sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Crime de Luxo - NGaio Marsh [Opinião]

Título: Crime de Luxo
Autor: NGaio Marsh
Páginas: 376
Editor: Edições Asa
PVP: 14,90€

Sinopse:
As jovens debutantes suspiram, ansiosas. As mães casamenteiras planeiam minuciosamente cada lanche, baile e jantar. Em Londres, uma nova temporada está prestes a começar.
Mas por detrás de tão enérgica atividade, a alta sociedade está a ser vítima de um crime tão abjeto quanto silencioso. Alguém está a chantagear as mais notáveis famílias da cidade… e essa pessoa também planeia cuidadosamente todos os seus passos.
O inspetor-chefe Roderick Alleyn, ele próprio um aristocrata, move-se suficientemente bem naquele meio para perceber que algo de estranho se passa. Encontrou, até, o aliado perfeito. O seu amigo Lorde Robert Gospell aceitou misturar prazer e dever num dos bailes mais aguardados do ano.
E para mal dos seus pecados, o bom lorde descobriu o culpado…
A minha opinião: 
Inserida na coleção Crime à Hora do Chá, uma nova coleção da Asa que muito me tem agradado, Crime de Luxo continua a mostrar o policial britânico de época que muito faz lembrar os livros de Agatha Christie.

Acompanhados sempre por uma saqueta de chá Lipton, uma boa companhia para quem gosta deste género de livros, esta série é absolutamente deliciosa. Desde as capas, até às histórias com policiais caricatos quase sempre com crimes ocorridos dentro de famílias de alta sociedade. Quem gosta deste género de crimes não pode perder esta fabulosa série.

O terceiro volume traz Ngaio Marsh, uma autora para mim completamente desconhecida, com o livro Crime de Luxo. Nesta obra está patente, além de um assassinato, outro crime: chantagem. Na temporada de apresentação das filhas das "boas" famílias à sociedade com o intuito claro de arranjar pretendentes, uma personagem que vai ser assassinada quando já regressa a casa, de táxi. Em cena aparece o inspector-chefe Roderick, cuja perspicácia e sentido de encenação de diversas situações ocorridas em determinada época, em muito me fizeram lembrar Poirot. De destacar o seu ajudante Fox, um elemento de ajuda imprescindível para a resolução do problema, apesar de estar em segundo plano.

Roderick vai contar ainda com a preciosa ajuda de Lorde Robert, determinante em muitos acontecimentos que vão surgir durante a noite do assassinato.

Mostrando vários pontos da alta sociedade, com personagens completamente diferentes entre si, mas cujo objectivo é sempre demonstrar o como estão bem de vida, tentando ocultar muitas vezes as suas vidas passadas. E tem lá tudo. Desde a alpinista social, à jovem debutante que não tem pretendentes, a damas de sociedade com um passado sombrio, a uma pintora, um homem cheio de esquemas...

Numa altura em que a investigação só se fazia valer dos interrogatórios e de uma autópsia um pouco rudimentar, Roderick Alleyn tem a mestria de um grande investigador.

Apesar de Crime de Luxo fazer parte de uma série em que Roderick Alleyn é o protagonista, sendo este o seu sétimo livro, a trama percebe-se bem, deixando no ar a vontade de querer saber mais sobre este detective tão bom. Fica no ar a deixa para que a Asa comece a publicar desde o primeiro volume, mesmo que seja noutra coleção, os restantes livros.

Mais um policial que recomendo.   

Gillian Flynn vence o National Award na categoria de autor estrangeiro


Gillian Flynn, com o livro Em Parte Incerta, editado pela Bertrand Editora em fevereiro deste ano, foi galardoada com o prémio National Book na categoria de autor estrangeiro (http://www.bbc.co.uk/news/entertainment-arts-25338285).

Os National Book Awards distinguem os melhores livros publicados em cada ano no Reino Unido, através de uma seleção feita por profissionais da indústria britânica do livro. Na lista de premiados há sempre um autor internacional. Nesta categoria, os três últimos livros distinguidos foram The Snow Child, de Eowyn Ivey (2012), A Visit From the Goon Squad, de Jennifer Egan (2011) e Freedom, de Jonathan Franzen (2010), escolhas que refletem o prestígio deste galardão.

Guerra & Paz: Livro premiado no Brasil chega a Portugal

Distinguido esta semana como melhor livro-reportagem do ano pela conceituada Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA), no Brasil, o livro «Holocausto Brasileiro», da repórter Daniela Arbex, chega a Portugal em Abril de 2014, pelas mãos da Guerra e Paz Editores.
“Não poderia estar mais honrada em ver meu trabalho sendo recebido pelo povo português. A minha expectativa é que a obra possa, do outro lado do oceano, continuar a consciencializar as pessoas para a necessidade de humanização desses modelos de atendimento. Que o «Holocausto Brasileiro» ajude a sociedade a transformar segregação em acolhimento em qualquer parte por onde ele passe”, afirma a jornalista, feliz com a edição em conjunto com a Guerra e Paz.

No Brasil, «Holocausto Brasileiro» já conta com oito edições e vendeu mais de 55 mil exemplares. O livro tem sido uma presença assídua no top de mais vendidos de revistas e publicações como a Veja, Folha de S. Paulo, O Globo e Publishnews.
“Independentemente de termos ficado mais de dez semanas no ranking dos dez livros mais vendidos do país, o que me emociona é o facto de a obra permitir que o Brasil conheça uma de suas piores tragédias”, realça Daniela Arbex.
“Mais do que isso, a dor provocada pelo Hospital Colônia poderá ser compreendida em qualquer país ou língua, porque as condições sub-humanas impostas a pacientes psiquiátricos se repetem em outros lugares do mundo. O prémio da crítica só chancela ainda mais a qualidade da história, aumentando a minha responsabilidade como jornalista que busca a transformação social”.

Todos os anos, os Prémios APCA, atribuídos por 52 críticos, elegem os melhores nas categorias de Arquitectura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Literatura, Música Popular, Música Erudita, Rádio, Teatro, Teatro Infantil e Televisão. A cerimónia de entrega dos prémios irá decorrer em Março de 2014.

«Holocausto Brasileiro», de Daniela Arbex, resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da História: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante os anos 60 e 70, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ali foram mortas, criminosamente, 60 mil pessoas. Um testemunho necessário e chocante.



quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Civilização lança "Funiculares e Teleféricos de Portugal"

Título: Funiculares e Teleféricos de Portugal
Autores: Alberto Fonseca, António Vasconcelos e Francisco Alba

Encadernação: Capa dura
Páginas: 126
PVP: 15€
Lançamento: Dezembro de 2013

Sessão de lançamento no próximo dia 18 na Livraria Ceuta, no Porto.

Costumam chamar-se teleféricos, funiculares, ascensores, elevadores…. são máquinas esquisitas, instalações complexas, mecânicas, com cabos, “coisas de engenheiros”….. que nos levam às alturas como o Ascensor do Sítio, na Nazaré, ou nos fazem descer ao nível do mar, como o moderno Teleférico do Garajau, na ilha da Madeira.
A cidade, a serra, o mar, o silêncio, a proximidade do céu, a neve no inverno, terra à vista por quilómetros, paisagens inesquecíveis…. transpondo obstáculos, minimizando o esforço humano e encurtando distâncias, ligam lugares, mostram paisagens e fazem história.

Sobre os autores:
Alberto Fonseca é licenciado em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (1983) e pós-graduado em Engenharia Humana pela Escola de Engenharia do Minho.
António Vasconcelos é licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (1961) e Especialista em Transportes e Vias de Comunicação pela Ordem dos Engenheiros.
Francisco Alba é licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (1980) e concluiu uma Formação Avançada em Políticas e Gestão da Inovação – PROINOV – Universidade de Aveiro (2002).


Valter Hugo Mãe em digressão de apresentação de A Desumanização

Escritor passará por Coimbra, Lisboa, Póvoa do Varzim, Matosinhos e Gaia

Depois de, nos dois últimos meses, ter viajado intensamente pelo estrangeiro, a convite de instituições e festivais literários de países como França, Brasil, Inglaterra, Egito ou Canadá, Valter Hugo Mãe vai, finalmente, poder responder aos anseios dos leitores e apresentar o novo romance, A Desumanização, em várias cidades do país. A partir de 18 de dezembro, o escritor vai estar em Coimbra, Lisboa, Póvoa de Varzim, Matosinhos e Gaia. Personalidades como António Pedro Pita, Fernando Dacosta e Albuquerque Mendes conversarão com Valter Hugo Mãe nestas sessões informais e, naturalmente, gratuitas.

Coimbra - 18 dezembro - 21:30 – Galeria Santa Clara

António Pedro Pita conversa com Valter Hugo Mãe

Lisboa - 19 dezembro, 18:30 – Fnac Chiado
Fernando Dacosta conversa com Valter Hugo Mãe

Póvoa de Varzim - 20 dezembro, 21:30 – Auditório Municipal
Música: Valter Lobo

Matosinhos – 21 dezembro, 17:00 – Fnac Norteshopphing
Albuquerque Mendes conversa com Valter Hugo Mãe

Gaia – 21 dezembro, 21:00 – Fnac Gaiashopping
Sandra Fernandes Pereira conversa com Valter Hugo Mãe




quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

E em 2014, que caminho deveremos tomar? Novo Guia de Paulo Cardoso

Título: ASTROLOGIA E GUIA DO AMOR 2014
Autor: Paulo Cardoso
PVP: 13,90€
E-book: 9,99€
N.º de Páginas: 528

Sobre o livro:
As previsões de Paulo Cardoso para 2014 foram elaboradas com o rigor a que já nos habituou e não apenas considerando o Signo Solar, mas levando em conta o dia de nascimento. Ou seja, em vez de 12 previsões generalistas apresenta 365 diferentes tipos de cálculos.

Pela análise das 12 tabelas aqui incluídas, poder-se-á constatar que, dentro do mesmo Signo, se encontram ambiências muito diferentes e resultados por vezes antagónicos. Daí a importância de fazer cálculos astrológicos de um modo mais personalizado – pelo menos tendo em consideração o dia em que a pessoa nasceu.

Tal como nas duas últimas edições deste livro, estão aqui agrupados os livros Astrologia e Guia do Amor 2014. Neste último, descrevemos a forma de amar de cada um dos nativos dos 12 signos do Zodíaco e as compatibilidades amorosas entre esses 12 tipos de pessoas.

O leitor terá uma perspetiva que lhe poderá ser útil para encarar de um modo diferente as dificuldades que eventualmente esteja a sentir e dar mais atenção às possibilidades que este ano lhe irá trazer.

Sobre o autor:
Astrólogo, pintor e ensaísta, Paulo Cardoso já publicou, até ao momento, 39 livros e apresentou cerca de 30 exposições individuais e 40 coletivas.

Na área da Astrologia realizou, até ao momento, cerca de 18 500 estudos astrológicos, sendo considerado o mais prestigiado astrólogo português.

Entre a sua vasta obra destacam-se Frei Luís de Sousa – Uma Leitura Esotérica; O Seu Bebé e os Signos; Conheça os Seus Filhos Através da Astrologia; Indícios de Ouro – Às Portas de Um Novo Milénio; Fernando Pessoa – Cartas Astrológicas; Fernando Pessoa – Astrólogo; o Guia da Astrologia com publicação anual desde 1996; e o Guia do Amor desde 2002.


Convite para lançamento do livro «Quando Raul Foi à Guerra» de Raul de Carvalho



Convite para lançamento do livro «A Noite em que te Vinguei» de Luís Norton de Matos



Convite Memórias José-Ausgusto França



terça-feira, 10 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

A Bibliotecária de Auschwitz - Antonio G. Iturbe [Opinião]

Título: A Bibliotecária de Auschwitz
Autor: Antonio G. Iturbe
N.º de Páginas: 384
PVP: 18,85 €

Sinopse:
Auschwitz-Birkenau, o campo do horror, infernal, o mais mortífero e implacável. E uma jovem que teima em devolver a esperança. Sobre a lama negra de Auschwitz, que tudo engole, Fredy Hirsch ergueu uma escola. Num lugar onde os livros são proibidos, a jovem Dita esconde debaixo do vestido os frágeis volumes da biblioteca pública mais pequena, recôndita e clandestina que jamais existiu. No meio do horror, Dita dá-nos uma maravilhosa lição de coragem: não se rende e nunca perde a vontade de viver nem de ler porque, mesmo naquele terrível campo de extermínio nazi, «abrir um livro é como entrar para um comboio que nos leva de férias».

A minha opinião:

Dita Kraus tinha 9 anos quando os alemães invadiram Praga. Nessa altura toda a sua vida mudou.

Enviada para Terezín, uma pequena localidade a 60 quilómetros de Praga, logo após a invasão dos Nazis, Dita ainda nem sequer imaginava que a sua vida ainda poderia ficar pior. Apesar da vida naquela cidade oferecida "generosamente" aos judeus por Hitler não ter praticamente nada, a jovem Dita, é mandada, aos 14 anos, para o campo de extermínio mais letal do regime nazi.

Foi aí que passou a ocupar-se da biblioteca dirigida por Freddy Hirsch, passando a estar encarregue de oito livros, disponíveis para cerca de 500 crianças.

Por muitos livros que leia sobre a Segunda Guerra Mundial e o terror porque passaram os judeus, ciganos, homossexuais, deficientes e outros excluídos, todos me impressionam pelos relatos reais do que por lá se passou. Que a guerra, qualquer ela que seja, tem coisas atrozes já todos sabemos, mas saber que houve pessoas que tentaram acabar com uma religião inteira só porque achavam que a deles era a melhor e seria a que devia prevalecer raia a loucura.

Dita conseguiu sobreviver naquele tormento graças aos livros, à ajuda que eles proporcionaram, fazendo com que dezenas de crianças passassem o tempo da melhor forma. Mesmo sabendo que a maioria delas não iria sobreviver ao campo... A jovem levou o seu trabalho tão a sério que por pouco não era apanhada, passando a ser vigiada de perto pelo doutor morte, Mengele.

O bloco 31 era assim conhecido pela sua biblioteca, sendo talvez o único lugar onde ainda se poderia sonhar por um mundo melhor.

Os relatos chocam, as condições em que viviam os judeus e não só eram desumanas, mas mostra também um outro lado que não é falado muitas vezes: o facto de muitos dos guardas nazis serem completamente contra o que estava a acontecer. No entanto, por medo da morte, muitos deles continuavam a guardar os campos, revoltados por lhes terem "vendido" uma outra coisa.

Antonio G. Iturbe conheceu Dita, entrevistou-a e daí surgiu este magnífico livro. Um livro sobre a esperança, sobre ideologia, embora também seja um relato fidedigno de tudo o que passou naquele maldito campo de concentração.

Dos melhores livros que li este ano!



Excertos:
"Assim é o olhar de Mengele, o olhar de uns olhos de vidro onde não há vida nem qualquer espécie de emoção."
"Terezín era uma cidade onde as ruas não levavam a parte nenhuma."
"Em Auschwitz, a vida humana vale menos que nada, tem tão pouco valor que já nem sequer se fuzila ninguém porque uma bola é mais valiosa do que um homem."
"Em Auschwitz o riso era ainda mais escasso do que o pão."
"A vida, qualquer vida, dura sempre muito pouco. Mas se conseguiste ser feliz pelo menos por um instante, terá valido a pena vivê-la."



http://www.youtube.com/watch?v=Wzu9dtaM0FI
http://www.youtube.com/watch?v=Ok7INOEezOo
http://pt.wikipedia.org/wiki/Theresienstadt







Conheça O Arco de Diana uma chancela da editora A Esfera dos Livros

O Arco de Diana, uma chancela da editora A Esfera dos Livros criada em 2008, foi criado com o objetivo de ir ao encontro dos leitores que se interessam por temas como: cozinha prática, fitness e infanto-juvenil.

É a chancela onde é publicado livros com ofertas, divertidos e originais. Entre as várias coleções desta chancela destaque para: «O Principezinho», «Cozinha com Acessórios», onde as receitas se misturam com ofertas úteis, inseridas numa caixa irresistível,  a coleção bestseller «Mini-Livros de Cozinha» e ainda as caixas didáticas para o público juvenil «O que sabes sobre?», onde a Terra, o espaço e os dinossauros, entre outros temas, são revelados de forma lúdica. 


Visite o site www.oarcodediana.pt e o facebook http://www.facebook.com/arcodediana
segunda-feira, 9 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

S.E.C.R.E.T. - Partilhado - L. Marie Adeline [Opinião]

Título: S.E.C.R.E.T. - Partilhado
Autor: L. Marie Adeline
N.º de Páginas: 304
PVP: 17,76 €

Sem juízos. Sem limites. Sem vergonha
Este é o lema de S.E.C.R.E.T, onde as fantasias não têm regras, mas cada letra da sigla representa um critério para seguir à risca. Um mundo onde a fantasia se torna realidade
Este segundo livro retoma a decisão de Cassie, a protagonista, de integrar o S.E.C.R.E.T., sendo convidada a tornar-se Guia e a poder trazer um novo membro para a organização.
Ainda magoada com Will, seu patrão e amante, Cassie Robichaud mergulha no S.E.C.R.E.T., a misteriosa organização que a mudou para sempre ao realizar-lhe as mais profundas fantasias sexuais e onde passa a guiar a mais nova candidata do grupo, Dauphine Mason.
Com trinta e um anos, Dauphine tem uma loja de roupa em segunda mão em Nova Orleães e um fraco por Mark Drury, uma estrela de rock local, mas é demasiado tímida para se dar a conhecer. É-lhe facultada a entrada no S.E.C.R.E.T. para reacender a sua chama sexual e encontrar a confiança necessária para pôr de novo o seu coração em risco.
Temendo que seja demasiado tarde para ela e Will, Cassie encontra inspiração ao ajudar Dauphine. As duas mulheres percorrem o caminho espinhoso entre os seus corações e as suas paixões, esperando descobrir o  que realmente querem na vida e no amor. O enredo nesta sequela apresenta mais reviravoltas e o final irá surpreender, de forma inesperada, os leitores.
Ao mesmo tempo atraente, libertador e emocionalmente poderoso, S.E.C.R.E.T é um mundo onde a fantasia se torna realidade.

A minha opinião:
Apesar de não ser muito amante deste género literário, tirando um ou outro livro que gostei mesmo de ler, S.E.C.R.E.T. mostrou ser um livro diferente da fórmula: homem másculo, mulher submissa.

Gostei bastante do primeiro volume, da personagem principal, Cassie e de o facto da protagonista ter de seguir 10 passos para que atingisse satisfação sexual e se libertasse de medos e coisas pré-concebidas no campo sexual. Todos os passos tinham originalidade e praticados em locais diferentes e por homens diferentes, o que tornou o livro ainda mais engraçado.

O segundo livro é a continuação da vida de Cassie, ao mesmo tempo que angaria um novo elemento para o S.E.C.R.E.T.. É aqui que surge Dauphine, uma mulher abandonada pelo namorado que a traiu com a melhor amiga.

Com a auto-estima completamente em baixo, Dauphine apenas se dedica à sua loja de roupa vintage, embora mesmo essa se encontra em pantanas como a sua própria vida. Mas eis que tudo muda quando aceita os passos e entra para o grupo ultra-secreto.

Apesar de entrar uma outra personagem L. Marie Adeline não se esquece dev Cassie, e vai mostrando o dia a dia da jovem viúva e do seu patrão e grande amor Will. Agora que sabe que a sua namorada está grávida, Will tenta esquecer Cassie, mas sem sucesso. O mesmo acontece com Cassie, que não para de pensar em Will.

Pelo meio vamos assistindo às aventuras de Dauphine, embora achasse que foram pouco exploradas e com menos imaginação do que quando Cassie estava a passar pelos mesmos passos. Aí foi a minha desilusão no livro.

No entanto, a curiosidade em saber o futuro de Cassie leva-me a esperar ansiosamente pelo terceiro livro da coleção. É que tudo está em aberto...

Para quem gostou do primeiro recomendo a leitura do segundo livro, que acompanhará a vida amorosa da empregada de café. Os momentos de erotismo estão lá, a história também, o que faz deste livro um bom exemplo do que um romance erótico deve ser.

Porto Editora: "Bombeiro”, “irrevogável” e “inconstitucional” lideram votação para “Palavra do Ano” 2013



Três palavras destacaram-se nestes primeiros dias de votação: “Bombeiro” (44%), “Irrevogável” (19%) e “Inconstitucional” (10%).

The New York Times elege "A Onda" como um dos cinco melhores livros de 2013 (Não Ficção)



A decisão foi tomada e anunciada. O The New York Times já escolheu o seu Top 10 dos Melhores Livros de 2013, nomeadamente o Top 5 de Ficção e Top 5 de Não Ficção.

E, foi com grande satisfação que a Vogais recebeu a notícia de que o prestigiado jornal escolheu o livro A Onda (título original, Wave), de Sonali Deraniyagala, como um dos cinco melhores livros de não ficção de 2013 (lista completa, aqui).

«WAVE, By Sonali Deraniyagala

On the day after Christmas in 2004, Deraniyagala called her husband to the window of their hotel room in Sri Lanka. “I want to show you something odd,” she said. The ocean looked foamy and closer than usual. Within moments, it was upon them. Deraniyagala lost her husband, her parents and two young sons to the Indian Ocean tsunami. Her survival was miraculous, and so too is this memoir — unsentimental, raggedly intimate, full of fury.» - The New York Times

A Onda (240 pp / 15,49€), obra editada pela Vogais (chancela da 20I20 Editora), chegou às livrarias nacionais no final de novembro.

Neste livro corajoso, pungente e franco, a autora descreve os terríveis momentos que viveu e a sua longa jornada desde então. Num relato cativante e emocional, Sonali descreve como se debateu furiosamente, durante os primeiros meses após a tragédia, contra uma realidade que não conseguia enfrentar e simultaneamente não podia negar.


Com uma escrita emocional e sincera, que torna este impressionante relato ainda mais poderoso, A Onda é uma memória biográfica extraordinária que se lê com comoção. Um livro que irá captar a atenção dos leitores pela sua brutal honestidade e intensidade. A Vogais disponibiliza as primeiras páginas para leitura imediata, aqui.

«Comovente… Este extraordinário livro contém algumas das melhores descrições sobre família e amor que eu alguma vez li.» - Sunday Times

«Inesquecível… O facto de Sonali conseguir escrever este livro, trazendo aqueles que ama de volta à vida em cada página, é sem dúvida um milagre.» - Vanity Fair

«Este livro é comovente e surpreendentemente belo.» - New York Post

Sobre a autora:
Sonali Deraniyagala nasceu e foi criada em Colombo, no Sri Lanka. É licenciada em Economia pela Universidade de Cambridge e doutorada pela Universidade de Oxford. Faz parte do corpo docente do Departamento de Economia na Universidade de Londres e é investigadora na Universidade de Columbia, em Nova Iorque.


domingo, 8 de dezembro de 2013 | By: Maria Manuel Magalhaes

Agenda de Maria Helena já nas livrarias


Domingos Amaral apresenta o livro «O Enigma de Sagres», de Jorge M. Fazenda, vencedor da 2.ª edição do prémio literário BOOK.IT



O Enigma de Sagres, a obra vencedora do Prémio Literário BOOK.IT 2013, é a brilhante estreia na ficção de Jorge M. Fazenda, um português que percorreu todo o mundo, mas que regressa sempre a Sagres. E é ali, no Sul de Portugal, que se desenrola um drama silencioso, e uma intriga internacional que pode alterar para sempre o curso da II Guerra Mundial…

E se um faroleiro de Sagres tivesse descoberto um pacto secreto entre Hitler e Salazar?


Jorge M. Fazenda, 65 anos, nascido em Lisboa, foi comissário de bordo da TAP. Durante anos conciliou os voos com a escrita, sobretudo em jornais e revistas, e dedicou-se também à política, sendo eleito, por duas vezes, presidente da junta de Alcorochel (freguesia do concelho de Torres Novas). Homem dos sete ofícios, com interesses que vão da música à pintura, passando pelo teatro e pela fotografia, publica agora o seu primeiro romance, Prémio Literário BOOK.IT 2013 – cujo cenário principal é Sagres.


Destinado a todos os residentes em Portugal continental e ilhas que nunca tenham editado nenhuma obra, o Prémio Literário BOOK.IT distingue anualmente, através da respectiva publicação, um texto inédito – romance, história de vida ou contos -, escrito em língua portuguesa. À edição deste ano do Prémio Literário BOOK.IT apresentaram-se 561 candidaturas, entre romances, novelas, histórias de vida, contos e poesia.

Nuno Nepomuceno, controlador de tráfego aéreo, sagrou-se o vencedor da primeira edição do prémio com a obra O Espião Português, tendo este romance sido editado em livro igualmente pela ASA.

Os vencedores das duas edições do Prémio BOOK.IT têm em comum a ligação ao sector da aviação.

O livro O Enigma de Sagres, de Jorge M. Fazenda, está disponível nas lojas book.it e hipermercados Continente, Continente Modelo e Worten. Mais informações em www.bookit.pt .

Publicações Europa-América relançam O Hobbit

RELANÇAMENTO

Título: O Hobbit
Autor:
J. R. R. Tolkien
Colecção: Contemporânea
Preço: 22.75€
Pp.: 264

O prelúdio d’ O Senhor dos Anéis
A obra que inspirou a adaptação cinematográfica de Peter Jackson

Esta é a história da aventura de um Baggins, que deu consigo a fazer e a dizer coisas completamente impensáveis…

Bilbo Baggins é um hobbit que desfruta de uma vida confortável e sem qualquer ambição. Ele raramente se aventura em viagens, não indo mais longe do que até à dispensa de sua casa, no Fundo do Saco. Mas este conforto será perturbado por Gandalf, o feiticeiro, e por um grupo de treze anões, que num belo dia chegam para o levar numa viagem «de ida e volta». Eles têm um plano para pilhar o espantoso tesouro de Smaug, o Magnífico, um dragão enorme e extremamente perigoso.
Encontros inesperados com elfos, gnomos e aranhas gigantes, um dragão que fala, e ainda a presença involuntária na Batalha dos Cinco Exércitos, são apenas algumas das experiências por que Bilbo passará.

O Hobbit é o prelúdio de O Senhor dos Anéis e já vendeu milhões de cópias desde a sua publicação, em 1937. É claramente um dos livros mais amados e influentes do século XX.

«Uma obra-prima incomparável», The Times

Entrega do Grande Prémio de Crónica APE / C.M. Sintra a J. Rentes de Carvalho, no dia 10 de dezembro

A cerimónia oficial de entrega do Grande Prémio de Crónica, a J. Rentes de Carvalho, pelo livro Mazagran, decorrerá na próxima 3ª feira, dia 10 de dezembro, às 17h, no Auditório da Biblioteca Municipal de Sintra.
Recordamos que o júri constituído por Francisco Duarte Mangas, Manuel Frias Martins e Serafina Martins, atribuiu, por unanimidade o prémio à obra de J. Rentes de Carvalho, a quem, no ano anterior, já tinha sido atribuído o Grande Prémio de Literatura Biográfica, pelo livro Tempo Contado.

J. Rentes de Carvalho nasceu em 1930, em Vila Nova de Gaia, onde viveu até 1945. Obrigado a abandonar o país por motivos políticos, viveu no Rio de Janeiro, em São Paulo, Nova Iorque e Paris. Em 1956 passou a viver em Amesterdão, na Holanda, como assessor do adido comercial da Embaixada do Brasil. Licenciou-se (com uma tese sobre Raul Brandão) na Universidade de Amesterdão, onde foi docente de Literatura Portuguesa entre 1964 e 1988. Em 2012 foi galardoado com o Grande Prémio de Literatura Biográfica APE/Câmara Municipal de Castelo Branco 2010-2011 com o livro Tempo Contado. Os seus livros Com os Holandeses, Ernestina, A Amante Holandesa, Tempo Contado, La Coca, Os Lindos Braços da Júlia da Farmácia, O Rebate, Mazagran e Mentiras & Diamantes estão atualmente disponíveis na Quetzal, que continuará a publicar o conjunto das suas obras.


«Corro para a Eternidade - A Trágica Ambição de Francisco Lázaro» de André Oliveira publicado na Suécia

O romance A Trágica Ambição de Francisco Lázaro da autoria de André Oliveira que relata a história de Francisco Lázaro, o jovem carpinteiro de uma fábrica de carroçarias de automóveis no Bairro Alto, em Lisboa, que participou na maratona da V edição dos Jogos Olímpicos de Estocolmo, os primeiros em que Portugal participou, e que acabaria por falecer antes de chegar à meta, acaba de ser publicado na Suécia pela prestigiada editora Ekerlids (www.ekerlids.com) com o título Maraton till evigheten (Maratona para a eternidade).

O romance A Trágica Ambição de Francisco Lázaro da autoria do diplomata André Oliveira, que foi publicado pela Gradiva em Maio de 2013, tem também já em curso a tradução para língua árabe.

 
Sobre o autor:
André Oliveira, nasceu em Braga. É formado em Economia pela Faculdade de Economia do Porto e pós-graduado em Economia Internacional pela Universidade do Minho. Participante no Programa Contacto na Polónia em 2002, ingressou na carreira diplomática em 2005. Após ter exercido funções nos serviços centrais do Ministério dos Negócios Estrangeiros em Lisboa até 2008, período em que apoiou o coordenador português para as relações euro-mediterrânicas no quadro da Presidência Portuguesa da UE, esteve colocado na Embaixada de Portugal na Estónia até 2010. Diplomata de carreira, encontra-se actualmente colocado na Embaixada de Portugal em Estocolmo.

Clube do Autor disponibiliza Encontro de Miguel Sousa Tavares com os seus leitores.

Quer fazer uma pergunta a Miguel Sousa Tavares?
Tem até dia 15 de Dezembro para participar e fazer chegar a pergunta que gostaria de ver respondida pelo jornalista. As perguntas podem ser enviadas para o email info@clubedoautor.pt ou por mensagem através da página da editora Clube do Autor no facebook. Serão selecionadas 10 perguntas e os respetivos autores serão avisados por email no dia 16 de Dezembro.

Quer fazer uma pergunta a Miguel Sousa Tavares? Pois bem, vamos a isso!O encontro de Miguel Sousa Tavares com os seus leitores está agendado para as 19h00, na Fnac Chiado, dia 17 de Dezembro.

CONVITE:«O Terceiro Bispo», de Frederico Duarte Carvalho, apresentado no Porto por Luís Miguel Rocha



Clube do Autor lança edição comemorativa do romance de Miguel Sousa Tavares

Título: Equador (Edição comemorativa)
Autor: Miguel Sousa Tavares 
PVP: 18,50€
N.º de páginas: 512 

Equador é um retrato brilhante da sociedade portuguesa nos últimos dias da Monarquia, uma obra que traça um paralelo entre os serões mundanos da capital e o ambiente duro e retrógrado das colónias. Comovente e perturbador, continua a ser um dos romances mais admirados de Miguel Sousa Tavares.
Quando naquela manhã chuvosa de Dezembro de 1905, Luís Bernardo é chamado por El-Rei D. Carlos a Vila Viçosa, não imaginava o que o futuro lhe reservava. Não sabia que teria de trocar a sua vida despreocupada na sociedade cosmopolita de Lisboa por uma missão tão patriótica quanto arriscada na distante ilha de S. Tomé. Não esperava que o cargo de governador e a defesa da dignidade dos trabalhadores das roças o lançassem numa rede de conflitos e interesses com a metrópole. E não contava que a descoberta do amor lhe viesse mudar a vida.

«Um olhar cinematográfico, no qual palavra e imagem se casam, História e ficção se entrelaçam.» O Globo (Brasil)
«Um romance que todos os leitores desejam um dia ler. Uma história que se lê de um fôlego.» ABC (Espanha)
«Um grande romance, uma epopeia destinada a ficar na história de literatura europeia.» La Nazione (Itália)




A TABACARIA de Fernando Pessoa em edição bilingue pelo Clube do Autor

Título: A TABACARIA
. Pedro Sousa Pereira (ilustrações)
. Richard Zenith (tradução e posfácio)
. Edição Bilingue (Português e Inglês) e Capa Dura
PVP: 14,50 €
N.º de Páginas: 72

O escritor italiano Antonio Tabucchi chamou-lhe “o poema mais importante do século XX”. A grandeza pode ser difícil de quantificar, mas “Tabacaria” é seguramente um dos mais admirados poemas de Fernando Pessoa e da língua portuguesa em geral. Isto é verdade pela sua inquietante universalidade. “Tabacaria” é sobre a nossa derrota individual e desilusão, mas também sobre o triunfo da imaginação e do sentimento humano. Este poema fala por nós todos. Ensina-nos quem somos. Richard Zenith
George Steiner não hesitou em afirmar Fernando Pessoa como “one of the evident giants in modern literature”. Nós corroboramos.
Richard Zenith foi distinguido com o Prémio Pessoa 2012. Natural de Washington DC, obteve a licenciatura em Letras (BA) na University of Virginia. Viveu na Colômbia, no Brasil e em França antes de radicar-se em Lisboa, em 1987. Trabalha como escritor, tradutor, investigador e crítico.
Pedro Sousa Pereira nasceu em Angola em 1966. Atualmente é jornalista da agência LUSA. Como ilustrador, é autor, entre outros, dos desenhos de Mensagem, de Fernando Pessoa, Só, de António Nobre e de O Livro de Cesário Verde.