos da Legião Portuguesa quer os da PVDE, se viram envolvidos nas teias da espionagem estrangeira, chegando mesmo a estar ao serviço, à vez ou em simultâneo, dos dois campos beligerantes.

Sobre a autora:
Irene Flunser Pimentel, congratulada com o Prémio Pessoa em 2007, é licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, mestre em História Contemporânea (século XX) e doutorada em História Institucional e Política Contemporânea, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Elaborou diversos estudos sobre o Estado Novo, o período da II Guerra Mundial, a situação das mulheres e a polícia política durante a ditadura de Salazar e Caetano. É investigadora do Instituto de História Contemporânea (FCSH da UNL), coordenando neste momento o projeto, financiado pela FCT, «Justiça Política na Transição para a democracia em Portugal (1974-2008)». Neste momento está a realizar um projeto de pós-doutoramento, aprovado pela FCT, intitulado «O processo de justiça política relativamente à PIDE/DGS, na transição para a democracia em Portugal».


Porto Editora: Um beco visível só para quem estiver atento

Título: Casos do beco das sardinheiras
Autor:
Mário de Carvalho
Págs.: 88
PVP: 13,30 €

Podia ser em Alfama ou na Mouraria, talvez até em Benfica ou na Ajuda: para Mário de Carvalho, o Beco das Sardinheiras está visível para qualquer pessoa que o queira encontrar. E são as histórias dos habitantes desse tradicional e pitoresco beco, entre as quais se encontra o conhecido conto «O tombo da Lua», que compõem o livro Casos do beco das sardinheiras, publicado pela primeira vez em 1982 e com nova edição, pela Porto Editora, disponível a partir do dia 1 de novembro. Por todo o livro encontramos a recomendação «Convém mas é não confundir género humano com Manuel Germano», divisa que se revela determinante para os moradores deste beco.
Casos do beco das sardinheiras é um livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o programa de português do 9º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de aula.

Sobre o livro:
O Beco das Sardinheiras é um beco como outro qualquer, encafuado na parte velha de Lisboa. Uns dizem que é de Alfama, outros que é já da Mouraria e sustentam as suas opiniões com sólidos argumentos topográficos, abonados pela doutrina de olisiponenses egrégios. Eu, por mim, não me pronuncio. Tenho ideia de que ali é mais Alfama, mas não ficaria muito escarmentado se me provassem que afinal é Mouraria.
Creio que o nome lhe vem das sardinheiras que exibem um carmesim vistoso durante todo o ano, plantadas num canteiro que rompe logo à esquina, não longe da drogaria que já fica na Rua dos Eléctricos.
A gente que habita o Beco é como as demais, nem boa nem má. Tem sobre os outros lisboetas um apego ainda maior ao seu sítio e às suas coisas. Desde há muito tempo que não há memória de que algum dos do Beco tenha emigrado de livre vontade.

Sobre o autor:
Mário de Carvalho nasceu em Lisboa em 1944. O seu primeiro livro, Contos da Sétima Esfera, causou surpresa pelo inesperado da abordagem ficcional e pela peculiar atmosfera, entre o maravilhoso e o fantástico. Desde então, tem praticado diversos géneros literários, percorrendo várias épocas e ambientes, sempre em edições sucessivas. Nas diversas modalidades de Romance, Conto e Teatro, foram atribuídos a Mário de Carvalho os prémios literários portugueses mais prestigiados (designadamente os Grandes Prémios de Romance, Conto e Teatro da APE, o prémio do Pen Clube e o prémio internacional Pégaso). Os seus livros encontram-se traduzidos em várias línguas.


Nas livrarias a 15 de novembro



A D. Quixote revela aos mais novos toda a história do próximo filme dos estúdios de animação da Walt Disney

Título: FROZEN – O Livro do Filme
Disney
Páginas: 46
PVP: 9,90€
Quando o reino de Arendelle é amaldiçoado, por Elsa, com um inverno eterno, a sua jovem irmã, a princesa Anna, embarca com Kristoff, um rapaz que vive na montanha, numa perigosa jornada.
Encontrando-se em situações extremas, enfrentando criaturas místicas e seres mágicos, Anna e Kristoff precisam correr contra o tempo para salvar o mundo em que vivem da destruição.
FROZEN – O Livro do Filme conta toda a história de "Frozen – O Reino do Gelo", uma fantástica comédia de aventura dos estúdios de animação da Walt Disney.


Título: FROZEN – Narrativa Juvenil
Disney
Páginas: 128
PVP: 9,90€
Frozen, dos estúdios de animação da Walt Disney, conta a história de Anna, que inicia uma viagem épica para salvar o seu reino. Na companhia de Kristoff, um aventureiro, e da rena Sven, Anna procura a sua irmã Elsa, cujos poderes sobre o gelo aprisionaram o reino num inverno eterno. FROZEN – Narrativa Juvenil narra esta emocionante história através das páginas coloridas do livro. Uma grandiosa aventura a não perder!

quarta-feira, 30 de outubro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Novidades Assírio & Alvim



Título: Poemas
Autor:
Federico García Lorca
Seleção e Tradução:
Eugénio de Andrade
N.º de Páginas:
112
PVP:
13,30 €
Coleção:
Documenta Poetica

No dia 1 de novembro a Assírio & Alvim publica uma excelente antologia de um dos maiores poetas do século XX. Eugénio de Andrade assina uma escolha criteriosa e uma tradução exemplar. O resultado é um livro perfeito para nos iniciarmos na leitura de uma obra poética ímpar.

O SILÊNCIO
Ouve, meu filho, o silêncio.
É um silêncio ondulado,
um silêncio
donde resvalam ecos e vales,
e que inclina a fronte
para o chão.

Sobre o autor:
Poeta, músico e dramaturgo espanhol nascido em 1898, em Fuente Vaqueros, Espanha. Entre os seus amigos contavam-se, por exemplo, Salvador Dalí, Luis Buñuel, Rafael Alberti e Juan Ramón Jiménez. Em julho de 1936, alarmado pelo começo da Guerra Civil, parte de Madrid para Granada. Mas a premonição de uma morte fatal, que acompanhou toda a sua obra, acabou por se concretizar.
Durante uma noite, em Granada, Lorca foi assassinado por nacionalistas. Deixou-nos a sua obra ímpar, testemunho vivo de  um dos maiores poetas do século XX.


Título: A Papoila e o Monge
Autor:
José Tolentino Mendonça
N.º de Páginas: 176
PVP: 13,30 €
Coleção: Poesia Inédita Portuguesa

Fruto de uma viagem ao Japão, a convite do Centro Nacional de Cultura, e devedor também do Book of Haikus de Jack Kerouac, A Papoila e o Monge é o novo e surpreendente livro de poesia de José Tolentino Mendonça, que a Assírio & Alvim publica a 1 de novembro.

«Como se sabe, o haiku japonês é uma composição de três versos, com métrica fixa […], muitas vezes sem rima, propondo-se como um instantâneo que dá a ver o flagrante e o implícito, o assombro e a tensão inerentes à vida. A operação que Kerouac leva a cabo é a de valorizar sobretudo a capacidade do haiku trazer à página the real thing, a coisa verdadeira, libertando-o, porém, do esquema métrico: “Proponho que o haiku ocidental conte simplesmente muito em três curtos versos, e o faça em qualquer língua”.» José Tolentino Mendonça

Silêncio:
na ravina inacessível
o prado em flor

Sobre o autor:
Poeta, sacerdote e professor, José Tolentino Mendonça nasceu em 1965, na Ilha da Madeira.
Doutorou-se em Teologia Bíblica, em Roma, e vive atualmente em Lisboa. Entre outras responsabilidades é docente na Universidade Católica Portuguesa, dirige o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura e a revista Didaskalia. Tem publicado diversos livros de poesia, ensaio e teatro na Assírio & Alvim, e colaborado em muitos outros como tradutor e/ou organizador. Para José Tolentino Mendonça, «A poesia é a arte de resistir ao seu tempo». A sua obra tem sido galardoada com diversos prémios, entre eles o  Prémio Cidade de Lisboa de Poesia e o Prémio Pen Clube de Ensaio.



Título: Photomaton & Vox
Autor:
Herberto Helder
N.º de Páginas: 176
PVP: 16,60 €

Título: Os Passos em Volta
Autor:
Herberto Helder
N.º de Páginas: 192
PVP: 16,60 €
Título: O Bebedor Nocturno
Autor:
Herberto Helder
N.º de Páginas: 192
PVP: 10,00 €

Editado pela primeira vez em 1979 e esgotado quase de seguida, encontramos em Photomaton & Vox textos biográficos, poeticamente transfigurados por uma das mais seguras e fulgurantes escritas que o nosso século tem reconhecido e vem admirando - agora numa edição revista e aumentada.
Aparentemente um livro de contos, Os Passos em Volta reúne histórias de enredos simples, mas romanticamente transcen-dentes, representando os passos de um homem em torno da sua existência, sem respostas paradigmáticas, num vazio que se procura transformar em matéria. Sobeja-lhe o corpo, divino, prodigioso e redentor, onde regressa sempre.
O Bebedor Nocturno apresenta-nos um conjunto prodigioso de poemas mudados para português, por Herberto Helder. São textos oriundos de determinadas culturas que vieram a sofrer grandes mutações, ou de culturas locais, primitivas e anónimas e que vieram a ser objeto de colonização. O interesse de Herberto Helder por estas tradições primitivas advém da maneira peculiar como também ele olha o mundo, nele se insere e convive com a linguagem. Nessas tradições, ele encontra a mesma linguagem ritualística, uma vontade de expressão simbólica semelhante e os mesmos valores humanos inseridos numa cosmogonia poética.

Sobre o autor:
Herberto Helder nasce em 1930 no Funchal, onde conclui o 5º ano. Em 1948 matricula-se em Direito mas cedo abandona esse  curso para se inscrever em Filologia Românica, que frequenta durante três anos. Teve inúmeros trabalhos e colaborou em vários periódicos como A Briosa, Re-nhau-nhau, Búzio, Folhas de  Poesia, Graal, Cadernos do Meio-dia, Pirâmide, Távola Redonda, Jornal de Letras e Artes. Em 1969 trabalha como diretor literário da editorial Estampa. Viaja pela Bélgica, Holanda, Dinamarca e em 1971 parte para África onde faz uma série de reportagens para a revista Notícias. Em 1994 foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa, que recusou. Publica regularmente na Assírio & Alvim.





Novidades Planeta para 31 de Outubro

FICÇÃO ESTRANGEIRA

Título: Sob o Céu Que Não Existe
Autor: Veronica Rossi
N.º de Páginas: 296
PVP: 17,76 €
Disponível a partir de 31 de Outubro

Primeiro livro de uma electrizante trilogia ambientada num futuro fictício, mas assustadoramente possível

Personagens cativantes e um enredo de cortar a respiração que envolvem de tal forma o leitor que se torna impossível parar a leitura.

«O romance de Veronica Rossi transcende. Há uma luminescência no seu mundo, que nega as tristes realidades de degradação ambiental. Um trabalho de mestre.» School Library Journal

Uma aliança improvavél num mundo perigoso.
Uma aventura de tirar a respiração
Um romance inesquecível

O mundo mantinha-os separados, mas o destino reuniu-os. Aria viveu toda a vida no Casulo protegido de Reverie. Este era o seu mundo e nunca pensou sobre o que estaria para lá das fronteiras. Mas, quando a mãe desaparece, Aria vê-se confrontada a sair para o exterior para a procurar, e a sobrevivência no deserto o tempo suficiente para a encontrar parece impossível.
Então Aria encontra um estranho chamado Perry. Ele também está à procura de alguém. Mas é um Externo, um Selvagem, contudo é a única pessoa capaz de a manter viva na travessia do deserto.
E se conseguirem sobreviver serão a esperança um do outro para encontrar respostas às perguntas que vão surgindo à medida que se vão conhecendo.

O que diz a crítica:
«Veronica Rossi faz a façanha de nos oferecer perspectivas duplas. Na sua construção não só do mundo como da linguagem, criando linguagens para as diferentes personagens e adicionando tensão. As suas personagens são corajosas e complexas e a escrita suave e evocativa. Inspirador, exigente e hipnotizante.» Kirkus Reviews
«Uma obra-prima inesquecível da distopia.» Examiner.com
«Os fãs de Jogos da Fome vão adorar e brindar a Aria, com a transformação para guerreira ao longo do romance. Perry é uma figura enigmática, cujo passado emerge lentamente e cuja força de carácter é apenas justificado por ser humano.» Booklist

Sobre a autora:
Formou-se na UCLA e estudou Arte no California College of the Arts, em São Francisco. Começou a escrever ficção para adolescentes e recebeu os primeiros prémios dos concursos anuais da Pacific Northwest Writers Association e da SouthWest Writers antes de terminar Sob o Céu Que não Existe. Desde então, é requisitada por editoras de todo o mundo e já recebeu um convite da Warner Bros. Veronica vive no Norte da Califórnia com o marido e os dois filhos.
Pode visitá-la no Facebook ou em www.veronicarossi.com

Título: O Voo do Corvo
Autor: Juliet Marillier
N.º de Páginas: 400
PVP: 19,95 €
Disponível a partir de 31 de Outubro

A autora best-seller do romance fantástico está de volta com a continuação de uma série que seduziu definitivamente os fãs.

Com a maestria e talento a que já nos habituou e uma narrativa empolgante, Juliet Marillier constrói um romance com personagens femininas muito fortes e uma nova que irá encantar os leitores: Tali, uma sagaz guerreira de Shadowfell.

Juliet Marillier vem a Lisboa, nos dias 6 e 7 de Novembro para o lançamento deste novo livro.

Depois de concluir a sua longa e árdua viagem até à base dos Rebeldes em Shadowfell, Neryn tornou-se uma parte vital da rebelião contra o tirânico rei Keldec.
Cada passo que dá no sentido de aperfeiçoar os seus dons e afirmar-se como uma Voz poderosa e única na sua geração leva-os mais perto da meta pretendida. Mas, primeiro, Neryn terá de procurar os Guardiães das quatro Vigias para completar o seu treino e o tempo escasseia. Entretanto, Flint, o espião rebelde por quem se apaixonou, foi de novo chamado à corte de Keldec.

O laço que os une é tão forte que, mesmo à distância, se procuram em sonhos, partilhando momentos preciosos – ainda queinquietantes – da vida um do outro.
Os Rebeldes vêem com desconfiança este novo amor. Permitir que a emoção se sobreponha à lógica fria do movimento pode pôr tudo em risco. No fim, o amor poderá revelar-se a força motriz da esperança ou a  brecha traiçoeira na armadura da rebelião.

Sobre a autora:
Juliet Marillier nasceu na Nova Zelândia, em Dunedin, uma cidade com fortes raízes na tradição escocesa.
Licenciou-se com distinção em Linguística e Música, na Universidade de Otago, e tem tido uma carreira variada que inclui o ensino, a interpretação musical e o trabalho em agências governamentais. Actualmente, Juliet vive numa casa de campo centenária, perto do rio, em Perth, na Austrália, onde escreve a tempo inteiro.
É membro da ordem druídica OBOD. Partilha a sua casa com dois cães e um gato. Juliet Marillier é uma autora internacionalmente reconhecida e os seus romances já conquistaram vários prémios.
Visite o sítio da autora em: www.julietmarillier.com

Título: S.E.C.R.E.T. - Partilhado
Autor: L. Marie Adeline
N.º de Páginas: 304
PVP: 17,76 €
Nas livrarias a partir de 31 de Outubro

Um livro aventureiro e carregado de sexo.
Uma das trilogias mais excitantes da literatura erótica.

«S.E.C.R.E.T. é uma refrescante e muito bem escrita história sobre uma mulher que se apaixona por ela própria. Este livro vai colidir com os leitores que se sentem inseguros quando se aborda a intimidade, e será altamente apreciado pelos leitores que procuram um pouco (ou muito) calor na sua vida.» RT Book Reviews Magazine
«Uma ousada exploração da sexualidade feminina. Adeline inicia uma promissora série erótica com mais protagonismo feminino do que muitas do mesmo género». Shelf Awareness

Este é o segundo volume de uma sofisticada série erótica, com uma escrita inteligente e de grande qualidade. Uma história de sexo, excitante, sedutora, com personagens fortes, que podia de facto acontecer. No início deste ano, L. Marie Adeline brindounos com a sua primeira novela erótica: S.E.C.R.E.T, em que nos apresentou Cassie Robichaud, uma tímida e reprimida mulher que foi recrutada por um clube secreto que que se dedica a ajudar mulheres a realizar as suas fantasias sexuais mais loucas e íntimas, em dez passos. Pela primeira vez, as mulheres estão no comando e sabem o que querem sobre sexo… E os homens fazem tudo para as satisfazer.

S.E.C.R.E.T está no top 15 dos livros eróticos mais vendidos em Portugal.

Sem juízos. Sem limites. Sem vergonha
Este é o lema de S.E.C.R.E.T, onde as fantasias não têm regras, mas cada letra da sigla representa um critério para seguir à risca. Um mundo onde a fantasia se torna realidade
Este segundo livro retoma a decisão de Cassie, a protagonista, de integrar o S.E.C.R.E.T., sendo convidada a tornar-se Guia e a poder trazer um novo membro para a organização.
Ainda magoada com Will, seu patrão e amante, Cassie Robichaud mergulha no S.E.C.R.E.T., a misteriosa organização que a mudou para sempre ao realizar-lhe as mais profundas fantasias sexuais e onde passa a guiar a mais nova candidata do grupo, Dauphine Mason.
Com trinta e um anos, Dauphine tem uma loja de roupa em segunda mão em Nova Orleães e um fraco por Mark Drury, uma estrela de rock local, mas é demasiado tímida para se dar a conhecer. É-lhe facultada a entrada no S.E.C.R.E.T. para reacender a sua chama sexual e encontrar a confiança necessária para pôr de novo o seu coração em risco.
Temendo que seja demasiado tarde para ela e Will, Cassie encontra inspiração ao ajudar Dauphine. As duas mulheres percorrem o caminho espinhoso entre os seus corações e as suas paixões, esperando descobrir o  que realmente querem na vida e no amor. O enredo nesta sequela apresenta mais reviravoltas e o final irá surpreender, de forma inesperada, os leitores.
Ao mesmo tempo atraente, libertador e emocionalmente poderoso, S.E.C.R.E.T é um mundo onde a fantasia se torna realidade.

Sobre a autora:
O secretismo e o mistério envolveram o nome da autora, L. Marie Adeline, o pseudónimo de uma escritora canadiana de grande sucesso e produtora de televisão.
A sua verdadeira identidade apenas foi revelada depois do primeiro livro ter sido publicado no Canadá, quando todos ficámos a saber que se tratava de Lisa Gabriele, uma autora que, pela primeira vez, saiu do género literário que a tornou mundialmente reconhecida, para escrever um romance erótico feminino.
Para saber mais pode visitá-la em www.secretnovel.com

INFANTO- JUVENIL
 


Título: LITTLE MIX - Prontas a Voar
O LIVRO 100% OFICIAL
N.º de Páginas: 224
PVP: 17,76€
Disponível a 31 de Outubro


Acaba de chegar o primeiro livro oficial com toda a história das quatro raparigas inglesas, que viram a sua vida transformar-se depois de terem vencido o programa X Factor.


Em 2011, Perrie, Jesy, Jade e Leigh-Anne não passavam de quatro jovens determinadas. Então, chegou o programa X Factor, as fãs aos gritos, a tournée com lotações esgotadas e o acordo de gravação — a vida para as Little Mix nunca mais seria igual. Agora são não só o primeiro grupo a vencer o concurso, como óptimas amigas e as raparigas que todas querem ser!
Acabaram de escrever o primeiro livro oficial para contar a todos quem são na realidade.
Desde terem de enfrentar a rejeição nas primeiras fases da competição à luta contra o bullying e críticas pessoais, elas trabalharam com garra e determinação pelo seu êxito.
Aqui, levam-nos aos bastidores para contar a sua história sensacional com todos os pormenores.
Juntem-se às Little Mix à medida que elas embarcam na sua viagem, cantando rumo ao superestrelato. E cuidado, prestem muita atenção: isto é só o começo!

«Olá e bem-vindos ao primeiríssimo livro oficial das Litlle Mix! Divertimo-nos imenso a escrever sobre os nossos primeiros anos, segredos de estilo, a digressão, os nossos dias no programa X Factor e sobre cada uma de nós, e esperamos que gostem de lê-lo, tanto quanto gostámos de concebê-lo. Tem sido fantástico viajarmos juntas para todo o lado e trabalharmos no nosso álbum de lançamento, além de que é uma sensação incrível ver a nossa música espalhada um pouco por toda a parte, ao mesmo tempo que, esperamos nós, transmite uma mensagem positiva e optimista! Queremos apenas agradecer mais uma vez todo o vosso inacreditável apoio desde o primeiro dia. Pode parecer um pouco como um lugar-comum, mas sem todos vocês não estaríamos a escrever este livro agora. Adoraríamos que nos acompanhassem e nos apoiassem ao longo de todo o nosso percurso. Um beijo enorme.» Jade, Leigh-Anne, Jesy e Perrie

O livro inclui dezenas de fotos exclusivas dos quatro raparigas britânicas.


Título: Fairy Oak - Flox Sorri No Outono
Autor: Elisabetta Gnone
N.º de Páginas: 272 + 32 páginas de ilustrações
PVP: 15,50€
Nas livrarias a partir de 31 de Outubro


As personagens que têm feito sonhar milhares de jovens leitores estão de volta com emocionantes aventuras neste terceiro volume da nova tetralogia de Fairy Oak - os quatro mistérios.

Uma história de sublimes encantamentos e mirabolantes aventuras.
Na colecção Fairy Oak os leitores são transportados para a vida de uma comunidade onde tudo o que acontece, se passa de uma maneira um pouco diferente, ficando o resto a cargo da imaginação.
Fairy Oak, é uma povoação mágica escondida num tempo imortal onde convivem em harmonia seres mágicos, bruxas, pessoas Sem Magia e pequenas fadas. As árvores falantes encontram-se na praça para contar histórias aos vizinhos. As fadas são as amas das pequenas bruxas até estas começarem a revelar os seus poderes.
Acontece sempre assim, um dia de Setembro, alguém comete uma extravagância mais estranha do que as extravagâncias habituais e, a partir daí, durante um mês, às vezes dois, a normalidade é banida de Fairy Oak. Chamam-lhe a Dança das Loucuras das Estações «Fi-las rir porque a terceira história era engraçada e divertida e agora que conheciam os protagonistas ainda ririam, mais imaginando-os enquanto dançavam a dança das loucuras das estações. Desta, e de amizade, contei o terceiro serão…»

Recomendado para crianças a partir dos 10 anos


Todos os volumes da série Fairy Oak são impressos em papel 100% reciclado e tratado ecologicamente, respeitando ao máximo o meio ambiente.
O livro contém ilustrações da própria autora a preto e branco e a cores. Esta nova série Fairy Oak é composta por quatro livros diferentes, independentes e com o seu próprio final, que falam de Amor, de Magia, da Amizade e da Família.
«[...] Decidi nesse momento que revelaria às minhas companheiras quatro mistérios de Fairy Oak que ainda não conheciam. Uma história por cada serão em quatro noites, e depois nunca mais falaria do passado. No  primeiro serão falei de amor no segundo de estrepitosos encantos no terceiro de amizade no quarto serão contei uma despedida. [...]» 

Sobre a autora:
Nasceu em Génova em 1965. Jornalista, para a Disney Itália participou criando, e depois dirigiu, as revistas femininas pré-escolares. O último projecto concebido para a Disney é um sucesso internacional: em 1997, Elisabetta cria a série de quadradinhos WITCH, para a qual escreve também as histórias Halloween e Os Doze Portais. Em 2005 sai o primeiro livro da saga Fairy Oak, O Segredo das Gémeas, que ganha o Prémio Bancarellino, em 2006, o segundo título, O Encanto das Trevas, e em 2007 a conclusão da trilogia, O Poder da Luz, que obtém um novo Prémio Bancarellino.


Títulos: Escola de Dança: Um Romeu para duas Julietas & Musical, que paixão!
Autor: Aurora Marsotto


Escrita por uma antiga bailarina profissional, esta colecção conta a emocionante vida diária de Violeta e seus amigos – as paixões, as amizades, as conquistas e as aventuras –, vivida no ambiente da  Escola de Dança.
Em cada livro são dados conselhos e informações técnicas sobre ballet: as posições, como fazer um coque, como atar as sapatilhas.
Nas últimas páginas de cada livro, encontra-se o Diário de Violeta, com ilustrações a cores, onde se destacam os conselhos da protagonista para os aspirantes a bailarinos e uma mão-cheia de dicas e informações sobre a história da dança e sobre bailarinas famosas.

Com mais de 160 mil exemplares vendidos em Itália, Escola de Dança é recomendada para jovens a partir dos 9 anos.

Um Romeu para duas Julietas– vol. 7
N.º de Páginas: 144 + 8 páginas
PVP: 10,95€
Nas livrarias a 31 de Outubro
Há alguns dias que, na Escola do Teatro, Violeta e os amigos não ouvem falar noutra coisa: vai estrear um novo espectáculo, Romeu e Julieta. Corre a novidade de que o papel de Romeu vai ser desempenhado pelo professor Oliver. Mas ele não se tinha retirado para sempre? E quem será a Julieta?

Musical, que paixão! - vol. 8
N.º de Páginas: 144 + 8 páginas
PVP: 10,95€
Nas livrarias a 31 de OutubroÉ oficial: a menina Marylin conseguiu um papel no musical Cats! Violeta e os seus amigos festejam com ela, mas ainda não sabem o que os espera: enquanto a tutora está ocupada com extenuantes ensaios, os jovens também têm de estudar muito, porque o encenador decidiu convidá-los a participar no espectáculo… É dura a vida de artista! obviamente assistir ao concurso!

Sobre a autora:
Aurora Marsotto é uma arquitecta e jornalista italiana, que já trabalhou em vários jornais italianos e mundiais, entre eles Radio 24, Corriere della Sera on line, Vogue, Class, Milleiedee, Bella, La Danse,Danza  e Danza, entre outros. Também é crítica literária e de dança.


Título: JELLY JAMM

PVP: 13,30€
Nas livrarias a partir de 31 de Outubro

Pelas mãos dos criadores de POCOYO, chega uma nova colecção de divertidas personagens, protagonistas da série de animação mais popular entre os mais novos, emitida diariamente na RTP2.

Uma animada brincadeira com ímanes e marcadores, para os mais novos se divertirem a criar infinitos cenários e a apagarem tantas vezes quantas quiserem! Jelly Jamm transmite valores universais através da música e da diversão, estimulando a criatividade e inteligência emocional.

RADIO GNOMO
Goomo encontra um traste whamma jamma que acaba de cair de uma árvore e, ao ligá-lo, ouve-se uma música genial. Mas os seus amigos não acham o mesmo e decidem que o traste tem de desaparecer. Como  irão encontrar uma música que agrade a todos?

Título: Diário Secreto
Autor: Geronimo Stilton
N.º de Páginas: 128
PVP: 13,30€
Disponível a partir de 31 de Outubro


Quem não tem segredos?
Pois agora, os jovens fãs do rato mais famoso do mundo podem escrevê-los e guardá-los neste fantástico diário.
Com uma CANETA-LANTERNA para poderem escrever no escuro!!

«Este é um diário secreto que preparei especialmente para ti. Nele poderás anotar as tuas recordações, histórias e cusquices da escola, colar e guardar fotos dos teus amigos, e montes de outras coisas. Ah! E se quiseres escrever às escuras e só acenderes a CANETA-LANTERNA.
Divertido . Colorido . Cheio de ilustrações
O Diário Secreto, em capa dura, vai permitir aos mais novos guardarem todos os seus momentos na escola, com os amigos, com a família, para mais tarde recordarem.
O Diário Secreto inclui ainda uma agenda e muitas actividades.





A 8 de novembro, a Porto Editora publica Ideias grandes para bolsos pequenos, um livro de manualidades, muito prático e cheio e projetos fáceis e criativos

Título: Ideias grandes para bolsos pequenos
Págs.:
128
Capa: mole
PVP: 15,90 €

A 8 de novembro, a Porto Editora publica Ideias grandes para bolsos pequenos, um livro de manualidades, muito prático e cheio de projetos fáceis e criativos.
As ideias sugeridas nesta obra são simples e surgem presentadas através de instruções passo a passo, com fotografias. Os projetos são rápidos e os resultados originais, podendo servir para passar o tempo ou como inspiração para presentes personalizados e em conta.

Sinopse:
As prendas são muitas e os bolsos parecem-lhe vazios? Quer oferecer algo personalizado sem gastar muito dinheiro? Então, este livro é para si.
Ideias grandes para bolsos pequenos é uma seleção de projetos criativos para todos os gostos e artes, incluindo costura, bordado, aplicações, croché, decoração de bolos, entre outros. Ofereça algo inspirado e original, feito por si e a pensar em quem recebe.

Luís Aguilar analisa Sepp Baltter (presidente da FIFA) no livro "Jogada Ilegal"

No livro Jogada Ilegal, o autor, Luís Aguilar analisa Sepp Baltter (presidente da FIFA) e todos os casos onde já esteve envolvido.

Mais uma vez, este dirigente é notícia em todo o mundo. Desta vez Sepp Blatter goza com o Cristiano Ronaldo e diz que prefere o Messi.


Sinopse:
«A nossa sociedade está cheia de demónios e alguns desses demónios podem ser encontrados no futebol.» Sepp Blatter (Presidente da FIFA)
Em março de 2009, a pouco menos de um ano da decisão de quem organizaria o Campeonato do Mundo de Futebol de 2018, o presidente da FIFA piscou o olho à Inglaterra ao garantir que era um «candidato bastante sólido.» Não é pois de estranhar as caras de desilusão dos ingleses, quando ouviram da boca do mesmo Sepp Blatter que o vencedor era a Rússia. Afinal quais são as qualidades para organizar um mundial? Estádios, bons hotéis, acessos, segurança, capacidade de organização… ou simplesmente dinheiro? Mourinho garantiu, sem grandes explicações, que não ia estar presente na gala da Bola de Ouro da FIFA 2012 em Zurique, onde era forte candidato a receber o título de melhor treinador do mundo. A explicação veio depois à RTP e como sempre envolta em polémica: «Quando me ligaram mais de duas ou três pessoas a dizer “eu votei em ti e o voto foi para outro”, decidi não ir. Acuso a FIFA de irregularidades na eleição do melhor treinador do mundo. Houve falta de transparência.» O ex-jogador brasileiro e campeão do Mundo Romário, aquando dos protestos no Brasil contra os elevados gastos na organização do Mundial de Futebol de 2014, deixou um vídeo na Internet com uma mensagem clara que dizia tudo: «A FIFA chega, monta o circo, não gasta nada e leva tudo.» A FIFA é não só dona do Mundial, mas também do país anfitrião, durante o período da competição, graças às garantias governamentais que exige. No mundo do futebol há jogadas que se fazem sem bola. Jogadas ilegais onde os ingredientes principais são a intriga, subornos, compra de votos, venda ilegal de bilhetes, dirigentes e políticas internas racistas, discriminação, amizades com governantes violadores dos direitos humanos, suspeitas de tráfico de droga e armas. Tudo sob a égide do fairplay e do amor pelo jogo. É deste mundo obscuro que trata este livro de investigação inédita, do jornalista desportivo e escritor Luís Aguilar que desvenda os bastidores desta organização que representa o futebol, o desporto mais amado no mundo.
    
Sobre o autor:                                                                                 
Luís Aguilar nasceu no Entroncamento, a 23 de Fevereiro de 1982. Jogada Ilegal (Esfera dos Livros, 2013) é o seu sexto livro. Antes escreveu Jogo Sujo (biografia do ex-futebolista Fernando Mendes), Sexo, Morte e Futebol (romance), El Portugués parte I e parte II (as duas biografias de Paulo Futre) e Correio de Droga (não-ficção). Começou por estudar Antropologia, mas foi no jornalismo que desenvolveu os seus primeiros trabalhos e o gosto pela literatura. Tem colaborado com diversas órgãos de comunicação, entre os quais se destacam Record, A Bola, Sábado, Playboy e SIC. Também lecciona cursos de escrita criativa e desenvolve vários projectos como argumentista e produtor para televisão, rádio e plataformas online. O seu interesse pelos bastidores da FIFA começou ainda na adolescência e, desde então, nunca mais parou de investigar o organismo que rege o futebol mundial. 



terça-feira, 29 de outubro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Padeira de Aljubarrota – Mulher de Armas e Heroína de Portugal - Maria João Lopo de Carvalho

Título: “Padeira de Aljubarrota – Mulher de Armas e Heroína de Portugal”
Autor: Maria João Lopo de Carvalho
PVP: 20,90€
N.º de Páginas: 580


Muitas histórias correram sobre a humilde mulher que, em 1385, numa aldeia perto de Alcobaça, pôs a sua extrema força e valentia ao serviço da causa nacional, ajudando assim a assegurar a independência do reino, então seriamente ameaçada por Castela. É nos seus lendários feitos e peripécias, contados e acrescentados ao longo dos tempos, que se baseia este romance, onde as intrigas da corte e os tímidos passos da rainha-infanta D. Beatriz de Portugal se cruzam com os caminhos da prodigiosa padeira de Aljubarrota, Brites de Almeida, símbolo máximo da resiliência e bravura de todo um povo.



A minha opinião:
Maria João Lopo de Carvalho pega na lenda de Brites de Almeida, conhecida por Padeira de Aljubarrota e constrói uma personagem daquele tempo, pobre, forte e robusta que em vários momentos da sua vida defende os que lhe estão mais próximos.

Fazendo um paralelismo de dois nomes que poderão estar ligados uma vez que Brites poderá ser um diminutivo de Beatriz, a autora traz-nos um romance vivenciado a duas vozes: Brites e D. Beatriz, filha de D. Fernando com Leonor de Lencastre. Tais vidas não podiam ser tão diferentes, mesmo partilhando do mesmo nome. Mas ambas têm uma coisa em comum: a personalidade forte e combativa e o amor por um homem.

A acção começa na infância de D. Fernando, mostrando um homem frágil, mas com vontade de conhecer os os seus outros irmãos, filhos do relacionamento do seu pai com Inês de Castro. Isso vai mostrar a importância que os irmãos Castro teriam no reino e o "medo" que Leonor de Lencastre teria deles, ao ponto de os mandar para Castela, urdindo intrigas e mentiras sobre eles.

Depois do casamento com Leonor e sempre esperado o herdeiro que possa depois reinar sobre Portugal, e é com grande regozijo que nasce Beatriz. Posta de parte logo que nasce pela mãe, Beatriz é uma menina inteligente, com uma personalidade forte, mas que não passa de um joguete nas mãos da sua mãe, que vê nela apenas um trunfo para os seus intentos futuros. Prometida em casamento a quatro pretendentes, em momentos diferentes, claro, Beatriz acaba por casar com D. Juan de Castela quando tem apenas 10 anos, tendo o seu marido 24...

Filha de um casal rude e pobre, e pais tardios (a mãe tinha 35 anos quando a teve, idade muito avançada para a época), Brites nasce com uma deformação: 6 dedos em cada mão. Com o crescimento, Brites não tem nada de mulher. Forte, braços musculados, feições masculinas e feias, é uma mulher completamente à margem. Todos com quem se cruza pensam que é belzebu.

A rica Beatriz e a rude Brites são infelizes no seu meio. Uma é prisioneira do seu destino, a outra é colocada de parte por não ter nada de belo. Mas Brites terá um papel mais relevante no destino de Portugal, já que, e apesar de não se saber se existiu ou não, pelo menos existe a lenda de que foi uma valente lutadora tendo matado castelhanos com uma pá de padeiro.

Não achei que fosse uma personagem tão brilhante assim, porque por Portugal apenas fez matar alguns castelhanos, já a guerra tinha sido vencida, mas gostei particularmente da autora ter enfatizado e idealizado uma mulher boa, com uma personalidade fantástica a contrastar com o seu aspecto físico.

A Padeira de Aljubarrota é uma homenagem a uma mulher que poderá fazer parte de uma lenda ou não. Escrito de uma forma agradável e leve, com capítulos curtos e a duas vozes para que o leitor perceba, de uma maneira simples, a época que se vivia naquela altura. Uma época de grandes jogadas estratégias com Castela, mas também com Inglaterra, que quase que colocava em risco a independência do nosso pais.


Excerto:
"Acreditai, senhor, o amor não traz bem algum ao reino de Portugal, nunca o trouxe e não há de nunca trazê-lo."
"Nenhuma batalha é fácil. Ou matamos ou somos mortos."
"Olha que estar perdida é bom, é sinal de que há caminhos. Triste é quando deixa de haver caminhos."



Sextante Editora publica "Libra", de Don DeLillo que será apresentado em Lisboa

Título: Libra
Autor:
Don DeLillo
Tradutor: Paulo Faria
Págs.: 504
PVP: € 19,90

A 1 de novembro, a Sextante Editora publica Libra, de Don DeLillo, aquele que é considerado o grande romance sobre o assassínio de John F. Kennedy, um acontecimento que marcou a História dos EUA e que ocorreu em novembro de 1963, há precisamente 50 anos.
Don DeLillo apresentará este romance no dia 12 de novembro, às 21:30, no espaço Nimas, em Lisboa, um evento que se insere no Lisbon & Estoril Film Festival’13. Nessa sessão, o autor lerá ainda excertos de Submundo (Sextante Editora, 2010) ao mesmo tempo que será transmitido Frame by Frame, o filme de Abraham Zapruder sobre o assassinato de Kennedy.
Reconhecido como um dos grandes escritores americanos atuais e um habitual candidato ao Prémio Nobel da Literatura, Don DeLillo tem já vários livros publicados na Sextante Editora. Libra é um dos seus romances mais marcantes, «uma viagem sem paralelo ao coração da América» (The Observer).

Sobre o livro:
Neste exercício de ficção em torno do assassínio de John F. Kennedy, DeLillo conta a odisseia de Lee Harvey Oswald, desde a sua adolescência conturbada até se tornar um adulto instável que imagina ser um agente da História. Combinando com mestria facto e ficção, Libra é a investigação grave, assombrosa e brilhante de um acontecimento que se tornou parte indelével da História da América e do mundo.

Sobre o autor:
Don DeLillo nasceu em 1936, em Nova Iorque. É autor de dezasseis romances, que incluem O homem em queda, Ruído branco e Libra, foi galardoado com o National Book Award, o Pen/Faulkner Award for Fiction, o Prémio Jerusalém (para a totalidade da sua obra) e a William Dean Howells Medal da Academia Americana de Artes e Letras. Em 2006, Submundo foi considerado um dos três melhores romances dos últimos vinte e cinco anos pela The New York Times Book Review. Em 2010, o escritor Philip Roth fez parte do júri que atribuiu o Prémio Pen/Saul Bellow de carreira literária a Don DeLillo.


BOOKSMILE: Todos a bordo!!!!

O Bando das Cavernas: Todos a Bordo! Aqui está o n.º 6 desta divertida coleção, 100% portuguesa, que está a provocar gargalhadas pré-históricas nos leitores mais novos! Uma coleção composta por livros vindos dos confins dos tempos, recheados de aventuras. Tocha, Ruby, Menir, Kromeleque, Tzick e Sabre. Eles são um grupo muito especial de amigos que nasceram da fértil imaginação de Nuno Caravela, autor dos textos e ilustrações.

Os mais novos (7+), que estão a iniciar a leitura autónoma, já se renderam às peripécias d'O Bando das Cavernas. E, depois dos cinco super divertidos livros que já se encontram nas livrarias, atracou agora nas prateiras um novo livro (8,99€).

Sinopse de O Bando das Cavernas: Todos a Bordo

«Este livro, vindo dos confins do tempo, está repleto de aventuras e gargalhadas. Tudo por causa de um grupo muito especial de amigos: o Tocha, a Ruby, o Menir, o Kromeleque, o Tzick e o Sabre. Eles são o Bando das Cavernas!

Embarca com eles numa viagem por mares agitados! Descobre a Tribo dos Contrários, visita uma escola debaixo de água, onde os alunos são sereias e tritões, assiste ao reencontro do Bando com o Rock, um antigo aluno da escola, e participa num concerto com instrumentos musicais malucos. Por fim, enfrenta uma tempestade terrível e assiste ao final emotivo desta inesquecível viagem.»

«Com esta coleção pretendo, acima de tudo, divertir e estimular a imaginação dos mais novos, transportá-los ao longo das páginas para um mundo de descobertas, onde tudo é possível. Onde todos os personagens, cada um com as suas diferenças, limitações, defeitos e virtudes, se tornam amigos nos quais se pode confiar e que acompanhamos em qualquer aventura.»

É assim que Nuno Caravela explica o nascimento d’O Bando das Cavernas, mais uma aposta da Booksmile em autores portugueses que escrevem para jovens leitores (7+). Nuno Caravela tem percorridos várias cidades do país a convite de escolas, fruto do sucesso da coleção.