sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Pede-me o que Quiseres, agora e sempre - Megan Maxwell [Opinião]

Título: Pede-me o que Quiseres, agora e sempre
Autor: Megan Maxwell
Editora: Planeta
N.º de Páginas: 416
PVP: 17,76€

Sinopse:
"Pede-me o Que Quiseres, Agora e Sempre" é uma intensa história de amor, povoada de fantasias sexuais, tensão e erotismo, onde os protagonistas tratam por tu a paixão.
Após provocar o seu despedimento na empresa Müller, Judith está disposta a afastar-se para sempre de Eric Zimmerman, e decide refugiar-se na casa do pai em Jerez.
Angustiado pela partida de Judith, Eric segue-lhe o rasto. O desejo continua latente entre ambos e as fantasias sexuais estão mais vivas do que nunca, mas desta vez é Judith quem impõe as condições, que ele aceita em nome do amor que professa.
Tudo parece voltar à normalidade, até que um telefonema inesperado os obriga a interromper a reconciliação e deslocarem-se a Munique. Longe do seu ambiente, numa cidade hostil e com o aparecimento do sobrinho de Eric, um contratempo com o qual não contava, a jovem terá de decidir se lhe deve dar uma nova oportunidade ou, pelo contrário, começar um novo futuro sem ele. 

A minha opinião: 
Segundo livro da série Pede-me o que Quiseres, continua com a relação tumultuosa entre Eric e Judith, uma espanhola atrevida e com "pelo na venta" que não se rebaixa a nada. O orgulho faz tremer, por várias vezes, a relação e, confesso, até a mim me enervou um pouco. Tanta intransigência, falta de humildade e segurança entre ambos. Por vezes fez-me lembrar que era uma relação de duas crianças, vá, adolescentes, e não de adultos feitos.

"Pede-me o que quiseres" é um romance erótico, mas passa à frente de qualquer erótico que tenha lido. Porque não e só de erotismo que se trata. Além das cenas hot hot, tem também uma história engraçada entre um casal que se ama acima de tudo, mas que não consegue, muitas vezes, ultrapassar certos obstáculos. Mas isso acontece em todas as relações...

Desta vez Judith tem um grande "rival" pela frente. Depois de se ter reconciliado com Eric, decide finalmente ir viver para a Alemanha, mas na casa onde ambos habitam existe um terceiro elemento: o sobrinho de Eric que, depois da sua mãe morrer, ficou a seu cargo. Flynn, ciumento, não vê com bons olhos a chegada de uma mulher estranha e tudo faz para lhe fazer a vida negra. Gostei do desenrolar da relação entre ambos e esta personagem veio trazer mais riqueza a esta romance.

Para quem aprecia um bom romance erótico, com bastante loucura, recomendo.

O único senão, que me enervou um bocado, confesso, foi o facto de Judith se estar sempre a referir a Eric como Iceman ou o meu alemão. Não gosto desse tipo de "alcunhas" que muito me faz lembrar As Cinquenta Sombras de Grey.

Sem comentários: