segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Um Homem Escancandaloso - Tiago Rebelo [Opinião]

Título: Um Homem Escandaloso
Autor: Tiago Rebelo
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 328
Editor: Edições Asa
PVP: 15,90€


Sinopse:
Em plena crise económica, um pintor com uma vida catastrófica, persiste em boicotar a própria carreira. Mas quando o seu casamento termina e tudo parece perdido, eis que a sorte muda: de um dia para o outro, torna-se a figura do momento e o artista português de maior projecção internacional.
Uma brusca mudança da percepção da realidade fará com que este homem, que se esconde do mundo com uma tenacidade doentia, passe a ser um alegre provocador de escândalos públicos - e, também, o conquistador da deslumbrante Cristiane.
Um Homem Escandaloso é um romance notável sobre a sociedade moderna, onde o sucesso se conquista com ostentação e fingimento. Divertido e desconcertantemente certeiro, eis um retrato prodigioso de uma época onde a imagem é tudo e o abstracto se sobrepõe ao concreto. 

A minha opinião: 
Quem me segue aqui no blogue sabe que sou fã dos livros de Tiago Rebelo. Li-os todos logo que saíram e, portanto, logo que soube desta novidade não podia perder a oportunidade de ler mais um livro deste autor português que tantas vezes é comparado (mal) a Nicholas Sparks.

Um Homem Escandaloso faz, mais uma vez, um retrato real das personagens. De tal forma, que seria muito provável que nos pudéssemos cruzar com elas a qualquer esquina, ou tomá-las por vizinhas, ou até na faculdade... E é isso que mais gosto no autor.

Tiago Rebelo faz-nos entrar nas histórias como se nós próprios pudéssemos fazer parte dela, sermos personagens secundárias ou até principais com as nossas vivências passadas.






Tecendo duras críticas à sociedade actual, onde a aparência física e o sucesso na carreira profissional prevalece acima da felicidade do ser humano, Tiago Rebelo cria a personagem de João Pedro, um pintor à beira da decadência, um homem feio, com cara de boxer, mas inteligente, com um casamento à beira da ruptura, mas que decide não ceder às chantagens do mercado actual no que ao trabalho diz respeito.

No entanto, um sonho vai fazê-lo mudar de ideias, e João Pedro vai cair num espiral de loucura e, por momento, muda o rumo da sua vida, tornando-o num homem completamente diferente, o antagónico daquilo que ele sempre detestou...

Não tendo sido o melhor livro que li do autor, Um Homem Escandaloso é um livro leve, para ler de uma assentada, apesar de tudo não desiludiu.


sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Marcadores # 3


terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Planeta: Novidades a 7 de Janeiro nas livrarias

Título: O Endurance - Encurralados no Gelo
Autor: Caroline Alexander
N.º de Páginas: 224
PVP: 17,76 €

«Uma das mais extraordinárias histórias de sobrevivência de sempre.» John Skow, Time

Um relato emocionante de uma das últimas grandes aventuras da Idade Heróica da exploração: talvez a maior de todas.
A lendária expedição de Shackleton à Antárctida. Um dos maiores épicos de sobrevivência de sempre. A 19 de Janeiro de 1915 o barco ficou preso no gelo da Antárctida, faz agora 100 anos.
Com mais de 100 fotografias inéditas de Frank Hurley, o fotógrafo que acompanhava a expedição.

O QUE DIZ A CRÍTICA
«Sentimos vontade de nos erguer e saudar o heroísmo do espírito humano.» Carolyn N. Warmbold, Atlanta Journal
«O que faz deste livro um relato deveras vívido são as 170 fotografias inéditas, tiradas pelo fotógrafo da expedição, Frank Hurley: verdadeiras composições artísticas de homenagem à beleza selvagem do gelo e à força dos homens e dos seus cães. […] A notável resiliência destes homens deve-se não só à liderança de Shackleton, mas também à força da alma humana.» Publishers Weekly
«Este livro ocupa um honroso lugar de destaque na literatura de expedição polar.» Kirkus Views

Uma história notável, real, de resiliência e perseverança, que mostra a força de um homem e da sua tripulação. O livro explica todas as vicissitudes por que passaram os tripulantes para sobreviver e como um líder nato, E. Shackleton, organizou, comandou, incentivou e finalmente resgatou todos os seus homens, sem uma única vítima mortal.
Em Agosto de 1914, poucos dias antes do início da Primeira Guerra Mundial, o famoso explorador Ernest Shackleton, acompanhado por uma tripulação de 27 homens, partiu em direcção ao Atlântico Sul, em busca do último prémio ainda não reclamado da história da exploração polar: a primeira travessia a pé do continente antárctico.
Abrindo caminho através do gelado mar de Weddel, distavam apenas 160 km do seu objectivo quando o navio, o Endurance, ficou preso no gelo. Em breve seria esmagado como se fosse madeira de fósforos, deixando a tripulação a flutuar na superfície das placas geladas. A sua terrível provação iria prolongar-se por 20 meses, tendo feito duas tentativas quase fatais de escapar por barco até serem finalmente resgatados. Recorrendo a fontes até agora indisponíveis, Caroline Alexander dá-nos um relato fascinante da expedição de Shackleton. E apresenta-nos o extraordinário e pioneiro trabalho de Frank Hurley, o fotógrafo australiano cujo registo visual desta aventura nunca fora publicado na íntegra. Em conjunto, texto e imagem recriam a beleza terrível da Antárctida, a destruição do navio e a heróica luta diária da tripulação pela sobrevivência, um milagre tornado possível pela liderança inspiradora de Shackleton.
A preservação das notáveis imagens de Hurley foi outro milagre impressionante: as chapas de vidro dos negativos originais, a partir das quais é reproduzida a maioria das fotografias que ilustram este livro, foram
guardadas em caixas metálicas hermeticamente seladas, resistindo não só aos vários meses passados sobre as placas de gelo, como às condições atmosféricas durante a travessia de uma semana num pequeno barco aberto em pleno mar polar e, finalmente, a muitos meses enterradas na neve que cobria os rochedos da ilha Elefante.
Quando Hurley se viu forçado a abandonar o seu equipamento profissional captou algumas das imagens mais inesquecíveis da expedição com uma câmara de bolso e três rolos de filme Kodak.
Originalmente publicado em colaboração com a exposição histórica que o Museu Americano de História Natural dedicou à expedição, O Endurance – A Lendária Expedição de Shackleton à Antárctida é um relato emocionante de uma das grandes aventuras da Idade Heróica da exploração – talvez a maior de todas.

Sobre a autora:
Caroline Alexander, vive em New Hampshire, tem trabalhos publicados nas revistas The New Yorker, Granta, Condé Nast Traveler, Smithsonian, Outside e National Geographic. É autora de One Dry Season, The Way to Xanadu, Battle’s End, Mrs. Chippy’s Last Expedition.
Foi curadora da exposição Endurance: A Lendária Expedição de Shackleton, que percorreu os Estados Unidos da América.

Título: Descubra os Anjos em Família
Autor:
María Elvira Pombo Marchand
N.º de Páginas: 272
PVP: 17,95 €

Depois do êxito de Pela Mão dos Anjos, com 3 edições e mais de 6 000 exemplares vendidos, chega agora um novo manual que que nos ensina como comunicar com os arcanjos e os seres de Luz, em família, e iniciar as crianças no mundo dos anjos.

A autora, uma especialista em anjos, mostra-nos como aproveitar cada momento para encontrar a paz e a felicidade, através destes seres que nos acompanham e guiam durante toda a vida. Em especial, ensina os pais e filhos a lidarem com situações difíceis do dia-a-dia. Maria Elvira Pombo ensina-nos ainda como comunicar com os anjos, sem precisarmos de possuir qualquer dom. Todos podemos dialogar com estes seres de luz. Este é um livro para transcender, para cultivar essa parte essencial de todos os seres humanos, que nos permite encontrar um propósito na vida, descobrir o nosso dom único e cumprir uma missão no mundo.
Lê-lo é empreender uma aventura que nos ajudará a conhecer os anjos que nos acompanham desde que nascemos, pedir a sua protecção, perceber os seus sinais para aproveitar as oportunidades e criar bem-estar para nós e para os que nos rodeiam. Trata-se de «uma espiritualidade prática», que pais e filhos podem viver no dia-a-dia mediante exercícios, meditações e histórias para partilhar com os seres que amamos.

OFERTA
O livro inclui um baralho de 20 cartas com frases inspiradoras para que, em família, todos possam convocar energias favoráveis e estarem mais próximos dos anjos e arcanjos.


Sobre a autora:
Estudou administração de empresas na Universidade Xaveriana de Bogotá. Exerceu a sua profissão com êxito, durante doze anos como executiva no Citibank. Nesse período, fez também uma especialização em marketing. A sua sensibilidade levou-a a estudar os anjos e, mais tarde, a aprofundar os seus conhecimentos pela mão de Doreen Virtue nos Estados Unidos, onde obteve o grau de ATP (Angel Therapy Practitioner) em 2001.
Depois de terminar o curso, decidiu fazer uma paragem na sua carreira como executiva financeira e dedicar-se por completo a ensinar as pessoas a comunicarem com os seus anjos e guias.
Em 2002, abriu o seu consultório de Terapia com Anjos. Publicou Aventura con tus ángeles, un mensaje de luz (2006) e o livro de espiritualidade para crianças La oruga Michelle encontra Deus (2011), escrito com a sua filha Michelle. No seu terceiro livro, De la mano de los ángeles, manual para vivir (2011) resume todos os ensinamentos que recebeu destes seres de luz e considera-o o seu legado.
Através de seminários, livros e consultas privadas tem ensinado a milhares de pessoas a sentir e partilhar a sua vida diária com os anjos procurando que a espiritualidade seja uma experiência e não uma crença. Desta maneira, cumpre a sua missão e o seu sonho de contribuir para a evolução dos seres humanos através do amor.
Visite a sua página: www.terapiaconangeles.com

Título: 28 Dias
Autor:
David Safier
N.º de Páginas: 360 páginas

Um comovente romance, baseado numa história verídica, sobre a luta de uma jovem heroína de 16 anos, do Gueto de Varsóvia, que nos mantém com as emoções à flor de pele.

28 dias para viver toda uma vida.
28 dias para descobrir o amor verdadeiro.
28 dias para se converter numa lenda.
28 dias para responder à maior de todas as perguntas: que género de
pessoa quer ser?
Uma história forte, convincente e com um argumento de grande impacto baseado em factos reais, fruto de uma investigação rigorosa, apoiada nas memórias dos sobreviventes do gueto e no arquivo clandestino que escapou à censura nazi.
São 28 dias de angústia, onde há espaço para o amor, a traição, o sacrifício, a crueldade, o heroísmo, a injustiça, a lealdade. Para o melhor e o pior da natureza humana numa trama que nos mantém em todo momento com as emoções a flor de pele, cheio de tensão, com situações limite verdadeiramente perturbadoras e abordagens que saltam das páginas do livro directamente à consciência do leitor: "Como agiria em tal situação? Será que conseguiria matar para salvar vidas? Arriscar a sua vida pela dos outros? "28 dias, em que Mira deve decidir a quem pertence o seu coração: a Amos, o lutador que ainda quer matar o máximo de nazis possível, ou a Daniel, que cuida das crianças órfãs nos bunkers. David Safier que é conhecido pelos seus livros cheios de humor, e arrancou sorrisos de milhões de leitores com Maldito Karma, Jesus Ama-me e Uma Família Feliz, agora leva-nos ao limite da emoção com um grande romance, sobre o amor e a coragem, ambientada num dos episódios humanos mais esmagadores da História. A história passa-se em Varsóvia, 1943. Mira uma jovem de dezasseis anos, sobrevive graças ao contrabando de alimentos no gueto onde os nazis aprisionaram os judeus. O seu único objectivo é o de proteger a mãe e a irmã mais nova. Quando os habitantes do gueto começam a ser deportados para os campos de concentração, Mira junta-se à Resistência. Na maior aventura das suas vidas conseguem fazer frente às SS muito mais tempo do que haviam imaginado. 28 dias. 28 dias nos quais Mira terá de decidir a quem pertence o seu coração. A Daniel, um rapaz que toma conta das crianças órfãs, ou a Amos, um membro da Resistência cujo objectivo é matar tantos nazis quanto possa.

Mais de 100 000 exemplares vendidos na Alemanha.
Duas edições nas primeiras duas semanas de vendas.

Excerto da entrevista ao autor, no final do livro
Espera-se de David Safier livros divertidos com uma trama fantástica e saídas espirituosas. O seu sexto romance foge à norma estabelecida: como lhe ocorreu escrever um livro sobre o levantamento do gueto de Varsóvia?
Trata‑se de uma história que sempre quis escrever. Em 1992, há mais de vinte anos, pediram-me que proferisse um discurso na catedral de Bremen por ocasião do aniversário do levantamento do gueto de Varsóvia.
Naquela altura, tinha vinte e poucos anos, era jornalista na Radio Bremen e partia‑se do princípio de que devia contar algo sobre os jovens da Resistência. Ao aprofundar o tema, fascinaram-me as histórias sobre a grandeza humana, mas também sobre a cobardia humana. Desde aquela época, a verdade é que não se passou um ano sem que conjecturasse a hipótese de poder transformar esse material em algo literário e de  que maneira poderia faze‑lo.
O que tem esta história de extraordinário?
O facto de as vítimas se terem defendido. A imagem que temos é que os judeus se deixaram levar para os campos de concentração sem oferecer resistência, como animais para o matadouro. Em Varsóvia, 1200 judeus, na sua maioria jovens com idades compreendidas entre os treze e os vinte e nove anos, organizaram um levantamento e resistiram a uma superioridade brutal durante vinte e oito dias. Isto já é singular só por si, não apenas na história recente como também na história em geral. O romance 28 Dias é uma obra de ficção, mas não é fictícia, inspirando‑se com efeito em episódios reais.
No filme Titanic existem duas personagens de ficção, os que são interpretados por Kate Winslet e Leonardo DiCaprio, que revivem tudo o que se passou na época. O mesmo acontece com a minha heroína. Mira não existiu, mas tudo o que lhe acontece, e tudo o que sucede no romance, baseia-se em factos reais. Escolhi esta exposição de maneira consciente: se contasse uma história cujo protagonista fosse uma personagem real, ver-me-ia limitado as suas vivências.
Precisava arranjar a maneira certa de tratar dos temas que me interessam. Tudo aquilo que Mira vive no gueto, desde os momentos iniciais quando se dedica a candonga até, mais a frente, aos episódios de luta, incluindo a cena em que tem de decidir em conjunto com os outros companheiros se deve ou não matar alguém para que não os denuncie, todas essas situações aconteceram de facto. Apenas a heroína é fictícia, uma vez que julgo que dessa maneira é mais fácil uma pessoa identificar-se com ela.
Os factos históricos, o desenrolar do levantamento, tudo isso é passível de ser documentado, no entanto as emoções são uma coisa muito diferente: existem depoimentos de testemunhas presenciais?
Existem inúmeras memórias de sobreviventes, um vasto conjunto de fontes e o importante legado de Ringelblum: o arquivo clandestino do gueto, que foi enterrado para que não caísse nas mãos dos alemães e publicado posteriormente na forma de livro. As informações são com frequência bastante objectivas, quase desvinculadas, assim como a maior parte das memórias dos sobreviventes do Holocausto. Essa era a única forma que tinham de poder escrever a esse respeito. Eu, em contrapartida, tento sublinhar a parte emocional, e é também por esse motivo que recorro a uma personagem de ficção. Com uma pessoa real o compromisso é muito diferente: não posso atribuir‑lhe nada, não posso adjudicar-lhe nenhuma emoção. Na qualidade de romancista, tentei pôr-me na pele dessa rapariga de dezasseis anos. O que sente quando passa fome; o que sente quando vê desfilar outras pessoas a caminho da morte; o que sente quando experimenta o júbilo ainda que tudo o resto a sua volta se encontre envolto em chamas. O levantamento dura vinte e oito dias, mas também é uma grande história de amor.
Agora os sobreviventes do gueto são muito mais velhos ou já morreram. O meu pai, que nasceu no ano de 1915, sofreu a perseguição dos nacional socialistas; o meu avô perdeu a vida em Buchenwald; a minha avó, no gueto de Łódź. Por parte de mãe tenho antepassados alemães, e a minha mãe, alemã nascida durante a guerra, está em certa medida traumatizada até hoje. Todavia, nós já fazemos parte de uma ou duas gerações posteriores a guerra: o que posso fazer para que a história ganhe vida para geração actual? Por esse motivo optei, para o romance, por uma linguagem directa e moderna.

Sobre o autor
Nasceu em Bremen, em 1966.
Conhecido guionista de séries de televisão de êxito, como Mein Leben und Ich (A Minha Vida e Eu), Nikola e Berlim, Berlim, foi galardoado com o Prémio Grimme e com o Prémio TV da Alemanha, bem como com um Emmy, nos Estados Unidos.
Vive e trabalha em Bremen. Maldito Karma (Planeta, 2011), o seu primeiro romance, foi um êxito internacional, que vendeu mais de um milhão e quinhentos mil exemplares na Alemanha e que conta com várias edições em diversos países.
Em Portugal, em poucos meses chegou às cinco edições. Depois de Jesus Ama-me e Uma Família Feliz, 28 Dias é a nova aposta do autor na Planeta, um livro com uma história que não nos deixará indiferentes.

Título: Sedução nas Terras Altas
Autor:
Emma Wildes
N.º de Páginas: 288
PVP: 17,76 €

«Uma leitura voluptuosa e sensual. Deliciosamente escandalosa e, ao mesmo tempo, ternamente romântica… Apetecia-me que não terminasse!» Celeste Bradley, autora bestseller do The New York Times

Pela primeira vez um romance sobre a temática Highlander desta premiadíssima autora, que conta com uma legião de fãs em Portugal. Um livro verdadeiramente romântico e sensual composto por três histórias curtas independentes de aventura e paixão desenfreada nas brumas e montanhas das Terras Altas da Escócia. As heroínas destas três histórias são apaixonadas e irresistíveis para os seus homens

Seduzir Ian
Raptada pelo perturbante highland Ian McCray e mantida como prisioneira, Lady Leanna Arlington sente-se aterrorizada, mas o seu captor ajudou-a a fugir de um casamento indesejado. Agora, está nas suas mãos convencer o viril escocês a ficar com ela...

Seduzir Robbie
Julia Cameron está em fuga e procura um protector. O infame Robbie McCray está desesperado para substituir os navios confiscados pelo inimigo inglês. Tudo o que tem a fazer é elaborar um acordo mutuamente satisfatório e pecaminosamente mau...

Seduzir Adain
Quando se depara com uma bela mulher a ser atacada, Adain Cameron espanca e defende a dama. Com os bandidos ele lida com a pistola e espada, mas a linda Lady Gillian Lorin pode exigir um conjunto de armas diferentes…

Emma Wildes é já uma referência no romance histórico feminino, e seduziu irremediavelmente os leitores portugueses com os dez livros anteriores, já publicados pela Planeta.
Dona de uma escrita envolvente, que combina na dose certa sensualidade e erotismo, Emma Wildes apimenta esta história sobre highlanders com muito sexo e paixões avassaladoras.

«Este romance escandalosamente excitante atrai-lo-á e apoderar-se-á do seu coração.» Elizabeth Boyle, autora bestseller do USA Today

Sobre a autora:
Emma Wildes estudou na Universidade de Illinois é e licenciada em Geologia. Vive em Indiana com o marido e três filhos. Foi a autora n.º 1 do Fictionwise, WisRWA Reader’s Choice Award, vencedora na categoria de Romance Histórico em 2006, do Lories Best Published, e em 2007 vencedora do Eppie para o melhor romance erótico.
Livros publicados pela Planeta: Uma Aposta Perversa, Lições de Sedução, Um Homem Imoral, Um Erro Inconfessável, Pecados Escondidos, Sussurros Ousados, Traída pelo Destino, Paixão Escandalosa, Um Amor ao Luar e Um Rumor muito Inconveniente.

Título: Cristino Ronaldo - Orgulho, Glória e Preconceito
Autor:
Antoine Grynbaum e Marco Martins
N.º de Páginas: 152 + 8 páginas
PVP: 13,95 €

«Muito orgulhoso de si, do seu talento, do seu físico, do seu dinheiro.» Dizem… Mas quem é de facto, Cristiano Ronaldo?

Um retrato da personalidade de Cristiano Ronaldo, descrita em diversas entrevistas exclusivas e inéditas a pessoas próximas ao craque, assim como a figuras de relevo no mundo do futebol, incluindo vários jornalistas portugueses.
«A principal característica de Cristiano Ronaldo é não deixar ninguém indiferente. As pessoas ou o amam ou o detestam. Tal resultado é o fruto de uma personalidade arrogante ou desdenhosa para aqueles que não o conhecem bem. Cristiano dá a impressão de que ninguém lhe é superior. O rapaz tem uma grande qualidade técnica, sem dúvida, mas eu acho que o produto final «Cristiano Ronaldo» é o resultado de uma enorme confiança em si mesmo.» Nuno Farinha, Record

Este livro relata um percurso excepcional, que começou em Portugal, brilhantemente seguido no Manchester United, Real Madrid e na Selecção.
Entre as revelações inéditas encontram-se as condições das suas diferentes transferências, os contactos com o PSG e as histórias secretas da rivalidade com Messi ou a relação com Mourinho e Ancelotti.
Nenhum ingrediente falta a esta aproximação autêntica e o mais perto possível de um jogador, amado por uns e detestado por outros.
A 12 de Janeiro 2015 será conhecido o jogador vencedor de a Bola de Ouro 2014, troféu atribuído pela FIFA e pela France Football e Cristiano está entre os nomeados.

O livro demonstra que «nem tudo é a preto e branco» e muito menos a personalidade do Bola de Ouro. Os autores descrevem, também, o percurso de Cristiano Ronaldo, «desde o baptizado até hoje», passando pelas transferências e pelos contactos que teria estabelecido com o Paris Saint-Germain, sem esquecer «toda a máquina comercial e de marketing que gravita à sua volta dele».
O livro mostra ainda um homem popular, longe da imagem da estrela temperamental e orgulhosa que, por vezes, lhe atribuem.

Sobre os autores
Antoine Grynbaum é jornalista desportivo independente e comentador de jogos de futebol. Publicou os livros Foot et politique – les liasons dangereuses e La Face cahée du sport. Marco Martins é jornalista especializado em futebol lusitano, trabalha para a RFI e Radio Alfa e é correspondente em França do jornal Record.

Mais novidades para o primeiro semestre de 2015
Romance
O Homem do Puzzle, de Fausta Cardoso Pereira
Nas livrarias: Janeiro
Uma fábula sobre a paralisação e a mudança, a dificuldade de agir e a importância fundamental de não perdermos um horizonte de liberdade, contada por uma ficcionista que se revela numa escrita clara e num olhar acutilante sobre o mundo e a matéria humana, triste e alegre, que o constrói.



A Herança Bolena (título provisório), de Philippa Gregory
Nas livrarias: Fevereiro
Intriga, romance, história, com uma pesquisa rigorosa narrada de forma soberba pela reconhecida escritora de ficção histórica. Primeiro livro da série Tudor, agora reeditado pela Planeta. Um olhar fascinante sobre a corte dos Tudor, como nenhum outro autor consegue romancear.

O Dia em que Estaline Encontrou Picasso na Biblioteca, de Alice Brito
Nas livrarias: Março
O novo romance de Alice Brito, que se estreou com o poderoso As Mulheres da Fonte Nova, é sobre o passado e o presente que lhe não pode fugir: «O passado não é inocente», como diz um dos personagens em carta à sua neta. Entre o passado e o presente, assim se situa este livro cuja acção decorre em Setúbal e noutras geografias cúmplices, próximas e distantes. As personagens parecem avisar-nos que ninguém escapa ao seu tempo. Nem à História. E, de vez em quando, a História brinca connosco…

Desejo de Chocolate (Título provisório), de Care Santos
Nas livrarias: Abril
Da mesma autora de A Cor da Memória, este novo romance conta a vida de três mulheres que têm em comum duas coisas: terem vivido em Barcelona e serem donas de uma chocolateira de porcelana branca.

Modi – O Bem Amado Maldito, de Cristina Carvalho (Título provisório)
Nas livrarias: Maio
Picasso, Brancusi e Cocteau chamavam-no pelo diminutivo Modi (pronunciado maudit, em francês). Amedeo Modigliani, o artista maldito, o bem-amado das mulheres, o criador e destruidor é a figura central do novo livro da autora, na linha de retratos de génios artísticos românticos que iniciou com Nocturno – O Romance de Chopin.

POLICIAL
Escrevam-me a Dizer Quem Foi ao Meu Funeral, de Celso Filipe
Nas livrarias: Março
Num registo divertido e bem-humorado, Celso Filipe, subdirector do Jornal de Negócios, estreia-se como ficcionista com um policial ao gosto clássico, para amantes dos clássicos do género: nada mais, nada menos do que Hercule Poirot, Maigret, Perry Mason e Nero Wolfe são convocados a uma pequena aldeia do Alentejo para resolver o assassinato de uma jovem e capitosa habitante de Silha da Palha, conhecida como «a alemoa». Um policial verdadeiramente imperdível!

Sacrifício a Molek, de Asa Larsson
Nas livrarias: Março
A autora revelação do policial nórdico encontra-se, sem dúvida, entre a elite do romance policial a Suécia que, tal como se sabe, é dos melhores do mundo. Os seus livros têm sido um êxito imediato, obtendo o elogio da crítica e dos leitores nos vários países, sendo já considerada uma das mais importantes representantes do policial escandinavo.

ERÓTICO
Adivinha quem sou, de Megan Maxwell
Nas livrarias: Janeiro
Uma nova série erótica de dois volumes, da mesma autora de Pede-me o que Quiseres, altamente viciante, que tem data de estreia para Janeiro e o volume seguinte sairá para o mercado em Fevereiro.

Uma Noite, de Jodi Ellen Malpas
Nas livrarias: Março
Chega agora mais uma trilogia erótica, da mesma autora de Este Homem, onde o desejo e a paixão falam mais alto.

FANTÁSTICO
Cress, de Marissa Meyer
Nas livrarias: Janeiro
Depois de Cinder e Scarlet, chega agora o último livro da série Crónicas Lunares, baseado na história de Rapunzel.

NÃO FICÇÃO
2 Dias para Mudar a sua Vida, de Emma Cook
Nas livrarias: Janeiro
Um método revolucionário, baseado na famosa dieta dos 2 dias, que a autora, uma jornalista inglesa, experimentou e adaptou as todas as áreas da nossa vida e promete melhorar a nossa saúde, as nossas finanças e a nossa felicidade.
Dois dias por semana bastam para mudar a sua vida.

E se me restasse apenas uma hora de vida?, de Roger Pol-Droit
Nas livrarias: Fevereiro
Uma questão pertinente que nos ajuda a reposicionar na vida quanto a objectivos e
prioridades. Um texto inspirador e uma brilhante lição de vida, escrito por um
filósofo de renome, reconhecido mundialmente.

A Dieta do Chocolate, de Alexandre Fernandes
Nas livrarias: Março
Do reconhecido nutricionista e autor de Cascas, Talos, Folhas e Outros Tesouros Nutricionais, um livro para quem quer emagrecer, sem abdicar de um alimento que é um verdadeiro pecado da gula.

Resultado do passatempo de Natal pack de 2 livros

Obrigada a todos que participaram no passatempo um pack de 2 livros:  
- A Cor do Coração - Barbara Mutch
- Na Noite em que Tu Nasceste  -  Nancy Tillman realizado pelo Marcador de Livros e a Editorial Presença.

O feliz contemplado com um exemplar do livro é:
Célia Inácio (Lagoa)


Além do seu nome figurar no blogue, o contemplado foi ainda avisado através de email.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Bom Natal


O Homem da Areia - Lars Kepler [Opinião]

Título: O Homem da Areia
Autor:
Lars Kepler
Tradutor: Ana Diniz
Págs.: 504
PVP: 17,70 €


Sinopse:
Jurek Walter é um dos assassinos em série mais perigosos e mortais do mundo, um psicopata tão sinistro e tão inteligente como Hannibal Lecter. Embora esteja há mais de uma década encarcerado na ala psiquiátrica de um hospital de alta segurança, a Polícia jamais conseguiu desvendar os seus crimes e descobrir o paradeiro das suas inúmeras vítimas. No entanto, quando o jovem Mikael Kohler-Frost, supostamente morto há mais de sete anos, é encontrado a vaguear numa ponte ferroviária, hipotérmico e às portas da morte, o comissário Joona Linna vê-se obrigado a reabrir o caso e a aproximar-se do homem que o privou da sua família, o homem que, mais do que tudo, o deseja morto.
À medida que as investigações avançam, o perigo adensa-se e torna-se imperativo entrar na mente do perigoso assassino, antes que o tempo se esgote…

A minha opinião:
Tendo como cenário principal um hospital psiquiátrico, O Homem da Areia é um thriller sombrio, psicológico, na busca de respostas sobre um rapto de há mais de sete anos. A chave só poderá estar em Jurek Walter, um psicopata e um dos assassinos em série mais temidos do mundo, que muito se assemelha a Hannibal Lecter pela sua inteligência e pela sua carga psicológica.

Tal como Hannibal, também Jurek se encontra num ala psiquiátrica. No entanto, este encontra-se sozinho, isolado, apenas vigiado por um médico (cuja conduta vai ser colocada em causa), uma rapariga, e guardas prisionais.

Quando um dos filhos de Reidar Frost, um escritor de best sellers, Mikael Kohler-Frost aparece ao fim de sete anos, com ar perdido, desnutrido, quase morto, mas sabendo que a irmã ainda estava viva, surge a esperança de Joona Linna de a conseguir salvar. A única pista que Mikael dá é que Felícia e ele foram sequestrados pela Homem da Areia que os deseja colocara a dormir, numa breve alusão a uma história de Hoffman que a sua mãe lhes contava quando eram crianças.




É aqui que surge a ideia de infiltrar uma agente na ala psiquiátrica onde Jurek Walter se encontra, tentando assim obter a sua confiança por forma a obter informações sobre um potencial aliado no exterior. É aqui que surge mais uma vez Saga Bauer, uma polícia determinante para a resolução do caso.

Os seguidores da série, compreenderão melhor as vidas complicadas de Joona Linna e Saga Bauer que serão completamente explicadas neste livro. Também eles têm esqueletos no armário...

Confesso que tenho saltado um pouco a série Joona Linna. Dos 4, apenas li o 2.º e este último, mas prometo que vou pegar na série porque me rendi. O Homem de Areia foi dos melhores livros que li este ano! Recomendo sem reversas. Uma óptima prenda de Natal.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Mais que as Mães - Joana Neves da Silva [Opinião]

Título: Mais que as Mães
Autor: Joana Neves da Silva
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 260
Editor: Chiado Editora
Coleção: Compendium
PVP: 12€

Sinopse:
"Não se faz nada nesta casa!"
Mentira. Faz-se tudo. Sem eles é que não faço nada. Foram almoçar a casa dos tios e eu estou aqui, bloqueada, sem o som da Xbox, da Wii, do SpongeBob e dos gritos da Té. Ouço ao longe um programa de culinária da SicMulher, sugerindo-me a preparação de uma refeição que é hoje desnecessária. O tempo não passa. Venham lá rápido desse almoço que este silêncio e esta paz estão a matar-me.
Quem dera a nós, adultos, seres aborrecidos e complicados, podermos erguer-nos a meio de uma reunião de trabalho e gritar:
"Pim, pam, pum, cada bola mata um, p'rá galinha e p'ró perú, quem se livra és mesmo tu! Ganhou o Fonseca. Vamos almoçar. O último a chegar à cantina é uma batata podre!"
A minha falta de interesse por jogos de consola prende-se principalmente com o facto de qualquer chimpanzé bem treinado fazer melhor figura do que eu com um comando na mão. Se tivesse jeito (e tempo) não tenho dúvidas que seria uma aficionada. Entendo o fascínio dos miúdos perante este universo e não sou fundamentalista em relação a isso. Resmungo quando acho que estão a jogar há tempo a mais? Claro. Eles ouvem-me? Às vezes.
"Mãe, o que é que aconteceu ao nariz do cão de areia da Cleópatra?"
"Antes de mais, algumas ressalvas de ‘pormenor’: não é um cão, é um leão e não é de areia mas sim de pedra. Uma única pedra. Uma das maiores esculturas de sempre lavradas numa única pedra."
"Ok. E o nariz?"
A minha opinião:
Quem tem filhos facilmente se revê nas 260 páginas de Mais que as Mães de Joana Neves da Silva. Mãe de três filhos, Tomás, Tiago, e Teresa, todos com pontos em comum com a minha própria filha, fiquei vidrada nas histórias simples do dia a dia desta família nortenha (tal como a minha) e a rir-me pelo caricato de algumas situações. Se ter uma filha traquina não é fácil, imagino três... deve ser caótico. E só a boa disposição de Joana e do marido para conseguir levar o barco a bom porto.

Confesso que antes de ler o livro nem o blogue da autora conhecia, http://maisqueasmaes.blogspot.pt/, mas que agora é uma passagem obrigatória. Os dois complementam-se.

Dividido por cinco estações, repete o inverno, Mais que as Mães é constituído por capítulos curtos, com cenários corriqueiros de qualquer família, tais como a doença de um dos filhos, os dentes a abanar, os trabalhos de casa, brincadeiras entre irmãos, desenhos animados que os mais pequenos apreciam e Glória, a gata da família.

Um livro divertido, mais recomendado a quem tem filhotes pequenos. Vai rever-se em muitas destas situações. Gostei ;)





 

Lançamento - "A Viagem do Elefante" em BD



quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Porto de Encontro com Álvaro Magalhães

No próximo sábado, às 18:00, a Casa das Artes vai acolher mais
uma sessão do “Porto de Encontro”.
Com o Natal à porta, a Porto Editora e o jornalista Sérgio Almeida
prepararam uma sessão muito especial do “Porto de Encontro”. O
convidado é o reconhecido escritor Álvaro Magalhães, contando-se com a
participação da jornalista e escritora Inês Fonseca Santos e do famoso
Bando dos Gambozinos. A sessão está agendada para o próximo sábado,
dia 13 de dezembro, às 18:00, na Casa das Artes, no Porto.
Álvaro Magalhães nasceu no Porto, em 1951. A sua obra para crianças e
jovens, que integra poesia, conto, ficção e textos dramáticos, repartindo-se
por cerca de 80 títulos, caracteriza-se pela originalidade e invenção, quer na
escolha dos temas quer no seu tratamento. Foi várias vezes premiado pela
Associação Portuguesa de Escritores e Ministério da Cultura. Em 2002, O
limpa-palavras e outros poemas foi integrado na Honour List do Prémio
Hans Cristian Anderson e, em 2004, Hipopóptimos – Uma história de amor foi distinguido com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian. Em 2014, O Senhor Pina recebeu o Prémio Autores, da Sociedade Portuguesa de Autores, para melhor livro infantojuvenil.
Várias das suas publicações integram o Plano Nacional de Leitura e constam do corpus das Metas Curriculares de Português. Parte da sua obra (21 títulos) está publicada em Espanha, França, Brasil e Coreia do Sul.
Esta XXXI edição do “Porto de Encontro” conta com a colaboração da Direção Regional de Cultura do Norte e o apoio da Antena 1, Jornal de Notícias, Porto Canal, Sociedade Portuguesa de Autores, Livrarias Bertrand, Porto Barros e Arcádia. A entrada, como sempre, é gratuita.


Sérgio Godinho apresenta Vidadupla n'A Vida Portuguesa do Intendente, domingo, 14 de dezembro, 16h00



Novidade Casa das Letras: Na Cozinha com Henrique Sá Pessoa

Título: Na Cozinha com Henrique Sá Pessoa 
Autor: Henrique Sá Pessoa
N.º de Páginas: 224 
PVP: 23,90€

Um livro de cozinha para recriar e degustar receitas entre amigos. O Chef Henrique Sá Pessoa apresenta-nos algumas receitas de snacks, sopas, entradas, peixes, carnes, massa e arroz, sobremesas e bolos, com ingredientes essências e alguns truques.

Na Cozinha com Henrique Sá Pessoa, convida o leitor a experimentar 78 receitas simples, saborosas e despretensiosas para que possa guardar na bancada da cozinha todos os sabores de cada receita, folhear vezes sem conta as dicas mais secretas e espalhar pela sua casa os aromas e os segredos mais bem guardados.

Ao chef Henrique Sá Pessoa juntaram-se alguns ilustres convidados – Blaya, Herman José, João Adelino Faria, Luísa Sobral, Mário Augusto, Simão Morgado e Vasco Palmeirim – com receitas tão surpreendentes quanto saborosas.

E como antes de cozinhar é preciso ir ao mercado, o chef apresenta neste livro os ingredientes essenciais que devem existir em todas as cozinhas, dá dicas de como seleccionar e comprar a carne, o peixe, as frutas e os legumes mais frescos, os cortes de carne mais apropriados para cada receita e truques simples e infalíveis para que as suas receitas sejam um verdadeiro sucesso.

Junte-se ao Chef Henrique Sá Pessoa e dê asas à sua imaginação, sem receios, perante uma aventura culinária que vai melhorar e elevar o seu dia-a-dia.

Saiba mais em https://www.youtube.com/watch?v=9z1ZBJygCw8

Sobre o autor:
Henrique Sá Pessoa nasceu em 1976, em Oeiras. Foi num programa de intercâmbio nos EUA que descobriu o gosto pela culinária, enquanto assistia a uma palestra sobre o Institut Cordon Bleu, uma conceituada escola de gastronomia, hotelaria e gestão, onde mais tarde acabaria por estudar. Até 1999 viveu em Londres e trabalhou no Park Lane Hotel. Em 2010 mudou-se para Sidney, na Austrália, para trabalhar no Hotel Sheraton on the Park. Passados dois anos, regressou a Portugal para integrar a equipa do Lapa Palace, da cadeia Orient Express. Em 2009 realizou o seu maior sonho, abrindo ao público o seu primeiro restaurante, Alma, vencedor do Prémio do Restaurante do Ano da Revista de Vinhos. Em 2013 abre o restaurante Cais da Pedra, também em Lisboa, e no ano seguinte, um espaço no Mercado da Ribeira.

«Francisco, de Roma a Jerusalém» publicado em Espanha

É já em Janeiro que Francisco, de Roma a Jerusalém, de Henrique Cymerman e Jorge Reis-Sá, chega a Espanha. Este livro da Guerra e Paz retrata um encontro de interesse universal. Não admira, por isso, que comece a dar os primeiros passos de internacionalização em 2015.

Francisco, de Roma a Jerusalém entrou nas livrarias portuguesas a 8 de Outubro e teve um excelente acolhimento por parte dos leitores portugueses, com entrada directa para o primeiro lugar no TOP Nacional de Não Ficção apurado pela GfK, na semana de 13 a 19 de Outubro. Foi o livro mais vendido em Portugal durante duas semanas, tendo-se mantido no TOP 10 por cinco semanas consecutivas.

Um êxito que chega a Espanha através da Nagrela Editores, que planeia colocar o livro de Henrique Cymerman e Jorge Reis-Sá à venda dentro de poucas semanas.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Clube do Autor: Rita Sousa Tavares apresenta Show me Lisbon

Joana Vasconcelos, Vhils, Maria de Medeiros, Rodrigo Leão, Carminho, José Avillez, Manuel Alves, José Sarmento de Matos, Nicolau Breyner, e outros lisboetas, apresentam a sua cidade em livro e filme-documentário.
Show me Lisbon segue-se a Show me Rio – lançado no Verão de 2013 com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro – como a segunda aposta de Show me Cities, um projecto que pretende revelar um conjunto de cidades pelos olhos dos seus conterrâneos.
O princípio é simples: a melhor forma de se conhecer uma cidade é através da sua gente. As cidades são no fundo as suas pessoas. São elas a razão de ser de tudo o que se vê, ouve, come e sente.
Show me Lisbon revela a cidade de treze lisboetas – de nascença ou por opção, de gerações, áreas e meios diversos –, sendo o resultado final um retrato de Lisboa dinâmico, descontraído e realista, que aborda temas como a definição de “ser lisboeta”, a luz, o Tejo, a gastronomia, os sons, a história, as misturas étnicas, o fado ou as fachadas da cidade.
No final do livro, foram compiladas todas as dicas e escolhas pessoais destes lisboetas, segmentadas por restaurantes, tasquinhas, casas de fado, museus, miradouros, hotéis, passeios, recantos e segredos, resultando num completo e inédito insider’s guide de Lisboa.
Show me Lisbon teve o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, do Porto de Lisboa, da EDP, do Montepio, da Top Atlântico e da RTP. Foi editado nos formatos coffee table book, capa dura e mole, e num filme-documentário, com 52 minutos que será lançado no primeiro trimestre de 2015.
Da autoria e coordenação editorial de Rita Sousa Tavares, conta com textos da autora, assim como de outros jornalistas e escritores.
A fotografia principal ficou a cargo do consagrado fotógrafo João Pina, que vive em Buenos Aires e tem o seu trabalho publicado em periódicos como o New York Times, New Yorker ou El País, tendo feito várias exposições nas principais salas do mundo.




Lançamento
Casa do Alentejo – Rua das Portas de Santo Antão, 11 de Dezembro às 19 horas.
Características
Edição: Café Pessoa, livro bilíngue em português e inglês, capa dura, 290 páginas, 22,5 x 29,5 cm.
Destacável desdobrável no interior com directório de moradas e mapa.
PVP: 30 € - À venda nas principais livrarias a partir de 11 de Dezembro.


Sobre a autora:
Rita Sousa Tavares nasceu em Lisboa em 1978. Formada em Relações Internacionais, trabalhou como jornalista na TVI de 2000 a 2006, tendo integrado a editoria de investigação, sociedade e grande reportagem. Foi consultora de comunicação na MyBrand e criou em Janeiro de 2012 a produtora Café Pessoa, que se dedica à criação e produção de conteúdos editoriais. Em 2013 lançou um guia da capital portuguesa produzido especialmente para os turistas brasileiros, que mantém em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, bem como o Show me Rio, o primeiro desta série, nas versões livro e documentário audiovisual, produzido com o apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro. Tem nos últimos anos publicado artigos em revistas como a Elle Magazine, os guias Lisboa Convida, a revista UP da TAP ou a Woman Magazine.


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Fernando Pessoa - O Romance - Sónia Louro [Opinião]

Título: Fernando Pessoa - O Romance
Autor: Sónia Louro
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 448
Editor: Saída de Emergência
PVP: 16,96€

Sinopse:
Este é o romance biográfico de Fernando Pessoa, o poeta que foi muitos poetas. Órfão de pai aos cinco anos de idade, cedo perde a atenção da mãe quando esta volta a casar. Forçado a partir para a distante África do Sul, onde o nascimento de irmãos o isolam ainda mais, refugia-se em si mesmo e aí cria novos mundos.
No fim da adolescência regressa a Lisboa, na vã tentativa de resgatar os poucos momentos da vida em que fora feliz. Aí conhece personalidades do mundo das artes e da literatura, como Almada Negreiros, Mário de Sá-Carneiro ou Adolfo Casais Monteiro. É um dos fundadores da Orpheu, uma revista artística que foi recebida com escândalo pela crítica.
Correspondente comercial, inventor, tradutor, editor, publicitário e astrólogo, Fernando Pessoa procurou várias formas de ganhar a vida. E até o amor lhe bateu à porta quando conheceu Ophélia Queiroz.
Fernando Pessoa, O Romance é uma obra magnífica, fruto de uma pesquisa meticulosa, e uma verdadeira homenagem ao maior poeta da língua portuguesa. Um poeta que Sónia Louro consegue dissecar, desvendando os seus segredos, medos, sonhos e, mais importante, a sua humanidade.

A minha opinião: 
Logo que vi esta novidade saberia que o novo livro de Sónia Louro me iria proporcionar bons momentos. Escrito de uma forma atractiva, fui acompanhando Pessoa e os seus diversos eus quase que de uma forma esquizofrénica, que o iam acompanhando no seu dia a dia, falando com ele, dando-lhe opiniões sobre tudo, falando por ele, escrevendo por ele, quase como se fosse assim que o autor tivesse realmente vivido. E será que não terá sido mesmo assim? Porque não?

Gostei da forma como a autora expôs o poeta que tanto admiro, o despojou, o fragilizou. Um homem sem amigos, que viveu sempre só, desejando sempre o carinho da mãe que sempre o abandonou para viver um amor por um segundo casamento, um amigo que o abandonou para viver a sua própria dor (Sá Carneiro), e que viveu para si e para os seus heterónimos, refugiando-se na bebida e na sua própria fragilidade.

Fernando Pessoa quis ser muito coisa, trazia em si todos os sonhos do mundo, mas tudo se esfumou. Vivia sempre na corda bamba, devia dinheiro a toda a gente, tinha trabalhos precários, mudava constantemente de morada, era um eterno insatisfeito. Fundador, com outros génios, da revista Orpheu que tanto foi criticada na altura, era uma pessoa tão incompreendida, que via na bebia um escape. Não se suicidou por um triz. valeu-lhe os seus "eus".







Mas Pessoa não foi o único. Com ele estavam os mais jovens intelectuais portugueses de Almada Negreiros, Santa Rita Pintor, Sá Carneiro, António Botto, Guilherme de Faria a Amadeo de Souza Cardoso, alguns também morreram jovens, tendo deixado pouca obra.

Sónia Louro soube ainda retratar um Portugal decrépito, cheio de mudanças. Um Portugal onde se saía de uma monarquia, mas onde a República ainda estava a dar os primeiros passos, no início do século. Mas também o início da ditadura e da censura de que também acabaria por prejudicar alguns textos pessoanos. A política e o esoterismo também são determinantes na vida e obra de Pessoa e o episódio da vinda de Crowley também não poderia deixar de estar presente, tendo como palco a Quinta da Regaleira e a Boca do Inferno que achei deliciosos.

Não foi Pessoa quem escreveu este romance, mas bem que podia ter sido.

Louro põe-se no lugar do poeta, e com frases dele, retiradas de textos dele, constrói uma narrativa tão sólida e tão bem estruturada que por momentos julguei estar a ler um livro do próprio. Sem dúvida, o melhor livro que li da autora e recomendo sem quaisquer reservas.



Lançamento do novo romance Gonçalo M. Tavaresna Lx Factory



quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Entrevista a Luísa Castel-Branco no Nós Aqui


Um Caso de Espíritos - Peter Lovesey [Opinião]

Título: Um Caso de Espíritos
Colecção: Crime à Hora do Chá - Volume 6
Autor: Peter Lovesey
Tradução: Daniel Gonçalves
Vencedor Do Prix Du Roman D’aventures, 1987
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 240
Editor: Edições Asa
PVP: 13,90€

Sinopse:
Na era vitoriana, as sessões espíritas são a grande sensação entre os britânicos. De respeitáveis senhoras da alta sociedade a académicos céticos ou improváveis homens de negócios, ninguém parece resistir a conversar com o Outro Lado. Também a Scotland Yard acaba por participar desta nova moda, ainda que de forma indireta. Quando, após uma sessão em casa da abastada família Probert, desaparece uma obra de arte, o sargento Cribb e o guarda Thackeray são chamados a investigar. Tudo parece simples… até acontecer uma morte. Para complicar a investigação, todos os presentes têm motivos para odiar a vítima. Os dois detetives debatem-se com o excêntrico grupo de suspeitos e uma médium assustadoramente convincente. E à medida que se vão movimentando neste mundo perturbador e obscuro, a verdade parece iludi-los a cada passo.

A minha opinião: 
A Colecção Crime À Hora do Chá tem a particularidade de trazer aos leitores nomes de autores policiais um pouco esquecidos. Peter Lovesey é um dos casos. Publicado em alguns números da coleção Vampiro (coleção que devorei quando era jovem), este autor é apenas um dos exemplos de algumas boas leituras, que já foram editadas por cá e que foram descontinuadas.

Em Um Caso de Espíritos, Peter Lovesey pega na "moda" da alta sociedade vitoriana de "falar" ou "evocar" espíritos e daí resultar um crime...

O roubo de uma pintura e de uma vaso, em duas casas diferentes, traz à cena o sargento Cribb e o guarda Thackeray. O mais estranho é que ambos os roubos são insignificantes ante o resto que os envolve, que é muito mais valioso, que levanta ainda mais suspeitas. Não saberá o assaltante nada de arte? Ou o que rouba é propositado?

À medida que a investigação avança, e no meio de mais uma evocação espírita, a terceira, uma morte ocorre, e tudo muda. Isto porque todos os presentes na sessão têm motivos para matar, muito ao estilo dos romances policiais deste género (que em muito me fez lembrar Poirot na última parte) e muitos mistérios do passado vão sendo desvendados.

Gostei e fico à espera de mais livros da coleção.



 

Entre 7 e 9 de dezembro, Matosinhos volta a ser a capital da Poesia

Entre 7 e 9 de dezembro, Matosinhos volta a ser a capital da Poesia.


A Festa da Poesia é um projeto âncora da Câmara Municipal de Matosinhos. Iniciada em 2005, ano da construção do novo edifício da Biblioteca Municipal Florbela Espanca, esta Festa assinala o dia 8 de dezembro, um dia duplamente marcado pelo nascimento e morte desta poetisa portuguesa (1894-1930).

Em 2014, passados 84 anos sobre a morte de Florbela Espanca em Matosinhos e 120 do seu nascimento, a Câmara Municipal de Matosinhos voltará a assinalar este dia, homenageando e celebrando os poetas e a poesia em língua portuguesa. Pretende levar-se a poesia a vários espaços do concelho, da tarde de domingo, 7 de dezembro, à manhã de terça-feira, 9, sempre sob o lema «Poemas para Salvar a Vida». Durante a edição de 2014 da sua Festa, a Poesia fará de tudo para chegar a todos: do Lar de Sant’Ana à prisão de Custoias, passando pela zona circundante à Biblioteca Municipal.

Além das habituais leituras públicas e das conversas em torno de odes, musas e versos, a edição deste ano quer dar primazia à palavra. Nesse sentido, faz parte da programação o espetáculo «Poemas no Quarto Escuro», que terá lugar segunda-feira, dia 8, pelas 18.30. Apelando ao poder da palavra dita e potenciando esse poder pela via sensorial, Adolfo Luxúria Canibal, Capicua, Daniel Jonas e Renato Filipe Cardoso estarão em cena no auditório da Biblioteca Municipal Florbela Espanca com as luzes totalmente apagadas. Nesta sessão, o som dos poemas na escuridão fica no centro das atenções, dispensando artifícios e figurinos. Não é aconselhável a viciados no Instagram.

Atenta às novas expressões da poesia, a edição deste ano abraça também uma tendência emergente nos centros urbanos: a poetry slam. Numa sessão noturna, pelas 23.00, no Café da Praça (junto à Biblioteca Municipal), que pretende dar a conhecer este novo uso da palavra, estarão presentes alguns dos mais representativos intérpretes nacionais desta arte de dizer, como Alexandre Sá, Cláudia Amorim, Figas de Saint-Piérre de La Buraque e Maria Filigrana, num espetáculo original e irrepetível. No dia seguinte, outras surpresas percorreram aquele espaço.

Num dia de lazer como é o feriado do dia 8, segunda-feira, as famílias serão convidadas a participar, pelas 11.00, na oficina de rimas dinamizada por Adélia Carvalho, que terá lugar na Biblioteca Municipal Florbela Espanca. Uma atividade que visa despertar nos mais novos o interesse pela palavra escrita e falada.

Para terminar, uma pergunta: poderá a poesia ser tábua de salvação em tempos como os que vivemos? Do cardápio de atividades previstas, e tentando responder a esta pergunta, destaca-se a apresentação da antologia Cem Poemas para Salvar a Nossa Vida, às 21.30 de domingo, dia 7, compilada especialmente para esta edição da Festa da Poesia. A apresentação da antologia ficará a cargo do editor e organizador da antologia Francisco José Viegas. Nessa ocasião, Daniel Jonas e João Luís Barreto Guimarães serão convidados a ler poemas publicados nesta edição única, após o que se iniciará o debate, já com a participação de Mário Cláudio, em volta da Palavra e do seu papel na salvação da humanidade.

Julia Navarro em Lisboa para apresentar «Dispara, eu já estou morto»



Apresentação - Cada Garrafa Conta uma História



terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Civilização Editora acaba de lançar uma nova coleção: Vício dos Livros

A nova coleção da Civilização Editora, Vício dos Livros, reúne um conjunto selecionado de obras de alguns dos autores mais consagrados da literatura mundial, de Tolstoi a Twain e Jack London.

São obras intemporais que marcaram inúmeras gerações de leitores, seja pelos altos valores humanos nelas veiculados seja pelas aventuras que permitiram viver em prazentosas e infinitas horas de leitura. Muitas chegariam ao cinema e à televisão, caso de Robin dos Bosques, Mulherzinhas ou As Aventuras de Tom Sawyer.

São obras precursoras. Um livro como a Ilha do Tesouro, por exemplo, determinaria o arquétipo do pirata que ainda hoje povoa o nosso imaginário, o da perna de pau e papagaio ao ombro, bem como a imagem clássica que guardamos de um mapa do tesouro, sempre com um grande X a assinalar a localização de um baú cheio de ouro enterrado algures numa remota ilha tropical.

E é também entre estes clássicos que poderemos descobrir e apreciar a faceta de tradutor de um autor consagradíssimo como Eça de Queirós, que traduziu e adaptou superiormente As Minas de Salomão. Em suma, grandes livros para infinitas horas de leitura.




8 Dez: 18h30 - Apresentação do livro "28 Minutos e 7 Segundos de Vida", Manuel Forjaz e José Alberto Carvalho. (Fnac NorteShopping)