quarta-feira, 14 de maio de 2014

Saiba a resposta a 101 Perguntas Incómodas sobre Portugal em O Economista insurgente

Já alguma vez se perguntou por que é que temos salários tão baixos e dizem que têm de ser ainda mais baixos? Sabe porque é que não se conseguem cobrar dívidas neste país? Porque é que o combustível é mais caro em Portugal? Porque é que há falta de médicos em Portugal? Ou os professores estão sempre em protesto? Ou porque é que as empresas de transportes públicos não funcionam e fazem greve? 

Miguel Botelho Moniz, Carlos Guimarães Pinto e Ricardo Gonçalves Francisco, respondem neste livro a algumas das perguntas mais comuns sobre os problemas que abalam Portugal, em áreas tão distintas como a saúde e a educação, a justiça, os transportes, o sector energético e os combustíveis, não esquecendo, a crise que o país atravessa nos últimos 10 anos e que culminou no pedido de ajuda financeira em 2011, à troika.
   

Sinopse:
Já alguma vez se perguntou por que é que temos salários tão baixos e mesmo assim dizem que têm de ser ainda mais baixos? Porque é que os professores estão sempre a protestar? Porque é que as empresas de transportes públicos não funcionam e andam sempre em greve?  Sabe porque é que não se conseguem cobrar dívidas neste país? De onde vem a dívida do estado? Porque é que os partidos de governo são sempre os mesmos? O combustível é tão caro em Portugal por algum motivo? Será que os patrões em Portugal são menos generosos com os salários do que no resto da Europa? Porque é que há falta de médicos em Portugal? Estas são algumas das 101 perguntas incómodas sobre Portugal que encontram resposta clara, frontal e objetiva nas páginas deste livro. Perguntas que todos nós nos fazemos, no nosso dia-a-dia, e para as quais a economia pode dar uma resposta. A economia é uma disciplina com má reputação, graças à suposta incompetência dos economistas em encontrar soluções para a atual crise económica. O que é certo é que todos os dias cidadãos, políticos e comentadores televisivos opinam sobre economia na comunicação social e graças à sua falta de conhecimento sobre o tema contribuem para criar falácias e mitos que, de tão repetidos que são, acabam por ser aceites como verdadeiros, deturpando a realidade económica do país e o processo de decisão política. Um número surpreendente de problemas no país, mesmo os que parecem fora da esfera económica, devem-se a estas falácias e mitos. Neste livro, Miguel Botelho Moniz, Carlos Guimarães Pinto e Ricardo Gonçalves Francisco, que escrevem sobre economia no controverso blogue O Insurgente, respondem a algumas das perguntas mais comuns sobre os problemas que abalam Portugal, nas suas mais diversas áreas, da saúde e educação à justiça, dos transportes, ao sector energético e dos combustíveis. Não esquecendo a crise que o país tem atravessado nos últimos 10 anos e que culminou no pedido de ajuda financeira em 2011, analisando com isenção e do ponto de vista económico a atual situação portuguesa, as suas causas e os seus efeitos.
Uma obra essencial para compreender aquilo que os políticos não explicam.    

Sobre o autor:
Miguel Botelho Moniz, empreendedor e gestor. Licenciado em Engenharia Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico e MBA pela London Business School. Nasceu em Lisboa, no verão de 1969, mas cresceu como emigrante no Brasil. Quando voltou, tornou-se imigrante na terra natal. Acabou por habituar-se, altura em que foi viver para Inglaterra durante 2 anos. Foi engenheiro de sistemas, webmaster e consultor de estratégia antes de decidir estabelecer-se por conta própria. Divorciado, pai de um filho, vive em Lisboa, onde trabalha nas suas duas empresas de sistemas de informação e toca guitarra nas horas vagas. Escreve habitualmente sobre política, economia e finanças no blogue O Insurgente.

Carlos Guimarães Pinto, economista de formação, consultor de profissão e emigrante por opção. Licenciou-se em Economia pela Faculdade de Economia do Porto no tempo em que se demorava 5 anos a tirar o curso. Começou a vida com o pé direito, mais especificamente com o pé direito de Carlos Manuel, cujo golo pelo Benfica naquela tarde de Verão de 1983 haveria de encerrar de vez a questão do nome a dar à criança nascida minutos depois. Casado há cinco anos, é natural da freguesia de Paramos, Espinho, mas vive no Dubai há sete anos. Visitou mais de cinquenta países nos últimos dez anos, mas só metade em trabalho. Continua a escrever sobre economia e atualidade nacional nos blogues O Insurgente e Portugal Contemporâneo.

Ricardo Gonçalves Francisco, é gestor e empreendedor. Licenciado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa. Nasceu na recentemente independente Angola, em novembro de 1976, onde viveu até 1981, tendo crescido e estudado em Lisboa. Trabalhou na área de marketing e como consultor de estratégia em Espanha e no Brasil, além de Portugal. Casado e pai de uma filha, vive em Lisboa onde gere uma empresa de TI que o está a levar a passar cada vez mais tempo na terra que o viu nascer. Escreve sobre política e economia no blogue O Insurgente e colabora com o jornal Diário Económico.

Sem comentários: