quarta-feira, 19 de março de 2014

A Rapariga-Corvo - Erik Axl Sund [Opinião]

Título: A Rapariga-Corvo , As Faces de Victoria Bergman Vol 1
Autor: Erik Axl Sund
N.º de Páginas: 368
PVP: 17.70€

Sinopse: 
A psicoterapeuta Sofia Zetterlund está a tratar dois pacientes fascinantes: Samuel Bai, um menino-soldado da Serra Leoa, e Victoria Bergman, uma mulher que tenta lidar com uma mágoa profunda da infância. Ambos sofrem de transtorno dissociativo de personalidade.
A agente Jeanette Kihlberg, por seu lado, investiga uma série de macabros homicídios de meninos em Estocolmo. O caso está a abalar a investigadora, mas não tem tido grande destaque devido à dificuldade em identificar os meninos, aparentemente de origem estrangeira.
Tanto Jeanette como Sofia são confrontadas com a mesma pergunta: quanto sofrimento pode um ser humano suportar antes de se tornar ele próprio um monstro?
À medida que as duas mulheres se vão aproximando cada vez mais uma da outra, intensificam-se os segredos, as ameaças e os horrores à sua volta.

A minha opinião: 
Uma série de macabros homicídios de jovens em Estocolmo vai juntar Jeanette Kihlberg, a agente encarregue de investigar o caso, e Sofia Zetterlund, uma psicoterapeuta, que tem como principais pacientes um menino-soldado da Serra Leoa, e uma mulher misteriosa de seu nome Victoria Bergman.

A Rapariga-Corvo é o primeiro livro de uma trilogia (As Faces de Victoria Bergman) criada pela dupla Erik Axl Sund, prima por capítulos curtos, compostos por uma narrativa forte e, por vezes, enigmática, que se torna difícil para o leitor largar o livro. Dei-me por mim, diversas vezes, a precisar de ir fazer outras coisas, mas sempre a adiar para saber o que viria no capítulo seguinte.

O estado dos cadáveres, a violência perpetrada às vítimas e de tal forma forte e bem descrito, sem quaisquer rodeios, que faz deste trhiller um dos melhores que li nos últimos tempos.

No decorrer das investigações Jeanette depara-se com a violência dos ataques que os miúdos sofreram, antes de terem sido mortos. Os seus corpos apresentam vestígios de anestésicos, muito comuns a serem administrados por dentistas, o que a leva a seguir uma pista que a levará a um pedófilo referenciado anteriormente. Lutas de seres humanos, como de cães se tratasse, também são colocadas como hipótese. Mas a investigação parece não levar a lado nenhum, até que pede a ajuda de Sofia Zetterlund, uma terapeuta habituada a lidar com pessoas mais fragilizadas, vítimas de adultos, como o caso de um menino feito soldado na guerra da Serra Leoa, ou então Victoria, agora uma mulher, mas que em criança sofreu abusos por parte do pai.

Este caso vai juntá-las na busca do assassino, mas noutras coisas mais. O casamento de Jeanette com um artista fracassado está na corda bamba, o relacionamento de Sofia com Mikael também já viu melhores dias, o que as leva a tornarem-se mais próximas...

A Rapariga-Corvo é um thriller psicológico que nos leva a desconfiar de tudo e todos, a analisar cada personagem ao pormenor, a conviver com as múltiplas personalidades de ambos os pacientes de Sofia, e no fim ficarmos espantados com o desvendar do mistério, e a desejar que chegue Julho (data da publicação do segundo volume) para acompanharmos uma história que ficou completamente em aberto.



3 comentários:

mary disse...

Parece bastante bom :) adoro policiais e esta capa é linda.. é uma imagem que permanece :) quero ler!!
* maryredhair *

Clarinda disse...

Ai,ai, fiquei muito interessada! :)

R' disse...

O livro parece ser bom, fiquei com vontade de o ler :)