segunda-feira, 17 de março de 2014

O olhar de Sophie - Jojo Moyes [Opinião]

Título: O olhar de Sophie
Autor: Jojo Moyes
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 456
Editor: Porto Editora
PVP: 16,60€

Sinopse:
Somme, 1916. Sophie vive numa vila ocupada pelo Exército alemão, tentando sobreviver às privações e brutalidade impostas pelo invasor, enquanto aguarda notícias do marido, Édouard Lefèvre, um pintor impressionista, que se encontra a lutar na Frente. Quando o comandante alemão vê o retrato de Sophie pintado por Édouard, nasce uma perigosa obsessão que leva Sophie a arriscar tudo - a família, a reputação e a vida.

Quase um século depois, o retrato de Sophie encontra-se pendurado numa parede da casa de Liv Halston, em Londres. Entretanto, Liv conhece o homem que a faz recuperar a vontade de viver, após anos de profundo luto pela morte prematura do marido. Mas não tardará que Liv sofra uma nova desilusão - o quadro que possui é agora reclamado pelos herdeiros e Paul, o homem por quem se apaixonou, está encarregado de investigar o seu paradeiro…

Até onde estará disposta Liv a ir para salvar este quadro? Será o retrato de Sophie assim tão importante que justifique perder tudo de novo?

A minha opinião:
Sophie e Liv, duas mulheres separadas pelo tempo, são as protagonistas deste novo romance de Jojo Moyes. No entanto, o principal protagonista não seriam as personagens, mas o retrato de Sophie, pintado pelo seu marido, o pintor impressionista Édouard Lefèvre, enquanto ainda eram apenas conhecidos.

Este será o mote para a junção de duas histórias, que à partida teriam pouco em comum.

Sophie é uma mulher apaixonada. Apaixonada pelo seu marido, por Paris, pela arte. Mas agora a guerra eclodiu e Sophie vê-se sem o amor da sua vida, que teve de partir para uma guerra na qual não acredita, deixando-lhe apenas um quadro de si própria, um quadro lindo que vai impressionar um comandante alemão, a tal ponto que mais parece uma fixação.

Donas de um hotel numa pequena localidade francesa, Sophie e a irmã Heléne vivem momentos de fome, estando a braços com os comentários da população por estarem tão próximas dos alemães, uma vez que são elas que os servem ao jantar.

É nessas noites que o comandante alemão, a pretexto do seu quadro presente no salão se começa a aproximar dela. E uma decisão tomada por Sophie vai mudar para sempre a sua vida, e a do seu marido...

Na actualidade, conhecemos Liv, viúva há quatro anos, que procura refazer a sua vida profissional e sentimental. Completamente dependente do seu marido, Liv terá de começar a sua vida do zero, já que as contas começam a acumular-se. Num momento de depressão conhece Paul, o homem que irá mudar a sua vida e que a fará repensar no valor que um objecto pode ter para nós.

No seu quarto, Liv tem a presença do quadro que o seu marido lhe deu como prenda de aniversário, que coincidiu num passeio a Barcelona: o quadro de Sophie. Sem saber o passado desse quadro Liv ama-o mais do que qualquer outra coisa.

Quando Paul descobre que o quadro que procura para um cliente seu, se encontra nas mãos de Liv, a mulher pela qual está interessado, a vida de ambos vai dar uma reviravolta porque aí entra o conflito entre o amor por uma mulher, e o amor pela profissão.

A procura de obras pilhadas por parte dos nazis a famílias judias, vai desencadear uma luta de valores, de fixação pela obra, de quase perder tudo para salvar aquilo que tem de mais precioso, levando Liv a perder quase tudo pelo qual o seu marido lutou. No entanto, depressa nos apercebemos que na Primeira Guerra Mundial não havia ainda o nazismo, pelo que a procura da peça podia ser meramente comercial e não sentimental...

Um livro arrebatador, que me fez apaixonar ainda mais pela arte e por um objecto único cheio de história.

Sem comentários: