sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Anatomia dos Mártires - João Tordo [Opinião]

Título: Anatomia dos Mártires
Autor: João Tordo
Editora: D. Quixote
N.º de Páginas: 272
PVP: 15,90€

Sinopse: 
"Anatomia dos Mártires" é a história de uma obsessão verdadeira transformada em ficção - a de uma investigação contemporânea (e original) sobre o mito de Catarina Eufémia - e também a tentativa de reconciliação de um escritor nascido imediatamente após a Revolução de Abril com o passado. Um jornalista insensato e ambicioso quer provar ao seu editor - um comunista irascível, alcoólico e com bastante desprezo pelos jovens - que não é só mais um na redacção. Escolhido para ir a Berlim entrevistar o biógrafo de um mártir religioso, aproveita a deixa para fazer, no seu artigo, uma analogia com a história de Catarina Eufémia, a camponesa que se tornou um ícone do Partido Comunista, mas de quem, na verdade, pouco ou nada sabe. Quando, porém, o artigo é publicado, as reacções de indignação por parte dos leitores não se fazem esperar, algumas das quais bastante ameaçadoras; e, na noite em que o editor é encontrado na rua em coma, aparentemente brutalizado, o jornalista pergunta-se se não terá sido por defender publicamente o seu artigo e começa a suspeitar de que existe muito mais em jogo do que a simples memória de uma camponesa assassinada pela GNR durante a ditadura. É então que decide investigar obsessivamente a vida de Catarina, desbravando por entre o nevoeiro que paira sobre os mártires e os transforma em mitos de que sempre alguém se apodera. E encontra realidades bem distintas - e mais tenebrosas - do que podia esperar.


A minha opinião:  
Anatomia dos Mártires é a minha estreia com João Tordo, aborda a história de uma mártir portuguesa, Catarina Eufémia, tendo-se transformado, após o seu assassinato, no símbolo da resistência antifascista.

O suicício de um homem que se atira de um prédio e é transformado em mártir e a viagem até Baleizão, no Alentejo profundo tendo como companhia de viagem o editor-chefe, Cinzas vai transformar um apático jornalista num alvo de interesse.

O seu texto, publicado na revista pertencente ao jornal mais vendido em Portugal, vai fazer dele uma pessoa não muito querida por parte da ala comunista. No seu texto sobre o mártir religioso estrangeiro, o jovem jornalista alude a Catarina Eufémia, sobretudo para agradar a Cinzas, um comunista convicto que vê na mártir comunista um exemplo de coragem e determinação. Mas o texto não o deixa em paz levando a partir para uma investigação profunda sobre quem terá sido uma mulher de quem pouco se fala actualmente.

Tordo volta a ser jornalista, reeencarnando no protagonista, investigando a fundo sobre quem foi a mártir escolhida pelo Partido Comunista. Uma jovem mulher assassinada a 19 de Maio de 1954 por um militar da GNR, de costas e, ao que tudo indica, com um filho nos braços, é transformada no símbolo do partido. Catarina, mãe de três filhos e poderia estar grávida de um quarto.

No decorrer da investigação, sempre baseada em testemunhos e no pouco que foi escrito sobre Catarina o jornalista continua a questionar-se: Seria ela uma militante comunista ou unicamente uma mulher em luta pela própria sobrevivência e dos seus filhos?

Gostei da escrita de Tordo, gostei da forma como foi abordada Catarina Eufémia, cada vez mais desconhecida para as pessoas em geral, e gostei da forma como o autor criou uma personagem imatura, inexperiente, mas real, com um amigo afectado pela crise económica mundial, por uma amante irlandesa, também ela jornalista, e por um pai senil.

Este foi o meu primeiro livro de João Tordo, mas certamente não será o último.

Recomendo.


Excertos:
"Era assim que se vivia em Portugal: vivia-se com medo e por causa do medo não se chegava a viver."

"-entre as meias-verdades e as meias-mentiras de que a história dos incompreendidos se vai alimentando - que me continuava a surpreender que nunca alguém se tivesse ocupado dela com a dedicação que merecia." 



1 comentário:

Fiacha disse...

Viva,

Gostei imenso do comentário e sem duvida que deve ser uma excelente leitura e no fundo até acabamos por ficar a saber mais sobre a nossa história :)

Bjs e boas leituras